Domingo, 17 de Junho de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº991
Menu

CÓDIGO ABERTO > Desativado

Sócio de Duda é preservado na Veja. Jornais e tevês não repercutem denúncia contra anunciante

Por Alceu Nader em 16/01/2006 | comentários


A reportagem da revista Veja desta semana, sobre as atividades ‘não contabilizadas’ do publicitário Duda Mendonça abre uma bifurcação na divulgação dos escândalos que se escondem atrás das campanhas eleitorais. Mais do que isso: os caminhos abertos para exploração do jornalismo investigativo colocam também em xeque a autonomia de diretores de redação. Duas cascas de banana foram deixadas para questionar a independência e a credibilidade dos veículos.

A primeiro dessas cascas esconde-se atrás de uma foto aparentemente inofensiva da reportagem ‘Marketing bandido’, na qual Duda Mendonça aparece entre outras duas pessoas: o ex-prefeito de São Paulo, Paulo Maluf, e uma terceira pessoa que a revista decerto se esqueceu de identificar. Trata-se de Nelson Biondi, sócio de Duda Mendonça durante os anos em que o ex-prefeito de São Paulo era o principal cliente da dupla. Nas eleições presidenciais de 2002, a dupla se desfez: Duda Mendonça bandeou-se para o PT e Nelson Biondi tornou-se o principal marqueteiro do candidato do PSDB, José Serra.

Biondi viveu anos seguidos de prosperidade ao lado do sócio do publicitário bandido, adjetivo que a revista aplica em Duda Mendonça inúmeras vezes no texto, mas seu nome é citado sequer na legenda que sustenta a foto:

O Ministério Público apura transações entre uma empreiteira que superfaturou uma obra em São Paulo, o publicitário Duda Mendonça e o ex-prefeito Paulo Maluf. Abaixo, a cópia de um cheque da empreiteira para Duda, no valor de 12 277 reais, por serviços que a empresa não explica. A suspeita é que a empreiteira pagou no caixa dois uma parte do que Maluf devia a Duda.

Pergunta-se:

Por que a revista, tão perspicaz e ágil em relacionar fatos e evidências para ampliar suspeitas, não toca no nome de Nelson Biondi?

Terá a omissão a intenção de preservar o cliente de Biondi nas eleições de 2002?

Algum jornal ou revista irá investir para aprofundar e contar a história com todos seus detalhes e personagens?

A segunda casca de banana está na reportagem auxiliar sobre lavagem de dinheiro, ‘Festa no exterior’, na qual várias personagens ilustres são alvo da perspicácia da revista. Dentre as várias celebridades, dois empresários aparecem em foto – Samuel Klein e seu filho, Michael, com a legenda ‘A família Klein, das Casas Bahia: movimentação de 1 milhão de dólares via offshore’.

Sem desmerecer a iniciativa da revista em levantar suspeitas sobre os controladores das Casas Bahia, a exposição dos empresários não provocou dilema de qualquer natureza na revista, mas o mesmo não pode ser dito dos jornais e das emissoras de televisão – foco dos investimentos milionários da rede de varejo. Dados da própria Associação Nacional dos Jornais de 2004 apontam a rede investiu US$ 235,1 milhões em publicidade nos jornais. Para se ter noção da importância desse investimento, o segundo maior anunciante em 2004, foi a montadora General Motors, com US$ 59,47 milhões, ou cerca da quarta parte da dinheirama despejada pela rede varejista.

Não foram encontrados na rede os números da bolada que as Casas Bahia investiram nas emissoras de televisão, mas pouco não foi: a mídia tevê abocanha quase metade do total investido pela rede varejista.

Com essa influência, torna-se mais fácil compreender porque os jornais e as emissoras de televisão mudaram de comportamento e não repercutiram as denúncias da revista.

Todos os comentários

  1. Comentou em 06/02/2006 David Alves da Silva Silva

    Esses promotores de mamadeiras de borracha (Globo,Veja,Isto É, f. São Paulo e etc.)são os mesmos que traíram a sociedade durante os anos de chumbo, calaram por covardia por seus interesses própios. O povo que se lasquem, nos estamos com eles, estamos dentro, quem não está, tá fora.

  2. Comentou em 20/01/2006 Igor Healt

    OI ALCEU VC VIU? NENHUMA MANCHETE SOBRE A PESQUISA DO IBOPE EM QUE LULA VENCE EM TODOS OS CENÁRIOS. SE LEMBRA QUANDO O LULA ESTAVA EM BAIXA? A PESQUISA DO IBOPE VIROU MANCHETE EM TODOS OS JORNAIS. OUTROS FATOS ESTÃO OCORRENDO, COMO A REABERTURA DO PROCESSO SOBRE A PRIVATIZAÇÃO DA VALE, 104 MILHÕES DEPOSITADOS EM CONTA DA SMPB NO PERÍODO FHC, SUPOSTAMENTE DESVIADOS DE ESTATAIS, COMO A TELESP, RIOCENTRO, ETC…POUCO REPERCUTE NA GRANDE MÍDIA. TÊM TAMBÉM OS CONTRATOS COM EMPRESAS DE INFORMÁTICA SEM LICITAÇÃO, NO PERÍODO DE 1995 A 2000, QUE SOMARAM 16 BILHÕES DE PREJUIZOS AOS COFRES PÚBLICOS, SEGUNDO AUDITORIA DO TCU. DEPOIS FALAM QUE NÃO ARMARAM UM GOLPE, BRANCO, MAS GOLPE.

  3. Comentou em 19/01/2006 nelson Patron Chapira

    Gentem, primeiro: parabéns Alceu.
    Segundo, e fim: pessoal, que tal crescer? Será mais fácil encontrar a prova da existência de Deus que um ser humano desinteressado. Não defendo quebras de ética ou quetais, mas sou realista. Agradeço aos interessados que, por amizade a esse, detonam aquele e, principalmente, o vice-versa. Porque só assim, lendo muitos veículos, checando fontes diversas e confrontando os fatos, podemos alcançar uma pálida visão da realidade. A última coisa que eu espero são comportamentos monásticos de publicações como Veja, Folha, Estadão ou o jornal do meu bairro. Ao contrário, até me divirto quando alguém descobre e denuncia as escorregadas. Ou seja, não espere achar a verdade na imprensa, mas, por partes, está tudo lá. O nome do jogo é ‘onde está Wally?’
    abraços a todos.

  4. Comentou em 18/01/2006 Beto Venturini

    O Alceu é um dos únicos críticos da Veja e do jornal Estadão aqui no OI. Estes juntos representam a extrema-direita do Brasil e esse ano estão funcionando como cabos eleitorais do PSDB e PFL. Nossa imprensa é ridícula!

  5. Comentou em 17/01/2006 Odorico Carvalho

    Por que será que VEJA chama Duda Mendonça de marqueteiro do PT? Afinal, Duda, desde 1990 já fazia suas estripolias, recebendo seus ganhos em contas no exterior, tendo servido a quase todos os partidos brasileiros, da mesma forma e utilizando os mesmos métodos. Por outro lado, muitos outros publicitários passaram pelo PT sem que precisassem usar da lavagem de dinheiro. Será que algum dia a VEJA vai nos dizer quem – e como – alimentou as três contas de Duda no exterior? Duvido muito. A Veja só tem uma obsessão, o PT.

  6. Comentou em 17/01/2006 Celmo Oliveira

    Caro Alceu,

    Que a imensa maioria da mídia proteje e defendem os seus, até mesmo partindo para acusações infundadas contra quem os julga opositores, está mais do que evidente. Agora falar daquela revistinha (com todo respeito à você), não dá mais. Aquilo é o retrato do que há de mais atiético, vulgar e irresponsável, que ainda temos que chamar de imprensa. Não tém o mínimo respeito com seus próprios leitores. Hoje um dos meus maiores arrependimentos foi ha 19 anos, ter feito parte do então seleto grupo de assinantes daquele semanário; e durante três ou quatro anos. Tenho a nítida impressão que foi um evidente atrazo de vida; e que custou outros tantos anos para desalienar minha consciência.

  7. Comentou em 17/01/2006 Célio Mendes

    Alceu muito oportuna sua observação, alias este é um assunto tabu na midia, o conflito de interesses entre jornalismo e anunciantes nunca foi esmiuçado em nenhuma midia, porque sera? sera que não existe este tipo de coisa na nossa imprensa ? Daniel Dantas que o diga não é mesmo?

  8. Comentou em 16/01/2006 José Carlos dos Santos

    É por isso que nem chego perto da tal de Veja, que assim como a Folha durante anos disse não ter o rabo preso com ninguém, ninguém que possa mencionar.

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem