Segunda-feira, 21 de Maio de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº987
Menu

CÓDIGO ABERTO > Desativado

O apagão da Telefônica

Por Luiz Weis em 04/07/2008 | comentários

Um leitor alerta:

“Tanto a TV Bandeirantes quanto a TV Globo, em seus jornais da noite [da quinta-feira] referiram-se de passagem ao nome da Telefonica quando noticiaram a pane [que prejudicou o acesso à internet em 400 municípios paulistas]. O nome não foi mencionado nas manchetes, só no decorrer das matérias, e de ‘leve’.”

Todos os grandes grupos empresariais de comunicação têm interesses, atuais ou potenciais, no setor. Proteger ou malhar a Telefônica deve fazer parte desse jogo.

O público não pode perder de vista esse clima de promiscuidade ao avaliar o farto – e justificado – noticiário sobre o apagão do Speedy, o sistema de banda larga da Telefônica, assinado por 2,4 milhões de usuários em São Paulo.

O que evidentemente não atenua em nada as responsabilidades da Telefônica. A Folha, por sinal,lembra que no fim do ano passado o Idec (Instituto de Defesa do Consumidor) testou os serviços do Speedy “e verificou que o sistema era instável”.

Todos os comentários

  1. Comentou em 08/07/2008 jacó gomes

    A midia brasileira, não é só golpista é defensora da canalhice, como é tratado o povo brasileiro, como no caso da telefonica, em fim a midia do brasil é uma desgraça para o pais.

  2. Comentou em 05/07/2008 Ivo A. Auerbach

    Moro em Santa Catarina e aqui não existe essa tal de Telefônica, portanto não posso opinar a respeito dos serviços prestados pela dita cuja. Mas o que eu gostaria de perguntar é o seguinte. A tal de privatização dos serviços prestados pelo Estado Brasileiro, não veio para suprir as ditas deficiências nos serviços? Onde está a tal eficiência tanto apregoada pelos defensores do Estado mínimo? Não propagavam aos quatro ventos que as privatizações viriam para baratear custos e aumentar a qualidade dos serviços prestados? Mas isso realmente aconteceu? São perguntas sem respostas. O que aconteceu foi justamente o contrário. Um aumento extorsivo para os usuários e uma péssima qualidade dos serviços. O povo perdeu duas vezes. Quem saiu ganhando com isso foram os burocratas de plantão que, com suas negociatas, “venderam” as estatais a preço de banana. Ou os senhores tiram seus traseiros das cadeiras que ocupam, ou dêem o lugar prá quem queira trabalhar!

  3. Comentou em 05/07/2008 Ivo A. Auerbach

    Moro em Santa Catarina e aqui não existe essa tal de Telefônica, portanto não posso opinar a respeito dos serviços prestados pela dita cuja. Mas o que eu gostaria de perguntar é o seguinte. A tal de privatização dos serviços prestados pelo Estado Brasileiro, não veio para suprir as ditas deficiências nos serviços? Onde está a tal eficiência tanto apregoada pelos defensores do Estado mínimo? Não propagavam aos quatro ventos que as privatizações viriam para baratear custos e aumentar a qualidade dos serviços prestados? Mas isso realmente aconteceu? São perguntas sem respostas. O que aconteceu foi justamente o contrário. Um aumento extorsivo para os usuários e uma péssima qualidade dos serviços. O povo perdeu duas vezes. Quem saiu ganhando com isso foram os burocratas de plantão que, com suas negociatas, “venderam” as estatais a preço de banana. Ou os senhores tiram seus traseiros das cadeiras que ocupam, ou dêem o lugar prá quem queira trabalhar!

  4. Comentou em 04/07/2008 Sibila Sibila

    É por estas e outras que eu me livrei da Telefônica há quase 4 anos atrás. E passo bem, sem aborrecimentos nem sobressaltos financeiros. Não dependo da Telefônica prá nada, se estou na rua e preciso de um cartão telefônico para usar um orelhão eu coloco crédito no meu celular e falo.
    obs : Os celulares da minha família não são : nem VIVO nem TIM, leia-se Telefônica. Todo mundo da minha família abandonou esta deficitária e dispendiosa prestação de serviços. Aos amigos e conhecidos eu divulgo a péssima empresa que é a Telefônica.

  5. Comentou em 04/07/2008 alberto santana

    O governo tucano (será do Covas?) privatizou a Telesp em meados de 95, não sem antes investir 21 bilhões na companhia antes da privatização, vender por 22,8 bilhões e só arrecadar 8,8 bilhões de entrada. Diante dessa benevolência tucana para com o empresariado espanhol, pergunta-se: por quê haveriam de criticar o filho mimado?
    É mais uma pena que é arrancada do penacho tucano. Ah, se fosse o Lula…

  6. Comentou em 04/07/2008 Luiz Humberto Viana Neto

    Weis, o que não dá é para engolir umas pautas tão medíocres como as oferecidas pelos nossos jornalões. Eu realmente não acompanhei a cobertura da mídia eletrônica, pois realmente prefiro a leitura, mas os impressos todos fizeram corpo molo e não falaram da real situação de monopólio que vive nosso sistema de telecomunicações. É essa a pauta que faltou. A folha tentou falar um pouco, com uma reportagem da sucursal de Brasília, mas~ficou muito superficial, parecendo que era um favor da telefônica explorar o serviço.

  7. Comentou em 04/07/2008 marina chaves

    graças a deus nao fiquei sem internet, pois uso o sistema a cabo…. mas nao conseguia acessar alguns sites…. mas fiquei sem telefone… aqui na minha cidade nao foi só o sistema da internet que falhou, mas metade da cidade ficou com os telefones fora do ar…. ah, nem precisa dizer o nome da empresa…

  8. Comentou em 04/07/2008 Wilson Aloise

    Cabe aqui mais uma vez a reflexão: pode a midia agredir seu anunciante? Nunca se morde a mão que alimenta.
    A segunda reflexão é: Não existe uma agencia nacional para avaliar o desempenho dessas empresas (que diga-se de passagem) é uma das mais populares do procon?

  9. Comentou em 04/07/2008 Carlos N Mendes

    O apagão daTelefonica fez-me perder 5 horas da minha vida tentando configurar meu sistema – eu achava que era meu roteador recém-instalado. Se tivesse perdido 2 minutos ouvindo as manchetes de algum jornal televisivo teria me poupado desse aborrecimento. Isso só prova que não podemos excluir as outras mídias em detrimento da aparente imensa vantagem que a internet tem. Já em relação à matérias tendenciosas ou cheias de dedos… A Globo não sabe se chama as FARC de terroristas (Jornal Nacional, 02 de julho) ou narco-guerrilheiros (Jornal Nacional, 03 de julho). Acho que a aparente auto-moderação do dia 03 se deu porque já se sabia do pagamento do resgate. E interessante, a corresponde da Globo nos EUA deu matéria tendo ao fundo uma bandeira americana hasteada, igualzinho a qualquer filme ufano-ianque.

  10. Comentou em 04/07/2008 Antonio Souza

    Concordo. Na Record, apenas algumas vezes citava o nome da TELEFÓNICA, pois na maioria das vezes dizia que ‘uma empresa de telefonia…’.
    Já o título da reportagem na Folha de S. Paulo é de doer: ‘PANE NA TELEFÔNICA DEIXA SP SEM INTERNET’. A impressão que dá, ao ver o título, é que NINGUÉM em todo estado de São Paulo acessou a internet. É brincadeira. Deixo isso claro porque sempre há algum desavisado que acredita nisso e sempre tira conclusões precipitadas apelas ao ver o título.

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem