Quinta-feira, 23 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

CÓDIGO ABERTO > Desativado

Manchete na contramão do ‘complô da mídia’

Por Luiz Weis em 02/02/2006 | comentários

A manchete da Folha de hoje – “PF amplia apuração sobre lista de Furnas” – sugere que a tese da conspiração da mídia contra o governo do PT precisa ser no mínimo relativizada.


A “lista de Furnas” é a cópia de um suposto documento que não se sabe onde está, relacionando 156 políticos, muitos deles tucanos, como o governador Geraldo Alckmin e o prefeito José Serra, que teriam se beneficiado de um esquema de doações ilícitas em 2002.


Os tucanos dizem que o documento equivale ao ‘dossiê Cayman’, cuja falsidade foi comprovada.


O articulador do esquema em Furnas teria sido o então diretor da estatal, Dimas Toledo. O primeiro a acusá-lo foi o ex-deputado Roberto Jefferson, cujo nome está na lista. As acusações, que Dimas nega, lhe custaram o cargo.


Hoje, toda a mídia noticia que Jefferson confirmou à Polícia Federal ter recebido R$ 75 mil do alegado dimasduto. Mas o que em outros jornais ficou perdido no noticiário sobre o novo depoimento de Jefferson – a intenção da PF de ouvir todos os 156 listados – a Folha deu no lugar de honra da primeira página.


Mais de um tucano deve estar dizendo da Folha, em privado, o que muitos petistas vêm dizendo da mídia em geral – em público.


***

Serão desconsideradas as mensagens ofensivas, anônimas e aquelas cujos autores não possam ser contatados por terem fornecido e-mails falsos.

Todos os comentários

  1. Comentou em 03/02/2006 Otavio Borges

    Pois então, Sr. Weis, está a mídia redimida. Não é parcial, não senhores. Vejam só, a Folha deu uma primeira página para o caso da ‘suposta’ lista. Claro que se os nomes listados fossem do PT, teria rendido muito mais manchetes. Mais isso é só um detalhe.

  2. Comentou em 03/02/2006 Marcos Silva

    Para podermos ter clareza da hipocrisia que reina no meio politico bastaria olharmos as declarações de gastos dos politicos nas eleições(registradas nos tribunais) que com rarissimas exceções são peças de humor!
    Ora, se não declaram o que realmente gastam é porque a origem do dinheiro é escusa e certamente com predominância dos cofres publicos. A imprensa usa estas informações a sua conveniencia, para pegar a ‘bola da vez’.
    Tá dificil ver luz no fim deste túnel…..

  3. Comentou em 03/02/2006 Edson Barbosa

    Só nos resta esperar que a tucanagem toda (o que inclui os urubus disfarçados com bicões) adquira uma visceral gripe aviária e desapareça para sempre.

  4. Comentou em 03/02/2006 João Humberto Venturini

    Não sei a veracidade do documento, mas a imprensa em geral, exceção da Folha, noticiou com pouco destaque e questionou o documento e surpreendentemente agora não levou em consideração as palavras de Roberto Jefferson. Não precisa ser petista pra perceber o tucanismo da imprensa. Se essa lista fosse só com nome de petistas, ai seria um estardalhaço enorme e garanto q a imprensa não iria ficar preocupada se o documento era verdadeiro ou não e também Roberto Jefferson iria voltar a cena com muito destaque. Se por acaso envolvesse o nome do Lula ou qualquer parente, já estavam pedindo impeachment imediato, mas como apareceu o nome de Alckmin e outros tucanos, ai sim a imprensa espera a PF investigar, mas se fosse só ptistas ai o documento já era verdadeiro. O caixa 2 é prática em todos os partidos e não adianta a oposição querer dar uma de santa e ingênua, pois Artur Virgilio confessou tempos atras q utilizou caixa 2 e hoje no plenario vocifera indignado com o caixa 2 do PT. É claro q o PT sempre passou outra imagem, mas quem deve cobrar isso do partido são os ptistas e não os de outros partidos, pois tb sabiam q o PT usava caixa 2 pra campanha, tanto q o diretor de Furnas foi mantido no atual governo pra dar continuidade ao esquema. Isso eu creio q seja verdade, mas os envolvidos tem q esperar investigação, o q não foi feito nos outros casos, onde o pré-julgamento virou regra.

  5. Comentou em 03/02/2006 Jose de Almeida Bispo

    Se não é complô da mídia, caro Weis, então, me explique porque o Estadão ontem anunciava sobre a tal lista sendo que no quarto parágrafo da matéria (on line)
    ‘Jefferson insinua que Alckmin e Serra receberam de Furnas’, se apressarem em listar o PT como administrador do Diamasduto e não os tucanos, pra logo depois no sétimo parágrafo reconhecerem apenas estes como operadores?
    Porque tanta gente tantop se esquece de detalhes não poucos vistosos sobre corrupção tucano/PFL e rastreia o menor sinal de estranheza em relação ao PT?
    Porque até o PFL que sempre foi levado pela grande mídia como a parte podre da aliança tucano/PFL agora está sendo poupado?
    O resultado já aparece. A audiência e a leitura dos ‘vestais’ da República é cada vez mais baixas. Claro, enquanto as verbas publicitárias permanecerem ninguém mudará de opinião. Resta saber até onde os financiadores do esquema aguentarão.
    Essa coisa da Folha legitimar seus inúmeros petardos com alguns poucos soprinhos… é pra otário acreditar.

  6. Comentou em 03/02/2006 Adriano F.

    Você está agindo com desonestidade: já está tentando minimizar ou apagar o golpe que o governo do Partido dos Trabalhadores e o povo Brasileiro sofreram, golpe que você chama de tese. Lamentável, lamentável, Luiz. Pare com isso.

  7. Comentou em 02/02/2006 Eduardo Guimarães

    O outro cara-de-pau tucano-pefelê se esquece de que o governo de herr FHC e herr Bornhausen não deixou instalar CPI nenhuma, com a ajuda da imprensa. Vocês, seus caras-de-pau, vão perder a eleição.

  8. Comentou em 02/02/2006 Roberto Guimarães

    Os petistas são muito caras-de-pau mesmo, não? E suas viúvas também. Quem foi mesmo que pouco após FHC ser reeleito em primeiro turno com ampla maioria sobre Lula gritavam ‘Fora FHC?’ Se isto não é golpismo então eu sou o papa. E a insistência em criminalizar Eduardo Jorge? Comprovaram alguma coisa contra ele? E a mania das CPI´s? De repente se curaram desse vício? Quando a imprensa em peso apoiou Lula na sua eleição em 2003, inclusive passando da conta na puxação de saco nenhum petista reclamou de nada. Não lembram da ‘lula-de-mel’ com a imprensa? Eles tem a memória curta hein? Não pssam de caras-de-pau! Óleo de peroba neles!!!

  9. Comentou em 02/02/2006 José Ayres Lopes Lopes

    O articulista tem razão. Tem que criticar mesmo os petista porque eles não tem telhado de vidro. O Pt pensa que no engana. Se não é por má fé, é por corrupção mesmo. Tem gente que acredita na inocência do PT. Eles são ladrões sim…e ponto final.

  10. Comentou em 02/02/2006 Rosa Leal

    O fato da Folha, de quando em vez, publicar uma manchete aparentemente favorável ao PT e ao governo Lula não desqualifica a crítica de que há uma campanha midiática contra o governo. Como a Folha é uma empresa que se vende como ‘democrática’, dar uma manchete desse tipo é só uma concessão para reafirmar o marketing. Apenas a exceção da regra.

  11. Comentou em 02/02/2006 jorge oliveira

    A resistência da mídia televisiva em esconder do povão, o nome dos intregrantes da lista do ‘Dimasduto’, soa como um tiro no pé, quanto maior a demora em revelar os ‘nomes dos bois’, maior será a descrença da população nesse meio de comunicação. De minha parte está cada vez mais díficil assistir os jornais nacionais da vida(SBT,BAND e GLOBO) e não sentir o certo asco.

  12. Comentou em 02/02/2006 ANTONIO PEDRO DE SOUSA pedro de souza

    É muito cedo pra dizer que o ‘complô midiático’ se desfez. Precisa haver a mesma perseverança em esclarecer os sérios desmandos de PSDB/PFL, da mesma forma e veemência (de preferência com mais honestidade), como a qual se trata o atual Governo. Apenas, após os devidos desdobramentos e investigações criteriosas sobre a citada ‘lista’, poderemos saber se de fato a maior parte da imprensa consegue ter um papel isento na cobertura da crise política. Afinal, penso que parte significante das publicações estão recheadas de meias mentiras e meias verdades, e isso é danoso para qualquer DEMOCACIA. Estou ansioso para ver como ‘nossa imprensa’ vai lidar com esse novo fato. Se é interessante para ela, ou não?

  13. Comentou em 02/02/2006 marcelo Rezende

    Para começar,gostaria de dizer que enviei material para alguns dos leitores do blog.Estes documentos estão rolando na mídia há muito tempo.O perito Ricardo Molina em nenhum momento desqualificou as cópias.Para desmentir todos os números contidos estão fazendo o diabo,porém já tiveram tempo de sobra para fazer isso e não conseguiram.Eu mesmo postei no começo de janeiro.Agora já descobriram até o nome de quem detém o site.Tenho dó.Publicaram até o endereço e telefone da mulher.É so acessarem o blog postado pelo Fernando Rodrigues.Tudo o que êle escreve é para desqualificar os documentos.Vai ser uma caçada danada.Por que esperaram o Roberto Jeferson se pronunciar??O conhencimento era geral.Quantas rodinhas de jornalistas se formaram para discutir o assunto???Muitas!!José Dirceu já sabia que várias informações seriam enviadas as redações.Isso é só o começo.QuandoIlimar Franco de O Globo divulgou uma pequena amostra do Dimasduto, logo foi silenciado.Eram apenas 5 páginas.E agora???

  14. Comentou em 02/02/2006 Miguel do Rosário

    A própria imprensa agora está na berlinda, Weis, e compreendo o seu dilema como profissional. A concentração da mídia faz com que os bons empregos da área de imprensa fiquem nas mãos de meia dúzia de famílias. Então, mesmo um profissional corajoso como você tem dificuldade em exercer uma crítica independente sobre o papel da mídia na cobertura da crise política. Permita-me, portanto, discordar de você sobre este seu post. Outros comentaristas já disseram tudo que eu queria dizer sobre isso.

  15. Comentou em 02/02/2006 Bruno Silveira

    O pessoal da Folha deve estar é com vergonha depois daquela entrevista encomendada com o Alckmin. Aliás, se chutarem o saco do Alckmin, quebram os dentes de metade daquela redação!

  16. Comentou em 02/02/2006 Jedeão Carneiro

    Os milhões de brasileiros sem acesso à internet e à Folha, que assistiram telejornal ontem, certamente associaram a notícia à corrupção no governo Lula, ao valerioduto e ao PT. Foram citados ‘uma lista’, ‘alguns partidos’, ‘os que receberam’. Nada de nomes como Serra, Alkimin, Aécio, PSDB, PFL e as sifras correspondentes. Nada de ligação com a gestão de FHC (a notícia saiu no mesmo bloco e após a do ‘Duda’ com seus ’10 milhões’ do caixa 2 do ‘PT’). Tudo na TV foi feito para confundir, enganar e induzir o povão ao erro de jogar no colo do governo os crimes da oposição. Infelizmente ‘alguns’ ainda estão sendo acobertados pela mídia. Isto tem que ser dito – em público.

  17. Comentou em 02/02/2006 Jorge Washington Astigarraga

    Permita-me discordar do título da matéria como foi redigido.Não há nenhuma indicação de mudança de rumo no noticiário,que todos os dias nos é dado,como fonte de informação.Não li nada que citasse os autores(recebedores),nada que citasse partidos envolvidos ou que mostrassem que um novo caminho,estaria sendo seguido pela mídia,em relação a estes ou a outros fatos.Tenho a impressão de que será mais uma cortina de fumaça.Não há o mínimo interêsse de apurar quaisquer denúncias que possam comprometer o governo passado na sua luta para retomar o poder e,os privilégios dêle advindos.Ainda é muito pouco,para que se caracterize uma contramão.No máximo,um pequeno desvio.

  18. Comentou em 02/02/2006 Alexandre Porto

    A diferença Luís é que esse material está público há 1 mês e a imprensa resistiu muito em publicar. Eu mesmo falei com alguns jornalistas sobre o caso. Teve que vir o Jefferson reconhecer que recebeu para publicarem. Onde está o espírito investigativo que foi tão forte em 2005?

  19. Comentou em 02/02/2006 José Carlos dos Santos

    Antes de tentar desqualificar o documento por que não ler o parecer do perito Ricardo Molina que diz que o documento é provavelmente autentico com a única ressal que é uma cópia. Isso tem mais consistência que os tais dólares de Cuba, por quê diabos a imprensa dá mais importância a um que oa outro?

  20. Comentou em 02/02/2006 Vladimir Nunes de Oliveira

    Aqui em Porto alegre o Jornal Zero Hora desconsiderou o assunto. A repercussão na mídia nacional tem sido muito fraca. Meu caro Weis, existe, sim, uma diferença de tratamento em relação ao PT. Isso é de uma clareza indiscutível. Por falar em RBS (Zero Hora pertence ao grupo), façamos justiça: O repórter Gilvane Grizotti elaborou uma matéria sensacional (merece prêmio) sobre a viagem de alguns vereadores gaúchos e catarinenses a Foz do Iguaçu, às custas do erário, para participarem de um curso fajuto sobre sei-lá-o-quê, embolsando diárias de 300 reais. Só faltou, na repercussão que a mídia deu ao fato, salientar que não havia ninguém do PT envolvido na mamata.

  21. Comentou em 02/02/2006 Eduardo Guimarães

    Mas o senhor é muito cara-de-pau mesmo, não? O Globo nem deu na primeira página, o Estadão deu uma notinha cifrada do tamanho de uma foto 3X4, e a Folha nem mencionou, na manchete, a sigla PSDB. O que tem esse caso de menos contundente que os dólares de Cuba, sobre os quais não há nada mais do que uma declaração? O senhor é um cara-de-pau.

  22. Comentou em 02/02/2006 Silvano Carvalho

    Concordo com o Celio Melo, vamos ver as manchetes das revistas no final de semana.

  23. Comentou em 02/02/2006 Celio Mendes

    Weis, vou relativizar a tese do ‘complô da midia’ se no próximo sabado sair uma Veja com a seguinte reportagem de capa ‘BOMBA JEFERSON CONFIRMA VALERIODUTO TUCANO’ e um artigo do Mainardi com o titulo ‘TUCANO TAMBEM ROUBA’.

  24. Comentou em 02/02/2006 José Ayres Lopes Lopes

    Infelizmente, o articulista sempre usa o seu espaço para defender os tucanos. E pensa que nos engana. O pior é que nem leu direito o que foi publicado. Como não é por má fé, deve ser por ingenuidade.
    O articulista acredita piamente na
    honestidade tucana…e ponto final.

  25. Comentou em 02/02/2006 William Quilici

    Caro LW,

    Discordo, apesar de citado o escandalo em nenhuma manchete aparece o nome de algum cacique tucano ou a sigla ‘PSDB’, coisa que não acontece quando se fala do PT.

    Leia a primeira página do estadão de 15/01/2006, e verá exatamente do que estou falando, a manchete leva para um lado e o conteudo para outro.

    sds

  26. Comentou em 02/02/2006 luiza

    Luiz, só vou me convencer de que existe algum fluxo considerável nesta contramão se for dado o ‘mesmo tratamento’ a esta lista que aquele dado às denúncias do dinheiro de Cuba.
    Foi dado muito espaço na mídia às denúncias de uma pessoa que estava bêbada ao fazê-las. Agora não entendo porque ‘desconsiderar’ uma cópia, pois não é uma cópia qualquer, o Roberto Jéferson já disse que da parte que se refere a ele está correto. E os jornalistas se mostraram, nos últimos tempos, muito crentes nas palavras no nobre ex-deputado.
    Ontem, não entendi o que se passava com uma mini inserção do Roberto Jéferson no Jornal da Cultura. Então, vim ao computador dar uma busca e achei a sua matéria. Vejo que o público está muito desinformado sobre este novo “babado” e tenho certeza que se isso fosse explorado venderia muita revista e jornal. Abraços.

  27. Comentou em 02/02/2006 Joao Carlos

    O Sr. Roberto Jefferson deve estar respondendo às pressões que vem sofrendo e não são públicas. À quem? Basta olhar sua nova lista, lá sendo verdadeira ou não teremos nomes que o pressionam e que são pressionáveis, sem dúvida. Os primeiros terão de se defender de algo forjado e os segundos terão de defender R.J. para não se verem envolvidos em demasia. Regras de quem gosta de jogar com o público e a mídia.

  28. Comentou em 02/02/2006 Fabio de Oliveira Ribeiro

    O home é um ser político porque vive em sociedade. A vida em sociedade é insuportável se cada qual somente pensar em seu bem pessoal. Portanto, a POLÍTICA é ou deve ser a arte do convencimento com vistas ao bem comum. Sendo assim, convencer alguém de uma mentira ou de uma versão artificialmente criada para desencaminhar seu raciocínio ou decisão não pode ser considerado uma ação política. Pode ter reflexos políticos, mas certamente não pode ser conceituada como política porque visa apenas o bem pessoal daquele que usa do ardil.

    Durante a Ditadura Militar vivemos sob um regime em que o convencimento era forçado. Qualquer um que se apresentava como dissidente podia ser calado, espancado, morto e enterrado em cemitérios clandestinos. O militarismo acabou, reestabelecemos a democracia e agora parece que estamos vivendo sob o mais podre, pernicioso e pernóstico REGIME DEMAGÓGICO em que o tráfico de informações forjadas, distorcidas e plantadas pela situação e oposição obscurecem nossa capacidade de avaliar e julgar.

    Gosto muito de POLÍTICA e fico bastante enojado com o que está ocorrendo. Se não tivesse 40 anos ia embora do país porque me sinto um exilado em terra natal. Cheguei à triste conclusão de que só posso interferir sem naufragar neste MAR DE MERDOCRACIA se me recusar a fazer parte de um Partido ou concorrer a um cargo público.

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem