Quinta-feira, 22 de Fevereiro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº975

CÓDIGO ABERTO > Código Aberto

Revista norte-americana lança o jornalismo de previsões

Por Carlos Castilho em 08/02/2008 | comentários

A revista online Industry Standard ressuscitou das cinzas da bolha especulativa na virada do século com uma proposta que vai dar muito o que falar. Ela pretende desenvolver uma controvertida modalidade de jornalismo que mistura bola de cristal, com loteria e pregão da bolsa de valores.


 


Esta eclética e pouco ortodoxa combinação de previsões, com apostas e cotações busca oferecer aos leitores uma agenda noticiosa do futuro ou uma bolsa de futuros da informação, baseando-se nas opiniões de leitores e especialistas.


 


Apesar de poder ser facilmente classificado de delirante, o projeto da Standard, tentará adaptar ao jornalismo a teoria dos mercados de previsão, um tema pesquisado há anos pelo respeitado professor Thomas Malone, do MIT. O sistema é considerado uma das formas mais promissoras de consolidação de conhecimentos na era da avalancha informativa.


 


Esta teoria parte de leis da estatística e da matemática para afirmar que um grupo de pessoas, bem informadas e cultas, pode prever fenômenos e processos com alto grau de probabilidade.


 


Os primeiros a usar a teoria dos mercados de previsão foram obviamente os operadores em bolsas de valores, há quase 20 anos. Depois foi a vez das empresas de grande porte, onde hoje o sistema é usado largamente.


 


A Google, a mais valorizada empresa da internet, faz todo o seu planejamento futuro com base nos resultados de mercados de previsão, formado por grupos de funcionários que palpitam sobre o quais os novos produtos e estratégias.


 


O professor de direito da universidade de Chicago, Cass Sunstein, listou no seu livro Infotopia, 20 grandes empresas e organismos estatais do mundo inteiro que usam rotineiramente o sistema em suas decisões estratégicas. 


 


Uma das mais conhecidas é a Hollywood Stock Exchange, uma bolsa de previsões sobre o êxito ou fracasso de filmes. Não se trata de um site de fofocas ou adivinhações. Ele é levado tão a sério que a maioria dos diretores de Hollywood não inicia um novo projeto sem consultar o mercado de previsão da indústria cinematográfica.


 


Outra empresa muito respeitada no mundo dos negócios é a NewsFutures, que também utiliza o sistema de mercados de previsão para antecipar inovações industriais, novos produtos eletrônicos, tendências de consumo e performance de corporações,


 


A proposta da Industry Standard é usar seus editores, leitores e colaboradores para tentar prever o que acontecerá na área das novas tecnologias da informação, em especial na internet.


 


Para participar do sistema os leitores necessitam se cadastrar na revista e de cara recebem um crédito de 100 mil dólares Standard, uma moeda fictícia, que serve como parâmetro para as apostas em notícias, no mercado de previsões da Standard. Se a previsão de confirmar, o leitor recebe o dobro do que apostou.


 


Os ganhos podem ser trocados por prêmios ou por posições no ranking dos mais bem sucedidos adivinhadores de grandes notícias.


 


No dia em que escrevi este post, 54% dos oráculos da revista previam que a Google lançaria o seu celular Android, a partir do dia 18 de fevereiro. Na mesma edição do dia 8/2, o fechamento da compra da Yahoo pela Microsoft aconteceria em meados de março, na opinião de 49% dos integrantes do mercado de previsões noticiosas da revista.


 


O futuro da experiência da Standard ainda é um mistério para seus leitores e principalmente para os investidores no mercado de notícias na Web. Os editores afirmam que o projeto da revista passou no teste dos mercados de previsão, mas não forneceram nenhum detalhe sobre o resultado. 


 


 

Todos os comentários

  1. Comentou em 12/02/2008 Fábio de Oliveira Ribeiro

    Desde tempos imemoriais os homens sondam o futuro. Ainda hoje alguns velhacos até concebem previsões que se autorealizam pelo simples fato de serem enunciadas (como, por exemplo, as crises financeiras que assolam regularmente as bolsas e proporcionam aos boateiros de sempre, os grandes especuladores, lucros extras). Alguns velhacos mais antigos forjavam documentos que comprovavam a realização, no passado, de previsões que acabaram se concretizando historicamente (sempre com a finalidade de reforçar a crença dos fiéis). Já li em algum lugar que o milenarismo baseado em antevisões do futuro é uma tradição dos povos de língua inglesa, tradição esta que jáá provocou um bocado de confusão no passado. Em tempos de guerras, pestes e catastrofes naturais que provocavam fome, os anglófonos recorriam aos mais absurdos delírios religiosos para tentar construir o futuro através de previsões. Portanto, o que parece novidade é, na verdade, o renascimento triunfal de uma tradição bastante antiga. Uma prova adicional da decadência americana?

  2. Comentou em 11/02/2008 Humberto Guimaraes

    Sobre previsões concernentes à bolsa de valores e à Economia,fico com a opinião de Marcos Elias,gestor da Gávea empreendimentos(Valor Econômico,26-12-2007):’é fácil verificar que as projeções econômicas são úteis somente para´prever o passado´,e ainda assim,se colocam como peças frontais no processo de tomada de decisão de investimento” ; considera que isso também se dá com análise econômicas mais gerais, e exemplifica: 1)grandes econometristas previram, há três ou quatro anos atrás,que o nível de câmbio atual levaria a um déficit comercial,o que não aconteceu; 2)outros consideram que há uma forte correlação entre balança comercial e câmbio,mas deixam de explicar por que o enorme déficit comercial japonês não leva à valorização o Ien;3)de 2002 a 2006,o índice Bovespa aumentou 500% e nenhum analista previu apreciação superior a 60%;e conclui:não são incompetentes os economistas ou os analistas de ações, mas’abusam dos métodos quantitativos para tratar uma ciência social’.Considera que também não se trata de sofisticar a Matemática,pois ela sempre ‘será pobre para retratar adequadamente estes fenômenos fortemente influenciados pelo comportamento humano’.Resumo mais completo no link (http://comparando.blog.br/Economia/Resumos/2006/Dezembro%20de%202006/Dia%2027/Os%20economistas%20abusam%20dos%20métodos%20quantitativos%20para%20tratar%20uma%20ciência%20social%20(a%20Economia).htm).

  3. Comentou em 09/02/2008 Carlos Alberto Dias Saraiva

    Voce quer saber como o mercado se comportará em 2015? Quer saber se a empresa que vc comprou ações será um sucesso no futuro? LIGUE DJÁ…Como diria o grande P.T. Barnum, o primeiro megaempresário do entretenimento: ‘ A cada minuto nasce um otário. Mais otário é quem não aproveita’

  4. Comentou em 09/02/2008 Ivan Moraes

    Futuro observado eh futuro adulterado. Como eh que eles se atrevem a ‘prever’ o dia de um lancamento de PRODUTO COMERCIAL sem enxergarem o quanto a futura SoftHoo vai parar o tempo no mundo? A ‘previsao’ ja denuncia as intencoes… e essa eh a razao que o futuro, observado, eh o futuro adulterado.

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem