Sexta-feira, 24 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

CÓDIGO ABERTO > Código Aberto

Obama será o presidente mais patrulhado da história americana

Por Carlos Castilho em 17/01/2009 | comentários

A grande imprensa norte-americana ainda não deu a devida importância, mas a
julgar pelo que já foi publicado por sites como o MixedInk, a revista
online Slate e a página acadêmica Poynter Online, Barack Obama
não terá uma vida fácil – tanto que os internautas já
escreveram, por conta própria, centenas de versões para o discurso de posse do
novo presidente norte-americano.


A revista Slate
lançou, no dia 2 de janeiro, um desafio aos seus leitores para que eles
escrevessem o discurso que gostariam de ouvir na boca de Obama, na terça-feira
(20/1), na cerimônia de posse, em frente ao Capitólio. Duzentos e quarenta e
seis colaboradores apresentaram 226 versões diferentes para o texto, até a noite
do dia 16. A assessoria do presidente eleito não confirmou se ele vai usar parte
dos textos produzidos por voluntários, mas admitiu que Obama está acompanhando a
experiência.


O projeto foi desenvolvido em conjunto pela Slate e pelo site MixedInk, uma
das mais recentes e revolucionárias experiências de produção
colaborativa de informações
surgidas na web. O sistema combina
programas como o wiki com fóruns online, editor de texto e pesquisa de opiniões
em tempo real.


O que impressiona na observação das contribuições é a qualidade dos
textos
publicados. O texto mais votado até agora começa assim:




‘Dois séculos atrás, um general do estado da Virginia foi o primeiro a fazer
o juramento que eu tenho a honra de repetir hoje, prometer fidelidade à nação
recém nascida.


Quase um século depois, um advogado de Illinois fez o mesmo juramento e ele,
também, teve que lutar. Desta vez para preservar a unidade do país, para
aperfeiçoá-la reconhecendo como cidadãos, muitos dos que foram excluídos apenas
por causa da cor de sua pele.’


A página disponibiliza também os discursos de posse dos 43 presidentes que
antecederam Obama, dando aos internautas a possibilidade de remixar
partes dos textos
. Os mais céticos esperavam uma avalancha de diatribes
e uma catarse política impublicável, mas, duas semanas depois, os textos
mostram-se surpreendentemente equilibrados.


Outros sites se especializaram na cobrança das promessas
feitas por Barack Obama durante a campanha eleitoral. Há mais de 50 iniciativas
do gênero e, segundo o site Poynter
Online
, elas vão se multiplicar depois da posse. O site PolitiFact, por
exemplo, criou o Obameter
para checar a credibilidade de todos os pronunciamentos presidenciais e cobrar o
cumprimento de 510 promessas eleitorais.


E a revista Congressional
Quarterly
está patrulhando as nomeações feitas por Obama para checar
currículos e ligações político/empresariais.


O monitoramento das ações governamentais na gestão George W. Bush já era
intenso, mas estava basicamente limitado às organizações não governamentais e
grupos políticos. Agora o patrulhamento desceu ao nível do usuário comum graças
a programas de produção coletiva e colaborativa de informações
como o MixedInk.


Este tipo de uso político da internet pode ser reproduzido em qualquer outro
país, inclusive o Brasil, porque são tecnologias de fácil acesso e em sua
maioria disponíveis no sistema de código aberto.

Todos os comentários

  1. Comentou em 22/01/2009 José Carlos dos Santos

    Acho que na verdade a Internet é a ferramenta de participação mais democrática que se conhece, o Brasil com o seu Portal da Transparência deu um importante passo para a moralização dos gastos com dinheiro público, inclusive os jornais tem se servido dele para divulgar gastos estranhos, e dando a possibilidade do público questionar esses gastos. Acho que é tão bom que deveria ser seguido por estados e municípios gostaria imensamente de saber como está sendo gasto o dinheiro público no estado e em minha cidade.
    Nos EUA parecem estar dando um passo adiante, não só os gastos, mas todas as ações governamentais deverão ser monitoradas, acho bom que seja assim, pois segundo um cabeludo, meio socialista que viveu 2 mil anos atrás, disse ‘a verdade vos libertará’. E acredito que ele tenha toda a razão.

  2. Comentou em 19/01/2009 Gustavo Alencastro

    desculpas pelos erros de grafia nas palavras ascensão e estão, no caso está.

    Obrigado

  3. Comentou em 19/01/2009 Gustavo Alencastro

    É impossível um negro virar ‘branco’, mas com a ascenção do Obama nota-se que os ‘brancos’ querem ficar mais escuros, já não suportam serem totalmente brancos, mas o fim do racismo estão muito longe …

  4. Comentou em 18/01/2009 Adriana Araújo

    Com certeza Brarack Obama terá muito holofotes ao seu redor, não só por ser uma chegada inédita na casa Blanca. A conquista do ideal de Martin Luther King.
    Mas também pela esperança de resolução para crise ecônomica nos EUA.
    São anos de expectativas. No entanto o momento histórico não é dos melhores.

  5. Comentou em 18/01/2009 reinaldo cabral cabral

    carlos castilho:certamente você não se lembra de mim:cheguei como repórter ao jb em 1970, época em que você parece que já estava a zarpar para o exterior. tenho acompanhado seus artigos aqui no observatório. como esse obama seguramente não seguirá a trajetória sanguinária de bush apesar de ter chamado para assessorá-lo alguns caras de linha política duríssima que nada tem a ver com suas promessas de campanha, com certeza teremos na casa branca atitudes e decisões capazes de a)ou acelerar o processo para a deflagração de uma 3a. guerra mundial a partir do alastramento dessa tendência no oriente médio quando o bush,na despedida do seu desgovernocídio, se alia a israel para liquidar com o hamas de toda forma, atropelando totalmente a onu; b) ou reconstruir a onu e reforçar parcerias internacionais capazes de reforçar alternativas à sobrevivência do planeta,pois os países com os quais os eua contam desde a 2a. guerra para demonstrar e impor sua beligerância mundial(frança,inglaterra) não parecem mais dispostos a servir de apoio incondicional a essa hegemonia. portanto, caro castilho, como seu leitor neste observatório, esperamos que você aprofunde suas andanças/pesquisas nos meios de comunicação do miolo do capitalismo para continuar brindando seus leitores com material sempre atualizado como esse.

  6. Comentou em 18/01/2009 dante caleffi

    OBAMA, o presidente negro,que virou branco.

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem