Terça-feira, 17 de Outubro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº962

DIREITO DE RESPOSTA > TV BRASIL

A dublagem da minissérie Equador

Por José Guilherme Alves Martini em 25/10/2011 na edição 665

A seção “Direito de Resposta” é um espaço para acolher mensagens e reclamações de leitores dirigidas aos veículos de comunicação. Os temas são livres. Serão descartadas as manifestações ofensivas e as que incitem a qualquer modalidade de intolerância ou crime.

Sou fã da TV Brasil e de seus programas. Mas sou visceralmente contra essa mania de dublagem que assola as nossas TVs. Questionei a dublagem da série Equador e recebi resposta que me deixou espantado.

A seguir vai o texto.

“Prezado sr. José Guilherme, a Ouvidoria da Empresa Brasil de Comunicação – EBC agradece sua audiência e participação. No que diz respeito à dublagem da minissérie Equador, a Superintendência de Programação da TV Brasil esclareceu que a série original em português lusitano não é compreensível para a maioria dos brasileiros – testamos a possibilidade com grupos de telespectadores, focus group – ainda mais se tratando de textos dramatúrgicos. O próprio produtor da série nos propôs, então, que para a mesma atingir o maior número possível de brasileiros o melhor seria dublá-la para o português do Brasil. Havia também a possibilidade de legendá-la mantendo o áudio original, mas isso seria excludente, já que muitas pessoas, em geral mais idosas, têm dificuldades em ler legendas e ver as cenas simultaneamente. Além disso, por sermos uma emissora pública, nosso dever é contemplar a língua pátria e tornar a série mais acessível. São escolhas e decisões tomadas pensando em agradar a grande maioria. Atenciosamente, Carolina Farah, assessora da Ouvidoria da EBC www.ebc.com.br.

Minha resposta:

“Lamentável a explicação. Dublagem é um desestímulo à leitura e deturpa e impede o acesso à obra original. O dever de uma emissora pública é estimular a cultura, já que não está sujeita às tramas do mercado como estão outras TVs, apesar de serem concessões públicas. Mesmo assim, obrigado pela resposta.”

***

[José Guilherme Alves Martini é engenheiro, Curitiba, PR]

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem