Quarta-feira, 20 de Setembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº958

CÓDIGO ABERTO > Desativado

As dívidas eleitorais da mídia

Por Luiz Weis em 27/10/2008 | comentários

A imprensa passou no teste do segundo turno. O leitor interessado encontrou nos jornais da segunda-feira, ao lado dos números apurados e da cobertura do fecho da disputa em 30 dos 79 maiores municípios do país, algumas boas tentativas de ir além da superfície dos fatos.


Jogou-se uma primeira luz sobre o que pode mudar na política brasileira daqui para a frente, enxergando a sucessão presidencial de 2010 do ângulo dos resultados do ciclo concluído na véspera.


Com a ressalva de que tudo dependerá de um fator imponderável – a intensidade e a duração dos efeitos da crise mundial sobre a economia brasileira. Justiça se lhes faça, os melhores comentários tiveram o cuidado de incluir esse ponto de interrogação.


No entanto, a imprensa saiu da eleição com duas dívidas. Em relação a São Paulo, falta explicar o tamanho da vitória de Kassab, ou, talvez seja melhor dizer, da derrota de Marta. Em relação a Belo Horizonte, falta explicar o resultado propriamente dito, levando em conta as idas e vindas do eleitor ao longo da campanha, registradas nas pesquisas.


O caso de São Paulo é problema dos grandes. Em 2000, Marta se elegeu (contra Maluf) com 58,5% dos votos válidos. Em 2004, perdeu a reeleição (para Serra), ficando com 45,1%. Agora, as urnas lhe deram 39,3% – quase tão pouco quanto os 37,7% de Luiza Erundina em 1996 (na derrota para Pitta).


E isso com o apoio do presidente Lula.


A aprovação à gestão Kassab e o “efeito Serra” – o tucano patrocinou a candidatura do seu então vice na prefeitura, mesmo quando a sua gente foi de Alckmin – não fariam, por si sós, todo esse estrago.


A cidade está dividida em 57 zonas eleitorais. Kassab ganhou em 41, Marta em 16. Só que, onde ganhou, o prefeito teve em média 69,2% dos votos válidos. E a ex-prefeita, na média dos seus melhores resultados, ficou com 59,4%.


Esses quase 10 pontos significam que o demista conquistou proporcionalmente mais eleitores nos redutos de Marta do que ela nos dele.


O que as pesquisas vinham antecipando.


Isso não aconteceu com a mesma nitidez quando os contendores eram Serra e Marta. Piorou, portanto. Mas piorou por quê?


É sabido que, nas pesquisas, Marta só perdia para Maluf em matéria de rejeição. Mas é bom não esquecer que, apesar disso, Marta começou a campanha como favorita. Chegou a passar a barreira dos 40% (dos votos totais) em algumas das sondagens.


Depois, quando a “onda Kassab” o levou à dianteira por um pontinho de vantagem no primeiro turno, a idéia de que ele bem poderia se reeleger começou a ganhar corpo. Mas, àquela altura, não houve quem aparecesse na mídia sugerindo que no Dia D ele receberia 1,3 milhão de votos a mais do que Marta. Para comparar, a diferença final entre Serra e ela foi de 590 mil votos.


Eis uma história que precisa ser mais bem contada.


Em relação a Belo Horizonte, foram para lá de esquemáticas as explicações para o sobe-e-desce dos candidatos nas pesquisas.


A eleição ali era já a mais interessante do país por causa da inusitada aliança, numa capital, entre o prefeito petista Fernando Pimentel e o governador tucano Aécio Neves em torno da candidatura do virtualmente desconhecido secretário de Planejamento de Aécio, Márcio Lacerda, do PSB. Uma aliança repudiada pela executiva nacional do PT e aprovada pelo presidente Lula (que só criticou a forma como foi construída).


A volatilidade do eleitorado belo-horizontino foi única também entre todas as cidades cobertas pelos institutos de pesquisa. Antes do horário gratuito, Lacerda aparecia atrás da candidata do PC do B, deputada federal Jô Moraes. Iniciada a programação eleitoral, ele disparou nas sondagens, levando a crer que, nos ombros da dupla Aécio-Pimentel, liquidaria a fatura no primeiro turno.


As pesquisas, enquanto isso, registravam a ascensão gradual mas firme do pemedebista Leonardo Quintão – que não só acabaria levando a disputa para o tira-teima, mas praticamente empatou com Lacerda (vencedor em 5 de outubro por 2 pontos e pico de diferença).


O resto foi um passeio de montanha-russa. Nas primeiras pesquisas para o segundo turno, Quintão chegou a ficar nove pontos à frente de Lacerda. Este o ultrapassou, livrando cinco pontos de vantagem, no meio da jornada. Na pesquisa derradeira do Datafolha, acumulara 18 pontos.


No fim, Lacerda se elegeu com 59% dos votos válidos contra 41% de Quintão, exatamente como bancara o Datafolha. A propósito, o último levantamento do Ibope dava empate técnico (52% para Lacerda e 48% para Quintão).


A imprensa se limitou a acompanhar pela rama essas variações literalmente extraordinárias.


Também nesse caso, o leitor tinha direito a mais do que recebeu.

Todos os comentários

  1. Comentou em 30/10/2008 Ivan Moraes

    ‘Será que você também não é um fantasma igual ao Ivan Moraes.’: mais uma prova que esse eh Thiago Conceicao/Felipe Faria. Nao pela primeira vez, ele le alguma coisa em algum lugar e a usa sem ser capaz de lembrar que ela veio de onde ele a joga: foi eu que chamei ‘Nelio’ de fantasma. (Isso sem contar que ele eh incapaz de acertar o assunto do post.)

  2. Comentou em 30/10/2008 Nélio Amarantes

    O Douglas é vidente. Ele mesmo de São Paulo sabe tudo sobre como eu não votei. Fala sério. Será que você também não é um fantasma igual ao Ivan Moraes.

  3. Comentou em 30/10/2008 Nélio Amarantes

    Não existe nenhum Ivan Moraes, é apenas mais um fantasma ridículo. Não sei como o Observatório permite que este tipo de pessoa encha o saco aqui neste espaço, falando bobagens o tempo todo.

  4. Comentou em 29/10/2008 Nélio Amarantes

    Muito obrigado pela aula Ubirajara. Talvez, assim sem querer, o Sr. poderia estudar as novas regras ortográficas. Quando tiver um tempinho. Você está certo, cada um fala o que quer. Saudações petistas para você também.

  5. Comentou em 29/10/2008 alfredo sternheim

    Tanta coisa importante e o articulista preocupado ainda com a eleição, com a cobertura da eleição. menos com a parcialidade que houve na cobertura (não sou que digo, mas o site Comunique-se que levantou mais noticias privilegiando Kassab e acentuando preonceios contra Marta em SP). E a blindagem em torno dos sérios problemas de SP? Como greve da polícia civil, greve dos defensores públicos… o checão de Serra-Kassab que foi penalizada pela Justiça Eleitoral com uma multa irrisória?. Vamos parar srs. jornalistas, de enfatizar aeleição presidencial em 2010 )é cedo) , ou melhor, de enfatizar a eventual vantagem eleitoral de Serra, vamos parar de enfatizar a falsa importância de SP no cenário político. Vamos observar se a imprensa está de fato fazendo a devida cobertura do poder legislativo em Brasília, nos estados e nos munícipios. Isso é importante, Weis.

  6. Comentou em 29/10/2008 Ivan Moraes

    1-‘Não estou aqui para aturar idiotices’: e porque esta aqui pra ver os leitores aturarem as suas? Esta sim, Thiago. Nelio nao tem ideia de sua alma gemea Thiago, que sofre a mesma arrazadora ilogica, os mesmos erros de raciocinio, a mesma incapacidade de costurar alguma coisa a mais que sentencas curtas porque nas longas se perde completamente. Felipe Farias eh identico. Voce esta aqui pra aturar idiotices porque eh o que tem pra oferecer. 2–‘mineiros ainda não desconfiaram de que o Aécio está doido pra pular pro lado do PT, como segunda opção para 2010, caso a Dilma não emplaque?’: eh golpe. Aecio vai pro PT… OU… o que? Ou o PT vai sofrer a mesma aeciada que a media dee MG e a mesma serrada que o PT de Sao Paulo? Ou o PT de Minas aceita o ‘apaziguador’ ou a guerra mediatica de SP? Eu a prefiro. Eh golpe.

  7. Comentou em 29/10/2008 douglas puodzius

    O Nélio parece outro daqueles que não foram votar no Gabeira e tenta se redimir comemorando a vitoria de outro DEMO – o Kassabi.

    Alias, qualquer observador pirata usando o olho do tapa olho, se debruçar sobre o papel da imprensa no Rio de Janeiro durante essas eleições e concluiria:

    Uma imprensa imparcial, analitica e investigativa deveria servir de exemplo para outros veiculos deste pais.

    Assim como em são paulo, os jornalões operaram imparcialmente sob a egide da ética e do cuidado com a coisa publica.

    Seria esta a opinião de weis?
    Há indicios que sim, mas se disser isso posso tomar um chute de uma perna de pau….

  8. Comentou em 29/10/2008 ubirajara sousa

    Prezado Vinicius da Silva Luiz, será que os mineiros ainda não desconfiaram de que o Aécio está doido pra pular pro lado do PT, como segunda opção para 2010, caso a Dilma não emplaque? Pense a respeito.

  9. Comentou em 29/10/2008 ubirajara sousa

    Sr. Nélio Amarantes, apenas uma ajudazinha: quando o senhor escrever ‘O PORQUÊ’ faça-o dessa forma, com o acento circunflexo. No mais, tudo bem, cada um fala o que quer e gosta, inclusive eu. Saudações petistas.

  10. Comentou em 29/10/2008 Vinicius da Silva Luiz

    É verdade, Luis. Acho que falta análise sobre as eleições em BH
    porque a grande mídia tem olhos paulistas. Todo mundo consegue
    falar sobre como as chances do Serra ser candidato ser presidente,
    mas ninguém dá conta de notar a vitória de Aécio e Pimentel. Apesar
    da oscilação e do estrago na opinião pública que a candidatura de
    Lacerda causou, os dois saíram vitoriosos. Aécio mais ainda, pois
    conta com o apoio integral do PSDB no estado, além da simpatia de
    quase todos os partidos, inclusive do PT.

  11. Comentou em 29/10/2008 Nélio Amarantes

    Quem é Ivan? Que instrumento ele toca? Acredito que seja um fantasma. Nâo existe nenhum Ivan. Não estou aqui para aturar idiotices.

  12. Comentou em 29/10/2008 Ivan Moraes

    ‘Mas já existem tantos blogs ligados a petistas. (…) No dia que aparecer um Blog preocupado apenas com o PT, vai começar a dar certo.’: Thiago, voce continua com o mesmo defeito mental que te identifica.

  13. Comentou em 29/10/2008 Ivan Moraes

    Falando em gente que so fala besteira ou invencao: ‘Já estão os Petistas querendo livrar a cara do Lula’: diga nos aonde, Clerton; nessa pagina? ‘Claro que o Lula perdeu em São Paulo’: alguns de nozes nao sabiam que ele era candidato la. ‘E quando ele viu que a Marta não tinha a mínima chance de vencer, tratou de abandonar o barco’: como quem? Como Serra fez com Alkimin? ‘Ao menos acabou-se aquela lorota de que o Lula elegeria até um poste’: quem lorotou e aonde o fez aqui no OI? ‘Se o PT não arrumar um candidato forte para 2010, vai levar a maior surra da sua história’: o PT CRESCEU. Quem diminuiu foi o partido tucano. Mas so de curiosidade, voce prefere o candidato da espionagem Jose Serra ou o candidato da espionagem Aecio Neves pra presidencia?

  14. Comentou em 29/10/2008 walter jr

    Imprensa? Que imprensa? Existe imprensa no Brasil?

  15. Comentou em 29/10/2008 Ivan Moraes

    ‘Será que vocês sabem? É apenas uma questão de inteligência e postura política que falta aos simpatizantes do PT’: tem certeza, Thiago?

  16. Comentou em 29/10/2008 Ivan Moraes

    ‘Eis uma história que precisa ser mais bem contada.’: porque razao? Quantas letras qualquer media precisa pra dizer que paulista so da cagada?

  17. Comentou em 28/10/2008 Isabel Silva

    A ‘onda Kassab’ só foi vitoriosa porque a classe média de São Paulo sofre de crise de identidade: sonha com um país de primeiro mundo e acaba elegendo políticos que não governam para a cidadania. E com a imprensa que temos…

  18. Comentou em 28/10/2008 Nélio Amarantes

    Mas já existem tantos blogs ligados a petistas. Não dão muito certo pois só sabem elogiar o governo. Todos os erros são perdoados pelos petistas. Você mesmo Ubirajara, não viu nada demais na propaganda da Marta e toda hora repete aqui as mesmas baboseiras que ajudaram a afundar o PT em São Paulo. No dia que aparecer um Blog preocupado apenas com o PT, vai começar a dar certo. Vocês falam mais do Serra e do Kassab e não falam nada sobre o Lula. Só ficam dizendo que ele é o melhor Presidente que o Brasil já teve, mas nunca dizem o porque do Lula ser o melhor. Será que vocês sabem? É apenas uma questão de inteligência e postura política que falta aos simpatizantes do PT.

  19. Comentou em 28/10/2008 Marco Davis

    A imprensa é cega ou ‘não quer’ enxergar o óbvio. A capital paulista faz parte da área metropolitana, 16 cidades ao redor da capital, na soma fazem uma gigantesca cidade única. O PT que teve 40% dos votos da capital dominou toda as principais cidades metropolitanas (Guarulhos, São Bernardo, Osasco, Diadema, Embú, etc), no total 12 cidades (contando aquelas em que o PT tem a vice-prefeitura). Se levarmos em conta que a votação do PT na Capital sempre é mais forte na Periferia, podemos inferir que haverá uma grande pressão de fora para dentro da Capital. Os demos-tucanos terão que fazer uma opção na administração: ou priorizam a periferia (o que é um absurdo do ponto de vista da ideologia conservadora) ou investem tudo dentro dos bairros centrais da Capital (onde já botaram o cabresto na classe média paulistana), ocorre que optando por isto estarão fadados ao sufocamento eleitoral. Não vão conseguir aumentar o número de votos. São Paulo dos demos-tucanos se transformará numa Ilha sem futuro.
    Se a isso somarmos o que acontece no restante do Brasil, acredito que a nefasta coligação demo-tucana terá pouquíssimas perspectivas em 2010, MESMO com todo o apoio da parcialíssima imprensa brasileira, que afinal só tem alguma força dentro da mesma Ilha paulistana…

  20. Comentou em 28/10/2008 Andréa Ferreira

    Sinceramente, as especulações sobre 2010 a partir da reeleição de Kassab já estão me dando dor de cabeça. Foi noticiado que cerac 70% dos prefeitos conseguiram se reeleger, logo a reeleição do prefeito paulistano não pode ser olhada como algo isolado.
    A Marta, como candidata, não era unanimidade nem dentro do seu próprio partido. Sua imagem foi se desgastando perante o eleitor paulistano por vários motivos e desde o início da gestão dela como prefeita. De lá para cá faltou-lhe habilidade e humildade para tentar reconquistar a cidade.
    E sim a Marta perdeu, mas também o Alckmin (que sequer chegou ao 2º turno e ainda evidenciou um racha no PSDB paulista que muitos estão deixando de contabilizar). O PT, se quiser voltar a ganhar alguma eleição na capital paulista, precisa reavaliar sua forma de fazer campanha na cidade e parar de se autoproclamar vítima da imprensa, do preconceito dos eleitores e de todos que ousarem não seguir o partido como religião. Já o PSDB precisa parar de superestimar essa vitória que foi mais do Kassab (com uma ajudinha da campanha desastrada do PT) do que do Serra, apesar de boa parte da mídia em São Paulo (que todos sabemos: é tucana) tentar fazer parecer o contrário.
    Vale lembrar que a crise financeira mundial não é a única que pode afetar os votos paulistas, mas também a segurança pública: nossa polícia civil está em greve há mais de um mês.

  21. Comentou em 28/10/2008 ubirajara sousa

    Sabe o que está faltando? Está faltando uma lição para São Paulo. É preciso que paulistas e paulistanos saibam que São Paulo não é o Brasil e que os outros estados, sobretudo os do norte e nordeste não são grotões, como os psdbistas e demos costumam chamá-los. É preciso que criemos, nós dos outros estados enós que não somos partidários do demo e do psdb, uma corrente nacional, de forma que possamos trocar e-mails e outros tipos de mensagens no sentido de elaborarmos planos de reação democrática, denunciando falcatruas, exigindo cumprimento de promessas eleitorais etc. É preciso ação. Quem sabe possamos criar um blog, ou um site. Tudo é possível, quando se quer e quando cooperamos uns com os outros. Basta desse negócio de a mídia demonizar tudo o que se relaciona ao PT e ao Lula. É preciso que tornemos claro que, até agora, Lula foi e está sendo o melhor presidente que o Brasil já teve. Vamos lá pessoal. Vamos à AÇÃO!

  22. Comentou em 28/10/2008 Clerton de Castro e Silva

    Já estão os Petistas querendo livrar a cara do Lula. Claro que o Lula perdeu em São Paulo. E quando ele viu que a Marta não tinha a mínima chance de vencer, tratou de abandonar o barco. Ao menos acabou-se aquela lorota de que o Lula elegeria até um poste. Se o PT não arrumar um candidato forte para 2010, vai levar a maior surra da sua história.

  23. Comentou em 28/10/2008 Marcelo Ramos

    É, internet é o inferno dos jornalistas. Os comentários dos comentaristas estão melhores do que o artigo. Concordo com a maioria das afirmações dos comentaristas. Infelizmente, o conservadorismo ainda reina aqui e eu não meconsidero representado nesse eleitorado. Seria herança dos barões do café, que querem produzir, junto com Minas, um novo breakfast para o Brasil? O mais engraçado foi Kassab vir à público, ontem, e dizer que vai ‘governar para o pobres’. Eu queria ver era ele dizer isso no sábado. Aqui em São Paulo conheço muita gente que não vota em Marta pelo mesmo motivo que o senador Jorge Borhausen verbalizou uns tres anos atrás: ódio de classe. Já perguntei a essas pessoas e elas me respondem sempre: ‘odeio Marta’. Como são conhecidas minhas, me respondem com alguma educação mas não conseguem esconder o ranço do ódio de classe. E a mídia estimula esse ódio, assim como tenta botar na praça o projeto Serra 2010, com essa empulhação de que foi uma derrota de Lula. Vão dar com os burros nágua de novo. Esquecem que já não mais (de)formam opinião.

  24. Comentou em 28/10/2008 Lica Cintra

    A reeleição de prefeitos foi ampla geral e irrestrita no Brasil. Por que em São Paulo seria diferente? A surpresa seria Marta derrotar Kassab, um candidato a reeleição, bem avaliado e que contou com o apoio das máquinas estadual e municipal. Claro que Marta perdeu, mais a derrota não é do tamanho que estão pintando, 39% do eleitorado de São Paulo não é pouca coisa.

  25. Comentou em 28/10/2008 Marcelo Francis Máduar

    Sr. Luiz Weis, não há esse mistério todo na vitória de Kassab, Ele venceu porque 1) O eleitorado de São Paulo é essencialmente conservador; 2) a mídia local reflete e amplifica essa tendência; 3) A campanha televisiva foi competente, com jingles fofos, evitando mostrar a cara feia da cidade, cenas de efeito (caneta no papel e ‘vamo trabaiáá!!’). Isso de querer atribuir essa vitória a erros da campanha de Marta é conversa para boi dormir e uma forma (in)consciente de o eleitor de Kassab não admitir que votou nele exatamente pelo conservadorismo que ele representa. É mais cômodo para esse eleitor e analistas da mídia procurar pêlo em ovo e jogar a ‘culpa’ em Marta. Por sinal, em seu artigo o Sr. cita Marta 8 vezes e Kassab apenas 4… Deem a Kassab e sua campanha o mérito pela vitória e assumam a responsabilidade pela gestão que ele fará, ora pois!!

  26. Comentou em 28/10/2008 Zé da Silva Brasileiro

    Um aspecto interessante da eleição em São Paulo é a avaliação do impacto da atuação massiva da mídia paulista em favor do candidato Kassab. Evidentemente que os kassabistas tendem a minimizar esse fato enquanto os martistas tendem a supervalorizá-lo. Penso que em algum ponto entre esses extremos está a verdade. A questão é a seguinte: o comportamento da mídia paulista atuando em bloco a favor de um dos candidatos foi decisivo, importante ou secundário para o resultado das eleições? A rejeição à candidata Marta em São Paula é fruto da atuação midiática ou está realmente entranhada no sentimento popular? Aquí em Minas Gerais a mídia não tem sido decisiva para os resultados eleitorais e tem sido derrotada sucessivamente, embora nessa eleição o outrora grande jornal dos mineiros, o ‘Estado de Minas’, tenha apoiado ostensivamente o candidato vitorioso. Entretanto é muito difícil encontrar um eleitor que admita ter sido influenciado pelo decadente jornal…

  27. Comentou em 28/10/2008 Sergio Luiz do Prado

    Realmente, o resultado de São Paulo deveria ser MUITO MELHOR contado…
    Embora não seja eleitor de São Paulo, sou servidor público do município e transito e vivo nele a maior parte do dia. Afirmo que jamais votaria em nenhum dos dois candidatos pleiteantes em segundo turno, por razões ideológicas e principalmente de prática administrativa. Mas é inegável a absurda diferença de tratamento entre as duas candidaturas. Marta Suplicy foi demonizada e Gilberto Kassab tratado com ‘toques de seda’. Enquanto isso, as mentiras deslavadas de ambos os lados não foram suficientemente debatidas.
    Foi vergonhoso. A mídia, de maneira geral, tomou posição e, como de praxe, uma posição traiçoeira, não-editorial: fez cobertura diferenciada a partir de uma suposta isenção, o que impede as pessoas de filtrarem as críticas.

  28. Comentou em 28/10/2008 j batista

    A midia como sempre demonstrou ser manipuladora de informações, com reportagens tendenciosas procurando influenciar a opinião publica.Politico e midia tratam o cidadão como gado. Notou-se o oportunismo por parte de alguns politicos ao sairem ao lado dos eleitos, como se o povo desconhece suas frageis credibilidades.A midia procurou direcionar de que o apoio de certos politicos ajudou o eleito, ignorando se ocorresse transferencia de votos por indicação Marta teria sido eleita.

  29. Comentou em 28/10/2008 douglas puodzius

    Talvez o colonista devesse explicar porque com o uso da maquina municipal e estadual, com apoio explicito de toda midia e de instituições do judiciario. Com apoio até de mediadores de debate. Kassa-bi não conseguiu se eleger no primeiro turno como foi o caso de 70% dos prefeitos que concorreram nesse pleito.
    Por fim, explicar como conseguiu ter o mesmo percentual de votos de um ilustre desconhecido que nunca disputou uma eleição como lacerda de bh.
    Depois podemos falar sobre a vitoria de marta suplicy e sua ida ao segundo turno…

  30. Comentou em 28/10/2008 Luiz Conceição Conceição

    A mídia e os colunistas (?!) como o senhor satanizam o PT, seus filiados e candidatos e depois vem sua pregação de Quaresma? Vá de retro!!

    As suas análises não têm isenç;ão. São parciais e apaixonadamente contra aqueles que manifestam apoio ao PT e aliados. É a velha história de se atear fogo na mata e depois se cobrar respeito ao meio ambiente, normas do governo etc. e tal.

    Essa análise que o senhor pede, deveria fazê-la e não a mídia que se acovarda em não expor suas preferências ideológicas (?) e políticas ($) e depois fala de isenção, blá-blá-blá…

    Por isso que as redações estão cheias de gente que age como robô, se acha acima do bem e do mal e é formada em cursos de Jornalismo de fins-de -semana, iguais aos daquela marca de enceradeira ou liquidificador. Mas têm diploma, são especialistas, mestre ou doutores (?!!) na arte da manipulação.

    Mas o povo não é mais bôbo. Abaixou aquela Rede e a mídia juntos depois do evento blog.

  31. Comentou em 28/10/2008 Paula Motta

    Tomar como derrota do Presidente Lula a derrota de Marta Suplicy é bobagem e manipulação. Lula não venceu a eleição em São Paulo e é claro que esses eleitores já não votam no PT desde sempre. São Paulo elegeu Jânio, Maluf, Pitta e agora Kassab. São eleitores conservadores, mas isso não representa também que Serra será presidente, na medida em que o Brasil não é só SP e nem Minas. A política do café com leite já se extinguiu há muito tempo. Essas ‘avaliações’ são falta de notícia e preguiça de reflexão.

  32. Comentou em 28/10/2008 Flávio Souto

    Miro, o que você está pedindo ao autor do artigo é algo
    ideologicamente impossível aqui em SP.

  33. Comentou em 28/10/2008 Flávio Souto

    Derrota de Marta: salto altoe boca muito aberta.s. Vitória de Kassab:
    uso da máquina, mentiras de feitos na sua gestão e proximidade com
    a elite paulistana. Assim nenhum David ganha de qualquer Golias.

  34. Comentou em 28/10/2008 ubirajara sousa

    Tanto a imprensa, quanto você Luiz, ficaram com medo de dizer que a vitória deveu-se ao apoio do Presidente Lula. Mas, quando é para dizer que apesar do apoio do Lula o candidato X perdeu, aí o meda some!

  35. Comentou em 28/10/2008 Miro Junior

    Este daqui não é o observatório da Mídia. Que tal observar a cobertura da mídia na eleição municipal de São Paulo e analisar se foi imparcial ou se atuou blindando algum dos candidatos?

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem