Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº969

CÓDIGO ABERTO > Desativado

Na crise, a insuficiência dos meios

Por Mauro Malin em 15/05/2006 | comentários

A cidade de São Paulo – e suas conexões com brasileiros no país e fora dele – vive uma situação inédita. Os meios de comunicação são incapazes de relatar a realidade que a população vive neste momento em diferentes pontos da cidade e que as pessoas comunicam pelos meios de que dispõem. Os grandes sites noticiosos estão sobrecarregados. Aconteceu em escala mundial apiós os atentados de 11 de Setembro de 2001. Emissoras de rádio não têm equipes suficientes para uma cobertura abrangente de qualidade.


Alguns ouvintes – como um amigo que acaba de me telefonar – se queixam de que há sensacionalismo. Algumas emissoras de rádio, em meio à competição por audiência, espalham uma sensação de pânico, avalia esse ouvinte.


(Neste momento dá entrevista uma autoridade, penso que da Polícia Civil, contra o alarmismo espalhado pela rede. Ouço a CBN. Essa pessoa, que ainda – são 17h44 – não identifiquei, diz corretamente que deve haver união com a polícia. Reclama: estamos provocando uma comoção no estado. Convida repórteres a permanecerem a noite toda na sala de comunicação da PM. Boatos de toque de recolher, explosão no aeroporto, em shoppings. Às 17h55: é o comandante da PM, coronel Eliseu Borges. Diz: ‘Não vamos recuar’. E repete. Espalhar boatos sem checar é ajudar a bandidagem, sem dúvida.)


Outras pessoas se queixam da lerdeza dos sites noticiosos, porque já receberam determinadas informações por telefone. Nas redações não há equipes suficientes para processar toda a massa de informações que poderia chegar por messengers e passar por checagem.


Impossível saber qual é o sentimento em determinados bairros, onde a população no dia-a-dia vê a polícia como vilã, porque muitos policiais praticam extorsão e violência. O discurso ordeiro da Globo, por exemplo, não faria aí nenhum sentido.


Há uma fragmentação muito grande. Sente-se falta de um entendimento político da população em torno de determinados valores, entendimento capaz de mobilizar uma maioria ativa para, a longo prazo, exigir novas políticas, e, a curto prazo, ajudar a defender a sobrevivência dos mais fracos. A desordem extrema recai sobre a cabeça dos que têm meios mais frágeis de sobrevivência. O tumulto é aproveitado por pescadores em águas turvas. E, em algum momento, pelos poderosos, onde quer que estejam: no poder, na polícia, na criminalidade.


Algumas pessoas fazem uma leitura que tende a ser superficial e enviezada: a crise aproveita ao governo Lula, logo o governo Lula está por trás da iniciativa do crime organizado. Assim ficca em segundo plano o problema da Bolívia, por exemplo. Mas se esquecem de que para isso seria preciso que o governo Lula contasse com abnegados colaboradores no governo Alckmin/Lembo, que, em continuidade a uma política antiga no estado de São Paulo, cometeram as recentes barbeiragens.


A grande pergunta que a imprensa precisa ajudar a responder agora é: em quanto tempo se poderá restabelecer alguma normalidade?


São 17h59: TV Band News informa que ônibus não circulam amanhã. Se for verdade, ainda não será amanhã o restabelecimento da vida na cidade.

Todos os comentários

  1. Comentou em 16/05/2006 Paulo Sérgio Silva

    Hoje a sociedade paga por ter dado tanta abertura para os hipocritas defensores dos Direitos Humanos, porém não vi nenhum noticiário apresentar a manifestação dos representantes de tais orgãos, estes por sua vez gostam de armar circo, quando os pobres presidiários são violentados, o problema é que nossa sociedade aceita e alguns batem palmas. Mas durante esta onda de terror me perguntei, nao vi nenhum representante das Instituiçôes de Direitos Humanos vir a público defender os policiais da covardia dos criminosos, será que os defensores dos fracos e oprimidos esqueceram que os policiais não sairam de outra constelação, e nada mais são do que pais de familia. Talvez este tenha sido o tapa na face que faltava para a sociedade engolir sua demagogia e partir para a ofensiva contra o medo, jamais deixemos de lembrar que o crime organizado surgiu da união de presos politicos com criminosos, presos politicos que hoje formam a elite pensadora do pais e em sua grande maioria são os ativistas do Direito dos MANOS, isso porque gente de bem não merece direitos, tem somente o dever de se encolher e curvar-se ao poder de pessoas inescrupulosas. Deixo um recado ACORDA POPULAÇÃO BRASILEIRA, ou logo em breve teremos que recolher taxa para circular nas ruas.

  2. Comentou em 16/05/2006 Felicio Buonano Filho

    Srs. Quando se coloca uma placa com a inscrição ‘cavalo’ sobre uma vaca, ela não se transformará em cavalo? No máximo, na minha opinião, uma vaca com uma placa de cavalo. Se uma pessoa está com privação de liberdade imposta por sentença judicial, então o que isto significa? Espero que as pessoas que se dispuserem a responder esta minha indagação, constatem que as suas conclusões estejam condizentes ao que a afirmação se refere. Logo, a Midia deveria ter a responsabilidade de não apresentar a ‘vaca com placa’ como ‘cavalo’.

  3. Comentou em 16/05/2006 elias ribeiro

    Pode ter havido sensacionalismo em alguns órgãos de imprensa, mas dizer que o caos que SP viveu foi fruto de boataria é um ABSURDO!!! Houve sim toque de recolher ; as lojas fecharam porque OS POSTOS POLICIAS simplesmente DESAPARECERAM da cidade. A polícia, para se proteger, deixou a população ao Deus dará. Os ônibus não circularam porque a polícia não foi capaz de dar segurança às empresas, e a prefeitura nada fez para amenizar a situação (como acontece em momentos de greve). A segurança pública, acuada, não existiu para a população no dia de ontem. Dizer que a situação se normalizou por conta da ação da polícia é achar que acreditamos em papai noel.

  4. Comentou em 16/05/2006 Célio Mendes

    O mais chocante nesta história é que até antes do episódio a imagem da segurança publica de SP que transparecia na mídia, era de eficiência e controle, como já li em um comentário aqui postado violência e criminosos confrontando o poder publico era coisa do bagunçado estado vizinho do RJ aqui em SP nós temos governo, infelizmente (principalmente para os que foram vitimados pela barbárie) a realidade acaba se impondo mesmo que a mídia faça de tudo para encobrir o problema, creio que o que se pode tirar de lição deste episódio é que quando a mídia deixa de cumprir sua função de fiscalizar e denunciar as mazelas dos governos ela se torna cúmplice das conseqüências deste ato, agora sabemos o quanto custou os anos da PAX-COVAS/ALKMIN, tivesse estes enfrentado o mesmo tipo de atitude da mídia que a ex-prefeita do PT enfrentou a mídia teria feito as perguntas certas nas horas certas e evitando o mito da ‘eficiência da segurança publica paulista’.

  5. Comentou em 16/05/2006 Alexandre Carlos Aguiar

    É engraçado, para não dizer o quanto é trágico, o monte de cachorros tardios, daqueles que latem depois que a porta é arrombada. Voltam à baila os discursos de mais verbas para a educação, para a saúde, para a segurança pública, o salário mínimo tem que aumentar a cada momento de ‘perturbação da ordem pública’ e assim vai.
    Impera no Brasil uma prática chamada ‘empurrocombarrigaterapia’, uma vez que estamos há muito percebendo aonde está o problema, temos condições de resolvê-lo, mas não fazemos porque temos medo. E, enquanto os feriados não vêm, faremos uma pausinha para assistir à seleção nos campos alemães.
    Quem sabe em Agosto, depois da Copa, uma outra rebelião nos motive a, definitivamente, não votarmos em mais ninguém. Basta dessa palhaçada!

  6. Comentou em 16/05/2006 paulo cesar martins

    acabo de ler no o globo uma pesquisa onde informa que a imprensa paulista gasta 28% de seu espaço para publicar a violencia no rio contra 8 e 6 por cento que a imprensa do rio e de minas gasta com a violencia em sao paulo. os fatos atuais, lamentaveis sobretudo com a populaçao inocente da pauliceia, comprovam a falencia da postura prepotente, arrogante e provinciana da imprensa paulistana. a violencia, a exclusao social e a criminalidade nao respeita as linhas imaginárias que separam os estados do brasil. é sim o fruto de mais de 10 anos de uma politica perversa imposta pelos banqueiros de sao paulo e cumprida à risca pelos ‘paulisterios’ psdbistas e petistas nos ultimos 10 ou 12 anos

  7. Comentou em 15/05/2006 Claudia Rodrigues

    Lula começou sua gestão apresentando o que autonomeou de “o melhor plano de segurança pública já feito neste país”, um dos muitos e espalhafatosos “cadernos” do programa de governo, e completou três anos de gestão com uma única medida constante e certeira: cortar, a cada execução orçamentária anual, as verbas do Fundo Nacional de Segurança Pública, criado pelo governo FHC em 2001, e do Fundo Penitenciário Nacional.

    São Paulo é o único Estado do país – e não faz mais do que o seu dever – a ter um programa de construção de presídios de segurança máxima. Tanto é assim que foi essa a infra-estrutura que o governo federal usou emprestada para trancafiar o Fernandinho Beira-Mar.

  8. Comentou em 15/05/2006 walter tabax

    ‘E-S-T-Á T-U-D-O S-O-B C-O-N-T-R-O-L-E-!-!-!’

    A última vez que ouvi uma frase destas sendo dita repetidamente foi no acidente de Chernobil.

    mas eu acredito em duende, saci-pererê e governador Não Me Lembo.

  9. Comentou em 15/05/2006 Angélica Matos

    Antes que vocês comecem a culpar o LULA por essa crise de São Paulo, quero lembrar que a (IN)SEGURANÇA do Estado de São Paulo está sendo coordenado pelo PSDB há 12 (doze) anos e que, nestes doze anos, o governo federal esteve nas mãos do PSDB por 8 anos.

  10. Comentou em 15/05/2006 Patricia Rebello

    Desde semana passada notei uma movimentação diferente nos arredores da favela de Paraisópolis. Um verdadeiro acampamento de guerra instalado em frente ao cemitério Getsêmani, todas as entradas da favela ocupadas po veículos da Rota, polícia montada efetuando ‘inspeção de rotina’, como disse um deles ao ser questionado pelo meu filho, muito curioso e felizcom todo aquele aparato cinematográfico. Somente neste final de semana ‘caiu a ficha’, ou seja há quanto tempo todos estes ataques estavam previstos? Se estavam previstos, pelo que parece, por qual motivo a população não foi previamente informada? Hoje a população estava em pânico, todos se encondendo em casa, o que é isso? Concordam que os bandidos alcançaram seu objetivo: estão na mídia, 72hs de fama, o cidadão que paga seus impostos com sacrifício amedrontado… parece longa metragem americano. A culpa de tudo isso é somente do governo, da segurança pública que não possui verbas, do policial que tb tem familia e que está a mercê desses bandidos e sequer tem a certeza se vai retornar ao seu lar no fim do seu plantão? Ou seria tudo isso um reflexo do analfabetismo cultural, político e religioso (no sentido mais amplo para o termo religião) de uma sociedade podre, que compra na Daslu, esnoba seu semelhante mas ‘chora migalhas’ para pagar seus empregados! Culpa do governo? É fácil culpar todos, menos nós mesmos!

  11. Comentou em 15/05/2006 Marcos Spínola

    Simplesmente rídiculo o papelzinho que a mídia está se prestando….

    Narcotizar a sociedade com notícias e espalhando boatos… Manchete no UOL: Há boataria.
    Na Folha: Há boataria.

    Quem espalha boatos com tanta facilidade senão os meios de comunicação?!

    Toque de recolher, metrô fechado… tenham santa paciência!

    Terrorismo é coisa dos irmãos do norte. Aqui é conflito social amigos. É outra discussão.

  12. Comentou em 15/05/2006 Rinaldo Paes

    Resposta para a Dona Professora de Direita Renata…
    Ora Sra. Professora, a classe média brasileira é mesmo engraçada. Quando é pra meter o pau na esquerda, desce o porrete sem dó, utilizando até comentários maliciosos e inverdades. Agora, quando o problema é com seus ‘queridinhos’ fala em ‘paz’, em não polemizar, vamos construir juntos… bla bla bla… Ora minha senhora, a Sra é uma boa malufista, mesmo sendo de minas gerais. E o seu Azeredo? O inventor o Marcos Valério??? cadê fessora???????

  13. Comentou em 15/05/2006 Gisele Pecchio Dias

    Depois do Rio agora São Paulo é escolhido para os ataques de grupos criminosos que teriam se organizado dentro dos presídios. Incrível a falta de visão e precaução das autoridades incapazes de evitar a tragédia anunciada. Mais uma vez dezenas de vidas inocentes tombam pela absoluta inércia da sociedade. E não adianta culpar só as autoridades porque muitos dos que correm de arrastões que tomam conta das ruas do centro de São Paulo são os mesmos que ignoraram as manifestações e passeatas cívicas exigindo a punição dos corruptos que escalam o corpo social em todos os níveis. E é bom que se diga que muitos deles são eleitos pelo povo e jamais irão experimentar os presídios se as leis e o seu cumprimento não forem mais duros com os criminosos. Nada ocorre por acaso e o que assistimos é o efeito do que vimos causando contra nós mesmos com a nossa omissão diária e o sentimento de inferioridade que abate a nossa auto-estima. Não temos o direito de nos sentir inferiores aos que nos oprimem e subtraem o futuro do Brasil.

  14. Comentou em 15/05/2006 Fabio de Oliveira Ribeiro

    Sou cidadão osasquense e hoje vi, com muito pesar, minha cidade ser paralisada por um punhado de marginais. Quase um milhão de habitantes se tornaram reféns dos criminosos, que decretaram feriado na bala. Os comerciantes do centro da cidade, amedrontados, fecharam as portas. O Fórum foi atacado e não funcionou. A Justiça do Trabalho também acabou interrompendo suas atividades em razão do temor. O Shopping que existe próximo ao centro encerrou suas atividades ainda pela manhã.

    Circulei pela cidade para ver o que estava ocorrendo. Fui a uma papelaria comprar material de escritório. Conversei com as pessoas na rua, nos cafés que permaneceram abertos. Todo mundo estava literalmente aterrorizado.

    Curiosamente, não vi uma só autoridade remunerada pelo contribuinte tentando evitar que a população de Osasco se entregasse ao desespero. Os senhores Vereadores, que sempre estão na rua sorridentes pedindo votos ou fazendo coisas não tão honestas, se fecharam vergonhosamente em sua Câmara. O Prefeito, que deveria ser o primeiro a mostrar destemor não colocou a cara na rua. Nenhum Juiz ou Promotor passeou pela cidade para encorajar a população e mostrar que tudo estava sob controle.

    As autoridades se recolheram aos seus gabinetes, quando o dia de findou foram para suas casas em seus carros à prova de balas. O péssimo exemplo que deram é um motivo para votar nulo nas eleições.

  15. Comentou em 15/05/2006 wilma barros

    Acho brilhante a idía de certas pessoas, acho péssima outras e veo que não têm idéia outras tantas pesoas.
    Tudo está armado desde há muito tempo, se este ano é político necessário se faz desocupar as celas para aumentar o contingente de cabos eleitorais: pra ganhar eles não medem esforços, são acostumnados e se preciso matam o adversário. Sempre foi assim,ultimamente, a coisa somente esta começanco numa versão atualizada. De um lado o Ministro, antes pago pelo crime,hoje autoriadde e de outro, o governado, sempre pró-direitos humanos, com uma visão de direito falida e agora com todo poder de comando sobre o Estado também falido em todos os sentidos.
    Queira que Deus Não Se Desanime e Nossa Senhora Não Nos Abandone, do contrário estaremos irremediavelmente fudidos com o resultado dos nossos próprios votos por obrigação nos outubros e novembros .

  16. Comentou em 15/05/2006 João Paulo Filgueiras

    ‘ -Temos que reagir.É isso que a sociedade espera.Eles tem armas, nós também.
    AGORA VAMOS MEDIR FORÇAS ‘
    Oscar Dias, chefe das investigações.

    Segundo a história ,essa medição de forças entre o estado e o seu paralelo não é de hoje e não acabará, com mais um ato repressivo imposto pela frágil política de segurança, principalmente no estado paulista ,que hoje se mostrou despreparada e mal dirigida.
    Me pergunto como a sociedade vai reagir diante à tal atitude conservadora que nunca resolveu o foco principal do problema.E o pior : Nem quer resolver! Dá muito trabalho e o gasto do preparo de uma boa polícia custaria um dinheiro melhor investido em pré campanha política.
    O que estamos vendo é uma bomba que está explodindo.
    Bomba em que se comprime 800 num espaço de 200.

  17. Comentou em 15/05/2006 Junior Gallinari

    Msgs de amigo do amigo do amigo foram frequentes na caixa postal da cidade de são paulo e região metropolitana hoje, todos foram responsáveis pelo pânico que se instalou por todo o estado.

    Na dúvida, prefiro não encaminhar as msgs com este tipo de assunto, continuar olhando para os dois lados antes de atravessar a rua, desconfiando daquele homem estranho que se aproxima e, caso eu encaminhe alguma msg com este tipo de assunto, vou tomar cuidado para não terminar uma msg informando que são 17:59, sendo que postei ela 17:17.

    E que a ordem se reestabeleça.

  18. Comentou em 15/05/2006 gilberto lems

    O PROBLEMA DE SÃO PAULO É TER SE TORNADO A GRANDE E QUASE ÚNICA OPÇÃO PARA OS MILHÕES DE EMIGRANTES E MIGRANTES QUE A FEZ INCHAR E INCHADA AGORA EXPLODE ESPIRRANDO PUS EM TODO MUNDO, VINDO MOSTRAR QUE O DESPRESO DAQUELES QUE SE TRACARAM DENTRO DOS MUROS ALTOS DO CONDOMÍNIOS, ESQUECENDO DE INVESTIR NA MASSA,QUE NINGUÉM ESTÁ SALVO POR MAIS FORTE QUE PAREÇA A SUA FORTALEZA. O BRASIL NUNCA PODERIA TER DEIXADO QUE APENAS UM CORAÇÃO POR HIPERTENSÃO CRESCESSE TANTO ATÉ AO PONTO DE POR EM RISCO A SOBREVIVÊNCIA DO CORPO. SE OS GOVERNANTES HISTÓRICOS ENXERGASSEM LONGE HOJE TERÍAMOS MAIS LUGARES, TALVEZ PRÓXIMOS DAS ORIGENS DE CADA UM, E CONSEQUENTEMENTE MENOS PROBLEMAS, OU SE OS TIVESSEM SERIAM ELES MAIS FÁCEIS DE CONTROLAR.

  19. Comentou em 15/05/2006 Edson C. B.

    Moro no Jd. Maracá. Às 17:45 estava na Av. João Dias vindo para casa após levar minha filha a uma clínica. Cheguei as 19,25. Tudo por aqui está fechado: bares, padarias farmacias. Isto tudo é uma palhaçada no termo pejorativo. Gostaria de saber quem foi o GÊNIO que decidiu mexer no vespeiro soltando as vespas. Onde já se viu Secretário de Segurança e de Adm. Penitenciaria em sua soberba decidirem remover os líderes da principál quadrilha antes de um famoso indulto a presos. Será que não sabem, o mínimo de estratégia, responsabilidade social, e malandragem, no bom sentido. Deveriam ser exonerados sim pois mataram policiais e civis com esta atitude insensata. Quiça, responder criminalmente mas isto seria pedir demais.

  20. Comentou em 15/05/2006 Rinaldo Paes

    Cade o Serra? Cadê o Alckmin? Cadê o Fernando Henrique que sancionou uma lei perdoando assassinos como o ator que matou a Daniela Peres? Cadê o governo Mario Covas? Pelo menos esse não vai mais nos causar problemas porque já foi pro inferno… Agora eu pergunto. Se fosse um governo municipal do PT e governo estadual do mesmo partido o que estariam dizendo??? Esses esquerdistas de m… não sabem governar… era daí em diante. O FHC […] prometeu salário mínimo de 100 dólares nos 8 anos de desgoverno. Entregou o governo com o mínimo a 62. Esse governinho fez muito melhor, mínimo superior a 150 dólares em apenas 3 anos. Mensalão???? 30 mil por mês não é nada perto dos 250 mil pagos pra passar a emenda da reeleição do FHC. Ou grão de areia perto da praia de 45 bilhões (isso mesmo não são milhões não, bilhões) de dólares do caso BANESTADO. Ou perto dos milhões de dólares dos Maluf. Cadê essa direita f… que nos últimos 30 anos levou nosso país para essa porcaria em que vivemos agora? Respondam??? Agora, falando só da PM, gente, ficar fazendo barricada em frente a delegacia??? Polícia é na rua, protegendo a população. Agora, se a polícia se tranca e faz barricada vai gerar pânico generalizado na população. A saída? A saída é o povo pensar em se organizar, participar de associações amigos de bairro e sindicatos. Se mexe gente, senão…

  21. Comentou em 15/05/2006 renata silva

    Novamente a imprensa adota a polarização PT X PSDB como viés para a cobertura do caos em que se transformou SP. O pior é essa centralização de que tudo é responsabilidade do governo Federal – Lula haveria diminúido o repasse de verbas para segurança pública. Creio que o governo federal merece muitas críticas, nossa desconfiança, repúdio até. Mas não é possível se esquecer de que a segurança pública é de responsabilidade dos governos do Estado. Há doze anos o PSDB está no comando de SP, o PCC não nasceu junto com a eleição de Lula, nem esperou a diminuição dos repasses de verbas federais para empreender a ação criminosa deste fim de semana. Precisamos de informação, de uma análisae mais ampla do problema, incluindo aí o papel do poder Legislativo e Judiciário. Não dá para ficar reduzir todas as mazelas do país no círculo deste FLA X FLU que se transformou a disputa eleitoral PSDB – PT. Temos de cobrar dos governantes atitudes mais coordenadas. E o governador de SP, Claudio Lembo, e o ex- Alkimin têm de ter a dignidade de assumirem a sua responsabilidade por esse estado de coisa.

  22. Comentou em 15/05/2006 Jonas Fernandes

    Essa situação reflete o descredito terrível que as instituições nacionais vivem. Os ataques não são primeiramente contra pessoas, mas contras as instituições, que se afastaram paulatinamente do seu papel como autoridade, de se dar ao respeito, e ser referencia. A imprensa precisa ver além da situação limite, e cobrar a conduta que todo Brasil espera daqueles que são revestidos de autoridade.

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem