Domingo, 17 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

CÓDIGO ABERTO > Desativado

Síndrome de pânico em SP

Por Luiz Weis em 15/05/2006 | comentários

NOTAS

NOBLAT, Ricardo. A Arte de Fazer um Jornal Diário. 2ª ed.-São Paulo: Contexto, 2002.

BOURDIEU, Pierre. Sobre a Televisão. Tradução Maria Lúcia Machado. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed.,1997.

FILHO, Ciro Marcondes. Comunicação e Jornalismo. A Saga dos Cães Perdidos.2ª ed.-São Paulo: Hacker Editores,2002

HABERMAS, Jurgen. Strukturwandel der Offentlichkeit. Unterssuchung zu einer Kategorie der burgerlichen Offentlichkeit. 1965,s.d.

Os fatos dão razão ao comandante geral da Polícia Militar paulista quando ele diz que esta segunda-feira foi o dia menos violento desde que começou, na sexta-feira, a guerra declarada pelo PCC ao Estado em represália pela transferência de mais de 700 presos, quase todos ligados à organização, para a penitenciária de segurança máxima de Presidente Venceslau.


E não obstante, como apontou o oficial com outras palavras, foi o dia em que São Paulo teve um ataque de síndrome de pânico provavelmente sem precedentes.


A responsabilidade da mídia eletrônica por esse surto que parou a cidade – já não bastasse o sumiço dos ônibus das ruas, depois dos incêndios de dezenas de veículos ao longo da madrugada – não pode ser subestimada.


Emissoras sensacionalistas de rádio e TV, que vivem do quanto pior, melhor, criaram um clima alarmista, repetindo fatos e imagens passados, como se tivessem acabado de acontecer e disseminando boatos, facilmente críveis, dado o compreensível estado de espírito ouriçado da população.


E, como se sabe, nem fogo em floresta ressecada se espalha tão depressa como um rumor. Não só se espalha, mas a cada volta do parafuso fica mais assustador.


Da internet, então, nem falar. Às 16h15 desta tarde, a repórter Juliana Carpanez, da Folha Online, levou ao ar esta matéria reveladora:


A onda de ataques realizada pela facção criminosa PCC […] virou também assunto na internet, ganhando espaço em e-mails, mensagens de comunicadores instantâneos e também em sites de relacionamento.

Enquanto diversas pessoas comentam os ataques e demonstram na internet sua indignação, outros – geralmente de maneira involuntária – servem como propagadores de notícias falsas, prejudicando o trabalho da polícia e também da imprensa.

Os boatos virtuais, também conhecidos como ‘hoax’
[a rigor, hoaxes, no plural], assustam divulgando ataques que não aconteceram e também ações de enormes proporções ‘marcadas para as próximas horas’. Com o intuito de apavorar ainda mais os internautas, estes textos são todos escritos em letras maiúsculas e ‘devem ser encaminhados com urgência’.


‘Antes de repassar estas mensagens para sua lista de contato, os usuários devem encaminhá-las a empresas de antivírus, que poderão confirmar se são verdadeiras’, afirma Patrícia Ammirabile, executiva da empresa de segurança McAfee (virus_research@avertlabs.com).

Além disso, as pessoas devem sempre dar preferência a fontes confiáveis de informação, e não a e-mails, para se manter informadas. Nesta hora, vale o bom senso: dificilmente um internauta teria acesso a um dado de extrema importância – como aqueles divulgados em e-mails ‘histéricos’- que ainda não foi divulgado por nenhum veículo de comunicação
.’

A matéria – um autêntico serviço de utilidade pública – termina com um exemplo colhido na internet:


ISSO É URGENTE!! > >HOJE ÀS 18HS HAVERÁ UM ATAQUE DE VIOLENCIA NA CIDADE…. POR FAVOR, ESTEJAM >EM SUA CASA ÀS 18HS!!! > > AS 18 HS, VAI TER UMA AÇÃO DE VIOLÊNCIA NA CIDADE, A DIRETORIA DE UMA > GRANDE EMPRESA RECEBEU UMA CARTA DA POLÍCIA ÀS 10H DE HOJE AVISANDO A > RESPEITO DISSO…. > > TODOS OS FUNCIONÁRIOS VÃO SER DISPENSADOS A PARTIR DAS 16HS > QUE NÃO ERA PRA NINGUÉM FICAR NAS RUAS > OS ÓRGÃOS PUBLICOS TÃO REPASSANDO ESSA CARTA ÁS EMPRESAS LIGADAS AO > GOVERNO, COMO NO CASO DA DIRETORA DA EMPRESA QUE RECEBI ESTA INFORMAÇÃO. > > POR FAVOR, AVISE O MÁXIMO POSSÍVEL DE PESSOAS QUE VOCÊ CONHECE!!! > > ATENÇÃO, ISSO NÃO É TROTE, É SERIO….. POR FAVOR, AVISEM TODOS QUE VOCÊ > CONHECE!!! >’


Coisa de espírito-de-porco? Pode ser. Mas deve ser coisa de bandido. O PCC maneja a tecnologia da informação com invejável competência profissional. O retrospecto está aí à vista de todos.


Também ficou mais evidente do que nunca que enfrentar hoje em dia o crime organizado – e ponha-se organizado nisso – é também enfrentar o que no tempo da ditadura se chamava ‘guerra psicológica adversa’. Nesse departamento, as forças da lei não parecem ser páreo para os criminosos.


Agora, se a internet é um território impossível de policiar nas sociedades democráticas – e na soma algébrica de prós e contras, antes assim – as emissoras de rádio e TV que são concessões do poder público podem e devem ser enquadradas quando servem objetivamente à bandidagem, ao deixar os habitantes de uma megalópole como São Paulo à beira de um ataque de nervos.


***


Os comentários serão selecionados para publicação. Serão desconsideradas as mensagens ofensivas, anônimas, que contenham termos de baixo calão, incitem à violência e aquelas cujos autores não possam ser contatados por terem fornecido e-mails falsos. 

Todos os comentários

  1. Comentou em 20/05/2006 pompilio canavez

    Dessa vez a midia conseguiu o que sempre busca: criou uma situação ‘real’. Afinal, o que esperar de ‘Datenas’ e ‘Marcelos’ e da falta de reporteres? E a satanização dos celulares? Sempre o desejo dos símbolos, das mistificações. Quanto ao governador Lembo e outros personagens, era de se esperar que a confusão política do Brasil e, especialmente, de SP, desse nessa ineficiência idiota. A polícia fez o que sempre fez: matou. A imprensa desinformou.

  2. Comentou em 17/05/2006 JOSE VALMIR ANDRADE

    O ESTADO MODERNO, É ORIENTADO SOB A FILOSOFIA DO CONTRATUALISM. NESTA FORMA, O ESTADO É O PACTO DE TODOS EM TORNO DE UMA FIGURA FORTE, UM ‘LIVIATÃ’, QUE DEFENDERÁ A VIDA DOS PACTUANTES. AÍ VEM A PERGUNTO: CADÊ O ‘LEVIATÃ’? O ESTADO NAO ESTÁ CONSEGUINDO NEM DEFENDER-SE A SI PRÓPRIO, MUITO MENOS OS CIDADÃOS.

  3. Comentou em 17/05/2006 Nayara Moreno

    Bom gostaria d dizer q o q aconteceu em São Paulo foi uma consnquencia do nosso governo. Acredito sim q a mídia exagerou na forma com que anunciou os ocorridos, principalmente aki no interior, acredito q ñ tinha necessidade d alarmar a população dessa maneira, porém ñ vivo numa favela d São Paulo para saber exatamente o q ocorreu e qual o sentimento de uma pessoa q mora no meio dessa confusão. É triste ver q nosso país está desse jeito, ñ podemos mais nem confiar na polícia, organização q deveria promover a ordem da nossa sociedade, é possivel observar q o pcc é uma organização melhor estruturada do que a polícia brasileira.

  4. Comentou em 16/05/2006 Armando dias

    Realmente o que aconteceu em ~são paulo foi apenas uma questão de pânico infundado. Só foram queimados 80 onibus. Foram fuziladas apens 85 pessoas. O congestionamento as 18 horas foi apenas de 252 quilometros. As aulas de todos os cursos noturnos apenas foram suspensas. a partir das 20 horas não havia nenhuma pessoa na rua ou carro trafegando. ISTO É MUITO NORMAL EM SÃO PAULO???. Tenham paciencia com aqueles que se dedicam a ler palavras sensatas mas nessas mentiras niinguem mais acredita.

  5. Comentou em 16/05/2006 Jesner Villena

    Só uma questão que até o momento não ouvi comentarem na mídia, pelo contrário estes hipócritas ficam batendo na mesma tecla para bloquear celular e bla bla blá, e não sabem de quem é a responsabilidades do estado, operadoras etc., mas levanto a seguinte questão não é simplesmente este o detalhe problemático mas sim a clonagem que eles fazem isto sim deve ser de inteira responsabilidade das operadoras, onde no meu ponto de vista só poderiam continuar operando quando zerasse este número. ou então assinaria um atestado de inconpetência, pois se não conseguem controlar seus sistemas, processos pedem ajuda pelo menos.
    Esta é uma variável que se analizarmos tem muita participação em tudo isto que pudemos ver ontem.
    O poder público deveria prever alguma coisa nesse sentido, ou será que é conveniente para eles também ????

    Jesner Villena

  6. Comentou em 16/05/2006 EDIRCE REGINA CASARIN

    Estou perplexa. Numa época de de cominicação total (tvs, internet, rádio, celular..) tudo o que restou foi desinformação: As câmeras, helicópteros, jornalistas em vários cantos da cidade, foram incapazes de informar minimamente a população. Apresentadores aos gritos, sindicalistas possessos revezavam-se a imagens repetitivas, num circo de horrores. Poucos foram os que buscaram realmente informar.Aqui em Santo André havia boatos sobre um arrastão no centro da cidade, faltou ônibus, faltou policiamento, as autoridades que estavam muito ocupadas, pelo jeito, negociando com os bandidos. Isso, sem mencionar a triste torcida organizada comentando?comemorando em blogs a vitória deste ou aquele candidato. Pobre do meu país: o medo venceu.

  7. Comentou em 16/05/2006 Jesner Villena

    Ora, onde chegamos quando o pior não podemos prever, estamos nas mãos destes homens e mulheres ‘não me refiro só aqueles que se dizem do PCC, pois nestes últimos dias este número pode ter dobrado, triplicado só Deus sabe…’ mas todos que hoje conhecem a impunidade que vivemos neste País, para disputar o poder não medem consequências, se precisar matar mãe, pai, familiares etc., eles não se preocupam.
    Infelizmente tem muitas outras coisas a pensar, sempre para o seu bem-estar ‘psicológico’, pois no mundo em que vivemos não acredito mas nesta palavra.
    Minhas esperanças estão no Futuro que a Sociedade deverá reconstruir, acredito que a solução para este País e Mundo aqui muito bem representado pelo nosso ‘apenas um reflexo do que se pode ver no mundo todo’, a toda hora uma disputa de poder sem objetivos reais à população mundial e sim seus próprios interesses.
    Cada um na sua e do seu jeito, é o que podemos ver em cada Empresa, ou Assembléia, País etc…
    Acredito num Mundo melhor sim, e creio que venha a partir de um bom Administrador de empresas que enxergue este mundo como um Comércio e que cada negocição possamos faze-lá como em uma empresa bom para ambas as partes, ou seja um Crescimento Sustentável para todos este deve ser o objetivo.

  8. Comentou em 16/05/2006 Adelino Fontana Jr.

    Um absurdo a posição da TV Globo através das colocações do Sr. Wiliam Bonner ao indagar o Ilmo. Governador Cláudio Lembo com relação a real necessidade do uso das Forças Armadas nesta situação.
    Como se fossem os donos da verdade, Globo e Bonner, desrespeitaram publicamente uma autoridade de forma mal educada ao interromper por várias vezes a fala do governador, afirmando coisas que não são de seu domínio, como se fosse profundo conhecedor.
    Postura ridícula adotada pela rede Globo e por várias emissoras que colocaram em risco muitas vidas, tratando o medo da população como uma mercadoria que renderia pontos no IBOPE.
    Acho que estas pessoas e emissoras são culpadas por muitos dos problemas que nossa valorosa força policial enfrentou nestes últimos dias e, por tanto, deveriam sofrer as sanções cabíveis da lei por seus atos. Foram instrumentos dos bandidos ao fazerem a leitura errada do problema e o pior, divulgar à nação e ao mundo esta visão míope e distorcida da realidade.
    Os problemas existem, não estou aqui tapando o sol com a peneira, nem amenizando o ocorrido, mas a forma como a imprensa se comportou foi errada e perigosa, o que poderia ter trazido conseqüências muito piores das que estamos vendo hoje.
    Obrigado.

  9. Comentou em 16/05/2006 Rodrigo Ortega Vasconcelos

    Weis, acho que o seu artigo deveria ter aprofundado mais a responsabilidade da imprensa no pânico desta segunda-feira. Os absurdos que se ouviu nas tvs e rádios foram absurdos. Foi na TV Record que as repórteres alardearam pela primeira vez a história do suposto ‘toque de recolher’. É um absurdo que uma rede de tv, que diz em todos os jornais e revistas que quer ser melhor que a CNN, divulgue de forma tão alarmante um fato como esse. O pior: sem citar a fonte e nem mesmo checar a verdade.

  10. Comentou em 16/05/2006 Rogério Rondini

    Realmente, a mídia eletrônica e os meios sensacionalistas foram os grandes culpados pelo pânico de ontem, não apenas na capital, mas aqui no interior também. Que o PCC tem conhecimento tecnológico suficente, nós já percebemos, mas, o que mais fico indignado é com os veículos de imprensa tidos como sérios; talvez a vontade de sair na frente com a notícia e quem sabe ficar famoso, os jornalistas desses veículos perderam o bom senso e a responsabilidade. Veja essa reportagem no site do Terra, por exemplo : (http://noticias.terra.com.br/brasil/guerraurbana/interna/0,,OI1006678-EI7061,00.html)
    ‘Muitos líderes do PCC procuram se politizar, lendo livros de esquerda, como obras de Lenin e Trotski (líderes da Revolução Russa de 1917). O número 1 do PCC, Marcos Willians Herbas Camacho, já leu, segundo o Ministério Público, 3 mil livros, incluindo A Arte da Guerra’
    Está muito claro o caráter tendencioso dessa matéria, e, na minha opinião, demostra total falta de informação do jornalista, pois, o livro A Arte da Guerra ficou famoso nos dias de hoje por ser indicado a estudantes de administração de empresa e cursos de gestão.
    Que os líderes do PCC não são bandidos comuns, já sabemos, mas o fato dele ler 3000 livros não significa que ele seja de esquerda. Este tipo de reportagem apenas oculta a incapacidade do Estado em resolver os problemas de segurança.

  11. Comentou em 16/05/2006 Antonio Martins

    Foi só chegar a segunda-feira – e junto com ela os telejornais que diputam quem fala mais bobagem – que a situação tornou-se artificialmente pior. Os programas que sempre entravam no ar ao entardecer, viram uma grande oportunidade de venderam mais comerciais desde as primeiras horas. Acabou despertando clima de Iraque até nos jovens inconsequentes da classe média, que auto-decretaram fim das aulas, passaram a fazer pequenas destruições e até a comandar toque de recolher em nome do PCC.

    Bela prestação de serviço!

  12. Comentou em 16/05/2006 Chris Bulcão

    Realmente, neste assunto de como tratar bandidos, eu entro num beco-sem-saída ético. Boatos à parte, já está mais do que provado que esta ‘tchurma’ sabe se organizar. E, neste contexto, os direitos de quem devem ser defendidos? Os nossos ou os deles???? Estou bastante inclinada a abraçar a idéia (contra todos meus princípios anteriores) de que direitos humanos devem ser reservados para HUMANOS.

  13. Comentou em 16/05/2006 Mario gozzo

    Lamentavelmente o Governo do Estado deSP,desde 1993 e responsável pela situação que está passando nosso Estado,pois quando descubriram o início da facção não tomaram nenhuma providência.

  14. Comentou em 16/05/2006 Valdir

    Pelo menos foi o que eu ouvi na rádio CBN mais ou menos às 14:30 hs de ontem 15/05/06.

    Pergunto é verídico? Se não for, existe essa possibilidade?

  15. Comentou em 15/05/2006 Conrado Giacomini

    Conheço um partido político que pregou o ‘quanto pior, melhor’ durante anos e anos, até chegar ao poder.

  16. Comentou em 15/05/2006 Celso Scodiero

    Foram ‘apenas’ algumas dezenas de ônibus incendiados só nesta capital, além de algumas dezenas de cidadãos mortos.
    Foi ‘só isso’ senhores. Nada grave.
    Pelo menos, toda essa ‘síndrome de pânico’ serve para mostrar o exagero de inabilidade por parte dos administradores públicos de São Paulo. Não conseguem sequer impedir o ingresso de telefones celulares às celas de seus presídios. Agoram usam o termo ‘toldar’ disfarçado de ‘serenar’.

  17. Comentou em 15/05/2006 Gabrielle lopes

    Realmente, a matéria que vc escreveu coincide exatamente com o que eu e parte da minha familia passou a algumas horas atras. Não costumo assistir TV e não entrava na internet a dois dias. Ligaram da escola de meus filhos por volta das 16 hrs mandando eu ir buscá-los, pois a escola ia fechar. Fiquei assustada, mais assustada ainda qdo descobri que o centro comercial do meu bairro já tinha fechado. Entrei em desespero, liguei pra todo mundo que conheço, cada um com uma história pior que a outra, parentes que tiveram que ir a pé do centro da cidade até a zona norte e o pior, meu marido trabalha em Campinas e só chega após as 22 hrs em SP e de ônibus…liguei nos noticiários e durante 1 hora aproximadamente mantive o estado de pânico. Passado-se essa uma hora, mudei o canal da TV e como tenho TV a cabo fui assistir um filme enquanto meus filhos brincavam, depois de assistir um filme, um seriado e alguns desenhos, eu já nem lembrava mais o que tinha acontecido. Engraçado, foi como se aquilo tudo que havia passado por minha cabeça horas antes não tivesse ocorrido. Agora, muito mais calma, agraadeço por vc ter escrito essa matéria e peço para que as pessoas passem paz, muita tranquilidade e confiança para os outros. Não precisamos de terrorismo psicológico, mas de uma noite tranquila. Obrigada

  18. Comentou em 15/05/2006 Andreia Santana

    Andar nas ruas hj já era um terror, mas o governador dizendo na TV q a situação estava sob conrole e vc sabendo q conhecidos tinham morrido ou corriam risco é de dar medo!! Dá medo tbm o sensacionalismo da midia agora, q deixaram as pessoas sem raciocinar, e o sensacionalismo dos candidatos de outubro q usarão este fato para as ‘soluções rapidas e vigorosas’. Precisamos tomar cuidado com todo o tipo de bandido.

  19. Comentou em 15/05/2006 tarcisio oliveira

    eu acho que a policia do Estado de São Paulo
    esta mostrando quem esta controlando a situaçao e que não vai ser comandos criminosos pararelos sem nemhum escrupos e que seu unico objetivo e desetruturar todo otipo de justiça e tranquilidade do cidadão brasileiro e agora o cumulo do o advogado do pcc em uma entrevista dada ao sbt falou que o pcc que ele é uma grupo de presos que se sentiam injustiçados vamos resumir eu acho a republica federativa do brasil deveria a comecar a penasar em se adotar a pena de moret para que em vez de criar escola para malandro vamos esvaziar que e bem melhor e vai diminuir e muito o custo de um detento para o estado

  20. Comentou em 15/05/2006 MARCO ANTONIO LIMA ALVES

    O colunista até tem razão em considerar que há pânico, inclusive maldosamente colocado.Porém com o desgoverno que há no Brasil, não se pode condenar a população por não manter a calma,pois não há a menor confiança nas autoridades,que inclusive cansaram de afirmar que o PCC havia acabado.Se consideram a imprensa alarmista, me perdoem,mas se o colunista acha esse terrorismo feito por bandidos algo normal,ele devia se candidatar a correspondente em Bagdá ! O que falta é dinheiro para educação e segurança, o que é impossível pagando o que se paga de juros no Brasil, e punir politicos corruptos, que desviam verbas escandolosamente.

  21. Comentou em 15/05/2006 Erika sarraipo

    O sR. Marcelo Duwalibi deveria ser dar por satisfeito por morar em SJC. Caso queira conferir que a realidade nao é a apresentada pelo Tv, venha dar uma volta por Higienopolis, a 1 da tarde….e verificar que a aparente tranquilidade pode ser derrubada pelo ataque – ao seu lado – de uma base da policia civil e vc nao tem pra onde correr porque nao sabe se eles noa intentam contra sua vida tb. Fça a me o fvor !!! Não está sendo exagerado! Esteja a vontade para nao fazer o toque de recolher que, como o sr. deduz, está sendo feito por nos mesmos…e se o sr. quiser dar uma volta aqui em sp agora a noite, esteja a vontade! E boa sorte!!!

  22. Comentou em 15/05/2006 cínthia de melo

    Concordo com o comentário acima. Está claro que os meios de comunicação tem trazido à população um sensacionalismo sem precedentes, mas nos é evidente o perigo e a situação incomum e calamitosa em que se encontra o estado de SP.Tenhamos o mínimo de respeio àqueles que por precaução, desejam proteger a si e às suas famílias.Que os governantes se preocupem mais em resolver os danos que suas ambições tem causado, do que tranquilizar àqueles que só desejam retomar suas vidas normais.È fácil falar em síndromes, quandu se pode pagar sua própria segurança e a daqueles que ama.

  23. Comentou em 15/05/2006 Erasmo Moraes

    tudo demonstrou o q n poderia deixar de acontecer: governos ‘brandos’, passeatas em favor da ‘ paz ‘, legislações extremamente permissivas ao crime, principalmente nem considerando crime qualquer ato de assassinato ou violência praticado por alguém na faixa dos 16 e 17h anos. Qtos civis foram praticamente ‘trucidados’ e os autores amparados pela proteção da lei(ninguém abaixo dos 18 anos cumprirá pena maior q três anos n importa o que praticar). Constituintes fizeram uma Constituição contra o cidadão honesto, q trabalha, q paga impostos, q respeita as leis, lhe colocando como ‘boi de piranha’ à fúria criminosa dos pervertidos ou psicopatas. O q aconteceu agora coletivamente foi q o mal qdo n se controla na raiz, eles se propaga como uma infecção generalizada. O País precisa de uma nova Constituição, onde se previlegie os bons atos, os bons cidadãos, premiando os bons, os q trabalham, com escolas profissionalizantes gratuitas, ajuda de custo , refeitório comunitário , assistência médica e hospitalar e atendimentos odontológico e psicológico. Se investe tanto em presídios e todo mundo se preocupa c o preso, mas o cidadão q n trangrediu e permanece perseverando no caminho do bem ninguém se lembra dele, ninguém o ajuda, ninguém o orienta. A Constituição tal como ela está é injusta, parcial, é preciso reescrevê-la.

  24. Comentou em 15/05/2006 Marco Antonio

    Também é um equívoco subestimar a sensação de pânico da população. A maioria dos paulistanos não se concentram no centro da cidade, onde, até certo ponto, a ação dos bandidos não se fez presente (ainda). A maioria das pessoas saem dos extremos da cidade para o centro, ao trabalho, e é nessa saída e no retorno que cruzam direto a linha de fogo entre os pobres policiais e bandidos – não cruzam essa ‘faixa de gaza psicologicamente’, como na ditadura, até porque é um momento muito distinto daquele período.
    Muita gente ainda se acha isenta de tudo. Certamente porque não sentiu na pele o peso, o drama e o desespero da situação. Convenhamos: foram mais de 80 mortos, quase 200 ataques, mais de 60 ônibus em cinzas, bilheteria das estações do metrô metralhadas (pelo menos duas aqui bem perto de mim, na Zona Leste: Itaquera e Artur Alvim), guaritas da polícia alvejadas, balas perdidas… É muito para quem respira o ar carregado do momento, quem não o acompanha somente pela mídia, ouvir que é exagero superestimar a situação… Não é fato de superestimar, não, trata-se da mais estarrecedora realidade. Basta o disparate do governador dizendo que já se previa as ações criminosas e que tudo ocorreu dentro do previsto, com absoluta normalidade. Quando as nossas elites sentirem na pele o peso dessa realidade, deixará de subestimar quem a conhece.

  25. Comentou em 15/05/2006 Iorgeon Haenkel

    O que mais me revolta nisso tudo é que o Governador Lembo já sabia que isso poderia acontecer, foi avisado 20 dias atrás. Embora eu não seja alarmista, não podemos desconsiderar que 81 mortos, 68 ônibus depredados, agências bancárias depredadas, caos no trânsito, presídios destruidos, em poucos dias, sejam apenas considerados distúrbios leves. Novamente, a polícia peca por não adotar medidas preventivas e duvidar da capacidade do crime organizado. O que podemos apreender disso tudo é que, se não forem resolvidos, emergencialmente, o problema da superpopulação carcerária, este fato pode se repetir muitas vezes. Embora estejamos lidando com criminosos, ates de serem criminosos eles são seres humanos e não ratos de laboratório. Aqui não falarei da obviedade de se investir em educação e em programas de inclusão, pois graças a Deus estes programas começaram a ter o seu valor reconhecido. E graças a eles, apesar de alguns considerarem uma miséria, uma esmola, ainda evitam que muitas famílias optem pela marginalidade. Chegou a hora mais do que nunca das elites brasileiras, ao invés de pensarem só na repressão e na construção de presídios, contribuir para a diminuição das desigualdades. Falo da responsabilidade social , estes problemas não podem ser jogados só nas costas dos governantes. Temos que ter consciência que dívidas sociais seculares não se acabam num piscar de olhos.

  26. Comentou em 15/05/2006 MCostaSantos Santos

    Nossos parlamentares e governantes, todos, a nível federal, estadual e municipal são os grandes culpados dessa situação. Na sua grande maioria se preocupam, há décadas, como roubar a nação e não como garantir os direitos civis à população.
    Outubro está próximo, o povo saberá usar o voto conscientemente.
    O povo clama por seus direitos civis.

  27. Comentou em 15/05/2006 Joao Fontes

    E o pior é que daqui a pouco vao sair do armario aqueles que defendem solucoes tipo pena de morte, trabalho forcado para presos, etc. Ja tivemos uma amostra quando o delegado que anunciou o fim do PCC anos atras agora propoe desligar as antenas de celular proximas aos presidios. O governador que agora gravar e ouvir as conversas entre presos e advogados. Nao falta so dinheiro na seguranca. Falta massa cinzenta ate mesmo para dar entrevistas

  28. Comentou em 15/05/2006 marcelo dawalibi

    Sem dúvida, os programas do estilo ‘mundo cão’ fizeram escola. O clima de ‘guerra’ que alguns órgãos de imprensa criam diariamente encontrou campo fértil nesta segunda. Aqui em São José dos Campos, onde moro, uma cena impressionante: andando pelas ruas às 19:30, não via ninguém. É importante dizer: quem decretou o toque de recolher não foram os criminosos, foram os meios de comunicação alarmistas.

  29. Comentou em 15/05/2006 José Porto

    Síndrome do pânico? O colunista considera normal o caos que se instaurou na cidade de São Paulo, com rebeliões simultâneas em presídios, 81 mortos, atentados planejados para serem executados em diferentes pontos da cidade (com sucesso). O que o colunista entende por perigo? Bagdá seria suficiente?

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem