Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº969

CÓDIGO ABERTO > Desativado

É a sucção que interessa

Por Luiz Weis em 06/05/2006 | comentários

Nada mais natural que a imprensa queira publicar e o público queira saber os nomes dos políticos e assessores parlamentares citados nas escutas telefônicas autorizadas pela Justiça no curso da Operação Sanguessuga, da Polícia Federal.


A investigação trata da compra superfaturada de ambulâncias para prefeituras com dinheiro do orçamento federal.


Uma lista com 62 deputados, um suplente e um senador está em todos os jornais de hoje. Há indícios contra metade deles – ou, mais exatamente, contra 32 deputados e o senador, Ney Suassuana, do PMDB da Paraíba.


Os demais podem ter se refestelado do sangue do contribuinte – ou não terem envolvimento algum com mais esse escândalo, que lembra o dos Anões do Orçamento e a CPI a respeito, em 1994. Mas os nomes de todos já estão na boca do povo e os seus portadores, expostos desde logo à execração, é que são chamados a explicar por que aparecem nas fitas dos grampos.


À parte isso, tenho para mim que o que mais interessa – mais até do que a identidade dos sugadores, apesar de sua óbvia importância para o eleitor – é conhecer em detalhes como funciona a sucção, como se faz para tirar o sangue da sociedade para nutrir um bando de vampiros. E disso, por enquanto, a mídia dá apenas uma idéia muito genérica.


Os jornais precisam ir além dos infogramas ilustrando o que pretende ser o ‘passo-a-passo’ da fraude, e detalhar o caminho percorrido pelos fraudadores, cúmplices e inocentes úteis. 


Não só para o público ter uma visão desanuviada de como lhe batem a carteira – quaisquer que sejam os batedores. Mas para que se dê conta também do que deve mudar, no plano institucional, para restringir as ocasiões que fazem os ladrões.


P.S.


Da série ‘O diabo está nos detalhes’:


Uma entrevista na Folha de hoje com o angolano acusado por um garçom de ser o mandante da morte do prefeito de Campinas, Toninho do PT, em 2001, começa assim:


‘O empresário José Paulo Teixeira Cruz Figueiredo está aturdido desde que seu nome foi citado…’.


O entrevistador não sabe se o entrevistado ‘está aturdido’ de verdade. Pode até ser que sim. Mas, principalmente em casos como esse, a prudência recomendaria escrever que o empresário parece aturdido ou se diz aturdido.


***


Os comentários serão selecionados para publicação. Serão desconsideradas as mensagens ofensivas, anônimas, que contenham termos de baixo calão, incitem à violência e aquelas cujos autores não possam ser contatados por terem fornecido e-mails falsos.

Todos os comentários

  1. Comentou em 07/05/2006 Kleber Silva

    Definitivamente , as coisas estão mudando no Brasil ainda que devagar . Alguns crimes praticados por políticos começam a ser investigados mesmo que a punição ainda vá tardar . Mas uma pergunta fica no ar : por que a Polícia Federal não apurava em governos passados uma série de denuncias contra políticos desses governos ? Algumas inclusive citadas neste OI pelos leitores . Ainda está em tempo de se apurar muita coisa dos governos passados (inclusive do atual ) até para que eventuais crimes não precrevam ! Caro weis em relação à Operação Sanguessuga , sem querer condenar ninguém antecipadamente , o que voce acha do fato de alguns deputados do psdb-pfl-pps do estado do estado do Rio que aparecem na mídia batendo pesado no mensalão e no PT agora estarem incluidos nesta Lista ?

  2. Comentou em 06/05/2006 José Carlos dos Santos

    Caro Weis, espero que a imprensa aja com parcimônia nesta história espero que não repíta, como no caso do mensalão, que todos são culpados até prova em contrário, aliás não custa repetir até agora não houve comprovação de pagamentos a parlamentares para que votassem com governo em troca de dinheiro, mesmo porque não faz sentido pagar a parlamentares do PT para votar com o PT, nesse caso da ambulância a claras evidências mas mesmo assim a muitos nomes na lista que acho não deveria ter sido divulgada até que se tivesse elementos mais consistentes contra esses parlamentares.

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem