Domingo, 17 de Junho de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº991
Menu

CÓDIGO ABERTO > Desativado

Veja sai pela tangente e insulta – como de costume

Por Alceu Nader em 22/01/2006 | comentários

O jornalista-responsável por esse blog presume que virou ‘gente de pouca imaginação’. Essa conclusão apóia-se na suposição de que talvez tenha sido o único a apontar um erro primário de edição da semana passada da revista Veja: a não identificação de um personagem importante na reportagem que denunciou o publicitário Duda Mendonça como um dos megalavadores de dinheiro sujo do Brasil.


Para lembrar o leitor, o Contrapauta do último dia 16 apontou que a revista ‘decerto se esqueceu de identificar’ a presença de Nelson Biondi na foto como terceiro personagem de uma cena compartilhada com Duda Mendonça e Paulo Maluf. Para cobrir o buraco deixado aos leitores da revista, o Contrapauta acrescentou que o desidentificado ‘tornou-se o principal marqueteiro do candidato do PSDB, José Serra’, nas eleições de 2002.


A revista corrige-se nesta semana, com a soberba e a grossura habituais.
Junto com a republicação da foto que motivou o comentário¸ justifica-se, reconhecendo a existência de Nelson Biondi na foto, com texto que infiel à imagem reproduzida. Como de costume. Nela, um cidadão (o desidentificado) confere algo que Duda Mendonça lê em voz alta para um interessado Paulo Maluf. A revista transformou essa situação em ‘conversa’ para sustentar o desengonçado mea culpa:



Ao fundo, sem tomar parte na conversa, aparece Nelson Biondi, então sócio de Duda, que viria a ser o publicitário nas eleições de 2002.
Biondi não foi citado na legenda da foto por duas razões: não foi notado, por estar em segundo plano, e não estava diretamente relacionado com a história relatada na reportagem.

fac-simile da foto que resultou no comentário










Chega a ser engraçada a justificativa de que o então sócio do Duda Mendonça ‘não foi notado’. Das três uma, ou o autor do texto pensa que todos somos bobos, ou não tenha conhecimento sobre o personagem que foi alvo de suas denúncias, ou, talvez, faltem óculos para os responsáveis pela reportagem de capa da semana passada.

A desculpa de que o publicitário não-identificado ‘não estava diretamente relacionado com a história relatada na reportagem’ é igualmente esfarrapada. Ela apenas evidencia que há ignorância demais ou vontade de menos de relatar a história como ela é. A não ser que Duda Mendonça tornou-se ‘bandido’ apenas nos últimos três anos.


Ficam, pois, as perguntas:


Duda Mendonça passou a ser ‘bandido’ a partir de 2002? Esqueçamos sua vida pregressa?


O sócio sem identificação nada tem a ver com o histórico de chefe de lavanderia, cargo a que Veja imputa a Duda Mendonça?


Um caso só é criminal e verdadeiro quando é relatado pela revista?


Na verdade, trata-se de um sósia que o desindetificado contratou naquela noite? Um álibi para posteriormente desobrigar o personagem sem nome a testemunhar sobre o que Duda lia para Maluf?


O problema é com os leitores da revista? Não vale aprofundar porque eles não têm memória pré-2002?


Ou tratou-se mesmo de um erro colossal?


Porque raios, afinal, o marqueteiro ‘bandido’ é relacionado apenas com Paulo Maluf na reportagem?


A última: colou a desculpa de que Biondi não ‘foi notado’?


O trecho que leva o jornalista-responsável pelo Contrapauta supor que tenha sido o alvo da costumeira execração com que a revista ataca desafetos é o seguinte:



Teorias conspiratórias elaboradas por gente de pouca imaginação julgaram ter havido aí uma intenção de proteger José Serra, omitindo seu marqueteiro. VEJA não protege nem persegue ninguém. VEJA trabalha com fatos e responsabilidade jornalística, cumprindo sua missão, que tanto incomoda incompetentes e corruptos de todos os naipes.


Mas, ao reler novamente a íntegra do Contrapauta citado, o jornalista-responsável reconsidera: há também a possibilidade de a investida da revista ter outro destinatário. A razão para a dúvida é simples: o comentário sobre o ´esquecimento` da revista não diz que Veja protege o candidato do PSDB, tampouco traz qualquer ‘teoria conspiratória’, e muito menos conclui que Veja proteja ou persiga alguém.


Só mesmo um desavisado poderia imaginar que a revista, sem a menor cerimônia, seja capaz de difamar quem quer que seja. A ‘responsabilidade jornalística’ cumpre a missão ‘que tanto incomoda incompetentes e corruptos de todos os naipes’. De todos os naipes.


 

Todos os comentários

  1. Comentou em 15/02/2006 Diego Lima

    A Veja é a revista mais importante do Brasil. Os números falam por sí.
    O fato da Veja não mencionar o nome do ‘individuo’ ao lado, não quer dizer nada. As pessoas que editaram essa matéria apenas quiseram relevar o fato de Maluf e Duda juntos. Acredito que renderia outras tantas páginas se fosse pra mencionar o nome do ‘cara’ ao lado de Duda.
    A veja não teria porque negar fatos aos leitores, ainda mais, sabendo que essas mesmas pessoas que lêem são inteligentes.

  2. Comentou em 14/02/2006 João Tavares

    ‘Toda manchete escândalosa, tem interesses muito escândalosos, ou seja uma fatura para cobrar depois’ (Fonte:Roberto Jefferson,Canal Livre da Band,18/09/2005).

    ‘A imprensa brasileira é corrupta? Ela pode ser comprada por forças políticas, por grupos econômicos ou pelo poder público’???
    (Fonte:Ombudsman/FSP12dez2004)

  3. Comentou em 05/02/2006 alessandro marlos

    A presente reportagem, por um acaso, insinua que a Revista Veja ardilosamente produz e condena Réus com o intuito de vender, satisfazer interesses e causar escândalos? Igualmente, escolhe ‘cuidadosamente’ os que deseja execrar? EU também acho.

  4. Comentou em 02/02/2006 Leonardo Candido

    Revista Veja… Insuperável…

  5. Comentou em 28/01/2006 CLAUDIO LUIS VITORIO DOS SANTOS

    Gostaria de dizer o contrário, mas, o que realmente me revolta, é que este ‘costume’ já faz parte da imprensa investigativa brasileira em geral. Aprofundam-se em matérias, de qualquer espécie, mas não tem
    qualquer interesse de que haja uma solução concreta para vários casos que foram noticiados (por esta mesma imprensa) a vários anos ‘Brasil’ afora.
    Não estou cobrando que a imprensa tenha um
    papel do Ministério Público ou Ministério da
    Justiça, mas é vergonhoso ter de submeter-nos ao fator esquecimento/conivência que pauta nossos principais veículos de infor-mação de nosso país.

  6. Comentou em 23/01/2006 Marinilda Carvalho

    Não é possível, o fechamento desse pessoal deve ser uma esbórnia, só bêbado de cair tem essa capacidade de alienação total da realidade!

  7. Comentou em 23/01/2006 Célio dos Santos

    Veja com seu estilo ‘matador’ está contribuindo para a reeleição de Lula. Explico: Esta semana numa pizzaria ouvi um bate-papo, em que várias pessoas se mostravam indignadas com o tiroteio da revista Veja sobre o governo Lula. Havia um certo clima de piedade, tipo: ‘ele não fez grande coisa, mas não merece isso…’.
    Um senhor, mais revoltado, disse: ‘Votei no Serra, mas dessa vez vou votar no Lula, só pra contrariar esse pessoal da Veja… Detesto ser manipulado!’.

    Não sei quantos pensam como este senhor, mas de uma coisa eu sei, o brasileiro tem por hábito torcer pelos ‘mais fracos’.

  8. Comentou em 23/01/2006 Welington Heringer

    Caro Alceu Nader.

    Em quem, no que, em que, acreditar nesse país?

    Há ainda, os isentos, como você. Parabéns!

  9. Comentou em 23/01/2006 Renan `Pereria

    Caro Alceu, brilhante o seu artigo, mas se alguem na face da terra duvida que Veja considere que seus leitores são capazes de raciocinar deve imediatamente ser internado em um hospício. Afinal o tal Diego ou seria Diogo já afirmou em um de seus malfados artigos que só atrai mentecaptos.
    Vamos esperar o que mais da cínica Veja?

  10. Comentou em 23/01/2006 Liana Lins

    Mais uma vez, a Veja subestima a inteligência de seus leitores. Como assim não foi notado?

    A desculpa da revista deveria ter sido, no mínimo, mais elaborada.

    Só confirmou o que foi dito por esse blog.

  11. Comentou em 22/01/2006 Iolando Fagundes

    Novamente parabéns Alceu Nader, como sempre, muito lúcido e imparcial. É impressionante como alguns jornais e revistas insistem em duvidar da capacidade de questionamento dos leitores, creio que esqueceram que os leitores de antes não são os mesmos. Embora muitos não queiram enxergar, o Brasil de hoje está, finalmente, solidificando a sua identidade como nação, deixando de ser só o país do futebol, samba e mulher gostosa. O País de hoje lidera a América Latina, possui papel importante como ator global, líder do G20, um país que não está mais no vermelho, que honra seus compromissos,que possui crédito.Tudo isso demonstra uma coisa, nosso país é mais responsável,embora tenham transformado 55 milhões de caixa 2 de campanha no maior ‘esquema de corrupção’,tudo isso hiperinflado por parte de uma mídia provinciana.Felizmente,o sentimento de fracasso que tentaram incutir no inconsciente coletivo do povo brasileiro não vingou.Por todos os comentários que tenho ouvido de amigos estrangeiros, este país está sendo visto com outros olhos, não é mais o país do futuro, é um país que está se consolidando como nação, assumindo o papel que lhe cabe no mapa mundi, asssumindo-se grande como deveras é. Por tudo isso, a autoestima do brasileiro cada vez mais se fortalece. Essa crise serviu, principalmente, para escancarar um sistema político decrépto que, está fadado a transformar-se ou imolar-se.

  12. Comentou em 22/01/2006 Célio Mendes

    A revista Veja só quer que o leitor veja aquilo que é ela quer mostrar, o Biondi por ter trabalhado com Tucanos ganha o tão festejado ‘efeito teflon’ da era FHC. Este episódio ilustra muito bem como funcionava este curioso ‘efeito’, quando surgia algum podre na administração tucana todos fingiam que não viam, ninguem comentava, niguem investigava e finalmente o fato saia da pauta. Quando houve o apagão ai não deu para esconder, mas nossos Goebbel´s ja tinha uma solução foi só jogar a culpa na falta de chuvas, ainda lembro do jornalismo global explicando uma tal de curva guia no nivel dos reservatórios e enquanto falavam disso chegava a noticia de que em Itaipu se abriam os vertedouros por excesso de agua.

  13. Comentou em 22/01/2006 José Carlos dos Santos

    Veja, a revista, não vê Biondi, Alceu vê e comenta, Veja percebe que através de Alceu vimos sua armação, então em sua nova edição, diz o Jornalista desse blog não tem imaginação, ainda bem que não tem, tem apenas que enxergar os fatos, e essa história da Veja cheira a Déja vu

  14. Comentou em 22/01/2006 Jose Edi Nunes da Silva

    Parabéns Nader, por desmacarar semanalmente as manipulações da revista Veja. Espero que continue assim.

  15. Comentou em 22/01/2006 regina alves pereira pereira

    Está ficando chato ler este OI. Não fica uma semana sem citar a Veja ou qualquer coisa relacionada com a a revista. Não é mais jornalismo, é pinimba mesmo.
    O grande escandalo jornalístico da semana foi a pesquisa IBOPE, realizada a pedido da Isto É, com omissão da mesma em relação ao segundo turno.Em relação à metodologia. Emm relação às perguntas tendenciosas.
    Não vejo nada no OI, ou este Observatório só observa a Revista Veja, o Diogo Maindardi e demais desafetos?
    Qual a posição do OI em relação à esse fato vergonhoso no jornalismo brasileiro?
    Cadê a observação? Onde foi parar a análise do fato?
    O fato não é grave ou relevante para OI?
    Cadê a indignação, a defesa da ética jornalistica?
    Para não correr o risco de ser injusta, acredito que o fato ainda será abordado pelo OI.
    Abordado com a mesma severidade com a qual as matérias publicadas pela ‘inimiga’ Veja são abordadas.

  16. Comentou em 22/01/2006 ruy alkmim rocha filho

    Caro Alceu Nader, a Veja sabe muito sobre a ‘arte de imaginar’. Mistura fatos verídicos com hipóteses e até com as mais inverossíveis invenções. Fique feliz em ser classificado pela Veja como alguém de ‘pouca imaginação’. O tipo de ‘imaginação’ com que a Veja costuma realizar seus trabalhos não encontra vínculos com a ética jornalística. Bom trabalho.

  17. Comentou em 22/01/2006 Odorico Carvalho

    Se Veja e sua editora, a Abril, são tão competentes, por que então estão submersas em dívidas, segundo leio na imprensa? E aí está a chave para sua ação deletéria contra o Governo LULA e o PT: a volta de um governo entreguista e apátrida do PSDB seria a única táboa de salvação para o Grupo que, sob o patrocínio de Alberto Goldman, durante a era FHC, recebeu pesados investimentos do exterior. Tudo isso foi explicitado pelo Dep. Dr. Rosinha, do PT, em recente artigo.

    Quanto à VEJA, eu e milhares de leitores já a extirpamos de nosso convívio. E não adianta lotar nossas caixas postais com promoções, convites e ofertas: VEJA NUNCA MAIS.

Código Aberto

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem