Domingo, 17 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

CÓDIGO ABERTO > Desativado

Tarso quem?

Por Luiz Weis em 27/05/2006 | comentários

Dias atrás, numa conversa, o ministro de Relações Institucionais, Tarso Genro, trocou o nome de um político. Corrigido, reagiu bem-humorado, lembrando que às vezes é chamado de Tarso Dutra, também gaúcho, mas da velha Arena e direitista para ninguém pôr defeito.


Lendo a Folha de hoje, tem-se a impressão de que o jornal trocou de Tarsos ao atribuir ao ministro petista o juízo de que direito adquirido é um ‘conceito arcaico’.


Segundo o jornal, em chamada de primeira página, foi Genro e não Dutra quem defendeu ontem a ‘redução drástica de despesas da União, com corte de salários, pensões e aposentadorias’.


Sem entrar no mérito das posições de Genro – ou serão de Dutra? – elas conferem em caso, gênero, número e grau com as que o Estadão, por exemplo, vem defendendo em editoriais desde o tempo em que o PT cuspia fogo contra o neoliberalismo e prometia ‘acabar com tudo isso que está aí’.


Pois é. De vez em quando ler jornal de manhã é uma boa maneira de começar o dia sorrindo.


***


Os comentários serão selecionados para publicação. Serão desconsideradas as mensagens ofensivas, anônimas, que contenham termos de baixo calão, incitem à violência e aquelas cujos autores não possam ser contatados por terem fornecido e-mails falsos.

Todos os comentários

  1. Comentou em 28/05/2006 ALEX YOUNG

    Luis Weis,
    não é piada não, o que esses caras fazem pra nos explorar é de chorar. Nem choro mais, já secaram minhas lágrimas e não vou pra fila do SUS, sei que vou sair de lá sem remédio, infectado e cego… Com certeza corta os coitados, não os barrigudos….

    Seria muito bem vindo o corte dessa corja de políticos, que pela quantidade faría-nos ser país de primeiro mundo. É tanto nome que surge, cada figura, cada analfabeto, que dá medo!!!! E tanto dinheiro que vai….
    Tanto faz se é Genro ou é Dutra, não importa são todos da mesma laia!!! mesmo morto, TARSO DUTRA sai em jornal, faleceu em junho de 1985, e era Senador na época.

    Quanto à proibição acima:
    E se a sua coluna se chama ‘ VERBO SOLTO’ vamos ver se é mesmo!
    Podem publicar as baixarias de políticos, ponto e promoção pra eles!!
    Já estou farto do espaço que eles têm.
    Deixem as pessoas desabafarem também. Palavrão todos falam é é uma hipocrisia não aceitá-los. Quem for inocente, com certeza não os levará pra casa, nem terá sua mãe ofendida.

  2. Comentou em 28/05/2006 Swamoro Songhay

    Também li que o ministro falou que se cortem privilégios e não direitos. É bom registrar. Parece outro mundo: reeditam, aparentemente, a caça aos marajás; incorporam o mercado nos discursos sobre economia; falam em pacto de longo prazo para a estabilidade. O tudo que estava ai, está mais ai do que nunca. Desde Cabral não se via tanto mea-culpa como agora. As urnas é que vão cuspir fogo.

  3. Comentou em 27/05/2006 Humberto Bley Menezes

    A bem da verdade o verdadeiro Tarso disse também ‘Que se cortem privilégios e não direitos’. Cuidado com a ètica.

  4. Comentou em 27/05/2006 Jaqueline Ruza

    Luiz, Fico curiosíssima em saber se, quando um profissional da comunicação, no caso escrita, prepara um Editorial por exemplo, é realizada a revisão do texto. Não falo da revisão ortográfica, mas sim, da ‘leitura inteligente’.Essa revisão é feita por quem? Abraços.

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem