Pior é o governo controlando a mídia | Observatório da Imprensa - Você nunca mais vai ler jornal do mesmo jeito
Segunda-feira, 20 de Agosto de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1000
Menu

CÓDIGO ABERTO > Desativado

Pior é o governo controlando a mídia

Por Luiz Weis em 28/07/2006 | comentários

Da coluna de Paul Krugman, no New York Times de hoje:

Há poucos dias, uma pesquisa revelou que 50% dos americanos acreditam que o Iraque tinha armas de destruição em massa quando o invadimos, ante 36% em fevereiro de 2005. Ao mesmo tempo, 64% ainda acreditam que Saddam tinha vínculos estreitos com a Al Qaeda.

Aliados do governo na mídia espalham desinformação. É difícil imaginar como o mundo parece para o grande número de americanos que se informam vendo a Fox ou ouvindo Ross Limbaugh.

O clima de intimidação da mída que predominou durante vários anos desde o 11/9, que tornou a imprensa muito cautelosa na divulgação de fatos desfavoráveis ao governo, diminuiu. Mas não se foi de todo. Apenas há poucos meses, importantes organizações noticiosas foram duramente atacadas pela direita por seu suposta omissão de relatar as “boas notícias” do Iraque – e tenho a impressão de que isso produziu uma temporária suavização da cobertura, até que a extensão da carnificina se tornou inegável.

Qualquer que seja a razão, o fatro é que o governo Bush continua sendo notavelmene bem sucedido em reescrever a história. Por exemplo, ele sugeriu repetidas vezes que os Estados Unidos tiveram de invadir o Iraque porque Saddam não deixava entrar os inspetores da ONU. Sua mais recente manifestação do gênero data de algumas semanas. E ficou por isso mesmo. Não vi em nenhum importante órgão de imprensa qualquer referência ao fato de que de forma alguma as coisas se passaram assim.

Quando [o escritor] George Orwell escreveu sobre “um mundo de pesadelo em que o Líder, ou alguma clique dominante, controla não apenas o futuro, mas o passado”, ele pensava em estados totalitários. Quem imaginaria que seria tão fácil reescrever a história numa nação democrática com uma imprensa livre?”

Se não houver outra escolha, antes viver num país onde a imprensa se sente à vontade para falar mal do governo, mesmo sem razão.

***

Os comentários serão selecionados para publicação. Serão desconsideradas as mensagens ofensivas, anônimas, que contenham termos de baixo calão, incitem à violência e aquelas cujos autores não possam ser contatados por terem fornecido e-mails falsos.

Todos os comentários

  1. Comentou em 01/08/2006 Marcus Padilha

    O povo americano tem um reflexo condicionada à frase ‘ameaça à segurança nacional’. Ao ouvir tal frase, as consciências se anulam e o povo passa a exibir comportamento de manada indo, cegamente, atrás do líder.
    Ora, ‘Jorge’ Bush tem problemas de popularidade por ter ganho uma eleição ‘prá lá’ de nebulosa? Use a frase e tudo fica bem.
    O mesmo comportamento se reflete na mídia que, contra ou a favor, também age de forma irracional ao ser confrotada com a tal frase.
    Aqui em terra brasilis, ocorre o mesmo. Negar o mensalão (como o governo) ou dizer que o mesmo existiu (da forma como prega a oposição) é exibir o mesmo comportamento de manada. Jogar os sanguessugas no colo do lulla ou no colo do FHC tb é comportamento de manada. São dois pais para o mesmo filho: Um gerou e outro estava criando!
    Pensem irmão, pensem.

  2. Comentou em 31/07/2006 Ricardo Oliveira

    De ‘1984’ de George Orwell até ‘Macunaina’ de Mário Andrade Temos bem menos que um passo. Excelente abordagem e fechamento. Pelo menos, na ´Terra´ em que o ´Grande Irmão´ parece ser um nanico, estamos mais protegidos. Duro é conviver com as novelas e ‘Cobras & Largatos’ faz parte da mensagem pré-eleitoral. Sérgio Porto não daria conta de sair de sua máquina de ´descrever´ se tivesse que contar o que lesse, o que visse e o que ouvisse nestes tempos de fartura de besteiras que andam alegres e prosas pelas ruas e meios de comunicação em geral. Parabéns e continuo na seleção de textos à posteridade para que acreditem que nem todos piraram no Brasil.

  3. Comentou em 30/07/2006 Claudia Rodrigues

    Essa questão de dominação da mídia e tenho a impressão que, pela superficialidade, artigos como este do NYT servem mais para confundir que para explicar. Há diversas versões possíveis para essa questão das armas no Iraque, e todas parecem bastante razoáveis, embora eu já esteja me convencendo da maior razoabilidade dos argumentos oferecidos pela própria Casa Branca (logo eu que, assim que ocorreu o atentado de 11 de Setembro não hesitei em criticar a postura de George W. Bush). Impossível saber quem nos manipula mais, mas, colhendo informações aqui e acolá, não tenho mais a convicção antiga de que os EUA são os maiores manipuladores em toda essa história. Aliás, fazendo uma analogia com o que ocorre hj no Brasil, estou cansada de ver jornalistas simpatizantes do PT se queixando da suposta ‘manipulação’ da mídia. E sabendo que a mídia está abarrotada de pessoas que pensam justamente como eles e é constituída majoritariamente por pessoas que se vincularam a esse partido, chego à inevitável conclusão de que, se houver manipulação da mídia, sem sombra de dúvidas o PT é o maior beneficiário disso.Aliás,a Veja, que hoje é o único veículo que critica durante este governo, tb criticou outros governos.Já os inúmeros panfletos que fazem pura e simplesmente propaganda pro PT não atuam jornalisticamente fiscalizando todos, mas apenas fazendo propaganda pro PT e sempre foi assim.Portanto…

  4. Comentou em 29/07/2006 Eduardo Guimarães

    Weis, la no meu blog alguém postou um comentário sobre o blog do Noblat e resolvi escrever a você e a ele, pois o tal comentário é justamente sobre o tema desta sua nota e sobre a prática do Noblat de também censurar aqueles que lhe despertam as idiossincrasias pretensamente punitivas. Veja que a censura, o desejo de controlar informações e opiniões das quais não gostamos, é uma tendência humana. A mídia e o Estado têm esse poder. O censor sempre acha que tem boas razões para censurar. O Noblat envia mensagens àqueles que bloqueia dizendo que não existem. Esse é um dos dramas do homem, o desejo de que o mundo se molde aos seus desejos. Mas a internet está mudando isso. A imprensa me colocou em sua lista negra, eu criei um blog e hoje atinjo muito mais gente do que no tempo em que tinha espaço nos jornais, e ainda posso dizer muito mais. Assim, a censura, a cada dia que passa, vai se tornando impossível. Por isso exercito minha paciência com os comentaristas de meu blog. Quem escreve sobre temas polêmicos precisa aprender a resistir às críticas mais duras também. Cada vez mais críticas se tornarão inevitáveis para os que produzimos idéias. Cedo ou tarde você descobrirá isso, que não há justificativas para a censura. E se for praticada por birra, aí se torna patética. Há muitos blogs ainda para eu ser censurado. Mas no meu não haverá isso. Não contra quem tem argumentos.

  5. Comentou em 28/07/2006 Mário Davi Barbosa

    Parece-nos que o mundo imaginado por George Orweel, em 1984, não está muito longe da realidade. Cada vez mais o Estado controla os meios de comunicação e os modos de vida de seus cidadãos, é cada vez mais frequente nos depararmos com uma reedição, quase que diária, dos acontecimentos onde o que se disse ontem, já não pode se levar em conta, visto que o que é correto é o que apresenta agora, aliás, o passado a ninguém importa não é?
    Entregamos a nossa pouca liberdade em troca de uma suposta segurança jurídica, ou seja, leis mais severas, liberdades, direitos e garantias sendo descartados e o que ganhamos com isso é um um Estado que se insere a cada dia mais na vida privada de seus integrantes, onde não há limites para interferência do mesmo.
    Talvez eu esteja equivocado, porém o que me parece é que os cidadãos entregam muito fácil suas conquistas históricas, para manter, unicamente seu querido patrimônio. Enquanto isso… jogamos pelo ralo o pouco o que temos, quem sabe até o direito de pensar.

  6. Comentou em 28/07/2006 Eduardo Guimarães

    Weis, será que não podemos viver num país em que a mídia não seja calada pelo governo mas que também não cale ninguém ou tome partido dissimuladamente? Por que a censura midiática é melhor do que a governamental? Eu ainda prefiro ser calado pelos que têm representação popular. Ser calado por gente que não representa ninguém me parece pior.

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem