Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

CÓDIGO ABERTO > Desativado

Coisa de

Por Luiz Weis em 02/05/2007 | comentários

Num Primeiro de Maio chapa-esbranquiçada, o presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, deputado pelo PDT de São Paulo, acrescentou o tempero que o reportariado procura desesperadamente para tornar menos tedioso o noticiário sobre um evento cuja pauta é tão previsível como a noite depois do dia.

O sindicalista-deputado, cujo oposicionismo secou desde que Lula deu uma força à sua central sindical, entregando-lhe o Ministério do Trabalho – a CUT ficou com a Previdência – foi assediado pela imprensa para explicar por que trocou a agenda trabalhista pela ambientalista como tema do Dia do Trabalho.

Foi aí que ele disse que já era hora de os sindicatos se preocuparem com o aquecimento global, até por interesse próprio. E emendou: ‘Essa coisa de meio ambiente, vamos falar a verdade, até pouco tempo atrás era coisa de veado. Não era? Era.’

Hoje o Estado deu essa coisa de título: ‘Paulinho associa tema ao homossexualismo’.

Bobagem. Com a sua baixaria , ele apenas terá querido dizer que até há pouco o assunto era sinônimo de frivolidade, que é o que significa em linguagem desbocada a expressão ‘coisa de veado’ -ou ‘coisa de v…’, como preferiu a colunista da Folha Mônica Bergamo, enquanto na matéria do mesmo jornal a palavra aparecia com as demais quatro letras.

Outra colunista, Dora Kramer, do Estado, cobriu o sindicalista de pancada, num texto intitulado ‘A idiotia convicta’, que o chama de tolo, oportunista, anacrônico de alma, patético…

Menos, menos. Falta de assunto de um lado, grosseria de outro dão nisso.

Melhor foi comentar, como fez a deputada Maria do Rosário, do PT gaúcho, citada pela Folha: ‘Paulinho mostra que aprendeu algo com os homossexuais. Falta só aprender a respeitá-los.’

Alguém podia lembrar também que até pouco tempo atrás havia quem achasse que apelido com diminutivo, tipo Paulinho, era coisa de. Paulo que é Paulo se faria chamar Paulão.

***

Os comentários serão selecionados para publicação. Serão desconsideradas as mensagens ofensivas, anônimas, que contenham termos de baixo calão, incitem à violência e aquelas cujos autores não possam ser contatados por terem fornecido e-mails falsos.

Todos os comentários

  1. Comentou em 03/05/2007 Haroldo M. Cunha

    Cesar Junior, Servidor Publico (RIO DE JANEIRO/RJ), uma pergunta: qeum financia o servidor público mesmo?

  2. Comentou em 03/05/2007 fabio lopes

    geniais, voçe e maria do rosário. com elegancia bateram no paulinho sem se misturar à baixaria, incluida ai a hipocrisia de alguns.

  3. Comentou em 02/05/2007 Luis Neubern

    O que pensa um sindicalista-deputado

    O que ficou provado é que ele não pensa.

  4. Comentou em 02/05/2007 Luciano pimentel

    O que Paulinho relata no artigo, é a expressão máxima do sindicalismo chapa branca. Aliás, era o que se esperava da Força Sindical, organização de classe laboral criada por empresários, numa época onde queriam enfraquecer a CUT, outra chapa branca governista. Tudo não passa de jogo de cartas marcadas, já que a Força tem cargo no governo, acabou de receber R$ 250.000.00 do governo federal para seu ‘1º de maio’. O coroamento da entrevista do Paulinho é sua incapacidade de respeitar minorias e diferenças, além de carregar consigo o sentimento homofóbico

  5. Comentou em 02/05/2007 Marco Costa Costa

    O conjunto da classe trabalhadora esta órfão de pai e mãe. Depois da posse do Lulla, os sindicatos e às centrais sindicais não colocaram o bloco na rua. Quando essa turminha fazia parte diretamente dos sindicatos e centrais, para importunar o FHC pintaram e bordaram quanto ao grande número de greves. Porém, quando tomaram conta do poder esqueceram completamente que trabalhador existe e que necessita de melhor padrão de vida, ou seja, salários dignos. Em suma, traíram a confiança( o Paulinho é um deles) da classe operária na medida em que governam somente para os banqueiros e congêneres. Fora bando de aproveitadores!

  6. Comentou em 02/05/2007 virgilio tamberlini

    Weis:
    O que mais me impressionou no 1.º de maio foi a luta ideológica, CUT x Força Sindical: Quem recebeu mais grana da Petrobrás!

  7. Comentou em 02/05/2007 Dante Caleffi

    Falta de notícia. Quando um presidente ,classifica aposentados de ‘vagabundos’,num pronunciamento infeliz, embora acadêmico de formação, é natural que se crie algum escândalo.Um operário,numa festa popular,no seu dia,expressa-se no seu jargão e com sua cultura. Mérito,se tiver, é expor preconceitos de certos articulistas, e seus veículos patrocinadores.

  8. Comentou em 02/05/2007 toni duartegomes

    A Ecologia de fato é uma coisa importante…..
    A Histeria ecológica de fato é coisa de viado….
    Muito currículo pra um assunto tão banal.

    Minhas cinceras desculpas.

  9. Comentou em 02/05/2007 Laura Ariza

    Que homem ridículo e patético fazer um comentário desses.
    Ele acha que dando ‘pão e circo’ para o povão pode enganar toda a população de uma cidade?

    Eu conheço uma porção de gente que sempre se preocupou e lutou pelo meio ambiente e nunca foram viados ou similares…

    Eu por exemplo nunca fui, e nem minha filha, e nem meus familiares, e nem um montão de gente que conheço.

    Já que a moda é Petição, deveríamos fazer uma para processá-lo por preconceito e homofobia.

  10. Comentou em 02/05/2007 Cesar Junior

    Esse é o típico caso em que os jornalistas se pegam no acessório (e no pueri) e deixam passar o essencial. O importante não é a frase idiota do Paulo Pereira; ela demonstra apenas a indigência mental do presidente da Força. O importante é esclarecer à sociedade que as centrais sindicais são financiadas pela Caixa Econômica Federal, pela Petrobrás, pelo FAT, em valores milionários, para realizar esses eventos festivos. O importante é investigar a natureza desses financiamentos e a relação do governo com as centrais sindicais.

  11. Comentou em 02/05/2007 Marco Costa Costa

    O deputado vira-casaca, para ludibriar o trabalhador veio com o tema meio ambiente. Para piorar a sua pouca cultura geral, diz que aquecimento global é coisa de pederasta passivo. O que podemos esperar de uma pessoa que usa o preconceito para ganhar pontos com a massa desenformada. O que essa pessoa fará de bom para a classe trabalhadora lá no ninho de víboras. Fora Paulo, Paulinho, Paulão e Pauletão da força..

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem