Quinta-feira, 13 de Dezembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1017
Menu

CÓDIGO ABERTO >

Redação jornalística em weblogs

Por Carlos Castilho em 02/05/2005 | comentários


Já são 31 milhões de blogs em todo o mundo e 40 mil novos surgem diariamente, segundo a empresa de pesquisas Perseus. Com este crescimento avassalador, a busca dos blogs por atenção dos internautas deflagrou um processo de seleção natural onde só os mais bem redigidos e com melhor informação terão chances de conquistar visitantes.


A sobrevivência no circo da informação depende da qualidade e de respostas a uma série de questões, como:
1) O texto de um blog é igual ao de um jornal?
2) Existe um estilo próprio dos blogs?
3) Eles podem usar a pirâmide invertida?
4) Como fica o problema da não linearidade narrativa, uma das principais características do texto online?


Estamos entrando num território virgem onde tudo está praticamente por criar. Até mesmo nos Estados Unidos, origem de 10 entre 10 pesquisas sobre Web, não há até agora nenhum consenso sobre como escrever para blogs, especialmente os que lidam com jornalismo. Portanto, mais do que ditar regras, nossa preocupação é o debate e a troca de informações.


A primeira grande questão é o sistema cronológico usado pelos weblogs para ordenar a publicação de textos. Isto cria um complicador para o redator acostumado a escrever para jornal, revistas, rádio ou televisão.


Os jornalistas produzem normalmente textos seguindo a técnica da pirâmide invertida, onde o mais importante vem em primeiro lugar. O texto forma uma peça única, mas nos blogs é necessário dividi-los em blocos porque a maioria das pessoas dedica no máximo de 20 a 25 segundos por página na web. Textos longos acabam não sendo lidos.


Só que a fragmentação num blog acaba invertendo a ordem tradicional no jornalismo.  O mais importante no jornal impresso virá por último num blog, caso o seu autor dividir o texto em, por exemplo, quatro blocos publicados em dias diferentes.


Por isto, a produção de um texto para weblogs segue uma lógica diferente da usada para os jornais e revistas. Antes de publicar, o autor deveria dividir o assunto em blocos por interesse e tratar cada um deles como se fosse uma reportagem isolada. A pirâmide invertida funciona em cada bloco, mas não é usada para o conjunto dos textos.


A fragmentação em blocos tem a vantagem de permitir a participação dos leitores no desenvolvimento do texto através do recurso dos comentários, geralmente localizado no final de cada bloco. Isto permite ao autor receber críticas, correções e sugestões enquanto está publicando seu trabalho.


Nas próximas semanas falaremos de temas como:


Pirâmide invertida em weblogs
Leitura por camadas
Não linearidade em blogs
Atualização permanente dos textos
Edição compartilhada
Mapas de informação

Todos os comentários

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem