Quinta-feira, 20 de Setembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1005
Menu

CÓDIGO ABERTO > Código Aberto

Sites de jornais brasileiros seguem a imprensa dos EUA e dão mais espaços a Barack Obama

Por Carlos Castilho em 09/03/2008 | comentários

O pré-candidato presidencial do Partido Democrata dos Estados Unidos foi o assunto de 60% das manchetes de alto de página nos cinco principais sites jornalísticos brasileiros. Na mesma semana de 25/2 a 4/3, 48 jornais norte-americanos dedicaram 69% da cobertura eleitoral a Barack Obama, conforme uma pesquisa do Projeto pela Excelência no Jornalismo (Project for Excellence in Journalism). 


 


Mas apesar de Obama ter recebido mais espaço na mídia do que os demais pré-candidatos tanto do partido Democrata como do Republicano, tanto aqui como nos Estados Unidos, o teor das matérias publicadas na imprensa norte-americana é muito mais crítico ao senador negro do que nos sites de jornais brasileiros.


 


De todas as manchetes brasileiras relacionadas à campanha de Obama, 60% delas mencionavam explicitamente a possibilidade do pré-candidato oposicionista ganhar as eleições presidências de novembro nos Estados Unidos..


 


No mesmo período e nos mesmos sites noticiosos brasileiros, nenhum deles referiu-se explicitamente a uma possível vitória da também pré-candidata democrata Hillary Rodham Clinton.


 


Na cobertura dos dois principais partidos políticos norte-americanos, o Democrata ganhou disparado do Republicano em matéria de espaço na mídia. Os dois pré-candidatos democratas receberam 93% das manchetes dos sites monitorados, enquanto o candidato republicano John McCain ficou com apenas 7% .


 


O monitoramento das páginas de abertura dos sites dos jornais Folha de São Paulo, Estado de São Paulo, O Globo, Jornal do Brasil e portal G1 identificou um total de 30% de manchetes principais relacionadas à campanha eleitoral norte-americana, no período observado.


 


O site da Folha foi o que mais manchetes publicou sobre a campanha eleitoral norte-americana, com quase metade do total. Depois vieram O Globo e Estado, enquanto o JB deu apenas uma noticia de alto de página, no período monitorado. 


 


A clara prioridade dada pelos sites noticiosos brasileiros a Barack Obama é uma conseqüência da acirrada disputa dentro do Partido Democrata, que tem atraído muito mais a atenção da imprensa do que a tranqüila hegemonia de John McCain dentro do Partido Republicano.


 


Mais uma vez a imprensa, tanto no Brasil, como nos Estados Unidos, trata as disputas eleitorais a nível nacional mais como uma corrida de cavalos do que como um confronto de idéias. Todos parecem mais preocupados em saber quem será o vencedor e menos atentos às consequências politicas, economicas e sociais para norte-americanos e brasileiros.

Todos os comentários

  1. Comentou em 12/03/2008 Reinaldo Santos Santos

    Em outras épocas, era comum ouvir frases como: ‘o que é bom para os EUA, é bom para o Brasil’ ou ‘ O que é ruim pros EUA, é ruim para o Brasil’. Somos bombardeados diariamente com noticias vindas daquele país relacionadas às eleições, como se isso fosse fazer alguma diferença para nosso pais ou até mesmo pro resto do mundo. O que esperar de um povo que não vislumbra nada, a não ser, contemplar o próprio umbigo?

  2. Comentou em 11/03/2008 Odracir Silva

    Concordo c/ as observacoes, mas acho q haa um razao para isso, s/ q tenha q dizer q estaa havendo uma injustica c/ a Hillary. A Hillary e McCain representam a velha guarda do senado (e da politica), o Obama ee a nova guarda do senado (e da politica). Como os EUA estao haa um bom tempo neste pingue-pongue entre os democratas e republicanos, sempre q aparece algo de novo (mesmo travestido de democrata) ee motivo para ser noticia, o tal fato (factoide(?)) novo. Eu acredito q o Obama, como o Lula, faz o imaginario dos eleitores. Qdo o Lula se elegeu da primeira tb nao tinha muita substancia (e acredito q ainda nao tem), mas teve uma imagem muito forte. O discurso do Obama tb tem um forte apelo, o tal ‘we can do it’, dizendo q pode e vai mudar. So nao sei como ele vai fazer isto (e eu acho q nem ele sabe como faraa, pois atee agora ee soo retorica).

  3. Comentou em 10/03/2008 Ivan Moraes

    Que eu saiba foi Chomski que notou pela primeira vez que tratam Obama como atorinho de cinema. Ninguem faz uma unica pergunta (‘dura’) a ele a respeito de nada. Quantos na imprensa brasileira ja sabem qualquer posicao dele a respeito de qualquer assunto? Aqui tambem, mesma coisa.

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem