Quarta-feira, 22 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

CÓDIGO ABERTO > Desativado

O nome da coisa

Por Luiz Weis em 23/11/2007 | comentários

Ontem foi dia de dilema nas redações brasileiras: como batizar a denúncia do procurador-geral da República, Antonio Fernando Souza, contra o ex-governador, ex-presidente do PSDB e senador Eduardo Azeredo, o seu vice no governo e, ultimamente, ministro de Relações Institucionais, Walfrido Mares Guia?

O resultado está nas edições de hoje – e não parece respaldar em geral a teoria conspiratória de que a mídia iria jogar fumaça nos olhos do leitor para que não equiparasse o desvio de R$ 3,5 milhões dos cofres públicos de Minas na frustrada campanha de reeleição de Azeredo, em 1998, à compra de políticos no primeiro governo Lula, que entrou para a história sob o codinome mensalão.

Diga-se desde logo que a equiparação faz sentido. Nas palavras do procurador, uma coisa foi o “laboratório” da outra. É verdade que ele também afirma que as situações não são exatamente iguais.

“Exatamente” não são. O mensalão, por exemplo, teve periodicidade – daí o rótulo [criado pelo autor da denúncia, então deputado Roberto Jefferson]. Os seus beneficiários diretos já exerciam mandato parlamentar. No caso anterior, o período foi o de uma temporada eleitoral, quando se usaram recursos públicos estaduais para financiar candidatos – que, uma vez eleitos, decerto retribuiriam a ajuda do principal interessado, e o primeiro dos “ajudados”, Eduardo Azeredo.

Isto posto, quando já se desconfiava de que o procurador-geral seria tão pouco leniente com os tucanos como foi com os petistas, houve quem previsse que a mídia, ela sim, cobriria a esperada denúncia com a preocupação de distinguir as duas ‘situações’, como diria o procurador – embora tenha sido um jornal insuspeito de lulismo, o Globo, o primeiro a revelar o escândalo. Por sinal, em julho de 2005, quando a barca do mensalão corria em todas as manchetes.

Hoje, os termos “mensalão tucano de Minas” estão na manchete do Globo. Já a Folha estampou no alto da primeira página as palavras “esquema de corrupção do PSDB”.

O Estado também falou em “mensalão tucano”. Mas, no sub-título, usou “esquema de caixa 2”. Se de caixa 2 se trata – como querem os tucanos que se puseram a absolver de antemão o seu senador – mensalão não é. E vice-versa.

No Valor – espantosamente, dada a costumeira qualidade da cobertura política desse jornal voltado para a economia – o assunto só aparece numa página interna e de forma peculiar: abaixo da saída de Mares Guia e sob um título que é um despiste – “Caixa 2 do PSDB mineiro chega ao Supremo”.

Dos quatro, com a agilidade costumeira, a Folha foi o único a já sair com editorial a respeito. Mas o texto tropeça nos próprios cadarços ao falar em “mensalão mineiro” logo antes de falar em “mensalão petista”.

A assimetria é clara. Mensalão mineiro faz par com mensalão nacional, ou federal. E mensalão petista, também por uma questão de coerência, demanda que se escreva mensalão tucano.

Pior foi o cacoete de chamar Mares Guia nos títulos de “ministro de Lula”, como se pudesse ser ministro de outro alguém. Lula, aliás, aparece ao lado dele, desacorçoado, com a mão na testa, tanto na primeira da Folha como na do Estado. Tudo bem: é foto para ninguém pôr defeito. Mas que faz falta, ali, uma imagem de Azeredo, vai sem dizer.

Jornalisticamente, a pá de cal no contorcionismo tucano de sugerir que Azeredo – se tanto – cometeu um pecado venial, ao passo que o pecado petista era mortal, foi a analogia da manchete da página 12 do Globo:

“FH repete Lula e pede apuração sobre Azeredo”.

Todos os comentários

  1. Comentou em 27/11/2007 Marcos Simões

    Bom dia. No último domingo fiz um comentário sobre essa matéria, mas este não foi postado. quero acreditar que ele (o comentário) não foi censurado. Não havia ofensa nenhuma contra ninguém. Também não remeteria ao ódio. Dentre outras coisas, opinei que o mensalão tucano, em cifras, é de R$ 100 milhões (distinto dos R$ 3,5 milhões). Que Azeredo assinou um recibo no valor de R$ 4,5 milhões no dia 13 de setembro de 1998. Outra. Tanto o mensalão tucano como o mensalão petista continham depósitos efetuados por empresas privadas. Por que os meios de ‘informação’ nunca mencionaram essa realidade, preferindo sempre bater na tecla do dinheiro público desviado? Com essa falta de informaão real, não se chegará a lugar algum. O que se quer, afinal? Espero que o comentário (primeiro) seja postado. Obrigado.

  2. Comentou em 25/11/2007 walter aguiar

    O nome da coisa: Recursos não contabilizados, para financiamento de campanha.

  3. Comentou em 25/11/2007 marina chaves

    senhor avelino: quando eu vi a manchete no portal terra nao acreditei no que lia … achei engraçado e tragico ao mesmo tempo……. saudações! otimo dmingo!

  4. Comentou em 25/11/2007 Carlos Martins

    Dito (por mim) e feito (pela grandimprensa), com supersônica celeridade. No Ziglobi de hoje, 25/11, o assunto ‘mensalão tucano’ já despareceu, salvo uma solitária menção a ‘valerioduto do PSDB mineiro’ – notar a cuidadosa delimitação -, à página 9, sem qualquer destaque e em matéria sob o desconversativo título ‘MP investiga caixa 2 de R$ 4,5 milhões de Mares Guia e Duda’. Nenhum editorial, artigo, nota em coluna; sequer uma única carta-de-leitor. Aliás, coincidentemente ou não (o que vocês acham?), a normalmente agilíssima secção de Cartas de hoje traz uma só carta datada de 23/11; todas as demais são de 22/11 ou antes – ou seja, ‘pescadas’ nas gavetas para ‘encher lingüiça’. E agora, Sr. Weiss, a mídia procura ou não jogar fumaça nos olhos do leitor?

  5. Comentou em 25/11/2007 Luciano Baía Meneghite

    A imprensa golpista quando encurralada pelas evidências,numa estratégia inteligente,mas que começa a ficar manjada,até notic ía fatos que podem prejudicar seus interresses temporáriamente,mas logo dá um jeito de o povo esquece-los.Em 1989 num programa da Globo em que eram entrevistados os candidatos a presidente,Brizola acusou a emissora de favorecer Collor.A globo sabendo que por lei não tinha como negar o espaço a Brizola,exibiu no jornal Hoje antes da entrevista e em outros telejornais cenas de um ‘quebra pau’ em que ‘seguranças’ de Collor batiam em manifestantes contrários a sua candidatura.O fato já havia ocorrido a mais de uma semana e fora sonegado aos telespectadores.Só usaram quando conveio.

  6. Comentou em 24/11/2007 Russo Salvatore

    Os ‘Corleones’ (marinhos, civitas, frias e mesquitas) estão perdidos e mal lidos.

  7. Comentou em 24/11/2007 Aloísio Morais Martins

    Na verdade, não há mensalão tanto do Governo federal quanto no caso da campanha de Azeredo e, sim, uso de caixa dois para pagar dívidas de campanha eleitoral, uma prática bem antiga que só veio à tona agora. No caso federal, ninguém recebeu algum dinheiro de caixa dois mais de uma vez, salvo engano, o que tira o caráter de pagamento mensal em troca de voto a favor de propostas do Governo, como a grande imprensa tentou caracterizar. Além disso, não faz sentido pagar deputados petistas para votar com o Governo. O termo mensalão foi mais uma força de expressão cunhada pelo deputado Roberto Jefferson que calhou bem para a chamada grande imprensa – na sua ânsia de atacar o Governo Lula e o PT.
    Já o caso tucano deixa claro que o esquema do valerioduto nasceu aqui em Minas e, pior, com o uso explícito de dinheiro público fornecido por empresas do Governo mineiro, como a Cemig e a Copasa – o que ainda não foi devidamente comprovado no caso federal. Como este valerioduto ia ficando impune, foi levado para a esfera federal via Marcos Valério, até que a festa acabou. Felizmente. Espero que o episódio venha contribuir para que o poder econômico tenha menos influência nas próximas eleições. Mas fica sempre a dúvida: será que farra acabou? Só nos resta ficar vigilantes.

  8. Comentou em 24/11/2007 Rodrigo Pedrasse

    Meu deus, que vergonha de imprensa!!!! onde está a ombridade??

  9. Comentou em 24/11/2007 Carlos Martins

    Alguém duvida que a grandimprensa só deu 1a. página porque a denúncia atingiu também um ministro, o que aliás serviu de excelente cortina de fumaça? Alguém leu editoriais candentes contra o – no caso, flagrante – roubo de dinheiro público pelo PSDB? FHC levantou a bola: ‘Mensalão é outra coisa, significa gente recebendo dinheiro para votar com o governo.’; por acaso apareceu algum ‘analista político’ ou ‘engraçadinho’ para cortar, ‘que nem na compra da reeleição em 97, né, Fernandinho’? Querem apostar quão rapidinho o assunto ‘mensalão tucano’ vai sumir das páginas e dos minutos? No Ziglobi de hoje já não deu manchete principal…

  10. Comentou em 24/11/2007 Maria Izabel L. Silva Silva

    Weis. Engasguei com o café matinal na garganta quando ouvi a Renata Vasconcelos usar a expressão ‘mensalão tucano’!Quando é que o William Waak vai fazer um Painel com Roberto Romano e o Bolivar Lamonier falando de ética na politica e o papel da ‘social democracia’??? Não vejo a hora de ouvir aqueles uspianos e demais santinhos do pau ôco, [ ] justificativas e explicações para a robalheira do PSDB!!! Quantos talk shows a Globo News vai fazer prá explicar o que é caixa 02 o que é mensalão e a diferença entre PSDB e o PT???Será que vão perguntar se FHC sabia??? E o Arnaldo Jabor já deu aquele falso chilique de falsa indignação com coisas que ele tá careca de saber???? São muitas emoções!!!!

  11. Comentou em 24/11/2007 José de Souza Castro

    Quem acha que entende de jornalismo acreditaria que a denúncia do procurador-geral da República no Supremo contra um importante ministro mineiro, Walfrido Mares Guia, e contra um senador que já foi governador do Estado, Eduardo Azeredo, seria de grande interesse para os jornais mineiros. Estaria enganado. O diário de maior circulação no Estado, o ‘Super Notícia’, do grupo do ex-deputado federal tucano Medioli, já tirou o assunto de suas páginas, dois dias depois da apresentação da denúncia ao Supremo.

    ‘O Tempo’, do mesmo grupo, parece ter combinado com o concorrente ‘Estado de Minas’, dos Associados. Os dois resolveram batizar o caso de Caixa dois, em versal, antes dos títulos da primeira página, que não poderiam ser mas inócuos: ‘Relator corre contra o tempo’, diz ‘O Tempo’; ‘Procurador-geral quer punição rigorosa’, rebate o ‘Estado de Minas’.

    O jornal do bispo Edir Macedo, ‘Hoje em Dia’, parece achar que o assunto não merece chamada de capa. Dentro, duas notícias a respeito, sob os títulos ‘Azeredo recebe visita de Aécio’ e ‘Alencar descarta envolvimento de Mares Guia com ´mensalão mineiro´’. Não é uma graça? O ‘Aqui’, dos associados, que concorre com o ‘Super’, de Medioli, continua achando que a questão não interessa aos seus leitores.

  12. Comentou em 24/11/2007 Avelino de Oliveira

    Senhora Marina
    Eu entendi o recado, e os multíplos significados, mas cá entre nós, foi maravilhoso essa do juiz. Valeu pelo dia.
    Saudações

  13. Comentou em 24/11/2007 Moacir Teles Maracci

    Pois é. Em ‘bom português’ de Mr. FHC, mensalão é o do PT, enquanto caixa 2 é ‘apenas’ ajuda de campanha. A denúncia do mensalão tucano serve para duas coisas: enterrar a tal ética tucana tão alardeada por Tasso Jereissati, Arthur Virgílio e outros no lixo da história e o ‘bom português’ de Mr. FHC que só serviu mesmo para desflar em Nanterre, mas que para a sociedade brasileira não serviu e não serve de nada.

  14. Comentou em 24/11/2007 marina chaves

    senhor avelino: o que me motivou colocar a manchete aqui foi o que me pareceu um trocadilho engraçado: ‘gato ‘ de água……… mas segundo a reportagem um juiz de sao carlos estava desviando água de sua casa e pagando uma conta menor…. o que eu quero dizer é que a corrupçao está em todo lugar no brasil tornando nossa vida insuportavel, do mensalao do congresso ou o do psdb ao juiz que resolve nao pagar conta de água……. e pelo amor de deus: nao conheço o presidente da venezuela,!

  15. Comentou em 24/11/2007 Ranulfo Lusvardi

    Olá Senhores!

    Como é maravilhoso assistir a gang dos punhos de renda justificar a roubalheira.
    Com o Lula é ladroagem. Com Azeredo é um ‘pequeno desvio’.
    O mal do PSDB é acreditar que o povo é besta.

  16. Comentou em 24/11/2007 Sónia Mauss

    Quanto mais essa mídia podre tenta esconder a podridão mais cheiro se espalha. E pensam que nós somos otários. A GRANDE MÍDIA ESTÁ PODRE. Ainda bem que existem outros meios.

  17. Comentou em 24/11/2007 Avelino de Oliveira

    Sabe: Marina Chaves, bancaria (marilia/SP), realmente adorei essa reportagem enviada,’que nada………. o interessante foi a manchete que encontrei hoje na pagina principal do portal terra…. ela diz: ‘ sp: fiscal encontra ‘gato’ de água em casa de juíz.’ calculando que estejamos no Brasil, poderia ganhar inúmeras formas, vejamos:
    a) O fiscal é do PT e o juiz não
    b) O juiz é do PT e o fiscal não
    c)O juiz não sabia de nada, apesar de não ter conta a pagar
    d)A imprensa faz parte do PIG
    e)O jornalista que publicou é do PT e imprensa também
    f)Descobriu-se que a reportagem não ouviu os dois lados.
    g) Mais uma ação da PF para evitar os desvios.
    h) Isso sim era o caixa 2
    i) A transposição do Rio São Francisco já começou
    j)É mais uma teoria conspiratória contra o Judiciário.
    Agradeço o bom humor da Marina, para alguns, o seu sobrenome dará vazão a pensar que é uma agente do presidente da Venezuela.
    Saudações

  18. Comentou em 24/11/2007 Jose de Almeida Bispo

    Tiro o chapéu pro marketeiro da neo-UDN paulista (PIG e PSDB). É taca! Foi na mosca. Agora, com a repetição uníssona da mídia grande vai ficar de uma vez por todas provado que o PT é a cópia do PSDB. Como diz a propaganda oficial do próprio partido. Até nas falcatruas. Só difere um pouco porque ninguém é perfeito. E é por isso que “quem inventou” foram os tucanos do outros; os mineiros. E aqui foi apenas um Caixa dois; ali foi mensalão.
    Continuam querendo me fazer de otário.

  19. Comentou em 23/11/2007 ubirajara sousa

    São duas coisas diferentes mesmo, senhora Mara Silva. Os valores são muito diferentes, E lá, em Minas, foi dinheiro público, já comprovado.

  20. Comentou em 23/11/2007 Marco Antônio Leite

    Estamos presenciando um governo geleia geral, onde homem dança com homem e mulher com mulher. Existem mensalão de direita, como também de esquerda. Esta todo mundo embriagado pelo garrafão cheio de dólares, isso leva muitos políticos à ficarem pinel e acabam avançando no caixa dois, três, quatro, quantos existirem. Estamos precisando de um Chávez para colocar um freio nessa festa devassa que esta acontecendo nos nobres salões das zelites brasileiras. Essa burguesia é pior que bicho indomável, aquele animal teimoso, que não admite fazer uma decente e justa distribuição de renda. Essa gente é apaixonada pôr uma mulher gelada e dura, ou seja, um gordo cofre de aço.

  21. Comentou em 23/11/2007 Fabiano Mendes

    Quem se lembra que quando do lamentavel acidente da TAM, o El Clarin chamou a imprensa brasileira de surrealista? Depois alguns comentaristas de televisão teve o displante de omitir a palavra imprensa e dizia que o jornal argentino falava que o Brasil era surrealista. Esses que se autodenominam de jornalistas e editorialistas, acham que somos otários ou imbecis como eles.

  22. Comentou em 23/11/2007 marina chaves

    que nada………. o interessante foi a manchete que encontrei hoje na pagina principal do portal terra…. ela diz:

    ‘ sp: fiscal encontra ‘gato’ de água em casa de juíz.’

  23. Comentou em 23/11/2007 Wilian Jorge de Oliveira

    Que fim tiveram as denúncias de compra de votos no episódio da votação da emenda à reeleição de FHC em 1997? Agora o PSDB fica posando de vestal.

  24. Comentou em 23/11/2007 Marco Antônio Leite

    O rosto da COISA não assusta mais ninguém. Essa COISA esta muito manjada junto ao proletariado, COISA que tem feito mal aos trabalhadores. COISA que rouba o salário do escravo branco/negro, o alimento da mesa da galera que dá o sangue na produção de bens de consumo, consumo que apenas poucos podem adquirir. COISA que tira dos aposentados, das crianças que morrem de fome. COISA que rouba da educação, da casa própria, o coisa horrível. COISA que deambula pelos labirintos dos porões dos palácios sejam eles de presidente, governadores ou prefeitos, eles corroem cofres de todos os tamanhos e peso. Essa COISA poderá ser exterminada desde que o pobre se organize e sai a procura da COISA e há enforque nas ruas, praças, campos, matagais, lamaçais e agregados. Xó COISA ruim, vá sugar o sangue em outro país! Este país também é uma grande COISA!

  25. Comentou em 23/11/2007 Marcelo Ramos

    Weis, não existe mais teoria conspiratória. É PRÁTICA conspiratória e anti-democrática de grupos de comunicação que tentam interferir ilegitimamente no processo democrático. Não é mais uma teoria que necessita ser provada, já foi fartamente provada. No ‘placar’ do Carlos Mendes, abaixo, está bem clara essa diferença de tratamento nas manchetes. Porquê o senador Eduardo Azeredo, que ocupava cargo majoritário na época, não foi para as manchetes e só aparece no meio do texto dos diversos periódicos? Como você mesmo delineou em seu artigo ‘jornalismo autoritário’, com respeito à desproporção no direito de resposta no caso da Cisco, é uma ‘burla’. Só que dessa vez não é uma burla da lei mas que busca, mais uma vez, preservar o senador tucano. E acontece a mesma coisa que aconteceu quando da divulgação da descoberta do poço de petróleo em Tupi: a mídia está dando a notícia relutantemente, porque não podem não dá-la, já que precisam continuar tentando preservar sua imagem de imparcial junto à parcelas da população que ainda não se deram conta desta grande farsa que é a mídia travestida de partido político… mas que tem na mão instrumentos de comunicação. O Globo colocou em manchete… masna botou na mesma manchete que o Mensalão Tucano derrubou um ministro de Lula.

  26. Comentou em 23/11/2007 iza souza

    Que me perdoem alguns jornalistas.
    Nossa imprensa virou piada nacional.
    Perdeu o que restava de credibilidade.
    A cobertura sobre o mensalão do PSDB é pra enganar otários.
    Não assino mais nenhum jornal ou revista da imprensa golpista.
    Informações agora só procuro pela internet e em vários sites deferentes.
    Quero sempre ler e ouvir os dois lados da questão.
    O que fizeram com o PT ficará na história como uma das maiores cafajestagens da imprensa brasileira.
    Dá-me asco, vontade de vomitar .

  27. Comentou em 23/11/2007 Lair Martes

    Apesar de toda a fiscalização que se faz da imprensa via internet eles fazem isso que foi relatado por Weis. Imaginem se não existisse esse meio de sabermos o outro lado como era há alguns anos.

  28. Comentou em 23/11/2007 Antonio Carlos Medeiros

    São dois pesos e duas medidas, ou: spray de pimenta nos olhos dos outros é refresco!

  29. Comentou em 23/11/2007 Marco Antônio Leite

    Tucano com sapo barbudo dá no mensalão, mensalão federal e mineiro, porém na essência ambos são iguais, ou seja, corre bola, jabá, corrup, molha mão, entre outras gírias do submundo do crime. Crime este que envolve a nata azeda da política atrapalhada do Brasil. Isso tudo que ocorre de ruim, ainda não acorda a massa atrasada, os bagaços de laranjas e similares. Num país onde o povo é politizado já teria corrido líquido constituído de plasma e glóbulos sangüíneos de burguês e políticos ladrões. No entanto, tratando-se de Brasil, o que impera é a calmaria e o conformismo com a vida que levamos, levamos bem naquele lugarejo, e ainda gostamos. Este povo é lindo, lindo, beleza, quanta indolência. assistir novelas é mais conveniente e, aos domingos ir ao campo de futebol e trocar uns sopapos com a torcida do time adversário, que bom, PAZ e AMOR!

  30. Comentou em 23/11/2007 Rogério Ferraz Alencar

    2º § : “O resultado está nas edições de hoje – e não parece respaldar em geral a teoria conspiratória de que a mídia iria jogar fumaça nos olhos do leitor para que não equiparasse o desvio de R$ 3,5 milhões dos cofres públicos de Minas na frustrada campanha de reeleição de Azeredo, em 1998, à compra de políticos no primeiro governo Lula, que entrou para a história sob o codinome mensalão.”//
    9º §: “Dos quatro, com a agilidade costumeira, a Folha foi o único a já sair com editorial a respeito. Mas o texto tropeça nos próprios cadarços ao falar em “mensalão mineiro” logo antes de falar em “mensalão petista”.”// 10º §: “A assimetria é clara. Mensalão mineiro faz par com mensalão nacional, ou federal. E mensalão petista, também por uma questão de coerência, demanda que se escreva mensalão tucano.” // O 9º e o 10º parágrafos desautorizam o 2º, e o restante do texto mostra que o que prevalece mesmo é o § 9º. Sem falar que a Globo, no JN de ontem, 22/11, saiu-se com “valerioduto mineiro”. No Jornal da Globo, a tônica foi o “valerioduto do PSDB mineiro”. Em ambos, a notícia, célere como um raio, dava lugar à “principal conseqüência” da denúncia: possível retardamento na votação da CPMF. E tome entrevista com Agripino Maia, que nem é tucano. Ou melhor: não é do PSDB.

  31. Comentou em 23/11/2007 Jairo Fernando Oliveira

    Reconheço que houve um pequeno avanço… MAS… veja a capa da Folha de São Paulo!! É perceptível que a FSP colocou uma IMAGEM que não condiz com a manchete. Esquema de corrupção do PSDB e na foto, com um que de exasperação, o PRESIDENTE LULA! Só rindo mesmo! Acusam Lula de tudo, de derrubar avião, de incentivar o Chávez, de copiar as coisas dos tucanos… e agora, só falta também acusá-lo de responsável pela corrupção do PSDB.

  32. Comentou em 23/11/2007 Bruno Carmo

    Ler comentários reproduzindo a idéia da mídia, ou mesmo dos atores tanto de PSDB quanto do PT diferenciam caixa 2 de mensalão é ridículo. Os 2 casos são caixa 2, porque são feitos por fora, no caixa 2, sem pagar impostos, por isso sem serem declarados.
    O que se chama mensalão, é a compra de voto, e aí os dois também são, falar que pq em Minas só foi antes da campanha e por isso não é compra de votos´é errado, só não foi compra de voto pq o Azeredo perdeu a eleição. Se tivesse ganho, quem recebeu verba votaria com ele, ou vocês acham que ele paga a campanha dos outros a troco de nada?

  33. Comentou em 23/11/2007 José de Souza Castro

    O procurador-geral da República tem um mérito: ele conseguiu que o valerioduto mineiro ganhasse, finalmente, as páginas dos principais jornais de Belo Horizonte. O mais vendido, ‘Super Notícia’, deu uma chamada na primeira página, apenas o título: ‘Mensalão derruba mineiro de ministério – Página 11’. O leitor teria que ir lá na página 11 para saber, em apenas 9 linhas de notícia, que o derrubado era o ministro Walfrido Mares Guia, ex-vice-governador, ex-secretário da Educação, dono do poderoso Sistema Pitágoras de Ensino. ‘O Tempo’, do mesmo grupo do ex-deputado tucano Vittorio Medioli, deu manchete: ‘Caixa Dois – Denúncia de Valerioduto derruba ministro Mares Guia’, e 3 páginas de notícias a respeito. O concorrente do ‘Super’, o ‘Aqui’, dos Diários Associados, achou que o assunto não interessava aos seus leitores, e deixou pra lá. O jornalão dos Associados, o ‘Estado de Minas’, deu manchete ‘Walfrido se afasta após a denúncia de caixa 2’, mas tratou o assunto em apenas uma página, metade dela dedicada à defesa do ex-ministro e do senador Eduardo Azeredo. O ‘Hoje em Dia’, do bispo Edir Macedo, que tem um diretor citado no relatório da Polícia Federal, deu manchete de capa: ‘Walfrido deixa o Governo’, com um bigode: ‘Caixa dois – Denúncia de valerioduto derruba ministro Mares Guia’. A manchete da notícia, dentro, é mais significativa: ‘Walfrido se demite e se diz injustiçado’.

  34. Comentou em 23/11/2007 Lourival Eres

    É só falar no diabo que ele aparece…

  35. Comentou em 23/11/2007 Alexandre Carlos Aguiar

    Eita, [ ] rasteira. Quer dizer que uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa? Essa história toda lembra aquela anedota do sujeito enganado, quando alguém diz que a mulher o está enganando no sofá da sala, ele manda jogar fora o sofá. 100 milhões não são diferentes de 3,5 milhões e corrupto aqui não é diferente de corrupto ali. Ou seja, bandido é bandido, seja quem for. Queria ver é o alemão dizer que ‘devemos acabar com essa raça’, ou o nobre senador amazonense querer dar um tapa no senador mineiro.

  36. Comentou em 23/11/2007 Tucano Cansado

    ‘Será que aparecerão os chatos comentaristas de sempre aqui bradando contra a ‘mídia golpista’???’

  37. Comentou em 23/11/2007 Creusa Cicolo

    Há muito tempo os integrantes do PSDB se queixam da permanência de Eduardo Azevedo, pois atirar a pedra é fácil e limpar o local sempre pareceu existir mais dificuldades!

  38. Comentou em 23/11/2007 Fábio Carvalho

    A manchete de Zero Hora de hoje é ‘Ministro articulador do governo Lula é denunciado e se afasta’. A chamada faz referência ao ‘mensalão mineiro’. Na página interna, o título da matéria é ‘Denúncia de mensalão derruba ministro de Lula’. O lead grafa novamente ‘mensalão mineiro’ e trata da saída do ministro. No segundo parágrafo, lemos que ‘além de Mares Guia, Antonio Fernando denunciou criminalmente o senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG) e outras 13 pessoas por desvio de pelo menos R$ 3,5 milhões de recursos públicos para a campanha de Azeredo à reeleição ao governo de Minas Gerais, em 1998. O procurador classificou o esquema como ‘origem e laboratório’ do mensalão petista’. Há fotos de José Múcio e de Mares Guia. Um infográfico sobre a investigação da Polícia Federal tem uma foto de Marcos Valério ao centro e destaque para a expressão ‘Mensalão mineiro’. Abaixo, sejamos justos, ficamos sabendo que o nome da coisa ‘também é conhecido como mensalão tucano’. Lá no pé da página, o rosto de Azeredo aparece colado ao corpo de um bonequinho. Yo no creo en las brujas pero que las hay… las hay.

  39. Comentou em 23/11/2007 José Carlos Tavares

    Com certeza a Mídia Golpista não dará a mesma ênfase que deu ao Mensalão do PT, tanto que chama de Mensalão Mineiro para tentar esconder o que todos já sabem: Que tudo começou no governo do PSDB.

  40. Comentou em 23/11/2007 Carlos N Mendes

    Placar: Mensalão do PT – dossiê do PT – caos aéreo do PT – PT com medo de Evo Morales – PT não abaixa os juros – PT copia política econômica FHC – PT endossa o ‘ditador’ Hugo Chavez – irmão do presidente metido em falcatrua – presidente bebe demais da conta – filho do presidente metido em falcatrua – PT quer o golpe do terceiro mandato – PT criou, aumentou e quer manter CPMF – Renan, amigo do PT, bandido que não larga o osso – PT causa caos do gás natural, ufa… Já o PSDB : mensalão do PSDB MINEIRO do Aécio – FHC e Serra SÃO inocentes! Placar final : o PT levou uma ensacada de pelo menos 14 gols (Mensalão, caos aéreo e dossiê deveriam valer por 2 ); já o PSDB só tomou MEIO gol no seu jogo com a imprensa – metade do partido saiu inocente do campo. Conclusão ? Mídia golpista, é claro. E enquanto nossa mídia jantar toda a noite com Gustavo Cisneros, vai continuar golpista.

  41. Comentou em 23/11/2007 Giovani de Morais e Silva

    Mensalão Tucano… quem diria… E ainda tem ‘midiota’ que tenta esconder a verdade em cima de ‘desvios’ como ‘mensalão mineiro’ ou ‘caixa-2’. A casa do PIG caiu, desta vez! As virgens vestais tucanas eram, no mínimo, habitantes de Lesbos ou Sodoma & Gomorra!

  42. Comentou em 23/11/2007 Cesar Lenzi

    Falta agora a palavra de FHC sobre a afirmaçao do senador Eduardo Azeredo, rapidamente eclipsada pela mídia, de que recursos do valerioduto tucano irrigaram a campanha do Farol na disputa presidencial de 1998. Isso a imprensa golpista não divulga nem investiga. Lula teve que ouvir ‘trocentas’ vezes a pergunta: ‘Você sabia ou nao sabia?’. E ao FHC quantas vezes a mídia fará esse mesma indagação?

  43. Comentou em 23/11/2007 Marco Antônio Leite

    Eres uma vez um comentarista de ocasião, que pôr meio deste, chama os colegas comentaristas sérios de CHATOS. Será que os outros é que são chatos, ou é chato aquele que não tem argumentos claros para debater racionalmente os temas políticos que este democrático site disponibiliza para os leitor e debatedores escreverem suas sugestões que possam ajudar os interessados de plantão. Que chato ser chato. Ou não é chato?

  44. Comentou em 23/11/2007 Max Suel

    1º Parabéns ao PGR pelo seu trabalho correto e dever cumprido (li as 89 folhas da sua denúncia ao STF). 2º Se aceita a denúncia, e prosseguindo o processo no STF, ao fim e ao cabo, os julgados culpados tem de ser punidos, doa a quem doer. 3º Há que se distinguir mesmo as coisas: em MG pela denúncia, houve crime de desvio de dinheiro público para campanhas eleitorais, do Gov Azeredo e de outros. Foi realmente o laboratório do Mensalão do gov Lula, que além de desvio de dinheiro público para campanhas, desviou dinheiro para comprar partidos e parlamentares. Ambas as coisas são criminosas, sendo que esta última é muito mais grave para a democracia , para as instituições e para a ética; inclusive os apenamentos são distintos. O PSDB errou feio desde o início do caso; independentemente do atual sen Azeredo ser um homem de bem (tal qual o ex ministro Mares Guia), ele deveria ter sido afastado naquela ocasião. O fato dele negar que soubesse do esquema apenas o iguala ao pres Lula, outro que sempre alegou que nada sabia. O PGR deveria por similaridade também no Mensalão do PT ter denunciado o pres. Lula. Um lembrete: o ex ministro Mares Guia tb foi ministro do Turismo. Agora, é esperar a continuação do processo, e que os culpados sejam punidos. Lembrando aos afoitos: o desvio apurado pelo PGR foi de 3,5 milhões (nota preta) mas inferior aos 100 milhões apregoados pelos leitores petista

  45. Comentou em 23/11/2007 Mara Silva

    Para mim, são duas coisas muito diferentes. Pode-se até dizer que não tem pior… mas, são diferentes.
    Quanto ao Azeredo, lamentável… e pensar que por causa dele o PSDB não fez o que tinha que fazer, compactuando com a completa desmoralização da política e do país, patrocinada, principalmente, pelo Presidente Lula.

  46. Comentou em 23/11/2007 Lourival Eres

    Será que aparecerão os chatos comentaristas de sempre aqui bradando contra a ‘mídia golpista’???

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem