Sexta-feira, 23 de Fevereiro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº975

CÓDIGO ABERTO > Desativado

Atirando no alvo errado

Por Luiz Weis em 13/07/2006 | comentários

Qualquer governo com a cabeça no lugar já teria demitido o chefe das polícias civil e militar paulistas, secretário da Segurança Saulo de Castro.

Ao despreparo, visível a olho nu em cada sua aparição na TV já no primeiro ataque terrorista do crime organizado em São Paulo, a 12 de maio, ele acrescentou uma explicação estapafúrdia para a origem da segunda onda de atentados.

Ele os atribuiu à publicação, na Folha de ontem, de uma “lista falsa” dos 40 presos que seriam transferidos para a ainda não habitada penitenciária federal de Catanduvas, no Paraná.

A lista pode ser verdadeira ou falsa. A Folha informa que ela foi confirmada por “três autoridades”. Falsa, com certeza, é a versão do secretário. Pela razão elementar de que os ataques começaram às 22h30 de terça-feira, antes de o jornal do dia seguinte circular.

Mas no governo Lembo é assim: vai embora quem presta, como o secretário de Administração Penitenciária, Nagashi Furukawa. Os outros ficam. E a segurança que se dane.

***

Os comentários serão selecionados para publicação. Serão desconsideradas as mensagens ofensivas, anônimas, que contenham termos de baixo calão, incitem à violência e aquelas cujos autores não possam ser contatados por terem fornecido e-mails falsos.

Todos os comentários

  1. Comentou em 30/08/2006 Alessandra Evangelista

    A situação de São Paulo está fora de controle, mas tenho certeza que se não fossem a experiência e capacidade do secretário Saulo de Abreu, tudo seria pior. Concordo com a Cláudia Rodrigues no que diz respeito à aprimoração de políticas humanistas, pois sei que existem indivíduos que cometeram pequenos delitos, e até inocentes dividindo o mesmo espaço que criminosos de alta periculosidade, está faltando organização por parte dos governantes, pois não devemos confundir políticas humanistas com regalias e facilidades a detentos, pois dessa maneira nossos jovem irão achar que o crime compensa. O que está acontecendo no nosso país é uma inversão de valores, enquanto ficamos trancafiados em nossas casas os bandidos estão comandando verdadeiras tragédias de forma tão organizada que as ordens saem de dentro dos presídios. Por que será que alguns políticos querem sempre “passar a mão na cabeça” dos criminosos? Por que os representantes dos Direitos Humanos nunca aparecem para consolar as famílias dos policiais e das pessoas de bem, mas sempre confortam famílias de bandidos? Por que o Secretário Saulo de Abreu incomoda tanto??? Ele é um homem correto e de boa vontade, mas tem todo um sistema hipócrita que não lhe permite desempenhar seu papel.

  2. Comentou em 15/07/2006 Claudia Rodrigues

    Senhor ubirajara, é muita inocência de desinformação de sua parte acreditar que o Estado de São Paulo recusou apoio do governo federal, que cortou drasticamente as verbas na área de Segurança, contribuindo para esse estado de coisas, por ser ‘arrogante’. Francamente, tente conhecer melhor a profundidade desse problema antes de soltar palpites superficiais como esse!
    Senhor Apolônio, respeito muito o seu bom senso e inteligência, mas desta vez sou obrigada a discordar. Concordo que é preciso repensar as políticas humanistas, não incorrer em ingenuidades que, no afã de respeitar os direitos dos presos, dêem oportunidades para a escalada do crime. Mas não concordo que o ponto de vista humanista, por si só, esteja incorreto. Aliás, não consiedero sequer razoável cogitar maus tratos aos presos, sob a alegação de que se tratam de bandidos. Em primeiro lugar, porque o fato de terem cometido crimes não altera a condição humana da maioria deles; não creio que os criminosos destituídos de sentimento sejam maioria. Além disso, existem casos de pessoas que estão presas injustamente ou mesmo que cometeram pequenos delitos e, por se tratar de pobres e negros, foram parar atrás das grades. É com base nisso que o tratamento dos presos deve se pautar por princípios humanitários, evidentemente. Mas essas políticas, e nisso concordo com o senhor, devem ser repensadas e aprimoradas.

  3. Comentou em 15/07/2006 Célia Regina Zanotto

    Saulo de Castro Abreu é realmente uma figura antipatizada pela mídia e não é alguém que me causa a melhor impressão possível. De fato, está longe de ser um indivíduo brilhante, mas tem experiência na atividade. É por isso que me pergunto: será que faz sentido atribuir a culpa a este estado de coisas a Saulo Abreu? Penso que não. Não consigo imaginar ninguém mais competente para a atividade neste país. Não que o ache competente, como disse. Apenas não acredito que haja pessoas com sobra de experiência e conhecimento nessa área para exercer a atividade com um mínimo de pragmatismo e realismo. Para mim, a dobradinha que o Alckmin montou era bastante equilibrada. Colocou o Saulo Abreu na secretaria de Segurança, mas fez o necessário contraponto deixando a administração carcerária a cargo de Nagashi Furukawa, que tem uma postura mais humanista e progressista.
    Agora, vamos aos fatos. A polícia paulista foi a que mais prendeu, o número de homicídios de fato caiu. São Paulo é um único Estado do país que possui um presídio de segurança máxima. A polícia paulista é de fato a mais bem-equipada do país. O problema é que o crime organizado cresceu dentro das penitenciárias, não se sabe exatamente pq. Mas quem estava no comando delas não era Saulo de Castro Abreu, mas Nagashi Furukawa? Acho que,seguindo as políticas humanistas,pode ter exagerado na liberação de facilidades de comunicação

  4. Comentou em 14/07/2006 Apôlonio Silva

    Concordo com o cidadão que disse aí embaixo que a turma da Irmã Dulce na segurança pública já deu o que tinha que dar – e vejam aí no que deu. Nos idos tempos de Covas, o ex-governador pôs um velhinho muito bonzinho, muito amiguinho de D. paulo Evaristo Arns, que colocou em prática alguns preceitos bíblicos do Novo Testamento: ‘Se o bandido está te assaltando, ofereça o outro bolso…’. Essa turma não pode voltar. Precisa também ser banida para sempre da comissão de constituição e justiça da câmara porque essa lambança legal que favorece a bandidagem saiu desse povo. Seria necessário mais: seria importante que esta comissão fosse investigada pela polícia federal para verificar se Marcola já não possui alguém lá dentro há muito tempo. Isso inclui todos os partidos – mesmo que agora o presidente e o vice-presidente sejam petelhos, isso não faz diferença: o país precisa sair desse discurso circular dos direitos humanos que nos enfiou nessa fossa a céu aberto na qual estamos. E por favor, nem me vanham falar de que isso é discurso de direita ou de esquerda, de que os mais impactados pelo endurecimento serão os pobres. Isto é que é preconceito: achar que a criminalidade nasce na pobreza. Há vários países miseráveis que invalidam esta tese ‘Marcolista’. É tese de criminoso: ‘Sou bandido porque não tive oportunidade…’ Pare com isso…

  5. Comentou em 13/07/2006 ubirajara sousa

    E eu, aqui no meu nordeste, fico a pensar: – O que impede o povo paulistano de ir às ruas, invocar medidas urgentes/imediatas para uma crise tão profunda? O que impede o povo paulistano de dizer ao psdb (senhor Serra) que não será atribuindo vinculação do pt ao pcc que a crise será resolvida? O que impede o povo paulistano, tão culto, tão politizado, de dizer ao seu governador que essa guerra precisa sim de ajuda federal? O que impede o povo paulistano de dizer ao senhor Alckmin que toda ajuda será bem-vinda; que é muita arrogância declarar que 200 (duzentos) homens a mais não significa nada? Talvez signifique uma morte a menos e isso já será muito para aquele que for salvo, para a sua família e para os seus amigos. E é esse Alckmin que quer governar o Brasil? Não será com o meu voto!
    A hora é essa.!Cidadãos paulistanos, vão às ruas! Reivindiquem!

  6. Comentou em 13/07/2006 Douglas Puodzius

    meu carissimo Weiis,
    Não exagere. Assim vou até achar que vc é ingenuo mesmo., ou nos imagina como tal. Vejamos: 1) Todo indgnado com quebra de sigilo do Caseiro, nunca se indgnou com outras quebras de sigilo. Nunca propos um pacto em torno da probidade no trato da coisa publica e que isso não fosse assunto eleitoral. 2) Nunca propos um pacto contra a corrupção e que o mansalão não fosse eleitoralmente usado, como foi.. 3)Não vê um complo da midia 4)Não enxerga a tentiva da midia tratar o problema como fosse culpa de Lula, federalizando o asunto e tratando-o de forma estatica, sem historico. Sim porque fosse federal, a raiz não estaria nesse governo, que estaria sofrendo as consequencias de 08 anos tucanos e, portanto, até certo ponto, isentaria o Barba.. 4) Propõe que esse, somente esse, nenhum outro, somente e unicamente esse, problema não seja discutido, não seja debatido nas eleições. 5) E não menos hilariio: ‘Mas no GOVERNO LEMBO é assim: vai embora quem presta, como o secretário de Administração Penitenciária, Nagashi Furukawa. Os outros ficam. E a segurança que se dane.’ GOVERNO LEMBO? GOVERNO LEMBO? Ei… Ei… Tuck! Tuck! Tuck! Acorda! Será que preciso comentar? Desculpe a ironia, mas, essa foi forte. menos por favor….

  7. Comentou em 13/07/2006 Alberto

    Ajuda muito um imbecil como você falando besteira.

  8. Comentou em 13/07/2006 José Carlos dos Santos

    Caro Weis, veja como são as coisas, como falamos aqui no interior, filho feio não tem pai, os maiores culpados querem agora empurrar para o PT as suas responsabilidades, mesmo que tivesse um fundo de verdade nas acusações, ainda assim não diminuíria a culpa de 12 anos de governo tucano em S. Paulo, onde nasceu o PCC, filho do massacre de 111 presos do Carandirú, e continuou crescendo em meio a corrupção, má gestão, falta de projetos, salários baixos, incompetência que foram o adubo que fortaleceram o PCC e se tornou o que é hoje e não é com bravata ou tentativas vãs de empurrar as responsabilidade que irão resolver o problema

  9. Comentou em 13/07/2006 Eduardo Guimarães

    Pois é, Lunes (eu não escrevo o nome de nenhum ser humano com minúscula), foi só o Alckmin deixar o cargo que, como por mágica, o sistema carcerário paulista virou o que é. Em três meses, todo excelente trabalho de Alckmin na gestão do sistema prisional foi desmontado pelo vice que ele escolheu. E o Saulo, hein! Que sumidade, não? Bem, tomara que você não encontre o que ajudou a criar numa das esquinas da São Paulo que Alckmin construiu para nós. Ninguém merece um fim desses. Nem aqueles que contribuem para o que se tornou nossa São Paulo sob o ‘excelente’ governo tucano.

  10. Comentou em 13/07/2006 Hélcio Lunes

    Continuo aguardando um pronunciamento duro dos petistas contra o PCC e contra Marcola. Até agora, nada! Até agora, eles se dedicam apenas a atacar o governo de São Paulo. Ou seja: os policiais do Estado estão nas ruas, numa verdadeira guerra contra o crime organizado, e os petistas estão numa operação caça-votos. A propósito: por que eles não criticam o crime organizado? Por que eles preferem Marcola a Claudio Lembo?

  11. Comentou em 13/07/2006 Angelina Marine

    Weis
    Você que é jornalista não sabe o que está acontecendo? Imagine a sociedade como está?
    Você pelo menos tem uma tese? Sabemos da física que não há reação sem a ação. Pelo menos se soubéssemos qual o motivo saberíamos de quem é a culpa. Ontem ouvi um jornalista dizendo que a culpa é do Lula e do FHC, este cara já perdoou a si mesmo. Menos mal, morre de consciência tranqüila; de fato de que adianta biografia, nome, honra, coerência?
    Já que a mídia quer discutir culpas e não fatos, tive algumas idéias e tenho algumas hipóteses:
    -Se for devido a Catanduvas, é fácil, a culpa é do Lula, que construiu o presídio, que agora está pronto e tem de ser inaugurado. Um ótimo propósito para campanha.
    -Se for negociações ‘ultra-secretas” que devido à mudança de Alckimin para Lembo foram contaminadas por ruídos espúrios causando “certas” dificuldades nos acertos, também é fácil. A culpa é do Lembo que não sabe negociar com bandido.
    -Se o motivo dos ataques é que temos uma facção crimininosa (fale baixo, pois a população não pode saber, ésta denominação é perigosa, a polícia avisou a Rede Globo, siuuu…!!!) que foi gerada devido aos problemas sociais inerentes e persistentes no nosso país, também é fácil. A culpa é da má distribuição de renda, é do tráfico de drogas, é da mídia que não informa, é de quem sonega imposto, é de quem faz caixa dois, é dos sanguessugas. Não sobra um.

  12. Comentou em 13/07/2006 Euclides Rodrigues de Moraes

    Sr. Weis, Até que enfim, uma boa notíca, demorou muito, mas finalmente encontraram o culpado por essa situação de São Paulo, tchan!, tchan!, tchan!, Quem seriá? Só pode ser o….o…… PT, é só dar uma olhada no endereço a seguir, http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u80347.shtml, e todos verão que o partido está mancomunado com o PCC. Como, Sr. Weis, se pode resolver os problemas, com gente desse tipo, cujo ódio e discriminação são tão fortes, que, esse nazista, não tem o mínimo pudor em sair com uma acusação dessas e ainda por cima encontra quem dê ouvidos e a publique, parece até piada, embora de humor negro.

  13. Comentou em 13/07/2006 ECIVALDO SOUZA

    É seu Luiz, ‘aqueles individuos alí…’ESTÃO VENCIDOS

  14. Comentou em 13/07/2006 Hélcio Lunes

    Basta dar plenos poderes ao Dr. Saulo, que ele resolve a situação rapidinho. Certa parcela da midia pomba braca, detesta Dr. Saulo porque ele seria ‘arrogante’. E o acham arrogante porque ele não dá a mínima para o pessoalzinho da bata branca, a ala ‘irmã Dulce’ de soluções para a Segurança Pública, padre Lancelotti e outros experts do gênero.
    Só mesmo alguém com vivência na área, sabendo tratar com o tipo de animal que estão tratando (sendo animal aquele que faz tocaia para matar sua presa), e sem a interferência e cumplicidade de tantos ‘advogados’ dos criminosos, e turma do Guttemberg com ‘bláblábla´blá’, pode ter certeza acaba com essa matança contra a sociedade, por parte de quem é ‘marginal’ desta sociedade.
    Em tempo: Que saudade do companheiro Alckmin, não é cumpanhero guimarães. Que falta que faz essa turma no governo!

  15. Comentou em 13/07/2006 José Ayres Lopes

    O governador Lembo é refém do ‘esquema’ na Segurança Pública deixado pelo seu antecessor, candidato Geraldo Alckmin. O ex-Governador Geraldo Alckmin quando assumiu no lugar do Covas, a primeira coisa que fez foi trocar o Secretário de Segurança (que tinha uma orientação de diálogo) pelo atual, conhecido por ser truculento, arrogante e covarde. E agora sabemos, também incompetente. Podem imaginar a seguinte situação. Reunião no Palácio. O Governador Lembo pergunta: Senhores Doutores devemos solicitar o auxílio da Guarda Nacional ou a participação efetiva da Polícia Federal? NÃO! NÃO HÁ NECESSIDADE. TEMOS A MELHOR EQUIPE POLICIAL DO MUNDO E AQUI NÃO É O RIO DE JANEIRO, respondem os senhores doutores. E o Secretário Saulo informa: O PCC está destruído, o que há agora é apenas uma Facção Criminosa e que será eliminada na próxima emboscada. Não tenho nenhuma dúvida disto. Depois que reunião termina, um celular toca.
    Não doutor. Saiu como o combinado. Nada de ajuda federal. Sim, sem dúvida. Seria um desastre para a campanha.

  16. Comentou em 13/07/2006 Luiz Seixas

    Para garantir a segurança dos usuários e funcionários do transporte coletivo da capital, a Polícia Militar colocará um tropa de elite à paisana circulando nos ônibus da cidade, afirmou o Comandante Geral da polícia Elizeu Ecler, após reunião com o prefeito Gilberto Kassab, o presidente da São Paulo Transportes (SPTrans) Ulrich Hoffman, o secretário municipal dos Transportes Frederico Bussinger e o presidente da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), Roberto Scaringela.’ (OESP)

    Esses indivíduos aí supracitados decidiram que vão botar PMs à paisana armados dentro dos ônibus, para travar tiroteios com membros do PCC. Esses indivíduos aí não andam de ônibus. Não estarão no fogo cruzado entre bandidos e policiais. Eu estarei. Meus filhos estarão, como outros milhões de paulistanos. Até agora corríamos o risco de não conseguir ônibus, ou de descer do ônibus a contragosto, para que botassem fogo nele. Agora corremos grave risco de vida, eu, meus filhos e os milhões de paulistanos que usam ônibus.
    Aqueles indivíduos lá, da PM e dos transportes da cidade, que decidem das nossas vidas e mortes, não foram eleitos, não foram candidatos a nada. Foram nomeados por um prefeito que renunciou, por um governador que renunciou, por um vice-prefeito em quem ninguém queria votar, por um vice-governador que não manda em nunguém. Como é que fica? Isso aí tudo é só imoral ou també é ilegal?

  17. Comentou em 13/07/2006 Eduardo Guimarães

    Ah, é, no ‘governo Lembo’ é ‘assim’, mas no governo Alckmin não era, né? Que nojo!

  18. Comentou em 13/07/2006 Pablo Arruti

    Luis, lendo seu perfil tive a idéia de pedir sua ajuda. A meu ver, não iria doer, nem tirar muito do seu tempo, me indicar fontes de informação na internet com qualidade comprovada por você.
    Só sei ler bem em português, em español preciso treinar.
    Costumo ler a Agencia Carta Maior, e tenho boletim do PNUD.org, mas quero mais. Acabei de conhecer o OI, e com certeza serei assiduo.
    Obrigado pela atenção,
    Pablo

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem