Quarta-feira, 22 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

CÓDIGO ABERTO > Desativado

Porque a imprensa ignora o laudo sobre a lista de Furnas?
Leia o que ele diz

Por Alceu Nader em 04/02/2006 | comentários

A chamada ‘lista de Furnas’, com ou sem a suspeita que é falsa, entrou na ordem do dia do noticiário. Desde a última terça-feira, várias reportagens tratam da relação de políticos que se abasteceu do suposto esquema da estatal elétrica comandado por seu ex-diretor, Dimas Toledo, para financiar campanhas eleitorais em 2002. São 154 nomes de políticos, a maioria deles do PFL e PSDB, além de partidos ligados ao anterior e atual governo, como PTB e PL, por exemplo, mas nenhum nome de parlamentar do PT. Essa ausência é um dos indícios de falsidade que o noticiário vem martelando desde então.


Mesmo sendo tão grosseiramente falsa, como disseram e repetiram o governador e de São Paulo, Geraldo Alckmin, e o prefeito de São Paulo, José Serra – ambos, segundo a lista , entre os maiores beneficiários do esquema beneficiários – a denúncia pegou e soma-se às dezenas de outras que enlameiam partidos e políticos desde maio do ano passado. Pegou não por causa de seu conteúdo, mas por conta do acordo que gerou na CPMI dos Correios, com as decisões de postergar novas convocações incômodas tanto para o governo e a oposição. Importante frisar que o acordo brotou de muito bate-boca entre petistas, tucanos e pefelistas com ameaças mútuas de convocações de depoentes que inapelavelmente sujaria ainda mais a imagem das partes envolvidas. Em resumo, a lista falsa transformou-se em moeda de troca e, graças a ela, três nomes graúdos que orbitam em torno das CPI em curso foram poupados – até o momento – de enfrentar o constrangimento dos interrogatórios. Assim, foram adiadas as votações para decidir sobre a convocação do publicitário Duda Mendonça, do ex-diretor de Furnas e até do ex-dono do Banco Santos, Edemar Cid Ferreira, esse último amigo da família Sarney e seus liderados.


O acordo embrulha o estômago do cidadão comum. Ele comprova o desinteresse das instituições envolvidas em realizar uma faxina sincera e necessária na estrutura dos partidos e da classe política.


Mas outra impressão insiste, e pergunta: qual seria a força destruidora desse documento calunioso, engendrado com insidiosa intenção de caluniar parlamentares da oposição e tirar o PT e o governo Lula do alvo das investigações sobre corrupção?


No que diz respeito ao trabalho da mídia, uma lacuna cresce a cada dia de silêncio. Trata-se da omissão da existência de um laudo do Laboratório de Perícias, empresa do perito Ricardo Molina de Figueiredo, professor-doutor da Unicamp, que assina o documento datado de 28 de outubro de 2005. Molina é um velho conhecido dos jornalistas. Em seu currículo, consta desde a chacina de Vigário Geral, de 1995, até análise de gravação de dois casos que assolam o PT: o da gravação do ex-assessor do ex-deputado José Dirceu, Waldomiro Diniz, embolsando propina do bicheiro Carlinhos Cachoeira, encomendado pela revista Época, e o do assassinato do prefeito de Santo André, Celso Daniel, sob encomenda do Ministério Público de São Paulo, no ano passado. Vide abaixo a relação completa dos casos, conforme consta no site da empresa do perito.


Ocorre que, até hoje, os jornais repetem a análise de que o documento é falso, mas omitem o parecer assinado pelo perito. O laudo de Molina não é conclusivo, mas, por outro lado, colide com a opinião comum de que se trata de um trabalho grosseiro de falsificação, como acusaram Alckmin e Serra.


Para colaborar com editores e repórteres que queiram apresentar para os seus leitores a existência de um laudo mais autorizado do que as reações dos acusados ou conclusões dos jornalistas leigos em perícia, o Contrapauta reproduz abaixo o texto do laudo sobre a ‘lista de Furnas’. Em seguida, o fac-simile de suas duas páginas:



I) MATERIAL QUESTIONADO


Ao perito foi apresentado o seguinte material:


– Um documento de cinco páginas com cópia reprográfica, com cabeçalho contendo os dizeres ‘Furnas Elétricas S.A. e logotipo correspondente. O referido documento está datado de 30 de novembro de 2002 e teria sido emitido no Rio de Janeiro. As quatro primeiras páginas contém (sic) uma rubrica, enquanto a última, sob a data e local, contém lançamento atribuído a Dimas Fabiano Toledo.


II) OBJETIVOS PERICIAIS


Ao perito foi solicitado que examinasse a autenticidade do documento, verificando se existe no mesmo algum indício de manipulação fraudulenta.


III) DISCUSSÃO


Cabe, antes de mais nada, observar que a análise de cópias reprográficas tem limitações naturais pois se baseia em uma imagem do documento e não do próprio documento. Enquanto a cópia é um modelo bidimensional, o original tem uma dimensão a mais, a profundidade. Esta dimensão adicional pode ser decisiva para a verificação de algumas pistas importantes.


Assim, considerações definitivas quanto à autenticidade dependem de um exame do original. As limitações, entretanto, não devem ser considerados impedimentos absolutos, visto que a viabilidade dos exames depende fortemente da qualidade da cópia e do documento periciado. Em muitos casos, por exemplo, com pequena margem de erro, verificar a autenticidade de uma assinatura, mesmo em uma cópia.


Outra importante consideração ao avaliar cópias é entender que indícios de falsidade em muitos casos permanecem na cópia e, quando detectados, podem levar à uma (sic) conclusão definitiva quanto à não autenticidade do documento. A recíproca, entretanto, não é verdadeira, ou seja, a ausência de indícios de falsidade na cópia não garante que a autenticidade do suposto original. É fácil entender essa assimetria. O fato é que, com os recursos digitais atualmente disponíveis, não é impossível montar documentos colocando, por exemplo, uma assinatura sobre uma área em branco da página. O sucesso ou insucesso deste tipo de manipulação depende fundamentalmente da habilidade de quem a realiza. É evidente que falsificações mais descuidadas terminarão por deixar marcas mesmo nas cópias reprográficas.


No caso em questão, é possível, dentro das ressalvas apontadas, afirmar que o documento questionado não apresenta indícios de manipulação fraudulenta. Existe alinhamento nos eixos vertical e horizontal, não há vestígios de inserções a posteriori¸ os espaçamentos são regulares etc. Uma verificação definitiva quanto à sua autenticidade, no entanto, dependeria da análise do documento original.


Campinas, 28 de outubro de 2005


fac-símile



Clique na imagem para vê-la ampliada





Clique na imagem para vê-la ampliada



 

Todos os comentários

  1. Comentou em 23/02/2006 Luiz Puton

    Pessoal! A mídia é deles e, portanto, eles comentam o que bem entenderem. Mas, se alguém pagar bem, eles divulgam qualquer coisa, diariamente, até a ‘Lista de Furnas’

  2. Comentou em 08/02/2006 LUIZ RÊGO

    Até neste jornal, o Observatório da Imprensa, ela está escondida, imagina no restante! Nesse país de Thubal Chaim, somente Jesus Cristo dará jeito.

  3. Comentou em 07/02/2006 Iorgeon Heankel

    Ministro da CGU diz que FH se esquece das denúncias envolvendo seu governo Jailton de Carvalho – O Globo BRASÍLIA – O ministro-chefe da Controladoria Geral da União (CGU), Waldir Pires, reagiu nesta terça-feira às declarações do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso de que estaria espantado com o volume de recursos envolvidos nas denúncias de corrupção no atual governo. Segundo Waldir Pires, Fernando Henrique esqueceu de comparar as denúncias com a própria experiência de quando estava na Presidência da República. – O volume de recursos mencionados nos escândalos do período em que ele estava no governo eram centenas de vezes maiores do que os que estão sendo investigados no valerioduto. Só no caso do Banestado fala-se em R$ 30 bilhões – disse Waldir Pires. Isso é só uma fração, ouvi da própria boca de um procurador de Justiça da união na CPI dos correis que só de contratos de compra de material de informática durante a era FHC, foram 16 bilhões de prejuizos em contratos fraudulentos. Quando isso vir a público, os 55 milhões de caixa 2 do PT vão virar centavos.

  4. Comentou em 07/02/2006 rodrigo siqueira

    Roberto Jeferson na Carta Capital: (http://www.cartacapital.com.br/index.php?funcao=exibirMateria&id_materia=3947)

  5. Comentou em 06/02/2006 MARQUES HENRIQUE DE OLIVEIRA OLIVEIRA

    Assim como o menssalão foi objeto de CPI e investigações, também o caso Furnas deve ser objeto de investigação e apuração, dos fatos narrados de forma tímida pela imprensa. No caso do mensalão, houve uma verdadeira explosão na divulgação pela imprensa; já no caso Furnas percebe-se que alguns jornais, emissoras e revistas especializadas, tentam esquivar-se da obrigação de manter a população informada sobre tais acontecimentos e, de forma imparcial. Não estão atribuindo ao caso Furnas a mesma repercussão do mensalão. Percebe-se também que o ilustre Jornalista Alceu Nader, não foi parcial em seus comentários, demonstrando uma clara tendência em defender o PSDB.

  6. Comentou em 06/02/2006 RONALD BITTENCOURT

    Falam e controlar despesas de campanhas eleitorais. Que é desleal a despesas entre ricos e pobres em campanha. Mas e a mídia que já faz campanha para os Tucanos desde 2005 com as CPI´S. Quem vai controlar?? Totalmente tendeciosa. Quem vai controlar ??? OH ipocrisia.

  7. Comentou em 06/02/2006 David Alves da Silva Silva

    Em depoimento na PF, o ex-parlamentar confirma que recebeu os R$ 75.000,00 conf. consta na lista. Não há nada a contestar, aqueles que se sentirem injustiçados, basta provar no conselho de ética a sua inocência (abrir mão dos seus sigilos bancários e telefônicos).
    Fica muito feio para os políticos deixarem de apurar com as desculpas desfarrapadas de que tudo é uma farsa, jogando culpas em A e B, deixando a entender que as denuncias só vale para o adversário que tanto odeia.
    Se a palavra do Bob Jefferson vale como prova do mensalão, por que não vale como prova da lista de Furnas? durmam-se com um barulho desse. Não vão transformar as duas casas do povo, onde a maldade faz morada e detrimentos de rixas e vaidades pessoais.

    Se queres descobrir a verdade, basta convocar o tal Monteiro, que é o resposável pelo o aparecimento da lista. De acordo com informações de algumas midiacracias, ele esta doido para ser convocado, mas até hoje ninguém (Imprensa, governo e oposição) interesse por este embrólio. Trata-se de uma bomba de efeito retardado, onde todos sairão com sequelas cegos,banguelos,surdos e mudos.
    Porque das irratções dos caciques FHC, Serra, Alkimim e Virgílio.

  8. Comentou em 05/02/2006 Haertel Duarte

    Senhores, não vou aqui atacar ou defender o Sr. Chavez. Quero apenas citar o documentário feito, salvo engano, por uma equipe de jornalismo da Escócia, que em visita a Venezuela foi surpreendida pelo golpe de estado contra Hugo Chavez em 2002. No documentário é possível entender perfeitamente o funcionamento da imprensa nas ‘Repúblicas das Bananas’, como é o caso de toda a América do Sul, onde o grande império colocou pessoas a seu serviço financiadas para defender seus interesses. O documentário apresenta situações de grande tensão vividas pelos membros do governo eleito, quando da tentativa de deposição do presidente da república. Uma das cenas mais marcantes é a da ‘festa da vitória’, quando à noite a elite golpista comemora no palácio sua volta ao poder e na manhã seguinte após a mobilização da população local exigindo a volta de Chavez e cercando o palácio, essa mesma elite fugindo como ratos e ratazanas assustadas. O que vemos no Brasil de hoje é o mêdo ou melhor, o pavor dessa elite de não voltar mais ao poder por não ser mais capaz de manobrar a massa que agora sentiu um pouco do que é ter um governo preocupado em melhorar as condições de vida da população mais humilde. É por isso que vemos a ‘grande mídia’ surda e cega às negociatas e falcatruas de seus eleitos. Para quem não viu o documentário eu recomendo. Está na Internet. Vejam e exibam. É um ato de cidadania.

  9. Comentou em 05/02/2006 Jaiel de Assis Lopes

    Sobre o comentário do autor, tive a mesma impressão do Rogério, talvez pela forma cuidadosa de não tomar partido entre situação e oposição. O fato importante sobre a lista foi o tetemunho de Roberto Jeferson de que recebeu os setenta mil que consta da lista e podemos concluir que os demais tabem receberam e cabe a policia investigar e provar a culpabilidade dos envolvidos. Sobre a mídia brasileira se comporta de forma natural, ou seja, de forma manipuladora e parcial da Veja a ISTOÉ, da Folha de São Paulo, ao Estadão e aos jornais do Rio e Brasilia. A rede televisiva e toda mídia brasileira. Uma pergunta chega em nossas mentes, estão se preparando para uma nova ditadura onde o pensamento de esquerda não tenha vez? Onde reine absoluto o estado autoritário e sua imprensa autocensurada? Parece que sim, o comportamento parcial da mídia no brasil caminha para que isto aconteça.

  10. Comentou em 05/02/2006 Miguel do Rosário Rosário

    Alceu, e o Roberto Jefferson afirmou ainda à revista Carta Capital que as pessoas que pediam a permancencia de Dimas na presidencia de Furnas eram as mesmas da lista. Hoje o Gaspari também diz que há fontes que afirmam que Dimas alardeava aos quatro ventos que havia elegido governadores e parlamentares em 2002… A mídia não está mais sendo investigativa? Agora fica só na defensiva, desacreditando a lista. Quando era com o PT qualquer indício insignificante produzia ilações terríveis. O caso dos dólares de Cuba, por exemplo. O assassinato do prefeito Celso Daniel, é outro. O proprio Lula pediu para que FHC colocasse a PF para investigar. Aí descobriram marcas de tortura e partem para ilações sombrias… tudo bem. Agora quero ver a imprensa investigar a lista. Quero ver!!

  11. Comentou em 05/02/2006 Nonato Ferreira Ferreira

    É, mas uma vez fico estarrecido com a falta de vontade da imprensa em noticiar os indícios de corrupção envolvendo os tucanos. Até agora só o Roberto Jefferson foi homem para admitir que recebeu o dinheiro de Furnas. Antes, o pessoal do PSDB/PFL dava créditos a ele. Vamos ver agora!

  12. Comentou em 05/02/2006 Célio Mendes

    Fiquei esperando, esperando, esperando … mas chegou o sabado e cadê a manchate nas semanais, a Isto é tem o FHC na capa ( sera que ja escolheram o candidato ?), a EPOCA se peocupa com o intrigante fenomeno da depressão (sera que é porque não conseguiram jogar a lista de FURNAS para debaixo do tapete ?) e finalmente a Veja , olhe só a veja esta preocupada com o choque de civilizações, da lista de FURNAS nem uma chamadinha na capa, depois não querem que se fale de um complô da midia, francamente assim não da …

  13. Comentou em 05/02/2006 Ivanilson Alves

    Alceu Nader, você é uma raridade hoje na imprensa, e nós pobres brasileiros carente de Educação temos que nos ‘rebolar’ para conseguir ter uma apinião que não seja a publicada, porque esta, já perdeu sua imparcialidade há tempos, criei nojo da Veja, folha, Estadão, Orgamização Globo, TV Record Boris Casoy, etc.. etc…
    Mas vamos torcer que o povo não se deixe enganar por publicações manipuladas e tendenciosa dessa mídia brasileira, e torcer que num futuro bem próximo a VERDADE VENHA À TONA E PONHA ESSA ELITE VAGABUNDA NO SEU DEVIDO LUGAR.

    Valeu pelo espaço!!

  14. Comentou em 05/02/2006 José Carlos dos Santos

    Quem tem mais de 40 e lia quadrinhos de Tarzan, lembra que os nativos quando diziam que uma coisa era proibida, usavam esse termo ‘juju’, e parece que na mídia mencionar Lista de Furnas é ‘juju’

  15. Comentou em 05/02/2006 Jorge Washington Astigarraga

    ‘-Qual seria o impacto desta lista sobre as candidaturas dos partidos de oposição?Será que,sendo verdadeira,influenciaria a opinião do público.E se o laudo estiver certo?Até aqui,só quem tinha caixa dois e corrupção era o partido do governo.Não seria melhor deixar como está?Porque informar?Afinal,o Homer,vive melhor assim.Sem informação êle não reclama.Ninguém cospe no prato em que come’- Estes comentários e perguntas devem estar sendo feitos em várias redações,grupos de edição,reuniões de pauta,rodas de cafézinho por todo país.Se não fosse tão parcial a nossa imprensa,talvez as perguntas seriam outras e as respostas também e nós,míseros leitores,saberíamos as verdades sobre os fatos e, não sómente o que querem nos mostrar.Parabéns Sr.Alceu Nader.Oseu comentário sobre o assunto,foi muito oportuno.Obrigado.

  16. Comentou em 05/02/2006 Tiago Rocha Tavares

    Muitas vezes nos publicitários ficamos com
    uma péssima imagem por conta de fatos podres(principalmente relacionados a política)de Marcos valério, duda entre outros. Isso tudo é detestavel, mas uma opinião sincera que eu tenho é a seguinte: nos publicitários temos de fazer campanhas sobre produtos ruins do jeito que o nosso cliente quer. enfim, esse é o nosso trabalho , divulgar e fazer vender.Se o produto é bom ou ruim, logo os clientes vão saber.Entratanto, os jornalistas tem um compromisso não com ‘o fazer vender’, mas com os fatos e a verdade.Os meios de midia e noticia são os formadores de opinião e modificadores de tendencias de levante do povo. Se o povo soubesse de tudo o que feito e divulgado( na medida do possivel)com o devido destaque e importancia e até mesmo alarde, como foi no caso do mesalão , nos teriamos muito mais pressão e degolas de corrúptos. Mas, o ‘jornalismo’ brasileiro é praticamente todo amarrado a política , a maioria dos maiores jornais e revistas são estremamente
    ‘corrúptos’ ao meu ver. Corrúptos, pois se vendem o tempo todo, abafam e alardeiam informações segunfo o interece de quem as manipulam. Midias patéticas como a Veja e globo, são responsaveis por esse quadro tão deploravel. Não existe compromisso com a verdade , não existe compromisso contra a corrupção existe apenas compromisso com as eleições e com o dinheiro que vem do PSDB, PL,PFL, PT

  17. Comentou em 05/02/2006 Mariadelourdescardosolima car

    FURNAS é apenas a motivação atual,porque seria infindável a lista de situações ilegais contra a nação,de um país cuja revolta o próprio povo cria e batiza de violência da DROGA(cocaína,crak, etc…)SOMENTE????e a violência da tomada ou articulada troca de poderes de Norte à Sul,e que virou ‘NEGÒCIO'(VENDA) de empresas de COMUNICAÇÂO, usurpando de cada ELEITOR a dignidade de ESCOLHER o seu líder;o q /se ver é o EMPURRÂO GUELA À DENTRO do candidato que a SANTA MADRE MÌDIA ENFIA ATRAVÉS DA FALA E DA IMAGEM MAIS PRODUZIDA…’DIGA AÍ PROPEG em SALVADOR… então,o que fazer? CAMPANHA POR TODOS OS LADOS… ANO QUE VEM, JÁ PREPAREI TUDO P /o que vou fazer: da família aos CLIENTES, seremos dos grupos ATUANTES contra ÔS MAMADORES HÀ 50 ANOS:E VIVA DEUS QUE NOS ILUMINA À TRABALHAR P / NÂO ROUBARMOS COMO INDECENTES POLITICOS OU VICIADOS EM DROGAS .

  18. Comentou em 04/02/2006 Eduardo Guimarães

    Parabéns, Alceu! Você dignifica essa profissão tão nobre que é o jornalismo, tão enlameada por algumas poucas dúzias de penas-pagas de ‘ética’ seletiva, que se deitam no chão para tucanos e pefelistas pisarem. A observação sobre o ocultamento do laudo de Molina é arrasadora. Que Deus o abençoe.

  19. Comentou em 04/02/2006 Guilherme Kroll

    Prezado Alceu, talvez a pergunta mais interessante e que não tenho visto na atual celeuma seja: Como esta lista chegou às mãos do Sr Monteiro? Deste cidadão, de ilibada probidade (lobista e réu em processo que responde como falsário, segundo a própria imprensa), é que deveriam vir as primeiras respostas.

  20. Comentou em 04/02/2006 Adalberto Cabral

    É principalmente, uma falta de respeito aos brasileiros o que a mídia vem fazendo. Oculta fatos, proteje descaradamente políticos de direita e confunde quando se trata da esquerda, liberdade de expressão com falta de respeito. Acho que está na hora de criarem vergonha na cara e serem imparciais, para que continue essa democracia conquistada a tanto custo. Um desses baloartes vocês conhecem e com ingratidão não o combetem; faltam com o respeito que ele e todo cidadão merece.

  21. Comentou em 04/02/2006 Luiz Claudio Leão

    Nos últimos dias por vários motivos tenho conseguido somente assistir ao RedeTV News e cada dia mais fico indignado. O Jornal ainda não terminou, contudo já foi noticiada a última pesquisa e para minha surpresa nenhum número foi mostrado na tela, somente foi dito que o Presidente Lula está empatado tecnicamente com o José Serra e que no segundo turno este último ainda sai vencedor. Imediatamente conectei na internet e verifiquei que os índices de aprovação do Presidente melhoraram muito. Será que foi por isso que o resultado da pesquisa também perdeu importância? Voltando à lista, creio que os motivos sejam os mesmos nos dois casos. Há mais de um mês vi esta lista na internet e também não entendo por que o trabalho do perito Molina perdeu importância neste momento.

  22. Comentou em 04/02/2006 carlos teixeira

    Ainda hoje ouvi o Deputado Osmar Serraglio, relator da CPMI dos correios dizer que não vai investigar a denuncia de Caixa 2 de Furnas e, quem quiser, que faça uma lista e consiga mais de cento e setenta assinaturas para uma nova CPMI sobre esse documento, o que é lamentável, pois um dos supostos beneficiários, o ex-deputado Roberto Jeferson, já confessou que recebeu R.$ 75.000,00 das mãos do Sr. Dimas; para não deixar dúvidas, a CPMI deveria reconvocar o Sr. Roberto Jeferson para prestar novo depoimento, bem como o Sr. Dimas e o Sr. Monteiro, este ultimo um lobista que diz ter provas sobre o Caixa 2 de Furnas. Para novos esclarecimentos seria bom que também fosse ouvido novamente o Sr. Duda Mendonça, para esclarecer se possui outras contas no exterior e confirmar se realmente recebeu R.$ 4.500.000,00 de Marcos Valério, em 2002, para fazer a campanha de Eduardo Azeredo ao govêrno de Minas Gerais, sendo que este, aliás, já deveria ser submetido ao conselho de ética, pois está mais do que confirmado que recebeu recursos de Marcos Valério (de Caixa 2) para sua campanha. A lista de furnas deve ser investigada, pois, segundo Molina, ãinda não se deve questionar sua legalidade. A mídia deve dizer NÃO AO ACORDÃO e investigar tudo, DOA A QUEM DOER, pois é mais do que sabido a utilização de CAIXA 2 por TODOS OS PARTIDOS POLÍTICOS, SEM EXCEÇÃO.

  23. Comentou em 04/02/2006 Rodrigo Siqueira

    Caro Alceu, há ainda outra estranheza. A lista do Dimas Toledo (ou o livro proibido dos tucanos) entrou no noticiário definitivamente com o depoimento do Roberto Jeferson à PF. Ele confirmou, em entrevista, ter recebido R$ 75 mil do sr. Dimas Toledo, tal como consta na lista. Depois dessa entrevista, o fator Roberto Jeferson também sumiu do noticiário, assim como a perícia do Molina. Interessante como as palavras do Roberto Jeferson já tiveram peso de ‘prova testemunhal’ para os oposicionistas e agora soam apenas como palavras jogadas ao vento. Tudo muito estranho. Enfim, se há um acordão para preservar o Duda e o Dimas, o corpo mole (ou a má fé, quem sabe?) da imprensa nesse caso só contribui para consolidar esse acordo nojento.

  24. Comentou em 04/02/2006 The DarkMaster

    Exatamente amigos, tornou-se ‘um ‘livro proibido’ nas palavras do Jorge. É apenas mais uma prova de que no Brasil se noticia o que se quer que a população pense e não a verdade de fato. Rogo para que apesar de todas as tentativas de ocultação que esta lists seja provada por A+B que é verdadeira e com isso estraçalhe com as pretenções do nosso ‘ilustre’ josé serra e assemelhados

  25. Comentou em 04/02/2006 Jorge Oliveira

    Caro Alceu Nader, eu creio que a ‘Lista do Dimas’ tornou-se em um livro proibido para a mídia brasileira, principalmente nos jornais de TV, falar do suposto esquema até que eles falam alguma coisa, agora abrir o livro e mostrar o seu conteúdo nem pensar.

  26. Comentou em 04/02/2006 Rogério Ferraz Alencar

    Não se pode afirmar, como você faz, que a lista é falsa. A ausência de nomes do PT é fácil de ser explicada: o caixa 2 de Furnas é do PSDB e aliados, para a campanha de 2002. Os pefelistas-tucanos (ou tucanos-pefelistas) não iriam dar dinheiro ao PT.

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem