Quarta-feira, 23 de Maio de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº988
Menu

CÓDIGO ABERTO > Código Aberto

Leitor crítico, a ponta do iceberg

Por Carlos Castilho em 19/02/2008 | comentários

A intensidade da discussão sobre as denúncias do jornalista Luis Nassif contra a Veja parece indicar que o criticismo dos leitores é apenas a ponta de um iceberg no relacionamento da imprensa com seu público.


 


A revista não é o único veículo jornalístico a enfrentar este fenômeno de desgaste da imagem perante um segmento do público. Trata-se de um processo ainda não estudado, mas que merece ser visto com cuidado porque pode desvendar alguns comportamentos que as pesquisas de opinião não conseguem identificar.


 


A discussão provocada pelas denúncias de Nassif está levando os leitores à experiência inédita de debater a mídia, sem passar pelo filtro desta mesma mídia. Um debate que começa a fluir nos blogs, uma espécie de território livre dos leitores, e que deve levar à formação de uma massa crítica de conhecimentos, passada a fase da catarse.


 


Como em todos os processos que exploram áreas novas, onde não há modelos preexistentes, a percepção inicial é de uma babel onde todos falam e ninguém ouve. Ou melhor, onde todos escrevem e pouquíssimos tentam entender.


 


Mas a experiência também nos mostra que com o passar do tempo, a paixão cede lugar à razão. Daí o desafio de tentar identificar e resgatar, no meio dos adjetivos e recriminações, o que é dado ou informação para que se possa, coletivamente, gerar conhecimentos que servirão a todos nós, leitores, jornalistas e gerentes da mídia, indistintamente.


 


Já que a imprensa dedica pouca atenção às questões da comunicação contemporânea, como mostrou uma pesquisa feita pela Agência de Notícias dos Direitos da Infância (ANDI), o público começa a usar os blogs como forma de, primeiro, mostrar que existe para logo em seguida contribuir e propor.


 


Não se espera que este seja um processo linear e nem pautado pelas regras de um colégio de freiras. Mas ele oferecerá aos que estão preocupados com o papel da mídia na sociedade atual uma oportunidade ímpar para obter novos dados e informações, bem como testar a formação de comunidades informativas com interesses específicos.


 


O tiroteio verbal entre os comentaristas pode induzir alguns profissionais da imprensa a se refugiar numa falsa dicotomia entre nós, os que supostamente entendem de comunicação, e eles, os que não sabem o que fazer com ela.


 


É um posicionamento equivocado porque o jornalista necessita interagir com o público para poder exercer a sua profissão, ainda mais na era digital.  E os leitores, por seu lado, agora são também repórteres, editores e publishers, com responsabilidades similares a dos profissionais na hora que assinam um blog ou um comentário.


 


Apesar de muitos leitores ingressarem no debate sobre a mídia com uma postura de confronto, se esta mesma mídia for inteligente, ela verá que também tem muito a ganhar com a nova situação. O modelo de negócios das empresas de comunicação está em crise e o diálogo com os leitores pode ajudá-las a encontrar novas estratégias corporativas, como mostram algumas experiências em curso nos Estados Unidos, Europa e Ásia.


 


Conversa com os leitores


Na discussão registrada a propósito dos dois últimos posts aqui no Código vários comentaristas se excederam no uso de expressões agressivas e depreciativas em relação a outros participantes no debate. Não interferimos, porque apostamos na capacidade de grande maioria dos leitores de ignorar os mais exaltados para preservar o ambiente de troca de idéias e informações. Cada autor de comentário deve respeitar os demais para que seja também respeitado. É a regra básica de uma comunidade.


A propósito, o Observatório respeita qualquer identidade colocada nos comentários. Para nós importa o que é escrito.

Todos os comentários

  1. Comentou em 28/02/2008 Anna Jansen

    Boa noite amigos,
    como simples dona de casa que sou, não sei tergiversar, não faço a menor idéia de quem foi Apolônio (nem de quem comeu ou o que vomitou). Mas em minha mente simples, percebo que ninguém faz nada sem ter alguma espécie de interesse. Pensar outra coisa seria pura ingenuidade. O que nos cabe, como leitores, é analisar o que é dito, procurar separar as abobrinhas dos legumes mais sérios (não sei o que o pessoal tem contra as abobrinhas….) e tirar nossas conclusões. Se é óbvio ululante para mim, uma mulher oriunda das massas (seja povo ou culinária), que a revista Veja não faz um jornalismo sério e isento, creio que os demais leitores sérios já tenham conhecimento disso faz tempo. Quanto ao Nassif, ou a PHA (gosto dele), óbio que têm seus interesses, mas até agora… ao que me consta… não escreveram nada que me pareça mentiroso. Me lembro de um filme que vi sobre Lutero, ondfe ele falava sobre a sua filosofia e perguntava a todos…. ESTOU ERRADO? Na verdade, todos sabem que errado o Nassif não está. Quanto aos seus interesses… quem não os tem.
    Um grande abraço a todos
    Anna

  2. Comentou em 23/02/2008 Cid Elias

    Hoje tá divertido! Vamos aproveitar para descer o nível da conversa até o fundo do buraco do metrôlinha45, ao escuro habitat do ‘rei nossacaixa2 beatrice justo campi regina’ e seus micos amentrados, pois naquela imundice, o democrata-fake não permite réplicas às canalhices que expele. A farsa acabou de vomitar outro vaso sanitário repleto até a boca de excrementos. No meio da diarréia defecou isso ‘…desses dois gorilas. Tenho pena até, pena mesmo, porque devem ter tido uma criação daquelas!!!!’ beatrice, o FARSANTE, tua criação se deu num lamaçal, redeado de porcos imundos, e mais, segundo li no MEU ET GREEN, gostas muito daquelas bananas GRANDES que os gorilas têm, os machos é claro! Então o tal beatrice,ôps, farsante tem pena…como todo defensor daqueles pássaros de grande bico, ele tem pena até no c´!

  3. Comentou em 23/02/2008 Cid Elias

    Corrigindo: ‘O Fábio, no quesito ´crítica pedante´, tenho certeza QUE é pódium’

  4. Comentou em 23/02/2008 Cid Elias

    O Fábio, no quesito ´crítica pedante´, tenho certeza é pódium. Quando o farsante quis vomitar seu ‘NÍVER’, tentando trucidar aqueles que segundo ele, espancam a mater língua, resolvi gastar três minutinhos e provei que, além de impostor e mentiroso, o rei estupra o português como poucos. Afirmo que o farsante beatrice é burro! Sua escrita é paupérrima e ‘QUICH(x)OTESCA’. Recomendo, além do retorno imediato ao MOBRAL, que tome Vasifudol drágeas, de meia em meia hora. Leiam mais dejetos do candidato ao Pulitzer 2008:’beatrice vargas, jorn. em 20/2/2008 às 8:04:11 PM …vou na festa! Comemorar a queda…assassino de cuba!…no paredon! Vou beber a este mortos e à democracia!…pasmen, o Nassif falou que a revolução cubana não foi sanguinária!…Quase desmaiei!…Com mais de 9 mil mortos por fusilamento?’= FUZILAMENTO DO IDIOMA, IDIOTA!<>‘beatrice vargas-em 21/2/2008 às 10:02:29 AM…por crimes de calúnio, injúria e difamação..cesteiro…faz um cesto e faz um cento. Não aprendeu a lição de não mentir…os hoteleiros e demais reds ficam a escoucear as paredes, tentando me atingir. MAs…apenas elimiar alguns bernes..’ = CALÚNIO, ESCOUCEAR, ELIMNIAR. ESCOUCEAR quem? A genitora? <> ‘beatrice vargas, jornalista Enviado em 19/2/2008 às 5:38:36 PM…entre pontos de vista ou opiniões…acontecia…sempre aparece gente que não quer discutir, mas axincalhar.’ = AUTO-AX(ch)INCALHAmento!

  5. Comentou em 23/02/2008 Ivan Moraes

    ‘Nada tenho contra os homossexuais, mas parece coisa de bicha louca, em fim de carreira’: falando do qual, volta pro seu blog, cara. Perdeu o caminho?

  6. Comentou em 23/02/2008 beatrice vargas

    Meu querido jornalista, não se trata disso, ou seja, algum erro ou equívoco de ortografia, que eu cometo e muitos. Do que falo é sobre a incapacidade de entendimento e de manifestação desses dois trogloditas que só sabem usar o coice. Estes dois amorfos não conseguerm emitir um pensamento lógico. Uma idéia , por mais simples que seja. Pode dar uma olhada, que voce vai ver como são ruins até para agredir. Acho até que são twins. Mas muito ruins mesmo. Tenho falado isso e acho que é bastante pesado e eles não conseguem sequer se defender. Não há uma frase, umazinha só que tenha nexo. Que triste, não? Como fazem pra viver? Olha que tenho um amigo em Fortal, com nome bem parecido, mas que é um gênio, uma inteligência privilegiada. Esse aí, dá nojo em poste. Agride tudo e todos e só sabe lamber o nassif. Parece até que é caso! Paciência. Tem gosto pra tudo. Noutro dia o Arno disse , a propósito desse hoteleiro: ‘Nem na milésima encarnação ousaria aurir na fonte onde voce bebe o esterco que deposita aqui’! Nunca vi agressão maior, mas eles merecem, meeeesmo. Nada tenho contra os homossexuais, mas parece coisa de bicha louca, em fim de carreira.
    Mas que coias triste; Nunca li nada, mas nada pazeroso desses dois gorilas. Tenho pena até, pena mesmo, porque devem ter tido uma criação daquelas!!!!

  7. Comentou em 23/02/2008 Ivan Moraes

    ‘No teu caso, dê uma olhada nos comentários que a senhora mesma assina: é uma crítica sem autocrítica.’: tambem chamada de ‘cricritica’ , e bem ao gosto do Diogo mesmo.

  8. Comentou em 23/02/2008 Fábio Carvalho

    Beatrice, querida, não me interessa a ‘verdadeira’ indentidade do comentador, prefiro me focar naquilo que ele diz. Também não me interessa tanto a forma, mas o conteúdo. A crítica a erros de ortografia é pedante, coisa de gente ‘melhor educada’. No teu caso, dê uma olhada nos comentários que a senhora mesma assina: é uma crítica sem autocrítica.

  9. Comentou em 23/02/2008 Ivan Moraes

    ‘Escuta, você ataca menos que o cid/sid’: eu sou mais doce que ele, Diogo. ‘Morte aa Abril’ eh o meu slogan novo.

  10. Comentou em 23/02/2008 beatrice vargas

    Poxa. Como diz o Jeca Tatu, ‘num dianta’. Voce escreve muito mal tambem. Que estorinha é essa de mentira?
    É sid ou cid?

    Voce esta perto de Nova Iorque ou perto da Bahia?
    E quem é voce pra dizer se vou embora ou não? Vou , volto, ao sabor das ondas da vontade.
    Até que me divirto vendo tanta alternância.
    Gente burra demais(Ivan, Sid ou Cid).
    E Gente inteligente:Arno, Apolonio, gente brilhante.
    Faz uma dicotomia interessante.
    Escuta, você ataca menos que o cid/sid.
    Deve ser a metade twuin dele. aquela mais maneira.
    Ou de ve ser o par dele. MAs onde voce fez o curso primário?
    É bom saber pra ficar longe!

  11. Comentou em 23/02/2008 Ivan Moraes

    Mas voce nao foi embora ainda? Tem coragem de reclamar do Sid sem apontar uma unica mentira que seja? Oh, espere… ele nao contou nenhuma! Mas as suas tao claras, cara.

  12. Comentou em 23/02/2008 beatrice vargas

    Bom, só pra terminar, fui dar uma olhada no que já escreveram o ‘sem profissão’ e o ‘hoteleiro’. Façam o favor de dar uma olhada pra ver se é possível tanta incompetência!

    Não conseguem terminar uma frase, umazinha sequer, que tenha lógica!

    Até nos xingamentos são muito, mas muito ruins.

    Estão relando no analfabetismo. Como discutir com gente desse nível de conhecimento?

    É jogar tempo pela janela!

    Se não conseguem emitir uma idéia , uma só que seja lúcida, o que fazem por aqui?

    Jogar xingamentos nos outros?

    Mas em que chocadeira foram eles criados?

    Que horror!

  13. Comentou em 23/02/2008 batrice vargas

    Bem, como vocês vêm, a alqaeda do cafofo continua intransigente. Aliás não nomeei quem quer que seja, mas já vem essa gente correndinho vestir a carapuça. Ó seu hoteleiro jejuno, que mal lhe fiz para vir querer me matar toda vez que aqui entro? Você não gosta do Reinaldo. Eu não gosto do Nassif. Porque quer me atacar, sem dar ao menos qualquer explicação? Não falei nada nunca de você, mas só recebo paulada. Claro que não me atinge. Mas eu poderia ficar por aqui e apresentar minhas idéias e voce as suas. Não me dirigi nunca a você, mas você só sabe me atacar. Parece coisa de militância petista, pois conheço bem os métodos. Da militância, pois os do andar de cima, pelo menos para conversar, são mais civilizados. A propósito, que ‘casa que caiu’? Fico a imaginar o que significa isso! Bom então lá vai. Realmente, o meu texto foi sem alguns acentos, por conta de se escrever correndo nos blogs. Mas o que eu quis dizer é que você (agora eu acuso) NAÕ SABE ESCREVER! Para querer ser o ‘advogado do diabo’, voce teria que construir melhor as idéias. Você é muito ruim, aliás péssimo. E não tem uma linha que voce tenha escrito que tenha começo, meio e fim, de forma a encerrar um raciocínio lógico ou encerrar um pensamento compreensível. Até pra me xingar você é horrível. O que me deixa pasma, porque, normalmente, nordestinos escrevem bem. Deus meu, você é o pior que vi !

  14. Comentou em 22/02/2008 Cid Elias

    Impoluto rei nossacaixa2, ôps, sr beatrolice vargas, a casa caiu! Mesmo assim, vamos conferir o que a (o) candidata(o) a voltar pro MOBRAL tem para nos ensinar: ela-ceu, nós-céu; ela-tambem, nós-também; ela-reg~encia, nós-regência; ela-pessoas tem, nós-pessoas têm; ela-essa gente hoteleira, pois tenho nivel, o hoteleiro-nÍvel; ela-voces, nós-vocês; ela-parabens, nós-parabéns; ela-QUICHOTESCAS(CUMA?), nós-quixotescas; ela-refem, nós-refém.
    Bem, levando em consideração que em dois minutos e meio constatei estes estupros da ‘mater língua’, autoria do(a) falsário(a) metido a querer mijar guaraná e defecar bombom, e sem escancarar os patéticos erros de pontuação e concordância que abundam nos excrementos desta farsa, concluo: e na bunada, não vai dinha?

  15. Comentou em 22/02/2008 Ivan Moraes

    Miss Jada, voce continua dando fora fingindo estar por dentro: esta dificil te confundir com RA, voce eh fantasiosa demais pra ser qualquer coisa acima de um Mainardi. Ja vai tarde.

  16. Comentou em 22/02/2008 beatrice vargas

    Bom pra voces que têm ainda alguma dúvida, vou fazer alguns esclarecimentos:
    1- Eu não sou Reinaldo Azevêdo, infelizmente, porque fôra eu ele, estaria no sétimo ceu, escrevendo maravilhosamente. 2-Infelizmente tambem não sou o gato do Mainardi, que tambem tem uma argumentação granítica. 3- Com as exceções de praxe ( Arno, Apolônio, e demais bons escribas que aqui encontrei, os perfilados com o petismo /lulismo deveriam , pelo menos, aprender a escrever, porque espancam a mater língua que dá dó. Não conseguem fazer um raciocínio lógico. Não sabem o que é reg~encia nem conjugação de verbo. E, por fim, querem porque querem espancar todos que não concordam bovinamente com o PT e aproveitam o embalo, para espancar a língua portuguesa, tambem. Talves para se solidarizar com o Lulla, que nem tem noção do que fala. A única coisa que dá certo no país é a política econômica, porque vem de FHC. Pelo menos nisso o apedeuta teve bom senso, mais por medo do que por análise. O país está aparelhado pelo pt para ser uma nação comunistóide na aparência (migalhas para os miseráveis) e cofre arromabado pelos políticos do pt, que já provaram e comprovaram que foram eleitos para se servirem do dinheiro público! Adeusinho. E não se esqueçam. Não sou o Reinaldo. Sou sim uma admiradora inconteste dele. Pouca gente escreve tão bem como ele!

  17. Comentou em 22/02/2008 Lucrécio Rocha

    Prezado Apolônio Silva, Físico. Novamente assim você escreve: ‘Protesto Lucrécio: você esqueceu de estrupício – Já saí há muito tempo da faculdade, mas ainda me lembro das reuniões de DCEs, Centros Acadêmicos, aquela empolgação com as correntes do PT, os proto-políticos exercitando a futura atividade ‘profissional’. Tudo seguia um padrão igual ao que se vê por aqui. Não se escuta, ou melhor, aqui, não se lê o que outros escrevem. A prova se encontra documentada abaixo. Não seria preciso dizer mais nada. É só uma gritaria, um abafa, de lado a lado das correntinhas. Alguns amadurecem e saem do quinto escalão, e vão para os escalões de cima – eventualmente viram grandes políticos, outros apenas andam de lado – às vezes viram jornalistas. A grande maioria contenta-se no entanto a servir de soldado rasteiro …). A inteligência é desacreditada – e solapada a bem da necessária coerência ideológica…’ etc. etc. etc. Há muito também saí da Universidade e, consequentemente, do movimento estudantil. Mesmo não concordando em nada com a sua avaliação e sempre lendo os seus comentários, nunca lhe taxei de ‘soldado rasteiro’ e de gurí que ainda não sabe refletir, muito menos, segundo a nobre jornalista Beatrice Vargas, de ‘SEM CÉREBRO’. Desculpe-me se eu fui um tanto grosseiro. Mas, por favor, aprenda a respeitar as opiniões contrárias dos comentaristas. Saudações! Aracaju-SE

  18. Comentou em 22/02/2008 Alexandre Carlos Aguiar

    Lucrecio, por favor, não ofenda os camarões. Ivan, se não me atacarem, até com o Dioguito eu converso. Apelo à autoridade, pra cima de moi, não aceito. As pessoas (fakes ou reais) devem entender que aqui se discutem idéias e não pessoas. Quando vierem me dizer que ‘você não lei corretamente’, ‘não compreendeu o que escrevi’, ‘seu raciocínio é limitado’ e agradinhos outros, receberão meu sarcasmo. Óbvio que não mandarei comer estrume ou vômito, mas sintam-se alimentados.

  19. Comentou em 22/02/2008 Apolonio Silva

    Protesto Lucrécio: você esqueceu de estrupício – Já saí há muito tempo da faculdade, mas ainda me lembro das reuniões de DCEs, Centros Acadêmicos, aquela empolgação com as correntes do PT, os proto-políticos exercitando a futura atividade ‘profissional’. Tudo seguia um padrão igual ao que se vê por aqui. Não se escuta, ou melhor, aqui, não se lê o que outros escrevem. A prova se encontra documentada abaixo. Não seria preciso dizer mais nada. É só uma gritaria, um abafa, de lado a lado das correntinhas. Alguns amadurecem e saem do quinto escalão, e vão para os escalões de cima – eventualmente viram grandes políticos, outros apenas andam de lado – às vezes viram jornalistas. A grande maioria contenta-se no entanto a servir de soldado rasteiro, empunham antigas baionetas se achando o máximo ao espirraçar os espaços a serem ocupados (são convencidos de que a causa é nobre e estão salvando o mundo…). A inteligência é desacreditada – e solapada a bem da necessária coerência ideológica. Só existem…lados. E este padrão se vê aí embaixo também. Tudo que afirmo, e posso estar errado! É que tudo isso vai acabar em tão somente em um breve facho de luz tênue sobre jornalistas que vão embarcar na história atrás de auto-promoção. Nassif capitaneando o batalhão. No pior caso, a liberdade de expressão será temporariamente arranhada, para desespero dos que sonham com seu fim.

  20. Comentou em 22/02/2008 Lucrécio Rocha

    Estive aqui pensando com os meus botões e resolvi chamar a atenção de Ivan Moraes, Alexandre Carlos Aguiar e Cid: ‘vocês, ‘guris’ e ‘sem cérebro’, não tem condições de questionar os enviados de Deus: ‘Beatrice Vargas’ e ‘Apolônio Silva, Físico’. Só estes sim: ‘TÊM CÉREBRO’ parecidos com os de CAMARÃO. Que todos os comentaristas me perdõe, mas não estou aguentando mais tanta provocação. Abraços!
    Aracaju-SE

  21. Comentou em 21/02/2008 Ivan Moraes

    ‘Pescar é mais divertido.’: pois eh, Alexandre, na proxima vez que o Diogo, digo, a ‘Vargas’ aparecer, finge que nao sabe –eh muito mais divertido!

  22. Comentou em 21/02/2008 Alexandre Carlos Aguiar

    Viu, Ivan, como é fácil. A máscara cai logo, logo. Eu havia dito pro Cid aprender a pescar, mas ele prefere dar tiros. Pescar é mais divertido.

  23. Comentou em 21/02/2008 Ivan Moraes

    ‘Quanto ao Ivan, não respondeo, pois é freak’: nao, porque voce mentiu, eh por isso que nao respondeu.

  24. Comentou em 21/02/2008 Apolonio Silva

    Alexandre, não se faça de vítima. Isso é coisa de fraco ou pilantra. Você é fraco? É pilantra? Não bateu primeiro? Não gostou da resposta? Então vai pro blog do Nassif pedir para alguém te lamber, meu filho. Quanto ao Ivan, não respondeo, pois é freak. E o Cid também não posso mais responder. Temo perder o preço especial para radicais de direita que ele tem lá no hotel dele. Não sei proque me atacam. Eu estou ajudando o Nassif. Estou fazendo o que ele queria. Levantar polêmica, falar dele, ‘repercutir’. A gurizada não entende nada de mídia…

  25. Comentou em 21/02/2008 Cid Elias

    A melhor que li sobre o mundialmente famoso apolono sirva, a reecarnação do Einstein – versão tupi, foi esta: ‘apolono, o sr é físico ou é virtual?’ Ele é virtual! E cara-de-pau!

  26. Comentou em 21/02/2008 Ivan Moraes

    ‘Já chega o Ivan’: em outras, mais doiradas palavras, Apolonio nao consegue provar o que disse, a saber, o ‘mea culpa’ de Nassif que era ‘muito esquizito’.

  27. Comentou em 21/02/2008 Alexandre Carlos Aguair

    Senhor Apolonio, não se incomode. Realmente suas colocações não ficaram claras, mas é assim mesmo. Normalmente pessoas com mentes avançadas e com altos percentuais de sinapses como deve ser o seu cérebro, têm limitações em transmiti-los à patuléia. Há até alguns trabalhos a respeito disso. É normal! É da vida! Olha, conheço alguns amigos físicos que são ótimos desenhistas. Quem sabe o sr. não consulta a classe para, talvez, nos brincar com suas fantásticas elaborações mentais em forma de desenho. Deveriam ficar magníficas. Por outro lado, também é possível comprender as dificuldades em externar sua mente singular: pessoas que ainda acham que a URSS existe e a guerra fria continua estão neste perfil. Que fazer? É simples assim. Fique tranqüilo. Prometo ler mais um vez suas belas argumentações, talvez agora de trás pra frente, que deve ser bem mais fácil.

  28. Comentou em 21/02/2008 Max Suel

    REPETINDO: Gostaria de levantar um ponto que parece estar passando ao largo de toda a discussão do caso Nassif X Veja. Ninguém discute o papel do personagem Daniel Dantas. Afinal … quem realmente é Daniel Dantas ? Qual o seu papel no mundo político ? Por que a ojeriza do pres Lula e do PT por tal pessoa ? Quais as redes de relacionamento em que está metido ? O que parece é que ele se envolveu na luta entre Gushiken / Fundos de Pensão Estatais e Zé ‘sai já daí’ . Outra coisa que ficou muito esquisita e obscura: no auge das denúncias da Veja envolvendo Daniel Dantas & Dossiê & pretensos depósitos em conta no exterior, houve uma REUNIÃO SUSPEITÍSSIMA no apto de um senador da oposição (Demóstenes Torres?) em que compareceram DANIEL DANTAS e o então Ministro da Justiça TOMAS BASTOS. Como todos sabemos que o brilhante advogado criminal defensor de Lula & PT nos casos escandalosos (foi dele a idéia de dizer que o dinheiro do valerioduto era apenas para Caixa 2, e não para comprar também os parlamentares) é mestre na arte do ACORDO, gostaria de perguntar à distinta freguesia: QUAL TERIA SIDO O MOTIVO DA REUNIÃO ? QUAL O FRUTO DELA ? (disse alguém: o Governo (federal) está com medo do Daniel Dantas e ele está com medo do Governo Federal. Nesta linha, um ACORDÃO deve ter saído. Cartas para a redação.

  29. Comentou em 21/02/2008 Apolonio Silva

    Como um sagaz leitor me desmascarou, agora já posso exibir minha identidade completa. Não precisa se preocupar que ele era só…um feirante…isso me lembra Lima Barreto e Bruzundanga, ou Triste Fim de Policarpo Quaresma, quando um estrupício pergunta:’Afinal, de que adiantam tantos livros se ele nem tem um diploma!’ Fábio, por um problema aqui no site do OI perdi minha última resposta e agora preciso resolver as minhas pendengas – eu as resolvo sozinho, sem precisar de cruzadas. Vou ter que sair. Um abraço. Esta história não vai longe. Tudo indica, pelo comportamento de RA, que algo está por vir ou então caiu-lhe em cima da cabeça. Acredito mais na primeira hipótese. Acho que são questões jurídicas. Abraços.

  30. Comentou em 21/02/2008 MARCIO B. MARTINS

    APOLÔNIO SILVA , físico? de qual instituição?
    Deve ser físico e trabalhar como feirante, porque não hão nenhuma indicação, segundo o google, da existência de algum Apolônio Silva, que tal qual BEATRICE VARGAS, só existe aqui no OI e eum e outro blog de política.

  31. Comentou em 21/02/2008 Fábio Carvalho

    Apolonio, veja o que diz, ‘de forma oblíqua’, o jornalista Leonardo Attuch sobre Daniel Dantas. Se Attuch é o que Veja diz ser, não pesaria a favor do jornalista ter escrito, ‘de forma oblíqua’, que Dantas é Lúcifer, gênio do mal e maior corruptor do país? Pela métrica da revista Veja, a resposta é não. Mainardi e Lauro Jardim trabalham na Veja, ora.

  32. Comentou em 21/02/2008 Apolonio Silva

    O ouve aí em baixo é com h.

  33. Comentou em 21/02/2008 Fábio Carvalho

    Prezado Apolonio, o Brasil está entre os países que mais processam jornalistas no mundo, segundo Márcio Chaer, editor da Consultor Jurídico. Isso não é bom sinal, não. Não sei o segredo de Tostines para esse recorde: será que não toleramos a liberdade, ou será que temos jornalistas muito irresponsáveis? Eu não entendo como o senhor questiona a qualidade da denúncia do Nassif sem ler a matéria sobre a qual esse denúncia, a mais rumorosa delas, é dirigida. Ainda não encontrei, entre os críticos de Nassif que se manifestam neste espaço, nenhuma defesa da matéria ora criticada. Não que não possa haver crítica ao trabalho do jornalista Luis Nassif, mas, necessariamente, essa crítica precisa aquilatar o objeto de sua denúncia para ser melhor aquilatada. Por fim, se o senhor é favorável à liberdade, por que Nassif não pode ser livre para criticar uma matéria mal feita (repito: mal feita, com ‘fortes inconsistências’) da Veja?

  34. Comentou em 21/02/2008 Apolonio Silva

    Que bom Fábio! Não vou ter que reler ‘Lula é minha Anta’ (não porque ache o livro ruim, tudo o que está lá já saiu na imprensa, é só um compilado). Olha só o que achei aqui mesmo:
    ” Em 14/11/2007, edição 2034, na coluna de Mainard ele fala: ‘– Para tratar com um bandido, é preciso outro bandido. A frase consta do depoimento do chefe do aparato de espionagem da Telecom Italia, Giuliano Tavaroli, ao juiz Giuseppe Gennari, do Tribunal de Milão. Giuliano Tavaroli atribuiu-a a Marco Tronchetti Provera, o maior acionista da empresa. O primeiro bandido, de acordo com o homem da Telecom Italia, seria Daniel Dantas, que infernizava os italianos com seus métodos de faroeste. ‘ Não é bem uma coluna favorável ao Daniel Dantas…’. Fábio, você está muito acima da média aqui da gurizada degenerada do Serginho Grossiman. Por favor, não se rebaixe querendo colar em mim a tese de defensor da Veja apenas porque critico o que Nassif está fazendo. Acho que pdoemos debater em níveis um pouco melhores do que esse. O que acho triste é que o próprio Nassif não pode participar. Vamos ter que ficar aguentando a gritaria da gurizada dele. Quem sabe, quando voltarem para lá, vão ganhar beijinhos ou camisetas do rapaz. Acho que essa gurizada pelo menos uma questão decente pode suscitar: O que foi que ouve com a educação em nosso país? O que pode ter provocado tamanha decadência, tamanha obtusidade?

  35. Comentou em 21/02/2008 hugo Werle

    Opa, opa, opa Apolônio. Que conversa é essa. Porque esse nível de debate? Chamar quem defende o Nassif e concorda que a veja a muito tempo é um embuste de gurizada e outros pejorativos é típico de quem perdeu os argumentos. Voce parecia um participante com argumentos, equivocados na minha visão, mas eram seus argumentos.
    Baixar o nível como voce fez mostra claramente que não sobrou ninguém para defender o Mainardi ou a Veja. Quem voce acha que é para desrespeitar os bloguistas da forma como fizeste? Sou professor e há todo tipo de profissional no debate que não se sujeita a esse nível de argumentação. Te entrega indio véio e aguarde o próximo petardo do Nassif, quem sabe voce passa a ter novos debatedores.

  36. Comentou em 21/02/2008 MARCIO b. MARTINS

    rocurem no google por BEATRICE VARGAS jornalista. Essa persona só existe no blog do Reinaldo Azevedo e aqui no OI. Suspeito que seja o próprio Azevedo escrevendo, embora não acompanhe seus textos para comparar o estilo.

    BEATICE VARGAS não existe.

  37. Comentou em 21/02/2008 Apolonio Silva

    Esqueci: ele chama Dantas de Bandido sim – é claro, de forma oblíqua:’ Bandido com bandido se entendem…’ acho que foi assim…mas por favor: Já chega o Ivan. Eu não vou reler ‘Lula é minha Anta’.

  38. Comentou em 21/02/2008 Fábio Carvalho

    Prezada Beatrice Vargas, a sentença a qual a senhora se refere transitou em julgado? Você sabe do caso da Mendes Júnior contra a Chesf? Leu a coluna do Nassif sobre o caso? Ou você acha que a santa Mendes Júnior só veio a tramar seu próprio ‘cesto’ quando o lobista que intermediava o pagamento da pensão da jornalista Mônica Veloso apareceu nas páginas da Veja? Quando da sentença de primeiro grau, o presidente do STF, Marco Aurélio Mello, espantou-se: ‘Chega a parecer uma forma de intimidar e inibir o exercício da liberdade de expressão e de informação’. Diogo Mainardi tem condenação por crime de calúnia (que é mais grave que a difamação, tipificada no caso ao qual a senhora se refere) e, na ação movida por Franklin Martins, tem direito a recurso. Ele também é réu por crime de opinião em cerca de 50 processos. Mainardi, que já fez 50 cestos, também faz um cento? A métrica é tua, Beatrice. Ademais, a senhora disse que, se fosse a editora, não publicaria a matéria que Nassif criticou. Acho que pode haver muitas críticas a Nassif – eu já li algumas, de gente respeitável até onde sei – inclusive no caso em tela. Mas, sinceramente, não entendo a crítica que se dirige apenas a Nassif e poupa uma matéria mal feita, mal apurada e com justificativa cínica.

  39. Comentou em 21/02/2008 João Motta

    Sou assinante de VEJA a considero a série que Nassif está publicando impactante e consistente, a credibilidade da revista rola ladeira abaixo. A atuação de Mainardi parece-me claramente orquestrada, jornalismo de quinta. Chamou minha atenção a postura da Sra. Beatrice com relação ao jornalista Nassif, uma verdadeira obssessão em desqualificar o jornalista e seus leitores, esse tipo de postura geralmente é de quem não consegue contrapor com argumentos.

  40. Comentou em 21/02/2008 Mário Rodrigues

    Embora também considere totalmente descabidos quaisquer ‘tiroteis verbais’ ou agressões pessoais, muitas vezes decorrentes de posicionamentos ideológicos (ou, muito pior, interessados), penso ser absolutamente necessário o debate sobre a baixíssima qualidade ética da maioria dos nossos meios de manipulação (ou de comunicação).
    Nesse contexto, a possibilidade de expressar em um blog a opinião a respeito de temas afetos à agenda política do Brasil constitui um direito elementar de qualquer cidadão. Afinal, a tecnologia que globaliza e tenta dominar é a mesma que apresenta fissuras onde o campo da cidadania pode se manifestar.
    A ponta de iceberg da manipulação da imprensa é a mesma ponta de iceberg do Doi-Códi, Operação Bandeirantes, Atentado do Rio Centro, do Gasômetro. Com o tempo todo o iceberg virá à tona e, aí, ver-se-á que a Veja e outros veículos de manipulação são muito piores e mais nefastos do que parecem.

  41. Comentou em 21/02/2008 Apolonio Silva

    Mas Fábio, eu disse no post anterior: não leio nem assino Veja. Não estou em nenhum momento subscrevendo indiscriminadamente teses da Veja. Deve ter um monte de besteiras escritas por lá, como existem em qualquer revista. O que defendo é que para as graves, que se recorra pesadamente à justiça. O que defendo, já disse, é que a liberdade de expressão é mais importante. É melhor uma imprensa livre com um ou outro jornalista escroque, do que o mundo que a gurizada de Nassif deseja. O que questiono é a qualidade das denúncias de Nassif, o que de fato ele almeja, o que de fato ele vai conseguir. Defendo que exista ainda mais liberdade. Que deixemos nus os picaretas da mídia. E para mim, cada coisa que eu leio no blog de Nassif – é impressionante – a leviandade e inconsistência do que ele escreve (ou pior: copia e cola da gurizada que escreve por lá para não se comprometer – baixaria!). A minha visão desse quadro é simples: temos alguém, que foi figura notória durante algum tempo, querendo virar a mesa para voltar às ‘luzes da ribalta’ – só que embalado por combustível que é gente que apóia a censura de forma explícita, ou com essa desculpa esfarrapada da ‘qualidade’. Renego esse pessoal. Felizmente como já definiram, o público de Nassif é uma espécie de público de Serginho Grosssman degenerado. Leia o que eles escrevem aí embaixo…Eles nem sequer lêem a mensagem do Castilho…

  42. Comentou em 21/02/2008 Francisco Carlos Balthazar

    Atenção pessoal de boa vontade! Digitei o nome de Beatrice Vargas no google, entre aspas e somente para páginas brasileiras e adivinhem: Só aparece aqui no OI (quatro vezes) e no blog do Reinaldo Azevedo (duas vezes). Ou seja, tudo leva a crer que não passa de um laranja… Gostaria de pedir ‘à senhora’ Beatrice Vargas que nos forneça o número de seu CPF ou RG, se não fosse incomodar muito…

  43. Comentou em 21/02/2008 Fábio José de Mello

    A não ser que tenha algum problema com a justiça, não vejo motivo para que pessoas façam teçam comentários sob pseudônimos. Nem acho interessante que o OI permita tal prática, condenável.

  44. Comentou em 21/02/2008 hugo Werle

    Beatrice Vargas, diversos participantes do debate levantam dúvidas quanto a sua real identidade, não só aqui como em outros blogs. Segundo alguns, voce não existe no mundo real, que não tem CPF nem RG.
    Que tal voce comprovar sua identidade. Quem sabe informar seu RG e CPF ou outro meio que achar conveniente. Tenho certeza que sua credibilidade aumentaria e seus argumentos seriam aceitos por um maior número de participantes deste debate. Caso contrário, teremos necessáriamente que acreditar que voce é um fantasma da Blogsfera.
    att.

  45. Comentou em 21/02/2008 marcio B. martins

    Procurem no google por BBEATRIZ VARGASBeatriz Vargas jornalista. Essa persona só existe no blog do Reinaldo Azevedo e aqui no OI. Suspeito que seja o próprio Azevedo escrevendo, embora não acompanhe seus textos para comparar o estilo. BEATRIZ VARGAS não existe.

  46. Comentou em 21/02/2008 Fábio Carvalho

    Prezado Apolonio Silva, faço pequena observação ao teu comentário. Diogo Mainardi não chama Daniel Dantas de bandido, até porque isso renderia a ele um flanco para outro processo. O banqueiro não tem nenhuma condenação com trânsito em julgado. O colunista menciona uma declaração num tribunal italiano. Isso não prova nada, segundo os critérios da própria revista Veja. O jornalista Leonardo Attuch, da revista Isto É Dinheiro, já assinou matéria afirmando que Dantas foi chamado por alguns parlamentares de “Lúcifer”, “gênio do mal”, “maior corruptor da história do País”. E a revista Veja disse o que disse de Attuch (há artigos dele no OI dessa época). Conforme menção no post anterior de Carlos Castilho, o senhor não leu a matéria da revista Veja que Nassif critica. Se lesse, possivelmente não endossasse integralmente a crítica, mas certamente flagraria ali jornalismo mal feito, após declarados seis meses investigação. Lembre-se: o dossiê tinha ‘sérias inconsistências’, mas Veja ‘não conseguiu’ apurar se era falso ou verdadeiro. Daí, como assinalou imediatamente após a publicação o jornalista Alberto Dines, o diretor de redação, Eurípedes Alcântara, apresentou uma justificativa ‘cínica’. Eu ainda não encontrei um único comentarista, mesmo entre os críticos de Nassif e os que fazem ilações sobre seu futuro, que viesse aqui defender o que, de fato, foi publicado pela revista Veja.

  47. Comentou em 21/02/2008 beatrice vargas

    Pois é. Dou-me por satisfeita, porque eu mesma achei , sem querer, querendo, a condenação do Nassif , por crimes de calúnio, injúria e difamação . Portanto, é coisa de DNA e ele é sim, o cesteiro que faz um cesto e faz um cento. Não aprendeu a lição de não mentir e difamar os outros. Quando falei que as tais denúncias são frágeis e sem estofo, os hoteleiros e demais reds ficam a escoucear as paredes, tentando me atingir. MAs conseguem apenas elimiar alguns bernes.Porque o cara já foi condenado e apenado pelo mesmo CRIME, conforme cópia parcial da decisão que postei aí abaixo.

  48. Comentou em 21/02/2008 beatrice vargas

    Useiro e vezeiro:
    Fonte:Revista Consultor Jurídico, 18 de novembro de 2002
    Em vez de me procurarem pela net, os hoteleiros e asseclas, deveriam investigar na net, o artista da vez! VEJAM QUE PÉROLA!!!
    Juízo de Direito da Sexta Vara Criminal Central
    Processo nº 050.00.093836-0 Controle 1848.
    6ª Vara Criminal Central.
    Autora: Mendes Júnior Engenharia S/A.
    Réu: Luís Nassif.

    (……………………atendendo aos critérios norteadores do artigo 59 do Código penal, torno definitiva a pena base e privativa de liberdade em seu mínimo legal, ou seja, em três meses de detenção. Quanto à multa, deve ser observado o artigo 60 do Código Penal, ou seja, a situação econômica do réu, como permite o artigo 48 da Lei especial 5.250/67. E tendo em vista que o querelado é jornalista de periódico de grande circulação, o que demonstra que sua situação financeira não é precária, fixo a pena pecuniária em dez salários mínimos.

    Ante o exposto, Julgo Procedente a presente ação penal que Mendes Júnior Engenharia S/A move contra Luis Nassif, (…) e o condeno ao cumprimento de três meses de detenção e ao pagamento do valor correspondente a dez salários mínimos, por infração ao artigo 21 da Lei nº 5.250/67.

  49. Comentou em 21/02/2008 Alfonso Marques

    Muito corajosa a iniciativa de Luis Nassif de publicar esse dossiê. Não é qualquer um que se dispõe a enfrentar grandes grupos de mídia, principalmente pelas conexões políticas que esses grupos possuem. Mas Nassif que se prepare, pois virá chumbo grosso por aí!

  50. Comentou em 21/02/2008 Apolonio Silva

    Caro sr biólogo Alexandre, concordo em gênero, número e grau com o sr. A tiragem de uma revista não diz absolutamente nada sobre a qualidade de seu conteúdo. Nada. Nadica de nada mesmo. Nunca em lugar algum. Renego violentamente esta tese. Até porque a tiragem do Pravda era enorme. A tiragem do Granma deve ser alta. Edaí? Estamos de pleno acordo. Estamos conversados? Adiante. Então releia o texto. Vou explicar devagarinho. A figura apresentada (7 milhões de exemplares) cumpria a função no texto de estabelecer o necessário nexo, completando a analogia, entre o celebérrimo filme e o Affair Nassif-Veja, de tal modo (atenção nesta parte, ela é importante para compreensão da mensagem, leia devagarinho, aspire, expire, atenção!) que EUA=país muito poderoso=Veja, Nassif=Estadista ‘brilhante’=lado fraco da história= vítima indefesa do poder econômico segundo ele mesmo. Chegou lá? Atenção para o detalhe: a tiragem da Veja é só 1,1 milhão semanais (não 7 milhões!). Gostaria finalmente de congratular Alexandre pelo fato de ter lido Uma mensagem . Não precisa concordar. Se tivesse entendido teria sido um feito, dado o que se anda vendo pro aqui. O hábito de seus colegas não é o mesmo, haja visto que tem indivíduo aqui questionando ainda identidades depois da 100a mensagem e (sem ter lido!) o que diz Castilho no post dele. Mas o senhor consegue ler!Quem sabe daqui há pouco possa entender…

  51. Comentou em 21/02/2008 beatrice vargas

    Bem gente, bom dia! Fui na festa de comemoração da saída oficial do assassino cubano. Tava bom demais.( chateu-neuf du pape) Olha, anteontem já insinuaram que seria eu o próprio Reinaldo Azevêdo. Para minha infelicidade, não sou. Quem dera escrevesse eu tão bem. Claro que não sou uma assassina da gramática como essa gente hoteleira, pois tenho nivel universitário de boa qualidade, mas daí a ser um escriba primoroso como ele é muito chão. Bom , eu vi isso no Nassif: ‘ Mas também (a revolução cubana)não tinha a faceta sanguinolenta de outros regimes comunistas.’. HA HA HA HA. Vejam voces, para Nassif, a revolução cubana não tinha a faceta sanguinária! Acho porque matou só 9 mil pessoas por fuzilamento e está longe de ser um hitler. Quem mente dessa forma , descaradamente, mente em tudo, logicamente nada do que escreve tem verdade. Pra começar o cara se diz consultor em economia e….. quebrou! Imagine que credibilidade pode ter!!!Agora vem falando que fidel não foi sanguinário! ASsim, tudo o que ele está fazendo é sim pra ficar em evidência, ajudar no projeto de poder do pt e cair na tv pública, uma bocada legal, com cartão corporativo e tudo ( respeitando sempre quem não pensa assim). Mas acho q na roda buteco ele vai bem!

  52. Comentou em 21/02/2008 Miro Analista

    Caro Castilho, você já está no terceiro post e ainda não analisou o mérito da argumentação das partes. Poderia nos explicar para que serve então o Oi?

  53. Comentou em 21/02/2008 Marcio B. Martins

    Procurem no google por BBEATRIZ VARGASBeatriz Vargas jornalista. Essa persona só existe no blog do Reinaldo Azevedo e aqui no OI. Suspeito que seja o próprio Azevedo escrevendo, embora não acompanhe seus textos para comparar o estilo.

    BEATRIZ VARGAS não existe.

  54. Comentou em 21/02/2008 hugo Werle

    Mario Souza (advogado) voce foi na mosca. ‘Mainardi responda essas questões….’. Regozijo-me em perceber que aqui no OI voltamos ao centro do debate. Nassif tem ou não razão? A veja é um lixo ou não?
    Está ficando cada vez mais claro que a veja é um lixo, no qual muitos se alimentam. Porque será que o dono da Bodega não manda embora alguns dos seus escribas? Será que está comprometido com ellles? Será que está aguardando mais chumbo? Nassif diz que tem muita munição, assim espero, todavia com a que foi usada, qualquer revista séria, em países que tem mídia evoluida, já teria sido feita uma limpa na redação.

  55. Comentou em 21/02/2008 Alexandre Carlos Aguair

    Apenas gostaria que alguém me esclarecesse algo: uma publicação com tiragem de ‘7000000 de revistas’ tem garantia de credibilidade? Argumento de autoridade, a uma hora dessas? Ah, tenha dó, né senhor físico. Espero mais de alguém da academia. Honestamente.

  56. Comentou em 21/02/2008 Apolonio Silva

    Prezados. Acordem. Leiam vários blogs. Não só um. Então verão as inconsistências. Nassif foi acusado por Mainardi de fazer cpy & paste de releases de Demarco. Nassif então reage dizendo que Mainardi fez isso a mando de Dantas. Até poderia ser. Contudo nos artigos de Mainardi, ele se refere a Dantas como BANDIDO. Bem no meio dessa história toda. Tentem pedir para Nassif, como é que isso se enquadra no complô dele. Ele vai se sair com algum rudimento de lógica para-consistente. O problema é que o copy & paste do release…é um copy & paste do release – atenção: seja lá qual for a explicação de Nassif. E a teoria de Nassif necessita de fundamentação um pouco mais ortodoxa. Ele copia o método Nassifelusitano dos empresários venuezuelanos (Empresário quer sempre estar de bem com os governos…governos são sempre grandes – não necessariamente bons – compradores). Então como é que um vivente desse vai meter o pau em Chavez em ‘on’ e falar bem em ‘off’? Vai queimar o político em público e depois dar tapinha nas costas? Eu hein? Mas olhem lá no site dele. Está repleto de lógica não-cartesiana…da marca ‘barbante’ como lá se definiu. Agora: olhem para vocês. Nem se quer leram o que vai escrito (pelo Castilho) aí em cima. Como um bando desse vai poder ajudar Nassif? Gritando? Entupindo blogs com provocações? Invadindo reitorias? Façam algo melhor pelo Nassif, pelo amord e Deus.

  57. Comentou em 21/02/2008 Cid Elias

    Ao impostor-mor e seus vassalos racistas, defensores da vejaQlatrina, um mais melhor de bom do que o outro: a casa caiu! Desmontaram a canalhice g00db0ys! E agora, rei zé? E agora rei nardi? E agora beatrolice? Sorte que Il capo não enxerga quem está cavando sua cova. Segundo informações ‘não consistentes’, a vejaQlatrina, que já havia perdido em 15 meses 300 MIL assinantes, agora está próxima de ser agraciada com a perda de mais 200 MIL, atingindo assim a marca dos 500 MIL assinantes – os QUE ACORDARAM! Grande parte deste estrago irrecuperável, o tititivitta deve debitar da recisão de dois cabras: Lula e Brasileiro(s). O reinaldo azevedo e o diogo mainardi NÃO têm nadicas a ver com isso…Pô, dois cabras finíssimos, que nunca mentiram, que, se saírem às ruas ao lado do Lula, este ficaria envergonhado, pois veria todos adorando os dois coveiros-colonistas da vejaQlatrina e o desprezando, jamais fariam isto com o patrão, né? Tem gente, ‘que pra ser burro, só falta as penas…como burro não tem pena…Então’

  58. Comentou em 21/02/2008 Eduardo Dorneles

    Acho que a ‘Beatrice’ abandonou o barco….

  59. Comentou em 21/02/2008 Luciano Prado

    Apolonio Silva, Físico (São Paulo/SP) – Apolinário, você é virtual ou é físico mesmo? Ou entrou água?

  60. Comentou em 21/02/2008 Luciano Prado

    Dulce Leão, Estudante (Rio de Janeiro/RJ) – Simples assim, parabéns. O resto, é lero, lero.

  61. Comentou em 21/02/2008 Paulo Kautscher

    Este é o Luiz que eu conheço. ‘Em primeiro lugar, censor é a vovozinha’. Grosso , ARROGANTE, petulante, autoritário e CENSOR.

    Nota do OI: Você não me conhece. (L.E.)

  62. Comentou em 20/02/2008 Ivan Moraes

    O que poderia te levar a me colocar no balaio de ‘vejistas’ entao?

  63. Comentou em 20/02/2008 Lucas Bremen

    A minha resposta não foi piada!

  64. Comentou em 20/02/2008 Ivan Moraes

    ‘Mas se vocês, vejistas, se sentem oprimidos’: !!!!!!!! Minha pergunta era uma piada. Arno e Reinaldo sao a mesma pessoa.

  65. Comentou em 20/02/2008 Lucas Bremen

    Ivan Moraes, seus escritos estão com características Vejistas: sabemos para onde apontam, mas não o por quê dos mesmos, pois não contém fundamentos.
    Não adianta os vejistas reclamarem do Nassif. Não precisamos do Nassif para colocar a Veja no mesmo patamar que livros de Educação Moral e Cìvica e de OSPB, temperados com uma pitadinha de dor-de-cotovelo pela perda de duas eleições para presidente. A Veja só abre espaço positivo para os tucanos-fisiologistas. É vero or not? Mas se vocês, vejistas, se sentem oprimidos e colocados na parede, em razão de matérias do PHA e Nassif, o que se pode fazer? O que o movimento mainardista tem de novo, além da velha ladainha de plantar notícias falsas? Cara, você até que é engraçadinho, mas não tem tempero algum….

  66. Comentou em 20/02/2008 Ivan Moraes

    ‘Mario Souza, acabaram as balas do Mainardi!’: ok, Lucas, aqui vai uma pergunta tao extremamente dificilima que voce jamais sera capaz de responder. O fragmento de texto seguinte, obras prima cuidadosamente composta e lucida, foi escrito por a)Marylin Monroe, b)Pepeu Gomes e uma dose de LSD, c)Xuxa antes de casar, d)Xuxa depois de casar, ou e)Reinaldo ‘Goncalves’? Aqui esta o impecavelmente escrito fragmento: ‘Permissivismo jornalístico é estabelecer a pauta montado no atavismo moral dos preceptores a soldo (estou apostando duas patacas no ‘copie e cole’ do candongueiro de plantão). Não dá pra mudar o disco dessa indigência vejiana, para alcançar 30 comentários de fama e a claque da plebe ignara?’ (‘Candongueiro’ sou eu, aparentemente! E olhe que eu so candongo na calça!)

  67. Comentou em 20/02/2008 Dulce Leão

    Olá Carlos,

    Vamos por partes. Afinal falar de imprensa só mesmo sendo por partes.

    1.As denúncias de Luis Nassif contra a Revista Veja: A ABI está em “cruzada” para defender uma jornalista que fez “jornalismo de conjectura”, ao afirmar que “possívelmente” o dinheiro arrecadado pelos fies da IURD, iria ser lavado em paraísos fiscais. Justo é que responda por uma afirmação sem provas. Ou apresente-as. No entanto a mesma ABI, NÃO SE MANIFESTA SOBRE AS DENÚNCIAS DO NASSIF. DEFENDE A CORPORAÇÃO, O JORNAL. NÃO O JORNALISTA. Seus colegas jornalistas, entregam-se na batalha, para defender AS CORPORAÇÕES, NÃO O COLEGA LUIS NASSIF. Enquanto isto, OS LEITORES, razão da existência da profissão de jornalista, recebem goela abaixo notícias falsas, E OS ÉTICOS NÃO SE APRESENTAM PARA A BATALHA POR UM JORNALISMO QUE NÃO ILUDA OU ENGANE O LEITOR. POIS BEM, LEITORES ESTÃO COM LUIS NASSIF, E BOICOTARÃO A REVISTA VEJA, COM OU SEM APOIO DA CLASSE. DESUNIDA POR SINAL.

    2. A IMPRENSA, REALMENTE, NÃO SE INTERESSA EM SABER O QUE O PÚBLICO QUER. DIREI, QUEREMOS JORNALISMO FACTUAL, NÃO DE CONJECTURAS. É PREPOTÊNCIA E ARROGÂNCIA ACHAREM QUE DIRIGEM A POPULAÇÃO COMO MANADA. VOCÊS É QUE TEEM QUE SEGUIR A MANADA. QUEREMOS UM JORNALISMO QUE NÃO SEJA VENDIDO, EM EDITORIAIS/ COLUNAS / REPORTAGENS. PORQUE NÃO HÁ JORNALISTA QUE EXISTA SEM LEITOR. VOCÊS NÃO CONTAVAM QUE UM DIA EXIGIRÍAMOS QUALIDADE!

  68. Comentou em 20/02/2008 Milton Cerquilho

    Beatrice, pós mortem, interessante você comemorar a queda de alguém que assassinou 9 mil no paredón! Por acaso, quanto você comemoraria, se a queda fosse de Bush, que matou muito mais? Ah sim, você é neoliberal…… o mercado é que deve regular os presidentes também, não?

  69. Comentou em 20/02/2008 Lucas Bremen

    Mario Souza, acabaram as balas do Mainardi! Essas balas bateram, bateram, bateram, mas não furaram. Como ele é escritor de terceira categoria, talvez não tenha aptidão para responder suas perguntas. Mas pode esperar que logo logo o papai dele montará uma equipe inteligentsia para replicar a ti.

  70. Comentou em 20/02/2008 Fabiana Moura

    Aquela manchete da Veja com Geraldo Alckmin, onde se lia O Homem de Gelo, foi uma das demonstrações do ponto de vista de Nassif. Enquanto PHA e Nassif são acessados pelos que querem, gostando ou não, por apoio ou policiamento, a Veja bombardeia de forma desesperada seu arsenal a favor dos tucanos. Se a Veja é palanque midiático dos tucanos, porque PHA e Nassif não poderiam manter seus espaços e publicar suas críticas e análises? O Homem de Gelo derreteu……..

  71. Comentou em 20/02/2008 Mario Souza

    O tal do ‘post-it’ em português acabou com o Mainardi. Ele sempre foi um arrogante metido a indignado, que dizia que gostava de ‘furar o olho’ na briga, que era ‘briga ruim’ e coisa e tal. ENTÃO RESPONDE MAINARDI??? Por que sua fonte italiana escreve PORTUGUES? Por que só tinha 1 boomark ( o que mostra que alguém esqueceu)? Por que as propriedades eram de quase 1 mes atrás, e o senhor disse que recebeu os documentos na semana passada? Por que o senhor não publicou o documento na integra? Por que sumiram páginas do meio? Por que o senhor cortou o final das páginas EXATAMENTE quando falavam do MOTA VEIGA, empregado de DANIEL DANTAS? O que que os documentos ‘tsunami’ que o senhor postou tem demais? Por que o senhor levanta a bola para o Daniel Dantas e só fez matérias que interessam para ele? O que está errado no que o Nassif está falando da VEJA? RESPONDE MAINARDI!!! Vamos lá, ponto por ponto, dedo no olho! … Ou então, PEDE PRA SAIR, que a sua casa caiu.

  72. Comentou em 20/02/2008 Sérgio Gillemi

    Ôrra, meu! A revista Veja é boa demais. Minha mãe ganha-a, e a usa para fazer artesanato.

  73. Comentou em 20/02/2008 Milton Cerquilho

    Não é que a Veja está sem poder de reação p/ contrapor o Nassif. É que a Veja está para a mídia, assim como o PSDB está para o resto dos partidos: sem destino, sem razão, sem moral, sem metas que não sejam financeiras e ideológicas. A Veja morreu, assim como o PSDB.

  74. Comentou em 20/02/2008 Apolonio Silva

    Cara Tambelini, se a senhora é aficionada por vitórias por WO existem dois blogs que conheco, que podem lhe interessar: Reinaldo Azevedo e Luis Nassif. Só que o primeiro censura e diz que censura. O segundo seleciona o que lhe interessa e se pinta de democrático – apenas publica contrariedades administráveis, aquelas que convivem bem com as contradicões do blogueiro-vítima. E a gurizada se maravilha com isso…Nestes não tem FLA-FLU. Tem ou FLA (Flavia?…nao sei, mas o jogo é comprado) ou (FLU. Não tem jogo. O outro time não entra). Narciso acha feio o que não é espelho. Aqui, felizmente o nível subiu já faz tempo, e caneladas não são mais aceitas – nem tampouco o juiz do jogo é comprado. Não adianta só balancar a bandeirinha e gritar o nome do craque. Aqui ele não joga beijinho pra torcida. Não adianta apenas vaiar o outro time. E o técnico não está aqui paracensurar a opinião dos outros. Se se sente bem, pode falar de RA, que costuma fazer isso também. Porque não expõe o que pensa sobre a polêmica Nassif, em vez de fazer papel de torcedora também? Muitos aqui estão fazendo. Existem bons argumentos de todos os lados. Também tem muito torcedor ruim. Se se interessar por ler verá que esse clima foi superado. Eu já tenho até aonde passar as próximas férias. mas não venha dar canelada sorrindo.

  75. Comentou em 20/02/2008 Jorge de Paula Oliveira

    A verdade mesmo é que a ‘rainha Veja está nua ‘ a mesma foi desmascarada e desmoralizada em público e, o pior está sem poder de reação p/ contrapor o Nassif, nenhuma palavrinha, um piadinho, nadica de nada se ouve em defesa da ‘farsante tartufa-mor’, é uma coisa a se pensar: ‘contra fatos não há argumentos’, por isso é que Veja se cala e coloca o rabinho entre as pernas.

  76. Comentou em 20/02/2008 Fabio Passos

    Eu lá quero saber de ‘notícias’ filtradas e editadas por lobista pau-mandado de Daniel Dantas? Toda força para quem pratica jornalismo com independência. A questão é essa. O jornalismo tem a chance de libertar-se dos interesses dos patrões e de lobistas aventureiros escrevendo a soldo de banqueiros! A net tem muito mais graus de liberdade do que a mídia convencional… que está caindo de podre.

  77. Comentou em 20/02/2008 Lucas Bremen

    Um dia no castelo da revista SEE, bateu nos portões um andarilho. Os soldados todos armados, com medo de uma possível invasão ou algo mais, perguntaram ao mesmo, o que desejava.
    O andarilho disse que apenas queria saber porque a revista SEE não publicava cartas e comentários opostos às suas crendices e doutrina neoliberal.
    Os soldados entreolharam-se espantados com a pergunta extremamente estapafúrdia que o andarilho mencionou, segundo o ponto de vista neoliberal. Ao fim de alguns minutos, mandaran-no plantar batatas. E a pergunta que não quer calar, continua sem resposta.

  78. Comentou em 20/02/2008 Ivan Moraes

    ‘As colocações ainda estão polarizadas, estilo fla-flu , mas acredito que vai-se depurando até ficarem as questões centrais’: nao da minha parte, nao lia o blog do Nassif ate pouquissimas semanas atraz. Afirmacoes facilmente desmentiveis a respeito dele estao sendo jogadas aa esquerda e aa direita por esse senhor ha dias, mas documentacao que eh bom nao aparece… ainda… a qualquer minuto agora… eh so esperar… e esperar…

  79. Comentou em 20/02/2008 Fabiana Tambellini

    Estou acompanhando a discussão e concordo com o diagnóstico do articulista. As colocações ainda estão polarizadas, estilo fla-flu , mas acredito que vai-se depurando até ficarem as questões centrais, que realmente interessam. Ainda está meio rasteiro, estilo não gosto do Nassif, a manjada esculhambação do interlocutor…na falta de argumentos.

  80. Comentou em 20/02/2008 Fernando Caldeira

    A Veja atual uniu como ingredientes de seu edital o mercantilismo, a arrogância, a imparcialidade e as famosas falas denúncias.
    Será que aqueles que criticam Castilho acham que não há acompanhamento e crítca dos leitores de revistas e outras imprensas?
    Será que ainda, o ponto de discussão aqui ficará amarrado com a massificação cultural e doutrinação política, que é o objetivo da Veja?

  81. Comentou em 20/02/2008 Ivan Moraes

    ‘Pretensos seres humanos pensam que seus caudalosos conhecimentos, adquiridos como professores-visitantes nas melhores universidades da galáxia, possam tirá-los da situação de indigência moral’: mas mentira eh mentira: estou esperando ver Nassif dizer que a revolucao cubana nao foi sanguinaria, Sid, espere que daqui a pouco o ‘Beatrice’ volta com a documentacao.

  82. Comentou em 20/02/2008 Cid Elias

    Pretensos seres humanos pensam que seus caudalosos conhecimentos, adquiridos como professores-visitantes nas melhores universidades da galáxia, possam tirá-los da situação de indigência moral que se encontram. Ledo engano. Um professor famosíssimo, cuja cabecinha é capaz de expelir pensamentos como o que postei, e postarei de novo, para reforçar que tipo de gente que realmente é, arrogante, intolerante e incapaz de demonstrar respeito às pessoas, ou seja, um inimigo mortal da democracia. Desconhece a possibilidade da existência de PLURALISMO. Agride com termos toscos às pessoas, que no caso talvez sejam seus próprios alunos. E ainda vem aqui no OI querer ser o bambambam, cheio de frases de efeito, semelhantes às que usa no blog do amigo rei nossacaixa2 azevedo. Prestem atenção na pequeneza e no estilo que fazem o arno esquivel um exemplar ‘paladino da moral seletiva, e um defensor ferrenho do direito de todos se manfestarem, menos seus ‘inimigos’:
    ‘…achincalhada por uma minoria que se complementa por duas maltas similares: os néscios que invadiram a Reitoria e os imbecis que lavraram o óbito da cidadania num abaixo-assinado sem vergonha. De outro, a grande maioria silenciosa que assiste passiva e compassiva os ditames de bordel.’ autor – o democrata-mor, professor arno azevedo.

  83. Comentou em 20/02/2008 Ivan Moraes

    ‘Aliás, pasmen, o Nassif falou que a revolução cubana não foi sanguinária!!!!(post de ontem)’: entao o senhor pode provar o que diz e nos enviar o link de documentacao que prova definitivamente que Nassif falou que ‘a revolucao nao foi sanguinaria’, porque o que eu li foi esse tema para discussao: ‘3. Quanto à democracia-ditadura de Cuba, um bom tema para discussão é, de um lado, os limites para as liberdades individuais. De outro, o fato de que mesmo cubanos com destaque mundial permaneceram fiéis ao país – vide Savon, Stevenson, músicos e artistas em geral. Obviamente não era uma democracia. Mas também não tinha a faceta sanguinolenta de outros regimes comunistas.’. Estou esperando voce enviar o link ou a sentenca especifica aonde ele fala o que voce disse que falor, como ainda estou esperando sua documentacao para os leitores estarem depositando na conta do Nassif e a documentacao de ontem que voce nao providenciou. Ou voce acha que jornalismo eh so espalhar rumores?

  84. Comentou em 20/02/2008 Fabio Passos

    Olha que a dor de cotovelo está aumentando… esta é prá entender a força da net e porque é possível desbaratar uma revista picareta: Lá do Nassif… ‘Acabei de instalar um contador de page views na série sobre a Veja. Em apenas 3 minutos, 81 visitantes únicos e 124 pages views.’ Em três minutos! Tá todo mundo lendo sobre o affair da Veja&Daniel Dantas…

  85. Comentou em 20/02/2008 Apolonio Silva

    A todos minhas desculpas se pretendem ou estão lendo o livro citado (se minha memória não falha é mais ou menos aquilo mesmo…). De qualquer modo, recomendo fortemente às novas geracões assistir ao ‘Rato que Ruge’. O livro, que é de um italiano do qual não me recordo o nome, também é ótimo, independentemente de se concordar com a analogia ou não. Estava pensando aqui, e acho que tenho quase certeza, o líder que empunhava o arco e flecha usava óculos…mas não…não…ele não tocava bandolim. Li agora há pouco no blog da Janaína que Nassif, num dos capítulos, criou uma missão impossível para um repórter – no caso ela mesma! Essa internet é mesmo interessante…a gente pode até verificar os copy & paste da lista de comentários de Nassif aparecendo por aqui…

  86. Comentou em 20/02/2008 Fabio Passos

    E o mais impressionante… não aparece viva alma defendendo mainardi! Acusaram o golpe.

  87. Comentou em 20/02/2008 Ivan Moraes

    ‘É sério isso que as pessoas estão depositando grana na conta do NAssif? IXI!’: IXI nao eh numero de conta, voce quer passar pra nos o nome e numero da conta e a agencia bancaria, por favor? Ou nos envie o link de documentacao de suas afirmacoes, que eh aquilo que voce nao fez ontem, se recorda?

  88. Comentou em 20/02/2008 Apolonio Silva

    Pois é Beatrice, já encontrei de tudo em blogs por aí. Mas lá é alguma coisa diferente. ‘Rola um clima’ mesmo. E aí o coracão tem razões que a própria razão deconhece. Para compreender isso, é necessário ter em conta que essa história do ‘Rato que Ruge’, essa comédia antiga, está rolando em ‘primeiro plano’. Quando a gente lê os comentários no blog, percebe que existe um drama ocorrendo em segundo plano. A coisa mais parecida que conheco é ‘O Deserto dos Tártaros’, no plano psicológico dos personangens envolvidos. Neste livro – presente nos 100 da biblioteca fundamental de Borges – um personangem é levado a servir o exército num forte longínquo, numa região deserta próxima a uma fronteira. O lugar é terrível: o natural seria ir embora mesmo. Mas os personangens vão se contaminando mutuamente. Há sempre a expectativa de uma guerra que nunca vem. O tempo vai passando e eles vão envelhecendo com aquela miragem. A vida vai passando, enquanto a ilusão domina o forte inteiro. É algo terrível. Duas coisas: primeiro essa expectativa terrivelmente frustrada; e o mais relevante para o blog de Nassif: a forma como ele se contamina ao querer dialogar com os comentaristas. A ilusão é criada de forma coletiva. Com o tempo compartilham valores. Não podem abandonar suas posicões no forte. O final do livro é triste, com o personangem principal percebendo que jogou fora a vida com aquilo…

  89. Comentou em 20/02/2008 beatrice vargas

    Bom gente! Agora vou na festa! Comemorar a queda oficial do assassino de cuba! mais de 9 mil mortos no paredon! Vou beber a este mortos e à democracia! Aliás, pasmen, o Nassif falou que a revolução cubana não foi sanguinária!!!!(post de ontem) !!!
    Quase desmaiei! Como ele teve a coragem de falar isso? Com mais de 9 mil mortos por fusilamento? Por isso que me fica muito, mas muito difícil acreditar nele! Não pode ser por ingenuidade que ele fala isso! Quem fala uma mentira dessas, fala outras!!!

  90. Comentou em 20/02/2008 Fabio Passos

    O péssimo “jornalismo” da Veja não terá mais paz… É muito legal saber que um bando de trampas não pode mais publicar seus ‘esquemas’ e contar com o silêncio cúmplice da mídia convencional. Não adianta fingir que não aconteceu. Sabemos hoje, graças as reportagens do Nassif e ampla divulgação na net, que a Veja come na mão de Daniel Dantas…

  91. Comentou em 20/02/2008 beatrice vargas

    Acho importante esta arena, porque todos poderemos ir confirmando paulatinamente quem tem razão ou não!!!Isso é demais!!!!

  92. Comentou em 20/02/2008 Fabio Passos

    E o leitor, que auxiliou Nassif na construção da reportagem, continua…

    3) Depois, a numeração do documento vai até a página 75 (que corresponde à página 210 do documento original). A partir daí, acaba a numeração original. É um claro sinal de que alguma coisa, que não interessava, foi suprimida do documento original.
    4) É só conferir a página 97 do documento. Começa a falar de Motta Veiga (o principal contato de Dantas com a mídia) e, de repente, acaba.’

    Nassif arremata: ‘Há indícios fortes de que Mainardi divulgou intencionalmente uma fraude.’

  93. Comentou em 20/02/2008 beatrice vargas

    Bem, vir para o centro dos holofotes o Nassif conseguiu, como eu falava ontem, porque ele estava meio fora dos grandes veículos de comunicação. NEm que ele não encontre algo mais sério para ‘denunciar’ uma parte do projeto ele já conseguiu terminar.
    Agora, vamos ver que rumo as coisas tomam, para poder analisar melhor. Eu falei ontem, ( sempre respeitando quem pensa diferente) que depois disso ele segura a campanha do PT pra 2010 e depois vai cair no colo do Franklin Martins, seo projeto der certo. Acredito muito nisso e é um caminho já feito por outros inclusive o paulo Henrique Amorim. Há pessoas que não acreditam nisto, mas estou convencida!

  94. Comentou em 20/02/2008 Fabio Passos

    Vejam a importância da nova mídia: Há um comentário de um juiz aposentado que Nassif incorporou a reportagem: ‘No domingo, quando publiquei o Capítulo sobre esse suspeito dossiê italiano, cujo link estava na coluna de Mainardi, alguns leitores fizeram o download, analisaram o documento e ajudaram a reforçar as suspeitas de fraude:
    1) O documento não tem começo nem final. O documento tem duas numerações. Uma, aparentemente a numeração oficial do inquérito. Outra, uma numeração específica do documento. Por exemplo, a primeira página tem o número 1 (que é do dossiê entregue a Mainardi) e o número 136 (que provavelmente é do inquérito da polícia italiana). Significa que foram escondidas as 135 primeiras páginas do inquérito original. O que continham?
    2) A diferença da numeração no inicio do arquivo é de 135 paginas. Já no final é de 140, indicando que foram suprimidas 5 paginas, sem motivo algum. Entre a penúltima e a última página estão faltando a 317 e 318.

  95. Comentou em 20/02/2008 beatrice vargas

    Bem, ‘in topic’! Fui ler o novo capítulo da novela das ‘denúncias do Nassif’ e novamente nada vi de ‘tenebroso’ como ele quer que todo mundo ache. Aliás, achei uma das mais fracas. Como ja disseram aqui, ele está arrumando corda….(sempre respeitando a opinião de quem pensa diferente)

  96. Comentou em 20/02/2008 Fabio Passos

    Ainda não está nos jornais e nem na TV… quem se importa? A manchete mais repetida na net é: Mainardi Mentiroso. Desmascarado laranja de Daniel Dantas diante de todo o Brasil!

  97. Comentou em 20/02/2008 beatrice vargas

    Bem hoje me sinto em festa. Vou comemorar a saída do assassino fidel do governo oficial. Claro que ele vai continuar comandando até morrer…. mas já é o começo do fim!Vou ficar só um pouco porque vamos fazer uma festinha, etc e tal Afinal a Democracia tem o que comemorar!!!

  98. Comentou em 20/02/2008 Fabio Passos

    Hoje saiu mais uma reportagem do Nassif sobre a Veja… um barato! Vejam claramente como mainardi usa a política como álibi para promover interesses do seu cavaleiro. Imperdível! http://luis.nassif.googlepages.com/lulameualibi

  99. Comentou em 20/02/2008 beatrice vargas

    Boa noite a todos. OI Apolônio! É sério isso que as pessoas estão depositando grana na conta do NAssif? IXI!

  100. Comentou em 20/02/2008 Fabio Passos

    Esta reportagem do Nassif já teve uma repercussão impressionante. E vai aumentar porque… ainda não acabou! A lição é de que com a net, não é mais tão fácil fazer ‘esquema’… jornalista-sela(Mainardi) acaba desmascarado. Assim como aquele que o cavalga (Daniel Dantas).

  101. Comentou em 20/02/2008 Fabiano Mendes

    Castilho, noto que alguns leitores do seu post reclamam que os artigos dão a entender que vc queira desclassificar as denuncias do Luis Nassif. Acredito que seja porque o foco é de que ele não está debatendo com a revista e sim mostrando como ela age. Quanto a reação da Veja,não adianta ela espernear, a população ja percebeu como ela age. Tenho vários amigos que escreveram para a seção cartas, e reclamam que as mesmas nunca foram publicadas porque defendiam o Presidente. Tenho vários amigos que deixaram de ler a revista, que não renovaram a assinaturas exatamente por ela ter deixado de ser aquela revista que admiravamos. Tornou se porta voz de grupelhos , joguete de interesses de certos grupos. A população brasileira está mudando. Muitos jovens, principalmente no interior do País, estão mais conscientes da sua cidadania e não aceita tutelas e manipulações.

  102. Comentou em 20/02/2008 Grilo Falante

    Luz do Egypto. Oi..fofura. NÃO PUBLQUE.

    Possa dar uma sugestão, correndo, pois estou atrasada e preciso devolver tijolos – livros de direito – na faculdade.

    Procure no google. Triângulo Dramático – vítima, salvador, perseguidor. Para não cair no jogo. Vai te fazer mal. No final do dia vc estará esgotado. Vale a pena? Perceba o que estão fazendo com vc e como vc gira nos papéis. Corte o ciclo, para o seu próprio bem.

    Não entre em bate-boca com o leitor. Edite e pronto. O site tem regras e presupõe-se que quem participa sabe delas. Se vc começar a ddar trela…eeee…

  103. Comentou em 20/02/2008 Cid Elias

    Apolônio, da próxima vez que vieres à Fortaleza, me avise que farei um preço especial pra ti, assim poderemos nos conhecer pessoalmente. Sei que estás acostumado a se hospedar em hotéis luxuosos, mas garanto que vais gostar do ambiente e do serviço que procuramos dar aos clientes. *Em relação ao ‘surto’, digo outra vez: não tenho estômago para aguentar farsantes que se escondem em falsas identidades e ainda querem dar uma de ‘onestos’, postando uma mentira atrás da outra. Se vocês acham ‘normal’, eu não acho. Continuarei a ‘surtar’, pois alguém tem que desmascarar o(s) impostor(es). Está na cara que a tal beatrice é uma farsa, e me recuso a aceitar FARSANTES nos debates que participo. Enviei ao OI recentemente, meus dados completos, devido a outro caso semelhante a este, onde pedi à pessoa ‘inexistente’ que fizesse o mesmo, e depois de ambos checados, o OI poderia publicá-los. Espero até hoje. O impostor nunca mais apareceu, COM AQUELE NOME…

  104. Comentou em 20/02/2008 Mariana Lima

    Gostaria de saber do Luiz Egypto por que ninguém aqui no OI publica um artigo analisando o detalhe do que o Nassif está denunciando e provocando as reações de VEJA? A série do Nassif me parece muito bem fundamentada em fatos publicados pela própria revista VEJA. Até agora o que vimos neste OBSERVATÓRIO foi uma tentativa de desqualificação ou mudança de foco para ‘disputas políticas’. Como um site analisador da imprensa, o observatório pode contribuir muito mais.

    Nota do OI: Que idéia é essa de ‘tentativa de desqualificação’?? Isto não existe: o titular deste blog publicou três artigos a respeito; há três semanas o OI vem reproduzido a série de Luis Nassif; e quanto as análises do Observatório sobre a Veja, uma boa busca no Google lhe trará algumas dezenas de artigos críticos sobre a revista. (L.E.)

  105. Comentou em 20/02/2008 Apolonio Silva

    Além de seu arco e flecha, trazia ainda como companheiros de batalha um ‘Anarquista’, cujas posições equilibradas eram sempre comentadas dentro do pequeno exército, e outros valentes guerreiros – todos muito sábios, já que no blog de Nassif não se faz economia de cabedal intelectual: os assuntos variam de acordo com o sabor da própria mídia. Sim ela mesma: a tão criticada grande mídia. Havia até uma ala feminina tocada pelo lado musical e sensível do blogueiro, sempre pronto a publicar poesias (além das executadas de próprio indicador, destinada a agradar público não específico). A história avança, cresce o ódio contra o inimigo e seu terrível exército. A história continua. Os processos não chegam. ‘O inimigo se rendeu! Vitória! Vitória!’ canta o exército invasor. Enquanto o inimigo prosseguia em seu rtimo cadenciado, ainda vendendo as 7000000 de revistas, sem bem se dar conta dos arranhões. Enquanto o exército se iludia, o ‘brilhante’ estadista era celebrado pelo incrível feito. Enfim, entro para história consagrando-se como líder fundamental daquela pequenina nação, que continuou a sofrer dos males de que sempre sofreu. Não me lembro se o final era assim, mas que, repito, a única consequência dessa celeuma, será a promoção do estadista do ‘Rato que Ruge’, não resta a menor dúvida.

  106. Comentou em 20/02/2008 Apolonio Silva

    Voltando ao assunto levantado por Castilho sobre a saga de Nassif, o ‘kamikaze’ de plantão. Essa história está cada vez mais parecida com aquele antigo filme:’ O rato que ruge’. (Não estou chamando Nassif de rato – já tem muitas e muitas pessoas fazendo isso em blogs pelaí…eu não penso isso: penso que é um cidadão de carne e osso, com as necessidades, vícios virtudes que acompanham a nossa frágil carcaça durante esse breve piquenique no planeta azul…) Pra quem não assistiu o filme por ser muito novo, um resumo permeado pelas falhas de memória longeva: havia um pequeno país, absolutamente sem recursos, endividado, falido, mas governado por um estadista ‘brilhante’ – acho que Nassif aplaudiria esse aí: ele já aplaudiu o Chavez!. Não vendo outra saída, o governante entendeu que única forma de salvar seu país, seria declarar guerra aos EUA e perder – de forma que seria anexado àquele país rico e como se diz no centro de criação ‘Tabajara’: ‘Seus problemas acabaram!’. Pois a circulação do Grupo Abril gira em torno de 7000000 de revistas (Só a Veja são 1100000 SEMANAIS). Está lá o sr Nassif a se fazer de vítima de processos que nem sequer ainda existem. Mantém a gurizada do PT angustiada no blog a dar sugestões de como ganhar essa batalha – ‘Me dê o número de sua conta corrente’ diz um. ‘Vou depositar à revelia’ emenda outro. E lá vai sr Nassif com seu arco e flecha (cont).

  107. Comentou em 20/02/2008 Marcus Netto

    Comunicação livre não é possível através do modelo de negócios das Empresas líderes do setor. Eles administram seus negócios com objetivos de maximizar seus lucros e garantir sus perenidade na produçào destes lucros. Historicamente sempre representaram as classes dominantes , da qual são membros , e quase sempre atuaram am sintonia com os interesses os Impérios da vez. Raras são as dissonâncias. A Imprensa pode falar o que pensa mas precisa pagar o preço correto por distruir vidas de pessoas e carreiras profissionais. Defendo o fim da Lei de Imprensa e a sua responsabilização Criminal e Cívil quando assim o for. A Internet como mídia irá implodir este modelo de propaganda Nazista que vinha servindo a essas Famílias donas de Capitanias Hereditárias na Imprensa. Sugiro também a aplicação de ALTA CARGA TRIBUTÁRIA aos Lucros destas Empresas , pois se utilizam de um bem público, a concessão de uso, sem pagar o preço devido por isso ao Povo Brasileiro.

  108. Comentou em 20/02/2008 Kleber Carvalho

    Qualquer comentarista do OI vai conseguir identificar neste link http://observatorio.ultimosegundo.ig.com.br/artigos.asp?cod=473IMQ001, quatro comentários que fiz, o pior cego é aquele que não quer ver.

    Nota do OI: Valerá mesmo a pena conferir. Experimente uma linguagem civilizada e os comentários serão publicados na íntregra. O Canal do Leitor tem regras, e você sabe disso. (L.E.)

  109. Comentou em 20/02/2008 Ivan Moraes

    ‘Por que a ojeriza do pres Lula e do PT por tal pessoa ?’: prove o. De onde voce tirou a informacao da ‘ojeriza’ de ‘Lula e do PT’? Da Veja? De onde voce tirou o nome ‘Demostenes Torres’ como se fosse novidade tremenda, do Noblat no ano passado? (e nem ele se atreveu a dar nome como se fosse novidade!) E de onde veio ‘Governo (federal) está com medo do Daniel Dantas e ele está com medo do Governo Federal’, razao pela qual haveria acontecido um ACORDAO em maiusculas? Nao que eu teje morrendo de saudades de Bastos cru -ele seria tao bom frito- mas ate ver mais do que fofocas do ano passado regurgitadas… vou te perguntar mais sim.

  110. Comentou em 20/02/2008 Kleber Carvalho

    Caríssimo EDITOR-CHEFE do OI Luiz Egypto, estou dando risadas da sua resposta grosseira, creio que nunca enviei nenhum comentário para este tal Canal do Leitor, a minha indignação se refere ao comentário que enviei para o texto : ‘LEITURAS DO ESTADÃO’, (o senhor do tempo e da política), se não foi você o autor da censura peço desculpas. Você como EDITOR-CHEFE bem que poderia averiguar, ler os comentários e perceber claramente que fui achincalhado de forma gratuita pelo PROGRMADO THIAGO, useiro e vezeiro deste expediente para defender sua ideologia fascista.Com relação a este blog, estou cansado de saber que aqui não tem censura, razão pela qual vim aqui registrar meu protesto contra o OI. Com relação às minhas avós, já faleceram faz tempo, não vou retribuir com a mesma moeda e envolver seus antepassados nesta pendenga. Se você pesquisr os comentários sobre o texto que mencionei acima, creio que poderá comprovar o que estou afirmando, se não me der razão paciência, a vida continua.

    Nota do OI: Ria à vontade. De minha parte, não acho a menor graça em chamado de censor. E grosseria por grosseria, releia seu primeiro comentário, certamente um ótimo exemplo de boa educação. Entenda uma coisa: Canal do Leitor é a área de comentários do site do Observatório. Você já mandou variadíssimos comentários para o Canal, lembra? Este blog faz parte do OI, e aqui os comentários só não têm moderação porque assim o quis seu titular, Carlos Castilho. Por fim, e em defintivo, reitero: *não há nenhum* comentário seu recebido no artigo ‘O senhor do tempo e da política’, no link http://www.observatoriodaimprensa.com.br/artigos.asp?
    cod=473IMQ001, afora os que estão ali publicados. É isso. (Luiz Egypto)

  111. Comentou em 20/02/2008 Max Suel

    Gostaria de levantar um ponto que parece estar passando ao largo de toda a discussão do caso Nassif X Veja. Ninguém discute o papel do personagem Daniel Dantas. Afinal … quem realmente é Daniel Dantas ? Qual o seu papel no mundo político ? Por que a ojeriza do pres Lula e do PT por tal pessoa ? Quais as redes de relacionamento em que está metido ? O que parece é que ele se envolveu na luta entre Gushiken / Fundos de Pensão Estatais e Zé ‘sai já daí’ . Outra coisa que ficou muito esquisita e obscura: no auge das denúncias da Veja envolvendo Daniel Dantas & Dossiê & pretensos depósitos em conta no exterior, houve uma REUNIÃO SUSPEITÍSSIMA no apto de um senador da oposição (Demóstenes Torres?) em que compareceram DANIEL DANTAS e o então Ministro da Justiça TOMAS BASTOS. Como todos sabemos que o brilhante advogado criminal defensor de Lula & PT nos casos escandalosos (foi dele a idéia de dizer que o dinheiro do valerioduto era apenas para Caixa 2, e não para comprar também os parlamentares) é mestre na arte do ACORDO, gostaria de perguntar à distinta freguesia: QUAL TERIA SIDO O MOTIVO DA REUNIÃO ? QUAL O FRUTO DELA ? (disse alguém: o Governo (federal) está com medo do Daniel Dantas e ele está com medo do Governo Federal. Nesta linha, um ACORDÃO deve ter saído. Cartas para a redação.

  112. Comentou em 20/02/2008 Fábio Carvalho

    Ops, como devem ter notado, houve uma repetição de uma idéia no trecho final do meu último comentário. Coisas do ctrl c, ctrl v.

  113. Comentou em 20/02/2008 Fábio Carvalho

    Prezado Cid Elias, há um ditado, de sabedoria proverbial, segundo o qual médico acha que é Deus e jornalista tem certeza. Atrás dos meus aparentes bons modos e da minha suposta gentileza, pode haver um pântano de arrogância tentando se esconder. Não me soa como ataque ler que sou ‘paladino da seriedade, reduto do conhecimento absoluto e onisciente’. Ao contrário, eu me vi com o hábito de madre superiora ditando as ridículas regras do colégio de freiras referidas pelo autor. Eu não o ignoro porque identifico sua sinceridade, capacidade de cruzar informações para formar opinião e disposição para o debate (ainda que muitas vezes eu pense de forma distinta, ou com ‘uma oitava’ abaixo da tua percepção). Além da diversidade de opiniões, a blogosfera também reúne variedade de estilos e carismas: é esse conjunto que tem incrementado o juízo de crítico dos consumidores de informação. Reafirmo, por fim, que o bom debate não deve passar por constrangimentos e, às vezes, convenhamos, isso acontece por aqui. A capacidade de argumentação da blogosfeira, além dos estilos e carismas diversos, tem incrementado o juízo crítico dos consumidores de informação. Paz e bem.

  114. Comentou em 20/02/2008 Lau Mendes

    Senhor Castilho,o que segue não trata de recriminação mas de exemplo de que “qualquer pé de galinha pode dar uma canja” . Embora não concorde que alguém experiente se deixe levar por uma ou outra observação mais agressiva., mas no caso de jornalista chamado de censor talvez tivesse levado como ofensa e respondido tal como o senhor Luiz Egypto chamando a raia a mãe ou a vovozinha do comentarista (Kleber Carvalho-MG) que “ousou” lembrar não muito saudosa memória contra posta a sua profissão. Nem sempre é fácil manter o equilíbrio, e por prevenção já saúdo todas as vovozinhas antecipadamente caso algum comentário sobre a minha. No bom sentido é claro.
    (“Nota do OI: Em primeiro lugar, censor é a vovozinha: você não sabe o que é censura — ou por ser novinho ou por não ter entendido nada mesmo. Em segundo lugar, não sei do que você está falando: neste blog não há moderação, os comentários são publicados quando chegam. Terceiro: se por acaso se refere ao Canal do Leitor, não há comentários seus arquivados ali. Quarto: a moderação do Canal do Leitor não é apenas minha, mas da Redação do OI. Mais respeito e evite falar besteiras neste espaço democrático, ok? (Luiz Egypto).)

  115. Comentou em 20/02/2008 Leonardo Guedes

    Creio que o artigo faz muito bem a separação entre um debate crítico com qualidade e a simples derramamento de palavras sem um mínimo de senso crítico. Casos como o imbróglio entre a Veja e Luís Nassif, por exemplo, tem o lado positivo que é a amplitude da liberdade de imprensa (e, pelo visto, ambas a exercem muito bem). O lado negativo é, da forma como está sendo mostrada no nosso meio, que o caso parece mais um boxe jornalístico-ideológico (se deixarem, pode chegar às vias de fato, mesmo).

  116. Comentou em 20/02/2008 Cláudia Monteiro

    E o que o Observatório da Imprensa se propõe a fazer ao abrir os artigos para comentários? Pensei que fosse abrir o canal para as outras pessoas debaterem a mídia. Não foi o Luis Nassif que inventou o debate da mídia, então. Não se trata de uma experiência inédita.

  117. Comentou em 20/02/2008 Justo J.

    Prezado Castilho,
    parabéns pela suas matérias e pela sua sábia aposta no amadurecimento do debate. Vi
    como você resistiu a tomar partido, como queriam os mais exaltados nassifistas em clima
    de linchamento. As críticas à Veja, pertinentes por sinal, podem ser extendidas a outros
    veículos de comunicação e é isso que eu espero que aconteça. Também é importante
    temos em mente que nenhum dos lados neste confronto é isento. Politicamente ou
    profissionalmente.

  118. Comentou em 20/02/2008 Odracir Silva

    Caro Castilho, atee estou sentindo uma certa culpa por ter pedido um post sobre o assunto um mes atras. Porem, acho q vc o fez muito bem ponderado. Alias, a repercussao dos leitores ee uma coisa compreensivel, haja visto a forma q o debate esta sendo levado pelos protagonistas. Nao sei se haa um ‘bom’ ou um ‘mau’ nesta historia toda. O q se deve observar ee se os 2 lados estao a fazer um jogo limpo, e para isso tem q haver transparencia. Nao entendo muito bem as cobrancas p/ q vc tome uma posicao. Acho q eles nunca leram o seu blog, e lendo os comentarios, parecem ser uns poucos e parecem ser bem articulados.

  119. Comentou em 20/02/2008 ailton filho

    O leitor crítico aqui em questão acredito ser aquele cara que ouve ou lê e interpreta aquela informação sabendo de onde ela veio. Claro que, a intenção, principalmente nos nossos dias fica encoberta e vai ser revelada com o tempo. Ex.: os índios foram exterminados, ali a ingenuidade (por muitos comprada como uma depreciação) existia e a intenção deles era viver. Nós mesmos, digo o homem branco, fizemos isso, por ganância, mas dissemos que eles eram selvagens e precisavam ser dominados. Na minha concepção, nós fomos os selvagens. Ainda somos em muitos casos. Mas é a minha interpretação. Precisamos ter a cabeça aberta as informações, mas como o Alexandre disse, sabendo que tudo são interesses. Atualmente, todo mundo tem garrafa fazia pra vender, e você encontra no preço que quiser, basta procurar.

  120. Comentou em 20/02/2008 Luciano Prado

    Ainda sobre a postura de confronto do leitor. Viceja hoje na grande imprensa o jornalismo de opinião. Dois e dois são quatro? Depende do jornalista! Raro são os que respeitam as ciências exatas. Multiplicam-se os jornalistas que, defendendo os interesses do patrão, utilizam-se de argumentos para contrariar os fatos e impor suas verdades, ou melhor, a verdade que interessa o patrão. E nisso, convenhamos, são exímios “jornalistas”. E nós ficamos aqui, lendo essas baboseiras encomendadas sem qualquer possibilidade de contestação. E as cartas dos leitores? Só publicam as que elogiam e sustentam a tal tese do “jornalista” de aluguel. E tem gente que acha que o leitor não tem razões para o confronto. Pode?

  121. Comentou em 20/02/2008 Luciano Prado

    A afirmação de Castilho: “Apesar de muitos leitores ingressarem no debate sobre a mídia com uma postura de confronto…” tem justificativa convincente. Há tempos a mídia vem tentando fazer o leitor de idiota e empurrando de goela a baixo suas verdades sem qualquer contestação. Raros são os que, do próprio meio, atrevem-se a defender o leitor dos impropérios e irresponsabilidades – para não dizer outra coisa – que a mídia produz. Os leitores são órfãos de pai e mãe. Quando surge alguém, quem quer que seja, para explicitar e escancarar os maus profissionais que há tempos chicoteiam os leitores, há um expressivo e justificado apoio. O jornalista, para ganhar a credibilidade do leitor, precisa antes ter consciência dos males que a imprensa já provocou na história recente do Brasil, e sem qualquer contestação. Os que beiram os cinqüenta anos conhecem bem as barbaridades praticadas em nome de uma imprensa livre. O caso Proconsult, ocorrido nas eleições do governo do Rio de Janeiro é emblemático – e não é o único – e o leitor consciente ainda não deglutiu. Os exemplos não param por ai. Há interesses financeiros imorais dentro das redações que se quer desconfia nossa vã filosofia. Portanto, meu caro Castilho, há motivos de sobra para o leitor andar atravessado com a imprensa.

  122. Comentou em 20/02/2008 Nilton Bergamini

    Vejo que hoje todos acordaram com a corda toda.
    Estão colocando em prática o que o Sr. castilho apontou acima.
    Isso sim é o que eu chamo de um bom exemplo do post.

    Abraços !

  123. Comentou em 20/02/2008 Ivan Moraes

    1-‘uma coisa é adotar um tratamento respeitoso em relação a terceiros, cujo termo ‘senhor’ pode até ser adotado. Outra coisa é considerar isto como atestado de hierarquia’: a maneira que os brasileiros o usam eh anormal porque ‘hierarquia’, produto de consumo que o judiciario mais adora, eh importada de fora do pais e IMPOSTA de cima pra baixo no Brasil pra ‘dar exemplo’ –em sua maior parte de subjugamento. Vai continuar ate o dia que os hierarcudos quebrarem a cara. Esse cheiro do jornalismo brasileiro esta insuportavel…

  124. Comentou em 20/02/2008 Alexandre Carlos Aguiar

    Perfeito, Ivan. Abrindo um parênteses em seu comentário, uma coisa é adotar um tratamento respeitoso em relação a terceiros, cujo termo ‘senhor’ pode até ser adotado. Outra coisa é considerar isto como atestado de hierarquia, pressupondo-se que alguém é superior a você em determinada ocasião, pleo título que ostenta. Nana-nina-não. Pra ser superior a mim é preciso comer mais farinha do que eu. E sou um bom comedor de farinha. rsrs. Tanto aqui, como em outros locais, é comum a enfiada de diplomas, títulos e adjacências na nossa cara, como se isso fosse sustentar a fala de alguém. Houve um que se tratava por doutor e queria respeito. Eu, particularmente, exponho a minha profissão como forma de me situar, mas jamais me colocaria como superior (ou inferior) a jornalistas, médicos, enfermeiros, engenheiros, advogados, etc. Há gente que até corre no Currículo do CNPQ para comprovar a sua situação. Ridículo! No final, somos um monte de ossos, músculos, carbono, água e fezes. Nada mais.

  125. Comentou em 20/02/2008 Kleber Carvalho

    Gostaria de regitrar aqui o meu protesto contra o censor Luiz Egypto que usa 3 pesos e 3 medidas para pautar os comentaristas, fui atacado de forma grosseira pelo impoluto e intragável programador Thiago e na hora da réplica, o censor, por bairrismo, simplesmente me censurou de forma covarde, parabéns, fez direitinho seu servicinho.

    Nota do OI: Em primeiro lugar, censor é a vovozinha: você não sabe o que é censura — ou por ser novinho ou por não ter entendido nada mesmo. Em segundo lugar, não sei do que você está falando: neste blog não há moderação, os comentários são publicados quando chegam. Terceiro: se por acaso se refere ao Canal do Leitor, não há comentários seus arquivados ali. Quarto: a moderação do Canal do Leitor não é apenas minha, mas da Redação do OI. Mais respeito e evite falar besteiras neste espaço democrático, ok? (Luiz Egypto)

  126. Comentou em 20/02/2008 Ivan Moraes

    ‘quando alguém se aproveitar deste discurso, certamente está imbuido de má-fé’: e eh um discurso de pestilencia, essencialmente, Alexandre. Reclamei muitas vezes do uso que os jornais fazem da linguagem para perpetuar o poder das elites, e mesmo na semana passada mencionei os honorificos, um caso aa parte no Brasil pela sua profusao de uso. Honorificos sao o mijo dos cachorros marcando ponto,marcando territorio -marcando poder alheio- na linguagem, mas no Brasil de norte a sul todo mundo chamado todo mundo de ‘senhor’ e ninguem reclama, ninguem fala nada, ninguem sequer nota que alguma coisa esta errada. Mediaticamente falando, esse mijo de cachorros eh ‘o que pode oficialmente ser falado’ e ‘o que nao pode oficialmente ser falado’. Nao tenho mais idade pra ficar chocado de descobrir que fui numa festa de aniversario e me deparei ‘no canto dos pais’ enquanto os jovens se divertiam bem longe da veiarada, mas tenho idade pra reclamar desse cheiro de urina velha no jornalismo, e vou continuar reclamando porque no meu canto da veiarada nao tem cheiro nem de cachorro, muito menos de urina.

  127. Comentou em 20/02/2008 Lucrécio Rocha

    Prezado Cid, hoteleiro,
    Cada pessoa tem um temperamento. Na minha avaliação o seu é um temperamento forte e, principalmente, sincero. Imagino a sua indignação quando a nobre jornalista Beatrice Vargas, se existe, afirma que quase todos nós comentaristas, salvo raríssimas exceções, ‘NÃO TÊM CÉREBRO’, mas que dá todo o direito para discordar de suas teses. Que tese interessante? Vou propor a algum psicólogo fazer um ‘ESTUDO DE CASO’.
    aRACAJU-se

  128. Comentou em 20/02/2008 Apolonio Silva

    PS.: quando disse que ele escrevia no Estadão, refiro-me à parte dos comentários também…

  129. Comentou em 20/02/2008 Apolonio Silva

    Bom, o espaço não era para discutir este tipo de coisa. Mas estava eu passando por aqui e lendo alguns comentários, deparei-me com o Cid tendo um surto, o que de repente me lembrou de uma figura carimbada que escrevia no Estadão há bem uns 5-6 anos atrás: era um tal de Valter Silvério, que dizia escrever das ‘alterosas’ (Minas Gerais). Ele marcou aquele espaço profundamente e escrevia tal qual nosso hoteleiro. A frequência de surtos era mais ou menos a mesma, até que no fim, como sempre acontece com desequilibrados, acabou lentamente sendo posto de lado de discussões sérias e virando motivo de chacota. Não se pode desejar esse tipo de coisa para ninguém nem sinto que isso está acontecendo por aqui. Ainda mais alguém de Fortaleza. Conheço um pouco o Ceará, terra de gente bem-humorada, de Jericoacara a Canoa Quebrada, sem esquecer Fortaleza com a Praia do Futuro, Iracema e as canções de Ednardo.’Eu venho das dunas brancas.a donde queria ficar..deitando os braços cansados…até aonde a vista alcançar….A Praia do Futuro, O Farol Velho e o Novo… pra lhe aperreá…pra lhe aperreá…’. Não tenho mais aonde tocar meus vinis antigos. Acho muito difícil, Cid, que todos que estão aqui, desejem coisas muito diferentes. O que ocorre é que nem sempre se tem as mesmas concepções de como chegar lá. Portanto, a ofensa é um despropósito. Abraços a todos os colegas.

  130. Comentou em 20/02/2008 Alexandre Carlos Aguiar

    Ivan, há uma frase muito comum por aí, dita geralmente no congresso por gente da destra e disseminada pela mídia que é: ‘todo mundo já sabe’. Normalmente, quando o sujeito quer criar este sistema que você tão bem menciona, se utiliza deste subterfugio de linguagem. O que que acontece? ‘Se todo mundo já sabe, e eu não sei, eu sou um néscio. Se todo mundo já sabe, não precisa mais investigar, é tempo perdido. Se todo mundo já sabe, alguém tem informações privilegiadas, eu não tenho’. Eu venho da academia e fundamento meus argumentos na análise, para me certificar do quanto de verdadeiro há nas premissas expostas. Mas, o tal leitor crítico proposto pelo Castilho neste artículo, é raro e depende de muito treino para atingir tal capacidade de percepção. Por isso, os canais midiático se aproveitam desta ‘norma’ do senso comum como forma de expressão de suas ‘verdades’. Preste atenção: quando alguém se aproveitar deste discurso, certamente está imbuido de má-fé.

  131. Comentou em 20/02/2008 Ivan Moraes

    1–Sid, obrigado por trazer isso aa tona, eu nao vi a primeira vez: ‘Ronam Maria Pinto, que **está envolvido nos acontecimentos esquisitos em Santo André**!’: como quais, por exemplo? Alguem sabe do que ele esta falando? Do assassinato do prefeito? Ja disse tudo que tinha pra dizer no blog do Eduardo: eh tudo armacao. Todas as acusacoes sao mentira. Tambem falei que eh golpe neoliberal, que ja aconteceu nos EUA, no Brasil, que tenho certeza absoluta do mesmo ‘enredo’ no Chile e no Mexico, que as acusacoes estao sempre apontadas para lideres politicos que detestam a politica neoliberal, que a confissao que o caso gerador de todos os outros como ‘grande armadilha’ mediatica era todo farsa esta no filme ‘O Poder dos Pesadelos’ no google video, 3 partes de uma hora cada, legendado em portugues. Apareci no OI exatamente durante os ataques de SP, e meu assunto nunca foi eles… era essa reportagem em questao, da pobrissima ‘conta’ de Lula no exterior de dois milhoes(!!!). Era obvio e evidente que se ninguem falasse nem fizesse nada o Brasil enveredaria pelo mesmo caminho dos EUA, porque todo ‘ataque terrorista’ concentra TODO o dinheiro de qualquer pais exatamente na mao de quem nunca deveria ter lo, a extrema direita. Era evidente que era aonde o Brasil estava sendo levado. Dos ataques pra ca, tenho continuado mordendo o traseiro de Deus e todo mundo aqui e em->

  132. Comentou em 20/02/2008 Ivan Moraes

    2–outros blogs, vou continuar, nao vou parar, tenho enorme prazer em fazer lo. Eu tambem quero o Brasil destruido. Cair na mao da extrema direita que lancou Reinaldo e Diogo o Brasil nao vai porque nao vou deixar. Agora esta explicado tudo isso para quem nao sabe. A extrema direita ja importou dos EUA, sem o menor respeito ao Brasil, atravez de massiva espionagem, sabotagem, e desinformacao, desde slogan presidencial e de campanha politica ate leis e codigos e contratos ate consumismo dos horrorosos crocs e da religiao -religiao como produto de consumo(!!!), mais ou menos os que a Globo tentou fazer do espiritismo. Essa foi a invasao que ninguem viu, da qual ninguem foi informado. O efeito foi vazar o Brasil de qualquer brasileiridade. Isso vai parar. Isso tem que parar. O que a extrema direita tem a oferecer ao Brasil eh a fome e a peste. Nada mais.

  133. Comentou em 20/02/2008 cid elias

    Fábio, paladino da seriedade e reduto do conhecimento absoluto, que maravilha de comentário! Vou emoldurá-lo e botar na parede. Eu nem sei porque ainda estás te dirigindo à minha pessoa. Dizíamos no Menino Deus, naquela época do Deu pra ti anos 80, ‘explicação é pra porteiro’. Já disse, se tens costume de debater com falsários, pronto a mostrar tua superioridade gaudéria, vá em frente, não lestes isto? Eu, um desinformado pelo ‘Azenha'(tem gente sem noção do ridículo, para estes, suposição e verdade são sinônimos), mas educado pelos valores morais verdadeiros, acho que, o que constrange o bom debate é alguém postar com vários nomes falsos, com objetivos rasteiros. Já o famoso Fábio, aprova esta prática. Simples questão de valores. Faça de conta que meus apartes não existem e ponto final. E desejo um grande debate entre o onisciente Fábio e o falsário cibernético. Posso até imaginar quão produtivo e esclarecedor será o grande debate ‘umilde X onesto’. <> Pra relaxar, versos que ouço agora, do saudoso gremista Jayme Caetano Brown, ao fundo o imortal violão crioulo de Lúcio Yanel, primeiro mestre do Yamandu: ‘guardar dias pro futuro, é sempre a grande tolice, e de que adianta esse juro? se ao índio mais queixo-duro, o tempo amansa no assédio, viver, é o melhor remédio, no repecho e na descida, porque, na conta da vida, não adianta saldo médio’

  134. Comentou em 19/02/2008 beatrice vargas

    Fabio, muito, mas muito obrigada,por toda a gentileza. Valeu.
    Achei voce ótimo debatedor, embora não concorde com algumas de suas teses. Mas vou defender a té a morte o seu direito de discordar.
    Desculpe ter trocado seu nome pelo do meu filho Flavinho. É a força do hábito.
    Valeu debater com voce, mas acho que estou em débito na última questão. Vamos ver se amanhã da para voltar aqui. Um beijo pra voce tambem.

  135. Comentou em 19/02/2008 beatrice vargas

    Pois é. Ninguem sabe a verdade . O que está realmente por trás das ‘denuncias’ do Nassif, ou das reportagens da Veja. Ou da sabujice do PHA com o PT.
    Enfim, vamos aguardar. E eu vou dormir que tenho que lavar o Flavinho logo cedo pra escola. Amanhã ele entra 10 pras sete, com aula de espanhol, é mole?
    Alexandre foi um prazer falar com voce. Educado, bem formado e antenado. Um beijo grande. Amanhã, se der, eu volto. Isto se não tiver que viajar pra cobrir algo. AH! Se voce quiser ir mesmo pra Fortal, pode ficar na casa do Lucio Alcântara, que é meu padrinho. Posso dar as coordenadas. E lá tem o Faustino, onde se come muito bem ( duas estrelas no guia Quatro Rodas-Michelin). Tem tambem o Branco que é na favela, mas tem um peixe recheado de camarão que é pra lá de divino. Mas tem que ir cedo, porque mais tarde a barra pesa. E ninguem pode deixar de ir na praia do Futuro comer carangueijo na barraca do XIco, muito menos deixar de ir no Pirata, que só tem função às segundas-feiras, mas é de matar de divertido.
    Beijos

  136. Comentou em 19/02/2008 Fábio Carvalho

    Prezado Cid Elias, ‘o Observatório respeita qualquer identidade colocada nos comentários. Para nós, importa o que é escrito’. Para mim, também é isso o que importa – embora eu possa olhar com outros olhos (não necessariamente com desdém) o comentário em que eu tiver a certeza de que tem pseudônimo na assinatura. Normalmente, identifico rápido as táticas diversionistas de quem não quer debater. Ao contrário do OI, o senhor não respeita qualquer identidade. Não interessa o que a pessoa diz, mas quem o senhor julga que ela é. Bem, é um direito que lhe assiste pensar e agir assim. Gostaria que o senhor entendesse que essa postura, além de aborrecida a meu juízo, constrange o bom debate. Beatrice afirma que não usa pseudônimo. O senhor já escreveu que ela mente e é ‘safada’. O senhor formula certezas e convicções tão rápidas quanto ríspidas, com apuração insuficiente e a partir de indícios frágeis. Para que o senhor dimensione minha crítica, foi exatamente isso o que fez a revista Veja com o tal dossiê fajuto. Todo emissor é responsável por aquilo que diz e essa responsabilidade aumenta se se pretende que a blogosfera tenha maior participação no debate público ‘sem os filtros da grande imprensa’. Então, guardadas as devidas proporções, se a crítica vale para a Veja, vale para o senhor, para a Beatrice e para mim.

  137. Comentou em 19/02/2008 Alexandre Carlos Aguiar

    Exatamente! É a pergunta que já está se fazendo a Diogo Mainardi, a Reinaldo Azevedo. Todos são atores neste teatro e cada qual com seu papel. Alguém poderia levantar a mão e nos dizer quem tem culpa e quem é inocente? Nem a minha vozinha era santa.

  138. Comentou em 19/02/2008 beatrice vargas

    Mas quem garante ou quem pode garantir que não há segundas ou terceiras intenções nas atitudes das pessoas? Principalmente num caso como este?

  139. Comentou em 19/02/2008 Alexandre Carlos Aguair

    Beatrice, por acaso Lula e Ciro Gomes defendem a mesma coisa, são da mesma leva? Parecem até estar do mesmo lado? Serra e Aécio, idem? O ponto são as vicissitudes próprias das personalidades. O próprio Nassif já descartou a colaboração de PHA, ainda que este tenha argumentos para solidificar as afirmações do mouro. Por que? Ele sabe que os interesses são outros. Enquanto PHA quer platéia, ou seja, ele ancora um programa de TV, Nassif aposta no jogo ético, que é uma boa comódite, hoje em dia, não acha? É uma aposta na interface do discurso. Se Nassif optasse pelo apoio de Amorin, certamente estaria em algum quadro do programa da Record aos domingos dando esntrevista. O mouro não quer isso, ele não quer platéia, ele quer defender um ideal. Mas, como eu disse, é um jornalista que não dorme com a notícia, que só se revelará honesta com o tempo. A informação dada de supetão geralmente trás problemas de credibilidade. Quando é digerida, suas vírgulas são cortadas, suas reticências devidamente colocadas, aí ela passa para um plano mais confiável. Esta é a diferença entre os dois: um quer o supetão (o show), o outro que a digestão (a análise).

  140. Comentou em 19/02/2008 Fábio Carvalho

    Prezada Beatrice, se bem entendi tua resposta, você não publicaria a matéria tal qual ela foi publicada, após seis meses de investigação. É a revista Veja que afirma que investigou por seis meses o caso, destacando, para isso, um profissional de reconhecida competência. Sublinho o período relativamente longo de investigação para afirmar, amparado nas informações da revista, que não houve ‘pauleira’ alguma nesse caso. Ao que parece, havia uma longa relação com a fonte Daniel Dantas, que abastecia a revista de informações (o que pode ser, guardados os limites éticos, legítimo). Quando eu era repórter, a gente costuma dizer na redação que ‘perdia um furo para não dar uma barrigada’. Neste caso, a frase ganha outro contorno, pois é uma barrigada que tangencia o crime, Beatrice: imputar falso crime a alguém é calúnia, de acordo com o Código Penal. Isso não significa endossar o entendimento de Nassif, mas reconhecer que seu esforço faz despertar, mesmo entre pessoas que têm opiniões distintas, crítica à Veja. Sobre o caráter, a competência, o atual e o futuro trabalho de Luis Nassif, não emito opinião e não faço ilações. Não julgo alguém porque trabalha na Folha, na Veja, na Globo ou no The Guardian. Julgo o trabalho que cada um desenvolve, dentro de seus limites e possibilidades: todo trabalho é, em princípio, digno.

  141. Comentou em 19/02/2008 beatrice vargas

    Bom, voce falo e falou e tergiversou. Mas não disse poque acha que o Nassif não bebe nas mesmas águas do PHA. Acho que não só faz o mesmo caminho, como já está pela metade dele!

  142. Comentou em 19/02/2008 silvio turban

    Olá Reinaldo Azevedo! Tudo bem? Já que você está aparecendo por aqui, gostaria de avisar que você escreveu ‘exceso’ no título de um post. Como diria o Millor é sempre uma satisfação.

  143. Comentou em 19/02/2008 Alexandre Carlos Aguiar

    Pois é, meu caro, em todos os blogs é assim. É o reino da mentira e dos alter-egos. Mas mesmo com mentirosos a gente consegue um bom diálogo. Como te disse, no Orkut isso é uma festa. A gente acaba conversando com personagens, com robôs, com fantasmas. Mas é divertido! Já conversei com Eistein, Newton, Darwin, Platão, Descartes, Fidel. E essa gente até que tem coisas boas na cabeça, sério! Não sei porque se escondem. Mas, é da natureza humana. Como eu conheço um pouco de Endocrinologia e de Fisiologia humana, dá para preceber, afinal, quem são as mulheres, se estão em preíodo fértil, quem são os homens. Faz parte da minha profissão, fazer o quê? Como eu disse, eu dou trela, dou corda e vou enveredando um diálogo, que às vezes é interessante. mas, quando são descobertos vão embora. Que pena!

  144. Comentou em 19/02/2008 Cid Elias

    Fisgaram a traíra! Ha ha ha ha ha ha ha! Traíras, como todo peixe, morre pela boca, né não? Volta, meu rei volta, PRO ESGOTO! Leve o resto do cardume, evacues a lucia campi, a regina alves, o justo j, e outras farsas dejetadas pela tua mente criminosa. Além de falsário, o cara é burro! Nem pra citar o autor da jumentice que mandei ambos engolirem, o rasteiro foi capaz, trocou asno por apolono. Sai fora, impostor, volta pra lama!

  145. Comentou em 19/02/2008 beatrice vargas

    Bom, voce me convence. Mas me diga, porque voce acha que o Nassif não tem os mesmos propósitos do PHA. Eu acho que o Nassif não desce tanto. Mas acho sim que vai fazer o mesmo caminho. Voce não acha?

  146. Comentou em 19/02/2008 Cid Elias

    Alexandre, estaremos às ordens, nosso hotel é simples, mas é bem localizado, e minha esposa e eu administramos como se fosse nossa casa. Será um prazer recebê-lo. Voltando ao caso da traíra, olhe nestes dois troços que seguem se não está na cara que foi a mesma cabecinha lamacenta que os redigiu, sob dois nomes falsos. Preste atenção nos termos repetidos ‘POR ADMIRAÇÃO, A SOLDO, MOÇO’, até a ‘gargalhada’ é igual: <> -‘
    lucia campi, advogada (são paulo/SP) Enviado em 17/2/2008 às 9:13:38 PM Ha ha ha ha ha ha ha ha ha … Sinto muito para a claque programada, mas no caso Veja x nassif, essa turminha ladra… Sim, os cães ladram, mas a caravana passa! No presente caso, Veja passa às gargalhadas!!! O moço de serviços falou, enrolou, mas não esclareceu o laudatório que faz do bandido. ‘Onde eu vi isso?’…( por admiração ou a soldo)… —————————————————- beatrice vargas, jornalista (belo horizonte/MG) Enviado em 17/2/2008 às 11:25:00 AM HA ha ha ha ha ha….Olha moço: pode chiar à vontade…… mas voce fez sim uma biografia de Ronam Maria Pinto, que está envolvido nos acontecimentos esquisitos em Santo André! Fez ou não fez? Porque voce faria uma biografia do Ronam, você, ‘tão honesto que é’, de uma pessoa envolvida até os dentes com tudo aquilo? Ou foi por admiração- o que seria um fim muito pior…ou foi a soldo’

  147. Comentou em 19/02/2008 Alexandre Carlos Aguiar

    Beatrice, isto aqui é um jogo. Jogo de palavras. Não quero meter ninguém numa armadilha, mas quero, sim, saber onde vão. Minha lógica é a dos discursos. Não me importa se você é fake ou não, desde que se sustente no que diz. Se for séria, vai continuar, e manterá a ‘personalidade’, mesmo encoberta, senão, irá embora, com certeza.

  148. Comentou em 19/02/2008 beatrice vargas

    Aí, ein? Quer me dar linha… ou corda…….
    Que pena. Achei tua argumentação muito boa. Mas se é assim, por falta de adeus é que não vamos sair. A turba multa furibunda é capaz de tudo. Todavia, para os ‘grotesques’ vou relembrar a frase de Apolônio: ‘Nem na milésima encarnação busacarei saciar a sede na fonte onde aurem o esterco que vomitam aqui.’ Isto não é pra voce Alexandre, que, apesar de insinuar que quer me colocar numa ‘armadilha’, sempre foi educadérrino’ Au revoir’. Se eu voltar aqui, não é mais para falar com voce, dado ao fato que voce quer me dar linha….. que infantilidade.

  149. Comentou em 19/02/2008 Alexandre Carlos Aguiar

    Olha, Beatrice, não estou convencido de que PHA e Nassif bebam da mesma água. É certo que batem em inimigos comuns, mas não necessariamente com as mesmas intenções. Conforme já discuti em um post anterior, tudo são interesses. No mundo em que vivemos, as defesas dos interesses garantem, ao menos, o jantar de amanhã. A pressão está forte pra todo mundo e como diz o velho filósofo ‘quem tem garrafa vazia pra vender, acaba rico’. Agora, uma coisa que eu abomino é alguém tentar me idiotizar, usar de subterfúgios para vender o seu jornal, a sua revista e atestando isso como a prova da verdade. Isso eu não aceito. E tenho senso crítico suficiente para perceber que a revista Veja vem fazendo isso há muito tempo. Por outro lado, se Nassif virá resolver essa questão, se seus interesses forem realmente ajustar as verdades escondidas, se, ao final, depuraremos as relações entre mídia e seus consumidores, só o tempo e os tribunais dirão. E o leitor crítico, que Carlos Castilho denominou neste artículo, terá um papel fundamental, na medida em que apoiará aquele que mais se aproximar da verdade. A análise crítica permite isso, sem demagogias e sem hipocrisias. aliás, nós sabemos, no fundo, onde está a verdade. Cada um de nós. Nossos interesses nos dizem isso. Para alguns dói contar, para outros é um regozijo.

  150. Comentou em 19/02/2008 beatrice vargas

    Bom, voce tem razão! Melhor que a verdade apareça. Todavia, opinião minha, claro, acho que o Nassif enveredou pelo caminho aberto pelo Paulo H Amorim. Claro que ele não desce tanto. Ele só fez uma tremenda jogada de marketing e veio para o centro da roda. Ele está completamente fora dos grandes veículos de comunicação. Saiu da Folha, saiu da Cultura, enfim, está no Diário do Grande Abc, do Ronam Pinto. Vindo para os holofotes , começa a aparecer muito e o cacife sobe. Joga pelo PT, nos mínimos detalhes. Ou seja, seu jornalismo é orquestrado. Vai jogar pesado nas próximas eleições, em favor do PT. E depois virá a reconpensa. Bem , acho que me engano num ponto. Quem abriu de verdade este caminho foi o Franklin Martins. O Paulo Amorin só é mais um, mas de quebra serve ao Bispo e levanta a aposentadoria em nova iorque, como ele mesmo diz. Esta é a minha opinião. Não é para irritar ou provocar. É o que realmente acho, pela prática da vida de jornalista que acompanha política de perto.

  151. Comentou em 19/02/2008 Alexandre Carlos Aguiar

    Meu caro Cid. Ainda espero visitar Fortaleza e conhecê-lo. hehe. Meu caro, você sabe pescar? Sabe aquela em que a gente dá linha pro peixe. rs…rs Entonces. Eu sou veterano de Orkut, meu velho. Não se aperreie.

  152. Comentou em 19/02/2008 Cid Elias

    Alexandre, desculpe minha chatice e minha falta de educação, mas deixe de ser ‘bobo’…essa pessoa não existe, homem! Que jornalista nada! Isso é uma farsa, um impostor safado que tá a mando dos capos, tipo o ex-dele, um tal mendonção. Jornalista e vigarista são coisas distintas. Jornalistas: Nassif, Castilhos, Alon, Marcelo, Flávio Aguiar, Azenha, Brickmann, Bucci, Luiz G Motta, Alceu Nader, Mello e muitos outros. e convenhamos, a tal beatrice = lucia campi -advogada = justo j – prof. apos. = regina alves – advogada = vigarista, farsante.

  153. Comentou em 19/02/2008 Alexandre Carlos Aguiar

    Beatrice, esse é o ponto. E se for? Você, que é jornalista, conhece a máxima que um repórter não dorme com a notícia. Poderá ser um furo histórico. Por outro lado, como biólogo, eu admito a seleção natural. Se não for, a natureza dará um jeito e este jornalista será levado ao limbo. Não concorda? De toda a forma, será uma oportunidade para desmarcararmos qualquer um dos lados que hoje se batem no Brasil. Ou a imprensa tachada de golpista vira o jogo, ou os que a acusam ganham a contenda. Você não joga pôquer?

  154. Comentou em 19/02/2008 beatrice vargas

    Ei disse que ‘se tivesse mais um indício’ e um indício, é um indicador firme! Não falei de ética ou meia ética. Por favor, o que eu não disse, não pode ser apontado.

  155. Comentou em 19/02/2008 beatrice vargas

    Alexandre, boa noite. Desculpe pegar um pedaço de teu texto para ilustrar,mas quanfdo voce diz:
    ‘pos o dedo na ferida’, voce parte do pressuposto que haja ferida!
    E se não houver ferida alguma? É isso que penso. E se for uma jogada comercial, política, de marketing?
    Não estou dizendo que É isso, mas dizendo que PODE SER ISSO.

  156. Comentou em 19/02/2008 Alexandre Carlos Aguiar

    Beatrice, me perdõe, mas não poderia deixar de comentar o que você acabou de postar. Não existe meia ética ou grande ética. A ética é uma só. Pergunte ao pessoal da Escola Base, caso típico.

  157. Comentou em 19/02/2008 beatrice vargas

    Oi Fabio, desculpe ter chamado voce de Flavio. Flavio é o nome de meu filho e o hábito me fez errar ao escrever seu nome. Sorry!

  158. Comentou em 19/02/2008 Alexandre Carlos Aguiar

    A grande questão, Fabio (creio que você também pensa assim), não é se Nassif tem razão ou não, se Nassif diz a verdade ou um monte de balelas. A questão não é essa, mas o fato de ele ter posto o dedo na ferida. E numa profundidade tão assombrosa que estou navegando por diversos lugares da rede e observando os debates mais acalorados e dos mais diversos matizes ideológicos. Se ele quiz visibilidade, conseguiu, mas é uma análise pobre partir por essa ótica. Prefiro dizer que, como jornalista (não farei juizo de valor de sua competência, pois isso não me importa) ele cumpriu seu papel à risca. Como consumidor de mídia estou adorando, uma vez que tenho o que ler todos os dias (rs…rs). Como cidadão espero que as verdadeiras verdades apareçam, mesmo que em tribunais.

  159. Comentou em 19/02/2008 beatrice vargas

    Flavio, voce tem toda razão quando diz que o autor tem direito a ter sua opinião. Como disse o filósofo, posso não concordar com voce mas defendo até a morte o direito de voce divergir. E vice -versa.
    No post do Castilho, neste último, achei que ele parte do pressuposto que o Nassif tem toda razão.Não me pareceu isento. E isso peca um pouco a excelencia do post. Quanto a publicar, se eu tivesse mais um indício, alem do primeiro, eu publicaria, com alguma ressalva. Mas isso depende do momento, como já disse o Apolônio, pois voce bem sabe a pauleira que é uma redação. Tambem cooncordo com o Apolônio quando fala que na pior das hipóteses ( eu não acredito nisso) poderia ser um erro, um equiívoco e todo mundo erra. MAs , perto do que a Veja já fez e mostrou, desde que nasceu, um êrro desses é zero.

  160. Comentou em 19/02/2008 cid elias

    Ivan, não percas tempo com essa farsa cibernética. Não se discute com um falsário que não tem coragem de revelar quem realmente é. Me arrisco a te dizer isto porque nos conhecemos, via OI, Cidadania.com, etc, há algum tempo. A outros que sabem ´tudo sobre todos os temas´´, já não o faço, pois o troco seria um daqueles comentários-lição de moral:’o que eu digo é certo, o que tu dizes é sandice’. Ivan, relembrando um trecho da música Parque da Juraci, onde o Zeca Baleiro diz: ‘Larga mão dessa mulher’…

  161. Comentou em 19/02/2008 Fábio Carvalho

    Prezada Beatrice, o autor tem direito à opinião tanto quanto nós, comentadores. Isso é um pressuposto que, acredito, todos nós concordamos, ainda que guardemos nossas divergências.Quando ele menciona o ineditismo do fenômeno, refere-se a um passado recentíssimo e em que a velocidade das transformações foi (ou está sendo) muito grande. Ele se refere ao fato de a blogosfera não passar pelo filtro da chamada grande imprensa. No texto, Castilho não parte do princípio que Nassif tem razão (qual a passagem que te faz concluir isso?). Ademais, gostaria de saber a sua opinião sobre a matéria do dossiê falso. Se você fosse a editora, publicaria o texto com ‘inconsistências’, justificando não haver prova de que as acusações (do lead, do título, da capa) poderiam ser falsas ou verdadeiras?

  162. Comentou em 19/02/2008 beatrice vargas

    Bem, gostaria de ver Arno , Apolônio, e demais pessoas que tem cérebro , argumentar sobre o blog como arena de discussão.
    Enquanto eles não aparecem por aqui, vou lembrar uma frase Vieiresca e memorável de um deles:

    ‘Nem na milésima encarnação ousaria beber do esterco que voce vomita aqui’

    Achei a frase arrasadora e encerra o que merece a limitada capacidade de argumentação somada à péssima educação.
    Ele pediu desculpas, mas nem devia, pois tinha endereço certo!

    E o bom humor ensejado nos termos, valeu a pena! Quase morri de rir!

  163. Comentou em 19/02/2008 Ivan Moraes

    ‘Na verdade , acho que o campus do blog para discutir ou rediscutir matérias, precisa de um condutor’: PROCURANDO EMPREGO NO OI?!?! Ceus! Acorda, Miss Jada.

  164. Comentou em 19/02/2008 Beatrice Vargas

    Todavia….todavia, respeito os que tenham opinião cotraria. Mas a pratica da leitura, diária, de diversos jornais e revistas, incluido do exterior. sempre dá um up.
    Na verdade , acho que o campus do blog para discutir ou rediscutir matérias, precisa de um condutor, para que boas idéias não se percam. Voce tem razão, Castilho, quando diz que este pode ser um campo fértil par a novos rumos.

  165. Comentou em 19/02/2008 Ivan Moraes

    1-‘voce parte do pressuposto que o Nassif tem razão. E isso não é verdade, pois a verdade , para ser apurada leva tempo e estudo cauteloso.’: voce ainda NAO entendeu? Nassif esta falando o que todo mundo ja esta desconfiado ha anos! Ele nao esta negando ao publico o que todo mundo ja sabe, quem o esta fazendo eh a media brasileira. 2-‘Não é mau, mas não é 10% de um Markum, ou de um Waak’: voce ta fazendo lobby pago? Ta dificil nao ver que voce esta pedindo emprego: pra quem e a quem?

  166. Comentou em 19/02/2008 beatrice vargas

    Muito bem colocadas as observções ,mas não concordo com o ponto de que que seja inédito a discussão acalorada entre pontos de vista ou opiniões. Isto ja acontecia em outros blos, porque sempre aparece gente que não quer discutir, mas axincalhar. Tampouco permitem a opinião cotrária. É uma pena,m porquye realmente poderia servir de base para vôos diferentes da imprensa e dos cidadãos em geral. Outro ponto que discordo é que voce parte do pressuposto que o Nassif tem razão. E isso não é verdade, pois a verdade , para ser apurada leva tempo e estudo cauteloso. Não acho que o Nassif tenha envergadura e bala na agulha para tentar desmontar a Veja. Mesmo porque , li as tais denúncias e nada vi de ‘tão calamitoso’, como se apregoa, salvo tenha ele algum coringa. Muitos não gostam, mas tenho a opiniãode que o Nassif não tem a estatura profissional que alguns lhe atribuem. Não é mau, mas não é 10% de um Markum, ou de um Waak. Ele é mediano, como muitos bons jornalistas e isso não pé pecado, é circusntância de vida. É só dar uma olhada no post dele de hoje sobre a renuncia de Fidel, para comprovar.

  167. Comentou em 19/02/2008 Ivan Moraes

    (off-topi: Dulce, quando voce posta um comentario, tem que ir ate o fim da pagina, la embaixo, e ver se o texto diz que o comentario entrou. Se voce posta e NAO termina olhando as letras vermelhas que confirmam a entrada do comentario, eh porque uma das 5 letras de confirmacao estava errada e o texto nao saiu do seu computador, eh so entrar as novas letras e o estado de novo.)

  168. Comentou em 19/02/2008 Alexandre Carlos Aguiar

    A respeito disso que foi exposto pelo colunista, abre-se a necessidade de compreender o papel da imprensa. De que forma a divulgação de informações é o pressuposto para formar conhecimento, padrão básico utilizado no sistema educacional, por exemplo. Se ali na rua em frente à minha sala houver um atropelamento? Não preciso da mídia para me informar, sou testemunha. Vejo o corpo e o carro parados na rua. Porém, um amigo que more em um bairro distante precisa comprar um jornal ou ouvir a notícia numa rádio. Logo depois do fato narrado entram os analistas a expor seus pontos de vista. Os que criticam o prefeito, por inclinação ideológica, irão expor que sua política de urbanização é falha, pois nem o trânsito ele é capaz de controlar. Os que o defendem dirão que em função de um crescimento generalizado da economia, mais carros estão nas ruas e, conseqüentemente, os cidadãos a pé correm os devidos riscos. O conhecimento é apreendido na medida em que o debate se acalora, formando-se as opiniões pertinentes. O cidadão crítico poderá optar por defender as ideologias expostas, ou, dependendo de sua análise, compreender as más-fés envolvidas nas discussões do fato. Talvez este seja o ponto ainda não compreendido, as nunaças por trás da mera informação, os discursos midiáticos. O caso de Luis Nassif (com ou sem lucidez) é tipológico, uma vez que põe à baila tais pertinências.

  169. Comentou em 19/02/2008 Dulce Leão

    Olá Carlos Responda-me, por gentileza. ESTOU CENSURADA AQUÍ? é A SEGUNDA VEZ QUE TENTO COLOCAR COMENTÁRIO E NÃO ENTRA. OBRIGADA.

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem