Quarta-feira, 22 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

CÓDIGO ABERTO > Desativado

Culpa da mídia. De quem mais seria?

Por Luiz Weis em 04/07/2007 | comentários


Alô, alô, senador Joaquim Roriz. Não se amofine mais com a gravação em que Vossa Excelência aparece falando em subornar dois juízes do Tribunal Eleitoral do Distrito Federal.


Alô, alô, senador Leomar Quintanilha. Não se apoquente mais com o cabeludo inquérito no Supremo Tribunal Federal sobre traficâncias atribuídas a Vossa Excelência.


Nada do que vos acusam é verdadeiro. Podeis invocar a mesma condição de vítima do complô denunciado hoje em termos apropriadamente candentes pelo não menos ilustre e caluniado senador Renan ‘não arredarei pé da presidência’ Calheiros.


Segundo a Folha Online, ele afirmou que setores da mídia, que não conseguiram derrubar o presidente Lula nas eleições do ano passado, querem agora ‘ir à forra’ com o objetivo de afastá-lo da presidência do Senado.


‘Perderam a guerra com o presidente Lula, não conseguiram derrotá-lo no primeiro e no segundo turno [das eleições] e querem, agora, um terceiro turno. Mas para isso precisam de um crime.’


Nenhuma palavra sobre os seus 15 pares que, um depois do outro, subiram ontem à tribuna para exortá-lo a descer da presidência.


***


Os comentários serão selecionados para publicação. Serão desconsideradas as mensagens ofensivas, anônimas, que contenham termos de baixo calão, incitem à violência e aquelas cujos autores não possam ser contatados por terem fornecido e-mails falsos.

Todos os comentários

  1. Comentou em 06/07/2007 janes pretto

    Cid Elias/CE: esse professor gaúcho está apenas mostrando no que o RS se tornou desde que começou a ser governado pela mídia gaúcha.Esse antipetismo raivoso tem pai e mãe e se chama Rede Brasil de Comunicações (RBS). Essa empresa ‘elege’ funcionários em vários partidos de direita, parece um polvo, cria tentáculos. Achar que a mídia defende a ética, é ser demasiado ingênuo. Ela defende os seus interesses que não tem nada a ver com o país. Os governos eleitos pela mídia gaúcha, acabaram com o estado.

  2. Comentou em 06/07/2007 Marcelo Ramos

    Senhor Marco Costa Costa, como o senhor disse, vivemos em algum mundo estranho. Eu até ficaria feliz se fosse a Índia, que está, em termos de desenvolvimento humano, muito à frente do Brasil. Mas enquanto não chegamos lá gostaria de comentar suas falas. Nesse mundo de internet rolam muitas ‘teorias da cons-piração’. Eu costumo pautar a minha vida pela verdade. Então, o que acontece? Você sabe de algum dado real sobre se a pesquisa foi manipulada? Se sabe deuncie. Se não sabe, não invalide apenas porque não lhe agrada. E se você tem desconfianças, comente suas desconfianças. Mas fica feio você dizer que a pesquisa é manipulada e não apresentar nenhum argumento válido. Esses institutos de pesquisa só existem por causa uma característica fundamental: credibilidade. Se vier à público que eles mudaram uma vírgula de lugar nas pesquisas, imagina com vai ser o ‘dia seguinte’ deles. Acontece algo semelhante com um periódico que recebo da Assessoria de Imprensa da Presidência da República, que divulga as realizações do Governo Lula. Esse email vai para muita gente, inclusive para as assessorias de imprensa de senadores e deputados. Se eles escreverem uma vírgula fora do lugar, no dia seguinte tem senador ou deputado da oposição bradando na tribuna de uma das casas que o governo é mentiroso. Eu até acho que eles poderiam manipular pouco mas nada que altere o grosso do resultado.

  3. Comentou em 06/07/2007 Cid elias

    O professor não leu e não entendeu: eu não sou e nunca fui ligado a quaisquer partidos políticos, nunca tive relação com políticos, portanto não sou PETISTA, não sou ‘ista’ nenhum! Defendo o governo atual do pesadelo que seria caso o golpe obtivesse êxito: o retorno ao poder(em vez da cadeia que era para onde deveriam ir fhc, serra, mendonção etc) dos privatistas roubatizadores lesa-pátrias […], só isso, entendeu ou quer que desenhe? Segundo: eu desmonto tuas teorias imprensalísticas do MENSALÃO. Sabes como? Sem enrolar, me responda como é possível o Deputado Fernando Brant, na época PFL hoje DEMO, um canino adversário do governo Lula, ter recebido MENSALÃO? Vamos lá, professor, responda…o jornalão folhasp esqueceu a mentira combinada e publicou a seguinte manchete um dia após a absolvição do Brandt e do Prof. Luisinho: ‘ MAIS DOIS MENSALEIROS ESCAPAM ‘. Depois tentaram se explicar, mas ficou a farsa evidenciada. Professor, o governo pagava MENSALÃO, que diga-se de passagem não era mensal pois os acusados receberam uma ou duas vezes apenas, a Deputados da OPOSIÇÃO? Houve crime de caixa2 por parte de petistas, ppistas, plistas e o Brant PEFELISTA? Houve, e que cada um pague pelo que fez, simples… Sua perspicácia não lhe intuiu de que foram absolvidos porque simplesmente o MENSALÃO nunca existiu e o crime cometido 101% dos parlamentares sempre praticaram?

  4. Comentou em 06/07/2007 Marco Antônio da Costa

    Esteves comentando sobre pesquisas, não é senhor?. No Brasil, pesquisas de direita ou esquerda são manipuladas pôr aqueles que tem interesse em mostrar para o público que seu governo esta agradando gregos e troianos. Infelizmente, não estamos lidando com pessoas sérias, visto que às propagandas levadas ao ar via televisão mostra um Brasil mais parecido com a Bélgica, do que realmente ele é, ou seja, Índia. Senhor não se iluda com essa gente, elles são contumazes em manipular às mentes mal preparadas quanto a polítização do povo brasileiro. Estatística nada mais é que manipulação de números, trabalhei com essa ciência, e o interessado sempre puxava a sardinha para o seu lado, isto é fato. Outrossim, o senhor mora num país que não é de primeiro mundo ou segundo, ou quem sabe terceiro mundo, na realidade é um país do outro mundo.

  5. Comentou em 06/07/2007 Carlos Esteves

    Por quê ‘estatísticas mandraques’? O senhor Marco tem alguma evidênncia de que houve fraude ou sua afirmação se baseia apenas no fato de que as pesquisas apresentam resultados contrários àqueles desejados? O Brasil não se resume à nossa vizinhança e nosso círculo social… Como diria aquela música: ‘O Brasil não é só litoral, é muito mais que qualquer zona sul’… Fraude houve lá no nordeste para eleger um tucano governador de estado.

  6. Comentou em 06/07/2007 Paulo Eduardo Araújo Antonechen

    Como diz o professor Wanderley Guilherme dos Santos, eminente Cientista Político: ‘(…) o poder da mídia brasileira é o poder de provocar crises políticas. A mídia brasileira promove a crise para negociar sua sustentabilidade, porque está em crise econômica: faltam anúncios e leitores’. ‘(..) o poder da mídia de gerar instabilidade política caracteriza o período de ´democracia de instituições vulneráveis a extorsões´, ao contrário do que ocorre em países estáveis’.
    Vemos com isso, que a mídia busca pautar o governo, busca orientar um determinado programa, visa atingir seus interesses. Uma das formas de buscar isso , é com o seu poder de gerar crises institucionais, apelando para a destruição de uma ‘Coalizão’ – PT/PMDB/PCdoB/PSB/PR… , ou seja, inviabilizando a ação governamental. Só para ilustrar, lembrem-se da disputa da Câmara – Aldo PCdoB e Arlindo PT, a mídia jogou – é só pesquisar na internet -, para um racha nessa aliança histórica, acirrando para além da razoabilidade a disputa, quase gerando uma fratura na ‘Coalizão’ governista. Recentemente no próprio ‘caso’ Renan, começou-se a questionar a ação ou a não-ação de membros do governo na defesa de Renan, mas aqui não era o fato da omissão dos governistas, era a tentativa de destriur a ‘Coalizão’. Até.
    Abaixo um artigo aqui do OI de 2005, muito bom,
    http://observatorio.ultimosegundo.ig.com.br/artigos.asp?cod=336IMQ006

  7. Comentou em 06/07/2007 Diego De Los Santos

    ‘Docentes de Estado das RbGs’. Cid, me impressiona como é pueril o pensamento de um petista. Espero não estar errado, mas acho que vc deve pensar: ‘ O cara é gaúcho e critica o PT, logo deve ser tucano ou um influenciado pela rbs’… Por favor. Nada pode ser mais medíocre que o jornalismo praticado pela rbs,Se vc estivesse aqui no sul, perceberia que hoje até a rbs é lullista, Essa rede dispensou seus famosos comentaristas anti-petistas da ápoca de Olívio Dutra (ficou só com 1) e hojé ZH tem até articulistas simpáticos ao governo Lula, sendo muitas vezes complacentes com visíveis equívocos desse governo.
    Sobre a foto? lhe dou uma dica: não leve tão a sério tudo o que lhe dizem os militantes da ACM (obs: MAW é um ótimo jornalista). O governador em questão não está na foto? Huuummm.. vai ver que alguém mais desavisado pode pensar que Lula é o governador da Paraíba…ou vai ver que os gaúchos adotaram o método presidencial de leitura, só olhando figurinhas…
    Em tempo: ‘golpe branco da elites’ é clichê demais mesmo. Concordamos nisso. Acho que devemos reclamar com a Carta Capital ou com o Cientista Político petista que criou esta estapafúrdia explicação para a crise do mensalão.

  8. Comentou em 06/07/2007 Marcelo Ramos

    Primeiramente, agradecendo a oportuna correção do autor ao meu post anterior.
    Professor Diego, estou vendo, pela sua fala que o senhor carece (ou não ve) de certas informações. Assim, pretensamente vou cumprir um papel informativo, para melhorar o nível de nosso debate. Vamos lá: 1) Mensalão é um termo cunhado pela mídia de direita de direita sim, uma vez que, de fato (não cinicamente), não ocorreram repasses mensais mas sim repasses esporádicos. O nome correto seria Caixa 2. E havia deputados de diversos partidos, embora a mídia de direita centrasse atenção apenas no PT. Se o senhor ler meus outros posts verá a relação do Caixa 2 com o senador Eduardo Azeredo e a repentina falta de interesse desta mídia quando descobriu que o senador era o criador da relação com o Marcos Valério, tudo para sua informação. 2)O protesto ocorrido pelos ‘excessos’ da operação Hurricane não foi da OAB mas foi uma reação corporativista de alguns juízes do judiciário (juízes do judiciário é reforço frasal) diante do fato de que tal operação flagrou em ilícitos e prendeu integrantes daquele poder, não por causa do Vavá. A propósito do Vavá, Élio Gaspari escreveu, há uma 3 semanas, um artigo protestando sobre o excesso de exposição do Vavá na mídia de direita em razão apenas de suspeitas.

  9. Comentou em 06/07/2007 Marco da Costa

    Vale dizer, segundo estatísticas mandraques, o senhor Lulla tem o apoio de mais de 60% da população brasileira que entende que o pai dos miseráveis esta fazendo um boa administração. Vale dizer também, uma parcela considerável da população pôr miopia política não sabe definir se elle esta governando para o povo ou para a burguesia nacional e internacional. No entanto, para aqueles que vê e enxergam com uma visão política saudável, entende que o rei das bolsas esmolas esta fazendo uma administração somente para os banqueiros, empresários e os especuladores de sempre. Quanto a mídia, ela vem cobrindo com isenção os desvios de conduta administrativas de elementos que fazem parte da turminha do Lulla, bem como PSDB, PT e congêneres são filhotes da mesma loba.

  10. Comentou em 06/07/2007 Kleber Carvalho

    Qualquer semelhança entre Roriz e Alckmin não é ‘mera coincidência’ os dois se entendem muito bem quando se trata de negociatas feitas à luz de velas em ambientes sombrios.

  11. Comentou em 06/07/2007 Diego De Los Santos

    Meu segundo exemplo refere-se ao caso do ‘ingênuo’ Vavá. Você por acaso viu as declarações do presidente? A verdade é que uma série de abusos vinham sendo cometidos nas ações da PF. Talvez o mais notório tenha sido tornar estas instrumento de propaganda do governo, como na operação ‘Hurricane’ por exemplo, tornando as ações da PF mais “midiáticas” do que justas.. O Fantástico exibia as operações, declarava nomes, apontava culpados. Enquanto os advogados dos suspeitos sequer tinham acesso aos autos da investigação e não podiam entrevistar-se em privacidade com seus clientes. A OAB protestou. Não me lembro de ter visto os lullistas defendendo o estado de direito nesse caso. Aliás, vc aponta uma série de desvios do senador Calheiros, ele foi julgado? Foi condenado? Parece que o império da lei e a presunção de inocência só interessam quando há um “companheiro” envolvido. Foi só a PF descobrir que Vavá tinha ligações suspeitas com gente suspeita que lulla e os panfletos regados à dinheiro público se deram conta dos abusos da PF e da exposição de pessoas presumidamente inocentes à visão condenatória das mídias. Vavá foi pego em falcatruas. Culpa de quem? Primeiramente da PF e depois, dessa mídia terrível que expõe nossos ingênuos lobistas.

  12. Comentou em 06/07/2007 Diego De Los Santos

    Caro Cid, vc já ouviu falar do ‘Mensalão’? Não me diga que vc é um dos que pensa que a compra de parlamentares não existiu? Algumas pessoas até, cinicamente, afirmam que se não houve repasse mensal não poderia existir um ‘mensalão’….sei…sei… O fato é que no auge do ‘mensalão’, um panfleto oficialesco de grande circulação estampou a filósofa Marilena Chauí em sua capa. Ela estava sendo entrevistada naquela edição e proferiu toda aquela série de tolices politicamente interesseiras que encantam nossa dita ‘esquerda’: a mídia é manipuladora e distorce a informação, só denunciam corrupção quando envolve do PT, blábláblá….. nem precisa dizer que a militância, tal como papagaios de pirata saiu a repetir isso sem reflexão (aliás, como é peculiar) em universidades, internet, blogs, panfletos, fóruns, etc. Este é meu primeiro exemplo: a companheirada foi pega em maracutaia. De que é a culpa? Ora, da mídia é claro, jamais não seria.

    (continua)

  13. Comentou em 06/07/2007 Marcelo Ramos

    Eu não vou repetir o meu post mas gostaria de enfatizar uma idéia importante, que já repeti em posts do Alberto Dines diversas vezes: que papo é esse de A MÍDIA? as pesoas deste blog estão carecas de saber que não existe somente uma mídia, mas muitas, e com interesses bem diversos. E parece que está havendo, também, uma estranha confusão no que diz respeito à políticos que culpam a mídia. Por exemplo, quando Lula fala sobre a mídia que não divulgou muitas das realizações positivas de seu governo, realizações essas que só apareceram para o povo brasileiro (aquele que não possui computador/internet) na campanha de reeleição. Então quando Lula fala da mídia de direita está se referindo à um grupo específico e com motivações definidas. Não dá para comparar o episódio do Lula ou o episódio do José Dirceu ao Renam Calhau. Este último foi pego com a mão na massa e se compara ao Lula apenas para confundir o povo. É até razoável admitir essa confusão vinda de pessoas mal informadas mas não de pessoas bem informadas. Não sei se vocês sabem, José Dirceu foi absolvido das acusações e, em razão disso, vai pleitear sua volta ao Congresso. Você viu essa notícia por aí?

  14. Comentou em 06/07/2007 Carlos Esteves

    Já que a turma midiática tentou, tentou e não conseguiu derrubar Lula ou impedir sua reeleição e ainda por cima se depara agora com um quadro de alta popularidade do Presidente e economia favorável, foi preciso mudar a estratégia. Nada cola em Lula, então agora o negócio é começar a comer pelas beiradas. ‘As beiradas’, no caso, são os parlamentares que apóiam o governo. Tivesse a mídia algum interesse moralizador, estaria agora fazendo furiosa campanha pela instalação de CPIs da Nossa Caixa, CDHU e corrupção Bingos/Polícia paulista. Se fosse para ficar no senado, a mídia estaria exigindo explicações do senador que foi viajar aos EUA com ‘assessora’ por conta do senado… A campanha macartista contra Renan irá se estender a mais poíticos que apóiem Lula. Isso se chama intimidação.

  15. Comentou em 06/07/2007 clovis ferreira frias

    Dizem que em política, não basta ser a mulher de César. Tem que ‘parecer’ ser a mulher de César. Ou seja, o político se encontra numa vitrine e deve zelar de forma excepcional por sua imagem. Nada de sair por aí, traindo o conjuge e pagando a pensão de filhos gerados fora do casamento, com dinheiro de origem suspeita. Principalmente os senadores, porque o Senado, por definição, é a representação da experiência e da honra. Quer dizer: O senador deveria ser um velho, ou uma velha, honesto e honrado. Pelo que se nota, atualmente o senador não é só um velho. Também é um velhaco.

  16. Comentou em 06/07/2007 Fernando Teixeira

    A cassação se dá de forma indireta através de um processo político (que em tese não se submete a preceitos jurídicos sagrados) e significa a invalidação por parte de outros políticos de um mandato outorgado diretamente pelo povo. Por isso mesmo é um expediente a ser usado com bastante cautela e muito excepcionalmente, pois consubstancia numa gravíssima ruptura da vontade popular que foi expressa legitimamente pelo voto. Os preceitos constitucionais não delimitam com precisão o que vem a ser decoro parlamentar. O conceito de decoro é vago, impreciso e indeterminado. Entretanto, e talvez por isso mesmo, o processo por quebra de decoro parlamentar transformou-se numa brecha escancarada para a perseguição política com vistas a cassar mandatos e direitos políticos, sobretudo de representantes considerados influentes para o governo e seu projeto político. Este acossamento, exercido através da ameaça de cassação ou da cassação propriamente, tornou-se um recurso recorrente para o mister de defender interesses escusos, de subverter a ordem e vilipendiar a soberana vontade expressa através do sufrágio popular. Afigura-se que tal expediente perverte a normalidade democrática. A receita deste ardil é sempre a mesma com a participação da mídia que há muito não traduz a percepção e o anseio do povo.

  17. Comentou em 05/07/2007 Cério Santos

    Renan e Roriz o título capcioso diz. Mas cada caso é um caso. O que há em comum é que ambos são do PMDB: partido que apóia o governo. Os políticos da atual oposição de repente ficaram impermeáveis a toda e qualquer falha. Transformaram-se (é um total despropósito) em arautos da ética e do decoro. Muitos que são a própria personificação da corrupção em nosso país. Não defendo Renan, muito menos Roriz (que já foram aliados de outros governos e até então eram santificados). Contudo, vislumbro que este conluio infame entre a grande mídia e políticos ultrapassados/derrotados tem objetivos ilegítimos e perigosos que absolutamente não merecem prosperar. A mídia, indubitavelmente e infelizmente, está sim metida nisso. E parece ter uma predisposição genética a desempenhar esta conduta sórdida. Isto é profundamente desalentador. Qualquer cidadão de bem (incluindo os bons e responsáveis profissionais da imprensa) se incomodam com isso. Porque tal comportamento consubstancia uma indignidade e uma ilegalidade. A imprensa, que usufrui uma concessão pública, deve obrigatoriamente pautar seu agir dentro da licitude e em prol dos interesses do povo e do país. Há de ser apartidária. E, sobretudo, deve elevar e defender os preceitos democráticos e não buscar subverter a ordem da legalidade em nosso país.

  18. Comentou em 05/07/2007 Gustavo Morais

    Deve-se questionar se existe alguma intenção ou interesse espúrio por detrás da supervalorização e exploração da notícia. Quase sempre há. Certamente, não se pretende defender a inocência do Sr. Renan. Mas, efetivamente, fica patente que o mesmo já foi sumariamente condenado pela mídia, a qual usurpou os poderes institucionais da casa legislativa e do Judiciário. Inclusive, a imprensa vem exercendo desmedido patrulhamento e intimidação perante os parlamentares, persuadindo-os, para que estes apenas ratifiquem o que já foi antecipadamente julgado. Verdadeiramente, trata-se de um Tribunal de Exceção (Tribunal midiático). Note-se que o Sr. Renan era aliado de governos anteriores e jamais fora questionado. Há de se estranhar, nesse caso, a postura combativa da Rede Globo (tão conivente e tolerante no Governo FHC, no qual Renan foi Ministro da JUSTIÇA). É um disparate que a mesma, não dispondo de lisura e idoneidade para tanto, pretenda ser guardiã da moral e da ética. Não se deve esquecer que a mídia (capitaneada pela Globo), no ano passado, exerceu um odioso lobby para derrubar o Presidente Lula, bem como, para inviabilizar a sua reeleição. Não conformada por não atingir o seu intento, tal lobby persiste, impondo-se embaraços ao mesmo. Ou será mera coincidência fato do Sr. Renan (agora) ser aliado do Governo Lula ? Essa odiosa perseguição é a expresão da antidemocracia.

  19. Comentou em 05/07/2007 Cid Elias

    Caro Professor Diego, vamos colocar as coisas nos devidos lugares,’…denunciar um ‘complô da mídia’ toda vez que um ‘companheiro’ graúdo é pego em maracutaia…’, é o máximo! Qual ‘companheiro’ o senhor se refere? Desde quando Renan é companheiro de alguém, a não ser do bolso dele? E de quais ‘maracutaias’ o senhor fala? Quais as que foram comprovadas? Entre as miríades dessas que o senhor certamente vai nos relatar, em quais delas posso ver escrita que a explicação dada tenha sido ‘foi um complô da mídia’? Observando, como catedrático que és, que refiro-me àquelas onde os tais ‘companheiros’ tenham sido devidamente julgados e declarados ‘culpados’ pela JUSTIÇA brasileira, não por jornalões marrons ou por docentes do estado da rbGs que se acham no direito de encarnar os papéis de inquisidores, juízes e carrascos. Professor De los Santos, ‘golpe branco das elites’ é clichê demais pro meu gosto. Será que o senhor viu a matéria da zerohora em 01/07, página inteira, onde a manchete dizia ‘governador da paraíba(SEM CITAR O PSDB, CLARO!) ameaçado de cassação’, porém, a foto, grande demais em relação à matéria, ERA do Lula em destaque, o José Alencar, Ciro, fulano de tal, e lá no último espaço, o governador do psdb motivo da notícia? Qual sua opinião? Foi SÓ um descuido? Foi para provocar os que denunciam o complô óbvio da mídia? Ou quem sabe aprovas o profissionalismo do grupo rbGs?

  20. Comentou em 05/07/2007 Fernando Teixeira

    Princípio basilar do direito é o de que ao acusador cabe o ônus da prova e de que todos são inocentes até prova cabal em contrário. É assim, e diferente, em um Estado de Direito, não poderia ser. Entretanto, esdruxulamente, neste caso do presidente do Congresso chegamos a conclusão de que se ele não conseguir provar terminantemente a sua inocência (ao contento dos que o acusam) será, por conseguinte, efetivamente culpado. E a máxima forense “in dúbio pro réu” se transubstancia em “In dúbio culpadus est”. Em verdade ele já está julgado e condenado por um tribunal de exceção constituído oportunamente para trucidá-lo. Quem assiste a este circo montado de forma crítica e imparcial vislumbra claramente que este “tribunal” jamais o absolverá (por mais que se prove e comprove a inocência), pois o mesmo foi organizado com o mister de condená-lo. Este acossamento é torpe, sobretudo pelo seu animus que é o de, acintosamente, perseguir a base aliada do governo. E assim agem tão somente por estar de conluio com as forças retrogradas que perderam nas urnas. Pois que ninguém se engane (e até não se enganam mesmo) para este tribunal de exceção o maior pecado do senador em tela é o de ser aliado do Governo.

  21. Comentou em 05/07/2007 Fábio de Oliveira Ribeiro

    Você tem toda razão. A culpa é da mídia. Afinal, se as revistinhas, jornalões e tevezicas fossem mais cuidadosas, criteriosas e éticas, o RORIZ já tinha perdido o verniz a muito, muito tempo. Foi tarde. Ninguém irá ao seu enterro e a placa de bronze da sua lápide será roubada (provavelmente por um ex-companheiro de labutas duvidosas). Que o RENÃORENUNCIO o siga e bem rapidamente.

  22. Comentou em 05/07/2007 Marcelo Ramos

    Dando prosseguimento às reflexões do Paulo Eduardo, sobre porque certas investigações não são aprofundadas pela mídia, eu tenho uma reflexão que vou ilustrar com dois exemplos. Quem aqui se lembra do mensalão? A mídia começou a carga em cima de diversos políticos, principalmente em cima de políticos do PT e tentando ligar com o presidente. Quando as investigações se aprofundaram, e descobriram que o criador do mensalão era o ilustre senador Eduardo Azeredo, PSDB-MG, não mais que de repente outros assuntos começaram a ocupar a pauta. Estranho né? Bem, vamos ao outro exemplo. Outro caso de CPI que ocupava a pauta, não me lembro o nome, começou-se a falar de uma certa lista com diversos nome que receberam propinas ou caixa 2. A oposição fez o maior alarde, junto com os jornais, claro. Quando a lista veio à público, entre os nome estava o Rodrigo Maia, filho e herdeiro político do Cesar Maia, gov. do RJ, e um dos que fazia discursos inflamados sobre ética na CPI. Bom, a lista também sumiu da pauta. Os políticos do PFL a ‘perderam’ e diminuíram o tom do discurso sobre ética. E coincidentemente os jornais pararam de ‘aprofundar’ as investigações. O que acontece no Brasil? Qualquer investigação mais profunda, esbarra em figuras da direita, que ocuparam o poder nos últimos 20 anos. E também existem muitos senadores e deputados que são donos ou amigos de donos de grupos de comunicação.

  23. Comentou em 05/07/2007 Diego De Los Santos

    Caro cid (não vou colocar nenhum sobrenome estapafúrdio em você, pois prefiro debater idéias de forma adulta). Concordo com o diagnóstico que você fez. Ele nos mostra que o Calheiros de outora utilizava-se de práticas muito parecidas com as do pt atual. Vai ver que é por isso que ele e o antigo ‘partido da ética’, hoje estão tão próximos. Mas, caro cid, não é só disto que eu estava falando. Me refiro, principalmente à tática petista de denunciar um ‘complô da mídia’ toda vez que um ‘companheiro’ graúdo é pego em maracutaias. Parece que Renan calheiros aprendeu muito bem a tática de seus novos parceiros. Será que seu próximo passo será denunciar um ‘golpe branco das elites’?

  24. Comentou em 05/07/2007 João Bosco Sobreira

    A democracia se fortalece com uma imprensa, um ministério público e uma polícia federal livres para denunciar, apurar e prender os grandes e perigosos ladrões que deveriam nos representar no congresso nacional, mas estão é levando esse país à miséria e ao descrédito junto à opinião pública…Não estranha esses corruptos quererem silenciar a imprensa, a polícia federal e o ministério público…Mas esses órgãos só incomodam a quem tem ‘aquilo’ preso…

  25. Comentou em 05/07/2007 Paulo Eduardo Araujo Antonechen

    Que há corrupção, crimes, permeando Brasília, sabemos!
    Que o caso Renan é mais um de inúmeros casos, também sabemos!
    O que não fica claro, e os jornalistas com seus artigos, suas opiniões (pois investigações são poucas) não ajudam entender, é o porque desse processo de ‘levantar a poeira’? O quê querem atingir com isso, é livrar o parlamento de um sujeito que foi pego fazendo ‘farra’, exercendo influência para beneficiar a si e a outros – então temos que investigar quase todos -? Ou é outra coisa e a quem interessa?
    E por que a mídia, não aprofunda os ‘casos’ dos corruptores – que são centanas fraudando licitações, fazendo obras irregulares, vide o metrô de São Paulo (o buraco paulista), do ‘Partido das Empreiteiras’ no Congresso Nacional?
    E vai mais uma pergunta, existe um ‘Partido da Mídia’ ou ‘Partido das Emissoras’? Não sei! Até mais.

  26. Comentou em 05/07/2007 Cid Elias

    Estás redondamente certo, caro diego cruyzes. Renan nada aprendeu quando foi o homem forte do caçador de maracujás, lembras? Lembras do collorido engodo que a mídia capitaneada pela grobo enfiou goela abaixo dos brasileiros? O Renan daquela época era uma reencarnação de São Francisco de Assis, de tão puro. Depois, já que alguns apresentam um tipo raro de memória seletiva, fez pós-graduação em honestidade emplumada, ao ser galgado à posição de ministro da Justiça(pode?) do fhc. Obviamente este Renan nunca ouviu falar de empreiteiras, caixa2, propinas, emendas…Aliás, a bem da verdade, vou confessar que ‘ouvi dizer’, não sei se a fonte presta, que o Renan teve um acidente bem no final de 2002. Foi uma queda no banheiro. Ele bateu a cabeça no chão com muita força. De lá pra cá todos notaram mudanças no seu comportamento. Virou um corrupto de ponta, infiel, abandonou os princípios éticos tão presentes quando ocupou altos postos de governos mais éticos ainda. Que fase, hein diego?

  27. Comentou em 05/07/2007 Marco Antônio da Costa

    A culpa não é da mídia, a culpa é do eleitor, aquele que inconscientemente e com uma boa dose de despolitização, acabam elegendo pessoas da elite que não tem nenhum de vinculo de amizade, financeiro ou qualquer outro tipo de contato, a não ser conhecer o candidato através de propaganda enganosa com o povo pobre deste pobre país. Os meios de comunicação tem uma boa parcela de responsabilidade em deixar de informar as fichas de possíveis desvios de condutas dos candidatos aos cargos disponíveis nas esferas governamentais. Se a mídia, não fosse conivente com os capitalistas do momento, este estado de coisas não estaria acontecendo ou que sabe seria diminuto.

  28. Comentou em 05/07/2007 André Martins

    O Renan está certo em não renunciar. Nesse processo politico-midiático, isso equivaleria a admitir a culpa. Não estou dizendo que ele é inocente, mas o ônus da prova deveria ser de quem acusa, e me parece que ninguém conseguiu provar que a Mendes Jr pagava parte de suas despesas. Além disso, que mal há em sangrar o congresso provocando a exposição de suas mazelas? Acho que no final o senado sairá fortalecido e mais limpo.

  29. Comentou em 05/07/2007 Diego De Los Santos

    Pelo jeito, Renan Calheiros já aprendeu as técnicas do PT (em todos os sentidos…)

  30. Comentou em 05/07/2007 Luiz Carlos Bernardo

    Luiz Weis, a sociedade brasileira séria está cansada de tanta desfaçatez de nossos políticos. Eu, além de cansado, estou literalmente enjoado de ver, ouvir e suportar tanto cinismo do sr. Renan Calheiros. É muita ‘cara de pau’. Tudo tem limite. O interessante, ainda, é ver os semblantes dos demais senadores. Eles não conseguem disfarçar a preocupação e o medo. Será que é tão dificil assim ter um pouquinho de dignidade. Em que mundo essas excelências vivem? Será Brasília uma nova Sodoma? ou Gomorra? Mas o que mais angustia, é ter a quase certeza que o Roriz um dia voltará ao cenário político, por meio do voto popular. Quem é pior, eles (os políticos) ou os ignorantes coniventes de plantão? Seja qual for a resposta, urge reescrevermos a nossa história, pois não podemos legar essa mar de lama aos nossos netos e bisnetos.

  31. Comentou em 04/07/2007 Ivan Moraes

    DEPOIS de Renan deixar transparecer muitissimo visivelmente que sabe sujeira dos outros e pode usar la pra derrubar outras pessoas em Brasilia se cair, o svizinhos podem falar o que quizerem mas ele tem que sair de la e jogar essas pedras. Porque pedra no bolso eh vendaval… Estou tentando ver a quem elevai tentar derrubar atravez de transmimento de pensacao, assim que tiver resultados eu vou ver se a imprensa eh culpada do boi na linha ir pro brejo ou se nao eh!(:-) Nesse meio tempo, porque eh que Roriz nao pode ameacar veladamente (mas atravez da imprensa, logico) alguem tambem? Ta dificil? Custa muito? Eu quero ingressos.

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem