Superblogs geram polêmica na Web | Observatório da Imprensa - Você nunca mais vai ler jornal do mesmo jeito
Quarta-feira, 15 de Agosto de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1000
Menu

CÓDIGO ABERTO > Código Aberto

Superblogs geram polêmica na Web

Por Carlos Castilho em 06/11/2005 | comentários


Um grupo de jornalistas norte-americanos lançará no proximo dia 16 um controvertido projeto de superblog onde vários profissionais pretendem unir forças para, entre outros objetivos, tentar obter maior cacife nas negociações com anunciantes e financiadores.


O Pajamas Media ( Imprensa dos Pijamas) surgiu inicialmente apenas como uma proposta comercial, mas depois evoluiu para um projeto editorial. Em si, a idéia parece ótima e sinaliza uma alternativa para centenas de profissionais que não encontram colocação no mercado da grande imprensa.


O problema é que os 16 sócios fundadores do Pajamas são quase todos eles conhecidos por sua tendência conservadora, o que imediatamente desatou uma apaixonada polêmica entre grandes nomes da blogosfera norte-americana.


Os criadores do projeto afirmam que não haverá discriminação ideológica e que os blogs associados serão chamados na página de abertura em função da qualidade da informação públicada. Os blogueiros liberais duvidam que isto vá acontecer e levantam também dúvidas sobre a transparência da política de distribuição de receitas geradas pela publicidade.


A guerra está esquentando a media em que se aproxima a data do lançamento do site, que pode ter outro nome para evitar trocadilhos e piadas. Surgiram rumores de que a igualmente controvertida repórter Judith Miller fará a apresentação solene do projeto. Judith é hoje uma figura estigmatizada na imprensa americana por ter protagonizado uma farsa para ajudar um figurão do governo Bush.


Mas independente do bate-boca ideológico, a estratégia dos superblogs representa um novo formato informativo que combina características de portal, revista, coluna pessoal, diário individual e site especializado. Tudo numa plataforma blog, onde o autor tem autonomia total e a centralização pode ser reduzida ao mínimo desejado. Na verdade trata-se de uma espécie de federação de blogs individuais.


A associação de vários autores dentro de uma determinada especialização (podem ser outras atividades além do jornalismo) para criar um superblog pode viabilizar financeiramente aqueles que levam o seu trabalho informativo mais a sério, seja qual for a sua área. O diferencial é a qualidade da informação, o estilo de apresentação e a frequência de publicação.


Como tudo na blogosfera é descentralizado e democrático, o surgimento de polêmicas como a dos Pajamas é inevitável e imprevisível. Afinal são posições ideológicas, interesses e egos em jogo, uma mistura de fácil combustão.


Aos nossos leitores: Serão desconsiderados os comentários ofensivos, anônimos e os que contiverem endereços eletrônicos falsos.

Todos os comentários

  1. Comentou em 11/11/2005 Diego Navarro

    Dois bons são o do Idelber Avelar (http://www.idelberavelar.com) e do Smart Shade (http://www.smartshadeofblue.brblog.com).

    Eu tendo a pensar que, não constituindo jornalismo à antiga, os blogues minam a posição do jornalista — que francamente não têm muito o que fazer num mundo crescentemente complexo. Admirável mundo novo 🙂

  2. Comentou em 08/11/2005 Calypso Escobar

    Os leitores precisam de notícias atualizadas e sem interferências dos profissionais.Afinal,uma boa leitura jornalística precisa sser descrita ao pé da letra,sem rodeios,sem mordaças,só dessa forma os leitores ficarão BEM informados,se houver pressão…toda ela restará da maneira errônea e controlada.

  3. Comentou em 07/11/2005 Edmilson Fidelis

    Antes de se buscar a liberdade se busca a sobrevivência.
    Muitos de bom grado trocam a segunda pela primeira.
    Estes só conhecem a esperança que de muito bom grado é somente o que lhes é oferecida. Já dizia Camus.

  4. Comentou em 07/11/2005 Fabio de Oliveira Ribeiro

    No princípio os blogs representaram uma diversificação das fontes jornalisticas colocando em risco a legitimação dos veículos de comunicação tradicional. Agora que alguns blogueiros conseguiram seu espaço pretendem empurrar os descontentes para o submundo ‘on line’. Entretanto, a legitimação de alguns blogs não será capaz de deter o processo de diversificação de fontes jornalisticas imposto na Internet. Os blogueiros que colocaram os jornais de lado rapidamente terão que competir no ciberespaço com os novos blogueiros que surgirão. Creio que o tempo que levarão para ser superados será menor que o que levaram para balançar os jornais tradicionais.

  5. Comentou em 07/11/2005 Aluizio Amorim

    Castilho,
    não encontro na web nada melhor do que seu blog no que tange a esses assuntos da mídia na internet.
    Amanhã, ou depois, vou comentar um artigo que vc escreveu para o Observatório referindo-se à torrente de blogs conservadores. Era um fato que já tinha notado depois que coloquei o meu blog no ar. E até hoje estou tentando descobrir um blog que se assuma como de esquerda, ou socialista, ou comunista. Nada. Se vc tiver alguma informação sobre isso, envie-me.
    Desconfio, entretanto, que a força de blogs conservadores acontece na mesma medida em que as esquerdas tradicionais perderam seu patrimônio categorial. O que existe de fato é uma extraordinária mudança na sociedade em todo o mundo. E muito disso decorre do impacto da internet. Começa a aparecer no horizonte da vida social vestígios de uma mudança sem precedentes. O novo, neste caso, amedronta e atemoriza, enquanto o aparelho conceitual que nos fornece a teoria política, atualmente, não consegue mais dar conta de analisar. O conceito operacional das categorias dda filosofia política – como Estado, Nação, por exemplo – perderam operacionalidade. Isto é um mero exemplo. Cada vez mais a dicotomia esquerda x direita perde, por isso, operacionalidade para nomear a realidade política. E é bom nunca esquecer que conceitos são construtos mentais intangíveis fisicamente e que a realidade é irredutível aos conceitos. Os conceitos não são cópias da realidade, muito embora só possamos exercer a análise e nomear a realidade através deles.
    O grande problema que há mais de 100 anos desafia as ciências humanas e sociais, é exatamente este aspecto epistemológico que se resume na querela sobre a cientificidade dessas ciências.
    Trato isso, ainda que de forma superficial, no meu livro ‘Elementos de sociologia do direito em Max Weber’.
    Ocupo-me atualmente em pensar exatamente sobre essas questões e, nas minhas contas, o impacto da tecnologia tem a ver com tudo isso. Não vejo também nenhuma revolução conservadora. Acredito que os postulados do velho e bom liberalismo acabarão por triunfar. A liberdade será sempre o bem mais caro ao ser humano. E é por ela que devemos lutar permanentemente, colocando-nos frontalmente contra qualquer solução autoritária. Convido vc e seus leitores a visitarem o meu blog: http://oquepensaaluizio.zip.net
    Cordial abraço do
    Aluízio Amorim

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem