Sábado, 23 de Setembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº958

DIRETóRIO ACADêMICO > GÊNERO NOTÍCIA

O que muda e permanece na passagem para a web

Por Silvio Profirio da Silva e Fabrina Bezerra da Silv em 27/01/2015 na edição 835
Trabalho apresentado na 65ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), 2013, Recife, PE

Consoante Mielniczuk (2003), os avanços trazidos pela tecnologia ocasionaram têm ocasionado o surgimento de novos gêneros textuais, pautados em novos suportes. Entre eles, a notícia na web. O gênero notícia, no dizer de Benassi (2007), consiste em um gênero textual, que volta seu olhar para acontecimentos de diversos expedientes – econômicos, policiais, políticos, sociais etc. – ocorridos recentemente, sendo marcado por aspectos que remetem às suas condições de produção (O que? Quem? Quando? Onde? Por quê?), como também por componentes estruturais (Título, Subtítulo, Lide e Corpo). Contudo, na passagem do formato impresso para a web, emergem novos elementos linguísticos.

Segundo Mielniczuk (2003), a notícia na web traz consigo modificações nas características da narrativa dos fatos, em função de novos aspectos que irrompem nesse gênero por conta do suporte textual online. Tais aspectos ocasionam novas práticas cognitivas de leitura, a partir das mudanças na recepção textual.

O gênero notícia está presente nas práticas cotidianas, exercendo uma influência substancial na formação da opinião do leitor. Com isso, ele propicia um trabalho com a leitura na perspectiva do Letramento – práticas de leitura e escrita em uma perspectiva de cunho social que transcende os objetos escolares.

Objetivo, métodos e discussão

Este trabalho tem como objetivo abordar as marcas/ traços de permanência e de mudança, que ocorrem no gênero notícia face à alteração do suporte impresso para a web.

Para realização deste trabalho, foi realizado um levantamento bibliográfico acerca das particularidades e especificidades do gênero notícia (plano temático, composicional e estilístico). Em seguida, foram analisadas quinze notícias no formato impresso publicadas por três jornais pernambucanos de grande circulação (Diário de Pernambuco, Folha de Pernambuco e Jornal do Comércio) e quinze notícias no formato online publicadas por três sites de nível nacional (Portal G1, UOL e Yahoo). Todas as notícias analisadas foram publicadas durante o mês de março de 2013.

Os resultados apontam como marcas de continuidade/ permanência a organização estrutural (título, subtítulo, lide e corpo textual). Porém, é necessário salientar que alguns dos veículos de comunicação analisados (UOL e Yahoo) eliminam o subtítulo. No caso do Yahoo, há algumas notícias, nas quais são eliminadas o corpo textual. Elas, com isso, teriam apenas o título, a imagem e o lide.

Como traços de mudança, percebemos alteração na estruturação desse gênero (extensão maior) e o uso de alguns elementos típicos da reportagem, como a citação de autoridades e a inclusão de outros gêneros textuais no corpo textual (gráficos, mapas e propagandas).

Conclusões

Destacamos, sobretudo, a inserção de diversos elementos linguísticos, tais como: Data de Atualização, Recursos para compartilhar nas redes sociais (Facebook e Twitter), Galeria de Fotos/ imagens, Vídeos, Links, Banco de dados, últimas notícias. Tais elementos estão diretamente relacionados aos novos aspectos – Interatividade, Hipertextualidade, Multimidialidade, Personalização, Memória e Atualização Contínua – que emergem nesse gênero em virtude da web, ocasionando uma mudança substancial na narrativa dos fatos, como evidenciam Mielniczuk (2003) e Ribas (2005). Por conseguinte, trazem à tona múltiplos padrões cognitivos de leitura.

O gênero notícia, no percurso da passagem do formato impresso para a web, permanece com sua estruturação na maior parte dos casos. Entretanto, o enfoque dado à notícia por alguns veículos de comunicação pode ocasionar alterações na organização estrutural (retirada de componentes). Destacamos, sobretudo, o fato da inserção de novos elementos provenientes do suporte web. Estes consistem em novas marcas, que ocasionam alterações na forma como o leitor interage com o texto, contribuindo, assim, para o brotar de novos padrões cognitivos de leitura e novos recursos de produção de sentido face o texto no formato online.

Referências

BENASSI, M. V. B. “O gênero ‘notícia’: uma proposta de análise e intervenção”. In: Anais do CELLI – COLÓQUIO DE ESTUDOS LINGUÍSTICOS E LITERÁRIOS. 3, Maringá, 2007.

MIELNICZUK, Luciana. “Jornalismo na web: uma contribuição para o estudo do formato da notícia na escrita hipertextual”. Tese de doutorado em Comunicação e Culturas Contemporâneas, Universidade Federal da Bahia – UFBA, 2003.

NUNES, R.. “Notícia digital: processos de construção”. Revista Digital Webjornalismo. Portugal, 2005.

RIBAS, B. “Características da notícia na web: considerações sobre modelos narrativos”. Revista Digital Webjornalismo. Portugal, 2005.

******

Silvio Profirio da Silva e Fabrina Bezerra da Silva são graduados em Letras

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem