Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

CÓDIGO ABERTO > Desativado

Só um jornal foi para cima do senador

Por Luiz Weis em 26/05/2007 | comentários

Cesta de três pontos do Globo na abordagem da crise desencadeada pela denúncia da Veja de que, de janeiro de 2004 a dezembro de 2006, Claudio Gontijo, lobista da empreiteira Mendes Júnior, pagou o aluguel de um apartamento para uma jornalista de Brasília com quem o presidente do Senado, Renan Calheiros, teve uma filha e uma pensão para a menina, somando R$ 16,5 mil mensais.


Além disso, ainda segundo a revista, em matéria assinada pelo repórter Policarpo Junior, o lobista pagava também um flat no Blue Tree da capital para uso pessoal do senador alagoano.


Cesta de três pontos porque, enquanto a concorrência ou trombeteava o óbvio ululante – ‘Acusação complica situação de Renan’ (Folha) – ou dava como certo o que ontem era apenas hipótese – ‘Ligação com lobista leva Renan ao Conselho de Ética’ (Estado, indo além do que banca a sua própria matéria) -, o jornal carioca foi direto para cima do senador, com ‘Renan dá explicações confusas sobre lobista’ (na primeira página) e ‘A contradição do senador’ (na principal matéria, assinada por Adriana Vasconcelos, Evandro Éboli e Ilimar Franco).


Fez mais ainda – do que se falará logo adiante para não perder o fio da meada.


O Globo simplesmente pegou no nervo exposto da nota do senador, a passagem em que ele assegura:


‘Jamais tive qualquer despesa ou gasto pessoal ou de meus familiares custeados por terceiros. Meus compromissos sempre foram honrados com meus próprios recursos.’


Pois bem. Em vez de se limitar, burocraticamente, a reproduzir o texto e ‘repercuti-lo’ entre os políticos, o Globo resolveu somar dois com dois. De um lado, o que Renan disse à Veja sobre os seus rendimentos. De outro, o que já havia dito.


Para sair do enrosco de que a sua paga de senador – R$ 12,7 mil – não lhe permitiria arcar, ele mesmo, com o sustento da filha e o aluguel da moradia da mãe, Renan alegou que, além do subsídio, ele possuía ‘rendimentos agropecuários’.


Só que, checando a mais recente declaração de bens informada por Renan à Justiça Eleitoral, o reportariado do Globo não viu nenhuma fazenda, nenhuma cabeça de gado. O homem disse ter uma casa, dois apartamentos, dois carros – tudo muito urbano, pois.


De posse disso, o jornal foi a Renan e deu com a cara na porta, ou melhor, na declaração da assessora de imprensa do senador de que se tratava de ‘assunto privado’ – como se os haveres e posses de servidor público ou mandatário só a ele dissessem respeito.


Tudo somado, tem-se por enquanto o seguinte: o lobista Gontijo confirmou à Veja os pagamentos. Com o dinheiro de quem? ‘Meu é que não era.’ A empreiteira também jura de pés juntos que nunca pagou nada a Renan por baixo dos panos – só contribuições legais de campanha.


Perguntar não ofende: alguém por aí sentiu cheiro de caixa 2? Mas passemos.


Bate com a afirmação da matéria da Veja sobre a proximidade – ou será promiscuidade? – entre o lobista e o senador a informação divulgada pela colunista Mônica Bergamo, da Folha, de que o primeiro estava ontem ao lado do segundo, como sua testemunha, na audiência de conciliação numa Vara da Famíliza do DF, em que mãe e pai se puseram de acordo sobre a pensão dele para a filha – R$ 7 mil.


O plus do Globo de que falei acima está na coluna Panorama Político, assinada por Tereza Cruvinel. Ou muito me engano, ou só ali nos jornais de hoje se encontra uma referência ao fato de que a matéria da Veja padece de um crônico problema de reportagens do gênero na mídia nacional: não tem corroboração.


É a velha história: um repórter pode ser um santo homem que nunca desobedeceu ao nono mandamento bílbico –  ‘Não darás falso testemunho contra teu próximo’ -, pode estar absolutamente convencido no íntimo de que é pura verdade o que apurou e vai escrever, mas, como diziam ontem os políticos da nota de Renan, ‘não basta, é insuficiente’.


Lembram-se do pacto dos repórteres Woodward e Bernstein, na cobertura do Watergate? Nunca afirmar algo que não possa ser atribuído a alguém, sem a confirmação de pelo menos duas outras fontes, que pudessem ser citadas, embora não identificadas.


Isso, a Veja não fez. Por isso, ela tem ‘meia razão’, nas palavras de Tereza, quando justifica, em nome do interesse público a publicação de uma história que tem a ver com o que a nota de Renan considera ‘uma turbulência circunscrita à minha mais íntima privacidade’.


Meia razão, explica Tereza, porque a Veja ‘afirmou, mas não provou, que a empreiteira pagou pensão a uma filha do senador, bancou o aluguel da mãe da menina e ainda cedeu um flat para Renan usar em reuniões discretas’.


É esse divulgar-sem-corroborar que dá razão inteira ao presidente Lula no seu comentário a respeito. Por menos que lhe interessem novas turbulências políticas, além das muitas já provocadas pela Operação Navalha – que ainda não parou de cortar -, é objetivamente incontestável o que declarou aos jornalistas que o abordaram num evento no Itamaraty:


‘Pobre de quem fizer julgamento de uma pessoa por uma matéria.’


***


Os comentários serão selecionados para publicação. Serão desconsideradas as mensagens ofensivas, anônimas, que contenham termos de baixo calão, incitem à violência e aquelas cujos autores não possam ser contatados por terem fornecido e-mails falsos.

Todos os comentários

  1. Comentou em 19/06/2007 Leopoldo Tibério

    Sou militante do PT e sei da importância do apoio do Presidente do Senado/Congresso ao Presidente da República, mas, antes de tudo sou brasileiro e, caso ele seja realmente culpado, tem que ‘pagar’, tal qual Ibsen Pinheiro pagou na época dos anões.
    Sou a favor da ética e da moral, por isso, acho importante, também, dar uma ‘olhadinha’ na jornalista e no seu advogado. Porque fico a perguntar: Porque somente agora ‘deram com a boca no trombone’? Será que foi porque o Senador não cedeu a algumas ‘pressões’ da dupla?
    Precisamos de uma resposta convincente.

  2. Comentou em 28/05/2007 Ivan Moraes

    ‘Renan, Lulla, Sarney, Jáder, Malluf,etc.’: falando em […], se ninguem notou ainda, a fantabulosa explicacao terminou com fila para abracos e congratulacoes. Deu pizza, mais uma vez… sem contar com os 48 presos e 41 ja liberados. Eh a populacao, a PF, ou todo o planeta que tem cara de otario pros congressistas e pra justica? Otarios sao eles.

  3. Comentou em 28/05/2007 wilson tocchetto

    […]o senador Calheiros jura sua inocência, mesmo diante das evidências contrárias.
    Assim agem eles todos porque confiam na justiça que os protege, pois age numa recíproca troca de favores.
    É o velho ditado: lobo não come lobo.
    Mas não é só isso.
    Veja-se como todos os atingidos, a Justiça mais do que ninguém, estão se movimentando para amordaçar a Polícia Federal e calar a própria mídia; a Polícia Federal é que é a vilã, prendendo tantas pessoas de bem!
    Como sempre, quando acuados, usam de todos os meios, lícitos ou ilícitos, para se proteger.
    E a propósito das explicações de Calheiros sobre seus rendimentos, seria interessante examinar-se atentamente suas últimas declarações de bens e rendimentos para se saber se aqueles pagamentos todos feitos pelo seu intermediário, aquele da empreiteira, seriam compatíveis com os rendimentois brutos menos as despesas deduzidas e menos a evolução patrimonial; o simnples fato de tert tido um ganho bruto compatível com aquelas despesas não prova nada e não esclarece nada, como não justifica e não convence da licitude da intermediação havida nos pagamentos.

  4. Comentou em 27/05/2007 Pedro Costa

    Para o ilustre Luciano Baía Meneghite : farinhas do mesmo saco são Renan, Lulla, Sarney, Jáder, Malluf,etc.

  5. Comentou em 27/05/2007 Ana Lucia Amaral

    Desde que as ações policiais começaram a alcançar as chamadas elites econômicas e políticas, alguns profissionais da imprensa, parecendo saudosos dos tempos em que todos se apresentavam como vítimas do da força do aparato estatal, estão martelando na mesma tecla: ferimento da privacidade, da presunção de inocência, prejulgamento, etc. . Mas princípio jurídico não é mantra.

    Os investigados/acusados de hoje nada têm a ver com Vladmir Herzog e tantos outros vitimados pelo período de exceção. Os investigados/acusados de hoje, graças à evolução tecnológica ao alcance de uma polícia, que se profissionaliza mais e mais, não chegam a ser presos apenas por meros indícios ou arbitrariedade dos juízes a pedido do MP e da Polícia.

    O uso das interceptações telefônicas e telemáticas permitem o acompanhamento, em tempo real, da ação criminosa de quadrilhas que também se valem de meios mais sofisticados para a sua empreitada criminosa. As interceptações são confrontadas com procedimentos administrativos, em casos de licitações como os da Guatama, ou com o andamento de processos judiciais e fiscais como nos Casos Hurricaine e Têmis.

    As buscas e apreensões são, sobretudo, para obter informações sobre o destino dos bens de origem criminosa, que futuramente deverão ressarcir os danos causados.

    Portanto o juridiquês hipócrita só beneficia os marginais e não os cidadãos honestos.

  6. Comentou em 27/05/2007 Marcia sousa

    A muito deixei que acreditar em tudo oque a revista Veja diz, é uma revista decadente, de pires nas mãos, que a unica coisa que gosta de fazer e correr atrás de escandalos. parece urubu correndo atras de carniça, é a revista que mais acumula processos.
    O PRESIDENTE Lula ,disse pobre de quem julgar por uma materia, eu digo pobre de quem acreditar , o julgar pela Revista Veja, odeio a Veja, Diogo Mainardi,Reinaldo Azevedo, Policarpo JR, a Veja é a latrina do jornalismo ABAIXO A VEJA.

  7. Comentou em 27/05/2007 Marcia sousa

    A muito deixei que acreditar em tudo oque a revista Veja diz, é uma revista decadente, de pires nas mãos, que a unica coisa que gosta de fazer e correr atrás de escandalos. parece urubu correndo atras de carniça, é a revista que mais acumula processos.
    O presidente disse pobre de quem julgar alguem por uma materia, Eu digo ,pobre de quem acreditar, e julgar alguem pela Revista Veja. […]

  8. Comentou em 27/05/2007 Avelino de Oliveira

    Sabe sr Antonio, está havendo alguma confusão, primeiro, esse é o meu nome mesmo, segundo, eu jamais chamaria alguém de ‘inocente útil, mentecapto etc, quanto a limitado, todos somos, alguns mais outros menos, etc vazio de informações, de novo etc.’, sem conhecer alguém mais profundamente, mas cada um faz o que der na teia, de acordo com a experiência acumulada, nunca foi do meu feitio fazer isso e não vou começar agora.
    Talvez tenha lhe escapado que eu dei apoio à sua escrita, a intenção foi criticar a limitação dos meios de comunicação quanto a isso , que eu sei também os interesses defendido por eles. A PF do Presidente Lula, (de quem não só recebeu o meu voto, mas também militância) já efetuou 335 operações , com aproximadamente 6000 prisões, contra 20 do FHC.
    A ironia não foi contra o Sr. mas sim contra quem pensa o contrário, a visão da grande mídia.
    Que tal antes de de ser um franco atirador, disparando contra todos, procurar conhecer melhor?
    O sr vê como podemos dialogar sem partir para a baixaria? Sempre preferi esse caminho.
    Saudações

  9. Comentou em 27/05/2007 Marco Costa Costa

    O perdão esta ligado com o sentimentalismo clerical. Quanto ao Lulla esta combatendo a corrupção isso é pura piada de mal gosto. A corrupção ocorre nas barbas do barbudinho, o encantador de serpentes venenosas lá pelos corredores tenebrosos do castelo do rei sem roupas. O senador Ranan Calheiros esta junto ao capitulador de plantão, ou ele é cego pôr natureza ou não enxerga porque não quer ver, a corrupção esta encalacrada nos digníssimos parlamentares, essa do senador é apenas mais uma, de muitos que virão.

  10. Comentou em 27/05/2007 Antonio Jose Moura de Araujo

    Sr Avelino suas palavras fazem do sr alguem limitado pelo preconceito e pelo vazio da falta de informação.
    O perdão é algo inerte ao sr humano, bastava este o ter no coração, mesmo antes de Jesus.
    A corrupção está sendo combatida no governo LULA, no governo FHC nem isso.
    Portanto suas ironias (argumento de quem não tem argumento). demostram ser o senhor um inocente-útil, duvido que seu título seja verdadeiro, pois está mais para um mentecapto do que para um ser inteligente e com senso crítico.

  11. Comentou em 27/05/2007 Euclides Rodrigues de Moraes

    Sr. Weis,
    O que me impressiona, é perceber que tem pessoas que acreditam que um Senador perceba, apenas e tão somente, R$ 12.500,00. Tão Brincando???????Onde fica, verba de Gabinete, Combustivel, Assessores e etc.?

  12. Comentou em 27/05/2007 eduardo oliveira

    Se a imprensa depender de provas para fazer suas denúncias, nenhuma palavra poderia ter sido escrita sobre Collor.
    Isso mesmo, Collor foi absolvido pelo Supremo Tribunal Federal por falta de provas.
    Pense nisso, caro Luiz Weis.

  13. Comentou em 27/05/2007 Jorge Cortás Sader Filho

    A posição do senador Renan Calheiros é delicada, mas ele não é réu de processo criminal, nem está sendo investigado por CPI. Até que seja considerado culpado, sem mais poder recorrer da decisão, é considerado inocente, perante a Constituição e ao Código Penal Brasileiro. Não tenho procuração para defender o senador. Mas as afirmações que estão fazendo contra ele, por enquanto, são destituídas de qualquer prova. Pouco importa se ele declarou que paga todas suas contas, e não tem, como disse, propriedade rural. Pode perfeitamente ser um investidor nesta área, como muitos. Esta história está confusa, e Calheiros vai ter que dar maiores explicações sobre a mesma. Não acho que a Globo fez cesta de três pontos. Sua excelente colunista, Tereza Cruvinel, alerta que as notícias foram dadas – na Veja, incluisive – mas não há provas. Crucificar alguém assim é ato de extrema covardia, como igualmente o é deixar o fato passar sem qualquer investigação. Estas situações são delicadas, e é necessário ver que está sendo colocada em dúvida a honestidade do Presidente do Senado Federal. Uma investigação rigorosa e profunda deve ser levada a cabo. Afinal, não é um baderneiro que invadiu a Usina de Tucuruí que esta sendo acusado – que acintosamente afirmou que os próximos ataques podem ser feitos contra as torres de transmissão – mas o Presidente do Congresso Nacional.

  14. Comentou em 27/05/2007 Maikel Marques de Melo

    Eu só espero que o nobre senador apresente explicações convincentes sobre este episódio…se é que será possível. Seja lá qual for a verdade, o fato é que nós, alagoanos, estamos enojados de tanta notícia ruim envolvendo os políticos aqui da terrinha. É uma pena que um Estado tão pobre não evolua economicamente, mesmo tendo filhos ‘ilustres’ no centro das decisões republicanas.

  15. Comentou em 27/05/2007 aurelio leal

    Caro Weis,

    Penso, haver um engano, no caso Watergate
    o jornal fez e continuou a denunciar, a Justiça coube as investigações
    O Globo, a Tereza e o Senhor estão querendo que Veja denuncie e
    PROVE ser verdade. É demais… Preocupa-me estas polêmicas da
    nossa imprensa apenas porque só ajuda estes políticos corruptos
    que já tem a proteção de alguns da Justiça. É muita coincidência…
    não acha? Já basta a ‘imprensa’ subsidiada pelo governo. Perdão,
    mas verifique o currículo do Senador na revista Forum (talvez não
    preste por ser ‘nanica’) n. 49,abril 2007, pag 37. Se não tivermos uma imprensa como ‘quarto poder’ vamos ser uma república da cor-
    rupção. Êles estão fazendo tudo para que tal aconteça…

  16. Comentou em 27/05/2007 Maria José Pila D´Aloia

    Acredito que o Senador em questão, tenha negócios agropecuários, assim como seus pares, infelizmente no calor da discussão esqueceu que referidos bens não estão em seu nome.
    Fica a pergunta. Quem em sã consciência não declararia ao Fisco despesas reais, para dimunir o imposto devido? Também a dúvida.

  17. Comentou em 27/05/2007 Avelino de Oliveira

    Sabe sr. Antonio José Moura de Araujo, Bancário (Serrinha/BA), é mais ou menos assim, o perdão só passou a existir depois de Cristo, e a corrupção só depois do Lula.

  18. Comentou em 27/05/2007 Luciano Baía Meneghite

    Gostaria de saber uma coisa.O posicionamento da afiliada da Globo no Maranhão,pertencente a família Sarney,está sendo isenta com relação ao governador Jackson Lago que derrotou esta oligarquia?Sem querer tomar a defesa de ninguém,até o momento nada está comprovado contra o governador.A mídia já cometeu diversas vezes o erro de condenar primeiro antes da apuração total.Quanto a Renan calheiros…Veja…Sarney…Globo….são todos muito parecidos.

  19. Comentou em 27/05/2007 Cesar Guimarães

    Será que o Globo será tão competente com todos os envolvidos, ou se esconderá depois que desenrole toda a operação navalha.

    Gostaria de dizer que a imprensa está a serviço do povo, mas não está, e nem vocês estão meus amigos, o povo está sozinho, infelizmente essa é a realidade do momento político brasileiro.

  20. Comentou em 27/05/2007 Eliane Martins

    Operação Navalha estampada em tds os jornais!Alguém precisa se destacar,trazer algo novo.E esse é o desafio do jornalismo impresso.Ainda maior é o desafio de uma revista,com periodicidade semanal.A Veja precisava ser diferente e trazer um furo espetacular!Solução: vamos adiantar nossa edição e colocar um conteúdo q só nós temos.Corroboração?Não,vamos confiar em nossas fontes.Felizmente,para ela,a informação prestada foi comprovada. O Globo,msm interessado em destacar a insuficiência da matéria apresentada pela revista,fez o favor de colocar em pratos limpos as contas do senador,tornando-se,de certa forma,uma matéria complementar a anteriormente apresentada pela Veja.E com o msm objetivo q motivou a manchete da revista: apresentar um fato novo,msm q baseado em um assunto já abordado.Por fim,ambos veículos sairam no lucro,um por noticiar a bomba misteriosa q o outro teria,mais a frente,a sutileza de desvendar.Sem dúvida a equipe da Veja correu um grande risco.Entretanto,quem hj em dia sobrevive no mercado competitivo sem se sentir em um campo minado?!

  21. Comentou em 26/05/2007 Philemon Brito

    Essas notícias de corrupção divulgadas no Brasil, só servem para vender revistas e jornais. O Ministério Público; a Polícia Federal; Roberto Jeffeson; seja lá quem for, denunciam, CPI são feitas, tudo fica provado e comprovado mas ninguém vai preso ou devolve o que surrupiou. A falta de escrúpulo disseminou-se por todos os poderes. E nós, oh! Ainda somos obrigados a pagar a conta…

  22. Comentou em 26/05/2007 Isabel Couri

    Ainda que temos a Globo e a Veja para nos mostrar o mar de lama de Brasília.Alguém acreditava que esse sujeito fosse honesto?
    Um sujeito que se vendeu ao pt tem como ser honesto?
    O pior é que ele insiste que é inocente. Com o salário de 12 como pagar pensão de 16.500 ?
    Mas é só esperarmos que vem mais por aí,a tal Dilma não estava passeando numa lancha alugada pela quadrilha?
    Será que Veras ia fazer as obras do PAC?
    E o Saney ? Vamos esperar a lista completa dos presenteados pela Gautama?
    Pobre Buda onde andam usando seu nome.

  23. Comentou em 26/05/2007 José de Souza Castro

    ‘a matéria da Veja padece de um crônico problema de reportagens do gênero na mídia nacional: não tem corroboração’. É verdade. Mas acho que a Veja fez uma aposta: os fatos posteriores se encarregariam da corroboração. E a nota do senador mostra que a aposta estava certa. A história dos rendimentos agropecuários constestados pelo Globo corrobora mais ainda. A vida política pregressa do senador, idem. Pensando bem, a Veja não apostou num azarão…

  24. Comentou em 26/05/2007 Marco Costa Costa

    O Senador Renan Calheiros, diz que sempre honrou seus compromissos particulares com seus próprios recursos financeiros. Até aí tudo bem, mas ele não usa a transparência como determina a norma de boa conduta moral, pois não fala qual a fonte que liberou esses recursos para cobrir pensão, aluguel, entre outros malabarismos extra campo que temos que resolver no cotidiano. Notícias com esse conteúdo não tem mais graça, pois tudo que vem de lá, esta relacionado com a corrupção, lobismos e mais ismos que freqüentam aquela bela Capital Federal. A imprensa não pode se restringir somente em noticiar às malandragens que aqueles “santos” homens praticam na calada da noite, tem aqueles cara de pau que praticam em qualquer horário, tem que fazer uma campanha maciça para limpar os corredores tenebrosos daquela casa cheia de fantasmas que furtam a nação e ninguém vê.

  25. Comentou em 26/05/2007 Marco Costa Costa

    Estamos muito próximos da insanidade geral, vivemos cercados de quadrilhas de todos os tipos e modelos. Existe aqueles bandidos de periferia que constituem quadrilhas, não junina, mas de marginais pés de chinelos, existem também os bandidos que se agrupam em bairros de classe média, os de gravata e terno. Quanto aos bacanas, estes se juntam para sonegar o fisco, roubarem o consumidor final. Tem quadrilha da saúde, habitação, educação e assemelhados. Mas a pior e mais periculosa são às quadrilhas que o sistema gera nas suas entranhas, são senadores, juizes, deputados, auxiliares e asseclas deste ou daquele partido político. Já o povo vive a deriva, uma ora a beira do cais, outras a beira do canal, algumas a beira do caos, esta todo mundo louco, esta todo mundo louco pôr dinheiro, principalmente os governantes que infelizmente são eleitos pelo povo, porém vivem em completa luxuria. Viva o louco, viva a loucura, viva o doente mental, viva nós, viva eles e morte para aqueles que vivem em quadrilhas espalhadas pôr este imenso país.

  26. Comentou em 26/05/2007 Marco Costa Costa

    Estamos muito próximos da insanidade geral, vivemos cercados de quadrilhas de todos os tipos e modelos. Existe aqueles bandidos de periferia que constituem quadrilhas, não junina, mas de marginais pés de chinelos, existem também os bandidos que se agrupam em bairros de classe média, os de gravata e terno. Quanto aos bacanas, estes se juntam para sonegar o fisco, roubarem o consumidor final. Tem quadrilha da saúde, habitação, educação e assemelhados. Mas a pior e mais periculosa são às quadrilhas que o sistema gera nas suas entranhas, são senadores, juizes, deputados, auxiliares e asseclas deste ou daquele partido político. Já o povo vive a deriva, uma ora a beira do cais, outras a beira do canal, algumas a beira do caos, esta todo mundo louco, esta todo mundo louco pôr dinheiro, principalmente os governantes que infelizmente são eleitos pelo povo, porém vivem em completa luxuria. Viva o louco, viva a loucura, viva o doente mental, viva nós, viva eles e morte para aqueles que vivem em quadrilhas espalhadas pôr este imenso país.

  27. Comentou em 26/05/2007 Dante Caleffi

    Quer dizer que O GLOBO,é um jornal do princípio ao fim,conforme a tradição investigativa da boa imprensa.Quando ,convém.
    Essa história,envolvendo MENDES JUNIOR,embora com seu passado de empreiteira, crescida ,à sombra dos benefícios e apadrinhamentos,que eram parcimoniosamente ,distribuidos, pelos governos,aponta ,para uma inesperada direção.Algo mudou.
    O cavalheirismo, da disputa,tudo indica ,foi substituido pelo jogo bruto. Percebem-se,as digitais da concorrência,nesse episódio de Renam Calheiros.Assim como, a edição antecipada de VEJA,é inusitada,ainda que ,dela se espere, inescrupulosidade.

  28. Comentou em 26/05/2007 carlos cotrim

    ESTA NAVALHA CORTA FUNDO,TUDO QUE A VEJA E O RESTO DISSE,EH VAZAMENTO PRIVILEGIADO DA PF.PODE ?

  29. Comentou em 26/05/2007 Paulo Scorpii

    Curioso o argumento do articulista: ele critica a Veja por não ter corroborado as informações que publicou e elogia o Globo que repercutiu bem as informações não-corroboradas. Pelo visto, a lógica do articulista é esta: quem merece três pontos não é quem enfia a bola na cesta, mas quem a pega embaixo, depois de ter sido encestada.

  30. Comentou em 26/05/2007 Gustavo Brites

    vem a calhar o envolvimento de calheiros puro tracadilho.
    como já dizia uma musica que virou o hino de Brasilia, SE GRITAR PEGA LADRÃO NÃO FICA UM MEU IRMÃO………

  31. Comentou em 26/05/2007 Adriano Soares de Assis

    Se a Receita Federal buscasse a fundo na declaração de renda – observando a evolução patrimonial de cada político do Brasil – teríamos a chance de saber muito mais a respeito dessas ‘Gatunamas’ que proliferam país afora. Agora imaginem o que aconteceu neste país no tempo da ditadura, com toda aquela censura à imprensa!

  32. Comentou em 26/05/2007 Fábio Carvalho

    Policarpo Júnior é o jornalista do vídeo da propina. Ele teve acesso às imagens do petequeiro Maurício Marinho. Depois, na CPI dos Correios, descobrimos que a gravação foi feita por araponga da Abin, Jairo Martins. Este, por sua vez, disse que trabalhava para um empresário que perdeu licitações, Arthur Washeck. Disse também que a revista Veja acompanhava as investigações. Que sejam apurados os eventuais crimes cometidos pelo senador Renan Calheiros, mas não venham me dizer que criticar Policarpo Júnior é bater no mensageiro. Para quem não se lembra, Policarpo é o que ouviu ainda o doleiro Toninho da Barcelona, ‘um preso político’.

  33. Comentou em 26/05/2007 Calypso Escobar

    Nunca se viu em qualquer espaço do planeta que o cheiro de fumaça desdiga estar havendo um incêndio,é por este caminho que a humanidade caminha com passos alienantes.Mulher(eu o sou) vende poções venenosas para extrair o ritual pagão do bolso do ‘ingênuo’.Crio meus ingênuos com este diálogo intermitente e as cisóes elaboradas têm tido sucessos.Renan está enroscado como muitos e o pânico de seus colegas o definem,sem a desmontagem de pequenas ilhas,elas têm um tamanho imenso.Grata

  34. Comentou em 26/05/2007 Marco Costa Costa

    O Senador Renan Calheiros, diz que sempre honrou seus compromissos particulares com seus próprios recursos financeiros. Até aí tudo bem, mas ele não usa a transparência como determina a norma de boa conduta moral, pois não fala qual a fonte que liberou esses recursos para cobrir pensão, aluguel, entre outros malabarismos extra campo que temos que resolver no cotidiano. Notícias com esse conteúdo não tem mais graça, pois tudo que vem de lá, esta relacionado com a corrupção, lobismos e mais ismos que freqüentam aquela bela Capital Federal. A imprensa não pode se restringir somente em noticiar às malandragens que aqueles “santos” homens praticam na calada da noite, tem aqueles cara de pau que praticam em qualquer horário, tem que fazer uma campanha maciça para limpar os corredores tenebrosos daquela casa cheia de fantasmas que furtam a nação e ninguém vê.

  35. Comentou em 26/05/2007 Marco Costa Costa

    O Senador Renan Calheiros, diz que sempre honrou seus compromissos particulares com seus próprios recursos financeiros. Até aí tudo bem, mas ele não usa a transparência como determina a norma de boa conduta moral, pois não fala qual a fonte que liberou esses recursos para cobrir pensão, aluguel, entre outros malabarismos extra campo que temos que resolver no cotidiano. Notícias com esse conteúdo não tem mais graça, pois tudo que vem de lá, esta relacionado com a corrupção, lobismos e mais ismos que freqüentam aquela bela Capital Federal. A imprensa não pode se restringir somente em noticiar às malandragens que aqueles “santos” homens praticam na calada da noite, tem aqueles cara de pau que praticam em qualquer horário, tem que fazer uma campanha maciça para limpar os corredores tenebrosos daquela casa cheia de fantasmas que furtam a nação e ninguém vê.

  36. Comentou em 26/05/2007 Ivan Bispo

    A respeito desse assunto vou ficar com a opinião do Luis Nassif, isso é coisa de lobista querendo prejudicar o concorrente. Nada mais.

  37. Comentou em 26/05/2007 janes pretto

    Inacreditável ver os verdadeiros bandidos desse país começaram a ser investigados. O PMDB, que faz tempo não prima pela ética, mas pela ganância, está tendo que mostrar a cara pois sempre esteve por trás das cortinas, surrupiando e colocando a culpa em ‘outros’, com a conivência da mídia que sempre protegeu os coronéis, os caudilhos, os privados que corrompem , não pagam impostos e não sabem viver sem o dinheiro público.Nào nos iludamos, a Veja só tem atacado o PMDB porque ele passou a ser da base aliada do governo.

  38. Comentou em 26/05/2007 Ivan Moraes

    ‘não sobraria um para contar a história do oceano de lama existente’: Concordo, Marco, mas pessoalmente eu bem prefiro a POLICIA FEDERAL em todos os ASSUNTOS FEDERAIS, tanto senatoriais como espionais. Tem alguma coisa aqui que nao esta explicada. Senador com conta paga por beijabundas eh noticia velha, eu sei disso desde 79. Porque a Veja, e porque agora?

  39. Comentou em 26/05/2007 Antonio José Moura de Araujo

    Resta saber por que o o GLOBO não fazia isso quando o governo era do FHC?
    Será por que no governo anterior não existia corrupção?

  40. Comentou em 26/05/2007 Marco Costa Costa

    Tudo vem a calhar no jogo de lobistas com o envolvimento do Calheiros em recebimento de agrados e mimos dos mais diversos. Será que uma pessoa de bom senso, ainda se assusta em saber que esse indivíduo esteja envolvido direta ou indiretamente com o suborno desenfreado que ronda a casa da Eni, aonde há fumaça, não há churrasco, mas há fogo. O que a imprensa noticiou é irrelevante, pois sabemos que a honestidade passa quilômetros de distância do conglomerado de partidos políticos que proliferam como grama em jardim do Congresso. Uma hipótese remota, se o Brasil fosse em país sério e os políticos passassem pôr uma devassa, com certeza, não sobraria um para contar a história do oceano de lama existente nos meios da nobre arte de prometer e não cumprir.

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem