Domingo, 20 de Maio de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº987
Menu

CÓDIGO ABERTO > Código Aberto

Outra polêmica envolvendo a imprensa

Por Carlos Castilho em 21/02/2008 | comentários

Mais uma briga de cachorro grande na mídia brasileira. E mais uma vez o leitor fica ao sabor dos acontecimentos, porque o que está sendo publicado é apenas uma parte da questão.


 


Tanto um lado como o outro têm estratégias bem definidas e objetivos claros. Só que os objetivos não têm nada a ver com questões religiosas e nem preocupações com a informação do leitor. Tanto a Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) como os jornais que publicaram reportagens sobre os negócios do bispo Edir Macedo estão preocupadas mesmo é com as conseqüências financeiras da polêmica.


 


A IURD está preocupada com os efeitos que as denúncias da Folha, bem como dois outros jornais – um do Rio e outro da Bahia -, possam ter nas parcerias corporativas necessárias para a expansão do império econômico fundado pelo bispo Macedo.


 


Por seu lado, a Folha e os demais jornais temem que a onda de processos judiciais contra a jornalista Elvira Lobato e os repórteres Bruno Thys (jornal Extra, RJ) e Walmar Hupsel Filho (A Tarde, BA), autores de três reportagens diferentes, acabe saindo muito caro em indenizações e custos judiciais.


 


A estratégia de ambos os lados é esgrimir o conceito de liberdade: a religiosa e a de imprensa. São dois argumentos de peso em matéria de estratégia de marketing político, mas frágeis em termos de conteúdo. As reportagens não ameaçam a liberdade religiosa no país, no máximo os negócios do bispo Macedo, da mesma forma que as ações judiciais interpostas por fiéis da IURD não ameaçam as liberdades da imprensa e de informação.


 


Enquanto isto, os leitores (pelo menos os do Observatório) fazem uma leitura diferente da questão. Não mostram simpatias com a Igreja Universal, mas também não poupam a imprensa. Muitos fazem uma ligação entre o episódio IURD/Folha com a polêmica Nassif/Veja.


 


É impossível saber se os leitores que postam comentários na página do Observatório podem ser considerados representativos ou não da blogosfera brasileira. Não há pesquisas sobre isto. O que se pode ver é que também noutros sites, como o Comunique-se e o Blog do Noblat, uma boa parcela de leitores não está comprando, incondicionalmente, a versão dos jornais, e nem está apoiando o bispo Macedo.


 


Isto mostra que um segmento do público leitor brasileiro começa a dar sinais de maturidade para experimentar fórmulas colaborativas de produção de informações, uma das grandes inovações introduzidas pela Web.


 


Este caso da polêmica entre a IURD e três jornais brasileiros pode servir de aprendizado inicial para quem desejar testar a nova modalidade de produção de noticias. Claro que cada leitor tem sua posição. O problema não é ter opinião, e sim oferecer novos fatos, dados e notícias sobre situações que conhecemos pouco, para que este material possa ser transformado em informação por meio da interação entre os protagonistas.


 


Os leitores já devem ter visto que a fase do bate-boca cansa rapidamente e geralmente cria mais dissidências do que comunidades. Por que então não experimentar deixar de lado a paixão e preocupar-se com a realidade, porque é o conhecimento dela que nos está faltando há muito tempo? A Web nos dá esta possibilidade de produzir informação.


 


 

Todos os comentários

  1. Comentou em 24/02/2008 Apolonio Silva

    Onde se l6e ‘não sem surpresa’ leia-se ‘Não surpreso’…

  2. Comentou em 24/02/2008 Apolonio Silva

    Castilho, penso que um jornalista deve escrever notícias e um jurista balizar as leis segundo princípios caros às sociedade. Um minstro do STF acaba de ‘anular’ 20 artigos da Lei da Imprensa – ele é juiz, não jornalista e muito menos comentarista. Você ignora ou pretende ignorar que essa lei é dos resquícios mais terríveis dos tempos da ditadura contra a imprensa, uma verdadeira espada da Dâmocles sobre a cabeca do jornalismo. É notável, que esse descuido esteja presente num observatório que deveria ter para com a liberdade de expressão os maiores cuidados possíveis. É notável. Quanto a representatividade desse blog, é fácil verificar: não há. Se você andar por Josias de Souzas, Noblats, Hippolitos, ou então em Nassifs ou outros (que permitem comentários – PHA desativou), vai ver que há um certo atavismo, com as tribos buscando se reunir em locais mais salubres para a própria ‘inteligência’. Quanto à cruzada de Nassif, aquilo é uma espécie de exército de Brancaleone, nos quais as vezes dos soldados são realizadas por jornalistas ‘desempregados’, ou saudosos de dias mais vistosos em mídias mais iluminadas…tudo isso – e ESTE é o perigo – turbinado por gente contrária à liberdade de expressão, cultuadores de ditaduras de esquerda. Não sem surpresa, você poderá verificar protestos desse ‘corner’contra o que fez o ministro do STF, a questionar sempre a liberdade de expressão.

  3. Comentou em 23/02/2008 Cid Elias

    Vanvan, pra mim o garimpo valeu a pena! Lestes com atenção? A derradeira frase é TUDO! Ele se declara participante do golpe, citando até um dos colegas de trincheira. Pois não é que o citado foi o pára-jornalista da revista golpista que o thomaz defende com unhas, penas, tartufices e bicos, o mentiroso mainardi?! Como é que fica a moral dum cabra destes? O devoto do pinochet revela ser, neste texto que pra mim configura um crime contra o Estado Democrático, exatamente o tipo que eu desconfiei que fosse desde seu primeiro pseudo-comentário no OI. Se bem que, em certos trechos ele superou minha expectativa, pois mesmo tendo lido o golpista assumido cultuar fervorosamente o general assassino capacho dos terroristas americanos, não pensei que sua mente fascista pudesse chegar nisso ‘Falta-nos apenas um comando. Um general bigodudo e truculento.’ E então, thomaz- o adepto da truculência e do golpismo – ‘o golpe dará certo’ mesmo? O sr se considera 1-um golpista 2-um fascista 3-um democrata – Vou pedir ajuda aos universitários apolono, beatrolice, luposte campi, asnovel, mix uéu, justo azevedo e demais programados: qual a opção certa? ***E ALGUNS ACHAM QUE NÃO É IMPORTANTE SABER COM QUEM ESTAMOS DEBATENDO…AINDA MAIS QUANDO O TEMA É UM MEIO DE COMUNICAÇÃO CUJAS MENTIRAS SÃO ASSIMILADAS E DEFENDIDAS POR MILHÕES DE thomazes

  4. Comentou em 22/02/2008 Ivan Moraes

    Voce teve paciencia pra ler, Cid!!! Eu jamais teria porque achei o blog ruimente escrito e eu so leio blogs de maisoumenosmente pra cima!

  5. Comentou em 22/02/2008 Cid Elias

    Gosto de saber com quem estou debatendo. Aparecem comentaristas do nada, se achando os mais ‘onestos, iZentos e iNparciais’ do universo, e descem a lenha em tudo e todos que não rezam pela sua cartilha GOLPISTA. Por este motivo, revelo trechos dum pseudo-artigo expelido por um destes vestais da ética, que é o exemplo perfeito do comentarista ‘denorex’, parece, mas não é! Vejamos a que ponto do descaramento, conseguiu chegar o jornalista(?) thomaz magalhães:
    ‘Quero que Lula perca. Mas perder ou ganhar é igual. Se ele perder, tem de ser cassado. Se ele ganhar, tem de ser cassado. O comando da campanha eleitoral de Lula foi pego com dinheiro sujo. Quem é pego com dinheiro sujo deve ser punido. Os lulistas sabem que o Tribunal Superior Eleitoral acabará pedindo a cassação do mandato de Lula……O golpista Mainardi se entrincheira com seus leitores. Do outro lado da barricada, o lulismo. Falta-nos apenas um comando. Um general bigodudo e truculento. O segundo mandato de Lula será melhor do que o primeiro. Pelo menos para nós, golpistas. Um fato nós já sabemos com certeza: está rolando um bocado de dinheiro sujo na campanha eleitoral. Aquele mesmo dinheiro sujo que seria usado para comprar o depoimento fraudulento dos Vedoin. Procurando um pouquinho, no segundo mandato poderemos encalacrar um petista por semana.’ -PRESTEM ATENÇÃO NISTO QUE O thomaz DIZ AGORA- ‘O golpe dará certo.’

  6. Comentou em 22/02/2008 Cid Elias

    Booaaa, Rogério! Um detalhe, o max suel é lenda! Digamos que ele possa ser um mix de gasparzinho com Hidra de Lerna, ou um clone de sei lá quem…rei nossacaixa2, óia só tua casa, caindo a cada minuto que passa. E tu ainda vem dar uma de moralista?
    ‘O caso Eliana Simonetti – Por LARISSA FORTES
    Prezado Nassif, sou advogada de Eliana Simonetti, ex-editora de VEJA, mencionada no Post acima (primeiro capítulo da série).
    Informo que, por força da r. sentença do MM. Juízo da 4ª Vara Cível do Foro Regional de Pinheiros, proferida nos autos do processo n. 011.02.008830-3, a editora Abril foi condenada a pagar à jornalista, a titulo de danos morais e patrimoniais, a importância equivalente a 20 (vinte) vezes o último salários percebido por esta na empresa ré.

    Isso porque não houve qualquer comprovação pela Editora Abril de que Eliana tivesse ‘comportamento impróprio’, tampouco houve alguma prova de que a jornalista tivesse favorecido interesses de Alexandre Paes dos Santos.

    A íntegra da decisão pode ser conseguida nos próprios autos e foi publicada também no Consultor Jurídico (clique aqui).

    O processo pende de decisão em conflito de competência instaurado entre TRT e TJ para que possa ser julgado em segunda instância.’

  7. Comentou em 22/02/2008 Rogério Ferraz Alencar

    ‘Ao leitor Pedro Meira: o Sr. é uma exceção excepcional neste espaço, que é largamente dominado pelos Escravos Ideológicos, todos Frutos do mesmo POMAR.’ Realmente, Pedro Meira é uma exceção excepcional: ele concorda com Max Suel. Não sei se Pedro Meira concordou só com o 1º comentário de Max Suel ou se concorda também com o segundo, onde Max Suel diz que “aqui não se contesta o fato, apenas se execra aquele que mostrou o fato”. Pedro Meira há de concordar que ninguém pode contestar um fato, pois que se trata de um fato. O que aqui se contesta em Max Suel – ou, pelo menos, eu contesto – é ele querer que seja fato tudo o que ele diz. Por exemplo: ele diz que é fato que o dinheiro “desviado” em Minas por Eduardo Azeredo foi, em sua maior parte, para o PT. Mesmo no comentário em que há concordância de Pedro Meira, Max Suel diz que o processo da IURD contra jornais e jornalistas não tem nenhum fundamento. Isso é fato? Max Suel não se conforma com a “cegueira” dos jovens que seguem os “falsos líderes” da cúpula petista. Para Max Suel, só é lúcido quem segue os legítimos líderes demo-tucanos. Perdão. Só é lúcido quem é independente e apartidário, como ele. E, lógico, quem é apartidário e independente jamais critica demos-tucanos, e sempre desce a lenha em petistas.

  8. Comentou em 22/02/2008 Kleber Carvalho

    ‘Captei, captei a vossa mensagem amado mestre’, esta frase muito usada em um programa humorístico de uma emissora de TV, vai se encaixando aos poucos nas ironias veiculadas por Ivan, Cid, Carlos , dentre outros, a ficha caiu rapidinho e o esbulho tenta desesperadamente uma saída honrosa para a farsa montada a algum tempo. A choldra( by Elio Gaspari) se mantém firme, mesmo depois de ser desmascarada, é muito cinismo e muita cara de pau desta dupla, (Diguito e Azedito) a casa caiu faz tempo, quando é que vocês vão dar a cara para bater???????

  9. Comentou em 22/02/2008 Paulo Ribeiro

    Carlos, segue abaixo uma Palavra para os Homens de Fé. Que Deus ilumine a todos e leve-nos à conquista de nossos objetivos. Viva o Movimento Sem Mídia! Em Nome do Senhor! Vida Longa ao Pastor Edir Macedo que engradece o Brasil com seu Testemunho de Fé!
    Os dízimos e as ofertas são tão sagrados e tão santos quanto a Palavra de Deus. Os dízimos significam fidelidade, e as ofertas, o amor do servo para com o Senhor. Não se pode dissociar os dízimos e as ofertas, o amor do servo para com o Senhor Jesus, uma vez que eles significam, na verdade, o sangue daqueles que foram salvos em favor daqueles que precisam ser salvos.
    O PIG está ligado ao Demônio!
    Jesus, Jesus, Jesus, graças ao Senhor
    Amén

  10. Comentou em 22/02/2008 Dulce Leão

    Olá Carlos.
    Peço desculpas por colocar aquí no seu espaço, uma crítica que não consegui colocar no site da REDE BAND, porque não divulgam e-mail.
    Acabei colocando no FORUM BANDNEWS, mas acho que deveria ir direto para o BOECHAT.

    Acho de extrema GROSSEIRIA, no horário nobre do JORNAL DA BAND, onde RICARDO BOECHAT É EDITOR CHEFE, o jornalista FÁBIO PANUZZIO entrar direto de Brasília enpregando VOCABULÁRIO CHULO. Este rapaz ENDOIDOU, ou está ESTAFADO? Foi grosseiria, falta de educação, a utilização de verbete CHULO (palavrão), como classifica o dicionário AURÉLIO. Espero realmente, que o VOCABULÁRIO DO JORNAL DA BAND, NÃO VENHA A TORNAR-SE SIMILAR AO QUE É VISTO NO FAUSTÃO. Para quem vive de audiência, ISTO NÃO FAZ BEM A SAÚDE. Se BOECHAT pretende manter-me como cliente do JORNAL DA BAND, e por amostragem, se eu percebí e reclamo milhares devem ter reclamado também, QUE MANDE O PANUZZIO FAZER CURSO DE BOAS MANEIRAS, E SEGURE SEU DESTEMPERO VERBAL. Peço desculpas, mas abaixo segue o PALAVRÃO DO PANUZZIO, conforme define AURÉLIO. @Esculhambar. [De colhão.] V. t. d. Bras. Chulo. 1. Desmoralizar, avacalhar, esculachar. 2. Criticar ou repreender com violência; descompor, esculachar. 3. Criticar com mordacidade; zombar, escarnecer, ridi¬cularizar, esculachar. 4. Estragar, danificar, deteriorar: Em poucos minutos o pequeno esculhambou o carrinho.

  11. Comentou em 21/02/2008 ailton filho

    muita gente preocupada com o pitaco (vá lá…) dos mais novos ultimamente.
    impressionante como idéias não tão ortodoxas atrapalham quem também acredita que não
    necessita do exercício mental…

  12. Comentou em 21/02/2008 cid elias

    Vanvan, claro que vi! Tá bem aí, na ativa, hoje dejetando através doutro g00db0y, a farsa cuja alcunha é justo j – prof. apos., pode apostar!

  13. Comentou em 21/02/2008 Ivan Moraes

    (perdao, a sentenca ficou cortada: razao pela qual eu nao os tolero.)

  14. Comentou em 21/02/2008 Ivan Moraes

    ‘já revelava um grande apego à prática de afirmar inverdades’: e varias coisas que ele afirma categoricamente sao exatamente o contrario das que eu afirmo, igualmente categoricamente. Voce viu o RA de novo por ai, Sid, ou foi o Diogo? Eh que eu tinha que perguntar uma coisinha a respeito de cavalinhos…(:-)

  15. Comentou em 21/02/2008 Ivan Moraes

    Mas Todo Mundo Do Planeta Ja Sabe porque eu nao estou comentando a respeito do artigo em si, Carlos: porque a invasao dos evangelicos ao Brasil foi plano geopolitico foi colocado em acao no comeco dos anos 80 por Reagan. Ate entao eles eram gente boa, seria… depois viraram, todos eles, testemunhas de Jeovah. Discriminam abertamente, falam em excesso, tentam converver –especialmente espiritas que nao calam a boca,razao pela qual . A coisa radicalizou se tanto que eh impossivel explicar para os evangelicos norte americanos o estrago que os evangelicos fizeram no Brasil, MESMO que tenham mil e uma qualidades excelentes (e zero racismo que eu saiba), como a ultima sentenca do Stanley, abaixo, deixa claro. ‘O’ programa Pinga Fogo mais assistido de todos eles, com Chico Xavier (no youtube e diversos sites), no comeco dos anos 70, mostrava claramente que existiam zero conflitos entre eles e espiritas e catolicos. Era so outra religiao… Olhe hoje aonde estao… nao duvido por um minuto que eles interferiram com o (ate onde sei) excelente jornalismo da Record. Eu nao consigo ser racional a respeito deles, e nao conseguiria continuar. Repetindo o que sempre disse: invasao estrangeira ordenada por Reagan para fins geopoliticos, mais especificamente, para votarem na direita independente do quao rabida ela se torne.

  16. Comentou em 21/02/2008 cid elias

    Parabéns ao físico teócrito abritta! Pela coêrencia, apenas. Observem que nesta carta escrita em 18/06/07, ele já revelava um grande apego à prática de afirmar inverdades:’..No segundo mandato Lula passou a comportar-se e a falar como um representante do que tem de pior neste país. Declarou que os índios e quilombolas eram um empecilho ao crescimento econômico; depois investiu contra os sexagenários, afirmando que as pessoas com mais de 60 anos que permanecem de esquerda têm problemas. seguir, como se voltássemos ao passado nazista, numa prática anticientífica, os estudantes passaram a ser classificados por raças, e a ministra Matilde Ribeiro, da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, veio com aquela história de que os negros não deveriam gostar dos brancos, já que estes os açoitaram a vida inteira. Para coroar todas demonstrações de preconceitos explícitos, Lula agora vem com aquela conversa furada de que seu irmão Vavá é um limitado e, portanto, deve ser perdoado por qualquer falcatrua…Mas o grande preconceito de Lula é contra os pobres, que deveriam existir apenas para vomitar seus votos nas urnas eleitorais. Este preconceito fica evidente aqui no Rio, quando assistimos ao grande sofrimento da população de Vila…que, após…tiroteios…mortos, continua sem os mínimos direitos humanos: sem escola, sem creche…cidadãos perdendo seus empregos…’

  17. Comentou em 21/02/2008 Justo J.

    O que me chamou a atenção nesse episódio foi a postura do jornalista Paulo Henrique
    Amorim, funconário do Bispo Macedo, que não titubiou em defender o ataque do seu
    patrão aos veículos de imprensa. Esse senhor, que há muito perdeu seu brilho, desta
    vez cuspiu na profissão que diz seguir. Lamentável.

  18. Comentou em 21/02/2008 Teócrito Abritta

    A questão é mais ideológica, já que o atual governo deu uma guinada para a direita, com Mangabeira Unger,e o Vice Presidente José Alencar que são do PRB partido da Igreja Universal do Bispo Macedo. Uma das estratégias eleitorais deste governo é o uso eleitoral da religiosidade popular, o que é feito com maestria por esta organização. Eu achio ao contrário do articulista, que a liberdade de imprensa está ameaçada assim como a Democracia com a mistificação religiosa, tendo o Presidente Lula defendida esta pseudo religião!

  19. Comentou em 21/02/2008 Ricardo Ricardo

    Castilho, todos nós sabemos que os interesses de Edir Macedo passam muito ao largo da promoção de uma ligação entre os fiéis da Universal e Deus. Entretanto, tenha razão ou não no que foi escrito nessas reportagens, o que a Folha (e o Estadao, a Veja, e a Globo…) teme de verdade é o crescimento de um grupo de comunicação aberto a uma orientação política divergente da sua própria. Com menos poder de influência, diminui também a arrecadação. A questão é de fato econômica; todo o resto é fumaça.

  20. Comentou em 21/02/2008 Fabiano Mendes

    Muito simplista segundo o articulista, a solução do embate entre a Igreja Universal e certos órgãos irresponsáveis da mídia.
    Claro que foi orquestrada a calunia divulgada como sendo fato por esses órgãos em estados diferentes.
    Claro que existe interesses por trás, mas mais da parte dessa mídia, já que a população brasileira, Graças a Deus está saindo da inércia e usando mais o controle remoto.
    Grupos donos de comunicações acusam, caluniam perseguem e depois posam de vítimas.
    Saem com a desculpa esfarrapada de sempre que a liberdade de imprensa está em jogo.
    O povo brasileiro precisa sair desse marasmo e ajuizar ações sempre que se achar lesada, prejudicada.
    Eu por exemplo, se tivesse alguém na família que tivesse sofrido conseqüências devido a irresponsabilidade daquela senhora que se autodenomina jornalista e que é casada com um senhor cuja a agência faz a publicidade dos tucanos, entraria com uma ação contra ela.
    Chega de achar que a população é burra.

  21. Comentou em 21/02/2008 Euclides Rodrigues de Moraes

    Sr. Castilho, Por que a imprensa não publicou até agora, pelo menos não vi nenhum comentário, sobre a nota da IURD? Quem desejar tomar conhecimento o endereço é o seguinte: http://www.vermelho.org.br/base.asp?texto=32702

  22. Comentou em 21/02/2008 Stanley Burburinho

    As matérias contra a IURD, seus fiéis e proprietários, que saíram no O Globo, Folha de São Paulo, Extra e o outro jornal da Bahia que.

    Acho muita coincidência essas matérias serem publicadas exatamente no momento em que toda a grade da TV Globo estar despencando no IBOPE e a Record que é da IURD estar ganhando da Globo em alguns horários em alguns dias da semana.

    Não tenho religião. Sou agnóstico.

    Não concordo com o tal bispo e seus métodos.

    Conheço uma outra igreja que é tão rica que até possui um país na Europa e que já matou milhões no passado e que sempre fez e ainda faz a mesma coisa que a IURD faz e ninguém diz nada.

    A escolas de samba do Rio de Janeiro (acredito que o mesmo ocorra em outros estados) têm encontrado dificuldades para compor suas alas de baianas porque quase todas as senhoras das comunidades que as escolas representam se converteram ou para a IURD, ou para a Batista, ou para a Assembléia de Deus, todas igrejas que têm, no mínimo, uma sede em cada favela do Rio.

    Das 764 favelas do Rio, somente uma, a favela da Rocinha, tem uma igreja católica que, mesmo assim, é anterior ao surgimento da Rocinha.

    Quantas igrejas católicas os comentaristas deste blog já viram em favelas no Brasil?

  23. Comentou em 21/02/2008 Ivan Moraes

    Dado o slowdown do servidor, alguem quer apostar que as ultimas 4 colunas do Castilho bateram recordes de hits e estao entre as mais lidas do OI de todos os tempos? Isso eh o que a media nao quer saber.

  24. Comentou em 21/02/2008 José Orair Silva

    ‘Imagine-se que uma poderosa organização (um Banco de 1ª linha por ex.) resolva entrar com 10 (só 10) ações contra o Jornalista Carlos Castilho, alegando que este fez isto ou aquilo (sem nenhum fundamento) apenas para causar dano ao jornalista’. O jornalista Luis Nassif está alegando exatamente isso. Seriam cinco ou seis ações em nome da Veja e de seus empregados, porém patrocinados pelo Departamento Jurídico da Editora. Acho que a revista tem todo o direito de entrar na justiça contra o jornalista, porém não deveria incentivar práticas dessa natureza (múltiplas ações) que vem sendo sistematicamente condenadas quando os jornais, sempre muito eficientes e afoitos quando portam os estilingues, não se sentem muito confortáveis no papel de vidraças… De qualquer forma, nesse imbróglio envolvendo a Igreja Universal e os Jornais, colocando, em tese, em rota de colisão dois conceitos fundamentais para a a democracia, ou seja, as liberdades religiosa e de imprensa, será muito ineressante e instrutivo observar o comportamento do Judiciário.

  25. Comentou em 21/02/2008 Fabiana Tambellini

    Concordo com o articulista, não existe ameaça a liberdade de imprensa e nem a liberdade religiosa. O centro dessa polêmica são ‘business’. As ações dos ‘fiéis’ da IURD são orquestradas e desmontar essa estratégia é função da justiça. Nassif levantou uma série de fatos sobre VEJA e também é objeto de ações orquestradas por parte da Abril e jornalistas citados. O forum para resolução desses conflitos é a justiça e não tem nada a ver com atentado a liberdades.

  26. Comentou em 21/02/2008 Max Suel

    ….Mais um Bispo …. pelo menos este parece que é verdadeiro …. Ao leitor Pedro Meira: o Sr. é uma exceção excepcional neste espaço, que é largamente dominado pelos Escravos Ideológicos, todos Frutos do mesmo POMAR. Aqui, ao se criticar o governo federal, o chamado governo lulo-petista, a pessoa é imediatamente classificada como demo-tucano, amiga do PIG, e outras sandices. Aqui não se contesta o fato, apenas se execra aquele que mostrou o fato. É um canto onde existem alguns (poucos) comentaristas que pensam com a cabeça, e não com o fígado (ou com o pé). Aqui a Imprensa é sempre ‘vendida’, Aqui a chamada por eles ‘elite branca, racista e preconceituosa’ está sempre por trás de qualquer denúncia de crimes e desmandos federais. É um lugar um tanto escuro, onde ficamos com um sabor meio amargo na boca, ao vermos até onde vai a cegueira de muitos jovens, que seguem falsos líderes, como aqueles que compõe a cúpula do PT.

  27. Comentou em 21/02/2008 Apolonio Silva

    Eis aí uma questão polêmica. De qualquer forma o nosso sistema tributário com suas exceções, um dia ia trombar nisso mesmo. Sou absolutamente leigo no assunto. Leigo confesso. Mas considero que se igrejas – sejam elas quais forem – gozam de isenção de impostos, precisam ser fiscalizadas. Há um enorme potencial para lavagem de dinheiro em igrejas – isto é ponto pacífico. Creio que a saída deveria ser que qualquer recurso financeiro oeprado por igrejas fosse considerado dinheiro público e portanto sujeito à lei 8666. Do contrário teremos sempre a Universal comprando os horários da Record por 5 – 6 vezes o custo do horário, num claro abuso da prerrogativa de isenção fiscal. Quem paga o que ele paga, quem gasta o que ela gasta, precisa de isenção para quê?

  28. Comentou em 21/02/2008 Ivan Moraes

    ‘A mídia arrancou seu próprio véu ao querer a todo custo dar o golpe no Lula’: ainda nao. Aqui, Lula nao esta envolvido: a media NAO pode falar a respeito do caso para nao estar aberta ao desfecho **juridico**… ele ja esta decidido. Mesma coisa no caso do Amapa –ja pensou se a media se abrisse aa acusacao de estar ‘contra’ Sarney? Ou agora, ‘contra’ a Veja, a mesma media que repercutiu um milhao de reportagens falsas da Veja? Sabe o que aconteceria? Falando nisso, eh quinta feira, alguem ja sabe quem esta preparando o que e que tipo de escandalo para o fim de semana?

  29. Comentou em 21/02/2008 Alexandre Carlos Aguiar

    O Sr. Souza aí abaixo tocou num ponto importante: há por trás disto tudo uma lógica de corporação. A IURD (com ou sem razão, com ou sem estratégia elaborada) está atacando um grupo, o dos jornalistas e estes não se permitem serem atacados, porque se admitem detentores da tocha da liberdade de expressão e podem dizer tudo e escrever o que bem entendem. Nassif, embora seja jornalista, está atacando a corporação no atacado. Ainda que alguns ‘do grupo’ o apoiem, a grande maioria não se indisporia a, quem sabe, um futuro emprego. Sou ateu e estou pouco me lixando para a IURD. Queria-os falidos e presos, se possível, não por supostos roubos, mas por enganarem a população. E, por formação democrática, defendo a todo custo a liberdade de expressão, mas nas relações entre os povos democráticos há regras para administrar, inclusive, conflitos. E quando tais regras são quebradas temos que arcar com as conseqüências. Como se diz em minha cidade: jogo é jogado e lambari é pescado! Isto aqui não é BBB, mas que a gente está louco por uma espiadinha, ah, como estamos!

  30. Comentou em 21/02/2008 Jose de Almeida Bispo

    Habemus Castilho!! O debate é enriquecedor. Mesmo que hajam monocordismo como o do Sr Max Wel que parece não ter entendido nada do artigo já que não o contesta, todavia, seu comentário parece maior que a do advogado da Folha. Mas é um direito dele, tudo bem. Quanto aos reais interesses abordados no artigo, meu caro Castilho, em verdade, qualquer um minimamente informado já sabe que por trás de toda briga tem por fundo o dinheiro. Desde seu início, o que norteou o entendimento popular sobre as evangélicas barulhentas como a do bispo; o que significa no imaginário popular não engajado essas igrejas? Do lado da mídia, essa se manteve por muito tempo como a vestal da sociedade até que se decobrisse que a rainha estava mais que pelada. Cá no andar de baixo (expressão acho que do Gaspari), pra ‘nóis’, é ladrão contra ladrão. Quem ganhar, terá cem anos de perdão. A mídia arrancou seu próprio véu ao querer a todo custo dar o golpe no Lula. Agora, a maioria lhe vê como uma cínica prostituta a enganar a todos.

  31. Comentou em 21/02/2008 Pedro Meira

    concordo com o comentário de Max Suel.

  32. Comentou em 21/02/2008 AtusTurquete Souza

    Parece não haver lugar mais para ‘MocinhoXBandido’, já somos maduros para entender que cada um defende seu próprios interesses, é o que temos visto e repercutido na polêmica ‘NassifXVeja’, que embora parecem situações distintas, tem suas semelhanças, mas no caso da polêmica em questão neste tópico, não se trata de ‘UniversalXImprensa’ como propõe o autor, mas de uma batalha de interesses de segmentos que detém o controle de grandes mídias tentando demarcar território.

    Essa guerra não tem princípios, não tem ética em nenhum dos lados, pois cada um usa das armas que lhes vier às mãos. Me surpreende é o CÔRO da imprensa na polêmica da Universal, e o silêncio da nesna na polêmica da Veja!!!!!

  33. Comentou em 21/02/2008 Max Suel

    Eu penso que , sim, existe uma ameaça enorme à liberdade de imprensa e à liberdade de uma forma geral nestas ações (nos dois sentidos) orquestradas pelos seguidores do ‘bispo’ Macedo contra os jornais e jornalistas. O que preocupa é o ‘modus operandi’ : entrar com mais de 50 ações (com mesmo teor) em mais de 50 municípios esparramados pelo Brasil afora, com o intuito único de causar dano. Imagine-se que uma poderosa organização (um Banco de 1ª linha por ex.) resolva entrar com 10 (só 10) ações contra o Jornalista Carlos Castilho, alegando que este fez isto ou aquilo (sem nenhum fundamento) apenas para causar dano ao jornalista. Como fica a defesa do acusado? ele tem que se dirigir aos 10 locais (inclusive advogados), em pontos distantes do Brasil, talvez em datas coincidentes. O que resulta: prejuízo certo para o jornalista, em ações que ganharia facilmente, mas que poderá perdê-las por falta de defesa. É o que a IURD fez, através de seus fiéis. Este episódio é didático para que a Justiça Brasileira fique atenta e corrija estas possíveis distorções, de litigantes de má fé.

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem