Terça-feira, 20 de Fevereiro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº974

CÓDIGO ABERTO > Desativado

Lula no Roda Viva: olho nas perguntas

Por Luiz Weis em 07/11/2005 | comentários

Hoje é dia de prestar atenção no que dirá o presidente Lula – e mais, talvez, no que lhe for perguntado.

Um dos mais falantes chefes de governo na história da democracia brasileira e um dos menos falantes, quando se trata de se expor à mídia, Lula será o entrevistado da edição especial de aniversário do Roda Viva, da TV Cultura de São Paulo.

O programa completa 1.000 entrevistas. Esta será gravada agora de manhã no Palácio do Planalto para exibição no horário tradicional das 22h30.

O motivo por que jornalistas e não jornalistas devem atentar para o desempenho dos entrevistadores tem a ver com a história dessa entrevista e com um comentário da colunista Dora Kramer, do Estadão.

A história é que Lula relutou meio ano para aceitar o indeclinável convite, como se pudesse ser outro se não o presidente da República Federativa do Brasil o protagonista da milésima edição do mais bem sucedido programa do gênero na TV brasileira.

O comentário é que “a idéia de formar a bancada com ex-apresentadores do programa foi uma forma de predispor o presidente a aceitar o convite”, pois, à exceção de dois deles, “não estão atuando em veículos de informação diária”.

Ou seja, Dora parece sugerir que o critério para a escalação do time de entrevistadores não foi jornalístico, nem simbólico, mas o da conveniência do entrevistado.

E que pelo fato de não atuarem “em veículos de informação diária” – ou na mídia convencional – esses jornalistas em particular seriam menos mordedores do que os outros, por alheamento ou falta de apetite.

A menos que se deduza que, na visão de Lula, eles seriam mais independentes do que os profissionais da grande imprensa, diária e semanal, de que ele vive se queixando, com doses variadas, ou nenhuma, de razão.

Alguém talvez se sinta tentado a dizer que não é uma coisa nem outra: Dora teria escrito o que escreveu por despeito. O critério adotado a exclui de antemão dos entrevistadores em potencial do presidente, de cuja elite ela faz parte.

Se isso é verdade, o sentimento da comentarista do Estado deve ser compartilhado por jornalistas do calibre de Eliane Cantanhêde, Fernando Rodrigues, Josias de Souza, Kennedy Alencar (Folha); Cristiano Romero e Raymundo Costa (Valor); Franklin Martins (TV Globo); Teresa Cruvinel (O Globo), além do blogueiro Ricardo Noblat – para citar apenas os principais daqueles baseados em Brasília.

A ausência de qualquer deles pode ser um alívio para Lula. Para o público, em que pesem os atributos e o currículo de todos os escalados, provavelmente será uma perda.

Enfim, como dizem os hispanos, a ver lo que pasa.

***

Serão desconsideradas as mensagens ofensivas, anônimas e aquelas cujos autores não possam ser contatados por terem fornecido e-mails falsos.

Todos os comentários

  1. Comentou em 09/11/2005 Alessandra Fernandes Labiapari

    Gostei da entrevista com o presidente Lula, mas esperava mais.
    Não gostei dos privilégios que ele recebeu.O Roda Viva é interessante justamente por ser ao vivo. Por que com o presidente tinha que ser diferente, o que ele responderia que a população não poderia saber. Qual o temor de falar ao vivo? O senhor presidente nos deve uma explicação sobre a crise de seu governo.
    Onde está a transparência na sua forma de governar?
    Achei estranha aquela confraternização no final do programa,afinal alguns jornalistas deixaram nosso presidente constrangido. No que se refere ao time favorito do presidente,achei desnecessário, não era o momento para perguntas como aquela. Em tempos de crise e meio a tantos escândalos envolvendo o PT, a última coisa que interessa ao brasileiro é se o time do Lula vai ser vencedor.
    No mais foi satisfatório.

  2. Comentou em 08/11/2005 Cesar Correa

    Sou apolitico e nao filiado a nenhum partido politico mas, em se tratando de administrar este imenso e querido pais, vejo-me na obrigacao de comentar a entrevista do Sr. Lula, mesmo porque nao se pode chamar de Presidente um pessoa que da uma entrevista cheia de evasivas e mentiras. Toda pessoa que chefia alguma entidade e tem comandados sempre esta a par do que acontece e o Sr. Lula nunca sabe de nada ou tem medo de revelar a verdade! Quando algumas pessoas que tem feito comentarios, nota-se perfeitamente aqueles que sao petistas pois, defendem ferrenhamente os desmandos de Lula e concordam com tudo que esta ocorrendo no nosso pais. Ser petista nao e virtude, e um grande defeito. Como diz o ditado, ser burro nao e defeito, e infelicidade!

  3. Comentou em 08/11/2005 Julio Cesar Goncalves Correa Goncalves Correa

    Infelizmente a entrevista que tinha tudo para ser uma confissao de verdades do Presidente, acabou sendo um montanha de mentiras e evasivas. Concluo pelas respostas de Lula que temos um Presidente mentiroso e sem coragem para assumir as suas responsabilidades na quase totalidade dos casos de corrupcao aflorados. Ele nao pode dar uma de marido traido ou seja, o ultimo a saber! Estou profundamente decepcionado!

  4. Comentou em 08/11/2005 Antonio Luiz Teixeira

    Pena a entrevista ter sido gravada. E mais, antecipadamente comentada e conhecida de todos. Quando cheguei em casa já sabia, antecipadamente, o que foi interrogado a Lula, o que ele respondeu e, pasmado, já sabia das opiniões de todos os seus desafetos, da mídia e do PSDB a PFL, quanto ao conteúdo de sua entrevista gravada pela manhã.
    Logo, chego à conclusão que por ter sido gravada foi bom para eles. Só não foi boa, talvez, para o PT e governo e, também, para a TV Cultura, que perdeu seu ineditismo. Mas, acredito que estes últimos não ligam pra isso, afinal a causa é nobre.
    De resto, ao ver as imagens…nada foi diferente do de sempre: ‘jornalistas’ inconformados com um ‘réu’ que não admite sua culpa. Momentos de descontração houveram, quando variaram sobre temas como: por que o PT matou Celso Daniel? por que seu filho se enriquece desonestamente? por que o governo não deu destaque ao dia do 30º aniversário da morte de Herzog? E, assim vai.
    E isso num canal público de televisão. Imaginem se tal não fosse.
    Nos intervalos, momentos de descontração, pude escolher criteriosamente pela melhor palha de aço, sabão em pó, empresa aérea e até me informar sobre os grandes programas sociais do governo Alkimin.
    Aí fico pensando: quem foi Herzog? Teria sido tão diferente de Manoel Fiel Filho, Alexandre Vannuchi Leme, Santo Dias e tantos outros?
    Será que estes senhores de hoje têm moral para ‘homenageá-lo’ como julgam fazer? Será que sentiria ele conforto em ver o que hoje fazem em seu nome?
    Este é o momento que vivemos e o milésimo primeiro Roda Viva poderia estar no Jô Onze e Meia ou no canal Livre, assim como fazer parte de qualquer comissão de inquérito do Congresso. O espírito é o mesmo. A TV Cultura já era. Hoje é apenas um canal do governo paulista que, conforme dados próprios (através do incontestável DataFolha) é o mais educativo canal de televisão do País, visto principalmente pela gente da classe A e com formação universitária. Não há dúvida: um canal chic!

    Antonio Luiz Teixeira.

  5. Comentou em 07/11/2005 Helenice Araújo Costa

    Na minha opinião, não há por que os jornalistas ficarem magoados com alguma exigência que porventura o presidente tenha feito. Afinal, a forma como a mídia aborda os assuntos do PT e do governo é revoltante. Detalhe: não sou petista, acho um absurdo o fato de o PT haver usado os mesmos expedientes que os demais partidos, mas, como muitos outros cidadãos com senso de justiça, afirmo que a mídia (pelo menos a maior parte) tenta confundir o leitor.
    Manchete da página de hoje do UOL: ‘Lula condena caixa dois e diz que Dirceu será cassado’. Qual é a interpretação mais provável que o leitor fará desse texto? Que Lula, uma vez que condena o caixa dois e considera que Dirceu está envolvido com esse crime, é a favor de sua cassação.
    Somente com a leitura do corpo da notícia o leitor fica sabendo que Lula disse que Dirceu deve ser cassado por motivação política.
    Éssa é apenas uma pequena amostra de como a informação é manipulada para enganar os desavisados.

  6. Comentou em 07/11/2005 Paulo de Tarso Neves Junior

    Não sei se Lula teria medo das perguntas dos jornalistas da grande imprensa. Depois de assistir o Cháves e, algumas semanas depois, o Zé Dirceu detonarem os enviados do Estadão cheguei à conclusão que muitos jornalistas só são ‘machos’ na frente do teclado.
    Em tempo, o jornalista do Estadão distorceu completamente as declarações do Dirceu no dia seguinte.

  7. Comentou em 07/11/2005 Iolando Fagundes

    Concordo com os critérios de escolha. Não creio que diante da clara parcialidade da imprensa o Lula tenha que se comportar como um cordeirinho a ser imolado. O próprio observatório, em uma de suas pesquisas, conclui a parcialidade da mídia com relação ao PT. O mais engraçado disso tudo é ver parte da mídia responsabilizar o confronto entre PT e PSDB pelo crescimento do pensamento conservador. Basta olhar os noticiários e ver quantos mortos-vivos a mídia ressuscitou (ACMs,Bornhauses, Bolsonaros,Caiados,Flerys,Agripinos,etc…)Também é bom ver a grande enxurrada de denuncias que são plantadas no congresso(grampos, o caso dos cartões corporativos…) e em jornais (Estadão) e revistas (Veja), simplismente para desviar assuntos que não interessam a oposição tucanopfelista(Azeredo,caso Bahiatursa). Também é incrível como, grande parte da mídia estão transformando bandidos confessos em coitados arrependidos(Toninho da Barcelona, Ex-juiz ladrão,ex-assessores ladrões, Maluf, coitadinho estava com depressão,Jeferson virou o paladino da justiça e moral, o Buani…ah ele só fez o jogo do poder.O pior é que a população não entende como o ‘mensalão’ está provado se o Jeferson foi cassado justamente por ter acusado sem provas(locura..loucura..loucura). Enquanto isso vejo países que se vangloriavam da sua qualidade de vida, do seu desenvolvimento, terem as chagas expostas. Um (EUA), depois do furacão Katrina, o outro(França), após a imprensa, tanto nacional quanto estrangeira, dar pouca importância para o que ‘inocentes garotinhas’ faziam botando fogo em prédios habitados por imigrantes. Hoje vê-se exposta a miséria, o desemprego e a total falta de perspectivas dos franceses sem orígem. Espero, que a onda conservadora pare de ser retroalimentada por parte da grande mídia, e que jornalistas sérios se insurjam contra uma ordem instituida. Como já dizia não sei quem, a unanimidade é burrra.

  8. Comentou em 07/11/2005 Antonio Carlos Torres Cravo

    JK falava duas vezes com a imprensa… por dia! Salvo engano essa é a primeira vez que o Presidente encara a imprensa, de frente, desde que chegou ‘lá’. Será que a sua assessoria não percebe que esse ‘isolamento voluntário’ sucita elocbrações as mais variadas nos jornalistas, que apenas cumprem com seus deveres para com seus patrões, os leitores e telespectadores????

  9. Comentou em 07/11/2005 Maria Tereza Murray

    Roda Viva gravado não vale. O presidente tem medo de ter que responderá perguntas que não lhe convém e assim o programa perde a espontaneidade. Só espero que os jornalistas saibam aproveitar deixas pois no programa do José Dirceu ‘comeram muita bola’ e deixaram que ele parecesse um anjinho vindo do céu.

  10. Comentou em 07/11/2005 Alexandre Coelho

    Apesar de tudo, o PT ainda é o único partido (com história, ideologia e mobilização de massa) no Brasil capaz de fazer um governo menos entreguista, dilapidador, subserviente e mais voltado para o social (conforme Chávez tem feito na Venezuela). Resta saber se vão permitir que ele o faça.

  11. Comentou em 07/11/2005 Maria Alba Vega Garcia Vega Garcia

    Pena que o programa seja gravado. Gostaria de saber quais os critérios para a escolha dos entrevistadores. Está mais do que na hora de a imprensa fazer sua própria análise para o ‘eu acuso’ a si própriaEstá na hora de acreditar em alguma coisa e contribuir para o avanço do país em valores fundamentais como cidadania, honestidade, verdade…

  12. Comentou em 07/11/2005 José Carlos Carnevale

    Bem, se o Lula é o recordista de comparecimento ao Roda Viva, parabéns prá ele! Compareceu porque tinha interesse, esteve em programas que foram muito interessantes e, como sempre, disse corajosamente coisas que precisavam ser ditas. Agora a situação se altera. Creio que sua coragem mudou de freguesia e se ele puder não dirá o que precisamos ouvir de um presidente na situação em que nos encontramos. Ser entrevistado enquanto candidato é beeeeeem mais fácil! Quando presidente, quer direcionar os assuntos e determinar o peso que terão na entrevista. Ah, o programa não é ao vivo. Tá bom.
    Nenhum outro governo brasileiro, desde a ditadura, teve a pachorra de enquadrar jornalistas através de lei como o governo Lula.

  13. Comentou em 07/11/2005 Nelson Perez

    Para constar: Lula é o recordista de comparecimento na história do roda-vida: nove.
    A única exigência do presidente foi que a entrevista não batesse apenas na tecla ‘crise’.
    Quando FH foi entrevistado pelo programa em Brasília apenas dois jornalistas foram autorizados a ancorar a entrevista.

  14. Comentou em 07/11/2005 gilberto gil

    vamos ver a verdadeira cara do BRASIL, e a midia que quer ver o LULA bem longe do poder para colocar de volta o PSDB ou PFL e LULA do povo, triste realidade brasileira , lamentavél….

  15. Comentou em 07/11/2005 paulo gilberto morais dos santos

    Lula certamente dirá as mesmas baboseiras a que está acostumado quando fala ao público. Pela primeira vez deixarei, voluntariamente, de assistir ao programa. Ele (Lula) não merece a minha audiência e nem minha atenção.

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem