Terça-feira, 18 de Junho de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1042
Menu

DIRETóRIO ACADêMICO >

Quando o saber é notório

Por Luiz Martins da Silva em 03/12/2013 na edição 775

A Universidade de Brasília tomou novamente a iniciativa de outorgar um título de Notório Saber, desta vez, ao repórter Carlos Fino, de longa folha de serviços prestados ao jornalismo, em Portugal, no Brasil e nos vários países e cenários onde atuou, principalmente como correspondente da Radiotelevisão Portuguesa, a RTP. Ele foi o primeiro jornalista a transmitir ao vivo a tempestade de bombas que se abateu sobre Bagdá, quando da segunda invasão de tropas norte-americanas e aliadas. A cerimônia pública de entrega do título foi realizada na quarta-feira (27/11), em Brasília

Foi o segundo título da categoria concedido pela UnB a um jornalista. O pioneiro foi em 2011, em favor de Luiz Cláudio Cunha, um dos mais corajosos e premiados repórteres brasileiros, mas, tal como Carlos Fino, sem uma precedente formação acadêmica específica. Ambos, no entanto, autores de livros sobre jornalismo e numerosos artigos de reflexão sobre esse campo, suas práticas e dilemas éticos.

Carreiras assimétricas

Candidaturas dessa natureza não partem dos próprios homenageados, mas de proposições originadas em unidades acadêmicas. A documentação correspondente tramita para exame em todos os departamentos da UnB e, finalmente, passa pelo maior colegiado universitário, o Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão. Só depois desse processo, a diplomação é feita em solenidade presidida pelo reitor, em rito semelhante a uma formatura.

Não é, portanto, condecoração e, sim, o reconhecimento de que se trata de uma personalidade capaz de assumir, se assim o desejar, o próprio magistério superior.

A titulação de Notório Saber tem sido a forma que as universidades têm encontrado para romper com a atávica falta de diálogo entre o meio acadêmico e o mercado, caracterizada, não raro, por injustiças e incompreensões. A estruturação das carreiras nos dois campos é tão assimétrica que por vezes impossibilita o trânsito de profissionais de um lado para outro.

Leia também

As pontes da comunicação – Fernando Oliveira Paulino

Um jornalista na contracorrente – Sylvia Debossan Moretzsohn

Do Alentejo ao Planalto Central – Carlos Fino

>> Assista aqui ao vídeo da cerimônia de reconhecimento de Notório Saber ao jornalista Carlos Fino


******

Luiz Martins da Silva é jornalista e professor da Faculdade de Comunicação da Universidade de Brasília

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem