Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

CÓDIGO ABERTO > Código Aberto

Mianmar, a guerrilha dos torpedos

Por Carlos Castilho em 30/09/2007 | comentários

A república asiática de Mianmar, antiga Birmânia, tornou-se o mais recente caso de utilização política das novas tecnologias por parte de cidadãos comuns contra governos acusados de autoritarismo.


 


A onda de protestos contra os governantes militares de Mianmar começou há mais ou menos dois meses, mas só ganhou notoriedade mundial depois que as imagens de manifestações organizadas por monges budistas chegaram ao Ocidente.


 


As fotografias e vídeos foram feitas usando, principalmente, câmeras digitais de telefones celulares e depois transmitidas para o exterior em ligações internacionais a cobrar, já que o governo bloqueou o uso da internet e passou a controlar militarmente todos os provedores locais de acesso à rede.


 


A principal fonte internacional de notícias sobre a crise na antiga Birmânia é o site Global Voices, um projeto desenvolvido pelo Centro Berkman para a Internet e a Sociedade, da escola de direito da Universidade Harvard, nos Estados Unidos.  O site, criado há cinco anos, publica posts de weblogs produzidos em países do Terceiro Mundo.


 


Depois de um inicio titubeante, o Global Voices transformou-se numa vitrine da blogosfera de países pobres onde é possível obter informações que não encontram espaço na grande imprensa internacional. Hoje, o projeto tem até uma versão em português , mas ela ainda é bastante deficiente porque publica os posts com algum atraso.


 


A maioria das informações sobre a rebelião dos monges em Mianmar é enviada para o serviço Missima News, baseado na Índia e controlado por exilados birmaneses, que em seguida repassa as notícias, fotos e filmes para a imprensa mundial.  


 


O envio dos torpedos obedece a uma estratégia guerrilheira porque nunca são os usados os mesmos telefones. Com isso, a censura telefônica imposta pelo governo desta ex-colônia inglesa no sudeste asiático resulta inútil.


 


A participação de cidadãos comuns no fornecimento de informações sobre a crise em Mianmar está servindo para o site norte-americano Citizen Media Center promover o chamado jornalismo-cidadão, cuja visibilidade aumenta em situações onde os jornalistas profissionais são controlados por governos autoritários.


 

Todos os comentários

  1. Comentou em 01/10/2007 Fábio de Oliveira Ribeiro

    Pois é meu caro… foi-se o tempo que os militares controlavam todos os meios de comunicação e conseguiam esconder diligentemente suas cagadas por anos, décadas… Agora pelo menos as cagadas deles se tornam públicas, globais, e em tempo real. Um grande avanço não acha? Em razão de nossa infeliz tendência a apoiar ou suportar golpes militares (1891, 1930, 1937, 1964 e 1969) devemos nos sentir aliviados?

  2. Comentou em 30/09/2007 Marvado do Brasil

    A internet e a tefonia celular abrem ao mundo o exterior, mas infelizmente ainda não consegue mostrar a todos os atos de corrupcão do cotidiano, o submundo dos canalhas, pois a maioria dos jornalistas que frequentam o poder seja ele economico ou politico
    e que poderiam transmitir esta visibilidade ao pais, seja por esta mesma internet ou camaras digitais,infelizmente cairam na malha e nas garras desta mesma corrupcão. Poucos são aqueles que ainda preservam idealismo.Seguem os mesmos caminhos de um pais conformado com a sangria dos cofres publicos , bem como o esfacelamento da moral e da etica.

  3. Comentou em 30/09/2007 José Paulo Badaro

    Ainda ontem, vendo imagens de baixa resolução de Mandalay na TV, pensei com os meus botões como ficou difícil para os regimes autoritários esconderem levantes, manifestações populares ou revoluções e, de outro lado, como a informação cada vez mais está virando um bem de domínio público.

    Depois da Internet e das novas tecnologias de telefonia celular até o slogan do Observatório ‘Você nunca mais vai ler jornal do mesmo jeito’ ficou ligeiramente sem sentido. Deveria ser:

    Depois da Internet você nunca mais vai acreditar naquilo que os jornalões publicam…

  4. Comentou em 30/09/2007 Marco Antônio Leite

    Somente os jornalistas profissionais são controlados pôr governos autoritários. A mídia internacional procura através da notícia alheia faturar alto com o que se passa nesse país, notícia que mostra só o espetáculo do horror. No entanto, essa mídia capitalista não diz qual o interesse que os Estados Unidos tem em colocar às patas sujas naquela nação?

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem