Quarta-feira, 26 de Setembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1006
Menu

CÓDIGO ABERTO > Código Aberto

Contribuintes norte-americanos usam a web para tentar impedir socorro de US 700 bilhões a bancos privados

Por Carlos Castilho em 24/09/2008 | comentários

Uma inédita mobilização de contribuintes norte-americanos de todas as tendências políticas começou a tomar corpo na Web visando impedir que o presidente George W. Bush use 700 bilhões de dólares do orçamento público para salvar bancos privados ameaçados de falência por causa da crise no setor imobiliário do país.


 


Ainda é difícil quantificar o movimento porque ele está se espalhando pelas bases, como se “um incêndio em mato seco”, segundo definição do jornalista e professor Jeff Jarvis , autor do weblog BuzzWord.  Os focos de oposição vem tanto de movimentos conservadores como o Freedomworks, como dos ecologistas do Friends of the Earth e do pessoal da esquerda no Common Dreams e no Alternet.


 


A blogosfera norte-americana também entrou em ebulição com uma média diária de mil postagens diárias, em sua maioria criticas, ao projeto da Casa Branca de ajudar os bancos privados em dificuldades. Segundo o site Technorati, a atividade dos blogueiros aumentou a partir do dia 20 de setembro, chegando a atingir 1.700 posts na segunda feira, seguinte à Semana Negra, em Wall Street.


 


Jarvis botou mais lenha da fogueira ao calcular o que cada cidadão norte-americano ganharia caso o dinheiro para socorrer os bancos fosse usado, por exemplo, na modernização das comunicações nos Estados Unidos. Ele citou fontes da empresa Sprint, de telecomunicações, para afirmar que com apenas 14,5 bilhões de dólares todos americanos poderiam ter acesso à internet de banda larga por rádio.


 


Caso todo o dinheiro pedido pelo governo Bush fosse usado para a implantação da banda larga, toda a população do país teria acesso grátis à internet durante 20 anos e seria possivel triplicar os investimentos em pesquisa de todas as empresas privadas norte-americanas, avaliados em 219 bilhões de dólares, em 2007. 


 


O debate tomou conta dos blogs também na grande imprensa norte-americana. Na revista BusinessWeek, a ajuda pedida pela Casa Branca, foi classificada como “A mãe de todos os socorros”, parafraseando o ex-ditador iraqueano Saddam Hussein, qiReport CNNue classificou a primeira guerra no Golfo Pérsico (1990-91) de  “A mãe de todas as batalhas” (Um Al Mā´arik , em árabe). 


 


No blog do site iReport, o canal de notícias produzidas pelo público na rede de televisão CNN, a manchete do dia 23/9 pedia a assinatura para uma petição para impedir o socorro aos bancos.


 


Cenk Uygur, o principal apresentador do site de WebTv Young Turks, bate recordes de audiência com críticas cada vez mais ácidas ao socorro bancário. Cenk Uygur - CBS Eye Mobile Seus comentários em vídeo são retransmitidos pelo CBS Eye Mobile , a versão da rede de televisão CBS para o iReport da CNN e o YouTube, todos na linha do chamado jornalismo cidadão.


 


Por falar em YouTube, na seção de Política, há quase 6.700 vídeos postados por profissionais e amadores sobre a polêmica em torno do socorro aos bancos a beira da falência.


 


Quase todos os vídeos batem na tecla de que o contribuinte norte-americano não deve pagar pelos erros dos bancos, entre eles alguns estrangeiros com negócios nos Estados Unidos.


 


De um irritado contribuinte norte-americano, em carta publicada pelo The New York Times: ‘ A lição (desta crise) é que daqui por diante, sempre que alguém  disser que acredita no ‘mercado livre’, esta pessoa deve merecer a mesma credibilidade de um adulto que diz acreditar no conto do dente de leite. O que deve ficar claro, agora, é que temos economias mal reguladas e economias bem reguladas’.


 


P.S. O conto do dente de leite é uma historinha infantil, segundo a qual, quando cai o primeiro dente de leite de uma criança, se ele for colocado debaixo do travesseiro , uma fada virá buscá-lo e o trocará por uma moeda.


 

Todos os comentários

  1. Comentou em 29/09/2008 Marcelo Ramos

    Prezado Salina, quando vc escreve que ‘até os paralelepídos sabem que os americanos estão protestando’, você deve assistir a algum canal de noticias privilegiado. Na CNN não saiu, no Blomberg também não. Lembro também que, no Brasil, a quantidade de pessoas com acesso a internet é muito menor do que nos EUA, tanto proporcional quanto quantitativamente. Quando você fala em ‘ler os jornais do pais’, você se refere ao Globo, Folha e JB e Estadão? Os de fora realmente não leio mas esses citados não publicaram nada sobre esse assunto, apenas, como citei antes, que os parlamentares estavam negociando. E saber que os parlamentares estava negociando pressionados pelo povo é totalmente diferente de saber que eles estavam apenas negociando. Resumo, essa notícia foi ligeiramente cortada.

  2. Comentou em 28/09/2008 eduardo salina

    Caro Marcelo: o dinheiro que está nos bancos é do público mas ainda não é publico. (Com essa voracidade fiscal do governo, não sei até quando…) E se o mercado financeiro souber que a dívida pública é feita de títulos podres, o País fecha amanhã. E se você se der ao trabalho de ler qualquer um dos jornais do país ou de fora saberá que os congressistas não aceitaram o pacote do governo passivamente e negociaram até o fim exatamente por causa das pressões dos eleitores. Mais uma vez, meu caro: democracia funciona assim. Por isso o Legislativo dos EUA se chama Câmara dos Representantes.

  3. Comentou em 28/09/2008 Marcelo Ramos

    Pacato cidadão Latino americano Salina, que o Congresso está negociando é notícia velha. Mas os jornais NÃO estão noticiando é que a quantidade de pessoas protestando pressiona os parlamentares. E isso é totalmente inédito. Quanto ao dinheiro do Proer, existe algum dinheiro que não seja público? Do compulsório, por exemplo, de onde veio? dos ativos dos bancos? Humm, difícil acreditar que os bancos colocariam dinheiro deles nisso. E mesmo que fosse, foi trocado por títulos que se chamam de podres. Ou seja, os bancos recebem dinheiro e pagam com títulos. E o valor do título, depois, fica menor que o do dinheiro.

  4. Comentou em 28/09/2008 eduardo salina

    Inteligentissimo Marcelo: até os paralelepípedos das ruas sabem que os americanos estão protestando contra seu governo. E daí ? Democracia é assim mesmo: quem está contra alguma coisa, protesta.E não são apenas os cidadãos que estão protestando.São os parlamentares também, e por isso estão negociando os termos do acordo até agora.Negociar acordos,aliás,é outra coisa que se faz nas democracias. Em tempo: o ´dinheiro público enterrado no Proer´, fique você sabendo, não era dinheiro público.Era dinheiro do compulsório que os bancos recolhem ao Banco Central.O dinheiro não saiu do orçamento e não salvou os bancos (cadê o Nacional, cadê o Bamerindus ?) mas os depositantes, que estavam arriscados a perder suas economias. E esse dinheiro vai voltar de onde saiu porque foi trocado por títulos públicos.Em tempo II: sou latino-americano, mas não da tribo dos Pila.

  5. Comentou em 28/09/2008 Marcelo Ramos

    Bicho, a realidade não cabe nos jornais. Está ocorrendo uma verdadeira revolução nos USA, pois esse fato que também detectei, equivale a uma revolução. E os grupos de comunicação estão sonegando das pessoas a notícia de que os cidadãos norte-americanos estão protestando contra seu governo. Não há nenhum motivo plausível que justifique o Globo dizer que ‘o Congresso Norte-Americano diz estar próximo de um acordo’. Acordo com quem, entre eles? Claro que não. Mas os grandes grupos de comunicação não querem dar a notícia de o congresso está sendo pressionado. É que nem aquele filme de animação das formiguinhas. Não se pode deixar que as formiguinhas saibam que tem o poder… mas elas já sabem, e esses grupos vão cair.

  6. Comentou em 27/09/2008 Ivo A. Auerbach

    O trabalhador gasta o dinheiro que ganha, enquanto que o capitalista ganha o dinheiro que gasta.

  7. Comentou em 27/09/2008 rogerio cardozo

    Se fosse no Brasil eu acho que os clientes dos bancos deveriam ter seus depositos garantidos,mas os dirigentes dos bancos deveriam
    ser punidos pela má administração do dinheiro que não era deles.O que querem é salvar os bancos quando se salvam-se os clientes seria mais barato.

  8. Comentou em 27/09/2008 Marcelo Ramos

    Em tempo, só o inteligentíssimo Salina para criar um apelido para um grupo do qual ele faz parte. Ou será que ele não se considera idiota nem latino-americano?

  9. Comentou em 27/09/2008 Marcelo Ramos

    Pô, que chato. Ninguém quer responder o inteligentíssimo Salina? Eu respondo, vai. Meu irmão, vai fazer fazer diferença você saber se foi 1 bilhão e meio ou 2 bilhões, do meu dinheiro que o FHC jogou fora? Pois é, não vai. O engraçado é que ele jogou fora SEU dinheiro também. Mas como você só pensa nos intervalos, ainda não deve ter notado isso.

  10. Comentou em 27/09/2008 eduardo salina

    A turma dos Pila tá bem ativa nos comentários.Mas alguém por favor me responda, já que o Ruy Acquaviva não deu o ar da sua graça: quanto dinheiro público foi ´enterrado´ no Proer? (Em tempo; Pila é Perfeito Idiota Latino-Americano..)

  11. Comentou em 27/09/2008 Gersier Lima

    Os mais novos não sabem e os mais velhos vão lembrar da campanha do ‘ouro’.Era para ajudar o Brasil a pagar ‘a dívida externa’.Depois veio aquele compulsório nos combustíveis que seria devolvido depois.Todos sabem o que aconteceu.Aí o FHC gastou uma fortuna para tornar “as empresas atrativas” e as entregou a preço de banana.Lembro do caso de um banco no sul que para sanea-lo seriam gastos cinco vezes mais do que ele valia,para depois privatiza-lo.Não acompanhei o caso depois e não sei o que aconteceu. Os néos são sempre assim, privatizam o lucro e depois socializam os prejuízos.Como ‘colonizados’,PIG e alguns políticos brasileiros seguem a cartilha norte americana na parte que lhes interessa,o resto desprezam.Lembram da campanha da Veja e outros órgãos do PIG que esculhabaram o então Governador de Minas,Itamar Franco porque impediu que o FHC agredisse Minas com suas privatizações?COPASA e CEMIG estavam na mira.A Globo então ,como sempre,era a mais despudorada.

  12. Comentou em 26/09/2008 Teófilo Pardini

    A mídia brasileira neoliberal não vai divulgar essa notícia pois as empresas que as patrocinam não ficariam contentes com o destaque. As mãos que construíram as edificações brasileiras eram mãos calejadas pelo verdadeiro trabalho. Enquanto isso, a elite brasileira, ou quem acha que faz parte da mesma, ficava lendo Veja, FSP, Estado, Globo e além. Aqui, FHC e sua gangue implantaram a idiotice neoliberal, porque para eles, copiar os norte-americanos e ingleses era o máximo da atitude monerdete. A casa caiu e vemos os candidatos às breves eleições sem sequer com coragem para criticar Lula. O espetáculo do fisiologismo ainda vai demorar para terminar.

  13. Comentou em 26/09/2008 Marcelo Ramos

    Prezado Zé da Silva, a mídia daqui segue uma cartilha, que vem direto do departamento de Estado americano. Sabe onde os executivos dos grupos de comunicação daqui fazem ‘curso anual’? Lá mesmo, bancado pela CNN e outros do mesmo porte. Fora os investimentos que os grupos de comunicação daqui recebem dos grupos conservadores de lá. Resultado, nenhuma ajuda vem de graça. Se depender da mídia brasileira criticar esse plano norte-americano, não vai rolar. Pra você ver, até agora nenhum dos sites dos grandes grupos (Globo, Folha, Estado, Zero Hora, Terra, Uol) deu essa notícia, dessa mobilização da blogosfera, ou melhor, da mobilização dos cidadãos norte-americanos. Deram que está ocorrendo um impasse.

  14. Comentou em 26/09/2008 Zé da Silva Brasileiro Brasileiro

    ‘Porém rapidamente ficou claro que esse plano representa torrar dinheiro público para cobrir as falcatruas de banqueiros irresponsáveis, transferindo para a sociedade o ônus que deveria ser desses banqueiros’. A época do governo do Sr. Fernando Henrique Cardoso eu, Zé da Silva Brasileiro, e outros milhões de cidadãos brasileiros, fomos ‘convencidos’ por uma maravilhosa campanha de marketing de que a salvação dos bancos brasileiros era necessária, boa, inadiável e meritória… Entendí que era chegado o momento de a sociedade brasileira responder presente a um apelo patriótico ao espírito de sacrifício e desprendimento dos cidadãos contribuintes. Fiquei emocionado ao saber que estava participando de algo grandioso e fundamental ao progresso da nação brasileira… Está na hora dos marqueteiros tucanos arregaçarem as mangas e trabalhar para convencer a sociedade americana de que na verdade ela é que sairá ganhando ao assumir os prejuízos dos banqueiros…Afinal o que, segundo a mídia, foi bom para o Brasil pode também ser bom para os nossos irmãos do norte…

  15. Comentou em 26/09/2008 eduardo salina

    Sr Ruy Aquaviva: o sr., ao que parece. é especialista em Proer. Poderia me informar, por favor, quanto de dinheiro público ,exatamente,foi ´torrado´ no Proer ?

  16. Comentou em 26/09/2008 mario palmeiro

    ACHO QUE QUEM VAI PAGAR A CONTA É TODO O PLANETA,
    POR QUE O TESOURO QUE BANCA TODAS ESSAS CRISES SEJAM FINANCEIRAS COMO NOS EUA E A CORRUPÇÃO NOS PAISES COMO O BRASIL, TODOS OS RECURSOS SERÃO RETIRADOS DA NATUREZA , MAIS PETRÓLEO, OURO MADEIRA, DESMATAMENTOS , MAIS ANIMAIS EM EXTINÇÃO, PENA QUE NÃO SE ACABE COM OS FAMIGERADOS POLITICOS CORRUPTOS, O POVO AMERICANO MERECE , POR QUE AQUI NO BRASIL , TEMOS MUITO MAIS BUSHs, AQUI SE FAZ AQUI SE PAGA

  17. Comentou em 26/09/2008 Fábio de Oliveira Ribeiro

    Muitos americanos com os quais tenho contato estão espumando de raiva. Eles tem consciência que a principal missão do governante é proteger a moeda e garantir o princípio de que só o Estado deve emitir a mesma. Eles perceberam que Bush e sua quadrilha se omitiu e em razão da omissão permitiu aos financistas criar uma moeda falsa com base nas dívidas hipotecárias. Agora que a crise desta moeda privada começou a afetar a economia e a moeda verdadeira emitida pelo Estado (o dollar) eles não aceitam pagar a conta. Se Bush colocar dinheiro dos contribuintes nos bolsos dos malfeitores seu partido perde a eleição (e ele pode ganhar o mesmo presente que ganharam JFK, Reagan e outros presidentes – um tiro) . A américa está pegando fogo. Tanto melhor para nós que estamos longe.

  18. Comentou em 25/09/2008 Marcelo Ramos

    Bicho, nesse ponto invejo os americanos. Eles tem defeitos mas os consumidores e contribuintes lá são mais conscientes do que aqui. Imagina, FHC ainda tentando capitalizar em cima. Quando os contribuintes daqui acordarem, aí o Brasil vai decolar. Felizmente, durante o governo Lula(não só por causa do governo) já houve um aumento de popularização de internet. E é basicamente a popularização da internet que diminui a influência dessa mídia que tenta nos vender empulhações como essa. Quando FHC era presidente ninguém, fora a oposição, falou contra. E tome dinheiro para os Cacciola e os Dantas.

  19. Comentou em 25/09/2008 Sérgio Henrique Cunha Zica

    No Avaaz.org também tem uma petição deste tipo
    http://www.avaaz.org/po/global_finance_action/

    ‘Para líderes da Europa, Estados Unidos e do mundo: Pedimos sua liderança para consertar as principais falhas e brechas que causaram a crise financeira global. Entre eles o problema dos empréstimos de alto risco, dívidas, incentivos e transparência. Contamos com o seu esforço para proteger o interesse público através de regulamentações mais fortes abrangendo todas as partes do sistema financeiro global. Tome iniciativas ousadas e nós os apoiaremos.’

  20. Comentou em 25/09/2008 Ruy Acquaviva

    No primeiro momento, assim que esse plano foi apresentado pelo governo Bush, a imprensa brasileira correu para traçar um paralelo entre ele e o PROER, apresentando isso como se fosse uma coisa boa e estivesse justificando o plano brasileiro. O Próprio FHC fez essa comparação, achando que iria faturar alguma popularidade com isso (bem que ele está precisando mesmo).
    Porém rapidamente ficou claro que esse plano representa torrar dinheiro público para cobrir as falcatruas de banqueiros irresponsáveis, transferindo para a sociedade o ônus que deveria ser desses banqueiros.
    O paralelo com o PROER continua, realmente ambos os planos se parecem muito, principalmente na socialização dos prejuízos dos banqueiros e na injustiça que essa ação representa. Só que agora nem a imprensa, nem o ex-presidente estão comentando mais nada.
    A máscara caiu…

  21. Comentou em 24/09/2008 rafael costa

    muito interessante!, e o que fica nítido é que a imprensa brasileira cobre a crise como um apêndice do interesse desses bancos falidos; a Folha publicou uma matéria apenas sobre as pessoas afetadas pelo subprime, com as casas sendo tomadas pelos credores; a única crítica lá, e ainda assim mal humorada é do Vinicius Torres Freire.

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem