Terça-feira, 21 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº966

DIRETóRIO ACADêMICO > ÁREAS DE CONHECIMENTO

A posição da Intercom

04/10/2005 na edição 349

A Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação – Intercom, exerceu papel histórico no sentido de incluir a Comunicação como área autônoma de conhecimento no sistema nacional de ciência e tecnologia e de sedimentar sua legitimação perante as agências nacionais e regionais de fomento científico. Essas conquistas fortaleceram sua condição de entidade aglutinadora do maior contingente nacional dos pesquisadores vinculados aos distintos segmentos do campo comunicacional, respaldando o seu credenciamento como associação integrante da rede de sociedades científicas capitaneadas pela SBPC – Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência. Em função disso, a Intercom tem acompanhado atentamente o processo de redefinição das áreas de conhecimento liderado pela Comissão Mista constituída por representantes da Capes/CNPq/Finep.

Tanto assim que fortaleceu pro-ativamente o fórum promovido pela representante de área junto ao CNPq, nos dias 20-21 de maio deste ano, na cidade de São Paulo. Como resultado do consenso obtido naquele encontro, de que participaram os dirigentes das demais sociedades científicas ou representantes das comunidades segmentadas – Teoria da Comunicação, Jornalismo, Propaganda, Relações Públicas, Radialismo, Editoração, Audiovisual, Cibermídia etc. – endossou a proposta de redefinição das sub-áreas, posteriormente encaminhada ao presidente da comissão mista.

Essa proposta buscou preservar as sub-áreas historicamente incluídas na tabela vigente, além de contemplar os segmentos investigativos que estão emergindo, em sintonia com as tendências internacionais da nossa área. Trata-se de uma configuração abrangente, que reflete a nossa complexidade, abrigando não apenas as linhas de pesquisa privilegiadas pela pós-graduação, mas garantindo o espaço ocupado pelos projetos realizados na graduação, desenvolvidos nos grupos de pesquisa mantidos pelos setores público, privado e terciário, bem como no âmbito das profissões que integram o universo comunicacional.

Por isso mesmo, a Diretoria da Intercom recebeu com perplexidade a primeira versão da TAC – nova tabela oriunda da comissão mista das agências nacionais de fomento científico –, ponderando que a redivisão proposta, além de restritiva e polêmica, deixa de contemplar as principais sub-áreas da pesquisa aplicada, bem como os segmentos ascendentes da pesquisa experimenta, que dão conta daqueles novos objetos resultantes das inovações tecnológicas.

O campo da Comunicação tem perfil multifacetado, compreendendo um conjunto de conhecimentos teórico-práticos, construídos em função das demandas oriundas das indústrias midiáticas, dos serviços públicos e das organizações comunitárias, englobando profissões legalmente reconhecidas e socialmente legitimadas, cuja segmentação deve ser necessariamente refletida no elenco das sub-áreas, como vem ocorrendo até agora, e não diluídas no vasto território das especialidades.

Assim sendo, a Intercom solicita a revisão da TAC, reivindicando a incorporação das sub-áreas (a seguir transcritas) propostas pelo documento consensual que o coletivo das sociedades científicas da área encaminhou ao CNPq, onde está espelhada a clivagem correspondente à atividade peculiar da pesquisa comunicacional.

Área – Comunicação

Sub-áreas:

** Epistemologia da Comunicação

** Cinema e Audiovisual

** Rádio e Televisão

** Jornalismo

** Relações Públicas e Comunicação Organizacional

** Publicidade e Propaganda

** Editoração e Cultura do Impresso

** Cibercultura

** Cultura Midiatizada

** Comunicação e Interfaces

[São Paulo, 30 de setembro de 2005 – Diretoria da Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação – Intercom]

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem