Sábado, 16 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

CÓDIGO ABERTO > Desativado

Meadas sem fio

Por Mauro Malin em 21/05/2006 | comentários

PCC ofusca Bolívia, que ofuscou “mensalão”, que ofuscou Waldomiro Diniz, que ofuscou…


Esse efeito é inevitável, mas o que se sente na mídia é uma incapacidade de seguir o fio da meada de histórias que ela mesma noticia. Para não falar da dificuldade de enxergar os fatos dentro de uma perspectiva histórica.


Na crise atual, não é preciso ir longe.


A imprensa mal noticiou e deixou esquecido um episódio de 13 meses atrás. Em 18 de abril de 2005, uma manifestação de mulheres de presos diante do prédio da Secretaria de Administração Penitenciária fechou ruas do centro de São Paulo. Quatro mil pessoas (segundo a PM; 8 mil, pretendiam os organizadores) foram transportadas em 210 ônibus, de diversos lugares do estado, com camisetas idênticas. Havia um conflito em torno de visitas aos presos.


O secretário Nagashi Furukawa, segundo o Estadão (19/4/2005), assistiu da janela de seu gabinete ao protesto e declarou: “É preciso investigar como isso foi financiado. Pela forma como vieram, com ônibus e camisetas iguais, dificilmente foi do próprio bolso. É preciso saber se o dinheiro foi arrecadado de forma lícita ou ilícita”.


Ainda assim, Furukawa recebeu durante uma hora representantes dos manifestantes e dissipou o que seria um “mal-entendido” a respeito das visitas.


Um porta-voz, presidente da União Paulista dos Advogados Penitenciários (Upape, depois desaparecida do noticiário), José Cláudio Bravos, disse que o movimento não tinha nenhuma ligação com criminosos ou facções.


Bravos declarou ao Estado, deixando escapar por dedução quem tinha organizado a manifestação: “A partir de agora os presos não vão se rebelar mais. Vão fazer protestos como esse”. Quem dera.


Segredos de fechaduras


Mais recentemente, a Folha deu manchete na capa do caderno Cotidiano: “Líder do PCC é flagrado com celular na prisão”. Mas ficou por isso mesmo. Em 3 de maio, no mesmo caderno da Folha, outra manchete: “Furtados segredos de fechaduras de prisões. Cópias de plantas e códigos de acesso foram levados de serralheria em SP; secretário e governador não falam”.


E, mais uma vez, ficou por isso mesmo. Nem deu tempo para pensar. Em 12 de maio ocorreu a maior das explosões de violência. Até aqui.


Corpos sem nome


Agora, existe a polêmica dos corpos sem identidade. Será que os mortos são pessoas sem ligação com o PCC? Se são pessoas ligadas ao PCC, por que razão a organização mantém a “trégua”? Está ‘sob controle’?

Todos os comentários

  1. Comentou em 23/05/2006 Bruno de Souza

    Sr. Maulo Malin
    O senhor tem razão: a imprensa se ‘esquece’ muito fácil do que ela própria publicou.
    Na verdade, eu atribuo a isso uma outra coisa: eu acho que, na verdade, o que ocorre é um despreparo da maioria dos jornalistas. Acho que foi no programa Observatório de Imprensa mesmo que ouvi dizerem que ‘os jornalistas políticos frequentam mais o café do Congresso do que qualquer outra coisa’. Ou seja: FOFOCA mais do que qualquer outra fonte de informação, inclusive a Investigação, que quando ocorre, é apenas para jogar factóides para a massa (exceto em alguns casos, como as reportagens que Bob Fernandes iniciou sobre o caso Kroll/Daniel Dantas que a Grande Mídia, por sinal, teima em Ignorar).
    Creio que há um despreparo por parte dos jornalistas. Aprender meia dúzia de técnicas, um conjunto de regras de ‘ética’ profissional e ser bem relacionado parece ser mais importante do que realmente estudar, acumular conhecimentos, entender o mundo, antes de tudo.
    Concordo com Mino Carta: Jornalismo deveria ser um curso de Pós-Graduação, com teor eminentemente técnico. Antes, o candidato a jornalista deveria estudar.

  2. Comentou em 23/05/2006 Flávio Nóbrega

    O presidente da UPAPE, porta-voz da manifestação das mulheres de presos, José Claudio Bravos, é um homônimo ou é o mesmo advogado que defende o Jornal Diário de Marília no caso do incêndio??? Que coisa!!!

  3. Comentou em 22/05/2006 Rodrigo Marques

    O grande ponto que cerca toda essa questão é justamente a necessidade de atrair audiência e por conseguinte, lucros. Enquanto a mídia não tomar uma postura mais firme e voltada para o interesse público, continuaremos nessa superficialidade que não faz mudar nada.

  4. Comentou em 22/05/2006 william pinho

    Nós, população normal que paga impostos, estamos indignados com tudo que está acontecendo, mas nós achamos que o grande câncer da sociedade conteporânea, infelizmente, é a Imprensa, porque ela tem acesso a todas as informações danosas ao país, e só gosta de dar manchetes bombásticas, mas na hora de continuar a perseguir o fato por dentro fica se esquivando porque falam mais alto os interesses financeiros da própria empresa, os patrocinadores podem ser pressionados a retirar seus contratos e assim vai… Qual é a instituição hoje no Brasil que não está contaminada por essas circunstâncias? A própria Globo, a mais poderosa, é a principal responsável pela vulgaridade das notícias, para ela tudo está normal, tudo está bem no Brasil, ela fica criando reportagens fantasiosas para que o povo não desperte para a gravidade da situação do Brasil. Por que a imprensa soube rapidamente colocar o povo nas ruas na época do Collor? E agora o que está acontecendo, porque as Forças Armadas estão tão caladas, será que ela também não estão vendo o clamor da sociedade? Se o PCC se organiza para quase dar um golpe de Estado, então vamos dar um golpe com gente direita, porque aí, de uma vez só, resolvemos todos os problemas do Brasil, expurgando os dois lados podres existentes: o dos bandidos fichados e o dos bandidos disfarçados!

  5. Comentou em 21/05/2006 Leandro Amaral

    Lamentável, além da falta de interesse dos governantes que transferiram o fato para palanques eleitorais visando as eleções deste ano, a facilidade como a mídia levanta um problema e o esquece depois.

    Quantas vezes denúncias são levantadas, e passada a fase de impacto, as mídias mudam o foco pois estào sempre na busca frenética e desenfreada do novo.

    Até quando vão ser levantados problemas que fiquem sem respostas sem soluções. A função da imprensa é justamente esta, a de prestação de serviços, auxiliar que tais fatos sejam esclarecidos, não só na hora que ocorrem, mas depois também.

  6. Comentou em 21/05/2006 sheila procopio mendes

    É lamentável saber que nossos governantes, que são incompetentes para gerenciar uma crise que se abateu sobre Sao Paulo dessa complexidade e simplesmente confiar em promessas de bandidos que cometeram crimes hediondos, dizendo que ‘por enquanto’ não iriam mais atacarem!!!!!!

  7. Comentou em 21/05/2006 CID Carneiro

    Sr. mauro, acho que não estás sendo honesto ! O que foi apurado no Congresso ? Onde estão as malas de dinheiro da Fernanda Karina(aquela que não avisou o marido que havia sido ameaçada)e agora será candidata pelo psdb? O sr deve ter achado normal um ‘relator ‘ e os amigos a quem concedeu favores na surdina da noite ter vibrado num BLOCO DE CARNAVAL, não foi? Um relator que retira nomes na VÉSPERA DA VOTAÇÃO,a pedido de cúmplices(DO pdt, pfl) e não avisa o restante da CPI têm moral ? E seu relatório tem moral ? E o procurador que apresentou uma peça que juristas de todo Brasil classificaram de ‘infundada e precipitada’, tanto que esta semana já teve que voltar atrás,e desdizer o que disse(ou o Sr. não leu?), este fato PROVA o quê para o Sr. ??? E o Sr. não me respondeu se sou mesmo um retardado por não acreditar , como o Sr. , que um governo pagaria mansalão para seus próprios filiados(PT) votarem nos projetos que, como já disase, muitos foram aprovados com a oposição votando a favor, então o Sr. acha que existiu o MENSALÃO da forma como foi exaustivamente martelado??? abç cid

  8. Comentou em 21/05/2006 Silas Leite da Silva

    A perspectiva histórica só se revela muito tempo após. A apresentação dos fatos pela imprensa deixa demais a desejar. Há inúmeros exemplos de relações entre ações/omissões e fatos. No momento, lembro-me dos seguintes:
    Tratamento desumano – violência
    voto em políticos desonestos – corrupção
    Corrupção – violência
    Impunidade de agentes policiais – violência
    BANESTADO – o que ocorreu? Li que foram mais de 30 bilhões de dólares transferidos ilegalmente para o exterior…….
    Enfim, há inúmeros fatos descritos de forma parcial pela imprensa, o que leva a população a nào estabelecer a devida relação entre eles e a situação em que nos encontramos. Vivemos no mundo das versões e somos vítimas dos fatos.

  9. Comentou em 21/05/2006 Erbene@eartlink.net T.S. D.C.

    Nao se comenta o q nem os governantes sabem. Quem deve comentar sao os q estao fazendo noticias. Eh o proposito dos
    deliquentes, oportunistas e mau-caracteres. Eles sao assassinos e
    jah fazem estas arruassas para demonstrar a incapacidade e/ou
    incompetencia dos governantes. Dos quais ficam com jogos de palavras e culpando o Presidente. E como governador?! O que ele
    resolve? Ora vao plantar BATATINHAS, q nao precisa de competencia ou responsabilidade. Erbene

  10. Comentou em 21/05/2006 cid carneiro

    Sr Mauro , sinceramente minha inteligência não me permite entender sua primeira frase ‘…Bolívia, que ofuscou o MENSALÃO, ETCetc.’. Então o Sr. entende que depois de 8 meses de ataques diários por parte de toda a mídia, sem que NADA fosse provado sobre este termo estrategicamente ‘inventado para colar no Governo Lula’, o Caso Bolívia (muitíssimo distorcido pela imprensa) OFUSCOU o mensalão ??? Também gostaria de saber se o Sr. acha que um governo pagaria para seu principal partido para que VOTASSEM a favor dos próprios projetos ? Mesmo sabendo que em muitas destas votações a oposição votou a favor ?? O que houve foi CRIME sim , chamado caixa 2 , mas, se a mídia noticiasse como tal, a estratégia não daria resultado , como se sabe( vide sen artur virgílio) todos no Brasil fazem esta prática criminosa !!! Que os petistas pegos paguem pelo crime , é o que defendo. Mas francamente, a maneira de satanizar tudo que vem do governo é uma afronta às pessoas que têm capacidade de discernir o certo do errado…portanto a Bolívia ofuscou o mensalão após 8 meses de ataque e o PCC ofuscou a Bolívia após um mês de súbitos ataques de nacionalismo de certos políticos e, o que será que ofuscou a covardia dos que governaram São Paulo nas últimas décadas? O que , na sua opinião ofuscou a curiosidade investigativa da mídia em não atacar os seus candidatos ou, ao menos, citar seus nomes?

  11. Comentou em 21/05/2006 Marco Ant^nio Leite da Costa Leite

    Nada ofusca nada. Faz parte do SHOW capitalista mudar o tema a todo o tempo. Esta postura tem por objetivo desviar a atenção da grande torcidade descamisada dos velhos problemas que nos acompanham. Durante os próximos dias seremos bombardeados por notícias que envolve nossos heróis da esfera alienante. Os entendidos da nobre arte de burilar a bola com a língua, vão gritar imensamente para a seleta plateia que o Brasil é o melhor do mundo. Considenrando os dias que antecedem a Copa do Mundo e o período da mesma, o sistema terá tempo suficiênte para fazer suas manobras, não com a bola da copa, políticas, visando o próximo assunto para manter a torcida no conformismo, ou seja, eleições. Marco

  12. Comentou em 21/05/2006 douglas puodzius

    Malin, Gostaria de saber o que vc achou do ultimo Globo Repórter. Pelo que entendi, a proposta era de fazer um resumo do que foi a semana de terror em são paulo. No entanto, em nenhum momento mostrou o governador, o prefeito ou qualquer outro politico. Achei estranha a materia asseptica, ou diria, simplória. Vc concorda com esta observação ou viu diferente? Na sua opinão: Ela assim foi realizada por vontade ou por capacidade, ou melhor, falta de capacidade?

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem