Sexta-feira, 14 de Dezembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1017
Menu

CÓDIGO ABERTO >

Cross-media,a narrativa jornalística do futuro

Por Carlos Castilho em 07/02/2006 | comentários


O professor italiano Max Giovagnoli, um especialista em textos online, acaba de publicar um livro no qual desenvolve o conceito de cross-media como a forma mais integrada de desenvolvimento de narrativas permitindo que se passe de uma mídia para outra, sem solução de continuidade.


O livro Fare Cross Media (Fazer Cross Media) é uma das primeiras experiências de análise do complexo sistema de produção integrada de conteúdos em ambiente multimídia online.


Max Giovagnoli já publicou três livros sobre produção de textos na web, foi redator chefe do Big Brother italiano e tem um blog chamado Proiettiliperscrittori (sem atualização desde 11/2005) onde discute técnicas desenvolvimento de conteúdos nas várias mídias.


Trocando em miudos, numa narrativa cross media (mídias interconectadas) texto, imagens (estaticas e animadas), sons e interatividade alternam-se segundo uma ordem sugerida pelo autor ou escolhida pelo usuário.


Existe uma certa confusão entre as expressões multimídia e cross media. Tratam-se de conceitos muito novos e ainda não consolidados. Mas de maneira geral, a expressão multimidia é mais usada para definir a existência de mais de uma mídia numa mesma narrativa, enquanto é a cross media é um conceito mais dinâmico porque se vincula específicamente ao processo de transição de uma mídia para outra.


Ela é considerada a forma ideal de narrativa para a web porque o sistema de hiperlinks permite a passagem de uma mídia para outra sem interrupções ou necessidade de mudar de equipamento.


Assim uma pessoa poderá, por exemplo, captar emoções transmitidas visualmente ou oralmente e que perdem boa parte de seu impacto num texto escrito. Poderá examinar uma imagem estática, como um quadro, para conhecer detalhes não perceptíveis num vídeo ou filme. Poderá ainda tirar dúvidas em tempo real com o autor da obra ou sentir as reações de outros navegadores, coisa impossível num jornal, livro, filme, programa de televisão ou de rádio.


Uma das aplicações mais revolucionárias deste novo formato de narrativa é na produção de material jornalístico. A notícia deixa de ser algo estático e distante para tornar-se dinâmica e personalizada, porque será possível conhecê-la, sentí-la e analisá-la através de quase todos os enfoques possíveis.


As ferramentas para que isto seja possível já estão disponíveis e o que falta são profissionais capacitados a usá-las no ambiente jornalistico. É esta carência de pessoal que está atrasando o desenvolvimento do chamado jornalismo de imersão, onde as pessoas poderá vivenciar a notícia de uma forma totalmente diferente da atual, graças a narrativa cross media.


A rapidez com que este novo sistema seja adotado pelos veículos de comunicação jornalística vai influenciar decisivamente no desfecho da crise enfrentada pelos jornais e na solução do problema do desemprego de profissionais do jornalismo.


Aos nossos leitores: Serão desconsiderados os comentários ofensivos, anônimos e os que contiverem endereços eletrônicos falsos.

Todos os comentários

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem