Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº969

CÓDIGO ABERTO > Código Aberto

Grandes fundações americanas apostam no jornalismo cidadão

Por Carlos Castilho em 30/05/2007 | comentários

A John S. and James L. Knight Foundation , uma das principais fundações norte-americanas envolvidas com mídia e jornalismo vai distribuir financiamentos no valor de 25 milhões de dólares , nos próximos cinco anos, para apoiar pesquisas na área do jornalismo cidadão, especialmente os voltados para informação comunitária e cobertura hiperlocal.


A estratégia da Fundação Knight confirma a tendência inaugurada pela também norte-americana Fundação Ford de priorizar projetos que estimulem a participação cidadã no processo informativo.


Os principais beneficiados pelos recursos da Knight são organizações norte-americanas, como o Massachusetts Institute of Technology , que receberá cinco milhões de dólares para desenvolver um Centro de Estudos sobre Mídia Cidadã, cuja principal preocupação será desenvolver, testar e distribuir sistemas capazes de facilitar e ampliar a participação de pessoas comuns na produção de informações comunitárias.



Outro projeto beneficiado é o desenvolvido pelo jornalista e guru informático
Adrian Holovaty , criador do site Chicago Crime, voltado para a produção de informações que ajudem as comunidades a reduzir a violência urbana e doméstica.

Holovaty, que tem apenas 26 anos, vai receber 1,1 milhão de dólares para usar a mesma plataforma do Chicago Crime para criar sites voltados para a busca de solução de outros problemas comunitários, usando a informação e a participação cidadã.


A Medill School of Journalism da Northwestern University receberá 600 mil dólares para criar um curso especial para formar jornalistas com capacidade de desenvolver softwares para jornalismo cidadão e relacionamento entre repórteres profissionais e dirigentes de organizações comunitárias. A escola de jornalismo anunciou que pretende formar pelo menos “50 novos Holovatys por ano”.



O site Chicago Crime apóia-se num banco de dados sobre ocorrências policiais na área urbana da cidade de Chicago e fornece informações para organizações comunitárias desenvolverem campanhas de prevenção da violência urbana e doméstica.



O projeto, que não tem nenhuma vinculação com a polícia e nem com os organismos judiciais, é apontado como um dos principais responsáveis pela redução da criminalidade em áreas pobres de Chicago e hoje serve também de referência para organismos oficiais de planejamento urbano.



A preocupação das grandes fundações em apoiar projetos de jornalismo voltados para as comunidades assinala uma mudança nas estratégias das fundações norte-americanas nos financiamentos para projetos de comunicação e mídia. A agenda tradicional dos jornais e emissoras de televisão, dominada pelos partidos politicos e pelas grandes empresas, já não atrai mais a atenção de instituições financiadoras que procuram ver o jornalismo numa perspectiva social e de longo prazo.



As pessoas comuns começam a ser o foco principal e isto deve, a médio prazo, ter repercussões na forma como a imprensa trata o seu público e seleciona os temas que merecem cobertura jornalística.    

Todos os comentários

  1. Comentou em 10/06/2007 Marcio Gonçalves

    Excelente notícia. Como estou preparando um projeto de tese sobre jornalismo participativo, saber disso só serviu para eu seguir nesta linha de pesquisa.

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem