Quinta-feira, 21 de Junho de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº992
Menu

CÓDIGO ABERTO > Desativado

O ‘caso Angola’ e o ‘caso Palocci’

Por Luiz Weis em 26/01/2006 | comentários

Depondo na CPI dos Bingos, o ministro da Fazenda, Antonio Palocci, em dado momento pediu ao senador Cesar Borges, do PFL: “Por favor, não fale em `Caso Angola`.”


O senador respondeu que a expressão não era dele, mas da imprensa.


O uso do termo “caso”, a três por quatro, é comum na mídia. É um recurso para resumir, em títulos e chamadas, assuntos de presença frequente no noticiário.


Claro que, para o leitor, “caso” equivale a problema, irregularidade. Tem conotação pejorativa, portanto. Ou ainda, sinal de que alguma coisa vai sobrar para alguém.


E uma vez que algo vira “caso” na mídia, não há força humana capaz de dissociá-lo da palavra sutilmente incriminadora.


Nem o argumento esperto do ministro Palocci de que, ao se falar em “caso Angola”, corre-se o risco de criar caso com um país que tem uma relação até especial com o Brasil.


Palocci, mais uma vez e para surpresa de ninguém, está dando show numa CPI. Mas nem a sua admirável lábia, que os próprios inquisidores, na maioria, não deixam de elogiar, tem o poder de livrá-lo dos cacoetes jornalísticos.


“República de Ribeirão Preto”, por exemplo, numa analogia com a infame “República de Alagoas” instalada no governo Collor.


E a sua decisão, anunciada à CPI, de não concorrer à reeleição como deputado, deixando claro que será o grande operador da campanha reeleitoral de Lula, só manterá o foco da mídia acerca de seus atos – e do seu passado.


***

Serão desconsideradas as mensagens ofensivas, anônimas e aquelas cujos autores não possam ser contatados por terem fornecido e-mails falsos.

Todos os comentários

  1. Comentou em 28/01/2006 Fábio Marchesi Zorzanelli

    Tá tudo errado, ôôô, tá tudo errado …
    Como já falado em uma música popular dos anos 80, tá tudo errado.

    O pior de tudo é que pelas leis da política descritas por Aristóteles vai continuar tudo na mesma. O negócio é se safar, proteger-se da melhor forma possível e esperar pelo pior …

  2. Comentou em 28/01/2006 edemar borges

    Primeiro,pelos outros comentários eu só faço uma ressalva,dizer que o senhor Palloci é sério não me parece correto.Usando do mesmo expediente do presidente não sabe,nunca ouviu falar,desconhece ou descaracteriza qualquer assunto alegando não participação em nada.O Ministério Público já apresentou mais de 12 casos de irregularidades na administaçao da republiqueta de Ribeirão.Na verdade o jogo de cena que foi a segunda apresentaçao do ministro só poderia dar no que deu.Nada a acrescentar!Um dia de festinha do Acm Neto e a docilidade do toninho malvadeza,hoje sabe-se o porque.Coincidências que só na politica brasileira tem verbas para os cacaueiros da Bahia foram liberadas pelo ministro.E assim caminha a politica nacional.Em verdade este ano vai ser sem duvida o ano da desesperança…não há nem marqueteiro que conseguirá mudar o clima de decepção com todos os homens publicos deste país.Infelizmente, o ano do mensalão é também o ano da desilusão não há nenhuma perspectiva que surge algo ou alguém novo que possa nos dar alento de melhores dias para esta nação.PT/PSDB estas duas siglas se assemelham tanto como siameses,em suas atitudes que tanto faz:Lula,o mico dourado petista, ou serra/alkmin,os emplumados tucanos da hora.São tão iguais!Torço para aparecer uma terceira e esperançosa terceira via:quem sabe uma mulher,seria tão bom uma mudança radical para livrar-nos do quadro atual

  3. Comentou em 27/01/2006 Jorge Washington Astigarraga

    Após assistir ao depoimento prestado à CPI ,pelo ministro Antonio Palocci,passei a entender,aos objetivos da bancada oposicionista no congresso.Perguntas mau formuladas,em cujo teor,notava-se nítido despreparo do inquisidor,’casos’ encerrados e,uma enorme vontade de aparecer diante das camêras,foram os fatos que mais se destacaram.Era de se esperar um bombardeio incessante,mas o que se viu,foi um passeio do ministro sobre todos os temas perguntados,não deixando nenhuma pergunta sem resposta.Fica fácil assim,descobrir as reais intenções dos parlamentares.O que querem,é continuar sendo oposição.

  4. Comentou em 27/01/2006 marcos galdino

    A soma do Coronelismo de fato(Álvaro Dias, ACM e seu Baby amestrado, César Borges-o filho da má-criação-, Arthur Virgílio-ex Secretário Geral da era FFHH,etc.etc…)mais o coronelismo eletrônico-só uma minoria da imprensa escapa dele- só dá num denominador comum: A alienação política da pobre população brasileira, que , acreditando na mídia da era BigBrotheriana, busca um meio de salvação da pátria depositando a confiança naqueles que saquearam nossa dignidade por 500 anos… Li o Almanaque Abril 2006 e fiquei horrorizado com a publicação escancaradamente parcial. Permitam-me que reproduza trechos:
    Página 20- A corrupção venceu a esperança; Página 20, na parte de cronologia-prefeitos da maioria das cidades brasileiras tomam posse, entre eles José Serra e César Maia; e por aí segue elevando a tucanada e a coronelada Pefelista e esculachando o PT;
    Cadê a imparcialidade de um manual que se diz de estudos? Na coluna da marionete dos Civita André Petry, no livro anexo, há uma verdadeira digladiação às esquerdas em ascensão na América Latina. E o pluripartidarismo tão defendido na nossa Carta Magna? Só o neoliberalismo é permitido pela Constituição? A nossa CF proíbe a existência de alternativas ao Capitalismo selvagem? Para a Veja e comparsas midiáticos sim. Eles escrevem as leis morais do País, em defesa de seus vis interesses… Grupo Abril, I`ve gotta say good bye to you…

  5. Comentou em 27/01/2006 José Carlos dos Santos

    O ministro desmontou a oposição, mostrou que muitos dos ‘casos’, apontados já foram arquivados pegando de surpresa muitos dos nobres parlamentares, que utilizando o conhecimento que têm de si mesmos, julgando que os outros agem como eles, com a coisa pública, não se preocuparam em verificar se os ‘casos’ ainda estavam sendo esclarecidos.

  6. Comentou em 26/01/2006 David Alves da Silva Silva

    A mídia e os políticos peçonhentos virtuais do Brasil, são tão covardes que na hora de dar os seus bufões, começam a se borrarem as calças diante o confronto com um cidadão preparado que não faz os mesmos jogo sujo que eles abidicam. Aqui para nós, esse senadorzinho do Parana, parece ser um cidadão que veio de um seio, onde as picuinhas eram os seus cotitianos. São especialistas em candongas e mexericos,pega informações inverídicas e começam a delirar. Com essa de hoje ‘Palocci’ os chacais estremeceram. Esses vestais da moralidades ainda pensam que o povo é burro, uma hora as suas mascaras caem ‘ A raposa tanto vai ao ninho que uma hora deixa o focinho’.
    A mídia não dá o foco, pois ela é parcial e está a serviço dos peçonhentos que dilapidaram o nosso país em nome das falsas moralidades e vaidades pessoais.
    Por que sempre que o tal PSDB está envolvido em algum tipo de sujeira tratam de suspender as investigações? curiosamente a responsabilidade de agentes dos governos do PSDB não são devidamente apuradas… por que será???
    >Caixa 2 de Azeredo
    >> Dimasduto
    >>>Eletropaulo
    >>>> Banestado (ressuscitar a CPMI)
    >>>>> Comendador de MT
    >>>>>> Tráfego de drogas de ex-prefeito de uma cidade de Tocantins (PSDB)
    >>>>>>> Um duto Baiano.

  7. Comentou em 26/01/2006 Igor Healt

    O caso ANGOLA? Respondeu palocci, o empréstimo foi feito no governo anterior, ou seja do FHC. Para a surpresa de um senador desinformado pela mídia.

  8. Comentou em 26/01/2006 Swamoro Songhay

    O que dá para se ver é um certo despreparo na hora das inquirições. Fica a impressão de que às vezes não se demonstra um conhecimento profundo da questão a ser investigada. Dai podem existir esses cacoetes, como o de utilizar a palavra ‘caso’, como síntese de uma série de fatos correlacionados e vinculados a alguém. Assim, fica mais fácil contestar, como o foi hoje na CPI. Caso as inquirições fossem melhor embasadas, provavelmente os resultados seriam melhores.

  9. Comentou em 26/01/2006 Humberto Teixeira

    Esses caras da CPI e oposição parecem meninos. E Cada pergunta idiota….. e agora com a pimenta das eleições de outubro. O palocci é o cara! e o tiro da convocação parece que vai sair pela culatra. Veja, e o Lula ainda vai se fortalecer. A oposição (a antiga e a nova) são uma vergonha nacional. O ue está em joso é o futuro de cada um deles. então, salve-se quem puder!

  10. Comentou em 26/01/2006 Cesar Pereira

    Fecham-se as cortinas, e os holofotes deixarão de brilhar. O maior marqueteiro do Lula não é o Duda, mas sim o ministro. Competente, correto, preciso e objetivo, desmoraliza todo o bando da oposição, com seu depoimento. Boa pergunta formulada pelo leitor Marcelo Rezende: ‘…depois do ministro, o que farão?’ Só restará requentar os argumentos pífios, tripudiando sobre motoristas, pressionando secretárias ou assessores que poderão dizer qualquer coisa sob a pressão de interrogatórios típicos dos DOI-CODI, para deturparem o que for dito nessas condições. Ou então sair distribuindo porradas ou xingamentos a la ACM.

  11. Comentou em 26/01/2006 marcelo rezende

    Realmente, acompanhando o depoimento do Ministro na Cpmi, não resta dúvidas de que o que estamos ouvindo é o que todos já imaginavam,ou seja, quando a oposiçao se defronta com quem está preparado para responder aquelas questões idiotas, êles descem de seus pedestais e se curvam.Foi assim com GUshiken.Querem transformar tudo em ‘caso’, para virar mais um caso.É assim que trabalham e se atrapalham.Depois do ministro o que farão??Chamaram mais um monte de desqualificados para continuarem abastecendona mídia.É isso!!!!

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem