Sábado, 19 de Agosto de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº954

CÓDIGO ABERTO > Desativado

Um ‘problemão’ em Honduras

Por Luiz Weis em 24/09/2009 | comentários

Deu na Folha que o presidente Lula, numa entrevista a jornalistas brasileiros em Nova York, criticou o uso da expressão “governo de fato” para designar o regime hondurenho chefiado por Roberto Micheletti desde 28 de junho passado, quando o presidente Manuel Zelaya foi preso e posto num avião para a Costa Rica.


“Vocês estão sofisticando o governo”, disse Lula. Não é assim. Governo de fato (ou de facto) é o contrário de governo de direito (de jure, em latim), como era o de Zelaya.


Disso não discordam nem os comentaristas que sustentam que, inspirado por Hugo Chávez, ele se preparava para mudar a Constituição do país que proibe a reeleição, a qualquer tempo, de seus governantes. E proibe que se mexa nessa cláusula.


O termo “governo de fato”, portanto, designa uma realidade política ao arrepio da lei, como dizem os juristas. No caso, é sinônimo de “governo golpista”.


Lula também disse que “não precisamos gastar meia palavra para falar do que aconteceu em Honduras. O presidente eleito foi retirado de sua casa de madrugada à força. Esse presidente resolveu voltar ao seu país. Nós queremos que ele fique com garantias lá e queremos que os golpistas não façam nada com a embaixada brasileira [onde Zelaya está abrigado desde a segunda-feira, 21]. Isso faz parte de convenções internacionais.”


Mas a imprensa precisa, sim, gastar muito mais do que “meia palavra” para falar do que representa para o Brasil a presença de Zelaya na embaixada.


O problema é saber qual a palavra certa.


Pode ser “problemão”, como se lê na matéria desta quinta-feira de Sergio Leo, da sucursal de Brasília do jornal Valor Econômico.


A palavra, a rigor, não é dele, mas, segundo o seu texto, de “um ministro próximo ao presidente”.


Palpite: o ministro seria o titular da Secretaria de Comunicação do Governo, Franklin Martins. A proximidade dele com Lula já virou até nota de jornal – e ele não acompanhou o chefe aos Estados Unidos. Não pode: por ter participado do sequestro do embaixador Charles Elbrick, 40 setembros atrás, está impedido de pôr os pés em território americano. Mas isso é digressão.


Um “problemão” que o governo se arranjou ou que não pode impedir que lhe caísse no colo?


Os críticos costumeiros da política externa de Lula duvidam nos jornais da versão oficial de que Zelaya surpreendeu o Itamaraty e o presidente ao ser levado de carro à embaixada brasileira em Tegucigalpa – deixando o governo sem escolha.


O ex-embaixador brasileiro em Washington, Rubens Barbosa, acha “difícil” que não soubessem que Zelaya iria bater às portas da representação. O ex-ministro das Relações Exteriores (no governo Fernando Henrique), Luiz Felipe Lampreia, acha “muito difícil” que o governo não soubesse de antemão da escolha de Zelaya.


Mas, à falta das proverbiais provas em contrário, a versão oficial fica em pé. Se tivesse sido fabricada, o ministro próximo do presidente, citado pelo repórter Sergio Leo – um jornalista com boas fontes no governo – não falaria em problemão. Nem o assessor internacional da presidência, Marco Aurélio Garcia, diria em Nova York à colunista da Folha, Eliane Cantanhêde, que “política é isso, não é só bônus, é ônus também”.


Parte do problemão tem a ver com o comportamento desenvolto de Zelaya desde que se abrigou na embaixada – e nesse ponto o texto do Valor é mais informativo do que as manifestações dos diplomatas de oposição. A crer na matéria, ou melhor, nas fontes não identificadas em que se baseia, Zelaya é tido no Planalto como “um trapalhão político”.


Bate com o que a mídia em peso noticiou – o desconforto do governo com a transformação da embaixada em palanque. Lula chegou a ligar a Zelaya para alertá-lo de que não deveria dar pretexto para atos de violência do governo Micheletti. No dia seguinte, quarta-feira, o Itamaraty reforçou oficialmente a advertência.


Aparentemente, surtiu algum efeito. Ao New York Times, Zelaya disse que ele e Micheletti precisam “sentar cara a cara” e que haveria intermediários cuidando disso. Segundo o jornal, ele se mostrou “circunspecto” na entrevista por telefone. Disse: “Política não é teatro. Não há um script a seguir. Você atua dia a dia e vê o que acontece.”


Para um “trapalhão” que criou um “problemão” para o Brasil, até que é razoável.

Todos os comentários

  1. Comentou em 06/10/2009 Ney José Pereira

    E a companheirada do Brasil ofereceu apoio político a Honduras. E agora Honduras exigirá apoio e.co.nô.mi.co da companheirada do Brasil!. Ainda bem que agora o Brasil é rico!.

  2. Comentou em 06/10/2009 Ney José Pereira

    E a companheirada do Brasil ofereceu apoio político a Honduras. E agora Honduras exigirá apoio e.co.nô.mi.co da companheirada do Brasil!. Ainda bem que agora o Brasil é rico!. Rarará!.

  3. Comentou em 05/10/2009 Ney José Pereira

    Não percam!. Em breve: Zelaya e Micheletti: ‘Siempre fuimos muy buenos compañeros’. ‘Pero, gracias! compañero Lula’.

  4. Comentou em 29/09/2009 Rodrigo Saraceno

    Antônio, 1 – o Golpe de Estado não foi legal nem constitucional. Recomendo um ótimo artigo publicado no site Consultos Jurídico ontem, segunda 28. http://www.conjur.com.br/2009-set-28/constituicao-honduras-foi-usada-legitimar-golpe-estado ; 2- Zelaya não está na condição de refugiado ou asilado porque, como o Golpe de Estado havia sido reconhecido como tal pela comunidade internacional desde antes da volta de Zelaya à Honduras, Zelaya é, para todos os efeitos, o presidente Constitucional daquele país. Ou seja, ele está hospedado na embaixada como presidente, não como asilado ou refugiado, em razão do seu status, reconhecido internacionalmente, de Presidente Constitucional do República de Honduras. É uma situação complicadíssima a que o Brasil está, mas nosso Estado não teve escolha: não receber o presidente de Honduras (assim reconhecido não só pelo Brasil, mas pela OEA e ONU) iria contra toda nossa (do Brasil como Estado, nada a ver com o atual governo) tradição diplomática e dos costumas do direito internacional. Manter a coerência tem seu preço, estamos pagando por ele. Comparar Collor com Zelaya é um erro porque – 1 – Collor foi destituído por um processo político onde lhe foi garantida a ampla defesa; 2 – o que motivou sua destituição estava previsto, de fato, na constituição (ao contrário de Zelaya -ver artigo); e 3 – Collor não foi exilado.

  5. Comentou em 29/09/2009 antonio carvalho

    O abrigo dado pelo Brasil ao Zelaya é ilegal porque não está coberto por um status reconhecido nas leis internacionais (refugiado, asilado). São situações em que o cidadão quer fugir da perseguição e não voltar ao país onde se diz perseguido. Recebendo o abrigo jurídico não pode exercer atividades políticas nem tampouco incitar violência a partir do local diplomatico. Local, aliás, que nem poderia ser assim considerado vez que o Brasil não reconhece o governo do país, o que desacreditaria sua diplomacia, que até retirou seu embaixador. Considerar tal casa sede diplomática, nessas circunstâncias, decorre da imensa paciência do governo hondurenho, que é constitucional e legal conforme as leis deles. Gostaria de ver a opinião do PT, do Lula e de muitos jornalistas que chamam de golpe o que ocorreu em Honduras se em 1992 quando o Congresso Nacional destituiu o Collor, com o apoio irrestrito do STF, ele se escondesse na embaixada americana e os EUA não reconhecessem o governo de Itamar Franco e exigissem o retorno do Collor ao poder. Que nomes levariam os americanos ? Ademais, andar de braços dados com Kadhafy(Líbia), Hosni(Sudão), Castro(Cuba), Ahmadinejad(Irã) não é credencial de alguém que queira ensinar a outros países o que é democracia.

  6. Comentou em 29/09/2009 Renato Moreeuw

    Venho aqui pedir desculpas ao dono do Verbo Solto por ter postado em partes o meu comentario, pois infelismente o sistema não estava aceitando postar o text inteiro so aceitou em partes.

    Sbs
    DEMOCRATA (Salmista)

  7. Comentou em 29/09/2009 Renato Moreeuw

    Terceira parte e final do meu comentario:

    pois temos muitos problemas internos para serem resolvidos como “”Saúde falida, Educação falida,

    Segurança interna falida, miséria de sobra, alem disso temos uma Força Armada Precisando de atenção

    quanto a se modernizar e se aparelhar para nos defender adequadamente, não sou um socialista,

    comunista, imperialista, sou um “”DEMOCRATA”” a democracia é a única linguagem de forma de governo

    que aceito, as demais eu as rejeito, bom senhor Presidente espero que toda a sua cúpula possa ter uma

    saída honrosa por conta desta trapalhada, e que Deus ilumine a todos para dar um final adequado e

    honroso a esta situação (não nos envergonhe mais do que já nos tem envergonhado).
    Subs
    DEMOCRATA (Salmista)

  8. Comentou em 29/09/2009 Renato Moreeuw

    Segunda parte do meu comentario:

    o senhor que deveria ter tido

    bom censo antes de hospedar este senhor em nossa Embaixada, digo nossa, pois é o nosso povo que

    paga todas estas contas dessa trapalhada, a sua atitude poe em risco nossa soberania, qual pais agora

    vai querer respeitar nossa soberania???, se caso o governo brasileiro protagonizou a volta deste senhor a

    Honduras, colocou a soberania do Brasil em risco, e a nossa política de respeitar os assuntos internos dos

    outros países como sempre fizemos, para os outros respeitem nossos assuntos internos também, haja

    vista que o povo Hondurenho é que deve se manifestar a resolver seus assuntos internos como o povo

    brasileiro o deve da mesma forma, sem intervenção externa de outros países, cada qual cuida da sua

    casa.,

    Continua…. no proximo post…

    Sbs
    DEMOCRATA (Salmista)

  9. Comentou em 29/09/2009 Renato Moreeuw

    Primeira parte do meu comentario:

    Deixo aqui meu humilde parecer quanto esta questão de Honduras, não sou muito politizado, porem sempre fico as margens dos fatos a observar e tirar minhas conclusões.
    ““ AS TRAPALHADAS DO NOSSO PRESIDENTE E SUA CUPULA””
    Bom gente acho que chorar agora não dá mais, o negocio é arranjar uma solução para esta atrapalhada, pois o Brasil nunca se meteu em tão louca trapalhada como esta, foi querer seguir este ditador da Venezuela Chávez, e ficamos nesta situação de impasse, se correr o bicho pega se ficar o bicho come>>>> é senhor Presidente da República Federativa do Brasil “Lula”

    Continua … no proximo post…

    Sbs
    DEMOCRATA (Salmista)

  10. Comentou em 29/09/2009 Carlos N Mendes

    Caro Rodrigo, só me explique uma coisa : se Zelaya foi deposto legitimamente, por quê ele foi EXILADO ao invés de PRESO?

  11. Comentou em 28/09/2009 Marco Davis

    Por que a nossa mídia é a ÚNICA no mundo preocupada em arranjar uma forma de ‘legalizar’ o golpe do Sr. Michelleti?? Basta consultar os sites dos principais jornais do planeta e é JUSTAMENTE no Brasil que se chama os golpistas de ‘governo interino’???
    Por que a imprensa brasileira não repercute a idéia propagada por jornais europeus de que a atuação do Governo Lula no caso, tem sido absolutamente brilhante, pelo simples fato de que se tudo der errado lá, nada significativo vai acontecer (tirando o escarcéu da nossa imprensa, é claro), mas se der certo, o Governo Lula ganhará uma projeção espetacular internamente e principalmente externamente, onde os anseios de uma politica externa mais efetiva será reconhecida pela comunidade internacional.

  12. Comentou em 28/09/2009 Cristiana Castro

    Rodrigo, cláusulas pétreas, se referem a direitos essenciais, não existe Cnstituição que não possa ser mexida, a Constituição atende aos anseios de um povo e de onde tiraram que os anseios de uma sociedade são os mesmos em todos os tempos? Se o povo não pode alterar a Constituição então não é democracia e, se não é democracia, o Zelaya pode fazer o que quiser, como, aliás, Micheletti está fazendo. Com todo o apoio da Corte Suprema, tá te parecendo democrático aquilo? Vc v~e ali anseios populares satisfeitos? Ou bem falemos de democracia e estado de direito ou falemos de regime de exceção e satisfação de interesses de grupos determinados.

  13. Comentou em 28/09/2009 Luciano Prado

    Problemão existe para ser resolvido. Mas por homens e não por covardes. O mundo não é o paraíso, problemas sempre existirão. Ora, ora, Zelaya é o presidente de direito, eleito democraticamente. Exigir que o presidente legítimo cale e permita o avanço dos golpistas por questões formais de somenos importância é tentar jogar uma nuvem de fumaça sobre o verdadeiro problema. Fala Zelaya! Os covardes que se recolham a sua insignificância. Ou assuma o gosto pelo golpe.

  14. Comentou em 28/09/2009 Gustavo Morais

    Saiu no Estadão Online:’Para Serra, abrigar Zelaya em embaixada é ‘trapalhada’SÃO PAULO – O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), chamou hoje de “trapalhada” a decisão do governo federal de abrigar na Embaixada do Brasil em Tegucigalpa o presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya.’Será que tamanha afinidade do posicionamento expressado pelo colunista comparada à declaração serrista é só uma mera coincidência? Não há como negar que os discursos estão bem afinados…

  15. Comentou em 28/09/2009 Rodrigo Leandro

    ‘Disso não discordam nem os comentaristas que sustentam que, inspirado por Hugo Chávez, ele se preparava para mudar a Constituição do país que proibe a reeleição, a qualquer tempo, de seus governantes. E proibe que se mexa nessa cláusula.’
    Caro Luiz Weis, mas essa constatação é a prova definitiva de que o Zelaya foi deposto do poder legalmente! E sendo assim, o papel que o Brasil está desempenhando neste caso é ridículo! É de um imperialismo xinfrim!

  16. Comentou em 28/09/2009 Ney José Pereira

    Pô, asilo ou hospedagem ao tal José Manuel Zelaya tudo bem, né!. Afinal, o tal Zelaya é um (ex?)-chefe de Estado Hondurenho!. Mas, hospedar os asseclas cabos-eleitorais do companheiro Zelaya, não né!. Pô, cabos-eleitorais não têm direitos diplomáticos!. O próprio companheiro Lula quando ficou preso não teve o direito de levar consigo toda metalurgicada para a prisão, né!. Observação: Pô, mas, enquanto o tal Zelaya era da direita estava tudo bem em Honduras!. É que não contavam com a ‘astúcia’ do Chapolim, alias, do Chávez!. Esse tal Chávez ‘convence’ qualquer um!. O Chávez convenceu até o ‘esperto’ Lula para o Brasil ser ‘sócio’ da Venezuela dentro do próprio Brasil numa ‘refinaria de petróleo’!. Pô, se até a tal Petrobrás (com acento, hein!) precisa dos petropesos do tal Chávez, então, a tal Honduras precisa muito mais!. E ainda sobraria uns trocados para o neocompanheiro Zelaya!. PS: Quem diria, o tal Micheletti também tem uma ‘astúcia’, hein!.

  17. Comentou em 28/09/2009 Eduardo Goulart

    Fiquei afastado um tempo desse observatorio porque observei que a postura dos leitores, na sua maioria, era de extremistas (de direita e de esquerda)… Vendo todos esses comentários insanos, percebo agora que não perdi nada.
    O jeito é ler as matérias e ignorar os comentarios.

  18. Comentou em 28/09/2009 Ney José Pereira

    Errei: O certo é: ‘Siempre fuimos muy amigos’. É o que o tal Zelaya e o tal Micheletti falarão um para o outro!. ‘Sempre fomos muito amigos’ é o que o tal Sarney (de bigode e de direita) e o tal Lula falam um para o outro!. Observação 1: Nem Hollywood produziu um canastrão tão bom quanto esse tal Zelaya!. Até o tal Ratinho é melhor do que esse tal Zelaya!. Observação 2: E a tal Embaixada brasileira em Honduras mais parece uma hospedaria, hein!. Pô, aquilo é uma asilação ou uma invasão?!. Se o tal Zelaya quisesse asilo ele teria de vir ao Brasil!. Agora só falta o tal Lula ficar de sentinela num portão e o tal Amorim no outro discursando e patriotando ‘Ninguém invade a nossa Embaixada!’. Pô, por que o companheiro Daniel Ortega (suserano da Nicarágua) não dá asilo ao seu vizinho e ao seu neocompanheiro Zelaya?. Observação 3: Já não basta os asilos dados pelo Lula aqui no Brasil?!. Aliás, o Lula já deu ‘asilo’ até a… brasileiros!. Observação 4: E a tal realidade fantástica hondurenha virou uma farsa comediática!. Observação 5: Minha sugestão é: Até 2010 os companheiros Zelaya e Micheletti vão se alternando no poder e a a partir de 1º de janeiro de 2011 o companheiro Lula assume a presidência daquela Honduras!. É só, mas, tem mais!.

  19. Comentou em 28/09/2009 Ivan Costa Costa

    O Brasil tem tantos problemas, não consegue cuidar da violência interna e ainda procura as externas.
    É demais querer parecer com os Americanos, se envolver em briga alheia, como já diz o ditado ‘Em briga de marido e mulher, ningém deve colocar a colher’

  20. Comentou em 28/09/2009 Davis Sena Filho

    Trapalhão é quem analisa os fatos — não o governo de ´fato´ golpista — e trata o presidente Lula como se ele fosse um político de cabeça colonizada e criado nos carpetes de Nova Iorque e Paris. O FATO é que alguns brasileiros são tão colonizados que não percebem que o Brasil não tem mais uma política externa de chá das cinco, como a do Aambuja, L ampreia e Flexa, que envergonha o Barão do Rio Branco em seu túmulo. O Brasi vai ser grande e será, não vai demorar muito, o País mais influente das américas, até porque os EUA são indecisos e não têm um projeto poítico e diplomático para a região, a não ser colocar bases em Colômbia para, no futuro, tentar garantir algum interesse na América do Sul. Cansa ver um qualquer chamar Lula de trapalhão, mesmo se for entre aspas. Trapalhão é quem não raciocina mesmo a ter cérebro.

  21. Comentou em 28/09/2009 Rodrigo Aurelio

    Entendo que a expressão ‘Um Problemão em Honduras’ como descreve o texto seja mais profundo do que os pontos observados até aqui, conforme pude observa algumas autoridades fizeram a observação de que seria impossível o governo brasileiro não ter a informação da intenção de Zelaya.

    Ao meu ver isso é mais uma daquelas teorias de conspiração onde o governo Brasileiro tem como interesse a guerra e a confusão na américa latina envolvendo todos os países do bloco da américa latina e o que ganhariam com isso o terceiro mandato do Lula.

  22. Comentou em 28/09/2009 Max Suel

    Ao Analista de Sistemas de São Paulo: Sim, para o Sr. e para os petistas como o Sr. o governo de São Paulo não vai nada bem. Sorte nossa, dos Paulistas, que os petistas são aqueles 30% (Teto fixo). Sorte nossa que os próceres petistas: Genoíno, Mercadante, Zé Dirceu, Palocci, Marta são todos ‘carta fora do baralho’ devido às encrencas que se meteram (mensalão, escândalo do caseiro de Brasília, administração reprovada na prefeitura de SP, renúncia irrevogável revogável etc.). Não, em São Paulo não queremos petistas no governo do Estado (como alías os gaúchos também não). As obras do Rodoanel Mario Covas vão muito bem obrigado, a até 2010 estará pronto o ramo Sul. 9 das 10 melhores estradas do país estão em SP. O que atrasa o nosso Estado é a mentalidade petista do ‘quanto pior melhor’, da ‘oposição selvagem e irresponsável’ da ‘cegueira ideológica dos militantes’. O que atrasa SP é o sindicalismo petista, é a ocupação desenfreada dos cargos públicos pela companheirada. Serão precisos muitos anos para refazermos o que os petistas fizeram de danoso.

  23. Comentou em 28/09/2009 Carlos N Mendes

    Caro Max Suel, não é que São Paulo esteja tão bem, é o paulista exercitando sua incrível capacidade de engolir qualquer coisa, desde que seja anti-todos-que-sejam-minimamente-à-esquerda-politicamente. Isso vem pelo menos desde Adhemar de Barros, e piorou muito nas últimas duas décadas. Depois de passar, este mês, 5 horas preso na Marginal Tietê, vendo milhares de toneladas de lixo sendo arrastadas para Pirapora e a incrível passividade dos motoristas que me cercavam, entendi que deve ser puro masoquismo. É como um marido que prefere aceitar a traição da esposa do que admitir que é corno.

  24. Comentou em 28/09/2009 Carlos N Mendes

    Seja lá qual for o significado da expressão ‘governo de fato’, ela só foi utilizada para fugir, a todo e a qualquer custo da expressão ‘governo golpista’. E se levarmos em conta que o patrão honoris causa de nossa imprensa – o presidente americano – já afirmou diversas vezes que esse governo hondurenho é ilegítimo, só me resta acreditar que o único motivo que os leva a não querer chamar Michelletti de ‘golpista’ é deixar a uma porta aberta para atingir o governo Lula. A Globo News conseguiu achar em Tegucigalpa uma brasileira que, além de apoiar o golpe, ainda culpa Lula por hostilidades sofridas por brasileiros em Honduras, como se Lula tivesse poder sobre a ignorância alheia.

  25. Comentou em 28/09/2009 MANO NUNES

    …Lulla continua com más companhia e indicando errado. Realmente é um fenômeno brasileiro.Também não transfere voto e tão pouco carisma.

  26. Comentou em 28/09/2009 Ruy Acquaviva Carrano Junior

    Ao Sr. Max Suel, moro em São Paulo e sei pela minha própria experiência diária, ninguém me contou, que São Paulo não está nada bem não e que a população tampouco está satisfeita com o governo do estado.
    Se quiser fale por sí, mas não lhe autorizo a falar essas inverdades em nome da ‘população’ paulista. No máximo é sua opinião. Para mim e muito outros é um desgoverno sim, o que temos no estado mais rico do País, que não consegue ter uma educação condizente com os recursos pagos em impostos (o meu dinheiro está lá também), não consegue tocar obras essenciais e que se arrastam por décadas, como é o caso do rodoanel paulistano e não tem projeto de desenvolvimento econômico e muito menos social para o estado.

  27. Comentou em 28/09/2009 Jorge Santos

    Incrível, incrível mesmo esse malabarismo linguístico que alguns ditos jornalistas lançam sobre nossas cabeças sem dó nem piedade. Pior que a ‘ditabranda’ da Folha, o ‘golpe democrático’ do sr. Arnaldo Jabour, agora temos o ‘Governo Interino’ constantemente mencionado pelo editorial do Globo… Já não sei mais o que esperar desses senhores… Assumiram descaradamente sua postura de golpista. Para eles, os fins justificam os meios…
    Creio que esse Observatório deveria se mover mais contra essas sandices, com denúnicias, texto sérios, enxutos, sem blá-blá-blá. Há pessoas sendo assassinadas em Honduras, privadas de seus direitos… E a Imprensa daqui preocupada em culpar o Lula! Façam-me o favor! Desistam da mentira, senhores! Órgãos sérios do mundo inteiro manifestaram repúdio ao governo golpista de Honduras. Desitam, pois eu desisti de acreditar em vocês há muito tempo!
    Observatório da Imprensa, vocês estão observando demais! Só observando!

  28. Comentou em 27/09/2009 Max Suel

    À Advogada de Brasília: São Paulo vai bem obrigado. A favor do Governador de São Paulo estão as pesquisas para a presidência da República. Não sei como vão as coisas aí em Brasília…. não moro aí … não tenho informação a respeito … espero que estejam indo bem.
    Estranho a Sra falar de ‘desgoverno’ em São Paulo …. não é isto o que a população daqui acha do governo atual.
    Aproveito para dizer: estou cansado de ler que o atual presidente , um operário no poder … etc, etc … O presidente Lula faz mais de 40 anos dos seus muito bem vividos 64, que não é mais operário. Faz mais de 30 anos que ele é POLÍTICO (como gosta de enfatizar a palavra a presidenta da LulaNews Teresa Cruvinel). Seria a mesma coisa que dizer : O ex presidente estudante FHC (coisa que ele deixou de ser há mais de 40 anos).

  29. Comentou em 27/09/2009 Lucas Artur

    Não sei como é que funciona esse meio diplomático, mais uma coisa é certa pra qualquer um, essa história ta muito mal contada, e o governo brasileiro ensaiou, todas as falas dirigidas a imprensa. É muito claro isso. As vezes me vem na cabeça um certo pacto entre os presidentes da AMÉRICA DO SUL, sobre essas novas formas de governo, porque ninguém se surpriende mais com chefes de estado tentando mudar as constituições de seus respectivos países, em prol de prolongar o mandato.

  30. Comentou em 27/09/2009 Gustavo Morais

    ‘Problemão’???? Problemão é o que a excelente performance administrativa do governo Lula, bem como, a respeitabilidade e admiração alcançada pelo nosso presidente no cenário internacional, representam para a grande mídia brasileira. A mídia despeitada vive de tentar criar e interpretar fatos que possam ser espinhosos para o governo Lula. Querer, com o episódio Zelaya, tentar depreciar a ótima e bem sucedida politica externa brasileira é algo risivel, digno de um trapalhão.  Sugiro a alguns jornalistas e colunistas trapalhões que parem de querer tentar criar problemas para o Brasil para tentar atingir o governo Lula. 

  31. Comentou em 27/09/2009 jose Queiroz

    ‘Disso não discordam nem os comentaristas que sustentam que, inspirado por Hugo Chávez, ele se preparava para mudar a Constituição do país que proibe a reeleição, a qualquer tempo, de seus governantes. E proibe que se mexa nessa cláusula.’

    E o Hugo Chaves se inspirou em FHC,assim também como o Uribe da Colômbia que parte para seu terceiro mandato.
    Para a nossa ‘imparcial’mídia FHC e Uribe são exemplos de democracia.Chaves,Morales,Zelaia e Lula(que sempre negou querer um terceiro mandato ),exemplos de regimes ditatoriais.

  32. Comentou em 27/09/2009 Flavia Moreira

    Ao engenheiro de SP/SP
    Entendo sua indignacao…Afinal morando em Sao Paulo com aquele desgoverno, voce deve ser expert em TRAPALHADAS…

  33. Comentou em 27/09/2009 hugo werle

    Luiz Weiss. surprende-me a escolha do tema da tua análise, por sinal recheada de preconceitos contra o governo Lula e sonegação de informações. Dos comentários postados retira-se inúmeras questões que poderiam ser o centro da análise, e opta-se por este suposto ‘problemão’. A importância e relevância do Brasil na América Latina impõem alguns ônus decorrentes de tomada de decisões sobre os acontecimentos no cenário internacional, e estas foram tomadas. A política externa da nossa chancelaria, mostra-se ao longo do governo Lula extremamente acertada. Se alguém duvida aponte onde houve equivoco, já pelo contrário, os acertos são tantos que não cabem nesses 1400 toques. Quanto a denominação, não cabem sofismas, não queiramos enganar os leitores com um falso debate. É um golpe, mais sofisticado que os costumeiros golpes da América Latina, porém ainda é um golpe. Para quem não vê dessa forma, cuidado, é meio caminho andado para concordar com algo semelhante no Brasil. Bom talvez seja isso que muitos queiram.
    Na frase ‘…inspirado por Hugo Chávez, ele se preparava para mudar a Constituição do país…’ poderia ter acrescentado tal como Uribe que busca incrivelmente seu terceiro mandato na Colombia e como FHC, que mudou a constituição brasileira para obter a reeleição, não via consulta popular, mas sim apenas em votação no Congresso Nacional. Não ficaria mais honesto?

  34. Comentou em 27/09/2009 Eurípedes Maciel

    Incrível como a ‘paixão política’ cega as pessoas. Desculpem a crítica, mas quando é que
    vocês sairão da ‘matrix’? Não percebem que não há mocinhos nessa história? FHC deu
    golpe, Chávez deu golpe e Zelaya estava se preparando para um golpe – mas foi
    surpreendido com o contra-golpe. A diferença é que, desde os tempos em que se criou o
    estereótipo clássico do golpe, o golpismo foi, naturalmente, se sofisticando, a ponto de
    muitas vezes ser camuflado por ações legítimas, como é o caso de FHC, Chávez, Zelaya e cia.
    É terreno no qual devemos nos situar usando de muito mais perspicácia do que os
    raciocínios, as retóricas fáceis que somos tentados a usar.

    Não se iludam. Mais produtivo é largar as utopias de lado e encarar a realidade: ‘o homem é
    o lobo do homem’ (Hobbes). A coisa só vai melhorar – tenho esse palpite – quando pararmos
    de romantizar a política, deixando de enxergar o que gostaríamos que fosse verdade, saindo
    das sombras, para ver a podridão real – não apenas da política – mas da instituição humana.
    Rotular-se, posicionar-se à Direita ou à Esquerda apenas nos distancia do debate maduro,
    realista, sobre uma possível sanitização da administração pública.

  35. Comentou em 27/09/2009 Alexandre Brunacci

    Qual a diferença de Honduras com algumas repúblicas das Américas?? Exite uma constituição que todos os presidentes fazem seu juramento dizendo obedecê-la. Neste país, simplesmente está se cumprindo o que está escrito, esse tema reeleição é proibido, constitucionalmente de ser debatido, e está prevista, na constituição, a perda de mandato e direitos políticos para quem ouse primar pelo desrespeito. Simples assim, diferente do Brasil, onde que deve legislar, de acordo com a consituição, se encarrega de outros afazeres senão aqueles em que foram constituidos pelo povo para fazê-lo. Cumpra-se a constituição, independente de interferências de quaisquer países que acham que têm esse direito.
    Leiam a constituição de Honduras e vejam que tem razão neste imbróglio todo.

  36. Comentou em 27/09/2009 Pedro Perereira pererira

    Se essa trapalhada toda se chamar diplomacia!!!! Deveriamos mudar o nome do instituto Rio Branco para instituto Marco Aurelio garcia….MAG para os intimos…Uma ingerencia plena, escarrada,falaciosa numa republiqueta de Banana sujeita a golpes com em toda america Latina..

  37. Comentou em 26/09/2009 Oda Nobunaga

    Problemão é a velada simpatia da mídia pelo governo de facto de Honduras.
    Em vez de gastar o verbo repudiando um golpe de estado, ela (a midia) prefere tergiversar sobre as agruras jurídicas de um asilo político. Mas num país onde o maior jornal chamou de ditabranda um regime totalitário que durou mais de vinte anos e outro que fez um protesto corajoso publicando receita de bolos, não é de se surpreender…

  38. Comentou em 26/09/2009 Jayr L

    Todos telejornais 26/9(record globo cultura gazeta) noticiaram que jornalistas brasileiros estavam proibidos de entrar na embaixada, mas na folha SP tem uma reportagem de um jornalista brasileiro que está dentro da embaixada..imprensa escrita não conta?

  39. Comentou em 26/09/2009 janio ieso janio

    René amaral compactua com sua opinião, na verdade as viúvas do fhc não se conformam que nosso país e outro com nosso operário presidente dando grandes demosntraçãos de liderança mundo afora.

  40. Comentou em 26/09/2009 Alexandre Carlos Aguiar

    José Lira, não dê bola para as viuvas. A ‘raça’ delas já está no fim. Agora, eu queria é entender porque Uribe não é golpista e o Zelaya é? Ah, já sei, já sei. Uribe é neoliberal, isso explica tudo.

  41. Comentou em 26/09/2009 Cristiana Castro

    Essa nova modalidade de golpe, golpe democrático ou constitucional, só revela a disparidade entre o ordenamento jurídico e os interesses das sociedades. As leis são feitas pelas elites e para as elites, nada além disso. Imagine um ordenamento jurídico que abriga a retirada de um presidente eleito pela população, no meio da noite, de pijamas, sob a mira de um fuzil, por ordem da Suprema Corte!!!! É risível. Esse arremedo do democracia, defendido, pela nossa imprensa, é o ‘ cala boca’ que nos foi ofertado para que possamos nos assinar como democracia e nossas elites sigam com seus golpes. Uma Constituição que não atenda aos anseios populares, não deve ser respeitada e, se não pode ser modificada não representa nada além de interesses específicos, pq esses, ao contrário das sociedades, são pétreos, as sociedades são dinâmicas. Se uma população, detentora do poder em uma sociedade, não pode fazer suas leis, não há que se falar em Estado de Direito, e ganha o governo uem for o mais forte. Descabe, portanto, o chamamento às eleições. Uma mesma Constituição não pode abrigar eleições diretas e Golpe de Estado, se assim está posto, está errado e cabe a população, através de seus representantes, alterá-la. É a Constituição que deve se adequar aos costumes do povo e não o povo ter seus costumes ditados pela Constituição. Zelaya, está correto e o Itamaraty agiu acertadamente.

  42. Comentou em 26/09/2009 Alexandra Garcia

    Antes de ser uma questão de direito ou de semântica, na minha modesta opinião as expressões “estado de fato” e “golpe de estado” refletem diretamente a ambigüidade do governo norte-americano no assunto. Há mais do que simples evidências de que sabiam do golpe e que, só para não perderem o hábito, conspiraram ao lado de Micheletti. Tentaram responsabilizar o final do governo Busch por esse “apoio”, mas em momento algum, ao menos até a fala contundente do Lula, pensaram em assumir uma posição clara e definitiva, definindo se vão ficar fazendo média com os golpistas e com a direita ultra radical americana, não só republicana, mas também democrática. Em suma, “estado de fato” é como o ambíguo, titubeante e intervencionista governo norte-americano vem tratando do assunto, razão pela qual, senão em respeito ao Lula, mas em respeito às evidências e à democracia, a imprensa brasileira devia olhar para o próprio rabo e ver, no final das contas, o que há por trás da terminologia que estão empregando.

  43. Comentou em 26/09/2009 Teócrito Abritta

    Lula está coerente com o seu populismo voltado para a direita. Afinasl tudo se passa como se Sarney (representado por Zelaya) brigasse com o governador de MS. O triste é a política externa brasileira estar a reboque de Hugo Chaves.

  44. Comentou em 26/09/2009 alfredo sternheim

    Gabriel Sottomaior tem razão quando lembra, citando exemplo daquela decisão que permitiu a reeleição de FHC, que mudanças na constituição podem ser legítimas. Portanto, não se justificava a expulsão de Zelaya e o golpe militar que se seguiu. O Brasil está agindo corrretamente e a opinião pública está tendo a devida compreensão, apesar de colunistas como Merval, Noblat e outros tentarem induzir o leitor a pensar o contrário. O texto ironico que Noblat fez sobre Amorim recebeu mais de 100 comentários opostos e irados contra o jornalista. Não adianta senadores em baixa credibilidade pelo que fizeram ou deixaram de fazer no senado (Virgilio, Heráclito) quererem aparecer na mídia questionando o correto abrigo dado a Zelaya. Este pode não ser um bom presidente, sei lá. Mas o Brasil não podia lhe fechar a porta. O que não entendo é como o governo golpista e militar de Honduras foi tão frágil e incompetente para permitir que Zelaya e Cia. (bota companhia nisso) chegassem sem muitos obstáculos à embaixada brasileira. Estranho. Acho que, entre os militares hondurenhos, muitos não apoiam o golpe. Esperar para ver.

  45. Comentou em 26/09/2009 Isabel Silva

    Problemão para o Brasil, Weis, foi o FHC ter condecorado o ditador do Peru Alberto Fujimori com a Ordem do Cruzeiro do Sul. Anos depois, a Comissão de Relações Exteriores do Senado, felizmente, anula a vergonhosa concessão. O pior é que nossa imprensa se fez de morta. Parece que já é tradição no Brasil, a mídia ( principalmente a Globo, Folha e Estadão) apoiar governantes golpistas. Com Micheletti não ia ser diferente.

  46. Comentou em 26/09/2009 José Lira

    Só tendo os olhos tapados e a mente enviesada para não enxergar a posição atual do Brasil no cenário político mundial. Hoje o Brasil dá a devida atenção aos problemas regionais e se tornou respeitado e querido por sua soberania e espírito de liderança. Muito diferente da submissão à ‘política de boa vizinhança’ de governos passados, que só era boa para os outros. Questões como essa de Honduras são conjunturais e passageiras, apesar de delicadas. Torcer contra e falar mal é menosprezar a nós mesmos, cidadãos de um país que se quer mais sério e está lutando por isso.

  47. Comentou em 26/09/2009 Gabriel Sotomaior

    Caro Luiz Weis, creio que uma coisa é o termo técnico mais adequado, outro é o de melhor comunicação com o público. Apesar de ‘governo de fato’ poder ser o correto, ele implica, para o público comum (na qual me incluo) a conotação de legitimidade que estes usurpadores do poder não merecem. Lula está certo nesse sentido.

    Quanto à tentativa de reeleição (fazendo através da democracia direta o que FHC fez comprando deputados), não sei de onde vcs tiraram (talvez leitura de pensamento) essa cantilena de que foi uma inspiração chavista. Mudanças na consituição são legítimas, mais ainda se forem avalizadas pelo poder popular

  48. Comentou em 25/09/2009 Luiz Fernando Mendes de Santana

    Bom mesmo era quando uma embaixada brasileira em país de primeiro mundo servia de ponto de encontro extra-conjugal de uma futura rainha.
    Que coisa chique!
    Viamos na imprensa os depoimentos da esposa do embaixador.
    Era uma época romântica. A imprensa adorava o papel que a embaixada brasileira representava.
    Uma alcova (Motel).

  49. Comentou em 25/09/2009 MANO NUNES

    … então quem é o pilantra ? o chavista que quer mudar as regras durante o jogo ou outro que aproveita a maluquise do primeiro?

  50. Comentou em 25/09/2009 Ricardo Dias

    Trapalhão e marketeiro, como os trapalhões e marketeiros daqui, que continuam ‘fazendo escola’ e muito sucesso.
    É a nova política e seus competentes vendedores de ilusões, para o deleite dos ‘politizados’ e dos aspirantes a uma ‘boquinha’.

  51. Comentou em 25/09/2009 Samuel Lima

    Caro Weis, imaginei que seu texto iria abordar algo mais contundente ainda: qual das duas versões da TV Globo está valendo? No JN, os ridículos tiranos hondurenhos são chamados de ‘governo interino’; no Jornal das 22h, da Globo News, André Trigueiro o apresenta como ‘governo golpista’. Tá interessante observar essa cisão no discurso jornalístico da maior emissora de tv da América Latina. Ou será que o Jornal Nacional apenas reflete, no espelho de seus 40 anos, o costume do ‘cachimbo’ pelo atávico apoio às ditaduras… Saludos, mestre!

  52. Comentou em 25/09/2009 Gersier Lima

    Estão errados todos os países do mundo,a imprensa internacional,a OEA e até a ONU.Quem estão certos são alguns deputados da oposição,os ex que se baixavam e até ficavam descalços a pedido da imigração norte americana,o PIG (globoba e seus patetas,restadão,zolha e vesga)e os alienados que mudam seus nomes e profissões fictícias aqui,para escreverem as idiotices de sempre,repetindo os chavões que os seus heróis escrevem os blogs infestados de moscas varejeiras que adoram mau cheiro.Enquanto isso o Obama pede autógrafo ao Lula para as suas filhas e posa com a sua esposa ao lado de Lula e D.Marisa. Alguém aí tem notícias de algum presidente norte americano pedir autógrafo a algum presidente brasileiro a não ser nos acordos de empréstimos do FMI?

  53. Comentou em 25/09/2009 Max Suel

    Pois é , tradutor do Recife, …. agora o Brasil é lambe-botas (para usar seu termo) dos bolivarianos Venezuela + Equador + Bolívia + Nicaragua + Paraguay + Argentina …. (a lista ainda vai aumentar …)

  54. Comentou em 25/09/2009 A Loureiro

    Como sempre, não podemos confiar no que diz a imprensa, pois ela está o tempo todo defendendo um dos lados. No caso de Honduras, certamente não está sendo diferente. Os jornalistas estão quase todos defendendo o presidente deposto, Manuel Zelaya, como se este fosse algum grande defensor dos direitos democráticos. O problema é que nós, pouco acesso temos ao que realmente acontece em Honduras, ao que o povo de lá pensa. Para isto, teríamos que ir até lá e constatar pessoalmente, pois não é possível confiar na palavra de um jornalista, quem quer que seja, infelizmente. Fala-se de revolta da população contra o governo interino de Roberto Micheletti , mas nas fotos que se vêem não são mostradas mais que meia dúzia de pessoas fazendo algum protesto. Concordo que o Brasil deve exercer seu papel de influência em questões internacionais, mas não da maneira como está, de forma infantil e irresponsável. Hoje, para piorar, nosso ministro Garcia (o famoso top-top) diz que o atual governo de Honduras está mentindo, como se este ministro tivesse alguma autoridade moral para opinar algo. Não tem autoridade nem para apartar briga de vizinhos, muito menos para falar sobre outro país. Desta forma, se é para dar vexame, é melhor nosso governo não se intrometer, ou, quando muito, pedir que a OEA ou a ONU façam algo.

  55. Comentou em 25/09/2009 José Paulo Badaró

    Lendo os comentários até aqui me sinto aliviado e até vejo uma ponta de esperança de que nem tudo está perdido nestepaís! Divergências pontuais daqui e dali fico contente em ver que a grande maioria dos que se manifestaram até aqui não encaram política da mesma forma que assistem a uma partida de futebol, isto é, com paixão irracional e desenfreada, já que demonstraram perfeito entendimento quanto à atitude corajosa, digna e inequivocamente correta do governo brasileiro, ao defender não apenas “um convidado bem trapalhão”, apenas para rememorar um dos sucessos do ator Peter Sellers, mas muito mais do que isso, oportunidade de demonstrar a nossos pares latinos que não existe mais lugar na América Latina para republiquetas, para que dois ou três generais se juntem e tomem o poder deste ou daquele país, isto é, que não existe mais lugar para golpistas, pois a última moda consiste em algo chamado D E M O C R A C I A . É isso que está sendo defendido, É isso que vem obtendo o apoio unânime. Só os golpistas de nascença e de carteirinha é que ainda não caíram na real…

  56. Comentou em 25/09/2009 Marcy silva

    O que vcs acham desse comentario do Jabor?
    Golpe brando?Seria o irmao da ditabranda?
    Golpe democratico?
    O observatorio da imprensa nao acha isso grave?
    http://oleododiabo.blogspot.com/

  57. Comentou em 25/09/2009 Herman Fulfaro

    O Dr. Saraceno foi direto ao ponto. Governo de fato é uma expressão mais ampla e que inclusive pode abrigar hipóteses que não configurem, necessariamente, um golpe de estado. É só imaginar uma situação de emergência ou de calamidade onde um grupo de pessoas ou alguém assume o comando para evitar um caos maior. O golpe pressupõe a retirada ou a destituição violenta e ilegal de alguém do poder, enquanto o governo de fato pode se justificar até mesmo em razão de uma ocasional vacuidade do poder, onde não haja, por exemplo, clara previsão a respeito de quem deva suceder o titular. No caso de Honduras, chamar o ocorrido de governo de fato, é eufemismo puro e simples.

  58. Comentou em 25/09/2009 José Lira

    É lastimável que pessoas atrasadas em termos de formação política se ocupem em desfiar chavões e frases feitas na tentativa de obscurecer a posição atual do Brasil no concerto mundial e denegrir nossa diplomacia. Incluo o colunista entre esses pobres de espírito, pois se fia nas declarações parciais de dois ex-embaixadores que atuaram num período em que nosso país era lambe-botas dos Estados Unidos e do FMI.

  59. Comentou em 25/09/2009 Max Suel

    Ao Engenheiro de Fortaleza e ao Artista Plástico de Petrópolis: SIM o Brasil foi (e está sendo) protagonista …. protagonista de mais uma trapalhada … de mais uma absurda e atabalhoada atuação destes responsáveis pela política externa deste governo, que tantas e tamanhas derrotas colheu ao longo destes últimos anos. Seria risível se não fosse trágico …. protagonista junto com os absurdos bolivarianos … é tragicômico mesmo.

  60. Comentou em 25/09/2009 Italo R

    A Globo e Cia inventaram O Golpe Democrático

  61. Comentou em 25/09/2009 carlos anselmo

    quem quer ser protagonista, tem mais é que enfrentar problemas pra continuar como artsta pricipal.
    valeu, rené amaral. seu comentário foi lapidar.

  62. Comentou em 25/09/2009 Agostinho Rosa

    A rigor, a grande imprensa brasileira posicionou-se ao lado dos golpistas. Assistir o Alexandre Garcia defender a deposição de Zelaya na ponta da baioneta é ridículo e lamentável. Virou o samba do crioulo doido. Será que a constituição hondurenha justifica o uso da força neste caso? Alguém da imprensa discutiu este tema? Seguir o rito do processo legal tornou-se plenamente dispensável em Honduras e qualifica-se, de imediato, Zelaya como ‘persona non grata’ em seu próprio país. Por último, bate-se no governo Lula por refugiar um nativo com mandato legítimo e eleito por sufrágio universal. Não se pode tolerar uma imprensa deste nível. É muito ruim.

  63. Comentou em 25/09/2009 josé ferraz

    Gostaria de entender. Golpismo virou sinônimo de zelo pela constituição? Presidente deposto virou trapahão? Mudanças na regra do jogo eleitoral só vale para um certo país da America Latina? Mesmo assim sem consulta popular apenas com a simpatia do Legislativo.

  64. Comentou em 25/09/2009 Rodrigo Saraceno

    Belo texto LW. Queria fazer uma observação: não acho que governo ´de fato´ e ´golpista´ sejam expressões sinônimas. Acredito que a primeira seja mais ampla que a segunda. E, especialmente, o uso da expressão ´governo de fato´, longe de querer mostrar um distanciamento, uma imparcialidade, sugere o entendimento de que o Presidente de Honduras, por abusar de suas prerrogativas (ou seja, por sua culpa), teve que ser retirado do seu cargo, ficando o governo que o substituiu empenhado de trazer o país à ordem constitucional. Assim, a expressão ´governo de fato´ traz embutida uma interpretação dos fatos, de forma implícita, dando azo aos posicionamentos que são vistos nos jornais e na internet, de que o Golpe de Estado praticado em Honduras tem algum verniz de legitimidade. A expressão ´governo golpista´ traz as coisas para os seus devidos termos: trata-se de uma usurpação do poder, de um ato condenada por todos os países integrantes da OEA ( e provavelmente pela ONU). Não se trata da posição de ´petistas´, ´lulistas´, ´chavistas´, ou outro termo desqualificador. Se trata, sim, de uma condenação internacional unânime. Tratar esse Golpe de Estado com outro nome senão este é tentar trazer a exame uma tese de legitimidade inaceitável. Presidente ruim se resolve no voto, na oposição. Não no exílio forçado, sob a mira de fuzis.

  65. Comentou em 25/09/2009 Ney José Pereira

    No fim ‘o the end’ dessa canastrice política hondurenha (teatro grotesco dessa
    americalatinice) será uma foto do tal Zelaya e do tal Micheletti com a ‘declaração conjunta’: ‘Siempre fomos muy amigos’. Observação: A inspiração do comunicado conjunto é mesmo… lulática!.

  66. Comentou em 25/09/2009 René Amaral

    Problemão mesmo é que jornalistas amestrados pela ditadura militar
    e pelas elites, ainda tenham emprego e espaço para mostrar o quanto
    ignoram (ou fingem ignorar) que o Brasil parte hoje para uma situação
    de protagonista e não mais de coadjuvante nas questões que afligem
    a região!
    Quero mais é problemas como este, ou como a crise que era marola
    (mesmo), para mostrar que há formas diferentes e eficazes de agir do
    que enfiar a cabeça na areia e espera que o problema resolva a si
    mesmo!
    Pela primeira vez na minha vida não me sinto com o que o Nelson
    Rodrigues chamava de complexo de vira lata! Sou de raça e raçudo,
    como o nosso presidente, que se revelou uma gratísssima surprêsa!

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem