Sexta-feira, 24 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

CÓDIGO ABERTO > Desativado

Como lucrar com as entrevistas de Jefferson

Por Luiz Weis em 10/02/2006 | comentários

A entrevista do então deputado Roberto Jefferson que introduziu no léxico político brasileiro a palavra mensalão não foi uma iniciativa da Folha, que a publicou em 6 de junho do ano passado. Ele mesmo contou que tinha partido dele a idéia de procurar o jornal.


Hoje, no que não tem cara de mera coincidência, o mesmo Jefferson comparece na Folha, via blog do colunista Josias de Souza, e no Estado, com duas entrevistas quase idênticas em separado – chamá-las de exclusivas não seria correto, porque evidentemente a força do termo está no seu caráter singular.


Não é impossível que também nesses casos a iniciativa sido do político cassado, que parece contar com uma assessoria de imprensa que sabe como se fazem as notícias.


E daí? Daí que, quando uma fonte procura a mídia dizendo ter revelações a fazer, o que disso resulta deveria ser lido com um pé atrás. Porque não existe, ainda mais em política, esse negócio de revelação desinteressada, mesmo na incerta hipótese de ser verdadeira.


Só que o pobre do leitor, não sabendo quem tirou quem para dançar – o informante ou o caçador de informações –, deixa de ter uma referência valiosa para julgar o que lê.


Órgãos de mídia parecem achar um desdouro jogar limpo com o público, informando que Fulano de Tal os procurou para dizer isso ou aquilo – e não o contrário, como o distinto é sempre levado a crer.


No caso em questão, haja pé atrás – não bastasse a fama que Jefferson carrega nas costas.


No mesmo dia em que a CPI dos Correios afinal aprovou a convocação do ex-diretor de Furnas, Dimas Toledo, o ex-presidente do PTB dá a dois jornalistas de diferentes veículos a sua versão do chamado esquema de Furnas – cuja parte visível seria a tal da lista de autenticidade duvidosa com os nomes de 156 tucanos, pefelistas e políticos de outros partidos que teriam recebido por fora perto de R$ 40 milhões em 2002.


Jefferson diz que Dimas o procurou em abril do ano passado com uma oferta de mensalão. Seriam R$ 1,5 milhão para o seu partido – e outro tanto para o PT.


Dimas ocupava uma diretoria de Furnas por indicação do PTB. O presidente Lula o tirou do cargo em maio.


Pausa para reflexão. Até agora, quando se falava no caixa 2 alegadamente administrado pelo doutor Dimas, o PT não estava na mira. Salvo na primeira entrevista de Jefferson, em que ele disse que o partido recebia R$ 1 milhão (metade para o PT mineiro, metade para o nacional). Uma sindicância interna de Furnas concluiu que isso não era verdade.


Na lista que Dimas nega ter feito e assinado em papel timbrado da estatal – o que, cá entre nós, um operador experiente dificilmente faria –, não há nenhum beneficiado do PT.


Jefferson diz na Folha que Dimas “cobria o PSDB. O PSDB mineiro inteiro, o PFL mineiro inteiro, o PMDB mineiro inteiro”, além de oferecer cobertura também para o PTB e o PT.


Sempre segundo o cassado, a idéia partiu do então ministro da Casa Civil, José Dirceu. O negócio não deu certo porque o presidente teria vetado – por razões políticas.


Lula teria dito: “Não, esse cara é um traidor. Ele é tucano. Botamos R$ 1,5 bilhão na Cemig [Centrais Elétricas de Minas Gerais] para fazer o programa Luz para Todos nas favelas e ele só botou placa do governo do Aécio.”


Na semana passada, Jefferson afirmou ter recebido R$ 75 mil do dimasduto. Agora, nas entrevistas, diz: “No que me toca, a lista é verdadeira. No resto ela tem lógica política e se assemelha à verdade.”


Detalhe – ou mais do que isso, quem sabe:


Em dado momento da entrevista a Josias de Souza se lê: “A pressão que eu recebi [para manter Dimas no cargo], até do… Não vou falar.”


Em dado momento da entrevista a Ana Paula Scinocca, do Estado, se lê: “Eu recebi enorme pressão. Não quero mais falar. Cansei de ódio. Me tira fora dessa.”


Pode-se acusar Jefferson do que se queira. Menos de não ter senso teatral.


O que parece ter sido momentaneamente esquecido pelos editores dos dois jornais que deram títulos de página inteira para as novas narrativas jeffersonianas.


Enquanto elas não forem corroboradas, terá bom lucro o leitor que comprá-las pelo que valem e revendê-las pelo que o seu autor quer que se ache que valem.


***

Serão desconsideradas as mensagens ofensivas, anônimas e aquelas cujos autores não possam ser contatados por terem fornecido e-mails falsos.

Todos os comentários

  1. Comentou em 17/02/2006 Márcio Santana

    Onde tem fumaça, certamente tem fogo. Antes de desacreditar Jefferson, necessário se faz investigar a evolução patrimonial, quebrar os sigilos fiscal e telefônico do tal Dimas. Se não é um homem riquíssimo, com que recursos elegeu se filho deputado? Além do que alguns nomes que aparecem nessa lista são conhecidos em seus estados de origem pelas estrepolias financeiro-eleitorais.

  2. Comentou em 13/02/2006 Swamoro Songhay

    Acho que se pode ainda ouvir as pessoas. Contudo, os leitores são levados a um profundo exercício para tirar, das entrelinhas das entrevistas, o que esclarece as dúvidas que ainda restam dos acontecimentos. Parece que nada se desvela, mas sim tudo encaminha-se para um remoinho atrás do outro, um buraco levando a outro sem fundo e sem conclusões. Dai o marasmo em que as investigações chegaram. Abre-se um leque enorme e os resultados não são palpáveis.

  3. Comentou em 11/02/2006 José Joaquim Santana

    Se me permite comentar, eu acho que a imprensa nacional precisa se libertar dos chamados press release, perder a preguiça e trabalhar em cima da notícia que lhe é passada com esses ares de veracidade. Ora, Roberto Jefferson procurou a revista pra dar a notícia, e cabe a revista apurar o fato, e dizer qual foi a fonte me parece secundário, pois que se foi publicada se pressupõe que teria sido confirmada. A verdade é que assistimos a jornais de editorias diferentes transmitirem as mesmas matéiras, como se houvesse um cartel de informação. As matérias do governo me chegam as vezes de forma ingênua, com fatos corriqueiros transformados notícias – aceitos pelos editores. Tem gente que não muda nem o testo distribuído…
    Acho isso prejudicial ao leitor que está sempre lendo matérias direcionadas para um resultado favorável àquela fonte.

  4. Comentou em 11/02/2006 Gleison Parente

    lembro-me quando roberto jefferson fez suas denuncias contra o mensalao, ele afirmou q nao tinha provas e que sua palavra era a unica forma de se comprovar o que se dizia, agora ele vem novamente, dessa vez dizendo que recebeu o dinheiro e tem como provar, e o que acontece, a imprensa desqualifa afirmando que o ex nao passa de um mentiroso, terrivel saber que estamos nas maos de bandidos na politica e na imprensa.

  5. Comentou em 11/02/2006 Aloísio Morais Martins

    Uma sindicância interna em Furnas nunca vai apurar nada, já que o dinheiro do caixa dois é entregue por fornecedores da empresa de eletricidade, não passando por sua contabilidade. No caso, o único ‘contador’ é Dimas Toledo. Corre à boca pequena aqui em Minas, por exemplo, que ele seria responsável pelo menos por duas obras sem licitação e seria interessante verificar se ele ‘manipulava alguma verba de comunicação de Furnas, a chamada publicidade legal, cruzando essas informações com outras procedentes de fornecedores e empreiteiras que teriam trabalhado sob o comando de Dimas Toledo’, como diz na edição deste sábado (11) o colunista Carlos Lindenberg, no jornal HOJE EM DIA, de Belo Horizonte. Sugiro que o autor e os leitores do blog leiam ainda a interessante entrevista de Roberto Jefferson na revista Carta Capital do fim de semana passado, anterior, portanto às concedidas ao Estadão e à Folha.

  6. Comentou em 11/02/2006 Alexandre Porto

    Até quando a mídia vai desqualificar a lista porque dois nomes não foram candidatos, como se não pudessem repassar esse dinheiro. Ou porque o estado do Ciro Nogueira está errado. Meus Deus, está erraado só na tabela compilada pelo digitador. Nos documentos escaneados está certo. Tá lá PI. Hoje a IstoÉ repete a mesma ladainha.

    Chamaram o Níltn de mentiroso quando ele denunciou o PSDB do ES, o caso Fundacentro, o Azeredoduto. Tudo está confirmado. A palavra do Jefferson de uma hora para outra não vale mais nada.

  7. Comentou em 11/02/2006 Fábio de Oliveira Ribeiro

    O senhor roberto jefferson (escrevo o nome dele em minúsculo em razão de sua minúscula importância) já foi cassado, perdeu os direitos políticos. Portanto, deve fazer companhia para seu colega josé dirceu (minusculo em todos os sentidos). Agora eles podem perfeitamente resolver seus probleminhas quebrando todos os decoros.

  8. Comentou em 11/02/2006 Jorge Oliveira

    Infelismente a maioria da população não tem internet,fato que facilita a manipulação da ‘lista de Furnas’, por parte da mídia televisiva, eles (âncoras de tv) fazem de tudo para omitir e desqualificar a lista, não sabendo ele que a ânsia do povo é pela divulgação da lista.

  9. Comentou em 11/02/2006 Silvano Carvalho

    Poxa Luiz, nao omiti citei o que estava na fsp, tao pequeno, tao simples, se fosse materia contra o PT, como seria…

  10. Comentou em 10/02/2006 Renê

    Sr. Weis,

    o sr. é tem sofrido de amnésia…
    Durante o ano passado professava que, mesmo sendo controverso em sua biografia, o Tal Jeferson não errava nada…logo, tinha razão.
    Parece que o ar operístico do entrevistado, que tanta o agradava (e aos seus colegas, agora provoca um certo desconforto…um desafino..digamos assim…
    O telhado Tucano, que já estava quebrado por outras tantas, toma mais uma pedrada daquele que, durante 2005, provocou os maiores regozijos do ninho Tucano…e também das redações emplumadas…

    Volto a perguntar…tem credibilidade esta imprensa?

  11. Comentou em 10/02/2006 Jose de Almeida Bispo

    ‘Até tu Weis’

    ‘Eu nada omiti. Citei o que saiu na Folha’

    Caro Weis tenho que me solidarizar com o Eduardo Guimarães de São Paulo. Sua resposta é evasiva em se tratando de que a proposta do OI é justamente comentar e questionar aspectos de comportamentos nebulosos, no mínimo duvidosos, da midia. Não justifica sua saída pela tangente. Ao menos com essa justificativa.
    Não posso crer que estejas disfarçadamente a serviço de outrem que não os leitores do OI.

  12. Comentou em 10/02/2006 Gilson Raslan

    Há cerca de três meses li a tal lista do DIMASDUTO no Observatório da Imprensa. Desde aquela época venho cobrando da mídia uma divulgação da matéria, como ela o fez com o caso do PT, mas ela se negava a dar qualquer notícia no sentido. Agora, com as declarações do Roberto Jefferson, começa a mídia a dar sinal de vida, ainda que acanhadamente, mostrando ao povo brasilseiro que a corrupção não está apenas no PT, mas sobretudo no PSDB e no PFL. Destas duas siglas, aparecem nomes importantes que levaram dinheiro do DIMASDUTO: JOSÉ SERRA, GERALDO ALKMIM, AÉCIO NEVES, ACM NETO, ADUARDO PAES … Estes dois últimos, nas CPIs ora em andamento no Congresso, pousaram de paladinos da honestidade, de guadiões da moralidade pública e deciam o cacete no pessoal do PT, como se eles fossem santos. A máscara caiu. E agora? Espero que a mídia dê alguma publicidade à lista dos receptadores (receptadores mesmo) do DIMASDUTO, como fez com o caso do VALERIODUTO, o que não vai caracterizar denuncismo, pois o povo brasileiro tem o direito de conhecer os políticos, para se orientar no hora de votar.

  13. Comentou em 10/02/2006 Carlos Alberto Gesteira

    Concordo em gênero número e gráu com Eduardo Guimarâes de São Paulo.
    Frase de Dom Helder para meditação da mídia: Você pensa que o POVO não pensa? O POVO pennnnsa!

  14. Comentou em 10/02/2006 Calypso Escobar Velloso

    Engana-se quando dissem que ele não tem talento teatral,só tem.Ótimo informante,um Gateerson fenomenal.Ajuda bastante a imprensa,o que me apraz.Mas, falar dele,só no livro que vai editar.Grata Calypso

  15. Comentou em 10/02/2006 Vladimir Nunes de Oliveira

    Temos acompanhado, nos últimos dias, um verdadeiro show de jornalismo. Exemplo: ao manifestar-se constrangidamente sobre a lista de Furnas, a Revista Veja chegou a conclusão de que ela é falsa. Sabem por quê? Porque é perfeita demais para ser verdade, ou seja, tudo está perfeitamente no lugar. segundo o critério no mínimo excêntrico de Veja, a história dos dólares de Cuba é totalmente verdadeira, afinal é de uma imperfeição avassaladora. Entenderam? Tudo o que parece verdadeiro é falso, e o que parece falso é verdadeiro. Não é genial? O Globo, por seu turno, nos presenteou esta semana com uma manchete que dizia mais ou menos o seguinte, em relação ao pacote do governo para fomentar a construção civil: ‘Pacote do governo pode incentivar a favelização’. Vejam só que beleza: baixando os impostos sobre cimento, tijolo, azulejo, etc., o governo incentiva a favelização. Eureka! O Globo acaba de resolver o problema das favelas. É só quadriplicar os impostos! E quanto a lista de Furnas, só há uma saída: a CPI precisa promover a acareação entre Jéferson e Toledo. Um dos dois está mentindo. Talvez seja Jéferson, que agora voltou a ser normal. Em junho, estranhamente, o ex-deputado investiu-se de uma aura divina que o impedia de mentir. Seja bem vindo, Roberto Jéferson, ao convívio com os humanos.

  16. Comentou em 10/02/2006 Donaldo de Andrade Silva

    Ora meu caro, é só publicar as denucias na íntegra e dar como verdadeira, como foram publicadas as primeiras feitas pelo então Deputado Roberto Jéfferson, se não me falha a memória dava nos principais telejornais,capas de revistas e jornais,intenet e rádios e a imprensa de maneira geral tomaram partido no caso os Pefelistas e principalmente os Tucanos, se juntaram numa forte corrente como se fossem santos a acima de quaislquer suepeitas e fizeram o maior barulho, falaram,desfalaram,e fizeram o que bem quizeram achando que ficaria por isso mesmo.Agora o feitiço virou contra o feiticeiro. E agora? vocês vão por rabo entre as penas? ou vão detonar tudo como antes? Então eu te respondo: Detona tudo sem dó nem piedade, que certamente a imprensa lucrará com as entrevitas dos Jéffesons da vida, moalmente e financeiramente. Politico é politico e Imprensa é Imprensa. Se Liguem.

  17. Comentou em 10/02/2006 Fred

    Lendo os comentários cheguei a uma conclusão triste, vivemos uma Tsunami de sujeira que, ao invés de matar, nos deixa um cheiro de podridão que será difícil de limpar, nada se salva, Justiça, Governo (Executivo e Legislativo, Polícias e agora Imprensa, é triste, só nos sobrou Carnaval e Futebol e olhe que a coisa já andou fedendeo no Futebol, esperança ainda tenho, de que o povo acorde e saiba que o Poder emana dêle, aí sim teremos um País descente, de que possamos nos orgulhar, levanta gigante do seu berço esplendido, arregace as mangas e vamos mudar o BRASIL. NULO LÁ

  18. Comentou em 10/02/2006 magno Amorim

    pois é isso mesmo, vai furar… não tem como fugir … aos poucos a bomba vai estourar… e aí…. como vai ficar a imprensa (Globo, Veja, Isto é, Uol, Ig, Terra, época, ibest, observatorio da imprensa, diogo mainardi, jornalistas da globo news, blogs) e esses partidozinhos PSDB, PFL… não tem como esconder mais… a lista de funas é muito mais que verdadeira é crível… e agora como vocês vão ficar… é melhor vocês que estão acima do bem e do mal começarem a apublicar as noticias como elas são, porque quando a casa cair nós leitores atentos as notícias não vamos mais acreditar em vocês… eu ainda acredito em você Luiz Weis por favor se liberte dessa imprensa fajunta e ipócrita que vem manipulando os fatos afavor dos coroneis e da direita.. siga o meu conselho, o barco tá afundando e é melhor bular agora enquanto tem credibilidade do que afunda com eles. estamos de olho. ……………………

  19. Comentou em 10/02/2006 Eduardo Guimarães

    Então você não havia lido, Luiz, a entrevista completa de Bob Jeff no blog do Josias? Estranho. Parece-me que eu que não sou jornalista estou mais bem informado que você… Acho difícil que seja assim. Mas, de qualquer forma, acredito que a omissão em questão, pelo escândalo que constitui, merece um comentário seu. Ou não?

  20. Comentou em 10/02/2006 Lucinei Lucena

    Prezado Weis,

    Concordo que os jornalistas não devam ser ou fingir-se ingênuos em relação às ‘denúncias’ feitas por políticos. Concordo também que a apuração é sempre imprescindível seja quem for o denunciante e seja quem for o denunciado.

    Não deve haver privilégio ou proteção/escrúpulo para um partida ou outro.

  21. Comentou em 10/02/2006 Vera Candido

    Já são 15h35m de sexta-feira 10/02/2006, o jornal Valor Econômico já publicou faz horas (e os ite do PT também) o resultado de uma pesquisa do Inst. Ipsos em que Lula ganha nos dois turnos. Nenhum outro jornal, site ou blog comentou nada! Por que, hein?

  22. Comentou em 10/02/2006 Katia Becho

    É por estas e outras que já comecei a campanha pelo voto nulo. Voto nulo já! Está na hora de darmos um susto nesta corja que nos ‘governa’ há séculos, mudando apenas de regime, de partido e de bandeira. O voto é obrigatório, mas votar em qualquer um deles é opcional. Se 51% dos votos forem nulos, aí sim eles nos respeitarão e pensarão duas vezes antes de encenarem mais uma peça teatral chamada Eleição. Mais respeito, mais transparência, mais ética.

  23. Comentou em 10/02/2006 Luiz Seixas

    O site do PT comenta a pesquisa Ipsos em nota de hoje, 10/2, publicada às 13:19. Serra apanha no primeiro e no segundo turno!

  24. Comentou em 10/02/2006 ismael ananias

    Q ue classe de JORNALISMO e este q estamos vendo. onde a imprensa se acha no ato de PUNIR, e desacreditar as pessoas, e apos de por em duvida uma lista entregue pelo mesmo ADVOGADO PICARETA, q usufrutuos nas nossas costas durante muitos anos.No estado de DIREITO DEMOCRATICO no qual nos encontramos, o papel do jornalismo e exclusivamente INFORMAR, a seus leitores, sem opinar, o lado punitivo, e das investigações e do poder JUDICIAL a cargo da POLICIA FEDERAL, e o de punir admnistrativamente com a perda dos cargos e do PODER PUBLICO,estes orgaõs ainda NÃO tem acabado o INQUERITO, e este JORNALISMO barato de FOFOQUEIROS de plantão se acham no poder de punir e deliberar nas costas dos orgaõs que que detem legitimamente por LEY FADERAL e constituição deste pais,o poder de PUNIR.CHEGA de jornalismo mau intencionado, não devemos de esqueçer o que o jornalismo fez (VEJA GLOBO) com a escola BASE aqui en SÂO PAULO,onde realmente acabarom com uma escola e uma familia e agora q tem que assumir seus erros nen sequer vão a publico a retratar de seus erros cometidos , eta jornalismo BUNDÂO.
    Com mentiras nos nao mudaremos de governo o analfabeto que FHC diz aprendeu a fazer a leção melhor que todos os diplomas de faculdades deste senhor, chega de mentiras qual foi a grande obra deste senhor FHC, e agora tem soluçoes, que fez então em 8 anos de poder, vendeu tudo, e o maior arrocho salarial.

  25. Comentou em 10/02/2006 Antonio de Padua Martins

    ‘A personalidade unilateral continua pela vida a fora um Ciclópe. … O perigo da personalidade unilateral está no fato de que nem o diabo pode mudar o seu ponto de vista, nem a sua natureza lhe permite ir além de seus interesses individuais.’ Walter B.Pitkin,1934, Univ. Columbia. Creio com isto sintetizar tudo quanto penso e sinto também sobre entrevistados(as) e entrevistadores(as), que, não por mera coincidência, se assemelhem aos apontados no Verbo Solto de hoje. Em tempo: a citação é do livro Breve Introdução à História da Estupidez Humana, W.B.Pitkin-1934

  26. Comentou em 10/02/2006 Célio Mendes

    Assino embaixo do comentario do Sr. Marlon Abreu/PE, quando Jeferson acusa o PT é tudo verdade e ele é uma testemunha fidedigna quando acusa o PSDB/PFL é um mentiroso, caluniador, deputado cassado e qualquer outro adjetivo que possa desacreditar sua palavra, depois reclamam quando falam em complô da midia.

  27. Comentou em 10/02/2006 Ricardo Augusto

    Realmente a imprensa pega LEVE com PSDB.PFL etc,quando jeferson citou mensalão do PT,toda imprensa bateu(corretamente)mas, agora quando o alvo foi PSDB.PFL etc,a mesma imprensa duvida da veracidade da lista. Ora, deixemos de ser hipocritas e passemos todos a divulgar esta maldita lista de cretinos da politica brasileira,inclusive os grande do PFL e PSDB..este congresso é SUJO !!!!! NÃO MERECE CREDIBILIDADE ALGUMA….

  28. Comentou em 10/02/2006 Otavio Belchior Jr

    Aos poucos vai se confirmando uma afirmação de um ‘antigo sindicalista’ de que o Congresso Nacional era constituido por ‘300 picaretas com anel de Doutor’. Dos poucos que ‘escapam’ é o autor da afirmação, apesar da saraivada de balas na sua direção.

  29. Comentou em 10/02/2006 Mauro Silva

    Santificam os tucanos porque o PT é corrupto. São dois ninhos de vermes. A imprensa se julga acima do bem e do mau. Todos vermes.

  30. Comentou em 10/02/2006 JOAQUIM FERNANDES

    Seria muito bom para o Brasil melhorar se isso tudo viesse a tona. As CPMS e CPIS, sao um espetaculo para a imprensa onde cada um quer se aparecer mais visando as eleicoes vindouras. Ate agora ficou comprovado que o PT nao e nada daquilo que se apregoava, ate ai tudo bem. Mas acontece que os outros partidos estao posando de donos da moralidade, politicos antigos com curriculos renegaveis que dominaram o pais por mais de 500 anos se fazem passar por paladinos da moralidade. Se ficar todo mundo no mesmo saco, porque sao do mesmo saco, quem sabe o eleitor pensara melhor na hora de votar.

  31. Comentou em 10/02/2006 marlon abreu

    Quando o ex deputado Roberto Jeferson denunciou a existencia do mensalão, todos da emprensa deram a maior credibilidade as suas denuncias, na época sem nenhuma prova, e agora em que o mesmo faz novas denuncias que envolve o PSDB, PFL a empresa suspeita da veracidade das suas denuncias?
    O fato da suposta lista ser verdadeira ou não, já não é mais essencial, uma vez que o próprio ex deputado afirma que recebeu diretamente do Sr. Dimas O VALOR DE R$ 75.000,00, sendo assim é necessário a apuração dos fatos de forma imparcial pela CPI, ressaltando que a empresa tem um papel importante neste momento que é dar a credibilidade as denuncias do ex deputado da mesma forma que deu na ocasião em que o mesmo denunciou o ex deputado José Dirceu, posto que do contrario a Empresa estará usando de dois pesos um para atingir o PT e outro para não atingir o PSDB e o PFL

  32. Comentou em 10/02/2006 roberto neto francisco

    Mentira? nao creio que seja, o ex-deputado quando fala temos que ter atencao, pois ate agora,tudo que falou foi provado!! Os pmdbistas , os tucanistas que se cuidem pois ja estao aparecendo as sujeiras!!

  33. Comentou em 10/02/2006 Jedeão Carneiro

    O cara diz que cansou do ódio mas não para de nutrir seus instintos mais primitivos contra o Zé Dirceu. Ao invés de citar os cabeças da lista – Alckimin, Serra e Aécio – vai citar logo o Dirceu?. O cara tá aloprado!!!

  34. Comentou em 10/02/2006 Eduardo Nascimento

    Bem, acho que e deve investigar cuidadosamente essa informação dada pelo ex deputado. Acho me parece estranho que o PSDB tenha tentado um acordão para evitar a convocação do ex-diretor FURNAS depois de ter taxado de inverídicas ais informações.
    É lógico que no meio político não eistem santos, ainda mais quando a disputa envolve o comando de um país como o nosso. Prefiro não julgar, mas se estou bem lembrado ao fim da campanha presidencial foi alardeado aos quatro cantos que a campanha do então candidato José Serra havia deixado um prejuízo milhonário. Bem, acho que deveria se investigar como o PSDB e aliados conseguiram cobrir tamanho rombo, afinal todos são iguais perante a lei e todos devem ter amplo direito de defesa, mesmo aqueles que gostam de fazer acusações sem provas e falarem bravaas aos quatro cantos com certos ex-presidentes da república.

  35. Comentou em 10/02/2006 ANTONIO Lyra

    Tinha certesa que mais cedo ou mais tarde iria aparecer a sujeira do PSDB e PFL, pois não são melhores que os outros partidos com vêm apregoando. Estão tentando dar uma de defesores da ética, ética que nunca tiveram em quando estiveram no govêrno.
    A lista tem coerência, Furnas fica em Minas Gerais e amaioria dos politicos citados são daquele Estado.
    Vamos esperar o resultado, do vai acontecer, será que não vai haver acordão?

  36. Comentou em 10/02/2006 Flavio Francino

    Vamos lá minha gente vamos vê quem são os caciques dessa famosa lista de Furnas que eu tenho a absoluta serteza ser encabeçada pelos pré-presidenciaveis José Serra e Geraldo Alckimin , porque tanto medo vamos lá mostrem a verdadeira cara dessa direita safada antes que venhan as eleições vamos poupar o nosso povo desses indesejaveis senhores. Alias quero ver a cara da imprensa nacional divulgando esses nomes de politicos do PSDB/PFL/PMDB vai ser sem duvida nenhuma uma navalhada na propria carne.

  37. Comentou em 10/02/2006 Eduardo Guimarães

    Não me resta mais qualquer dúvida sobre a partidarização política que dominou a Folha. O jornal tucanou de vez. Só isso explica que tenha mutilado a entrevista de Roberto Jefferson publicada em sua edição desta sexta. Uma entrevista em que o maior dedo-duro do país reafirmou sua crença na ‘lógica’ da lista de Furnas. E o objeto da mutilação foi justamente o trecho da entrevista que tocou no PSDB paulista, ou seja, em Geraldo Alckmin e em José Serra, cujos nomes têm sido providencialmente omitidos no noticiário da Folha sobre a lista de Furnas, lista que o governador e o prefeito de São Paulo encabeçam. No entanto, o jornal não deixou de mencionar o trecho da entrevista em que Jefferson cita José Dirceu e o próprio presidente Lula, que não figuram na polêmica lista. E o pior é que o nosso prezado Luiz Weis faz, no artigo que gera este comentário, a mesma coisa. Omite o PSDB paulista da entrevista de Jefferson. Vejam o trecho que Folha e Weis omitiram:
    trecho publicado: ‘pergunta: – De onde vinha a influência de Dimas Toledo? Resposta de Jefferson: ‘Ele cobria o PSDB. O PSDB mineiro inteiro, o PFL mineiro inteiro, o PMDB mineiro inteiro(…)’
    Trecho omitido: Pergunta: ‘- Mas a lista contém vários nomes de São Paulo’ Resposta de Jefferson: ‘- Claro, São Paulo também é coberto por Furnas. São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Goiás…’

  38. Comentou em 10/02/2006 Marcello Moura

    Tenho medo que haja um aumento na explraçao ilegal de madeira principalmente da Peroba, pois creio que se continuarmos nesse andar da carruagem vai faltar oleo de peroba para tanta cara de pau, e faltara ainda papel higienico para limpar a sujeira dessa nossa nova imprensa marrom. Me espanta a credibilidade dada a Jeferson tanto quanto os dicursos inflamados contra a corrupçao feito pelo Deputado ACM Neto, creio entao que ele nao converse com o avo ou tenha se esquecido que o mesmo renunciou para evitar de ser cassado no senado, mas o Coronel esta la, Queria mesmo e ver uma imprensa forte com coragem de falar dos podres de todo mundo, pois todos tem, tucanos, pefelistas, petebistas e todos os outros intocaveis pelas imunidades parlamentares.
    Renovaçao ja, na politica, na midia, na etica enfim renova Brasil.

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem