Segunda-feira, 26 de Fevereiro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº975

CÓDIGO ABERTO > Desativado

O mistério da fita da tortura

Por Mauro Malin em 14/11/2005 | comentários

Não pode haver quem tenha visto a fita de vídeo com cenas de tortura num trote de sargentos do 20° Batalhão de Infantaria Blindado sem se perguntar como ela foi obtida pelo Fantástico da Rede Globo, que a exibiu no domingo.


Compreende-se que o assunto é delicado, mas a falta de qualquer menção à forma como o vídeo chegou aos jornalistas, como se tivesse sido mandado pelo correio ou deixado na porta da emissora, retira um elemento de transparência, no sentido de permitir que o público entenda como as coisas acontecem.


É um não-dito que fala silenciosamente na cabeça de quem assiste à reportagem. Contribui para aumentar a sensação de opacidade que no Brasil envolve quartéis e redações jornalísticas, entre muitas outras instituições ou instâncias da vida pública.


Mas a todos terá ocorrido perguntar, primeiro, por que filmaram o ritual. Foi a indagação do ministro da Defesa, José Alencar. A resposta não é tão complicada: porque não o consideram criminoso, mas natural. Como os veteranos de Medicina da USP que provocaram, num trote, em 1999, a morte por afogamento do calouro Edson Tsung Chi Hsueh. Nessas situações, é frágil a barreira que separa a brincadeira da selvageria.


A segunda pergunta é a que de fato intriga: quem passou a fita para a reportagem da Globo, e por quê?


Exército reage sem hesitar


Em compensação, a reação do Exército, segundo o coronel da reserva Geraldo Cavagnari, pesquisador da Unicamp, foi nítida e inquestionável: afastar os envolvidos e o comandante e passar o caso para a Justiça Militar. Algo que evoca a reação do general Ernesto Geisel após a morte do operário Manoel Fiel Filho, em janeiro de 1976 – o então presidente da República fez demitir o comandante do II Exército, general Ednardo D´Ávila Melo – e contrasta com a reação do presidente João Figueiredo e do ministro do Exército, Valter Pires, após o atentado do Riocentro, em 1981. Não demitiram o comandante do I Exército, general Gentil Marcondes, e aceitaram a farsa do Inquérito Policial-Militar (IPM) conduzido pelo coronel Job Lorena de Santana, segundo o qual a bomba que explodiu no colo do sargento Guilherme do Rosário, matando-o e ferindo seu colega de missão, o capitão Wilson Machado, fora colocada por extremistas de esquerda. 


Num caso, alta eficácia. No outro, algo de que o Exército se arrepende até hoje.


Cavagnari diz que trotes semelhantes podem estar ocorrendo em outros quartéis das Forças Armadas, mas não são, de modo nenhum, generalizados. Na Academia Militar das Agulhas Negras, onde se formam os oficiais da força terrestre, por exemplo, o batismo pode ser duro, mas não violento. Segundo o coronel, o máximo que se permite é mandar o calouro fazer séries puxadas de exercícios físicos.


Brincadeira de milico, dirão alguns, mas a carreira das armas não é exatamente um acampamento de lobinhos, ainda que os sargentos do Batalhão Pantera gostem dessa denominação.


Notas do Exército


O Observatório da Imprensa pediu ao Comando do Exército uma manifestação sobre comentários a respeito da prática revelada pela reportagem do Fantástico. O Exército preferiu não responder individualmente a manifestações feita num blogue, sob o argumento, compreensível, de que teria que fazê-lo num número ilimitado de blogues.


Foi solicitado hoje (17/11) ao O.I. que transcrevesse, da página do Exército na internet (www.exercito.gov.br), as manifestações oficiais a respeito do assunto, o que se faz a seguir.


“NOTA À IMPRENSA


No dia 10 de novembro de 2005, o Centro de Comunicação Social do Exército (CCOMSEX) recebeu da edição do programa Fantástico da rede Globo, o seguinte e-mail:


´Ao Departamento de Comunicação Social do Exército


Caros senhores,


O programa Fantástico, da Rede Globo de Televisão, vem por meio desta solicitar uma entrevista para a obtenção de esclarecimentos acerca de denúncias de irregularidades ocorridas numa unidade militar no país. As irregularidades em questão constam de uma reportagem que o Fantástico pretende exibir no próximo domingo, 13 de novembro. Seria de grande importância que a entrevista fosse gravada nesta sexta-feira, em Brasília.


Atenciosamente,


Frederico Neves


Editor´


No dia 11 de Novembro de 2005, foi expedida pelo CCOMSEX a seguinte resposta ao programa Fantástico:


´Procedimentos de agressão física e (ou) moral durante a instrução militar, em qualquer nível ou estágio de sua execução, são inaceitáveis.


A condução dessa instrução, no âmbito do Exército, é regulada pelo Programa de Instrução Militar (PIM) que determina textualmente a cada comandante de Organização Militar:


– “proibir, terminantemente, maus tratos e castigos físicos, bem como a prática de ações que atinjam a honra pessoal;


– controlar a pressão psicológica, para que não haja exageros, aplicando apenas a que for necessária para simular as condições de combate (fome, medo, cansaço, frio e calor);


– exigir sempre o fiel cumprimento da hierarquia e da disciplina, bem como dos princípios morais e éticos, a fim de preservar a dignidade das pessoas, coibindo qualquer tipo de ameaça, sob qualquer pretexto”.


A produção do Fantástico solicitou ao Centro de Comunicação Social do Exército uma entrevista sobre supostas irregularidades praticadas em Unidade do Exército no País. No momento em que tomou conhecimento de que tais possíveis irregularidades envolviam “trotes” em Organização Militar situada no estado do Paraná, e reiterando que procedimentos de agressão física e (ou) moral são inaceitáveis, o Comando do Exército determinou ao Comando da 5ª Região Militar/5ª Divisão de Exército (5ª RM/5ª DE), com sede em Curitiba-PR, que apurasse a ocorrência dos fatos em sua área de responsabilidade.


Em Sindicância mandada instaurar pelo Comando da 5ª RM/5ª DE, nesta manhã do dia 11 de novembro de 2005, foram apurados, até o presente momento, os seguintes fatos:


– a existência de imagens verídicas que envolvem militares do 20º Batalhão de Infantaria Blindado (20º BIB);


– tais imagens mostram uma sessão de “trotes” com constrangimento físico, reunindo os sargentos antigos e recém-formados, ao término do Curso de Formação de Sargentos Temporários;


– não se trata de atividade de instrução militar.


O Comando do Exército, de todo o modo, considera inadmissível tal procedimento e tomará as providências necessárias, após a apuração completa dos fatos, para punir exemplarmente os responsáveis´.


Em 14 de Novembro de 2005, o CENTRO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DO EXÉRCITO divulgou uma nota à imprensa com o seguinte teor:


´Complementando as informações já divulgadas a respeito da matéria veiculada pela TV Globo no programa Fantástico, em 13 de novembro de 2005, versando sobre a prática de “trotes” com agressões físicas no quartel do 20º Batalhão de Infantaria Blindado, em Curitiba-PR, o Centro de Comunicação Social do Exército informa o seguinte:


– o Comandante do Exército determinou o afastamento do Comandante do 20º BIB de suas funções, em razão da gravidade das denúncias apresentadas; e


– o Comando da 5ª Região Militar/5ª Divisão de Exército, instância superior ao 20º Batalhão de Infantaria Blindado, diante dos indícios de crime, conduzirá um Inquérito Policial Militar (IPM) para a total apuração dos fatos, cumprindo as determinações do Comandante da Força´.


Atenciosamente


CENTRO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DO EXÉRCITO.”


Não é treinamento


Vários leitores fizeram comentários em que defendem a prática filmada em Curitiba como parte de necessária preparação dos homens para o combate (ver Comentários). Mas a nota do Exército deixa bem claro que não se trata de instrução militar.


Trata-se, digo eu, supostamente (o advérbio é usado aqui para significar que o caso ainda não foi julgado), de uma prática alheia à atividade regular do quartel, que deverá provocar, findos os devidos trâmites legais, a punição de seus autores.


Aquilo que se viu no Fantástico não é treinamento militar. É abuso de autoridade para humilhar e enquadrar quem chega a determinado nível hierárquico. Provavelmente, funciona como desestímulo a novos sargentos que possam ameaçar a liderança dos mais antigos. 

Todos os comentários

  1. Comentou em 20/11/2005 Wilson Jose

    vcs nao comentaram a barrigada da rede globo com relacao ao video mostrado no fantastico. nem perguntaram… porque alguem espanca um prisioneiro com havaianas

  2. Comentou em 16/11/2005 lucas d´alberti

    Meus amigos:

    Alguns comentários que ali aqui, dizendo que a rotina é aquela mesmo, que o soldado deve estar preparado para tudo. Discordo. Estive nas forças armadas num dos piores períodos de nossa história (1974, 1975), passei por treinamento duríssimo, incluindo acampamento sob sol escaldante, sede, fome, mas não houve humilhação nem tortura.

  3. Comentou em 16/11/2005 carlos carvalho

    a tortura continua a existir apesar de o ‘período militar’ ter acabado oficialmente, mudaram de SNI para ABIN, mas as pessoas do regime continuam lá dentro. Como o Rui Justino da ABIN Recife, homofóbico confesso a me perseguir desde maio de 2004.

  4. Comentou em 16/11/2005 antonio de azevedo

    Exército é coisa pra macho, não para molengas.

  5. Comentou em 16/11/2005 Fabiana Batista

    Ao término da reportagem eu também me perguntei como a essa fita chegou às mãos da equipe do Fantástico. Até porque não foi mencionado em nenhum momento da reportagem como eles a conseguiram. Sei que o jornalista não pode revelar sua fonte, todavia, nas reportagens da Globo há o costume de mencionar a origem das provas. Neste caso me parece que a fita pertencia somente aos veteranos, logo é óbvio que eles não se entregariam. Então eu me pergunto: Qual a fonte da quipe responsável pela reportagem? Bem… isso me parece grave, mas parece que pouca gente está se importando.

  6. Comentou em 16/11/2005 Marli Sancho Gioso

    Bom dia a todos. Eu fiquei estarrecida, pensando em pessoas que gostam de ver pessoas sofrendo. Isto se chama sadismo, maldade, desamor ao próximo. Eu sei que para ser soldado deve-se ser mais durão, mas a esse ponto….é triste.

  7. Comentou em 16/11/2005 Zé Gatti

    Será que estamos protegidos? Quem entregou esta fita à Rede Globo não pode estar delatando nossos segredos de Estado a outros países?

  8. Comentou em 16/11/2005 RODRIGO INDIGNADO

    nao confio na policia e muito menos no exercito brasileiro… quem aqui acha q isso e um trote normal do quartel acho q deveria passar um temporada la batalhao da tortura… afinal eles nao tem oq fazer de madurgada neh? alem do mais todos sao coverdes pois estavam em maior numero e precisaram amarrar os outros satrgentos sem direto de defesa.. isso fere a todos direitos humanos ,quem aqui fala dos soldados americanos se esqueceram q todos eles foram punidos… então acho q os filhos desse soldados deveriam ser torturados um pouquinho tambem e gravar para depois eles assistiram … imaginem como as familias se sentiram ao ver as imagens … esse tipo de comportamento é base do treinamento? ou sera estupidez de quem nao tem nada pra fazer de madrugada no exercito? exercito instituição falida

  9. Comentou em 16/11/2005 Hector Vega

    Será que você pensaria o mesmo se fose com seu filho??

  10. Comentou em 16/11/2005 antonio madeira

    Para que saber? O coitado que mandou a fita seria o único a ser punido, por mostrar as agruras do grupo. A história se repetiria como nos escândalos dos correios, mensalões e muitos outros. Até agora só o Roberto Jefferson foi punido, os outros vão escapando aos poucos e fica por isso mesmo. O Brasil, mais civismo, mais escola, mais respeito ao meu, ao nosso e ao imposto que todos têm que pagar!!!!????

  11. Comentou em 16/11/2005 Juca Santos

    O fato de torturarem os colegas, todos sabem que isto acontece. O Exército vive do passado e acha que torturando os próprios amigos é que vão ganhar a guerra. Ainda estão no tempo da prepotência, porque não conseguem enxergar os recursos humanos que têm como o que mais precioso têm… Infelizmente a nação paga imposto para ver uma turma de prepotentes humilhar os que chegam humildemente no inicio da carreira. Passei por isto e sei o que é… Agora vão transferir o Cmt da OM, ou seja, vão beneficiá-lo… Transferir por necessidade de serviço, com 80 mil no bolso… Isto é que é punição… E a nação pagar para ver mais uma idiotice…

  12. Comentou em 16/11/2005 Henrique Cesar Rodrigues

    Sem tirar os méritos das questões (caso Paulo Maluf e trote dos Sgt do 20º BIB), parece que a Rede Globo possui um monopólio com a Polícia Federal e agora com o Exército, ou é errado saber como isto foi para na Rede. Se alguém puder me ajudar??????

  13. Comentou em 16/11/2005 Elói Inácio Carmezini

    Independentemente de como a fita chegou às mãos da imprensa, o que salta à vista é quantidade de basbaques que existe neste País. Pergunto: se os soldados são treinados para a guerra (aquela sangüinolenta e terrível que os brasileiros desconhecem), como querem que um soldado que caia prisioneiro dos inimigos, em caso de guerra, reaja diante das torturas que lhe serão infligidas, se qual uma virgenzinha imaculada não tem a mínima noção do que é uma tortura? Isso que vocês, basbaques, viram é treinamento para guerra. Terrivel e necessário. E não torturem a minha inteligência!

  14. Comentou em 16/11/2005 Vanessa S. Fernandes

    Esta fita nos mostra quanta crueldade existente no meio de pessoas que tem a função de nos proteger. No entanto, nos foi passada uma péssima imagem existente entre eles. Infelizmente isso sempre existiu, espero que essa realidade seja alterada e as pessoas responsáveis sejam punidas, pois o nosso país já está uma vergonha, seja na política, na saúde, na educação e agora na proteção. Isto se chama corrupção em todos os sentidos. ESPERANÇA!!!!!!!! Isso não nos pode faltar.

  15. Comentou em 16/11/2005 Airtom Lewis

    Acho que a reportagem exagerou, como sempre, na essência do assunto, não importando, ao meu entender, de que forma vazou a fita para a Globo. Mas achei mais válido neste caso os comentários constantes desta página, pois os autores destes, ocupando cargos de policiais e militares, defendem com unhas e dentes estas práticas enquanto aos demais ‘civis’ a criticam de uma forma ou outra. Assim, portanto, é muito dificil haver unanimidade, contra ou a favor, para a pratica destes trotes. A minha opinião àrespeito é de que para ser ‘macho’ não precisa passar por estes ‘testes’. Para treinar soldados para a ‘tortura’ bastaria fazer competições de resistencia nas tropas, com direito até à medalhas aos campeões.

  16. Comentou em 15/11/2005 Roberto Magno

    O militar está pronto 24 horas para o combate até com sacrifício da própria vida, tanto é que todos somos profissionais. O que temos de nos preocupar é com a roubalheira dos politicos (mensalão, etc.), pois eles acham que o povo brasileiro é burro, que tem memória curta etc.

  17. Comentou em 15/11/2005 anônimo anônimo

    Quem já foi ou é militar do exército sabe que o que foi mostrado pelo fantástico acontece todo dia em qualquer unidade do mesmo exército brasileiro é a coisa mais corriqueira e quase sempre acontece com o aval dos responsáveis superiores.

  18. Comentou em 15/11/2005 Jorge Ricardo Camara

    Tenho certeza que um quartel não é um colégio de freiras.
    Afinal, não desconto do meu salário para sustentar as freiras, né?
    Mas, sou descontado na fonte, retiram da minha família para sustentar os quartéis que ficam esperando a guerra chegar, se chegar !!
    Façam eles cumprirem seu papel social pelo menos .

  19. Comentou em 15/11/2005 Jorge Ricardo Camara

    É importante saber quem entregou a fita? Não acho! Importante foi mostrar o que a ociosidade dentro das quartéis acarreta. Afinal, se eles estivessem prestando algum tipo de serviço à nação, não teriam tempo para ficar pensando em crueldade, em maldade. Como apareceu a fita é rídiculo ficar querendo achar resposta para essa pergunta, quando deveríamos pensar como esses fatos ainda ocorrem e mais uma vez a certeza da impunidade fez eles gravarem tudo.

  20. Comentou em 15/11/2005 Lucio Barbosa Soares

    Acredito que o Alto Comando das Forças Armadas tomará as devidas providências no caso da tortura no 20o Batalhão de Infantaria Blindado (Curitiba ). Punindo exemplarmente os responsáveis pelo desgaste desta Instituição.

  21. Comentou em 15/11/2005 L. Almeida

    Exército não deve ser comparado com faculdade. Numa guerra, a tortura que um soldado sofrerá não se compara ao vídeo.

  22. Comentou em 15/11/2005 Marcos Rui Lima

    Pensei isso na hora, mas pode ser que se contassem como tiveram acesso ao vídeo, poderiam comprometer quem entregou. Certamente, ele seria punido, hierarquia militar etc.. etc… Já conhecemos esse filme. E temos que ficar de olho, porque o Exército nunca pune tortura. Não é o primeiro vídeo que a TV mostra depois da democracia e nem agora um deles foi preso. Punir transferindo de batalhão de nada adianta. O que aconteceu foi crime e os responsáveis deveriam ir para a cadeia comum. Até pq quem é preso no exercito é vulnerável a tortura tb., como indicam algumas mortes suspeitas.

  23. Comentou em 15/11/2005 claudio pereira

    Estes trotes existem desde a fundação do Exército, talvez devêssemos perguntar aos militares envolvidos se são voluntários e se sabiam antes do curso da existência do trote. Tenho certeza de que sim. Mais importante é saber como a fita foi parar na imprensa assim como sai uma fita dessas sai também material confidencial, e aí? Também vale o anonimato da fonte?

  24. Comentou em 15/11/2005 Rafael Santos

    Temos que ver se o Brasil não esquece dos problemas políticos, como algumas emissoras desejam para que tudo volte a virar pizza neste país. Se o Exército toma medidas imediatas, o mesmo não estamos vendo no cenário político em Brasília. É falta de quem este problema? A fita é só um pretexto. Vamos ao final dos problemas logo.

  25. Comentou em 15/11/2005 peniel oliveira

    As imagens são fortes, pegaram pesado no trote, mas a comparação com as torturas praticadas por soldados americanos contra iraquianos, também é sensacionalismo de jornalista medíocre que tenta macular instituição seria uma das que ama a pátria, respeita e doa a própria vida em defesa da mesma. Observe que os ‘TORTURADOS’ em trechos sorriam!

  26. Comentou em 15/11/2005 Marcos Manocchi

    Boa noite! Nas Instituições Policiais e Militares existem comportamentos que não resistem a uma análise muito simples: Demonstrar coragem, bravura, superioridade,e principalmente, virilidade. Treinamentos e simulações não resistem à simples realidade: Somos Humanos e temos medo. Já vi colega mijar nas calças após uma troca de tiros, num morro, em Mauá, Grande São Paulo. Após o evento, não durante. Durante, você não tem tempo de pensar. Mas depois… Este Colega era lutador de Jiu-Jitsu, treinava em Grupo de Elite, impunha respeito, pelo tamanho. Mas mijou nas calças. Nossas Instituições Policiais e Militares cultivam basicamente a força física como requisito principal. Estão errados. O Povo Vietnamita, é composto de pessoas franzinas, se comparadas ao padrão ocidental. Mas derrotou e humilhou os ‘gigantas americanos’, na triste guerra do Vietnã. Temos que mudar estas doutrinas. A força física pode até ser útil, em alguns casos. Mas só a Inteligência pode vencer. Boa noite! Marcos Manocchi, Policial Civil.

  27. Comentou em 15/11/2005 Gilberto IzidoroDias Lopes Segatto Segatto, Gilberto

    O trote militar é deplorável. Há tempos, quando era jovem, me apresentei para ‘fazer o serviço militar’; foi na 7ª Cia.,  no Parque D.Pedro (aqui em S.Paulo). Tínhamos que nos apresentar às 7h, mas começavam a nos atender somente depois das 8h, antes disso nos mandavam levar camas beliches de um dormitório para outro. Acontece que o outro dormitório era em outro prédio, e  nós tínhamos que descer e subir escadas. Detalhe: a cama era tão pesada que quatro pessoas mal conseguíamos carregá-la. A ‘diversão’ parece que agradava a todos os internos. Êste episódio, para mim, foi suficiente para concluir que não serviria o Exército, simplesmente porque o Exército não me servia. Quanto à Rede Globo ter conseguido, e somente ela, o filme do trote em questão me deixa preocupado pois a considero prepotente. Recentemente quando do sequestro de um bandido por outros bandidos, todas as outras emissoras mostraram o posto de gasolina aonde houvera o ocorrido mas somente a Globo tinha as fitas gravadas pelas câmeras de segurança do tal posto, fitas estas que gravaram tôda a aproximação dos seqüestradores. É muito esquisito porque somente ela, a Globo, publicou as gravações.

  28. Comentou em 15/11/2005 jose renato abrahao

    O Exército é pra milico, não pra maricas. Qualquer missao dada ao militar é um trote violento, só que é necessário o homem estar preparado para tal mister. Por isso a Força terrestre hoje é feita por profissionais.

  29. Comentou em 15/11/2005 RANGEL da silva

    Quanto à pergunta sobre quem entregou a fita para a rede Globo, é no mínimo irrelevante. O que importa é que esta fita chegou a público e esta pratica abominável que tem no mínimo caráter intimidatório acabe de uma vez. A minha pergunta é, qual o lugar apropriado que ela deveria ser entregue? Para o comandante do exercito? Pelas declaraçoes dele, ele está igual ao LULA, nao sabia de nada, nao viu nada, foi uma grande surpresa. Estamos passando por crise de comando !!!!!!!

  30. Comentou em 15/11/2005 parmenas pereira de oliveira oliveira

    Quem deu a fita a Globo pouco importa, o negocio e acabar com estes trotes bobos.

  31. Comentou em 15/11/2005 junior

    Para min não importa quem enviou a fita, mas sim os fatos que nela continhan. Se a fita foi entregue pessoalmente,via correio ou deixado na porta da emissora, isso realmente não tem a menor importância.O mais importante e que ela seja realmente autêntica,pois eu não acredito que ninquem iria colocar a cara para fazer um filme daqueles por pura brincadeira para expor sua imagem para todo o país.

  32. Comentou em 15/11/2005 Ivan Medeiros

    Quem acha que as Forças Armadas são iguais a colégios de freiras está pensando errado.

  33. Comentou em 15/11/2005 Paulo Tadeu

    NÃO VEJO NADA DE ANORMAL NAS MATÉRIAS EXIBIDAS NO FANTÁSTICO DE DOMINGO. AFINAL, O QUE ACHAM O QUE ACONTECE QUANDO MILITARES SÃO CAPTURADOS POR FORÇAS INIMIGAS EM COMBATE. ORA BOLAS, DEIXEM DE COISAS, AQUILO É TREINAMENTO DE GUERRA E NÃO ACAMPAMENTO DE NORMALISTAS, FALA SÉRIO.

  34. Comentou em 15/11/2005 A.Fernandes Barbosa

    O Sr. Lula e o PT se divertem de uma forma. O pessoal do nosso Exército se diverte de outra forma. E nós… Bem, nós pagamos pra eles se divertirem ! É…ou não é? Sim…ou não?

  35. Comentou em 15/11/2005 Wilson Bracarense

    Fiquei estarrecido com tanta selvageria que foi apresentada por esta reportagem, o mais importante é que os responsaveis sejam punidos exemplarmente, para que tal fato nao venha a se repetir, pouco importando quem entregou a fita à TV Globo. Por sinal esta pessoa fez um grande feito em denunciar esta violência, já basta a que nos vivemos no nosso dia-a-dia.

  36. Comentou em 15/11/2005 alexandre manoel paulino

    Eu não entendo por que vcs estão perguntando quem passou a fita (existe o sigilo de fonte), mas sim discutam o conteúdo, que é deploravel!!!

  37. Comentou em 15/11/2005 joao legge

    é um caso isolado, dever-se-ia adotar o trote solidário e a imprensa dar o mesmo destaque; doar sangue, ações sociais, etc… Esta mudança ocorreu em alumas faculdades. sds joao

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem