Segunda-feira, 20 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº966

CÓDIGO ABERTO > Código Aberto

Eleitor 2010, a patrulha eleitoral

Por Carlos Castilho em 21/08/2010 | comentários

O projeto mal saiu da etapa alfa e ainda está no que os internautas mais experientes chamam de fase beta, mas já recebeu 180 denúncias de violações da lei eleitoral feitas por brasileiros de todas as regiões do país.


 


O site Eleitor 2010 é a primeira experiência brasileira de monitoramento eleitoral praticado de forma autônoma pelos próprios eleitores. Até agora, a maior parte das denúncias está vinculada à pratica do spam eleitoral, o envio de mensagens não autorizadas pelo receptor, contendo propaganda de candidatos.


 


O site publicou denúncias de internautas sobre a venda pelo Twitter de listas com até 40 mil nomes de eleitores para serem usadas por candidatos nas eleições de outubro. A lei eleitoral proíbe a venda e cessão de cadastros para uso por candidatos e partidos.


 


Mas há comunicados interessantes como o feito por um morador da cidade de São Luís, capital do Maranhão, revelando que a igreja evangélica Casa da Benção oferece os votos de três mil fiéis aos candidatos locais em troca daquilo que o pastor local chama de “possível apoio”, um eufemismo para recompensa financeira. 


 


O projeto do Eleitor 2010 foi criado por dois jornalistas brasileiros com base no software Ushahidi, usado recentemente em monitoramento eleitoral na Índia, México e Moçambique. Paula Goes e Diego Casaes desenvolveram o projeto com o apoio do programa Global Voices, uma rede mundial de 300 blogs criada em 2004 por dois jornalistas americanos vinculados ao Berkman Center, da Universidade Harvard.


 


Ainda de forma tímida, o Eleitor 2010 sinaliza uma importante mudança no comportamento dos eleitores, à medida em que entramos mais fundo na era digital. De uma atitude passiva, os eleitores começam a dar sinais de que seu protagonismo não se limitará apenas ao voto, mas se estenderá ao patrulhamento da campanha e da votação.


 


Coloca também a imprensa diante de um novo desafio, o de verificar as denúncias publicadas nos sites de monitoramento eleitoral. Até agora os jornais tinham um virtual monopólio na publicação das violações e atentados às leis eleitorais. Agora, eles passam a ter que funcionar como observadores dos blogs — o chamado gatewatching (observação do que sai publicado), no jargão jornalístico na web.


 


É mais um sintoma de uma seqüência de mudanças que estão sendo provocadas pela maior participação dos cidadãos por meio da internet e da web. A multiplicação de sites preocupados com a transparência dos negócios públicos e privados está obrigando os governos e empresas a revisarem suas estratégias de relacionamento com os contribuintes e consumidores.


 


No caso eleitoral, as mudanças começaram com a introdução da urna eletrônica que, segundo cálculos do cientista político Jairo Nicolau, um especialista em processos eleitorais, incorporou 10 milhões de eleitores só na primeira grande votação digitalizada realizada no país, em 1998.


 


A fraude foi reduzida a níveis mínimos, virtualmente acabando com o fenômeno do coronelismo eleitoral, embora a urna ainda esteja sujeita a dúvidas sobre a sua confiabilidade. Aqui no Brasil, a mídia praticamente sepultou todas as restrições levantadas no exterior, inclusive nos Estados Unidos, especialmente as referentes à impressão de um recibo de voto para o eleitor.


 

A grande mudança começa quando o eleitor descobre sua capacidade de interferir no processo de votação, muito além do ato de apertar um botão numa urna eletrônica. 

Todos os comentários

  1. Comentou em 02/09/2010 Fábio Santos

    É incrivel como o PSDB e seus seguidores teimem em querer desarticular a candidatura da petista Dilma Hussef, com uma armação torpe no sentido de comover o povo brasileiro. Pergunto a êles: Que interesse tem o PT ou sua candidata Dilma em vasculhar sigilo de opositores, que a cada pesquisa eleitoral despencam vertiginosamente e ela Dilma ao contrário vem subindo a cada pesquisa de opinião pública? Caro Candidato Serra, é o povo quem quer. Dilma não precisa usar tais maneiras para chegar lá. Infelizmente quando se chega ao desespero, passa-se a agir como sua excelência. Foi assim na sua primeira derrota para o Presidente Lula e o Sr. infantilmente teima em repetir a dose. Seja mais objetivo e mostre suas propostas (se é que as tem), mas por favor não se pendure mais nos genéricos e pare de tentar atingir a Dilma. Já foi-se o tempo em que o povo gostava de ouvir essas ofensas. O Sr. já está até montando a equipe de trabalho da Dilma com pessoas que agiram de forma errada quando ostentavam cargos públicos. É muita apelação. Que vergonha candidato Serra. Conforme-se e tente convencer o povo brasileiro (que não é mais bôbo) de forma mais elegante, como vem fazendo a candidata Dilma.
    Atenciosamente,
    Fábio Santos

  2. Comentou em 26/08/2010 rogerio cardozo

    Porque tanta gente quer o poder,tem gente com 40 anos vivendo só na politica que está bilionario,depois dessa tem que haver uma reforma no sistema eleitoral.Porque vereadr que trabalha e mora na cidade tem salarios altissimos,assim até eu vou cantar louvores.Quem quer o bem da comunidade ?Campanhas eleitorais carissimas,a tv nem reclama do horario politico porque também ganha o seu.Tá hora de apopulação ver que o que muitas vezes falta foi gasto na eleição.E voces da imprensa tem que informar o povo.

  3. Comentou em 25/08/2010 Arnaldo Costa

    Sobre mais uma tentativa de golpe:
    Não há mais tempo para divulgarem a campanha da apresentação de 2 documentos para votar. É golpe mesmo. Seria interessante exigirem apenas um documento com foto. O título de eleitor seria opcional, apenas para facilitar. Outra coisa: não cabe ao PT ou ao PDT usarem seus horários de campanha para fazer esses esclarecimentos. Muito menos são responsáveis por difundirem essa informação. Toda a responsabilidade pelo fracasso dessa medida e, por consequência, da eleição, é do TSE, que inventou essa estória e tem a função de regulamentar esse processo. Um absurdo. Cansamos de ser enganados. Pau neles.

  4. Comentou em 23/08/2010 Ibsen Marques

    Marisa Freitas. quais são esse órgãos de imprensa que jamais tive conhecimento? Sim, porque a Globo, a FSP, o OESP, a Veja, a Época e o Globo sempre foram amplamente favoráveis ao tucano. Me diga em que dia,uma dessas publicações defendeu o governo Lula, ao contrário, detonaram o governo Lula até não poderem mais. A única publicação mais moderada é a Carta Capital. Sobre a fraude, gostaria de saber como estão medindo essa possibilidade de fraude. Há meses um consultor publicou aqui mesmo no OI uma matéria dando conta de uma proposta que tramitava no Congresso propondo um número mínimo de votos em urnas convencionais para que os partidos políticos e outros organismos nacionais e internacionais pudessem verificar a lisura do processo. A grande mídia tratou do assunto como se o projeto quisesse reintroduzir o processo burocrático e caro de eleições em urnas e papel, sem divulgar a verdadeira intenção da proposta. Hoje fica o dito pelo não dito. Eles dizem que não há fraude e eu acredito!!! É a mais pura crença!!!

  5. Comentou em 23/08/2010 Max Suel

    Já , a esquerda composta por Sarney, Collor, Jader, Sergio Cabral, Maluf e outros , comemoram a vitória (ué não vai ter eleição ? já votaram e nem avisaram …)

  6. Comentou em 23/08/2010 Josi Meirelles

    Direita já admite derrota de Serra e pede cabeças tucanas:

    http://blogdovampirodecuritiba.blogspot.com/

  7. Comentou em 23/08/2010 Marisa Freitas Goes

    ‘A Imprensnsa também tem sua parcela de culpa por o Brasil estar voltando ao século retrasado. Sempre poupou Lula, sempre fechou os olhos para as bobagens feitas pelos petistas, nunca divulgou o que de fato aconteceu com o prefeito assassinado Celso Daniel, por exemplo. Em vez de combater, diziam que conseguiriam civilizar os petistas. Deu no que deu!

    Hoje, em pleno Século XXl, vemos novamente a volta do fascismo orwelliano ganhando força com o Grande Pai Lula e a Grande Mãe Dilma. A Imprensa livre, que sempre defendeu não só o PT, mas de forma geral toda a esquerda, corre o risco de ser controlada por aqueles que sempre defendeu. Sai a Imprensa livre e quem assume são aqueles jornalistas achacadores que foram demitidos e hoje recebem da Lula News e estatais para fazer o jogo sujo. Sai aquele pensamento ingênuo dos bispos católicos que sempre defenderam o PT e a esquerda e entra o Bispo Macedo. Os movimentos sociais, que sempre fiscalizaram os governos e que sempre defenderam o PT, hoje são estáticos sociais, cooptados pelo partido. A UNE, que, bem ou mal, sempre esteve envolvida em grandes lutas, hoje se transformou nessa coisa patética chapa-branca.’
    .

    http://blogdovampirodecuritiba.blogspot.com/
    .

    Poderíamos ter feito um país de verdade. Hoje temos de escolher entre os sujos e os limpinhos…

  8. Comentou em 23/08/2010 Mauro Alves da Silva

    A imprensa tem o dever de mostrar o que está por trás da candidatura Tiririca: http://www.youtube.com/watch?v=Bx-ZSB vFxN4 Votando no palhaço Tiririca, você estará ajudando a reeleger três deputados federais do MENSALÃO:- Valdemar Costa – (PR, ex-PL) – Formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, corrupção;- José Genoino – ex-presidente do PT – Corrupção; Formação de quadrilha;- João Paulo Cunha – ex-presidente da Câmara – Lavagem de dinheiro, corrupção. http://BlogdoMauroSilva.wordpress.com

  9. Comentou em 22/08/2010 alice franca leite

    DE TAL MANEIRA AS TAIS PATRULHAS ELEITORAIS ESTÃO ATIVAS QUE TENHO VONTADE DE PARAR DE ENTRAR NA INTERNET,TANTOS SÃO OS ABUSOS DE PROPAGANDAS DO SERRA& OUTROS BICHOS!
    EU DESTESTO ESSA HISTÒRIA DE ‘REDES SOCIAIS’,TENHO O MAIOR PRAZER DE NÃO FAZER PARTE DE NENHUMA DELAS..MAS,NÃO OBSTANTE NÃO HÁ JEITO DE ME VER LIVRE DESTA CORJA REACIONÁRIA EM CIMA DE MIM!
    A BURRICE É TÃO AVASSALADORA QUE A PATRULHA ELEITORAL NÃO SE TOCA QUE QUANTO MAIS ME PATRULHAM MAIS ME IRRITO!(FORA OS VÍRUS QUE TRANSITAM NESSAS CORRENTES DE BURROS) !!!

  10. Comentou em 22/08/2010 Antônio Luiz Calmon Teixeira Filho

    O articulista, certamente por um lapso, não citou o maior fraudador da legislação eleitoral: o atual presidente que, diuturnamente, infringe a lei com o propósito de se perpetuar no poder, abusando da democracia para solapá-la. Portanto, o coronelismo ainda está em pleno vigor na figura do atual presidente.

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem