Terça-feira, 20 de Novembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1014
Menu

CÓDIGO ABERTO >

O horror, o horror!

Por Luiz Weis em 07/07/2006 | comentários

As fotos da primeira página da Folha e do Estado de hoje, mostrando uma massa de presos amontoados no pátio a céu aberto do Centro de Detenção Provisória de Ararquara, valem por um poster de recrutamento para o PCC.

É verdade que os detentos destruíram o presídio. Mas estão assim, desde segunda-feira, 1.443 pessoas. Quaisquer que tenham sido os seus crimes, ainda são pessoas. Elas foram confinadas nessa área de 30 x 30 metros. Mais de 100 estão doentes.

O próprio governador Cláudio Lembo, que culpou os presos por seus padecimentos, reconheceu que a situação é “dramática”.

A mídia tem procurado cobrir – e tem conseguido em boa parte – o inferno prisional paulista, já comparado a campos de concentração nazistas. Onde cabem 100 detentos, apertam-se 500, 1.000 – sabe-se lá quantos mais.

Se você fosse um deles, não faria qualquer coisa para acordar desse pesadelo? Mesmo que acordar significasse matar e morrer?

Enquanto isso, como diria Manoel Bandeira, os donos do poder “tiram ouro do nariz”.

Não se iludam. Antes de melhorar, se e quando isso acontecer, vai piorar.

Por ora – e por muito tempo ainda – só repetindo as palavras finais de “Coração das Trevas”, de Joseph Conrad:

”O horror, o horror!”

***

Os comentários serão selecionados para publicação. Serão desconsideradas as mensagens ofensivas, anônimas, que contenham termos de baixo calão, incitem à violência e aquelas cujos autores não possam ser contatados por terem fornecido e-mails falsos.

Todos os comentários

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem