Racismo é pior que xingar a mãe | Observatório da Imprensa - Você nunca mais vai ler jornal do mesmo jeito
Terça-feira, 14 de Agosto de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº999
Menu

CÓDIGO ABERTO > Desativado

Racismo é pior que xingar a mãe

Por Luiz Weis em 11/07/2006 | comentários

A Globo não foi a única a ir atrás do que motivou a fulminante cabeçada de Zinédine Zidane, na final com a Itália.

Segundo um italiano que conhece leitura labial, informa hoje o diário londrino Guardian, citando por sua vez a BBC, Materazzi teria dito ao craque afinal eleito o melhor da Copa:

”Quero que você e sua família tenham uma morte horrível.” E teria emendado: “Vá se f….”

O que correu por aqui é que o italiano disse que a irmã de Zidane era prostituta.

De seu lado, a ONG francesa SOS-Racisme informou que, de acordo com “várias fontes bem informadas”, Materazzi chamou Zidane de “terrorista sujo”.

Se foi isso que ele disse, com ou sem o resto – que faz parte do costumeiro repertório de insultos que jogadores trocam em campo – o caso muda de figura: torna-se a negação viva do badalado espírito anti-racista da Copa e não pode ficar por isso mesmo.

É bom lembrar que na Itália, bem como na Espanha, atletas norte-africanos e negros são frequentemente hostilizados pelas torcidas adversárias.

Um técnico espanhol foi multado em 3 mil euros por ter xingado Thiery Henry, que joga na Inglaterra, com palavras racistas.

É bom lembrar também que a seleção francesa provavelmente chegou à final porque tinha pouco de “bleues” e muito de “noires” – além do genial filho de argelinos. Os únicos “autênticos” franceses, diria o fascista Jean-Marie Le Pen, eram Barthez, Sagnol e Ribéry.

Em suma, Zidane perdeu a cabeça e mereceu a expulsão, Materazzi, se apelou para o racismo, merece pena mais grave e a mídia italiana está diante do desafio de pôr o patriotismo no banco dos reservas e ir para cima do assunto.

***

Os comentários serão selecionados para publicação. Serão desconsideradas as mensagens ofensivas, anônimas, que contenham termos de baixo calão, incitem à violência e aquelas cujos autores não possam ser contatados por terem fornecido e-mails falsos.

Todos os comentários

  1. Comentou em 05/10/2008 Daniel Brito de Freitas

    Sou estudante de doutorado sandwich pelo CNPq e por isso me ‘safei’ de várias situações constrangedoras e racistas na Italia. O fato ocorrido no final da copa é apenas a ponta do iceberg. A Italia, e seu povo, e até aquelas pessoas que digo de são meus amigos italianos, possuem uma constante insatisfação em conviver com o que eles chamam de ‘extra-comunitarios’. Um vez, eu e minha esposa fomos convidados por um casal de italianos do Veneto (que já tinhamos conhecido no Brasil) para jantar na casa de seus pais. A primeira coisa, e a que mais nos incomodava, eram os cuchicos, até que o pai do nosso amigo italiano me perguntou o que eu estava fazendo aqui, e quando eu falei que era pesquisador do Osservatorio di Arcetri e estudava financiado pelo governo brasileiro, vem aquela suspiro de alivio, e ‘ah, … muito bem, eu pensava …’. Outra coisa revoltante é a forma como eles conceituam a mulher brasileira. Se você, e eu não recomendo isso, nem mesmo pra um amigo italiano, fala que a mulher brasileira sabe sambar e bonita e coisa e tal, eles ficam todos assanhados. Quando se convive um pouco com eles acabasse entendendo que esta postura racismo é uma coisa muito natural, como comer ‘il primo e secondo piato’. Os europeus não sabem, e penso eu, que tão cedo não saberam conviver com a imigração. Talvez eles estejam vendo o outro lado da moeda: o de serem invadidos!

  2. Comentou em 13/07/2006 Célio Mendes

    Se realmente o italiano chamou o Zidane de terrorista esta claramente configurado o racismo ou seriamos inocentes o suficiente para acreditar que ele disse isso porque estava aterrorizado com a perspectiva do craque francês marcar um gol na prorrogação e liquidar as chances italianas ? é obvio que se o fez partiu da premissa de que todo árabe ou descendente é um terrorista em potencial, algo como achar que todo inglês é arruaceiro porque alguns torcedores se comportam desta forma, se realmente disse isso o italiano alem de cometer um crime também teve uma atitude totalmente sem sintonia com espírito anti-racista da copa como bem falou o Weis.

  3. Comentou em 11/07/2006 Hélcio Lunes

    Continuo não entendendo Luiz. Quer dizer que se eu chamar alguém de árabe ou muçulmano, estarei ao mesmo tempo chamando-o de terrorista? Ou a reciproca no caso não é verdadeira? Desculpe, mas acho que quem esta sendo preconceituoso no caso é voce. O preconceito parece ser seu! ‘Seu terrorista… ah, seu racista, me chamou de árabe’ Muito estranho né luiz Weis!

  4. Comentou em 11/07/2006 Wiliam Wan

    Tem que parar de achometro e ver que ele realmente falou pra poder criticar o cara.

  5. Comentou em 11/07/2006 tony knopp

    Mas se a mãe é uma racista, pode xingar?

  6. Comentou em 11/07/2006 Hélcio Lunes

    Desde quando o termo terrorista é racista? Só me faltava esta mesmo…

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem