Sexta-feira, 24 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

CÓDIGO ABERTO > Desativado

Faltou ‘combinar com os russos’

Por Luiz Weis em 29/11/2007 | comentários

Se não há nenhuma inverdade na nota em que a Rede Globo explica por que se recusou a fazer uma entrevista com o presidente Lula – e tudo indica que não há, do contrário o governo já a teria contestado -, o pessoal do Planalto pisou em falso.


O pisada consistiu em querer decretar quanto tempo duraria a emissão da entrevista gravada e quando deveria ser transmitida.


A idéia, comunicada à Globo na sexta-feira da semana passada, era essa: entre a terça e a quarta seguintes, Lula daria entrevistas a cada uma das redes nacionais de TV, em sequência determinada por sorteio; elas teriam que levar o material ao ar, sempre com 8 minutos de duração, nos seus principais telejornais.


As demais redes aceitaram, mas a Globo criticou, com razão, o ‘modelo decidido unilateralmente’.


Os termos de uma entrevista ‘devem ser discutidos pelas partes, previamente, o que não foi feito’, ponderou a emissora.


Faltou combinar com os russos, diria Mané Garrincha.

Além disso, o jornal O Globo tinha acabado de dar um pingue-pongue de três páginas com o presidente.


‘Tal entrevista”, argumenta a nota, ‘foi tema de uma reportagem no `Jornal Nacional´ de segunda-feira, primeiro dia após a publicação. Isso faz uma nova entrevista ao vivo, já no dia seguinte, perder muito em ineditismo’.


O texto informa ainda que a reação da Secretaria de Comunicação Social da Presidência foi a de considerar ‘naturais’ as suas ponderações.


O que surpreende é o fato de ser quem é o titular da Secretaria. Franklin Martins é um jornalista de topo de linha, traquejado – ou seja, conhece na intimidade o outro lado do balcão.


Por que ele foi servir um prato feito, sabendo, como decerto sabe, que o simples e liso era chamar o pessoal das redes e propôr o arranjo que quisesse? Se não houvesse acordo, aí se veria.


De mais a mais, para que ditar a ocasião da ida ao ar? Será que, sem isso, alguma emissora jogaria para o meio da madrugada uma exclusiva com o presidente da República?


Apesar de tudo, a Globo não ficou de mal com o Planalto. Pediu – e tornou público na nota que pediu – uma entrevista de fim de ano com o presidente, a ser feita ‘em tempo oportuno, segundo regras estabelecidas de pleno acordo’.


Martins respondeu que encaminharia o pedido, cujo atendimento dependeria da agenda do presidente. E avisou desde logo que o papo não iria além dos 8 minutos dados aos concorrentes, por uma questão de equanimidade.


Agora, sim: jogo jogado.

Todos os comentários

  1. Comentou em 01/12/2007 jose ubiratan solino

    Possivemente foi também represália ao Franklin. Ou não:

  2. Comentou em 30/11/2007 Ivan Moraes

    ‘gostaria que esse OI discutisse o porquê de o Brasil ter sido considerado o país campeão em processos a jornalista’: nao ha o que discutir: porque a justica nao funciona em prol de ninguem a nao ser politicos.

  3. Comentou em 30/11/2007 Sérgio Pestana

    Quer dizer então que a Rede Globo censura o governo e quer uma entrevista exclusiva e com o tempo que ela, Globo, determinar? Devemos boicotá-la sempre. Não merece nem tem credibilidade para isso. Lula tem que evitar essa emisssora golpista. É só ver o passado dela.

  4. Comentou em 30/11/2007 Luciano Prado

    Rafael Costa, Alalista de Sistemas (São Paulo/SP) – Respondendo a sua pergunta. O Brasil é o campeão de processos contra jornalistas porque só aqui (e na Venezuela) os assassinos de aluguel da honra alheia proliferam nas redações. Basta você fazer uma pequena pesquisa e apurar quem é o jornalista que mais responde a processos judiciais e mais paga indenizações. Qual é o veículo da imprensa que ele trabalha? O pior cego é o que não quer ver.

  5. Comentou em 30/11/2007 Dante Caleffi

    Autoritarismo da Globo, foi sobejamente demonstrado nos últimos anos e particularmente com mais ênfase nas recente campanha eleitoral para presidência da república.Demitiu profissionais que promoveram rebelião ética;impuseram abaixo- assinado,sob pena de demissão a quem negasse apoio á linha ideológica da ‘Organização’.Lideraram e lideram
    campanhas que lembram o seu equivalente chileno ‘EL Mercúrio’,durante o governo Allende. Recrudescem seus ataques, diante da TV pública, que se avizinha,ameaçando sua hegemonia e manipulação da realidade brasileira. Os ‘marinho’,presentemente, se empenham em exacerbar o folclórico ‘complexo de vira-latas’ que subiste no inconsciente coletivo do nosso povo.Sem dúvidas, uma das grandes contribuições coloniais,que encontram nesses’comunicadores’ os mais ardentes promotores.

  6. Comentou em 30/11/2007 Mario Netto

    Mais uma atitude autoritária e anti-democrática do governo Lula.Só não enxerga quem não quer ou quem está comprometido com o processo de ‘venezualização’ lenta e gradual do Brasil. Imprensa golpista??? Me expliquem como a imprensa brasileira pode dar um golpe de estado: Arremessando teclados de computador na cabeça de petistas?? Enforcando petistas com rolos de papel jornal ??? Chega !!!!! Respeitem a inteligência do povo brasileiro digno, honesto e VERDADEIRAMENTE democrático !!!!

  7. Comentou em 30/11/2007 André Martins

    Não entendi o porque dessa confusão. O governo ofereceu uma entrevista ‘exclusiva’. O formato não agradou a Globo, e a Globo não quiz. E daí? Isso configura censura ou torna a Globo melhor do que as outras?

  8. Comentou em 30/11/2007 Gabriel Barcelos

    Weis foi de uma ingenuidade jornalística incrível ao aceitar ‘de cima a baixo’ a justificativa da Globo.
    O ideal seria questionar os dois lados e fazer perguntas mais do que engulir respostas. As acusações ao governo já foram feitas. Para Globo poderia ser perguntado:

    – Será que a entrevista não poderia ser dada por ser este um momento onde Lula tem demonstrado bons índices em várias pesquisas?
    – Será que o governo não quis mesmo negociar ?
    – Será que o governo pode dar tratamento diferenciado a uma emissora?
    – E aquele papo de que o Lula não falava com a imprensa?

  9. Comentou em 30/11/2007 Ricardo Pereira

    Concordo com a ideia de combinar antes pra evitar manipulaçoes de que o governo quer impor algo. Mas na verdade, presumo que a Golobo se faz de rogada, tem que implorar pra que ela aceite entrevstar o Lula. Benvinda tv publica. E vamos continuar a minar a audiencia da Venus Platinada. Empresarios, nao gastem seu dinheiro anunciando na Golobo. Vamos faze-la calçar as sandalias da humildade.

  10. Comentou em 30/11/2007 Selma Gindri

    Acha que a globo ia descer de seu pedestal? Nananinanão. O que ela quer é uma exclusiva, não iria se rebaixar ao nível das demais emissoras, imagina. Se o pres. da república não conceder a exclusiva no final de ano a Poderosa vai dizer que é retaliação. E assim caminha nosso Brasil varonil. A globo e os tucanos arrogantes se merecem.

  11. Comentou em 29/11/2007 Rafael Costa

    É uma pena que a parte de comentários desse OI tornou-se um lugar em que militantes políticos vêm repetir as mesmas ladainhas que a imprensa patrocinada pelo governo produz.
    Esse papo de PIG e golpismo já encheu.
    Ser papagaio do PHA com esse história de PIG é lamentável.

    Além disso, caso não tenha tratado disso, gostaria que esse OI discutisse o porquê de o Brasil ter sido considerado o país campeão em processos a jornalista.

  12. Comentou em 29/11/2007 Ivan Moraes

    ‘De mais a mais, para que ditar a ocasião da ida ao ar?’: pra evitar um trunfo global que eclipsaria o poder PRESIDENCIAL –portanto idealmente governamental– a favor da gorducha rede, cujo marketing conta com artilharia muitissimo mais pesada que as outras emissoras. Ou o presidente tem material suficiente pra varias entrevistas seguidas ou nao tem: ganha quem entrevistar e tiver as perguntas certas. A gorducha ja aprendeu a fazer isso?!? Nao me contaram…

  13. Comentou em 29/11/2007 Jedeão Carneiro

    Com essa recusa, a Globo, líder do PIG no congresso e em plena campanha oposicionista, ainda acha que pode esconder o Lulão do povo. Tomando partido dessa forma só reforça a idéia de que, para não cair mais em contos do tipo ‘Caçador de Marajás’, se a mídia escolhe um, o povo apoio o outro.

  14. Comentou em 29/11/2007 Fabiano Mendes

    Para mim não fez falta nenhuma, pois de há muito deixei de assistir aos noticiários e certos programas dessa emissora, tanto que nem sabia que o Presidente tinha feito o tal ping pong.
    Só assisto o jornal nacional, com letras minúsculas mesmo, quando quero confirmar a manipulação que essa emissora faz de certos fatos.
    Não agüento mais ouvir as figurinhas carimbadas que são convocadas pela mesma quando quer atingir o Governo, entre eles o mais chato é o tal cinco por cento.
    Falando nisso alguém ouviu o PIG divulgar o que o filho do mesmo aprontou em Fortaleza?
    Ah se tivesse sido um parente distante do Lula. Seria manchete na Folha, matéria de destaque na Veja, chamadas dos telejornais e estariam divulgando o fato até hoje.

  15. Comentou em 29/11/2007 Marco Antônio Leite

    Será que somente a “democracia” da Globo é quem determinada o momento certo para levar ao ar um entrevista com o Lulla. Quanta máscara e, também arrogância de uma emissora que se acha a dona da bola, caso os jogadores não obedeça suas regras, ela leva a bola embora, e ninguém joga. Nesse jogo quem sai perdendo de verdade é a torcida que é usada como bucha de canhão pela poderosa.

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem