Sexta-feira, 23 de Fevereiro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº975

CÓDIGO ABERTO > Desativado

Uma sombra sobre a mídia

Por Luiz Weis em 18/11/2005 | comentários

Quem primeiro teve a má idéia – para um jornal que passou a vida fazendo praça de sua seriedade – foi O Estado de S.Paulo.

Como desgraça pouca é bobagem, dois outros jornais de circulação nacional e pelo menos um blogueiro, que se ofenderiam se alguém dissesse que são menos sérios do que aquele, passaram a imitá-lo fazendo o que qualquer manual de jornalismo, em nome da ética do ofício, há de proibir expressamente.

A má idéia foi praticamente ignorar que o suspeito de ter encomendado a eliminação do prefeito de Santo André, Celso Daniel, tem nome – Sérgio Gomes da Silva – e se referir a ele, sempre ou quase, pelo apelido.

Pela única e vergonhosa razão de ser o apelido “Sombra”. Se o apelido fosse, por hipótese, “Narigudo”, “Pé-de-moleque”, “Gogô” – ou qualquer outro sem a pesada conotação daquele – não haveria hipótese de ser encampado pelos que encamparam a tese do Ministério Público paulista de que a morte de Daniel foi “crime de mando” e não crime comum – e assim fazem justiça pelas próprias palavras antes que a Justiça o faça.

Digo mais: se ficar provado que Gomes fez o que se lhe atribui, nem assim a imprensa que outrora se intitulava sadia terá o direito de chamá-lo por uma expressão que ele rejeita e não é unânime no seu círculo, diferentemente de Fernandinho Beira-Mar, por exemplo.

Leia-se o que informa hoje, sob o título “Gomes da Silva é questionado por depósitos”, a Folha de S.Paulo – o único dos três grandes diários brasileiros que não atropelou a ética, no caso:

“Logo no início do seu depoimento [à CPI dos Bingos], Gomes da Silva fez questão de explicar que é conhecido pelo apelido de “Chefe”, inclusive usado por Celso Daniel para se refeir a ele. Segundo o empresário, o apelido “Sombra” só surgiu […] a partir dos depoimentos do Ministério Público de Santo André. “Esse nome é sugestivo. É quase uma encomenda”, afirmou.”

E adiantou alguma coisa a sua versão?

O Estadão – que no começo não gostava de ser chamado assim, por sinal, mas depois se apropriou do superlativo, a ponto de usá-lo em anúncios e na Internet – tascou o termo Sombra em dois títulos e 14 vezes nos respectivos textos, três das quais num híbrido “Sérgio Sombra”.

Além disso, publicou uma foto dele – que autor e editores devem ter achado o fino da bossa – com a própria sombra.

Se algo do gênero saísse na primeira página de um tablóide de esgoto como o londrino Sun, o de maior circulação na Europa, os jornalistas brasileiros bem-pensantes balançariam a cabeça, torceriam o nariz e diriam, à maneira dos personagens de quadrinhos, “tsk, tsk, tsk”.

E o Globo, que tem no jornalista e articulista Luiz Garcia o seu primeiro e implacável leitor? Numa materiola de 384 palavras sobre a sessão da CPI em que ele foi ouvido, Sombra aparece cinco vezes. Gomes, uma.

Até o Valor, tão austero, embarcou nessa, no título – no qual, de resto, ficou faltando a palavra “que” e tem um “foi” sobrando – “Sombra diz foi também foi vítima”.

Fechando o círculo dos textos que tive tempo de ler agora cedo, o blog “Nos bastidores do poder”, de Josias de Souza – da mesma Folha de S.Paulo que se distingue pelo contraste com a concorrência e que talvez possa ensinar ao seu jornalista uma coisa ou duas nesse particular – é Sombra a não poder mais: do título ao pé do texto, 10 menções.

Isso se chama linchamento moral.

***

Serão desconsideradas as mensagens ofensivas, anônimas e aquelas cujos autores não possam ser contatados por terem fornecido e-mails falsos.

Todos os comentários

  1. Comentou em 27/11/2005 Joao Carlos

    O Observatório da Imprensa põe mais sombra ainda sobre a morte do Pref. Celso Daniel. Sérgio Gomes da Silva ou Sombra, não sobra dúvidas que este assunto é irrelevante, o que importa é a morte de Celso Daniel e seus reais motivos. Convencionou-se chamar de Sombra à Sérgio Gomes porque o público o identificou prontamente assim, certo ou errado o termo; o inconsciente coletivo tem a percepção de que SOMBRA é o que a imprensa e a polícia jogam sobre o caso e não propriamente sobre um de seus figurantes, para simplesmente desviar-se do mesmo e de sua solução. Boa contribuição do Observatório para anuviar o caso, mas o que queremos é solução e culpados reais com motivos reais, não importa se foi o Narigudo ,Sombra ou o Chefe (acho este termo pior que Sombra para ser dito por um prefeito a um empresário).

  2. Comentou em 19/11/2005 Célio Mendes

    O Sr. Luiz mais uma vez nos brinda com sua coerencia e independencia, sem medo de remar contra a maré ressalta um fato que me tinha realmente fugido a detecção, o uso da alcunha de sombra para se referir ao Sr. Sérgio Gomes da Silva é inaceitavel por parte de qualquer orgão de imprensa que tente ao menos fazer-se parecer sério, clama-se tanto pela liberdade de imprensa e olha só o mau uso que fazem dela. Agora uma coisa que tem me incomodado tambem é saber como o PT num estado governado pelo Alckmin e em um pais à época governado por FHC conseguiu influenciar uma investigação na qual não tinham nenhuma autoridade sobre os orgãos responsaveis pela mesma? teria sido incompetencia da policia ? conspiração da midia ? ou houve suborno de autoridades envolvidas ? que poder foi utilizado para se prejudicar as investigações ? tai um grande mistério.

  3. Comentou em 19/11/2005 Antonio Silva

    Caramba, até que enfim encontro vida inteligente na mídia. Valeu por uma grande aula.

  4. Comentou em 19/11/2005 Antonio Silva

    O comentário do Marcelo (cientista político)é simplesmente ridículo, ele confunde inclusive o que escreve. Recomendo ao mesmo retornar aos bancos escolares (ensino fundamental), para aprender interpretação (simples) de texto.

  5. Comentou em 19/11/2005 Haldol Luna

    O advogado gratuito do Sombra é a própria sombra dele. Se o crime do Sr.Celso Daniel foi comum, imagine se tivesse sido devidamente planejado. Só morreram 7 até o momento, envolvidos neste episódio. Até um pobre garçom. E ainda querem manter isto como crime comum -Descalabro total- Viva o Brasil alienado.

  6. Comentou em 19/11/2005 ubirajara sousa

    Graças a Deus existe o Observatório da Imprensa. Continuem assim. Lutem! Um dia, quem sabe, vocês ocuparão o lugar que há muito estão a merecer. PARABÉNS!

  7. Comentou em 19/11/2005 Paulinho Saturnino Figueiredo

    Entendi agora o incômodo que senti durante o depoimento. Se é verdade que o MP forjou o apelido para sustentar uma tese, a coisa anda pior do que imagino. E olha que acredito na perversidade e na culpa do Sérgio e associados.

  8. Comentou em 19/11/2005 Suzana Guterres

    Também faço parte do seu pensamento. Lucidez e análise interessante.

  9. Comentou em 19/11/2005 Silvano Carvalho

    Enfim algo inteligente sobre caso, a materia eh bastante oportuna para nossa meditacao sobre o tema.

  10. Comentou em 18/11/2005 rosangela barros

    Seu artigo sobre o Sombra pode ser estendido a todo o linchamento que o PT e o governo Lula estão sofrendo.

    Mensalão, dolar na cueca… tudo é feito estudadamente p/ denegrir e ridicularizar

  11. Comentou em 18/11/2005 Fco Assis Santana santana

    Eis o jornalismo que morde a própria cauda, não forma leitores e se nutre de futilidades.
    Depois reclama do declínio da circulação.
    O conteúdo dos jornais afasta leitores antigos e não forma leitores jovens. O jornalismo tornou-se especialista na generalidade da superficialidade.O suprasumo do nada, sem ética.

  12. Comentou em 18/11/2005 Edson Pessoa

    A alguns meses atrás amplificou-se no seio da sociedade brasileira a discussão sobre a necessidade do Conselho Federal de Jornalismo. Na época fui totalmente contra a qualquer tipo de ‘censura’ e passei a ler mais a respeito. Os defensores do Conselho alegavam que não se buscava censurar as ações do jornalismo, mas sim controlar a conduta profissional ou não dos diversos agentes e instituições, promovendo ampla e aberta discussão das questãos inclusive com a participação de representantes da sociedade civil. Assistimos a reação fervorosa e nervosa manifestada através da maioria dos veículos de comunicação alegando que seria a volta do ‘nazismo’ e que tal Conselho não condizia com as melhores práticas democráticas. Neste momento estou assistindo o Jornal Nacional e tive a infelicidade de ouvir os comentários políticos do Arnaldo Jabour. O desrespeito supera a intenção de formular suas idéias de forma jocosa. E, se refere à pessoa do presidente da Nação Brasileira. Que jornalismo é esse? Será que a sociedade brasileira está disposta a continuar pagando para receber em seus lares e durante 24 horas esse tipo de jornalismo tendencioso? Espero que o Observatório de Imprensa continue isento e nos possibilite manifestar também nossa indignação – democraticamente…

  13. Comentou em 18/11/2005 Leonardo Guedes do Nascimento

    Caro sr. Luiz Weis,

    Acho que única falha desses veículos no caso do ‘Sombra’ é não colocar o nome pelo o qual este senhor é conhecido assim como eu coloquei agora, entre aspas. Sim, porque desde que o seqüestro seguido de morte do prefeito Celso Daniel aconteceu, o Sérgio Gomes da Silva é chamado por este apelido.

  14. Comentou em 18/11/2005 Antonio Luiz Teixeira

    Acompanhando quando posso sua coluna, quase sempre tenho muito a discordar sobre seus pontos de vista ou interpretação da realidade que vivemos. Devo, entretanto, neste momento reconhecer que seu artigo, como já dissera outro leitor ‘tocou o dedo na ferida’ e, mais que isso, para mim abriu portas para um novo conceito sobre sua pessoa, o que me alegra, pois até agora raríssimos são os profissionais de imprensa que ousaram discutir este tema ou similares.
    Não sei se o Sérgio Gomes é uma pessoa totalmente honesta. Mas será o Papa também seria? Ou todos nós? No fundo, em maior ou menor grau, todos temos nossas culpas, crimes, na devida proporção de nossa grau de consciência e responsabilidades coletivas que nos são confiadas. Se assim não o fosse, o mundo só seria maravilha. E não é. Agora, seria Sergio Gomes o assassino de Celso Daniel? Minha intuição diz que não. E quando tudo começa a ficar mais difícil de ser explicado é porque nos distanciamos da verdade. E o MP de São Paulo teve todo o tempo para provar e até agora só especula e, como bem lembrou Lula, sempre às vésperas de eleições.
    Quem então matou Celso Daniel e Toninho do PT? Se a motivação foi política não seria o PT, como querem fazer passar através de Sergio Gomes. Por que liquidaria o PT dois de seus melhores quadros à eleição estadual ou municipal? Por que então não supeitar de partidos adversários, como o PP de Maluf, o PFL e PSDB de Covas/Alkimin/Serra? A morte daqueles dois benefiou esses partidos nos embates subseqüentes. Mas não posso pensar assim. Não poderia imaginar uma coisa dessas e sair por aí propagando-as, ainda mais se tenho responsabilidades, como têm os jornalistas e homens públicos. Seria injusto. Mas não é com o PT. Assim como foi com Marta na prefeitura. Por que será que isso ocorre?

  15. Comentou em 18/11/2005 Vladimir Nunes de Oliveira

    Meus amigos, todos os comentários, inclusive o do do autor, são muito pertinentes. Há uma boa dose de razão em tudo que foi dito, tanto pelos que concordam quantos pelos que discordam de Luiz Weis. A única coisa que meu intelecto não alcança é o seguinte: O que é que a CPI dos bingos tem a ver com a morte de Celso Daniel? Quando é que essas famigeradas comissões vão tratar do objeto para a qual foram propostas? O que foi apurado até agora pela CPI dos correios um relação à estatal? Esses senhores deputados estão abusando de nossa paciência.

  16. Comentou em 18/11/2005 Eduardo Guimarães

    Como não tenho mais paciência para aturar os hipócritas que ganharam peso triplicado na mídia tucana-pefelê para difundirem seus conceitos de moral transversais, quero dizer que, para mim, quem diz que não vê tentativa de linchamento moral e condenação antecipada quando a imprensa se refere a um cidadão por meio de apelido como ‘Sombra’, para mim é de uma desonestidade intelectual desumana.

  17. Comentou em 18/11/2005 Antonio de Padua Martins

    Cá do degráu no.76, até onde já consegui estar subindo na escala do Tempo, lembro-me de um sizudo aviso, herdado da seriedade de
    meu avô materno, equilibrado e discreto, antigo promotor e depois juiz, numa ignota comarca do Planalto Catarinense, e que recomendava: PENSEM DEZ VEZES ANTES DE FALAR OU ESCREVER ALGUMA COISA INCOVENIENTE! Por isso, de novo levo a LUIZ WEIS, pela firme lucidez e cavalheirismo, com que a modo de todos os lutadores das melhores causas, a cada dia, renova seu testemunho de coerência contra o relativismo ético, que, perdoe-me Stanislao Ponte Preta, anda muito pior do que o FBAPA, que assolava o Brasil, ou melhor, que ainda o assola, em tantas longitudes e latitudes.

  18. Comentou em 18/11/2005 andrea gianinni

    O jornalista deixou se levar pela ‘conversa mole’ do sombra.

    No ABC Paulista o suspeitíssimo cidadão é conhecido – há anos – apenas por Sombra.

    Portanto, não há qualquer atitude condenável por parte da mídia quando assim o denomina.

    Caso contrário, a mídia deveria chamar o atual Presidente apenas de Luiz Ignácio.

  19. Comentou em 18/11/2005 Paulo Martins

    Uma pessoa pode não ser ‘flor que se cheire’, pode ser verde, amarelo, fumante, preguiçoso; pode ser o que for, mas nada disso o faz criminoso antes do devido julgamento e condenação.

  20. Comentou em 18/11/2005 walter tadeu de lima

    Olha realmente não é muito recomendado o que Estadão e todos os outros jornais fazem ao se referir ao personagem sómente com ‘Sombra’. Mas que já ficou bem claro que este senhor não é flor que se cheira, isto ficou, não tem como negar.

  21. Comentou em 18/11/2005 Gisele Silva Costa

    Peço que o jornalista converse com pessoas de Sto André e saberá quem é, e por quê ele é chamado de sombra

    Gi

  22. Comentou em 18/11/2005 André Oliveira

    O Sérgio Gomes é suspeitíssimo de ter feito muito mais do que disse que fez. Nem o mais idiota dos mortais acredita que ele conseguiu ser dominado de dentro de um carro blindado e ainda mais, armado. O fato da ‘alcunha’ ‘sombra’ ter se tornado popular se deve ao fato de que ele realmente tem muita similaridade com o apelido. Só o nome não condena nem inocenta, ou então ‘Toninho Malvadeza’, e até o famosíssimo ‘Criolo’ como era chamado o Pelé teriam destruído a vida deles.

  23. Comentou em 18/11/2005 Paulo Martins

    Parabéns,

    Acompanhei atentamente todo o depoimento do Sérgio Gomes da Silva e a repercussão posterior nos noticiários da televisão e nos jornais de hoje. Percebí que a maioria dos jornalistas que apresentaram matérias na tv e nos jornais decodificaram de forma ‘seletiva’ e preconceituosa o que ouviram. Já estavam com a opinião formada antes do Sérgio Gomes abrir a boca! Não estão atrás da verdade. Não tenho opinião formada ainda sobre o que aconteceu com o Celso Daniel. Pelo que pude ler e ouvir até o momento temos que, pelo menos, dar o benefício da dúvida e considerar o Sr. Sérgio inocente, até prova em contrário. Pelo que se depreende das perguntas e comentários dos nossos despreparados políticos e jornalistas, quem tem que provar que não fez o que lhe atribuem é o Sr. Sérgio Gomes. Saímos de uma ditadura lastimável para uma irresponsabilidade também lastimável. A OAB e os juristas de renome deste país vão ficar olhando o enterro da Justiça sem nenhum comentário?

  24. Comentou em 18/11/2005 Rubens Albino

    Já há algum tempo tenho tido muito cuidado com as informações divulgadas pela imprensa. Têm faltado seriedade e competência. Importante está atitude do observatório de manter uma atitude contestária.

  25. Comentou em 18/11/2005 Luiz Carlos Belga

    É muito ruim a matéria; mal escrita e ponto de vista questionável

    desculpe-me
    grato pelo espaço
    Luiz Carlos

  26. Comentou em 18/11/2005 isabel passos

    Sou amiga do Sérgio há mais de 20 anos e ele já teve os mais diversos apelidos, mas ‘sombra’ eu nunca ouvi e faz ele parecer como uma pessoa sombria e já julgada. Foi a primeira vez q li alguem q não o condenou antecipadamente.Acredito ( ainda) na imprensa livre e na justiça, mas ás vezes tenho a impressão de que se pode manipular a verdade. Obrigada pela imparcialidade.

  27. Comentou em 18/11/2005 marcelo câmara

    Ué,
    Porque esta defesa do Sombra? Porque este “medão” de certos jornalistas e suas mídias? Só porque eles não pensam como vocês? O que é isso ? Qual o nome desta forma de tratar as opiniões contrarias de maneira tão discriminatória? Qual o nome do regime político que não admite divergências?

  28. Comentou em 18/11/2005 Emanuel Augusto Vieira de oliveira

    Será que o articulista se esqueceu que hoje em dia, como nunca vimos antes, os ‘jornalistas’ não estão preocupados em notícias, e sim em condenar, antes que a justiça o faça ou não, as pessoas, de preferência que sejam ligadas ao PT. Não isso não são palavras de um pseudo-perseguido, apenas constatação dos ‘noticiosos’. Se alguém quiser ganhar notoriedade ou ‘certificado de honradez’ é só dizer para algum ‘jornalista’ que tem uma acusação contra alguém do Governo ou do Partido. Só uma pergunta: Quando vão dar credibilidade às palavras do Fernandinho Beira-mar? Precisa responder?

  29. Comentou em 18/11/2005 Edilson Leal

    Acredito que não seja ‘linchamento’ e sim justiça, pois estamos vendo todos os dias noticias de enriquecimento e apropriação de bens publicos por pessoas que supostamente deveriam prestar serviços ou fornecer produtos aos orgãos publicos e isso não ocorre, e sim só desvios e desvios, até quando? e ainda me fazem de ‘bobo’ pagando e assistindo programas de partidos que vendem o que nunca tiveram ‘ética’.

  30. Comentou em 18/11/2005 Rodrigo Tossato

    Até que fim alguém teve a coragem de colocar o dedo na ferida…
    Além do linchamento moral e criminal que Sérgio Gomes está sofrendo, pois já foi julgado e sentenciado pela maioria a mídia avida pelo jornalismo barato,está tendo que se submeter a sabatinas quase que mensais por parte do MP, CPI, e por ai vai.
    O engraçado de tudo é que quando a polícia civil depôs na CPI e levou fatos e provas que inocentam Sérgio Gomes da Silva poucos meios de comunicaão deram enfase a este fato…

    Lamentável…

  31. Comentou em 18/11/2005 FRANCISCO DE ASSIS santos

    a quem diga que este apelido provém do fato de quando o Sergio foi segurança do Prefeito Celso Daniel, pois onde estava o Celso; lá estava o Sérgio, agora o linchamento na mídia vem ocorrendo a muito tempo, todo cidadão é inocente até que se prove o contrário.

  32. Comentou em 18/11/2005 rodrigo frateschi

    Estou me deliciando com o despimento (isso existe?)da imprensa encomendada que vocês fazem. Parabéns.
    Tive algumas experiências assim, por exemplo.
    Durante seis meses saiu nos jornais (começo da campanha do PT eleição da Marta para Prefeitura até o começo do governo)uma frase sempre igual, sem acusação, mas muitas vezes até fora de contexto.
    Expunham toda visão que tinham sobre a contratação das empresas de lixo, pormenores que envolviam empresas e pessoas sem vínculo algum com meu pai ou sua empresa, e ao final colocavam sempre a mesma frase ‘quatro das dezesseis empresas contratadas pela Marta foram clientes da Engelix, que é de propriedade de Nelson Frateschi, que é irmão de Paulo FRateschi, que é presidente do PT’.
    As vezes estavam falando de assuntos de outras cidades e outros estados que nunca meu pai teria pisado, mas a frasezinha estava lá no final do texo.
    Isso rendeu a meu pai um AVC – Acidente vascular cerebral, a quebra de contratos por clientes e coisas esquisitas como todo tipo de fiscalizações no escritório, até relativas a softweres (cujos tais meu pai jamais teve um sequer pirata).
    Bem, opinei para que ele jamais respondesse a imprensa, pois quando respondia, alguma degeneração eles tentavam imprimir.
    Depois descobrimos quem estava encomendando isso e estudando a lei de imprensa descobri o quanto são impunes os marrons.
    Bom, a reação popular vem lenta, mas sempre vem, veja, nesta zona toda não conseguiram fazer nenhuma manifestação contra o Lula, não porque não haja nada de errado, mas porque o povo está desconfiado da imprensa, dessa mesma que decidia eleições, essa da escola base. Como podem falar de clamor popular, quem o tem é o Presidente, pois quando ameaçaram ele foi pras portas das fábricas.
    Então, resta vocês como luz no fim do túnel.
    Um abraço e continuem firmes.
    Rodrigo Frateschi

  33. Comentou em 18/11/2005 jose carlos oliveira

    Esse comentário parece tentativa de desviar a atenção do principal pro secundário. É querer punir quem denuncia. Se esse Sr. Sérgio não era Sombra antes, depois de tantos indícios e suspeitas sobre sua participação, até que o apelido já se aplica.

  34. Comentou em 18/11/2005 Ricardo

    Show de bola essa crítica!!!

  35. Comentou em 18/11/2005 Nélci Depin

    No fundo, bem no fundo de toda ‘sombria exploração de escandalos pela mídia’ o objetivo mais ‘sonante’ é o LUCRO EXORBITANTE E FÁCIL DO QUARTO (OU 1ª) PODER DA REPÚBLICA. Uma lástima a insensatez!

  36. Comentou em 18/11/2005 João Abreu Abreu

    Oportuna sua colocação, pois, tornou-se hábito em nosso país pré julgar, para depois ver a realidade dos fatos.
    Como estudante de Direito, não posso admitir que pessoas sejam linchadas publicamente sem o direito de defesa (mesmo que sejam culpadas), no caso específico sequer foi julgado.

  37. Comentou em 18/11/2005 Sandro Paulino Santos Souza

    Infelizmente nossa mídia está voltando à epóca do Regime, pois é só o que vemos hoje linchamento moral das pessoas e sem apresentar provas, o que mais a gente ouve nos noticiários é o seguinte:
    A suposta prova, eles nunca afirmam nada e quando não fica nada provado, não dão o respectivo espaço para a defesa, haja a vista o programa do Jô, quando ele afirmou que o presidente Lula afirmou que não declarava nada, pegou somente um pedaço da frase que realmente ficou sem sentindo e mostrou um presidente no mínimo louco. Quando se assiste na íntegra a entrevista fica mais claro.

  38. Comentou em 18/11/2005 João Paulo Streapco

    Não faltam exemplos do que falei. Acredito que você não se esqueceu do escândalo da escola que foi acusada por alguns pais de promover orgias com os alunos (alguns jornais publicaram o apelido de Escolinha do Sexo, quer baixaria pior?).

    Na crise política atual, poucos jornalistas propuseram uma análise mais aprofundada dos fatos. Não ousaram criticar o sistema eleitoral brasileiro, que não conseguiu acusar o uso de caixa 2 pelos candidatos e partidos em diversas eleições, foram pautados quase que integralmente por pessoas envolvidas até o pescoço no escândalo e se utilizaram de meios suspeitos para conseguir as poucas informações que apresentaram para a sociedade.

    Nossa sociedade vive um momento que poderia ser utilizado para repensarmos valores (a corrupção está presente no nosso cotidiano, não apenas no sistema eleitoral), para fortalecermos nossas instituições democráticas etc. Acho que a mídia tem um papel central neste processo, mas não o cumpre. É uma pena!

    Sem mais.

    João Paulo Streapco

  39. Comentou em 18/11/2005 tarcisio jales

    Foi muito bom e oportuno o seu comentario, mas tem muito mais linchamento pela midia hoje no Brasil, é so acompanhar o noticiario.

  40. Comentou em 18/11/2005 Julio Cesar Coimbra

    Se bem me lembro este apelido foi identificado pela Polícia ou Ministério Público por ocasião das primeiras investigações. Era utilizado à boca pequena, ou seja pelas pessoas que não ousavam pronunciá-lo diante do chefe, mas que os jornais citados por V.Sa. passaram a usar porque identificava muito mais facilmente de quem se tratava. A referência ao Sr. Sérgio como sombra pode não ser conveniente, mas não lhe imputa de forma nenhuma um pré-julgamento ou execução sumária.

  41. Comentou em 18/11/2005 Eric Delmiro

    Se realmente levarmos por esse lado ,’Sombra’ é um elogio a esse cidadão.
    O linchamento moral ,foi uma atidude sabia que poucos foram capazes de enchergar, ja que a justiça não enchergou ou fez de conta que não enchergou, o que ja é uma rotina.

  42. Comentou em 18/11/2005 warley Mattos

    Prezado Professor Luiz Seu artigo é bastante oportuno. Assisti o depoimento de Sérgio na CPI. Sempre achei estranho alguns veículos de comunicação e jornalistas chamá-lo de “Sombra”. Uma conotação pejorativa que passa ao leitor um julgamento que com toda a certeza não é o papel da imprensa. Independente dos índicos que existem, o linchamento moral que setores da imprensa brasileira fazem no cortejo da crise atual prova que a tão pregada imparcialidade não passa do teto das salas das universidades.

    Ler o que o senhor e alguns poucos jornalistas escrevem é reconfortante diante de tanta imprecisão e desinformação que somos submetidos.

    Um forte abraço.

  43. Comentou em 18/11/2005 Maria Cristina Schmitman

    Gente, pelo amor de Deus… Sérgio Gomes da Silva com pruridos vestais como se ser chamado de Sombra tenha qualquer peso na percepção pública da participaçao dele em um caso escabroso como esse… mais um caso de ‘culpa da imprensa’…

  44. Comentou em 18/11/2005 Luiz Carlos Clasta

    Luiz, vc tem razão, mas acho que exagerou na dose. ‘Sombra’ não é ofensivo e nem mesmo jocoso. O próprio Sergio Gomes da Silva, pelo modo de agir, sugeriu-o. Daqui a pouco, Pelé também será ofensivo e faremos como no turfe: O Sr. Arantes do Nascimento finta o adversário e assinala um belo ‘goal’…..!
    Manéra lá Sr. Weiss

  45. Comentou em 18/11/2005 Rogério Gianlorenzo

    Obrigado pelo artigo Luiz, a inteligência da mídia realmente é inquestionável, o linchamento moral foi feito de forma tão sutil que poucos se deram conta, ainda bem que temos observadores como você, parabéns. (Luiz uma sugestão de artigo seria a análise do comportamento da oposição, especificamente do PSDB, que poderia partir do resultado parcial da enquete no Blog do Noblat. Acho que você faria isso como ninguém)

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem