Domingo, 20 de Maio de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº987
Menu

CÓDIGO ABERTO > Código Aberto

Caso Nassif/Veja esquenta a guerra política na blogosfera brasileira

Por Carlos Castilho em 15/02/2008 | comentários

O confronto entre o jornalista Luis Nassif e a revista Veja ganhou ares de primeira grande batalha política a ser travada no mundo dos blogs brasileiros. Noutras partes do mundo, as grandes polêmicas online já deixaram de ser uma novidade e se incorporaram à rotina política.


 


Nassif começou a publicar no blog Projeto Brasil, início deste ano, uma série de textos sobre o papel de revista Veja em episódios políticos recentes na história do país, especialmente durante os governos FHC e Lula.  Você pode acessar a série aqui no Observatório. Nassif também publica os textos no GooglePages, no que provavelmente será o embrião de um livro.


 


Na verdade, a série é o mais recente episódio de uma polêmica pública, iniciada há pelo menos um ano e  protagonizada, na primeira linha de tiro, pelos blogs dos colunistas Diogo Mainardi (blog com áudio) e Reinaldo Azevedo, ambos da Veja, e os também jornalistas Paulo Henrique Amorim, do blog Conversa Afiada, e o próprio Nassif.


 


O debate, num clima com temperatura em elevação, envolve questões político-partidárias (articulações voltadas para as eleições de 2010) e econômico-financeiras (disputa corporativa pelo controle das telecomunicações).


 


Como é normal neste tipo de controvérsia, ambos os lados estão sendo municiados com informações fornecidas por partes interessadas, o que deve garantir uma vida longa para a polêmica, porque o setor das telecomunicações neste país é um manancial quase inesgotável de negociatas de todos os tipos.


 


O episódio coloca, no entanto, em evidência o papel da internet — e em especial dos blogs — como arma política. Nos Estados Unidos isto já vem acontecendo desde 2006, tendo como principais  protagonistas os blogs Instapundit (conservador) e DailyKos (liberal). Há vários outros mais ou menos radicais, mas os dois mencionados são os mais visitados e servem de referência em seus respectivos campos.


 


A politização na blogosfera norte-americana já invadiu também o popularíssimo site de vídeos YouTube, sem falar nos sites de relacionamento, em especial os voltados especificamente para o terreno político como o MoveOn e o MeetUp, os mais conhecidos.


 


O uso político da Web era inevitável porque se trata do veículo de comunicação potencialmente mais democrático entre todos os já desenvolvidos pelo homem, apesar de menos de 16% da população mundial ter acesso à rede.


 


Na Web, os blogs ocupam um lugar especial na comunicação política porque são uma ferramenta fácil e rápida para manifestar opiniões políticas. Hoje já são quase 80 milhões de blogs no mundo inteiro, dos quais cerca de 30% tratam de temas políticos, de atualidade informativa e de opiniões.


 


A polêmica Nassif/Veja sinaliza também uma outra questão relevante: a diluição das fronteiras entre o jornalismo e o ativismo. Os protagonistas deste episódio não são os primeiros e muito menos os últimos a mover-se neste terreno difuso, que tende a se tornar ainda mais nebuloso na medida em que a contextualização das informações revela a complexidade de fenômenos e processos em curso.


 


Está cada dia mais difícil fazer a separação entre fato e opinião. Não porque faltem fatos, mas sim porque eles já não podem mais ser vistos por uma ótica dicotômica, ou seja, certo ou errado, bom ou mau.


 


Isto afeta intensamente a atividade jornalística, pois a profissão é regida até hoje por códigos e valores criados nos anos 1920 e 30, quando surgiu, nos Estados Unidos, a grande reação contra a chamada imprensa marrom, que fazia abertamente o jogo dos poderosos da época. 


 


O conceito de profissionalização foi a grande ferramenta dos jornalistas para lograr uma razoável autonomia das redações em relação aos interesses patronais. Hoje, porém, a inovação tecnológica está provocando uma nova reviravolta no ambiente jornalístico.


 


Conceitos como isenção e independência perdem gradualmente a sua importância diante da dificuldade em poder defini-los em termos práticos por causa da crescente complexidade informativa. Portanto fica também difícil separar fato e opinião, coisa com a qual teremos que nos acostumar cada vez mais.


 


São tempos de transição, onde nada ainda é definitivo, mas uma coisa parece mais provável: a importância crescente da transparência como valor e ferramenta para identificar interesses, beneficiados e prejudicados.


 


A exigência de transparência pode ser o único recurso a disposição do público para acompanhar o debate Nassif/Veja sem o risco de perder-se no emaranhado de denúncias publicadas por ambos lados.


Conversa com o leitor:
O leitor Odracir Silva detectou um erro no texto original deste post. O colunista e blogueiro da Veja não é Reinaldo Gonçalves, como estava escrito e sim Reinaldo Azevedo. A correção já foi feita no texto. Obrigado Odracir e desculpe, Reinaldo Azevedo. Minhas desculpas também ao economista e amigo Reinaldo Gonçalves que foi envolvido involuntariamente na polêmica, por um lapso meu.

Todos os comentários

  1. Comentou em 21/02/2008 Vladimir Ulianov

    Acabei de chegar e, ufa, li os 205 cometários do post.
    Tenho uma observação e uma pergunta:
    Observação: Tô com o Nassif e não abro!
    Pergunta: Quem foi o … que disse que da discussão nasce a luz??!!
    Abraço a todos

  2. Comentou em 19/02/2008 Ary Francisco Nunes

    Excelente trabalho que o Nassif esta fazendo. Esta mostrando de forma Límpida e clara,com base nas matérias da propria ÓIA, a podridão que se passa nos bastidores desse panfleto politico-partidario em que ela se transformou. Vale a pena acompanhar. Quanto ao Reinaldo Azevedo é impressionante como esse rapaz muda de opinião conforme conveniências. Lembro-me muito bem quem, em certa feita, ele repudio veementemente os jornalistas que processavam jornalistas, dizendo que estes buscavam na justiça um meio de calar a imprensa. Pois bem. Nos ultimos dias é sabido que o jornalista Nassif tem recebido uma avalanche de processos da revista ‘ÓIA’. E como o Reinaldão se posiciona? Assim: Ele diz que no caso do Nassif é diferente. Inclusive até comparou o Nassif com o Marcola para dizer que com criminosos não tem conversa,tem tratar na justiça. Daí se pode tirar a conclusão de aonde pode chegar o desespero do Reinaldão quando tentado a cair numa contradição.Procura-se desesperadamente sair da lama em que se meteu e,ao tentar sair,se afunda ainda mais. Por que eu digo isso? Porque o Reinaldão cometeu dois erros no seu argumento;1) Só um lunático compararia o Nassif ao Marcola;2)Eu não sei em que acusam o Nassif.Mas provavelmente será de difamação ou atentado a honra, o mesmo que os jornalistas processaram a Veja,os quais o Reinaldão repudiava;

  3. Comentou em 18/02/2008 Cid Elias

    Asnos conhecem bem os bordéis, desde a tenra idade…Gostam também de reis…adulam e bambam azedos de todo jeito. Tais títeres de golpistas corruptos, ainda se ‘acham’.

  4. Comentou em 18/02/2008 Renato Silva

    Thiago, em que pese que você vai continuar ignorando os fatos já trazidos por tantos aqui, repetirei: a Veja ERROU. Divulgou como material do coc um texto (o tal da conjugação do empresário) que foi distribuido por um professor do pentágono, não tendo relação com apostilas do coc. A Veja noticiou como material do coc, e não era. Então errou. E não vale dizer que não sabe dizer sobre isso ou que não leu. Os links estão aí: http://luis.nassif.googlepages.com/ocasococ Leia e se quiser conteste: mas daí você vai ter que contestar a própria retificação da Veja, feita semanas depois numa notinha dizendo que esse texto da conjugação não faz parte do material do coc. Mas faça o favor de ler antes de dizer que é mentira, ok?

  5. Comentou em 18/02/2008 Arno Esquivel

    No terreno das idéias e dos argumentos, existem os sábios e os menos sábios. No chão rasteiro da intolerância, copulam os vadios e os néscios que se colocam como professores do MIT e são apenas burburinho de pororocas… e donos de bordel, que se dizem hoteleiros…

  6. Comentou em 18/02/2008 Fabiana Tambellini

    Thiago, é interpretação dos fatos sim e a sua é tão legítima quanto a minha. Você fica com sua fonte que é a turma da Escola sem Partido e eu fico com a minha que é a própria Veja e o Nassif. Eu respeito sua opinião e você respeita a minha. Não tento te programar e nem você a mim, certo? Já vi que temos pontos de vista conflitantes demais, o dialogo não rola. Saudações.

  7. Comentou em 18/02/2008 Thiago Conceição

    Fabiana Tambellini, isso não é barraco e tampouco interpretação, mas são, sim, FATOS ignorados pelo Nassif. O povo brasileiro representado por pais de alunos preocupados com o que seus filhos eram ensinados na escola publicou na internet uma leitura crítica muito bem feita do método de ensino do COC. Eles foram processados, e parece que o COC perdeu. Apenas depois a Veja noticiou o ocorrido. Ou seja, em hipótese alguma a Veja pode ser acusada disso. E se a acusação fosse inválida então o COC não teria perdido na justiça (‘Tentativa de censura e intimidação: Sistema COC de Ensino perde o segundo round na Justiça’, http://www.escolasempartido.org/) . Pare de inventar histórias, a Veja agiu corretamente. Aqui está a leitura do método COC de ensino que deu origem a denúncia de doutrinação nas escolas: http://www.escolasempartido.org/index.php?id=38,1,article,2,135,sid,1,ch

  8. Comentou em 18/02/2008 Ivan Moraes

    Tres quartos de Vale, TRES Land Rovers, e duas duzias de espelhos eh a minha ultima oferta! Aceitem ou afundem se!

  9. Comentou em 18/02/2008 Ivan Moraes

    ‘A história do post it comentada pelo pofessor aí abaixo não mostra material enviado a Mainardi por Daniel Dantas’: mostra sim! Quem mais no Brasil (ou ‘na Italia’) tinha acesso aa documentacao? E quem mais no Brasil teria tanta vontade de nao deixar ninguem saber sua identidade dado seu envolvimento no caso? E quem mais estava tao envolvido no caso que teria vantagem ao se passar por um estrangeiro?

  10. Comentou em 18/02/2008 Ivan Moraes

    1-‘Mais do que nunca,fica explícita a polarização política parida como forma de blindagem do lulismo’: voce tem coragem de falar em blindagem quando Veja eh acusada do que foi acusada, com os documentos usados, processa 5 vezes o mesmo jornalista… e ninguem da media fala uma palavra a respeito?!?! Pois eh tudo o que eu sempre disse, espionagem paga. Estao todos mais coordenados que a imprensa mineira. Ja sabemos quanto os laranjas israelis vao oferecer pelo campo Tupi? Deixe me advinhar… meia Vale e dois Land Rovers? Acertei?

  11. Comentou em 18/02/2008 Alexandre Carlos Aguiar

    Algumas teses foram levantadas aqui, a principal delas a de que ‘alguém comprometido não pode levantar acusações contra terceiros’. Não teria moral para tanto, esta é a conclusão da tese. Como se atestado de idoneidade fosse pré-requisito para liberdade de expressão. Aliás, este é o ponto que passou despercebido: Luis Nassif, sob o quixotesco objetivo de refazer o bom jornalismo, está, na verdade, exercendo aquilo que de melhor existe numa democracia(mesmo a liberal como a nossa): a liberdade de expressão. Responda em juizo, se for o caso, se há pertinência em suas colocações, mas elogie-se a intenção. O que causa admiração em toda essa celeuma, não são os casos levantados por Nassif, mas a reação da destra, cujo principal motivo de estar sendo examinada é o seu exercício da mesma liberdade de expressão. Dizem o que dizem e fazem o que fazem, e quando alguém usa argumentos contrários não pode? Que engraçado! Agora, alguns comentaristas têm razão: está faltando uma análise mais elaborada de Dines, Martins, Weiss e mesmo de Castilho a respeito disso tudo. O que fazem é apenas repetição do que já lemos em outros lugares.

  12. Comentou em 18/02/2008 Clarice Maia Scotti

    achei esse texto bem covarde, passa a impressão de que são os blogs que não diferem opinião de informação, que eles é que vieram pra confundir e anarquizar! o nassif vem apresentando fatos comprováveis, com fontes linkadas – a conclusão cada um que tira! ao contrário de veja&cia, que não comprova nada e já decide qual deve ser a opinião do leitor no título da matéria. infelizmente, o corporativismo falou mais alto e o autor não aproveitou a deixa para ser mais explícito em relação ao papel dos blogs no desmascaramento de ‘verdades’ antes impossíveis
    de serem contestadas com algum barulho. o assunto é a força da blogosfera, mas eu fiquei frustrada, o autor passou pela tangente, como que só pra não dizer que ignorou o ‘inignorável’…

  13. Comentou em 18/02/2008 Lucrécio Rocha

    Prezados comentaristas,
    Na minha modesta opinião, reduzir as denúncias do Nassif a disputas político-econômicas, é ferir de morte o cerne da questão: ‘O VERDADEIRO JORNALISMO’. A falta de respostas às denúncias e o silêncio da grande mídia, mostra claramente que algo está muitíssimo errado. No que diz respeito à ‘OPERAÇÃO ABAFA’ por parte dos grandes veículos de comunicação, isto tem um nome: MEDO! Se as relações promíscuas também lá existem, então não se vai, como diz o velho ditado, ‘cutucar o cão com vara curta’.

  14. Comentou em 18/02/2008 Marcelo Ramos

    O senhor juiz João Alcantara mandou muito bem. O MP tem que investigar quem cavalga o Mainardi. Berger, larga mão de ser sabonete. A série de Nassif não tem nada que ver com o governo embora mencione, em terceiro plano, trechos em que o governo estaria comprometido. Assim, dizer que existe alguma blindagem ao governo não é verdade… ou melhor, é uma distorção que você se acostumou a fazer, faz parte de seu show. Não dá pra exigir do público leigo, com exceções, que tenha tal discernimento, mas pra qualquer profissional da área de comunicação, está claro que o objetivo da série do Nassif é dissecar a Veja, não blindar o governo. Embora em grau menor, você, Berger, está na mesma linha do antijornalismo denunciado pelo Nassif, o do tipo ‘quanto pior melhor’.

  15. Comentou em 18/02/2008 Miro Junior

    Jogar o Nassif na vala comum é uma forma ardilosa de desqualificar a sua corajosa denúncia, e a forma pálida como tem se comportado a maioria dos jornalista diante da denúncia joga ainda mais luz sobre o grau do atual comprometimento dos nossos atuais jornalistas com os seus patrões. O rei está nu e mesmo assim seus súditos insistem nas reverências.

  16. Comentou em 18/02/2008 Liliam Santos

    Li todos os comentàrios e analisei o que escreveu beatrice vargas e lucia campi. Está na cara que as duas sõa a mesma pessoa.É só ver a maneira de escrever. E garanto que não são mulheres. Quem são???
    Prestem atenção na maneira como escrevem e saberão logo. Facinho….facinho

  17. Comentou em 18/02/2008 Fabiana Tambellini

    Thiago Conceição, é direito seu interpretar os fatos como lhe der na telha mas minha opinião é diferente da sua. Reitero, as apostilas eram do Pentágono e VEJA as atribuiu equivocadamente ao COC tendo posteriormente assumido o erro. Agora você dimensionou melhor, quem não gostou das apostilas (porque tem quem goste) foram cidadãos comuns e não o povo brasileiro. O fato de cidadãos não aprovarem a apostila não tornam as afirmações de Nassif mentirosas. O embate comercial entre COC e Ática (editora da Abril que também publica apostilas com conteúdo ‘esquerdista’) parece-me evidente. Um barraco não anula o outro.

  18. Comentou em 18/02/2008 David Silva

    UEPA!!! ESSE THOMAZ MAGALHÃES ABAIXO NÃO É O MESMO QUE SEMPRE APARECE NO COMUNIQUESE DEFENDENDO O MAINARDI, O CONSULTOR JURIDICO, E O DANIEL DANTAS?

  19. Comentou em 18/02/2008 Ivan Berger

    Para quem ostenta tão pomposo currículo, a análise do Castilho deixa claramente a desejar, basicamente por limitar-se a tangensiar os fatos sem entrar no mérito da questão, que é o que se espera de um observador titular deste sítio. A menos que a parcimônia tenha sido intencional, dada a volatibilidade do tema, que suscitou um festival de baixaria como eu ainda não tinha visto no OI. Mais do que nunca,fica explícita a polarização política parida como forma de blindagem do lulismo, a qual, mesmo talvez tendo motivos para fazê-lo, até mesmo por questões de sobrevivência profissional, Nassif não deixa de estar engajado. Respeito sua competência e a coragem de peitar um dos veículos mais poderosos do país, mas por outro lado todos sabem de sua mudança de postura desde que saiu da Folha e se queimou no mercado,ao alinhar-se com a banda podre da imprensa – eu disse alinhar-se,e não aliar-se. O que leva os mais experientes ,como o próprio Castilho,a ficar meio que em cima do muro.

  20. Comentou em 18/02/2008 João Alcantara

    Convido o sr. Apolonio e a sra. Regina Alves a fazerem uma pesquisa ampla nos sistemas públicos dos Tribunais de Justiça de São Paulo e do Rio de Janeiro. O jornalista Diogo Mianardi TEM MAIS DE 50 PROCESSOS CONTRA SI. Então ele está sendo processado sim. E bem processado. Já teve várias condenações. O que espanta é pensar que ele possa ser rico ou ter alguém que pague tatos advogados ou as perdas e danos dessas causas. Por que o Diogo Mainardi, pseudo-indignado, não revela publicamente quanto gasta com suas causas jurídicas, E QUEM AS PAGA?

  21. Comentou em 18/02/2008 João Vergílio Gallerani Cuter

    Pedindo desculpas por abusar so espaço concedido aos leitores, vou aproveitar a ocasião para levar a discussão para um quadro mais amplo, no qual a argumentação de Carlos Castilho fica, aí sim, plenamente justificada. Em grande medida, a discussão política se ‘futebolizou’. As pessoas que se interessam por política tendem a parecer cada vez mais torcedores de um time de futebol. O apoio ao partido ou candidato se transforma em expressão da personalidade, e não no resultado de uma reflexão. Tucanos e petistas se opõem mais ou menos do mesmo modo que palmeirenses e corinthianos. A discussão política fica, então, contaminada por essa modalidade irracional de adesão. Ao invés de argumento, o que se tem é a batalha verbal. Adjetivos e desqualificações abundam na mesma medida em que fatos e razões vão minguando. Muitos jornalistas e blogueiros refletem esse tipo de oposição. Não há nada mais parecido a Reinaldo Azevedo, Diogo Mainardi e Paulo Henrique Amorim do que esses comentaristas de futebol ‘assumidamente’ palmeirenses ou corinthianos que animam certos programas esportivos. O fato é que Luís Nassif tem sido, ao longo de toda a sua carreira o exato OPOSTO disso. Ele pode ter ou não ter razão nesse caso da revista Veja, mas certamente é uma injustiça confundi-lo com aquilo que ele combate EXPLICITAMENTE há tanto tempo. É o que eu acho.

  22. Comentou em 18/02/2008 Jorge de Paula

    Saber que a revista Veja era desonesta: isso eu já sabia e faz tempo, não é de agora não, o Nassif foi apenas o ‘pingo de agua’ que faltava p/ provar que eu estava certo. Brilhante o trabalho do Nassif, não deixa margem de duvida p/ nada, é so conferir.

  23. Comentou em 18/02/2008 Renato Silveira

    Excelente artigo!
    Parabéns Carlos Castilho.

  24. Comentou em 18/02/2008 João Vergílio Gallerani Cuter

    Os comentários estão tentando fazer aquilo que o artigo deveria ter feito – entrar no mérito da questão. Da forma como o jornalista se expressa, tudo se passa como se não houvesse nenhum problema digno de nota em pauta. O leitor é convidado a olhar para a situação como se ela não envolvesse nada além de uma briga fútil e vazia. Não me parece que seja o caso. As acusações que o jornalista Luís Nassif faz à revista Veja são gravíssimas, e precisam ser investigadas. A imprensa é um poder, e tem uma função pública crucial nas democracias. Se uma revista com a tiragem da revista Veja está sendo instrumentalizada por grupos econômicos, é importante que o assunto venha à tona e seja discutido. Fico imaginando qual seria a reação da imprensa se, ao invés de estar acusando uma revista, Luís Nassif estivesse fazendo acusações semelhantes contra um político. Já haveria editoriais tratando do assunto, equipes de reportagem mobilizadas, e tudo mais. Como a acusação é contra um órgão de imprensa, a reação obedece a uma lei do silêncio muito semelhante àquela que vigora em favelas dominadas pelo tráfico. Ninguém diz nada, ninguém comenta. O artigo de Carlos Castilho pode ser lido como uma justificação desse silêncio. Quem chega ao final do texto convencido por aquilo que ele diz está autorizado a pensar que não vale a pena perder tempo com essas briguinhas.

  25. Comentou em 18/02/2008 Cid Elias

    Equipe do Oi e comentaristas. Abaixo estão duas imundíces postadas por duas lacaias do pig. DUAS? A safadeza e o mau caratismo de um pseudo ser humano, levou-o ao uso de dois nomes FALSOS. Porém, a imbecilidade e a falta de massa cinzenta, fizeram ele se entregar. Notem: USA os mesmos termos, a mesma idiotia. As DUAS farsas são personagens vomitadas pela mesma cabecinha lamacenta dum reles criminoso. E o pulha queria dar lição de moral…
    lucia campi, advogada (são paulo/SP)
    Enviado em 17/2/2008 às 9:13:38 PM
    Ha ha ha ha ha ha ha ha ha … Sinto muito para a claque programada, mas no caso Veja x nassif, essa turminha ladra… Sim, os cães ladram, mas a caravana passa! No presente caso, Veja passa às gargalhadas!!! O moço de serviços falou, enrolou, mas não esclareceu o laudatório que faz do bandido. ‘Onde eu vi isso?’…( por admiração ou a soldo)…
    —————————————————-
    beatrice vargas, jornalista (belo horizonte/MG)
    Enviado em 17/2/2008 às 11:25:00 AM
    HA ha ha ha ha ….Olha moço: pode chiar à vontade…… mas voce fez sim uma biografia de Ronam Maria Pinto, que está envolvido nos acontecimentos esquisitos em Santo André! Fez ou não fez? Porque voce faria uma biografia do Ronam, você, ‘tão honesto que é’, de uma pessoa envolvida até os dentes com tudo aquilo? Ou foi por admiração- o que seria um fim muito pior…ou foi a soldo!

  26. Comentou em 18/02/2008 Ivan Moraes

    ((off-topic– ‘http://markltda.blog.uol.com.br’: Jose, alguns de nos nao teem a menor condicao de ler essa materia porque nos falta saber quem sao os involvidos, o contexto, o portugues. Nao tenho duvidas que seja excelente, mas a sintese esta faltando. No entanto, eu ADOREI ver uma coletanea das notas da Veja a respeito de Itamar. Tem tanta coisa errada que eu estou abismado… embora ja o soubesse, porque notei por mim mesmo -toda vez que eu pegava numa Veja, la estava a lama sendo arremessada em direcao a ele para o apagamento da historia, por anos a fio. As mencoes colecionadas da Veja ao FHC sao outro devastador golpe aa propria ideia de ‘Brasil’ –nada disso foi inventado, ta tudo la nas paginas dela! (Para quem nao conhece ‘find’, nao precisa entrar o texto de novo depois da primeira vez, eh so apertar ‘controle g’ pra achar o proximo item ou (shift controle g para o previo)))

  27. Comentou em 18/02/2008 Cid Elias

    Pois não é que surge das profundezas do ‘nada’ uma tal regina alves, publicitária(será?), tb sem registro algum…pra mim, trata-se de outra ‘miragem’, outra oriunda do ex-primeira leitura do falido rei calcado. Me diga de onde a sra tirou tamanha tolice, de que o Nassif defende a Record e não fala uma linha sobre a istoé? Tais pensando que aqui é igual aos pantanais da vejaqmentira, onde é possível dizer todas as mentiras do mundo, desde que agradem o ‘guru’, e ninguém no rebanho tem coragem de desmascarar o autor delas? Eu afirmo que a senhora não fala a verdade! Prove que estou errado, se tens caráter pra tanto. Traga artigos que revelem o Nassif defendendo a Record, traga. É simples, se alguém me pedir para comprovar o que eu afirmei, ou trago algo concreto, ou peço desculpas. Vamos ver sua atitude…

  28. Comentou em 18/02/2008 Jose de Almeida Bispo

    Epa! O pau anda quebrando por aqui (E eu aqui na praça dando milho aos pombos). Sem querer bancar o advogado de ninguém, mas, aprendi que documentos… são documentos! A Veja publicou. Se publicou, assumiu a responsabilidade pelo que publicou. O que publicou, é um documento. Alguém quer negar o que foi publicado? Não é forçar a barra demais não? Caro Castilho, documentos… são documentos! Você até pode sugerir que o jornalista (Nassif) esteja a serviço de algum concorrente; que isso seja guerra comercial… sei lá. Mas que os fatos por ele apontados em Veja são irrefutáveis, isso o são: a Veja vendeu matéria paga numa guerra comercial. Não há dúvida que a revista virou um panfleto. E quer ver mais? Quer ver sobre a parte política (uma pequeneníssima amostra)? http://markltda.blog.uol.com.br

  29. Comentou em 18/02/2008 Regina Alves

    O sr. Apolonio tocou no cerne da questão. Enquanto os exaltados e nervosos se xingam,
    o jornalista decadente se promove. Grande jogada essa. Talvez voce esteja correto,
    Apolonio. Belo comentário, pois o auto-proclamado inquisidor da Veja é um macaco velho.
    Curioso é que ele defende a Record, o seu colega PHA, não diz uma linha sobre a IstoÉ,
    mas fica atento as virgulas da Veja, onde trabalham seus desafetos.

  30. Comentou em 18/02/2008 Sérgio Troncoso

    Até agora não vi ninguem argumentando contra o que o Luis Nassif escreve,mesmo porque a fonte dêle é a própria revista.Vi apenas postagens desqualificatórias ou ilações sem provas.Tambem é óbvio que a Veja não vai acabar por causa disso,mas pode melhorar a qualidade do seu jornalismo.Já seria alguma coisa.

  31. Comentou em 18/02/2008 rubens goyatá campante

    Péssimo o comentário do autor. Sugere que a confusão entre fato e opinião começou – ou pelo menos tomou vulto – com a blogosfera. No entanto, é óbvio que foi a Veja, como revista de maior circulação nacional, bem antes da blogosfera surgir, o grande veículo da diluição entre jornalismo e ativismo – e, o que é pior, sustentando um ativismo conservador, reacionário, intolerante, e, não raro, estupidamente agressivo. A Veja é um pesadelo nacional. Se tudo é uma questão de disputas políticas e econômicas, gostaria que o nobre, inteligente e bem informado autor respondesse – a mim e aos demais leitores do Observatório -quais os grupos políticos e econômicos sustentam Nassif e Paulo Henrique Amorim – porque quem sustenta a Veja e os blogs do outro lado todos sabem.

  32. Comentou em 18/02/2008 Fabio Passos

    Rapaz… Nassif está provocando (e não prevendo) uma tempestade tropical que pode virar um furacão. Olhem um trecho da bombástica reportagem de hoje: ‘É evidente que não era nenhuma das ‘sete fontes italianas’ que enviara a documentação para Mainardi, mas uma fonte brasileira. Por que a insistência em mentir sobre a origem da fonte? Por que todas as indicações são de que sua fonte é Daniel Dantas – o mesmo Dantas que, quando foi desmascarado o dossiê falso sobre as contas fantasmas, Mainardi foi incumbido de acudir ‘ O OI precisa abrir discussão profunda sobre este tema. Já virou uma questão de interesse nacional. Será Mainardi um mero ‘sela’ para Daniel dantas cavalgar? Será toda a revista Veja um mero ‘esquema’ a serviço dos interesses econômicos de Daniel Dantas? É preciso discutir isso com profundidade.

  33. Comentou em 18/02/2008 Apolonio Silva

    Caro João Alcântara, pois o senhor toca em um ponto fundamental! E veja que não é a primeira vez que Mainardi cita nomes, faz ilacões e até pede que o processem. Qualquer cidadão digno – ainda mais uma figura pública – não pensaria 5 minutos para tomar a decisão de processá-lo por calúnia. O homem escreveu todo um livro: ‘Lula é minha Anta’, no qual sobra para todos os lados – pt e psdb. E o que ocorre? Não o processam. Por que não o processam? Porque a liberdade de expressão prevista na constituicão garante ao jornalismo essa elasticidade em seus pontos de vista. A mesma lei que protegeu Mainardi, vai proteger Nassif. Portanto, já até disse isso ao Nassif, os tais processos contra ele não vão dar em nada. Mas ele se pinta de coitado no site – é gozadíssimo – a gurizada do pt se comove – oferece até dinheiro para ajudar na causa. Acreditam mesmo na cruzada pela qualidade da imprensa. Mas um engana o outro. Parte dos que estão lá, gostam é de censura mesmo. E o blogueiro acabará é se promovendo. Estou prevendo isso: a ÚNICA consequência dessa celeuma toda será uma temporária promocão de Nassif. Depois que o pó baixar vai voltar aos velhos pitacos na economia…lá era melhor – ele já esqueceu – mas era quase igual a previsão do tempo…ah se fôssemos atrás dos temporais previstos por Nassif que não se confirmaram…mas ele explica: tinha uma frente fria que vinha do sul e…

  34. Comentou em 18/02/2008 thomaz Magalhães

    (…)Por que (sic) todas as indicações são de que sua fonte é Daniel Dantas … , confirmando o que eu disse abaixo. Nassif, mais cuidadoso com as palavras, interpreta. Aos comentadores, vale lembrar que o objetivo da corte judicial, onde há processo, é diverso daqueles dos jornalistas que se acusam de mau jornalismo. E também do que se discute aqui. A corte quer saber tão somente se foram praticados os crimes denunciados, contra pessoas e empresa.

  35. Comentou em 18/02/2008 Cid Elias

    professor arno esquivel? Pelo que ja vi tu expelires, me parece apropriado chamá-lo asno ‘carritel’. és pupilo do rei tardado quer dar lição de moral no OI? cai fora, tabaréu! te conheço! fazes um belo par com o a rainha nossacaixa2 azeveda! Aliás vocês nem imaginam a intimidade do asno e a rainha da veja…vocês dois se completam! Jerico.

  36. Comentou em 18/02/2008 Fabio Passos

    Olha o que o Nassif diz com todas as letras: ‘É evidente que não era nenhuma das ‘sete fontes italianas’ que enviara a documentação para Mainardi, mas uma fonte brasileira. Por que a insistência em mentir sobre a origem da fonte? Por que todas as indicações são de que sua fonte é Daniel Dantas – o mesmo Dantas que, quando foi desmascarado o dossiê falso sobre as contas fantasmas, Mainardi foi incumbido de acudir ‘

  37. Comentou em 18/02/2008 João Alcantara

    O Mainardi deve merecer a atenção do Ministério Públco. O documento que ele publicou ontem na internet, é uma FRAUDE! Além do que foi demonstrado pelo Nassif ( o Diogo Mainardi recebeu o material do Daniel Dantas e não de sete fontes italianas), o documento que está na web não tem inicio e não tem fim. Começa da página 136, ou seja, o Diogo ‘escondeu’ 135 páginas. O documento também não termina, o que é outro sintoma de fraude. Além disso, há diferenças de letras e de xerox. A partir da página 75 desaparecem as numerações, o que pode ter sido feito para suprimir parágrafos no final de cada página. Na página 95, por exemplo, o advogado MOTA VEIGA, que trabalha para Daniel Dantas, estava endo citado, e aí claramente as linhas finais são cortadas. O Ministério Público precisa mesmo investigar o Diogo Mainardi. Estou estarrecido com o que está acontecendo com a VEJA. A grosseria do Reinaldo Azevedo é algo fora do comum para qualquer padrão. Não pretendo mais comprar ou ler essa revista, e vou recomendar a todo o meu circulo de amizades que cancelem suas assinaturas. Sr. Castilho, o seu artigo coloca as coisas na perspectiva errada. Aqui tem crime cometido pelos jornalistas de VEJA, não debate politico.

  38. Comentou em 17/02/2008 Thomaz Magalhães

    A história do post it comentada pelo pofessor aí abaixo não mostra material enviado a Mainardi por Daniel Dantas. E me parece que o Nassif também não diz isso.

  39. Comentou em 17/02/2008 Stanley Burburinho

    O texto abaixo foi postado pelo Sr. Arno Esquivel no blog do Reinaldo Azevedo:

    ‘Arno Esquivel
    Quando uma instituição como a USP torna-se tão patética, chegamos ao fundo do poço. A universidade brasileira, na forma mais penosa, está retratada ali: achincalhada por uma minoria que se complementa por duas maltas similares: os néscios que invadiram a Reitoria e os imbecis que lavraram o óbito da cidadania num abaixo-assinado sem vergonha. De outro, a grande maioria silenciosa que assiste passiva e compassiva os ditames de bordel. Até quando?

    http://veja.abril.com.br/blogs/reinaldo/2007/05/o-relato-de-uma-aluna
    -das-letras-que.html’

    O que significa Arno Esquivel em Tupy-Guarany?

  40. Comentou em 17/02/2008 João Barros de Castro

    Estou com a impressão que o Nassif pegou no ponto hoje ao DESMASCARAR o Mainardi que, sem querer, deixou um post-it em um documento PDF que mostrava que a sua fonte era o Daniel Dantas, e não SETE FONTES ITALIANAS.

    Vale a pena ler:

    http://luis.nassif.googlepages.com/opost-itdemainardi

    Nesta noite o Reinaldo Azevedo parte com histerismo para ofender o Nassif e ainda coloca um email do Mario Sabino se defendendo de uma denúncia.

    Quer saber … se o Civita for inteligente, e é, vai mandar essa turma toda para o olho da rua.

  41. Comentou em 17/02/2008 Fabio Passos

    Repito as informacões relevantes para os que não são capacho do dinheiro do Daniel Dantas e de revista mercenária: leiam as reportagens do Nassif! Série completa: É de tirar o fôlego. http://ocasoveja.blogspot.com/ ‘Olha, que isso aqui tá muito bom. Isso aqui tá bom demais. Olha, quem tá fora quer entrar Mas quem tá dentro não sai’

  42. Comentou em 17/02/2008 Marcelo Ramos

    Fala programadão. E aí, ta fazendo par com a dona Lucia currículo? Pô, né brincadeira não, aí. Pelos posts que vi, a senhora currículo foi desmentida pelo Nassif em público, e até com muita elegância, só pra juntar com areia. Se eu tiver que escolher, não me leve a mal mas vou acreditar em alguém de seriedade indiscutível que, nesse caso, não é a senhora. Eu já li as duas séries do cara e, pra encontrar algo sujo no passado dele, a senhora vai ter que ser mais criativa. E aí Thiago, como está a conspiração bolivariana? Apareceu algum video? Tras aí pra gente ver. Sabem o que eu acho mais legal? Esse blog aqui é sério e equilibrado. Discordâncias podem acontecer mas a verdade sempre prevalece… ou melhor, as verdades.

  43. Comentou em 17/02/2008 Dulce Leão

    No caso das apostilas, a VEJE quiz fazer-nos de idiotas…Porque omitir que tinham fortes interesses no maior programa de livro didático do mundo, sendo que duas editorass pertencem ao grupo VEJA/ABRIL.

  44. Comentou em 17/02/2008 Apolonio Silva

    Agora, quando a gente lida com gente assim, que afirma que o que saiu na imprensa era mentira e o que não saiu era verdade, que parte para agressão (o infeliz só admite opinião de físicos famosos…é pra dar risada?), a gente identifica rápido os sinais de debilidade mental. O que não espanta. Mas o assunto aqui é outro. Existem aqueles que compram a tese de cruzada jornalista de Nassif (uma coisa assim meio perneta, afinal, temos muitos exemplos de falhas em todos os setores da mídia) – quer dizer, a escolha dele é meramente pessoal. Aparentemente foi informado por algum colega (de dentro da Veja, quem sabe…) sobre algo que ia acontecer (que ainda vai) e partiu para o tudo ou nada. Algo que uma pessoa com mais idade aprende é isso: nunca provoque ou deixe sem saídas alguém que não tem nada a perder (Nassif). A reacão é a mesma de um animal encurralado. Acho que RA e Mainardi acuaram o blogueiro que reagiu. Agora, daí a cruzada de Nassif pelo bom jornalismo, depois de velho? Faca-me o favor, não me faca rir – já chega o Cid. Agora, aonde vai acabar essa história do Nassif? Eis o que me pergunto. No frigir dos ovos, o que ele ganha é auto-promocão por algum tempo – é óbvio. Mas e daí? O que mais? Na Eneida lemos que a Fama é um pássaro com milhares de olhos, que voa e vai misturando verdades junto com mentiras. Para Cid algo mais popular: criou fama, deite na cama…

  45. Comentou em 17/02/2008 Fabio Passos

    Já que aparentemente falta coragem e humildade ao mainardi para dar as caras por aqui e explicar que não é um mentiroso… bem que poderia aparecer alguém tentando defender ele. Ficou bem claro que não foram os ‘sete informantes italianos’ que passaram info prá ele… não é verdade? Foi alguém que fala bom português isto sim. Se não houver desmentido… fica realmente a impressão que ele é um ‘jornalista-sela’. E quem monta nesta sela? Daniel Dantas? Rogo ao OI que abra discussão sobre esta questão e permita que alguma viva alma defenda o mainardi… pela transparência!

  46. Comentou em 17/02/2008 Miro Junior

    O texto do Castilho é uma ardilosa argumentação contra a perda da primazia que a mídia tradicional vem sofrendo.

    Vem recheado de palavras como “negociatas de todos os tipos” ; “arma política”, “politização na blogosfera”; “diluição das fronteiras entre o jornalismo e o ativismo”; “separação entre fato e opinião”; “autonomia das redações”; “isenção e independência”; “emaranhado de denúncias”; todas em defesa do jornalismo praticado na sua forma tradicional (e patronal).

    Porque será que no OI ninguém faz uma análise jornalística dos argumentos apresentados pelas partes? Que tal o Castilho mesmo, ou quem sabe o Dines? Aliás não me lembro de nenhum argumento da Veja refutando os artigos do Nassif, apenas uma tentativa (repercutida neste blog) de desqualifica-lo, e que vem apenas corroborar com a linha de argumentação do Turco.

  47. Comentou em 17/02/2008 Arno Esquivel

    Stanley, 30 anos de MIT é? No Media Lab? De Boston parece que você é mesmo. O problema de quem come tapioca é arrotar farofa… e fazer burburinhos… e, pro apedeuta, não vai xuruncar o Lattes que eu não estou lá, mas, vou te dar umas dicas, para você carpir à vontade: Stanford, Palo Alto e Esquivel. Mas aprendi a pensar em minha língua nativa mesmo, muito antes de virar ´brasileiro´. Se V. tem dificuldades em sua língua nativa, imagina lhe explicar o procognato Arno. Vai comer bobó de camarão, vai… Quanto ao Nassif, tomara que ele não esteja apenas arrotando farofa ou fazendo burburinho na sopa, pra deleite de hoteleiros, carroceiros e candongueiros sem profissão…

  48. Comentou em 17/02/2008 Ivan Moraes

    ‘uma mea-culpa sobre um empréstimo do BNDES’: nao, assim nao, ja esta editorializado como ‘meio esquizito’, ‘mea culpa’, ‘clamava desesperadamente’, ‘menino clamou por ajuda, informacões, relatos de outros logs, enfim, uma ‘catacão’ de informacões’, ‘fantasiar’, ‘cruzada pelo bom jornalismo’. Ninguem precisa dessa editorializacao, envie nos o LINK PRIMEIRO, depois a gente ve com os proprios olhos e decide. LINK PRIMEIRO.

  49. Comentou em 17/02/2008 Fabio Passos

    Já eu acredito que foi uma perda irreparável. Ela era um exemplo vivo e precioso de como age um defensor da Veja: Prepotente, arrogante, grosseira… e na incapacidade de responder uma fato sequer da imensa relação que comprova a péssima conduta da Veja… partiu para a calúnia e difamação! É exatamente o comportamento da revista. Na verdade ela era mais um exemplo que corrobora a reportagem do Nassif… Deve haver alguma alma viva capaz de explicar esta conduta questionável da Veja… Por que o OI não aprofunda a análise e abre discussão sobre o conteúdo explosivo da reportagem do Nassif? Quem sabe aparece alguém argumentando… quem sabe até o daniel dantas dá as caras por aqui?

  50. Comentou em 17/02/2008 Apolonio Silva

    Repito as informacões relevantes para os que não são capacho de partidos políticos. 1o) Há muito tempo que Mainardi, Reinaldo Azevedo atacam Nassif – não é de ontem. São desafetos, ponto. 2o) Podem verificar nos blogs desses, Reinaldo Azevedo, ProjetoBR, e outros, que repentinamente Luis Nassif abalou a publicar em seu blog um texto esquisito – uma mea-culpa sobre um empréstimo do BNDES. Coisa estranha. Insinuacões e ofensas são e sempre foram comuns de lado a lado (e são ainda maiores quando mais psicótico for o comentarista-fã. Exemplo: Cid, esse hoteleiro aí, espécie de garantia de ofensas em comentários). O fato é que ficou estranho: o texto de Nassif clamava desesperadamente contra ‘calúnias’ que viriam. 2o) Após esse momento de desespero, Nassif resolveu sair dessa defensiva e partir para a compilacão dessa série sobre a Veja, que pode ter resultado em calúnias contra pessoas (assunto que se resolve, em países democráticos, na justica). 3o) Saiu na mídia algumas notícias sobre acões judiciais contra Nassif. O menino clamou por ajuda, informacões, relatos de outros logs, enfim, uma ‘catacão’ de informacões lá e cá. O que não é esquisito é ele fantasiar isso de cruzada pelo bom jornalismo. Bom, para quem? Para o governo, é público e notório o trabalho que a revista dá. O que vem por aí, podem ficar tranquilíssimos, não vai ser pior que o mensalão, mas Nassif teme e muito.

  51. Comentou em 17/02/2008 Carlos Eduardo

    Nossa! Que bobagem esse artigo do Carlos Castilho…
    As denúncias do jornalista Luís Nassif sobre o caráter do jornalismo praticado pela Veja são bem documentadas e muito bem explicadas. É só ler a série de artigos com a devida atenção.

    Reduzir as graves denúncias a meras questões ‘político-partidárias’ é de uma miopia indigna do ‘Observatório da Imprensa’.

  52. Comentou em 17/02/2008 Thiago Conceição

    Fabiana, o que foi criticado não foram as apostilas do pentágono, mas sim do COC (repetirei novamente, SIM, SÃO DO COC). E quem as criticiou publicamente foram cidadãos comuns como eu, o que torna a acusação do Nassif, a de que a Veja agiu sobre pretensos objetivos escusos, mentirosa. Não tente mudar desviar o alvo da acusação.

  53. Comentou em 17/02/2008 Cid Elias

    Calypso, a senhora fala ‘São todos do mesmo esgoto,soldos e mais quem mais oferece…’, então, seguindo seus ditames, ‘ladrão fala de ladrão’, suponho que a senhora ao FALAR ‘são todos do mesmo esgoto,’ está falando de si mesma. É…tem lógica.
    *pra empresariazinha fuleira e indecente: lambe-botas é a m..

  54. Comentou em 17/02/2008 Ivan Moraes

    ‘Ladrão fala de ladrão’: prove o, Calypso. Aonde estao os links que provam que a Veja eh ladra e que Nassif eh ladrao? Documente sua afirmacao. De onde ela saiu, por exemplo? (Gente, alguem sabe o que esta sendo roubado do Brasil nesse exato momento? Adoraria saber. A ultima vez que vi um flare up assim na blogosfera e que todo mundo estava tao distraido e tao engajado, o alvo eram as informacoes da Petrobras, que estavam sendo ‘roubadas’, e eu deveria ter perguntado e nao perguntei e arrependi. E dessa vez? O que esta sendo roubado do Brasil nesse exato minuto?)

  55. Comentou em 17/02/2008 Cid Elias

    Do esgoto surgiu, ao esgoto voltou! Falsa advogada, o ser rastejante recolheu-se à lama, habitat natural das criaturas sem caráter. Apareceu mentindo como o carteiro que defendia, e se foi dando demonstrações ainda piores da sua abundante indigência moral. Já vai tarde! Lúcia Campi, UMA FARSA DOMINGUEIRA! Vade retro! QUEM NÃO DEVE, NÃO ESCONDE A IDENTIDADE, CONCORDAM? Talvez se rastrearem o IP dessa coisa repugnante, cheguem ao computador do ….. ……. ou do …….. ……..

  56. Comentou em 17/02/2008 Fabio Passos

    Por mais que tentem, não será possível esconder o conteúdo das reportagens do Nassif… vão ter de argumentar. Apenas difamação não cola. A casa tá caindo. Todo mundo quer saber que negócio é esse de Daniel Dantas definindo o conteúdo da Veja. Não tem como varrer isto prá baixo do tapete. Por que afinal a Veja não consegue explicar suas próprias ‘reportagens’?

  57. Comentou em 17/02/2008 calypso escobar

    Ladrão fala de ladrão,é como conhecer na rua um traficante,boné virado,etc etc.São todos do mesmo esgoto,soldos e mais quem mais oferece e o comentarista se afoba,pega-se em chamas e esquece a igualdade,que a venda da moral é a mesma que caminha a carruagem…fim de papo.Grata calypso escobar

  58. Comentou em 17/02/2008 Edvane pimenta costa

    Uma coisa é certa: depois de tantos blablablás sobre a polêmica NassifxVeja, a conclusão é uma só: Se VEJA fosse uma revistazinha qualquer, como querem os esquerdistas lambe botas de plantão, não haveria anta polêmica em torno do assunto.
    Todos os blogues que publicam alguma coisa sobre a revista, o ibope sobe às alturas.
    Então…

  59. Comentou em 17/02/2008 Fabiana Tambellini

    Nossa, entrei no OI e dei de cara com esse baita fla-flu. É grave o que Nassif coloca sobre a VEJA, se é verdade é golpe mortal. Sobre o caso COC (que acompanhei, sou assinante de VEJA) o problema é que VEJA deu uma informação errada, a apostila nunca foi do COC e sim do Pentágono (o desmentido saiu pequenininho). Outra coisa, dizer que o povo brasileiro se mobilizou contra o COC é um exagero absurdo. Alguns brasileiros (que não são e nem representam o povo brasileiro) descontentes com a apostila se manifestaram.

  60. Comentou em 17/02/2008 Ivan Moraes

    ‘Procurem que voces tambem acham!’: aqui nao eh casa da sogra e os leitores do OI nao sao estupidos a ponto de sair correndo atraz de alguma coisa que pode muito bem nao existir, como uma de suas ‘indicacoes’ abaixo que nao tinha nada do que voce afirmou. Nao eh suficiente voce falar. Envie o link.

  61. Comentou em 17/02/2008 lucia campi

    Ha ha ha ha ha ha ha ha ha …

    Sinto muito para a claque programada, mas no caso Veja x nassif, essa turminha ladra…

    Sim, os cães ladram, mas a caravana passa!

    No presente caso, Veja passa às gargalhadas!!!

    O moço de serviços falou, enrolou, mas não esclareceu o laudatório que faz do bandido.

    ‘Onde eu vi isso?’, pergunta ele…
    ha ha ha ha …
    No blog dele, ora essa!

    Procurem que voces tambem acham!

    Ele engana que é o baluarte da seriedade….
    bem…
    quem viver verá!
    Mas quero fazer justiça!
    Pelo menos ele foi muito educado.
    Já seus cães raivosos…….
    A propósito, pra essa choldra que tenta tapar o sol com a peneira:
    Não meus caros, não verão meus endereços por aí.
    Não me procurem, porque não acharão.
    Fui sim aluna de Miguel Reale, Cesarino Junior, Antonio Chaves, Oscar Barreto, Moreira Alves, Marotta Rangel, Cândido Dinamarco, na mesma escola onde estudaram Rui Barbosa, Castro Alves e mais de 15 presidentes da República…
    Mas meus endereços não podem ficar à mercê de gente irascível, por motivos óbvios.
    Foi hilária minha tarde de domingo….

    Tambem não volto mais por aqui , haja vista que querem morder, só porque tenho opinião própria.
    Não sou vacinada contra mordida de cachorro louco e corro perigo!

    Adeusinho.
    Pensem no bem do país, pelo menos uma vez na vida.

  62. Comentou em 17/02/2008 Cid Elias

    O apolônio físico acompanha o quê mesmo? Pelo maravilhoso comentário deste grande cientista mundialmente conhecido, redigido com a maestria de sempre, o Nassif é ‘a Joana D´arc da vez’… Ele não é uma gracinha, gente? Quer dizer que até hoje o apolono só soube de aloprados mas não viu nada do Dossiê? Pois veja agora! O link que segue, contém uma das maiores omissões jornalisticas da história brasileira, uma NÃO-notícia bombástica, veiculada apenas nos ‘blogs assim não tão maravilhosos’, e aqui cabe uma chamada: ao contrário do que supôs o apolono, as informações sobre o Dossiê, as quais ele não viu nos blogs nebulosos que frequenta, nós vimos e por isso sabemos quem foram os verdadeiros serrassugas! Os blogs SÉRIOS postaram esta e outras provas do pai ssussuga, jamais vistas nos blogs apolonísticos, que se pautam pela moral caolha. Este vídeo do serrassuga e suas ssussuguinhas, exultantes de bolso cheio, festejando as ambulâncias top de preço, é D+! Coisa mais linda! Depois de ver atentamente, por gentileza, diga-nos o que achastes:
    http://www.youtube.com/watch?v=H7gUqrTfP3A

  63. Comentou em 17/02/2008 Ivan Moraes

    ‘intenção era e é (técnica processual) apontar que o jornalista de serviços não tem caráter ilibado’… voce continua dando fora fingindo que esta por dentro: ‘poderiam estudar mais, pelo menos usar de um bom portugues, sou advogada formada pela Universidade de São Paulo’!!!!!! So pode ser por isso que voce nao sabe o que significa ‘jornalismo de servicos’. E nem por isso vai passar: ‘jornalista de servicos’ nao significa o que voce diz. Significa o que significa. (Castilho, o artigo esta otimo, deixei de falar antes e arrependi.)

  64. Comentou em 17/02/2008 Thiago Conceição

    Ivan Teixeira, o Nassif pode não ser acusado de ter defendido o COC, mas ele pode ser acusado de ter selecionado as evidências afim de provar o seu ponto de vista. O que pode ser qualificado com um comportamento não digno de alguém que deseja criticar a Veja. Ele ignorou um fato essencial, o de que a crítica ao COC veio do povo e não de nenhuma publicação.

  65. Comentou em 17/02/2008 Stanley Burburinho

    Estão dizendo na Net que o dinheiro dos aloprados veio dos cartões corporativos do goverso de SP.

    Alckmin: ‘- Presidente, de onde veio o dinheiro?´ **** Lula: ‘- Governador, eu esperava que o Sr. me dissesse’. **** Na hora certa, a verdade aflorará. Eis a razão do abafa da CPI dos cartões em SP.

  66. Comentou em 17/02/2008 Cid Elias

    O castelo de cartas da suposta uspeana parece que ruiu…Se formos observar atentamente o modo como esta pessoa entrou(de sola!) neste espaço, se achando ‘a bala que matou o Kennedy’, típica atitude de quem come galinha e quer arrotar perú, bem como a patética insistência em mandar os engajados estúpidos acessarem o tal link, me trouxe a lembrança duma outra pessoa que costuma usar mais de um nome ao comentar…Depois desta história que não há registros de nenhuma Lucia Campi, em canto nenhum, sei lá…Se bem que pode haver algum poste com esse nome, né mesmo?

  67. Comentou em 17/02/2008 Stanley Burburinho

    Mais um candidato a Reinaldo Azevedo.

  68. Comentou em 17/02/2008 Stanley Burburinho

    Nassif, acho quue a Sra. Lucia Campi (sobrenome italiano), é o próprio anão do podcast.

    Dulce Leão, pois é… de repente, ela fez o curso na Índia e o MEC ainda não reconhece.

    Gersier Lima como está MOC? Como vai o meu amigo Beto Guedes? Ainda existe o Chica da Silva com aquela carne de sol com aipim?

  69. Comentou em 17/02/2008 Thomaz Magalhães

    Fica a impressão, nesse caso Nassif, que o petezéu está botando fé mesmo que a Veja será definitivamnte derrotada, que deixará de ser a revista mais comprada do país, com o dobro da tiragem das demais juntas, e que seus leitores migrarão para as carta capital e caros amigos da vida. Percebe-se uma animação mobilizadora. Fica parecendo até que a liderança na blogosfera vem das esquerdas. Ou, melhor, que a marca dos blogs seja o público comentador. Não deixa de ser interessante. Mas o autor do post, Castilho, lembra um detalhe. Estamos diante de um já-te-vi, na blogosfera norte-americana. E também na européia. A blogosfera forma opinião e eu acho que ela está sempre longe da que pode ser observada pelas caixas de comentários. Nelas, já foi comentado aí pra baixo, o clima é de torcidas. Pouco afere.

  70. Comentou em 17/02/2008 Apolonio Silva

    Quem acompanha os vários blogs sobre política estranha um pouco essa história toda. Nassif pretende vestir a história como uma cruzada pelo bom jornalismo (e nessa conversa embarcam quase todos os que comentam aquele blog) – (evidente seria de estranhar que a Veja fosse o inimigo número 1 do jornalismo quando aloprados foram flagrados em pagamento de propinas por dossiês publicadas por veículos assim não tão…maravilhosos…). Inclusive o autor do texto aí em cima. Mas para quem acompanha de fato estranha que de repente, sem mas nem menos (porque a troca de injúrias Mainardi,RA – LNassif é até antiga neste momento), não mais que de repente, Nassif me sai com um texto em seu blog fazendo uma mea-culpa sobre um empréstimo no BNDES (não pago em 11,12 anos? confiram em seu blog). Foi meio inesperado. Era claramente uma atitude defensiva contra algo que viria. E então resolveu partir para o tudo ou nada contra a Veja (‘pelo bom jornalismo’ – que só ficou suficientemente ruim há cerca de um mês…). Depois dos ataques, surgiu a notícia sobre os processos. Aí Nassif ficou com a faca e o queijo na mão para colar essa de cruzada pelo ‘bom jornalismo’. Nassif chega a ser ingênuo quando elabora suas teorias, por isso quem sabe até acredite que é a Joana Darc da vez. Mas é óbvio, que o que ele teme ainda não chegou. Não eram os processos, que são apenas consequências das acões dele emsmo.

  71. Comentou em 17/02/2008 Luciano Prado

    Causa espécie o distanciamento e a indiferença que o jornalista tenta impor. Espera-se mais de um profissional de imprensa. Não dar para analisar fatos com tamanho distanciamento. Até por questão de respeito às partes envolvidas, espera-se que o profissional de imprensa se ligue nos fatos antes de opinar. Não estamos falando da mesmice da novela das oito.

  72. Comentou em 17/02/2008 Gersier Lima

    Discordo da afirmação do quarto parágrafo. O Nasssif está nos fazendo um favor, mostrar como age essa máfia que se autodenomina de imprensa.
    Querer dizer que existe uma guerra de interesses comerciais ligado a ramo de telecomunicações, não passa de um devaneio.
    Deixei de ser assinante da Veja exatamente por ela ter se tornado tendenciosa, mentirosa e acreditar que seus leitores são imbecis e o pior que em parte ela tem razão. Para ler o colonista Diogo Mainard como diz o PHA, é preciso ter estômago de avestruz.
    Aconselho a quem tem parabólica, se quiser saber notícias do Governo Federal, assista a NBR .
    Verão como o PIG esconde o que de bom está acontecendo no nosso País.
    Verão como nas coletivas, as perguntas são tendenciosas, visando arrancar qualquer frase que consigam tirar do contexto para darem destaque.
    Verão como quebram a cara e depois escondem.
    Nassif não está sozinho nessa luta. Tenho imprimido xerocado e distribuído em consultórios, em salões de beleza , além de enviar post do blog para vários amigos e pedindo aos mesmos para distribuírem entre conhecidos.

  73. Comentou em 17/02/2008 Odonir Oliveira

    O valor das denúncias e dos esclarecimentos feitos pelo jornalista Luís Nassif está na clareza exposta, no recorte literal dos artigos de Veja, nas análises, que muitas vezes ao se ler ( eu não) a referida revista, sente-se o odor, sabe-se que é fétido, virulento, mas não se consegue EXATAMENTE (alguns me contam) desvelar de onde vêm as flechas, a quem REALMENTE (ou a quens) servem e favorecem. Há um alinhamento desses fatos/textos que nos pede reflexão e costura posturas. Portanto, pouca farinha no leite, senão engasga, já dizia minha falecida avó.

  74. Comentou em 17/02/2008 Dulce Leão

    AHAHAHAH Stanley Burburinho 🙂
    Então é licenciatura mestrado e doutorado em YOGA? tem que ser no mínimo, uma opinião de lótus! :)))

  75. Comentou em 17/02/2008 Stanley Burburinho

    Nassif, Cid, estou no Rio que está fazendo muito calor neste momento. Enquanto a Sra. Lucia não responde, vou até o Bracarense tomar chopp escuro comendo bolinho de bacalhau e bolinho de bobó de camarão.

  76. Comentou em 17/02/2008 Stanley Burburinho

    Sra. Lucia Campi, procurei o seu Currículo Lattes e não encontrei. **** Encontrei uma Profa. Lucia Campi que dá aulas de Hatha Yoga no Círculo Militar: ‘
    Professora Lúcia Campi Chagas
    Espera-se neste curso alcançar o desenvolvimento psicológico
    e or gânico através da prática disciplinada da Hatha Yoga, em 2 aulas
    semanais de 1h.

    Local:
    Sala de aula 3 / Prédio das saunas

    Segunda e quinta-feira, das 07h30 às 8h30 – das 9h às 10h
    das 11h às 12h – das 14h30 às 15h30

    Mensalidades:
    Sócio R$ 64,00 / Não sócio R$ 97,00

    http://www.circulomilitar.com.br/hathayoga.aspx

    A professora de Yoga e a Sra. São a mesma pessoa? Também não encontrei nada sobre a Sra. na OAB.

  77. Comentou em 17/02/2008 Cid Elias

    Grande, Stanley! Grande, Nassif! Convenhamos, a tal Lúcia ‘currículo impecável´ foi a primeira a conseguir a façanha de elogiar mais uma estultice atirada pelo programado! Era só o que faltava no currículo dela!! ‘Dotôra’, onde estão os fatos? Dei QUATRO PROVAS de canalhices jornalísticas cometidas pelo teu carteiro, e tu continuas a repetir a mesma ladainha, devidamente desmascarada pelo Nassif? Tome tento, mocinha…
    * Por gentileza, a sra tem OAB? Desculpe, mas não consegui localizar seu registro, aliás, registro nenhum. A sra gosta de programação? Como é seu nome verdadeiro?

  78. Comentou em 17/02/2008 Fabio Passos

    Este é o Nassif… ainda estamos esperando aparecer o pessoal da Veja por aqui. Será que eles tem a mesma coragem e humildade?Será que eles trarão respostas? Eu ainda não vi nenhuma resposta concreta ao que o Nassif escreveu… Como a VEJA poderá se defender se o que Nassif apresenta saiu das próprias páginas da Veja? Será que a única defesa da Veja é a difamação?

  79. Comentou em 17/02/2008 luis cardoso

    O que o Nassif está fazendo lava a alma de muita gente que como eu percebeu faz tempo o jornalismo de esgoto praticado por Veja . Vá em frente Nassif , denuncie , mostre o que os ‘assassinos de reputação’ fazem . Estou enviando a série por email , para todos que estão na minha lista . Faço um apelo para que aqueles que lutam por uma mídia honesta e imparcial façam o mesmo . Tá na hora de desmascarar esta turma .

  80. Comentou em 17/02/2008 Stanley Burburinho

    Mas, onde nos textos do Nassif ele defende o COC ou outra coisa qualquer?

    O Nassif está mostrando para nós exemplos de péssimo jornalismo.

    Por que será, então, que a Veja (Editora Abril) tem mais de 3.100 processos contra ela correndo na justiça? Será que todos as pessoas que entraram com todos esses 3.100 processos na justiça são loucas?

    Quantos são os processos que já foram julgados?

  81. Comentou em 17/02/2008 Carlos Albertp Mangino

    Boa noite, a url que a leitora Lucia Campi coloca, para ilustrar a sua tese,não procede: la só diz que o Sr Ronan não teve aceito um pedido de Habeas Corpus, dessa maneira Ela esta tergiversando e não contribuindo com a busca da verdade.

  82. Comentou em 17/02/2008 Ivan Teixeira

    A tese esgrimida de que houve defesa pelo LN do COC decorre da mera má-fé daqueles que, sem qualquer base argumentativa, posto que despido de lastro fático para contrapor-se ao quanto exposto sobre a Veja. Resta claro que o caso do COC foi utilizado como EXEMPLO de´péssimo jornalismo perpetrado pelo semanário, demonstrando como se perfaz uma ‘reportagem’ com o escopo oculto de beneficiar-se empresarialmente mediante a nefasta técnica de defenestrar concorrentes mediante a propalação de boatos, sem preocupar-se com um procecimento elementar, primado do autêntico jornalismo, que é instalar o contraditório mediante a oitiva do acusado, atitude esta que não fora adotada pela revista. O Nassif apenas fez mostrar o quão leviana e cabotina é a ação midiática da Veja que acusa um futuro concorrentes de uma notícia NÃO COMPROVADA, sem lhe oportunizar o contraditório, escondendo o real objetivo seu que era macular a concorrência fazendo (mau) uso do seu poder midiático. Destarte, percebe-se que em momento algum o Nassif defendeu quem quer que seja; apenas e tão somente tomou dado caso como exemplo para evidenciar a ausência de escrupúlo jornalistico de determinada publicação semanal. Aqueles que impingem a pecha de ‘defensor do COC’ ao Nassif decerto fazem uma leitura equivocada quanto a tal realidade, não sabendo-se se por ignorância ou má-fé. Creio que o fez pela 1ª opção.

  83. Comentou em 17/02/2008 Adelson Bastos

    Pessoal acho que a Sra. Campi já deve está empregada, talvez seja estagiária dos advogados do GRUPO ABRIL. Devem ter escalado ela pra este trabalho importantissímo de defender a nãoVEJA nos blog´s.

    Olha a frase : ‘…E para relembrar, reiteramos que o sr nassif…’ reinteramos??? Em nome de quem ???

    Quanto mais ela escreve, mais vai demonstrando quem é.

    E tudo que tens a falar sobre o Nassif é isto?
    E sobre os podres da nãoVEJA qual a sua opinião?
    Deve achar o mulaMainardi lindo né?

    A revista nãoVEJA sempre foi de direita e isto nunca foi um problema acho normal o direito de defender suas ideologias, mas há algum tempo se tornou um lixo, depósito do jornalismo de esgoto como tantos falam.

    Esta ‘guerra’ apenas está começando…ainda vai esquentar aguardem os próximos capitulos.

  84. Comentou em 17/02/2008 Stanley Burburinho

    Entre a Veja e o Nassif, qual dos dois foi mais processado na justiça e quantas vezes perderam ?

    Se as provas do que o Nassif diz são as próprias matérias publicadas pela revista, como, então, contestá-las?

    Dando continuidade à pretensão de hierarquia por condição cultural, devo dizer que fiz meu doutorado e pós-doutorado em duas escolas de qualidade duvidosa, que não dispensam apresentações e que são, geograficamente, separadas por um rio, onde trabalho dando aulas há mais de 30 anos.

    Uma delas fica na 77, Mass Avenue e se chama MIT (MediaLab). A outra fica do outro lado do rio no bairro de Cambridge e se chama Harvard (Harvard Business School).

    Peço desculpas antecipadas se encontrarem erros de português no meu texto.

  85. Comentou em 17/02/2008 lucia campi

    Aí Thiago.
    Mostra que ninguem consegue enganar todo mundo o tempo todo.
    Aliás, defender o coc- zaher é o fim… O FIMMM!!!!

    Ha ha ha ha …

    E você , hoteleiro?

    Tambem faria uma biografia de um quadrilheiro?

    Endeusaria um denunciado de crimes?

    Vai lá, vai:
    http://investigpreciso.incubadora.fapesp.br/portal/noticias/hcronan/

    Hoteleiro, me diga: Ao fazer ‘o laudatório’ de um quadrilheiro, o jornalista de serviços perdeu ou não o lastro para falar dos outros?

    Voce não acha que ele faz isso para nivelar por baixo?

    Ou porque quer reavivar a carreira, ora combalida?

  86. Comentou em 17/02/2008 Luis Nassif

    Vamos aproveitar o material didático proporcionado pela leitora Luci, para explicar como se fabrica uma injúria. UMA vez na vida, a convite do meu amigo Calinhos Brickman, almocei com o Ronan Maria Pinto. E almocei porque sempre tive curiosidade em saber mais sobre esse estranho mundo das empresas municipais de ônibus. Do almoço resultou um comentário em meu Blog, comentando como se fizeram as fortunas nesse setor. E só. Tempos depois, a Associação Paulista dos Jornais (APJ) me convidou para publicar minha coluna diária nos 16 jornais da associação (entre os quais o Diário do Grande ABC). Foi o suficiente! O blogueiro da Veja coloca que eu trabalho para o Ronan, que estou escrevendo a sua biografia, e a leitora Luci – que não sei se é provocadora ou inocente – repete, e repete, e repete, e repete. O Blog que espalhou isso é da revista Veja. Isso é jornalismo? Onde entra isso na análise de Castilho?

  87. Comentou em 17/02/2008 Thiago Conceição

    Fábio Passos, se a Veja atacou o OI isto não é mal em si. O OI tem servido de megafone ideológico há muito tempo. Se vocês desejam fazer uma crítica à Veja pelo menos usem fatos verídicos. O caso do COC foi algo que partiu do povo brasileiro, e não da Veja. A Veja apenas noticiou o que acontecia na internet.

  88. Comentou em 17/02/2008 Cid Elias

    Segue a última ‘carta com más notícias que o carteiro da vejaqmentira trouxe’. Será que a uspeana do bom ‘portuguÊs’ vai ser contratada para a defesa de mais um crime? ‘A ex-esposa de Pelé, Assíria, divulgou nota hoje,16/02/2008, em que nega as informações divulgadas pela revista Veja desta semana. Nega ter concedido qualquer entrevista à revista ou a qualquer outro veículo de comunicação sobre a sua separação.Veja abaixo a nota na íntegra:
    ‘Diante das supostas ´´entrevistas´´ atribuídas a mim publicadas nos últimos dias na mídia – em especial na última edição da revista de maior circulação nacional, a ´´Veja´´ – quero esclarecer que:
    – Em nenhum momento dei declarações/ entrevistas/ depoimentos a qualquer jornalista ou veículo da mídia sobre o meu casamento, tampouco à repórter Sandra Brasil da revista ´´Veja´´. Não comento minha vida particular e nem trato em público o que é privado. Eu não cometeria essa deselegância. Portanto, toda declaração publicada e atribuída a mim nesses últimos dias é falsa e inescrupulosa e será tratada nas esferas jurídicas, conforme me faculta a Lei de Imprensa.’ Aproveitando que a acadêmica garganteia ser adoradora de FATOS, solicito os links que comprovem o teor das seguintes cartas com más notícias, trazidas pelo carteiro dela, estampadas na capa: U$ DAS FARC PARA A CAMAPANHA DO LULA, U$ DE CUBA PARA A CAMPANHA DO LULA, CONTAS NO EXTERIOR…

  89. Comentou em 17/02/2008 Fabio Passos

    Onde foi que eu li sobre a tática de ‘assassinatos de reputação’? Ah! foi aqui: http://luis.nassif.googlepages.com/osassassinatosdecar%C3%A1ter
    Esta técnica da Veja é velha conhecida… como forma de intimidação e chantagem. Não percebe que isto apenas corrobora a reportagem do Nassif?

  90. Comentou em 17/02/2008 lucia campi

    Ha ha ha ha ha …

    Não há confusão alguma, meu caro!
    É só para mostrar que o jornalismo de serviços não tem estofo moral para atacar quem quer que seja!
    Vá lá pra ver voce tambem:
    http://investigpreciso.incubadora.fapesp.br/portal/noticias/hcronan/

    Pelo visto, voce faria uma apologia de um quadrilheiro, não é?

  91. Comentou em 17/02/2008 Eduardo Panda

    Ah! O problema da dotôra é a tal da ‘biografia laudatória’. Mas é isso mesmo! Tudo isso derruba as argumentações do Nassif! Meu Deus! Como não vimos isso antes?!!!
    Sinceramente, é muita confusão na cabeça de uma pessoa só.

  92. Comentou em 17/02/2008 Antero Colucci

    E aí, meus bravos do OI? Como é que fica? Silêncio total? Ninguém observa nada? E a grande imprensa continua muda? Ninguém diz nada?
    Sei não … Pelo mutismo, parece-me que a briga não é muito boa para o lado dos jornalões e revistões.
    E, quanto ao OI, que decepção!!

  93. Comentou em 17/02/2008 lucia campi

    E para relembrar, reiteramos que o sr nassif escreveu uma biografia laudatória de ronam pinto.Esta pessoa, voces devem lembrar, esteve ou está envolvida naqueles fatos terríveis da prefeitura de Santo André, dos quais todos temos conhecimento.

    O sr ronam pinto está sendo processado por formação de quadrilha, dentre outros crimes.

    A pergunta que não quer calar: por qual motivo o sr nassif faria uma biografia laudatória dessa pessoa acusada de quadrilheira?

    E para que todos tenham conhecimento SOBRE ESTES FATOS VERÍDICOS, por favor PROCUREM NO
    http://investigpreciso.incubadora.fapesp.br/portal/noticias/hcronan/

    Volto a perguntar: o que levaria o jornalista de serviços a fazer tal biografia?

  94. Comentou em 17/02/2008 M. Iack

    É assim que o Observatório define? Guerra Política? Pois para mim, o que vejo é um jornalista ‘mesmo’ (Nassif), demonstrando como se faz um jornalismo marrom (Veja).

  95. Comentou em 17/02/2008 Fabio Passos

    E sobre a tática de intimidação da Veja? Tá tudo lá… ‘À medida que a queda de padrão da revista começava a despertar críticas, Eurípides e Sabino desenvolveram uma tática de intimidação em cima dos jornalistas. Ataques a Alberto Dines, Luiz Weiss, Observatório da Imprensa. Depois, extravasando para outros jornalistas, como Kennedy Alencar, Eliane Catanhede, Luiz Garcia, Tereza Cruvinel, Franklin Martins. O recado estava implícito: nós temos um canhão; não se metam com a gente.’ É… quem não abaixa a cabeça sofre intimidação. O jogo sujo da intimidação e da desqualificação barata tá chegando ao fim. Aqui na net, este canhão tá virando pó de traque…

  96. Comentou em 17/02/2008 Dulce Leão

    Vocês viram o último capítulo do Caso Veja? O Nassif abriu as tripas da revista VEJA! É preciso coragem.

  97. Comentou em 17/02/2008 Fabio Passos

    Isto aqui tá muito bom. Isto aqui tá bom demais… Já bateu o desespero. Na falta de argumentos vem a desqualificação barata… e o que mais vem da Veja? Leiam a reportagem do Nassif. Tá todo mundo comentando e não apareceu ABSOLUTAMENTE NINGUÉM negando a reportagem com argumentos sólidos. O motivo? A fonte do Nassif… não são ‘sete italianos’, ‘ouvi dizer’, ‘um passarinho me contou’… A fonte de Nassif é: A revista VEJA! Imperdível!
    http://ocasoveja.blogspot.com/

  98. Comentou em 17/02/2008 lucia campi

    E para arrematar, voce tem toda razão, Thiago!

    Querer crucificar a Veja , do modo pretendido é como querer matar o carteiro por causa da carta com más notícias.

    O povo brasileiro é que deve estar contra esses vendilhões da Nação, negociantes que têm compromisso apenas com o dinheiro.

    O povo brasileiro é que está contra o coc.

    A Veja só fez publicar, da forma correta.

    E, ainda assim, vem o jornalismo de serviços a defender o indefensável.

    O jornalisnmo de serviços se mata para defender o indefensável coc e ambos mostram que não tem compromisso com a Educação, com o Povo e com a Nação Brasileira!

  99. Comentou em 17/02/2008 lucia campi

    Apesar dos ataques pessoais, continuo na tese de que o Sr Nassif ao biografar e elogiar pessoas denunciadas por formação de quadrilha, não apresenta estofo para falar de ética, contra quem quer que seja.
    Já mandei o endereço para confirmação fática do que falo, mas volto a postar, mostrando porque o jornalista de serviços não enobrece o jornalismo e nem pode ser de confiança dos cidadãos.
    Como já disseram por aí, fica a impressão que está fazendo essa ‘guerra santa fake’ para reavivar uma carreira descendente!
    Ou ……
    http://investigpreciso.incubadora.fapesp.br/portal/noticias/hcronan/

  100. Comentou em 17/02/2008 Fabio Passos

    Thiago… você não sabe dizer porque não leu a reportagem do Nassif. O Nassif não disse simplesmente que a Veja fez a nota. Ele colocou a NOTA PUBLICADA PELA VEJA retificando sua própria reportagem sensacionalista para que qualquer um possa ver… veja com seus próprios olhos. Está no final de ‘O Caso André Esteves’. Esclarecedor. http://www.projetobr.com.br/web/blog?entryId=6311

  101. Comentou em 17/02/2008 Cid Elias

    É…fazer o quê? Tem poste que sente náuseas! Embora a uspeana das leis ‘se ache’, conforme demonstrou quando expeliu isto:’…pelo menos usar de um bom portugues, sou advogada formada pela Universidade de São Paulo, o que dispensa maiores apresentações- aliás, com currículo escolar impecável…´´, há controvérsias…O ‘portugues da Dotôra lúcida’ é infinitamente superior ao nosso portuguÊs, ela dá parabens ao Carlos, e nós damos parabÉns ao Nassif. Os tais ‘fatos’, são factóides. Eu posso imaginar esta moça num tribunal… vejam o que ela é capaz de fazer em poucas linhas: PRIMEIRO TEMPO ‘Respeito quem pensa contrariamente.’ SEGUNDO TEMPO ‘Acho a abordagem do Castilho impecável. Entender o contrário disso é engajamento estúpido de idéias desmoronadas em 1989. Mas, fazer o que?’ Comentário final: ELA RESPEITA TODOS, EXCETO OS QUE NÃO PENSAM COMO ELA! No caso, os que ousaram pensar de forma distinta, são engajados estúpidos. É dose!

  102. Comentou em 17/02/2008 Jean Canesqui

    .’…pelo menos usar de um bom portugues, sou advogada formada pela Universidade de São Paulo, o que dispensa maiores apresentações- aliás, com currículo escolar impecável. Não tenho interesse em baixar o nível ao ponto pretendido por estas pessoas .’

    Cuidado, se não o currículo da Lúcia te morde. Esse pessoal formado na USP… Hey, eu tb sou formado na USP. Cuidado! Sou radioativo.

  103. Comentou em 17/02/2008 Fabio Passos

    E quanto a esta nota do Lauro Jardim no RADAR da VEJA ainda em 2000… ‘Na semana passada, depois de uma tensa reunião entre os fundos de pensão e o banco Opportunity – que andam se estapeando em público há meses –, Francisco da Costa e Silva, advogado da Previ e ex-presidente da CVM, surrupiou a ata do encontro e se mandou. Supõe-se que ele saiba que o que fez é proibido pela legislação.’ A VEJA não publicou a carta resposta de Costa e Silva explicando que tinha sim autorização para retirar as atas e documentos do CVC, para que pudesse xeroca-los. No dia seguinte, os documentos foram devolvidos, tudo de acordo com a lei e com as decisões da AGE. Por que diabos não aparece uma alma viva pelo menos defendendo a VEJA e explicando a defesa que a revista promove de DANIEL DANTAS? Ninguém aparece… nem para dizer que tudo é mera coincidência.

  104. Comentou em 17/02/2008 Thiago Conceição

    Fábio Passos, se isso foi acrescentado pelo Pentágono ou se a Veja realmente publicou esse ‘desmentido’, não sei dizer. O que sei é que as críticas ao método COC foram muito além dessas. Gostaria de ver um desmentido de ponto a ponto o que foi denunciado por outros brasileiros como eu. Nunca a Veja poderia ser responsabilizada, mesmo nesse caso do empresário, o qual eu não sei se você diz a verdade, pois ela noticiou apenas o que era verdade (alguns brasileiros revoltados com o que era ensinado para seus filhos resolveram denunciar o ocorrido pela internet). Se vocês tem alguma queixa contra o que foi alegado, larguem de tecnicalidades (como por exemplo que tenha sido adicionado pelo Pentágono) e mostrem onde exatamente estão as falhas. O Nassif comeu bola, e não foi pouca. Talvez a sua urgência em combater a Veja tenha atrapalhado em realmente saber o que ococrreu.

  105. Comentou em 17/02/2008 lucia campi

    Só para confirmar, aí vai a qualidade do homenageado do jornalista de serviços.
    Voces escreveriam uma biografia laudatória de uma pessoa denunciada por crimes diversos inclusive de formação de quadrilha?
    E só ir lá. O endereço ta aí!
    De duas uma: Ou fez a biografia por admiração, ou foi contratado para isso!
    Isto é fato! Não é invenção de engenharia curitibana!(com todo respeito à linda Curitiba!)

    http://investigpreciso.incubadora.fapesp.br/portal/noticias/hcronan/

  106. Comentou em 17/02/2008 Fabio Passos

    Sugiro ler as reportagens do Nassif antes de comentar… além das tentativas de desqualificação usuais, só apareceu uma crítica de alguém que obviamente não leu a reportagem. ATENÇÃO: A FONTE do Nassif é a própria REVISTA VEJA. É impressionante. Tá tudo lá… publicado nas páginas da VEJA.

  107. Comentou em 17/02/2008 Maria Pascale Coelho Duarte Coelho

    Esse Carlos Castilho saiu das sombras para obscurecer o debate. O uso da imprensa como moeda de troca para favorecer grupos empresariais em detrimento à função social da comunicação é crime. Então as denúncias que o Nassif está fazendo sobre a manipulação simbólica de alguns jornalistas da Veja não tem apenas o cárater de fomentar polêmicas, ou mesmo de criá-las de forma aleatória. O trabalho do Nassif reescreve a história do jornalismo brasileiro. Se de fato muda algo, muda a atuação dos jornalistas. Talvez alguns mais atentos e criteriosos sejam incentivados pela coragem do Nassif em cutucar o câncer que se espalhou na blogosfera com gângsters de plantão para defenderem patrões a,b, e c, em detrimento dos fatos a serem divulgados ou interpretados. As práticas midiáticas, quando bem articuladas, mudam as relações de poder em uma sociedade. Maria.

  108. Comentou em 17/02/2008 Fabio Passos

    Thiago, leia a reportagem do Nassif senão fica feio prá você… leia o que a revista VEJA escreveu em uma nota de esclarecimento em 27 Junho de 2007: ‘…O texto ‘Como se conjuga um Empresário’ citado na reportagem ‘Ensino que é bom’ (13 de junho), não foi publicado em apostilas do sistema COC de ensino. O texto foi incluído pelo colégio Pentágono, de São Paulo, em suas próprias apostilas…’ Segundo o dono do COC a Veja sabia desta informação ANTES de publicar a reportagem difamando o concorrente da Abril. Guerra Comercial! Tá na cara… não adianta ficar furibundo. Leia a reportagem.

  109. Comentou em 17/02/2008 José Macedo

    É meu caro, Castilho, pelos seus comentários, a disputa dentro do jornalismo não passa de briga de comadres, não é verdade ? Parabéns, meu jovem, pois os negócios agradecem a sua bonita lição de isenção …

  110. Comentou em 17/02/2008 lucia campi

    Bom, para tristeza de hoteleiros, jornaleiros da linda Rio Preto e aposentadas que poderiam estudar mais, pelo menos usar de um bom portugues, sou advogada formada pela Universidade de São Paulo, o que dispensa maiores apresentações- aliás, com currículo escolar impecável.

    Não tenho interesse em baixar o nível ao ponto pretendido por estas pessoas .
    Tenho o direito de discordar e o faço baseada em FATOS, como denúnicas criminais e daí por diante, conforme já postei abaixo.
    Respeito quem pensa contrariamente.
    Só repiso a ‘tese’, segundo a qual a pessoa que se diz de um jornalismo de serviço, que fez a biografia de pessoa denuncada por crime de formação de quadrilha dentre outros- ( por admiração ou a soldo) e que defende o chain zaher, não tem isenção necessária par atacar quem quer que seja em matéria de ética!

    Se há cegos que se recusam a ver é porque se recusam a ler tambem!

    O que , de resto , fica claro com as manifestações truculentas e sem qualidade de escrita.

    Acho a abordagem do Castilho impecável. Entender o contrário disso é engajamento estúpido de idéias desmoronadas em 1989.
    Mas, fazer o que?
    Tem gente que já morreu e acha que está vivo!!!

  111. Comentou em 17/02/2008 Claudia Zardo

    Ui. Estou mordendo a língua para não falar, mas devo plagiar a Marinilda ( que fica aí atrás só na edição): EU NÃO DISSE? Acho que é o que ela diria.

    Parabéns. Em ano eleitoral é exatamente o que os crápulas precisavam. Um imprensa em frangalhos, fraca, sem credibilidade e sem força fiscalizadora. Quem vai acreditar em quem depois dessa lavagem toda espalhada por aí?

    Agora, na minha bola-de-cristal, vou contar para vocês o que vai acontecer no final dessa guerra, além de muitas cabeças( inocentes) do jornalismo que vão rolar. Se Nassif perder estará acabado. Se Nassif ganhar, podem esperar para ver a turma de advogados sobre a carniça da Abril: “Nassif abre a porteira do Judiciário e leitores entram com ações indenizatórias alegando que foram feitos de vaquinhas de presépio pela Veja”.

    Mas , fala sério: subestimaram o poder da internet. Em apenas 24 horas o gráfico só está subindo.

    Resultados 1 – 10 de aproximadamente 28.600 para Nassif x Veja (0,07 segundos)
    Resultados 1 – 10 de aproximadamente 28.500 para nassif X veja (0,21 segundos)
    Resultados 1 – 10 de aproximadamente 27.100 para nassif x veja (0,23 segundos)
    Resultados 1 – 10 de aproximadamente 13.400 para luis nassif x veja (0,19 segundos)

    Beijos para todos. Vou namorar e volto para seguir o folhetim na segunda-feira. Não vou esquecer o sacão de pipoca e o litro de refri, pois serão longos cap.

  112. Comentou em 17/02/2008 Thiago Conceição

    ‘Se a VEJA fosse honesta, ela teria citado na segunda reportagem que tinha elogiado o COC alguns meses antes, mas que agora mudava de opinião após obter maior conhecimento do assunto.’ Não li essa reportagem em que ela elogia o método COC, portanto não sei dizer se é correta ou não essa sua crítica. O que sei dizer é que isso não justifica o ataque à Veja. Ela fez o serviço que qualquer jornalismo deveria fazer, ou seja, o de noticiar a verdade. As apostilas do COC são uma vergonha e isso precisa ser dito. Crucificar a Veja por isso é injusto, pois quem acusou o COC de doutrinação foi o povo brasileiro.

  113. Comentou em 17/02/2008 Thiago Conceição

    Fábio Passos, deixa de falar besteira. O verbo ‘empresário’ está aqui: http://www.escolasempartido.org/index.php?id=38,1,article,2,135,sid,1,ch . ‘Acordou, barbeou-se… beijou, saiu, entrou… despachou… vendeu, ganhou, lucrou, lesou, explorou, burlou… convocou, elogiou, bolinou, estimulou, beijou, convidou… despiu-se… deitou-se, mexeu, gemeu, fungou, babou, antecipou, frustrou… saiu… chegou, beijou, negou, etc., etc’ Pare de contar lorotas, a apostila do COC é uma vergonhosa apologia ao comunismo. Se o Nassif não leu, o azar é dele. O fato é que tais evidências existem e ele as ignorou.

  114. Comentou em 17/02/2008 Antonio Barros

    Thiago,

    Se a VEJA fosse eficiente, poderia ter dito na primeira reportagem que haviam críticas à doutrinação ideológica no material do COC.

    Se a VEJA fosse honesta, ela teria citado na segunda reportagem que tinha elogiado o COC alguns meses antes, mas que agora mudava de opinião após obter maior conhecimento do assunto.

    Se a VEJA tivesse coragem, ela teria dito na segunda reportagem que que confiava no método, tanto que o Grupo Abril tinha comprado duas editoras e pretendia entrar neste mercado com material sem viés esquerdista.

    Se a VEJA fosse independente, ela teria mostrado que vieses esquerdistas também são encontrados no material didático vendido pelas editoras do grupo Abril (Ática e Scipione, eu acho).

    Falta portanto eficiência, honestidade, coragem e independência na VEJA. É ótimo material para debate em aulas de jornalismo.

  115. Comentou em 17/02/2008 Cid Elias

    Tive discussões ríspidas com o Nassif, e continuo discordando dele em vários pontos. Agora, comprará-lo com aqueles dois sujeitos da vejaqmentira, os quais mentem, inventam, ofendem, não admitem comentários discordantes, é inadmissível, é uma aberração, ainda mais para alguém que se intitula observador! O troféu ‘comentarista-tapioca’ vai pra Dotôra Oabista Lúcia Campi! As barbaridades que ela foi capaz de escrever, tipo ISSO ‘E daí, sim, entendi o que é o ‘soi disant’, verdadeiro jornalismo de serviços. Somado com o empregado do bispo, dá náusea em poste!’, são dignas de tese de DOUTORADO! Se bem que num ponto ela tem razão: há miríades de postes advogando no Brasil… Nada mais natural que sentam náuseas, né não, senhores? Ela encarna perfeitamente a figura da comentarista DENOREX! Parece, mas não é!

  116. Comentou em 17/02/2008 Jean canesqui

    ‘Francamente, essa batalha é a batalha do jornalismo de serviços, inventado por nassif e lapidado por paulo henrique amorim. ‘

    Cara Lúcia, em nome do castelo da luz, da lua de cristal e do lago mágico cercado por lindos unicórnios, favor desmentir denúncia por denúncia, se ainda quiser brincar conosco. Devo informar que os cargos responsáveis por desqualificacação furiosa de adversários já estão preenchidos pelos agentes M e A. Acho que a senhora não gostaria de ameaçar o ganha pão destes cavalheiros, não, é? Se a senhora quiser tentar o cargo de Agente L pode se inscrever para suplente.

    Tb informo que não sou petista e só consumo maiores de de idade.

  117. Comentou em 17/02/2008 Fabio Passos

    Rui Cesar, se você refere-se as bordoadas que levou a advogada, deveria ler os comentários dela primeiro. Conselho: Tampe o nariz antes. Não há comparação entre o respeito que é disseminado no blog do Nassif e a revista Veja e sua já reconhecida postura ‘Boca do Lixo’. Mas o que falta mesmo aqui são boas criticas ao conteúdo das reportagens do Nassif. A única que apareceu era fraquinha… e sumiu após esclarecimentos. Será que não há quem consiga defender a Veja do conteúdo das reportagens apresentadas pelo Nassif? O que isto indica para o OI?

  118. Comentou em 17/02/2008 Paulo Daher

    O Sr Rui (de Santos/SP) disse uma verdade.
    É preciso deixar desenrolar a história ao invés de parecer torcida organizada.
    Ataques não se justificam.

  119. Comentou em 17/02/2008 Rui Cesar

    Os leitores do Nassif estão a cada dia mais parecidos com os do outro lado. Se dizem
    democratas e educados, pensam no Brasil, mas xingam e atacam covardemente quem
    diverge deles, até mesmo tripudiando sobre as doenças de seus adversários. Parecem
    torcida organizada. Pobre de nós se esses são os ‘bonzinhos’. Carlo Castilho, parabéns
    pela matéria e a tolerancia com os intolerantes.

  120. Comentou em 17/02/2008 Marcelo Ramos

    O Nassif fez uma coisa que poucos jornalistas fazem: falou a verdade enquanto dissecou a farsa na qual a veja se tornou. A revista se presta pra tudo, principalmente quando o interessado balança uma bolsa de moedas. Quando se disseca um ser vivo, em geral é meio ruim as vísceras à mostra e essas coisas. No caso da veja, o que dá pra sentir é apenas um cheiro muito ruim, de coisa podre. Como eu já disse no post das matérias do Nassif, a veja só continua a existir porque a parte do povo brasileiro que a compra, ainda não olhou por baixo da capa. E também porque existem ‘empresários’ eficientes para os quais vale-tudo para vencer. De qualquer maneira, ética não é um elemento dessa equação. A ética só se torna elemento de equação quando a revista vai cobrá-la de alguém, no mais das vezes, do governo. Se o Nassif não fosse lançar um livro com este conteúdo, eu o convidaria para editarmos uma revista, até usando os nomes engraçados dados por alguns postadores daqui. Seria um ótimo estudo de caso para cursos de comunicação.

  121. Comentou em 17/02/2008 Fabio Passos

    Importante informação para aqueles que confiavam na Veja: Vocês ainda não sabem que o material ‘Conjugando o Empresário’ não consta das apostilas do COC? A Veja sabe! Inclusive a Veja já retificou a informação. Só que em uma nota pequena… sem o estardalhaço que fez quando acusava o COC. Por que será? Pura guerra comercial… atingiu o concorrente com sensacionalismo. Corrigiu a informação em uma nota acanhada. O OI precisa analisar o CONTEÚDO das reportagens de Nassif.

  122. Comentou em 17/02/2008 Fabricio Bonini

    Francamente, essa tal de Campi, adevogada (sic), deve ter perdido o emprego quando o Carandiru foi implodido. Se alguém aí sabe de alguma porta de cadeia para ela trabalhar, por favor, indiquem.

  123. Comentou em 17/02/2008 zanuja castelo branco

    E ai Lúcia Campi, tais ganhando qto $$$ para defender a INveja? primeiro vc tem q aprender a ler e, mais importante, absolver a leitura para depois fazer comentários. Vá lá no Nassif e leia novamente a matéria sobre a apostila do COC, depois vc escreve novamente, daí vamos saber se vc tem QI para leitura. Por enquanto vc está abaixo da média dos q visitam o Blog do Nassif.

  124. Comentou em 17/02/2008 Marcelo Vianna

    No meio de tanta discussão conforme os comentários abaixo vejo cada vez mais claro que o sistema educacional brasileiro está falido mesmo. Interpretação de texto foi abolida totalmente do currículo escolar e as pessoas realmente não entendem o que leem. O texto do Castilho se refere EXCLUSIVAMENTE ao fato de que a Internet brasileira está entrando em um debate já existente nos paises dito desnvolvidos com sua politização. O Castilho usou A TÍTULO DE EXEMPLO o debate entre os Grupos IG/Record (Nassif e Paulo Amorim) e o Grupo Abril (Veja-Mainardi e Azevedo). Como dito pelo Castilho (e muito bem) deve existir uma exigência de TRANSPARENCIA de ambos os lados apontando quem os financia, quais seus interesses e posicionamento político de forma clara. O resto todo que está ai embaixo é um debate ideológico baixo nível tipico de quem pretende vencer pela insistência a falta de argumentos (como dizia Goebels, repita uma mentira várias muitas vezes e ela vira uma verdade).
    Saudações

  125. Comentou em 17/02/2008 Dulce Leão

    Isto afeta intensamente a atividade jornalística, pois a profissão é ‘regida até hoje por códigos e valores criados nos anos 1920 e 30, quando surgiu, nos Estados Unidos, a grande reação contra a chamada imprensa marrom, que fazia abertamente o jogo dos poderosos da época.’ O QUE OS EEUU JOGARAM NO ESGOTO, AS EMPRESAS DE MÍDIA IMPORTARAM PARA O BRASIL. A REVISTA VEJA UTILIZA-SE DE MÉTODOS EMPRESARIAIS TRUCULENTOS, VENDENDO PROPAGANDA COMO REPORTAGEM. JORNALISMO INVESTIGATIVO NÃO É DESCULPA PARA CALÚNIA, INJÚRIA E DIFAMAÇÃO. VENDER ÁLIBES (É OBSTRUÇÃO DA JUSTIÇA) ,PARA A JUSTIÇA É CRIME PREVISTO NO CÓDIGO PENAL. ESTE TIPO DE PUBLICAÇÃO TEM QUE MOFAR NA BANCA, SER BOICOTADO. A SOCIEDADE QUER NOTÍCIAS, NÃO FACTÓIDES E CONJECTURAS. SÓ UM HOMEM COMO PESO PROFISSIONAL COMO LUIS NASSIF, PARA TER PEITO E DENUNCIAR A VEJA E SEUS ‘COMERCIANTES-JORNALISTAS’. ONDE ESTÁ A ABI, A OAB, ENTIDADES CONTRA A CENSURA…VOCÊS DORMEM, ENQUANTO NASSIF BATALHA SOZINHO POR UMA IMPRENSA LIVRE E ÉTICA. IMPRENSA VIROU BALCÃO DE NEGÓCIO…VENDE-SE REPORTAGEM…QUER PAGAR QUANTO???

  126. Comentou em 17/02/2008 Paulo Daher

    Desse ping-pong todo, espero apuração total dos dois lados.
    Que a roupa suja seja lavada em público, satisfaça e responda as questões que os dois lados levantam.
    O que embrulha o estômago é ler na maior revista semanal brasileira o tipo de comentário que já se tornou habitual.
    Dos blogs, só digo que o do Nassif é muito bem mediado e educado, onde se pode ler discussões muito articuladas.
    Os outros blogs da questão são impróprios para estomagos sensíveis. Panela de intolerantes, lembram os discursos do Le Pen.
    Por aí, tenho formada minha opinião. Ví e lí.

  127. Comentou em 17/02/2008 Fabio Passos

    Thiago, o material didático editado pela própria Abril, também está recheado daquilo que foi ‘denunciado’ como ‘esquerdista’. Nassif fez uma pegadinha exibindo uma série de ‘esquerdices’ em material didático. Apareceram vários personagens criticando duramente este viés de ‘doutrinação esquerdista’. Quando Nassif revelou que era material editado pela Abril… a casa caiu! A Veja centrou fogo apenas na concorrente da Abril. Não criticou o ‘esquerdismo’ que aparecia no material didático editado pela própria Abril. Sequer citou que é concorrente do COC… não pode Thiago. Não é ético. Evidência clara de guerra comercial. Percebe?

  128. Comentou em 17/02/2008 Fabio Passos

    E o Nassif divulgou a pouco mais uma que é espetacular… o mainardi e as ‘denúncias’ de seus ‘sete informantes italianos’. O documento em pdf divulgado pelo próprio mainardi mantém um bookmark, cujo conteúdo não é outra coisa senão parte da denúncia dos tais ‘informantes italianos’… escrito em bom português! Sete ‘informantes italianos’? O Daniel Dantas é italiano? Então só faltam os outros seis informantes… é muito descarado (e engraçado…). O OI precisa analisar o CONTEÚDO destas reportagens do Nassif. O OI precisa posicionar-se. Afinal, o caso acima descrito é ou não evidência de comportamento de um jornalista ‘sela’… e se faz sentido, ou não, entender que quem cavalga nesta sela é Daniel Dantas?

  129. Comentou em 17/02/2008 Thiago Conceição

    Fábio passos, na sua ordem cronológica você esqueceu o número 0: brasileiros indignados com o que é ensinado para seus filhos divulgam na internet uma crítica a doutrinação ideológica do COC. E o número 1: o COC sentindo que poderia ser prejudicado comercialmente processa-os afim de impedir que sua apostila venha ser de conhecimento público. Foi a partir daí que tudo começou e não da Veja. Um material escolar que conjuga o verbo ‘empresário’ merece, sim, ser destruído por qualquer pessoa decente. A Veja fez apenas o que qualquer pessoa com um cérebro faria.

  130. Comentou em 17/02/2008 Fabio Passos

    O caso COC é bem engraçado. Em ordem cronológica: 1- Veja elogia a ‘eficácia acadêmica’ do modelo e cita o COC como exemplo. 2 – Abril anuncia que entra no mercado com seu modelo de ensino. 3 – Veja faz ‘reportagem’ denunciando o COC, outrora exemplo de eficácia acadêmica. Detalhe: A Veja sequer cita que a Abril é concorrente do COC… um barato.

  131. Comentou em 17/02/2008 lucia campi

    Realmente sou inesquecível, tambem como advogada.(rsrsrs) Todavia, a intenção era e é (técnica processual) apontar que o jornalista de serviços não tem caráter ilibado para atacar quem quer que seja. Pois , faz pior, do mesmo pecado que aponta!!!
    Se algum veículo de comunicação está a serviço de algo, ele tambem está e está defendendo pessoas que querem que a educação do país exploda feito bomba H.
    Pensando bem, mas bem mesmo, neste caso, o acusador muito pior do que o acusado. E essa abordagem de que citei um problema regional ( que prejudicava 2 milhões de paulistas) francamente……no comments!!!!Como se o pecado fosse menor ‘porque enganou somente 2 milhões de caipiras’! Usar viseira, dá nisso!

  132. Comentou em 17/02/2008 Thiago Conceição

    ‘Sobram apenas ataques tentando desqualificar o Nassif e politizar o tema. Não cola’ O que não cola? Fatos? A questão dos livros didáticos já estava rolando na internet há tempos, muito antes da Veja noticiar o problema. Um grupo de brasileiros denunciou a doutrinação esquerdista e foi processada pelo COC afim de calar-lhes a boca. O site está aqui: http://www.escolasempartido.org/ . No mínimo ele comeu bola nessa. Criou uma teoria da conspiração que realmente ignora partes do que realmente aconteceu. Acusar a Veja de usar isso por motivos excusos é acusar o mensageiro pela má notícia, pois nem foram eles que surgiram com isso.

  133. Comentou em 17/02/2008 silvio turban

    Rídiculo o sofisma apresentado por várias pessoas aqui que rejeitam a priori alguma denúncia por haver interesses pessoais por trás. Não existe ninguém que não tenha interesse quando faz alguma manifestação. O meu é querer que os fatos sejam esclarecidos. Mas repudiar de antemão alguma denúncia com recurso ad hominem é intelectualmente desonesto. A questão é: Nassif fala ou não a verdade? Dá para se comprovar as suas afirmações? Ser cético não é duvidar de tudo a princípio, mas acreditar somente no que pode ser provado. Igualar os dois lados não me parece justo. Um prega isenção, respeito à divergência de opinião e democracia. O outro acha ‘isentismo’ uma doença, censura a opinião contrária, utiliza a ofensa pessoal como argumento, e não é independente. Quem tenta igualar os dois lados é por que não leu nenhum deles.

  134. Comentou em 17/02/2008 Antonio Barros

    Lúcia Campi deve ser uma advogada inesquecível. Em vez de defender a VEJA no caso COC, cita um caso regional para atacar quem foi atacado pela VEJA e assim provar que a VEJA devia estar certa no outro caso. Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. Se vocês não entenderam, eu também não, pois o objetivo não é chegar a conclusões lógicas, é apenas babar veneno, gritar e chorar para mamar mais. Não é pensamento feito com cérebro, é pensamento feito com o fígado. O sujeito está frustrado na profissão, no amor, nas amizades, nas esperanças de um país decente. De quem é a culpa? Só pode ser de quem manda no mundo, do governo. Então acha um lugarzinho com gente que pensa como ele e onde pode soltar seus rancores. Lá quem não está tão a favor de quem ele está a favor e não está tão contra quem ele está contra, só pode ser inimigo e ter todos os defeitos atribuídos ao inimigo – e só a ele.
    É um caso clássico estudado pela psicopatologia de blogs políticos.

  135. Comentou em 17/02/2008 Antonio Barros

    O mais incrível é que o Nassif em todos os artigos publicados da série contra a VEJA nunca mencionou direta ou indiretamente o Reinaldo Azevedo. Parace que o considerou apenas um mero veículo do Eurípedes, Sabino, Lauro e Mainardi, estes sim as pessoas importantes na VEJA.
    O Reinaldo Azevedo está calado esta semana mas prometeu um tsunami. Ele também nunca mencionou o nome do Nassif, apenas o mencionava que uma ratazana de sauna e mascate andava propagando calúnias.
    Acho que é insensato colocar os dois no mesmo saco. Pelo menos, as diferenças de estilo são marcantes. Sem contar que o Reinaldo Azevedo é claramente pago pela Abril enquanto o Nassif é um franco-atirador apenas hospedado no iG.
    Como já disseram, duvido que qualquer jornalista empregado em qualquer grande veículo da imprensa ou blogueiro pago pelo hspedeiro tenha a coragem de criticar tão duramente outra empresa, a não ser seguindo ordens do patrão. Somente um blogueiro sem vínculos pode ser livre para atirar em quem quiser.

  136. Comentou em 17/02/2008 Fábio José de Mello

    Esquivel, posso ser ingênuo. Mas, não sou imbecil. E essa história de ‘leitores petistas’ é risível. Para dizer o mínimo. E depois você ainda vem criticar uma suposta ‘polarização’. Porém, suponhamos que exista mesmo essa catchiguria, a de ‘leitores petistas’. Existem ‘leitores demos’? ‘Leitores tucanos’? ‘Leitores pepessistas’? ‘Leitores peemedebistas’?

  137. Comentou em 17/02/2008 Fabio Passos

    Eu acho tudo isso muito legal. Mas o silêncio da grande mídia e do próprio OI não poderão durar para sempre… Por que não há absolutamente ninguém defendendo a Veja com argumentos contradizendo a reportagem? Sobram apenas ataques tentando desqualificar o Nassif e politizar o tema. Não cola. As evidências de que Eurípedes Alcântara, mainardi e outros fizeram da Veja um mero esquema de divulgação dos interesses de Daniel Dantas saiu das próprias páginas da revista. Basta ler a reportagem. É impressionante. Outro que contou com ‘notícias’ favoráveis foi o publicitário Eduardo Fischer… a sequência de notas enaltecendo o sujeito no radar é tão clara que é de morrer de rir. O OI precisa analisar o conteúdo da reportagem.

  138. Comentou em 17/02/2008 Russo Salvatore

    Desconfio que alguns colunistas do OI tem rabo preso com a VEJA. O que é que vocês acham?

    Nota do OI: Com a devida licença de Carlos Castilho, devo dizer ao prezado leitor que o delírio é livre. (Luiz Egypto)

  139. Comentou em 17/02/2008 lucia campi

    Em tempo! Quero dar os parabens ao Castilho pela isenção na colocação de tudo!
    Perfeito.

  140. Comentou em 17/02/2008 Maria Luiza Teixeira

    Tái a comprovação do que fazem os para-jornalistas da grande imprensa.
    Para contrapor a utilização deles por Dantas, apresentam Ronan Maria Pinto…rs…
    É muita tapioca! Mesmo que houvesse algum interesse de Nassif com ele.
    Nada demais, quando aparece a tapioca dos cartões corporativos para abafar a CPI das ONGs. e porquê? Porque além de terem sido incentivadas pelos neocons (estado mínimo) são as maiores beneficiárias e malversadoras do dinheiro recebido do Estado (sic) justamente as ONGs dos danadinhos que dominam os jornalões… Durma-se! Não cansam de achar que todo mundo é manipulável? Estamos em outra era, esse jogo fica cada vez mais difícil de colar. Precisam de muita verborragia enganadora pra tentar passar… nem assim. Acordem jornalistas! Acordem entidades profissionais! Estão todos sendo jogados no mesmo saco de infâmia. Para isso, nem precisa diploma e/ou experiência profissional. Charlatanismo, puro e simples.

  141. Comentou em 17/02/2008 lucia campi

    Bem, voces já sabem que o chain zaher é o dono do coc.
    Bom, então, ludibriando meio mundo, um grupo de mais de quatro pessoas fizeram um contrato/parceria com o coc-tv thathi de Ribeirão Preto.E, a partir de julho de 2006, 66 cidades da região de Ribeirão Preto-dois milhões de pessoas, perderam a programação da TV Cultura e foi impingindo à essas milhares de pessoas, quatro programas de colunismo social de ricos de Ribeirão Preto, programas de charlatanismo explícito, sendo 100% da programação com merchandising de empresas da região. Acabaram-se programas como Universisade da Madrugada, Café Filisófico, debates, permancendo somente a programação da tv thathi. A programação era laudatória ao grupo coc-tv thathi, para angariar alunos ($$$) . Querm tem Tv paga, via a tv Cultura original de SP. Às professoras primárias, às pessoas de menor poder aquisitivo foi imposto goela abaixo, programação do lixo do lixo! A prova ?
    Acessar: http://www.neuzabighetti.com.br, para ver qual a programação que chain zaher colocou na tv cultura para todo o norte de são Paulo.
    Foi graças ao Secretário João Sayad que essa pouca vergonha acabou. Arremate: QUE COMPROMISSO TEM O CHAIN ZAHER ($$$) COM A EDUCAÇÃO DO PAÍS? NA HIPOTESE DA ABRIL PUXAR A BRASA PARA SUA SARDINHA ESTARIA LIVRANDO O POVO DESSE TIPO DE MALFEITOR QUE SÓ VÊ $$$$! E o moço, ‘vocessabemquem’, vem defender isso!!

  142. Comentou em 17/02/2008 douglas j.

    A Lucio e o Arno fizeram um contraponto importante aqui. Parabens aos dois pelo bom
    senso, pois enquanto a maioria está engajada numa cruzada moral, ambos lembraram
    que por trás de uma verdade pode haver uma grande mentira. Isso é o exercício do
    ceticismo, do cuidado ao julgar apressadamente. Concordo tambem com o Castilho
    quando ele iguala os blogs, pois há motivos claros para isso, pois são todos patrocinados
    por alguem ou algum interesse. O jornalista de serviços, como se proclama, diz que não
    tem. Me dou o direito de ser cético. Há o seu interesse pessoal, sem duvida, e pode
    haver outros. Pode haver, não sabemos. Isso é um ponto, outro são as suas acusações
    contra a revista que o jornalista insiste que sejam analisadas longe dos seus interesses
    na acusação. Desculpe, mas não dá. Tudo faz parte de um pacote. Como não
    conhecemos todos os dados por trás desse briga, fica muito difícil tomar uma posicão
    clara neste momento. E isso foi o que o Castilho sabiamente fez. Se isso deixa o jornalista
    de espada em riste indignado, paciencia. Tambem fiquei indignado quando ele chamou
    um empresario que deixou milhares de familias sem seus imoveis de gênio.

  143. Comentou em 17/02/2008 Thiago Conceição

    Que isenção pode haver em pessoas como o PHA que recebem dinheiro para defender o governo? Do Nassif não li quase nada, mas as suas conjeturas sobre livros didáticos foram de doer pela sua pouca substância. O movimento contra o COC surgiu do povo brasileiro (veja o site do ‘escola sem partido’)! Pessoas comuns que tinham seus filhos matriculados naquela escola viram o conteúdo da apostila e ficaram horrorizados, depois lançaram na internet o problema. A Veja só publicou o que já era sabido na internet há tempos. Não há como haver interesses por trás disso porque não foi invenção dela. Deixei um comentário naquele texto dizendo que ele não apenas criticasse o jornalismo dos outros, mas também o praticasse, porque ignorar esse fato poderia ser considerado ou incompetência ou má fé.

  144. Comentou em 17/02/2008 Sérgio Moura

    Vejam só, Luis Nassif falando de manipulação de massas….. Com isso eu me pergunto sobre a manipulação descarada que este sujeito e seu companheiro (comparsa) de luta PHA vêm realizando da votação do Prêmio Ibest? Blog do Luis Nassif, do Mino, do Alon, do ZÉ DIRCEU na frente do Blog do Noblat?? Do Blog do Josias de Souza??? Quem conhece a blogosfera a tempo suficiente enxerga quão grotesca essa piada se tornou.

  145. Comentou em 17/02/2008 beatrice vargas

    HA ha ha ha ha ….Olha moço: pode chiar à vontade…… mas voce fez sim uma biografia de Ronam Maria Pinto, que está envolvido nos acontecimentos esquisitos em Santo André! Fez ou não fez?
    Porque voce faria uma biografia do Ronam, você, ‘tão honesto que é’, de uma pessoa envolvida até os dentes com tudo aquilo?
    Ou foi por admiração- o que seria um fim muito pior…ou foi a soldo!

    Olha aí a prova, CÓPIA DA DENÚNCIA!!!
    EXCELENTÍSSIMA SENHORA JUÍZA DE DIREITO DA SEGUNDA VARA CRIMINAL DA COMARCA DE SANTO ANDRÉ

    Autos da notícia crime nº 1.056/03.

    Os Promotores de Justiça infra-assinados, no uso das atribuições que lhes são conferidas em lei e em razão das apurações realizadas no expediente anexo, oriundo do protocolado nº 72.507/00, desarquivado na Instância Superior do Ministério Público (fls. 105/107) e apuração policial civil complementar (fls. 976/978) vêm perante Vossa Excelência para propor, mediante denúncia, ação penal pública incondicionada em face de KLINGER LUIZ DE OLIVEIRA SOUZA, RONAN MARIA PINTO e HUMBERTO TARCISIO DE CASTRO, qualificados, respectivamente, a fls. 134, 127, 141 e 147, pelos seguintes fatos criminosos, e como incursos nos dispositivos legais a seguir indicados:’
    E POR AÍ VAI……

  146. Comentou em 17/02/2008 Eduardo Panda

    Perfeito, Nassif. Qual é a do Castilho? Infeliz o artigo. Mas, peraí! Quer dizer que as acusações contra a Veja ficam provadas pelas suas próprias páginas e não valem nada porque um jornalista jamais se prestaria a uma cruzada dessas, se não tivesse interesses escusos por trás? Realmente é o tom do artigo ora em comento: tudo num mesmo balaio. E as acusações, cadê os contra-argumentos? Não é suspeito que a estratégia seja a de calar o Nassif?

  147. Comentou em 17/02/2008 marcio B. Martins

    A FUNDAÇÃO FORD está incomodada com o desnudamento da Editrora Abril e da Revista Veja, a sucursal dos EUA no Brasil?

    E você Castilho, tá levando quanto$ nesta guerra? Comparar pistoleiros patroinados por uma megacorporação com dois jornalistas assalariados, passa dos limites.

    Se vier falar do IG, a logo está ai em cima. Eles patrocinam você Castilho para detonar o Nassif?

  148. Comentou em 17/02/2008 Maria Luiza Teixeira

    Parece que no artigo as coisas estão um tanto invertidas.
    Sempre foi um tarefa árdua perceber na grande imprensa o que é fato e o que é opinião (sem contar o que é fraude pura e simples).
    Um mesmo ‘fato’ sempre foi divulgado de maneira conveniente, ao interesses de alguns,e raramente informativa e/ou investigativa pelos nossos jornalões. E não é de hoje. E não é nesse governo, ainda que maximizado nesse.
    Sem contar a óbvia escolha dos tais ‘fatos’ que terão o privilégio de ser notícia, conforme o desejo de passar um determinado clima negativo ou positivo.
    A imprensa trata seus leitores como perfeitos imbecís, incentiva a prevalência de opiniões sem qualquer aprofundamento sobre o fato. Posicionamentos como os de Nassif , entre outros, nos resgatam dessa condição, na medida em que, simplesmente demonstra que não somos todos idiotas. Papel feito no passado pela imprensa alternativa. Mas a grande imprensa reage…rs… cria seus próprios blogs…outra fraude.
    O que falta na grande imprensa são os fatos e abundam opiniões, sem sempre e muitas vezes descoladas dos fatos. Essa é a questão.
    Os os ‘profissionais do jornalismo’ cada vez mais se vêem submetidos aos patrões que obedecem todos a mesma linha anti-jornalística. Ou trabalha para eles ou não trabalha, simples…
    Realmente, falta, e muito, transparência. Além de diversidade de opiniões. Inclusive nesse artigo.

  149. Comentou em 17/02/2008 Marcio B. Martins

    Prezado Castilho

    Quando Diogo Mainardi atacou Alberto Dines e o observatório da imprensa, foi uma briuga de blogueiros? Foi jornalismo da Veja contra Jornalismo do Oi?
    Foi briga da corporação Fundação Ford com a editora Abril?

    Suia opinião foi feita por encomenda da Editora Abril? Nem o REeinaldo Azevedo se atreveria a manifestar uma opinião tão claramente.

    ou a FUNDAÇÃO FORD está patrocinando.

  150. Comentou em 17/02/2008 Arno Esquivel

    Insuspeito Nassif? Você é ingênuo, Fábio? Você acha que tudo isso é uma cruzada moral do Nassif contra o chamado ´jornalismo de esgoto´? Posso estar errado, mas o cara cobrando uma posição de forma tão grotesca do Castilho aqui (que, a rigor, explicitou um contexto maior utilizando a tal disputa como exemplo), fico com a impressão de que o LN esperava uma mobilização da mídia na mesma proporção que o alinhamento automático dos seus leitores petistas contra a revista Veja, algo tão cartesiano quanto o consumo dessa gente por tapioca. Deve ser isso o tal jornalismo de serviços que agradece o apoio irrestrito à claque bufante e esperneia quando uma ´moça´ não bate palmas. Acho muito mais grave (e num contexto mais apropriado do artigo) é a tendência absurda de polarização na mídia atual, que resvala para uma opção fraudulenta de que todos, jornalistas e leitores, têm de se posicionar a favor de uns e de outros (é a tal ´análise jornalística´ que algum fulano das trevas urrou do seu obscurantismo mental: escreva o que queremos ler e não o que não reforça e consolida nossas opiniões pré-estabelecidas). Existe uma terceira via, que é a essência do livre pensar e que não nos leva à condição de meros autômatos alienados, com ou sem o esgoto, de mascates ou de chapeleiros…

  151. Comentou em 17/02/2008 Fábio Missura

    No caso COC, Nassif tem razão! Aquela reportagem foi vergonhosa.

  152. Comentou em 17/02/2008 Fábio José de Mello

    Ao colocar o insuspeito Luis Nassif no mesmo balaio da nefasta dupla reinaldo azevedo e diogo mainardi, o observador comete um grande equívoco. Nassif faz jornalismo; a dupla, não. Eu não vejo como batalha ‘política’. O que está sendo discutido na série de reportagens é o péssimo (des)caminho escolhido pela revista Veja – que já foi, sim, um grande veículo. Nassif deixa claro isso. Tanto que não permite, no blog, comentários político-partidários. Eu também gostaria de saber quais são os interesses econômicos e financeiros por traz da série. Me parece que se trata de uma acusação grave, pois sugere que o Nassif manipula os leitores e é manipulado por empresários inescrupulosos. Até o momento, os artigos mostram por a + b que a manipulação de todos os tipos está do outro lado. Sou mais Nassif e contra charlatões.

  153. Comentou em 17/02/2008 Luis Nassif

    Aliás, os comentários dessa moça são excelente material didático. Mostram claramente a diferença de métodos. A revista ataca um empresário. Denuncio a revista, mostrando detalhadamente a manipulaçao que fez da informação. Aí a revista (através de seus blogs) me ataca com baixarias e me ‘acusa’ de defender o empresário atacado. E ponto. Como se o ato condenável não fosse a manipulação da notícia contra um concorrente, mas a denúncia do ataque. E Castilho colocou essas duas formas de fazer jornalismo no mesmo saco. E diz que a ‘profissionalização’ impede o jornalista de ceder aos interesses de quem lhe garante o salário. Qual é a do Castilho?

  154. Comentou em 17/02/2008 Luis Nassif

    Ivan, certamente o Castilho não tem informações sobre essa história. Bastará ler o capítulo ‘O Caso COC’, na minha série, para poder, ele próprio, avaliar a questão. Lá, conto como a revista Veja elogiou o sistema de ensino do COC, de Ribeirão e, pouquíssimo tempo depois, o denunciou como ‘subversivo’. Mostro que entre uma reportagem e outra a Abril lançou o seu próprio sistema de cursos apostilados, concorrentes do COC. Em meu Blog mostrei que a revista manipulou informações, atribuiu ao COC conteúdo que não era dele. E não aceitou publicar a carta do dono do COC com a retificação. Só depois que o episódio foi denunciado em meu Blog, a Veja voltou atrás. Está tudo documentado. A reação do Blog da Veja foi me ‘acusar’ de defender Chaim Zaher, o dono do COC. Mas, aparentemente, o Castilho não acompanhou esse episódio, nem os meus argumentos e evidências, nem os ataques que sofri pelo fato de fazer jornalismo.

  155. Comentou em 17/02/2008 Ivan Moraes

    ‘Só a defesa que o jornalismo de serviços faz do tal chaim zaher’: mostre no aonde esta essa ‘defesa queo jornalismo de servicos’ faz. A quais documentos voce se refere?

  156. Comentou em 17/02/2008 lucia campi

    Por fim, tive o capricho de ler as tais denúncias, uma a uma. Seria cômico, não fora trágico. Só a defesa que o jornalismo de serviços faz do tal chaim zaher, é de doer. Todavia, preciso confessar: o jonalista de serviços foi a maior decepção que tive em matéria de jornalismo.
    Quando fui pegar o fio da meada é que vi quem é quem. E daí, sim, entendi o que é o ‘soi disant’, verdadeiro jornalismo de serviços.
    Somado com o empregado do bispo, dá náusea em poste!

  157. Comentou em 17/02/2008 Ivan Moraes

    ‘O próprio ‘jornalista de serviços’- epíteto dado por ele próprio, foi quem confirmou a ‘biografia’ laudatória que fez do propritário do jornal’: infelizmente pra voce, ‘jornalismo de servicos’ eh archaismo para o papel que o jornal tinha na formacao da sociedade. Nada a ver com ‘pena de aluguel’, que tinha outro nome -igualmente um archaismo que eu nao me recordo mais.

  158. Comentou em 17/02/2008 Ivan Moraes

    1-‘A história da Veja fala por si!’: e eh por isso, Lucia, que eu tenho certeza absoluta que eu teria escrito a mesma coisa que Nassif escreveu se me tivesse sido dado acesso ao arquivo –nao tenho sombra de duvida. 2-‘Realmente, jamais em outros tempos teríamos tanta voz como temos hoje em dia’: donde se conclui que os ‘formadores de opiniao’ que de fato formavam a opiniao publica hoje so teem empregos pra cristalizarem a maneira de pensamento dos de cima… ‘formam opiniao’ dos patroes! Surpresa mesmo eh que media reflita tao excessivamente bem a opiniao de 6 ou 8 pessoas e o governo nao processou ninguem grande, so da piabinha na rede judiciaria. 3-‘Boechat Tanure O Globo’… sou demasiadamente fiel, Odracir: deu 13 links no OI e nao vou ler os outros por mais detalhados que sejam, nao preciso. O OI ja tinha ‘prescientes’ anos atraz. Obrigado pela dica.

  159. Comentou em 17/02/2008 lucia campi

    Enganam-se todos. O próprio ‘jornalista de serviços’- epíteto dado por ele próprio, foi quem confirmou a ‘biografia’ laudatória que fez do propritário do jornal ! Ora,convenhamos! Quem de nós faria uma biografia laudatória do proprietário daquele jornal, com o passado que o moço tem, se não estivesse sendo a soldo? Essa visão primária do jornalismo engajado é que preocupa, muito mais quando uns saem em defesa dos outros , formando o castelo da escuridão!

  160. Comentou em 17/02/2008 MTSHOME MTSHOME

    É POR ISSO QUE A VENDAGEM DA VEJA CAIU ANO PASSADO E VAI CONTINUAR CAINDO ESTE ANO.

  161. Comentou em 17/02/2008 Lair Martes

    Agora, voltando ao assunto. Realmente, jamais em outros tempos teríamos tanta voz como temos hoje em dia. Tantas matérias tendenciosas foram colocadas na grande mídia (por exemplo a filha ilegítima do Lula nas eleições de 1989 e outras tantas) e nunca tiveram o contraditório publicado nem que fosse em notinhas de rodapé dos jornalões. Agora é possível publicar suas opiniões e, se for o caso, desmascarar certos personagens ou fazer justiça a inocentes. Acredito que o exemplo de Nassif seja o primeiro de muitos ou ele será sacrificado para servir de exemplo. Olha que coisa fascinante! Esse uso da Internet é tão novo que não dá pra prever o que poderá acontecer. No Brasil, onde não existe a 5a. emenda, pode aparecer uma liminar que tire do ar o site do Nassif ou mesmo da Veja. É imprevisível o que pode acontecer. Outro fenômeno da rede, por exemplo, é o acesso a matérias de TV que não pudemos assistir em casa por algum motivo. Outro dia vi o Roberto Requião dando uma entrevista na Record News PELO SITE (www.mundorecordnews.com). Independente de ele estar certo ou não, pelo menos foi possível ouvir de sua própria boca os seus argumentos. Mas é realmente emocionante acompanhar as histórias onde qualquer coisa pode acontecer e esse é o caso desse fenômeno que Nassif, estando certo ou errado, inaugurou no Brasil (pelo menos em grande escala). Abraços e parabéns ao autor.

  162. Comentou em 17/02/2008 alves de sá

    $u ia escrever que achei superficial, mas 40 de 41 se anteciparam.
    Repito a pergunta de um dos comentaristas:
    Porquê será que ninguém mais acredita no jornalismo brasileiro.

  163. Comentou em 17/02/2008 Luis Mauro

    A advogado Lucia Campi repete uma injúria lançada no Blog da Veja. O Nassif já explicou que tem uma publicada em uma rede de jornais de São Paulo, um dos quais é o Diário do Grande ABC. Agora essa moça o acusa de colocar a pena a soldo, e de trabalhar para pessoas envolvidas em assassinato. O absurdo da história é que esse tipo de difamação é corriqueira nos blogs da Veja, mas Castilho não parece ter a menor noção sobre isso. Como pretender ser um analista de novas tecnologias e escrever sobre blogs, sem lê-los? E porque esse receio absurdo de analisar o jornalismo de Veja? Ele afirma o seguinte: “O conceito de profissionalização foi a grande ferramenta dos jornalistas para lograr uma razoável autonomia das redações em relação aos interesses patronais. Hoje, porém, a inovação tecnológica está provocando uma nova reviravolta no ambiente jornalístico”.
    Como assim? Que jornalista assalariado da grande imprensa teria a liberdade que Nassif teve para criticar a maior revista do pais? Qual colunista da Veja, Globo, Folha que escreve uma linha que seja contra os interesses dos empregadores?

  164. Comentou em 17/02/2008 Lair Martes

    Gente… desculpe… mas pedir para o colunista tomar partido de A ou B é não entender a proposta do artigo e o colunista. A coluna Código Aberto trata dos impactos da tecnologia da Internet nas nossas vidas e o Sr. Carlos Castilho foi, novamente, brilhante nesse objetivo. Ele não está falando da disputa entre Nassif e Veja. Ele está usando o caso como EXEMPLO de como a Internet pôde melhorar o discurso de idéias e, por consequência, a democracia. Ele inclusive fala que esse é um fenômeno que ocorre há muito tempo (em termos da Internet) nos EUA. Desculpem, mas criticar o artigo porque ele não é a favor ou contra sujeito A ou B é não entender a proposta dos artigos do Código Aberto.

  165. Comentou em 17/02/2008 wilian jorge Oliveira

    Não vejo tanto por esse lado político, é muito mais uma questão de uma luta contra o péssimo jornalismo. A queda na qualidade da revista Veja é preocupante e merece a atenção de todos nós. Os blogs são veiculos de opinião e refletem a posição de seus autores, já as grandes organizações jornalisticas tem um compromisso muito maior com a sociedade, e parece que esqueceram-se disso.

  166. Comentou em 17/02/2008 lucia campi

    Francamente, essa batalha é a batalha do jornalismo de serviços, inventado por nassif e lapidado por paulo henrique amorim.
    É evidente que não gostam da Veja as mesmas pessoas que são acariciadas escabrosamente por estes dois pseudo jornalistas, ambos chapa branca, que têm a pena a soldo.
    A história da Veja fala por si! A desses jornalistas de aluguel tambem.
    A sorte é que estão ambos em carreira claramente descendente e , justamente, porque trocam de opinião, de acordo com o soldo!

    Vejam para quem trabalham e já se tem a conclusão: Um trabalha e enaltece pessoa envolvida nos mistérios do caso do prefeito assassinado. O outro, trabalha par o famoso bispo que troca tudo por dinheiro. Assim, usam a tática de ‘ acuse os outros daquilo que voce pratica’- velha máxima do comunismo, quando comia criancinha, literalmente!!!

  167. Comentou em 17/02/2008 Gustavo Santos

    Meu Deus! a missão do Observatório da Imprensa é se posicionar em situações como esta. Qual é a posição do observatório da Imprensa?

  168. Comentou em 17/02/2008 Odracir Silva

    Caro Ivan. O caso do Boechat ocorreu qdo ele era colunista do O Globo. Ele fez umas colunas onde a fonte era o Nelson Tanure, em mais uma batalha de noticias contra o Daniel Dantas. Eu acho q nao houve nada de ilicito, e nao sei se foi etico ou anti-etico. Porem, soo mostra q a nocao de isencao e independencia no jornalismo fica meio obscura. Nao ee uma coisa certa, tipo branco ou preto (there are a lot of shades of grey…). Daa uma procurada em ‘Boechat, Tanure, O Globo’, e vc vera o q aparece. Tem varios jornalistas q escreveram q o Boechat fez nao foi nada de mais (inclusive o caro Nassif), mas q talvez surpreenda para um leitor q nao pertence ao meio. Mostra como haa uma certa simbiose entre o jornalista e a fonte.

  169. Comentou em 17/02/2008 Jedeão Carneiro

    A Veja é transparente qual um tubo de vidro. Nele é impossível não perceber o estrume que escorre pelo esgoto.

  170. Comentou em 17/02/2008 Ivan Moraes

    Alias, Odracir, acusacao de espionagem contra a combo Veja/Dantas nao eh novidade alguma. Pesquizei ‘boechat veja’ no google -pois nunca ouvi falar nele- e o primeirissimo link eh do proprio OI: Weis expondo lavagem podre (sem data)…

    http://observatorio.ultimosegundo.ig.com.br/artigos/iq040720011.htm

    Aonde vemos mais uma vez que reclamar agora de **falta** de cobertura dos fatos pelo OI eh contrafactual.

  171. Comentou em 16/02/2008 Antonio Cesar Souza

    Inacreditável sua análise sobre o episódio. Colocar na mesma panela PHA e Nassif e RA e DM é forçar demais a barra.
    O PHA realmente tomou para si a função de anti-PSDB e anti-DEMO roxo, mas a diferença entre ele e os outros é que ele deixa claro isto no seu blog (Veja o link ‘não coma gato por lebre’ que ele coloca claramente em todos os comentários de opinião que faz, justamente para traçar a diferença entre jornalismo e opinião). É tão explícito que chega a ser uma mistura de ironia fina com deboche, deboche justamente destes dois que vc compara com ele.
    Quanto ao Nassif, chega a ser piada a comparação. Nesta briga, o que ele faz é justamente denunciar os métodos de ‘jornalismo’ da Veja. Não vi a defesa de qualquer empresa nos posts publicados.

  172. Comentou em 16/02/2008 Ivan Moraes

    ‘acredito q haa interesses por tras de seu blog’ e ‘lembrem-se do Boechat’: Odracir, alguns de nos nao teem a menor ideia do que isso significa! Se tem ‘interesses’ por traz de Nassif, que eles sejam tirados de traz dele agora porque se nao muito me engano, essa acusacao tambem vai ser feita e vai aparecer em pouco tempo na justica, aonde sera provada ou nao, portanto eh outro aspecto do ‘suporte’ que a Abril espera conseguir. Mas nao se briga com cronologia documentada, que eh o que ele tem aas maos, e o que foi evitado: os fatos sao validos juridicamente, como a propria documentacao como-aparece-na-Veja eh valida juridicamente como prova dentro de uma corte, e todos os 5 processos, ate agora, ficam loooonge deles. Nao que so a Veja esteja fazendo o que fez, longe disso: ainda estou implorando a todos que teem acesso aa documentacao da media, qualquer media, para identificarem os jornais e os jornalistas que ajudaram a destruir a Vale, seu trabalho, e seu valor financeiro ate a fracao de segundo que foi vendida. Nao, nao vou desistir, alguem tem que saber o que aconteceu e porque ninguem entendeu nadinha enquanto estava acontecendo. Ja com o campo Tupi, nao restam duvidas, e todo mundo ja sabe que se depender do sistema brasileiro, vai vendido integralmente, com direitos de extracao eternos… e baratinho.

  173. Comentou em 16/02/2008 Odracir Silva

    Nao entendo muito bem pq o pessoal fica a cobrar uma posicao do caro Castilho. E o engracado q maioria q cobra sao jornalistas. Acho q ee devido ao fato de se ter uma aspiracao a ser independente e isento. Talvez isto nao ajude em nada ao blogueiro, porem concordo c/ o blogueiro, q o senso de isencao e independencia perde a importancia, e q a tranparencia deve se sobressair. Espero q o Nassif saia vencedor nesta batalha juridica, pois nao se deve calar um individuo por expressar as suas opinioes. Porem acredito q haa interesses por tras de seu blog q o suporte. Nao acredito q ele seja um ser quixotesco.., Para os q acreditam na isencao e indepencia, lembrem-se do Boechat.

  174. Comentou em 16/02/2008 marcio B. Martins

    Chega a ser covarde comparar dois lutadores solitários (os únicos nos chamados grandes portais), assalariados, contra dois pistoleiros contratados pela maior revista da maior editora do Brasil.

    Só pode ser coisa da FUNDAÇÃO FOR. Ah, esqueci, fazer uma acusação dessas, neste caso, é coisa de esquerdista, etc. não?

  175. Comentou em 16/02/2008 Marcos Bardes

    Carlos, você coloca Diogo Mainardi e Reinaldo Azevedo no mesmo nível de Luis Nassif e Paulo Henrique Amorim.
    Isso desqualifica sua classe de Jornalistas.
    E o aproxima mais dos dois primeiros…
    Seria essa sua intenção?
    Leio jornais e revistas à procura dos fatos e não das opiniões. O Nassif bate exatamente nesse ponto, que a Veja contamina, deturpa ou inventa os fatos, e nos fornece apenas a sua opinião, engajada, reacionária e de interesses ocultos.
    Sei que é difícil separar os fatos das opiniões, mas é aí que se mostram os verdadeiros profissionais do jornalismo.
    O Nassif neste momento está atrás dos fatos.
    Um abraço
    Marcos

  176. Comentou em 16/02/2008 Wandhklêyson da Silca

    Acompanho os envolvidos há muito tempo. De um lado, li posts com analises (talvez corretas, ou não) e comentários de leitores com várias opiniões, mas sempre com linguajar educado. Do outro lado, li posts que mais parecem incitações ao linchamento e comentários de leitores que só aplaudem ou pedem sangue, sempre com um linguajar eivado de palavrões e alusões grosseiras.
    Atualmente, o lado da grosseria está calado e não comenta o assunto, mas os posts e comentários antigos podem ser obtidos no histórico.
    Quem quiser que consulte o histórico dos dois lados.
    Independentemente daquele que tem razão, acho que, no mínimo, deve-se manter um debate sem os insultos que me lembram as brigas de moleques de rua.
    Portanto, achei seu post muito parcial ao igualar o comportamento dos dois lados. Ou então você não consultou as fontes primárias, isto é, os blogs envolvidos.

  177. Comentou em 16/02/2008 Luiz Mauroi

    Castilho,continuamos aguardando uma análise jornalística de sua parte, É inconcebível que um site de análise de mídia, como o OI, se contente com essas generalidades de um de seus principais blogueiros. Você deve uma análise sóbria, técnica e competente aos seus leitores. A série é ampla, exige análise jornalística, conhecimento das complexidades dessas disputas comerciais. E você limitou-se a distribuir suspeitas e generalidades. É vergonhoso, partindo de um site como o OI. Quando fala em Imprensa Marrom, a quem você está se referindo? Qual o sentido dessa baboseira: ‘a contextualização das informações revela a complexidade de fenômenos e processos em curso.’ O que você quis dizer com tudo isso? Se não estava apto a fazer a crítica, não deveria ter tentado.

  178. Comentou em 16/02/2008 Leandro Fortes

    Ótimo artigo, do ponto de vista da análise dos conflitos entre blogs, mas absolutamente desvirtuado do foco da discussão. A briga de Nassif não é com a Veja, mas com o tipo de jornalismo (?) que foi imposto a ela nos últimos tempos. É a luta de um jornalista contra o aviltamento da profissão e do ofício. É, portanto, muito mais do que uma polêmica extraída das entranhas do setor de telecomunicações. Grande abraço.

  179. Comentou em 16/02/2008 Ivan Moraes

    AH, mas o que esta todo mundo esquecendo de dizer eh que o proprio OI publicou um estudo a respeito da espionagem brasileira no jornalismo -consequentemente na politica. Ver ‘Biblioteca’ no tab ‘Servicos’ acima. Nao vi superficialidade nenhuma no item, pelo menos no meu ponto de vista eh uma guerra na blogosfera. Na vida real, eh um caso judiciario e eu nao confio no judiciario brasileiro nem com alho e sal e bem torradinho. A intencao de calar Nassif e de arruinar lo financeiramente pode ser vista da lua… mas quando foi que o judiciario brasileiro escreveu historia ultimamente? De la so sai antihistoria! Vem ai mais vomito…

  180. Comentou em 16/02/2008 Eduardo Panda

    Caro Carlos. Parece que as pessoas ficaram um pouco decepcionadas sobre o artigo, já que não houve um posicionamento quanto ao imbroglio Nassif x Veja. Entretanto, pra discorrer sobre diluição de fronteiras entre jornalismo e ativismo, isenção e independência, transparência, etc., na minha modesta opinião, usando como gancho o título, teria que haver sim um posicionamento. No final você fala da importância crescente da transparência em face do emaranhado de denúncias publicadas. Mas não disse especificamente se o Nassif era ou não transparente. Sim porque as denúncias vieram dele. Na verdade o artigo tá pecando pela falta de transparência.

  181. Comentou em 16/02/2008 Arno Esquivel

    Castilho, só não concordo em falar em transparência na blogosfera ou na mídia (quem acredita nisso?). Neste caso, é na justiça e ponto final, senão as acusações ou seriam levianas ou não implicariam em quaisquer mudanças estruturais da revista. Assim, a realidade é simples. LN faz graves denúncias contra a Veja; Veja vai à justiça para se contrapor às denúncias de LN. LN faz graves denúncias contra jornalistas da Veja; os jornalistas da Veja vão à justiça se defender das denúncias de LN. LN faz um série de denúncias distintas (senão não seria uma série as suas denúncias); portanto, vai responder, como parece ser, a uma série de processos distintos. LN vai apresentar as suas provas e Veja as suas contra-provas e a Justiça (e não os blogueiros do LN, RA ou OI) vai definir a culpabilidade ou não das partes envolvidas. A favor de LN, está o fato de que ele não entraria com tal rol de denúncias se não tivesse muito bem assessorado documental e juridicamente. Simples, assim; direto, assim; o resto é proselitismo ideológico, devaneios de claques ou expressão legítima do livre pensar… Acho que V. colocou as coisas numa pauta correta. Mas como tem nariz pra tudo, cada um cheire o esgoto que lhe convém; a desgraça é o patrulhamento covarde e presunçoso de querer sempre impor o olfato torpe de se cheirar o esgoto com o nariz alheio…

  182. Comentou em 16/02/2008 Guilherme Spec

    Caros colegas,

    Voces ainda não entenderam? O Mainardi quer ser o grande sucessor do Paulo Francis. O problema é que ele se leva muito à serio. Onde sobrava cultura e fineza em Paulo Francis, nos textos do Mainardi sobram péssimos textos e ataques gratuitos. Não sou contra, afinal ele é pago para isso. è um cronista (por sinal coisa que o Paulo Francis odiava ser chamado). Vejam a trajetoria do Mainardi, ele simplesmente estava sumido nos confins da Italia e começou a coluna alguns anos atrás e conseguiu certa notoriedade. O cara é fake demais, percebesse que ele não é tudo aquilo que aparenta, é so um personagem. Ele tem tentado dar uns toques de humanidade aqui e acolá ao tratar da história de seu filho. Mas é apenas mais um cronista tentando sobreviver.

  183. Comentou em 16/02/2008 Claudio Silveira

    Prezado Carlos,
    Li o teu artigo e fiquei pensando, de onde tiraste estas conclusões. Talvez eu tenha lido outra série escrita por Nassif. Eu tenho os 11 capítulos e mais comentários e explicações colaterais, tanto do Nassif como de outros jornalistas. Entre os comentários colaterais, está aquele em que o Nassif marca posição diferente do Paulo Henrique Amorim. Diga-se de passagem, pareceu-me muito rude e grosseira a atitude do Nassif naqule texto. Não gostei.

  184. Comentou em 16/02/2008 marcio B. Martins

    Toda vez que um articulista ndo Oi faz uma análise com esta que acabo de ler, a Editora Abril se regojiza. Parece que foi feito por encomenda, usando a credibilidade do autor para fazer supor que as graves denúncias de Nassif são apenas briguinhas de blog.
    Certas vezes me envergonho des OI. Se ele existe para observar a imprensa, já significa que a impresa tem distorções diversas. No caso de Veja, essas distorções são gigantescas,

    E se esse oi insistir neste nassunto de briga corporativa de blogueiros, só posso intuit que é pela interferência da FUNDAÇÃO FORD.

    Agora vão dizer que, no caso de vocês, não tem nada a ver uma acusação dessas?

  185. Comentou em 16/02/2008 boto ssa

    a blogsfera chegou para democratizar o acesso à informação. escrevi esse texto no blog do azenha: ‘o papel dos blogs é informar, e essa informação pode ser de boa ou má qualidade. cada um deve ter espírito crítico e filtrar a informação que recebe. quanto mais se tem acesso à informação, mais se consegue diferenciar fatos de opiniões. atualmente, o leitor do blog não se limita a ler um só site. ele lê inúmeros, e opina em muitos, interagindo, discutindo. diversos leitores fazem pesquisas e enriquecem o conteúdo dos blogs. formou-se, na blogsfera, uma wikimprensa. esse é o grande medo dos jornalões (e o grande motivo dos ataques). dizem eles: ‘na internet, vc não conhece a fonte da informação, como confiar, então?’. isso é falso. quando uma informação falsa é publicada, imediatamente um blog do outro lado vai e desmente. é essa dinâmica que confere credibilidade aos blogs. e ainda que não fosse, é de se perguntar: e nos jornalões? vc conhece as fontes? e os interesses (sejam eles inconfessáveis ou não)? na internet, vc visita diversas fontes; nos jornalões e revistas, raramente se adquire mais de um veículo (o que é outro problema). o leitor exclusivo de ‘o globo’ está bem informado? e o da ‘carta capital’? quem só lê uma pensa que lula é o diabo, quem só lê o outro pensa que daniel dantas é o cão.’

  186. Comentou em 16/02/2008 Patrícia Valiño

    Luis Nassif, Paulo Henrique Amorim, Diogo Mainardi e Reinaldo Azevedo travam a primeira grande batalha da blogosfera brasileira para ver quem convence mais, quem tem razão, quem é o grande mestre do universo que sabe quais rumos o Brasil deveria tomar. Enquanto isso no mundo real… Interneteiros ‘Povão’ que não se interessam por política estão usando seu tempo online para publicar fotos de si mesmos pelados no Orkut e para votar no BBB, sem tomar a menor ciência do embate do século. Pessoas sem acesso a um computador ou que não sabem como usá-lo (a inegável maioria avassaladora do Brasil, contrastando com a realidade americana) também não tem idéia de que esses 4 senhores andam discutindo entre si. Meu ponto aqui é que essa briga toda só é ‘grande’ entre um número pequeno de pessoas. E a própria Veja hoje também só exerce ‘grande influência’ sobre uma meia dúzia que a lê em consultórios de dentistas. Nessa briga toda prefiro apoiar o Nassif, por concordar que uma revista não poderia ser coordenada por um megalomaníaco como o Mainardi (vi ele falar no Jô sobre o livro dele ‘Lula é minha Anta’ e acho que nunca vi ninguém mais egocêntrico!), mas o fato é que pra mim essa luta do século tá mais pra briguinha de moleque de escola disputando pra ver quem faz xixi mais longe.

  187. Comentou em 16/02/2008 Paulo Daher

    A diferença entre o jornalismo brasileiro e o europeu saltou-me à vista quando regressei ao Brasil em final de 2005.
    Uma revista que sempre havía lido me parecia irreconhecível.
    O jornalismo de Veja degradou-se muito, assustei quando lí pela primeira vez a coluna do tal Mainardi, explorando a ignorância e as emoções para estigmatizar tudo que o governo faz.
    Não sou eleitor do PT nem nunca votei nesse partido, tenho em memória os feitos do Montoro e do Covas como exempos de homens públicos.
    Mas usar o linguajar, apelar para a falta de memória dos leitores para fazer matérias sujas, me pareceu forçar as análises rasas e empurrar o país para a polarização entre ricos e pobres, que não atende aos interesses do nosso Brasil.
    O que o Nassif está fazendo é lutar pela decência do jornalismo.
    Vocês do Observatório têm o dever de ajudar a limpar essa lama toda e fazer uma análise mais explicita.
    Ou estão com medo do revistão??

  188. Comentou em 16/02/2008 Carlos Alberto Fabiano

    Lamentavelmente neste pais a liberdade de imprensa foi e continua uma ficção, onde os jornalões e cadieas de TV só expresam e difundem las ideias ‘dos que mandam’. A única liberdade que existe é a de empressa onde só o poder do dinheiro, faz que os poderosos possam expressar as suas ideias. É altamente auspicioso a aparicião da internet e com ela os diferentes blogs de opinião, conseguindo que as diferentes opiniões apareçam e permitindo a livre exposição de ideias. Logicamente isso molesta aos cardenais de jornalismo, que perderam o poder da censura, já que uma opinião diferente que não possa aparecer na carta dos leitores agora apareçe nos Blogs. Este movimento é incipiente mas auspicioso e faz que a participação aumente e que muitos jornalistas que hoje se declaram isentos sejam obrigados a ‘sair do armario’ No affaire Lui Nassif-Veja, fico realmente feliz de ver que existem jornalistas que tem capacidade e coragem de enfrentar e denunciar ‘aos que até hoje pensavam que pederiam formar opinião enganado e mentindo impunemente.

  189. Comentou em 16/02/2008 José Orair da Silva Silva

    O experiente repórter caminhou em cima do muro com grande destreza… O ‘OI’ continua nos devendo um artigo sobre a procedência ou não das acusações do Jornalista Luís Nassif sobre as práticas da revista semanal mais vendida no país. Ou será que o ‘OI’ desistiu definitivamente de observar a imprensa?

  190. Comentou em 16/02/2008 Luis Nassif

    Prezado Castilho,
    solicito acompanhar mais de perto essa disputa, para não entrar na avaliação ligeira de Cora Ronái e outros, que pretendem reduzir a questão a uma disputa de blogueiros. A primeira manifestação minha, com o primeiro capítulo da série, foi deixar bem claro que nada tenho a ver com a cruzada de Paulo Henrique. Se ler a série verá que não existe proselitismo político, existe jornalismo. E não existe apoio do iG – saliento bem, não existe apoio do iG – para que se tente caracterizar essa batalha como sendo de disputa corporativa. Existem fatos, análises e jornalismo, fundamentalmente jornalismo. Minha série procura mostrar que, mesmo dentro do campo fluido da Blogosfera, deve-se recorrer exclusivamente às armas do jornalismo. Sugiro que compare mais cuidadosamente o que é escrito nos blogs da Veja com a minha série. Na Veja, há lama, acusações, esgoto – chegam a insinuar até homossexualismo. No meu não existem ofensas, mas fatos e análises. Como sei do cuidado com que você procede às suas análises, em nome de uma guerra desigual em que me meti, solicito apenas o direito de ser lido com mais atenção por você.

  191. Comentou em 16/02/2008 Ivan Moraes

    ‘será que não é possível fazer uma abordagem técnica, simplesmente, das acusações de ambos os lados? quais são os fundamentos, do ponto de vista da boa prática do jornalismo?’: os fundamentos *cronologicos* sao arrazantes: exatamente depois que isso aconteceu, aquilo aconteceu; depois, exatamente aa epoca que isso estava acontecendo, aquilo tambem estava; depois… e assim vai. Nassif iluminou tudo! Ta tudo tao claro!

  192. Comentou em 16/02/2008 Marcos Pimenta

    Carlos
    Sua análise desvia do foco principal. A briga do Luis Nassif é com a Revista Veja (em papel, com um milhão de exemplares semanais). Se não houvesse a internet seria impossível essa discussão. Ele faz uma análise de matérias publicadas na revista, tais como, aquela do dossiê falso que foi publicado com manchete e tudo como se fosse verdadeiro, com direito a entrevista de quem foi o responsável pelo criador do dossiê.
    Estranho que os jornalistas sérios não tenham feito antes nenhuma reportagem sobre o assunto.
    Estranho mais ainda o silêncio total e impassível dos meios de comunicação, televisão, jornais, revistas, rádio, sobre esse assunto.
    Acho que esse silencio monumental tem alguns motivos: 1. os jornalistas ou estão engajados politicamente, ou estão se borrando de medo de perderem o emprego; 2. As empresas de comunicação, são solidárias ao jornalismo (ou mau jornalismo) de Veja, porque estão acostumadas a não dar a mínima para os leitores. 3. A diferença financeira entre Nassif e Veja é tão absurda que ninguém quer se envolver com medo de retaliação (isso sem contar com o verdadeiro canhão de comunicação à disposição de Veja).
    Hoje leio jornais, assisto jornais na televisão, leio revistas, ouço rádio e não acredito em nada. Talvez seja essa uma boa reportagem para voce: por que as pessoas não confiam no jornalismo praticado no Brasil ?
    Um abraço, Marcos

  193. Comentou em 16/02/2008 Ronaldo Goulart

    Prezado carlos,
    Acompanho as suas análises há muito tempo e as considero uma das melhores colunas do Observatório da Imprensa. Porém, neste caso espcífico, penso que sua abordagem foi superficial. Nesse sentido, concordo com alguns dos comentaristas anteriores. Em nome da transparência você evitou entrar no cerne da questão envolvida neste embate. Dessa maneira, não contribuiu para aclarar o debate, pelo contrário, o transformou em algo mais nebuloso. Definitivamente, não é uma boa abordagem para este observatório.

  194. Comentou em 16/02/2008 Fabio Passos

    Neste caso a disputa não é politico-ideológica. É uma série de reportagens, baseada nas próprias páginas da revista, que fazem perceber claramente, como a Veja comercializa seu conteúdo. Fica ainda evidente o uso da difamação, arma utilizada sem escrúpulos pela Veja, como instrumento de chantagem para atrair novos ‘clientes’. ‘Reportagens’ e ‘notícias’ por dinheiro? É impressionante e transparente para quem lê. E saiu das próprias páginas da revista…

  195. Comentou em 16/02/2008 João Barros de Castro

    Convido o colega Carlos Castilho a pesquisar mais sobre o assunto que escreve acima.

    O que está sendo publicado por Luis Nassif, com base em artigos publicados pela própria VEJA, revela um esquema criminoso envolvendo os jornalistas da revista. Não tem cabimento uma colocação partidária ou econômica em uma caso como esses.

    Basta ler com atenção o que o Nassif escreve, e o que o Reinaldo Azevedo e o Diogo Mainardi escrevem, para saber a realidade dos fatos. O colunista de OI não fez isso. Espero que tenha a humildade de fazê-lo agora. Aliás, a VEJA não respondeu ao Nassif exatamente por isso: NÃO TEM UMA RESPOSTA!

  196. Comentou em 16/02/2008 Luciano Prado

    A podridão que exala de Veja só prospera porque no Congresso há os que, de pés juntos, afirmam e alardeiam que aquilo é perfume francês. Alimentam-se da podridão porque ajudam a fabricá-la. Basta observar quem a cita e a enaltece: os mesmos, os de sempre, os fétidos.

  197. Comentou em 16/02/2008 Rogério Ferraz Alencar

    Carlos Castilho, o nome é ODRACIR, e, não,ODACIR, como você escreveu ao agradecer.

  198. Comentou em 16/02/2008 Alberto Santana

    Depois de ficar horrorizado com a reportagem do jornalista Sebastião Nery (Tribuna da Imprensa), que discorre sobre a promíscua relação entre FHC, Ford Foundation (patrocinadora desse blog) e a CIA, observo que a venda da Vale, a perseguição da mídia ao governo Lula e o apadrinhamento do Serra têm tudo a ver. Qualquer explicação é desnecessária…
    Com relação a disputa entre a Veja e o jornalista Luiz Nassif ao que me parece, o fétido furúnculo da Veja vazou e toda a sorte de excrementos foi lançada para fora. O cheiro está insuportável.
    Já pensou no cheiro ainda pior que sairá quando vazarem os intestinos da Veja? É bom nem ficar por perto, pois até mesmo os jacarés e urubus se ausentarão…
    A desastrosa Veja continua implacável. Prossegue a publicação de matérias cada vez mais mentirosas, ganho a forte sensação de que o eminente jornalista tocou o dedo na ferida. O problema transcende o aspecto meramente jornalístico. O buraco é bem mais embaixo.
    Então eu lhe pergunto: E por que o Alcântara, Mainardi, Aith, Reinaldo e outros selas de plantão haveriam de ser melhores do que os Civitas?

  199. Comentou em 16/02/2008 Renato Trindade

    Ao contrário dos colegas achei que a matéria acrescenta muito.

  200. Comentou em 16/02/2008 sandra amalia

    Faltou ao artigo um foco maior sobre esses blogs. Nenhum deles é isento ou
    transparente. Os ligados a Veja, sabemos quem os paga, mas e os outros? PHA esteve
    ligado a uma disputa na justiça onde apareceram algumas das suas ligações financeiras
    com o governo, daí seu rótulo de chapa branca. Em verdade, todo o iG recebe esse
    rótulo pelas sua s ligações com o governo. Apenas o Nassif não assume nem revela seu
    lado empresarial. Acredito que toda essa luta, alimentada pela politica, guarda tambem
    interesses pessoais e profissionais de cada um dos blogueiros. Com cautela, assisto a
    esse embate, sem acreditar no bem contra o mal como tenta colocar um dos lados.

  201. Comentou em 16/02/2008 Gilberto Marotta

    Não gostei da análise. Superficial, não traz nada de novo. O Observatório como um todo continua não fazendo jus ao nome nessa polêmica. Não anda observando nada. Aliás, dos que se pretendem a acompanhar a imprensa (Revista Imprensa, Comunique-se) quem não está fugindo ao seu papel, evitando melindres de ambos os lados? será que não é possível fazer uma abordagem técnica, simplesmente, das acusações de ambos os lados? quais são os fundamentos, do ponto de vista da boa prática do jornalismo? O mau jornalismo de Veja, diagnosticado por Nassif em seus textos, é ou não mau jornalismo? Posicionem-se, jornalistas!!! saiam de cima do muro, da conveniência, vamos jogar a [ ] no ventilador, será catártico! isso vai nos possibilitar ter um jornalismo melhor! apenas o Comunique-se já havia se posicionado sobre um desses episódios, o do caso Maria Rita (I-Pods). Na minha opinião, mas uma aberração de Veja: acusações a torto e a direito, sem provas. Um massacre de reputações, inclusive contra os colegas. E por motivo futilíssimo! Mas e os outros casos? E os dólares do PT em Cuba, a polêmica Che… e quanto ao principal mote do Nassif, o favorecimento à Daniel Dantas? Veja o protege ou não? E Carta Capital, em movimento inverso, o demoniza ou não? quem tem razão? e quais são as verdades, os fatos por trás dessa disputa que foi o epicentro de quase todos os recentes escândalos nacionais?

  202. Comentou em 16/02/2008 rinaldo costa

    Até que enfim a luta saiu da clandestinidade. Por que será que não sai na grande imprensa? Teme-se vir à tona informações como a do governador do Paraná de que ao cortar a verba para publicidade passou a ser atacado a todo momento? Será o medo de sabermos como são feitas as lingüiças das informações, tais como: de que forma se dá a possível fusão da oi e brasiltelecom? Quem ganha e quem perde? Por que o governo de São Paulo vai dar a assinatura da nova escola para os professores? Por que esta e não outra revista? Como se vê essa polêmica pode trazer luz para outras questões de bastante relevância e importância. um abraço

  203. Comentou em 16/02/2008 Fábio de Oliveira Ribeiro

    Só faltou você observar uma coisa. Na rede vigora a regra da horizontalidade em razão da qual quem tem mais dinheiro não necessariamente tem mais poder de fogo. Portanto, na internet a política se torna bem menos dependente do poder econômico. Certamente isto produzirá alguma movimentação nos regimes republicanos e democráticos (sem esquercer que o que chamamos democracia é na verdade um liberalismo oligárquico). Vivemos sob um regime político que é marcado pela tensão entre o poder político da maioria e o avassalador poder econômico de poucos (que muitas vezes controlam o Estado diretamente ou por intermédio dos prepostos que financiaram). PS: Esta semana no Multiply, num debate sobre terrorismo, uma participante acabou fugindo da discusão depois que forneceu informações que considerou por demais reveladoras de sua condição pessoal (http://terrorism.multiply.com/journal/item/170/CIA_Director_Now_Admits_US_Torture._). ‘to much info. adios’ she say… CIA girl?

  204. Comentou em 15/02/2008 Ivan Moraes

    ‘exigência de transparência pode ser o único recurso a disposição do público para acompanhar o debate Nassif/Veja’: voce tinha que contar pra todo mundo?!?! Agora os juizes sabem! Dou uns 2 segundos e meio pro Nassif receber a ordem judicial de parar a serie e tirar la da internet. E mesmo assim, se nada mais existisse, a cronologia dos fatos que ele pesquizou e expoe eh fabulosa.

  205. Comentou em 15/02/2008 Ivan Moraes

    ‘isenção e independência perdem gradualmente a sua importância diante da dificuldade em poder defini-los em termos práticos por causa da crescente complexidade informativa’: eu acabei de notar isso no comentario abaixo: se TODOS os grandes jornais de um pais teem somente blogs antiLula ou de variedades, a coisa ta preta sim.

  206. Comentou em 15/02/2008 Odracir Silva

    Sim caro Castilho. Realmente estava muito dificil nao comentar sobre esta batalha entre estes dois grupos. Tambem acredito q haa muitos interesses por tras destes blogs, e q nao haa 100% de insencao e independencia no jornalimo, principalmente se contarmos individuos. Mesmo no OI, q ee mais isento dos blogs mencionados, haa um certa tendencia. Mas acredito q o q tem q haver ee isencao da midia como um todo, e nao soo um jornalista ou um blog. Uma coisa, acho q o blogueiro da veja ee o Reinaldo Azevedo, e nao Reinaldo Goncalves…

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem