Ão errou a mão | Observatório da Imprensa - Você nunca mais vai ler jornal do mesmo jeito
Domingo, 19 de Agosto de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1000
Menu

CÓDIGO ABERTO > Desativado

Ão errou a mão

Por Luiz Weis em 29/07/2006 | comentários

Desde a quarta-feira o candidato tucano Geraldo Alckmin vem dizendo que ‘a matriz’ do escândalo dos sanguessugas está no Ministério da Saúde. Todos os jornais deram a declaração pelo menos uma vez. E não é que o Estado resolveu dá-la em título de página inteira, como se fosse a maior das novidades?


No noticiário da Folha sobre o mesmo evento eleitoral em que o ex-governador repetiu a acusação, ela aparece no seu devido lugar: uma breve referência – ‘Alckmin voltou a afirmar que…’ – no sexto dos oito parágrafos da materiola.


Vá lá saber por que, não é mesmo? Tem mais, porém.


Último dos principais diários a revelar o que o negociante Luiz Antonio Vedoin, disse em nove dias de depoimentos, no esquema da delação premiada, o Estadão também não conseguiu hoje se pôr de acordo sobre quem o ouviu. ‘Polícia Federal’, diz uma matéria. ‘Justiça Federal’, lê-se no quadro que acompanha a mesma matéria. ‘Justiça Federal’, confirma outro texto. ‘Polícia Federal’, insiste outro. E tudo na mesma página. Na seguinte, nova referência à ‘Justiça Federal’ desempata o jogo em favor da verdade.


Sem falar que na matéria ‘Empresário compromete 3 prefeitos e ex-ministro do PT’, com o sub-título ‘Dono da Planam acusa Humberto Costa de pertencer ao esquema’, a informação a respeito – ‘Vedoin detalha reuniões para conseguir o pagamento de R$ milhões que ficaram pendentes do governo Fernando Henrique Cardoso’ – não só estava na mídia há uma semana, como não sustenta a expressão taxativa ‘pertencer ao esquema’. Além disso, o texto omite o desmentido do advogado de Vedoin à TV Cuiabá de que o seu cliente tivesse citado Humberto Costa.


***


Os comentários serão selecionados para publicação. Serão desconsideradas as mensagens ofensivas, anônimas, que contenham termos de baixo calão, incitem à violência e aquelas cujos autores não possam ser contatados por terem fornecido e-mails falsos.


 

Todos os comentários

  1. Comentou em 30/07/2006 roberto oliveira

    Os conhecidos jornalistas adestrados,e a roupa neutra que já não lhes servem,jamais se recusam a cumprir,com a máxima lealdade,as determinações das classes dominantes,os Ricos.Podendo mesmo ir até às últimas conseqüências,contra aqueles que persistirem em não aceitar cegamente tudo que o sistema,ordenar. Bando de pipoca murcha,isso sim!

  2. Comentou em 30/07/2006 Walter Fogaça

    O Estadão erra a mão, mas na verdade não há erro de mão e sim contundência deliberada, programada e acertada entre os orgãos de imprensa no sentido de desviar a verdade, desesclarecer o eleitor. O eleitor é vitíma de uma imprensa que não se declara, que dissimula seu posicionamento político e tenta formar a opinião a partir da sua opinião, é lamentávél. Quando na verdade teremos uma imprensa democrática? Pergunto – onde está a repercussão da matéria da Istoé sobre o Eduardo Jorge na semana passada? Eduardo Jorge criou empresas laranjas para financiar candidatos do PSDB. A matéria é embasada em investigações dos auditores da Receita Federal, que apontam emissões de notas frias, lucros fictícios de empresas fantasmas, doações ao PSDB com recursos do erário, etc. Mas o restante da imprensa esta muda, nada aconteceu. Jornais televisivos não repercutiram nada, por que será? Será porque seu Eduardo Jorge faz parte da coordenação de campanha do seu Alckminn. É realmente eles não erram na mão.

  3. Comentou em 30/07/2006 Claudia Rodrigues

    Torna-se cada vez mais irritante suportar a tentativa de utilizar teses parciais e ultrapassadas, sobre os agentes de dominação dos mass media, tentando ser usadas em favor do PT, como se esse partido não fosse poderoso e também não fosse atualmente o de que mais meios dispõe para exercer pressão, por meio de capital político e financeiro, sobre os mass media. Quanto ao favoritismo do Estadão pelo ex-governador de São Paulo, além da linha ideológica do Estado privilegiar o mercado empresarial, a explicação para isso se encontra na própria competência administrativa do ex-governador. Do meu ponto de vista, a constatação da incompetência do PT no poder não só legitima como impõe uma postura explícita da mídia no sentido de enfatizar que tipo de governo está propenso a beneficiar ou prejudicar os interesses de nosso país.

  4. Comentou em 30/07/2006 rinaldo costa

    está cada vez mais claro que os grandes jornais trabalham para a eleição do ex governador enroladíssimo com privatizações suspeitas, porque não investigadas e abafadas, caos em matéria de segurança pública e situaçoes constrangedoras do ponto de vista da utilização do dinheiro público. Para isso atacam o governo federal que reequipou a policia federal a controladoria geral da união e passou a investigar o uso do dinheiro do contribuinte, sem medo de quem seria pego se amigo ou inimigo

  5. Comentou em 30/07/2006 Diógenes Afonso de Oliveira

    Nâo deveria comentar tal publicação do Estadão. Entretanto, não poderei deixar de afirmar que o corpo editorial e os jornalistas de tal matéria cometem uma injustiça com o Ex-ministro Humberto Costa (até prova em contrário, ele é inocente… tanto quanto o senhor José Serra e todo o governo do senhor intelectual-mor FHC). É acho que ERRARAM, não à mão, mas com a cabeça… a cabeça de quem não aceita o jogo democrático.

  6. Comentou em 30/07/2006 edivaldo Tavares

    Os grandes veículos de imprensa querem transformar o Brasil em uma Venezuela Chavista.Não se conformam de LULA e o PT continuarem praticamente incólumes(o resultado da eleição mostrará isso),sou petista de carteirinha,as maledicências me fortalecem ainda mais.

  7. Comentou em 29/07/2006 João Carlos da Silva Lopes Lopes

    Os jornais estão cada vez mais se desmoralizando, todos perdendo
    leitores devido as posições sectárias de seus proprietários. Estes
    não se contentam em expressar suas opiniões em editoriais, conser-
    vadores e elitistas. Eleger Presidente da República cabe a todos os
    brasileiros, e não aos donos de jornais. Eles acham que já esquece-mos da eleição do candidado deles- Collor – 1990. Repetem por ar-
    rogância e preconceito. Hoje temos leituras alternativas.

  8. Comentou em 29/07/2006 Gilmar Gonçalves

    Estou realmente abismado com o que estou vendo e ouvindo. Por força do poder econômico e politico a Imprensa está na mão da Direita Ultra Conservadora, e vemos isto delinear o seu projeto.Sou funcionário público federal há 19 anos e 8 meses, Tudo isto que está acontecendo sempre esteve presente nos órgão públicos o Dep. Federal Marcio Reinaldo PP-MG sempre mandou na Funasa, deveriam abrir a caixa da funasa também(poços artesianos, ETAS, ETES e etc)os politicos sempre fizeram dos órgãos públicos a casa da mãe joana nomeando por comissões os seus comparsas.É só prestar atenção nos funcionários envolvidos. A imprensa nunca quiz analisar o que acontece na Funasa, nas GRS ( Gerência Regionais de Saúde)dos Estados, os cargos nomeados, sempre trabalhando em nome dos grupos de médicos ou laboratórios ou empreiteiras. Já denunciei isto várias vezez e nenhum jornalista quiz investigar.O Ministro Serra fez os acordos mais ultrajantes e a imprensa ainda insiste em esconde-lo.

  9. Comentou em 29/07/2006 Eduardo Guimarães

    Weis, fiz uma pesquisa sobre as manchetes políticas de primeira página da Folha entre 1 e 29 de julho e a publiquei em meu blog (http://edu.guim.blog.uol.com.br). Sugiro que dê uma olhada. O resultado é impressionante. E aproveita para deixar seu comentário, que eu publico… hehehe… Foi só uma piadinha pra você descontrair.

  10. Comentou em 29/07/2006 Marcos Simões

    O ‘Ex-tadão’? Tadinho dele!

  11. Comentou em 29/07/2006 jorge xavier

    quem pretender exemplo claro de manipulação não pode deixar de ler uma matária de hoja do CORREIO BRAZILIENSE, assinada por UGO BRAGA. Trata-se de uma notícia que pretende vincular José Dirceu ao esquema das ‘sanguessugas’. Lendo a matéria, contudo, observa-se que o título (que indica o envolvimento de Zé Dirceu) é desconectado do que se segue abaixo: o tal Vendoin, em momento algum, mencionou o nome do ex-ministro; ao que parece, de passagem, teria mencionado que a liberação das emendas seria autorizada pela Casa Civil, em troca de apoio a votações importantes (tal situação sempre existiu e, por si só, não reune qualquer indício de conivência com os delitos). Não conheco o tal UGO BRAGA, mas as matérias dele são sempre tendenciosas. Fica a dúvida se o escriba do CB assim age por incompetência ou má-fe – ou os dois. Outra manipulação nojenta é a que alguns jornais tentam fazer do duelo Lula x Itamar (como se o presidente tivesse ofendido o ex-presidente chamando-o de velho, o que não ocorreu, como fica claro quando se lê ). As irregularidades e maracutaias originadas do Governo Lula devem ser denunciadas, mas a indignação seletiva é coisa muito ruim para a credibilidade (se é que tal palavra ainda é aplicável aos jornalistas) da imprensa brasileira. Só pra finalizar, não custa lembrar que pela cobertura do CB só há candidatos honestos ao Governo e ao Senado pelo DF.

  12. Comentou em 29/07/2006 Luciano Ahualli da Silveira

    ‘A imprensa é livre’, mas mostra-se nas mãos de homens presos à realidade dos fatos aos quais tentam censurar sem proibir. Infelismente poucos de nós tem o priviégio do tempo e para ler e mais de um orgão de imprensa para analizar os fatos. Salve e salvem a inocência do leitor.

  13. Comentou em 29/07/2006 Maria do Carmo

    A verdade custa muito caro, custa o mesmo valor que se paga para escondê-la ou distorcê-la. Nós, simples leitores, não temos como comprá-la. Então vamos consumindo a mentira, que, para nós, não passa de meia dúzia de reais. A mesa está posta: Rediglobo, Veja, Isto É, Época, Estadão, Folha de São Paulo, etc, etc, etc.

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem