Terça-feira, 19 de Setembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº958

DIRETóRIO ACADêMICO > ECOS DO JULGAMENTO

A tentação totalitária

Por Alberto Dines em 03/09/2007 na edição 448

A semana que passou vai certamente inscrever-se de forma gloriosa na história do Judiciário. Mas na história da imprensa representou a continuação de um conflito que começou no ano passado e parece condenado a manter-se aceso por muito tempo.


Quanto mais o governo, seu partido e seus aliados acusam a imprensa de parcialidade mais se amplia uma crise que tem tudo para ganhar conotações institucionais.


O erro desses falsos observadores da imprensa é presumir que jornalistas não têm brios profissionais nem consciência. Para os detratores da imprensa, o fotógrafo que faz um flagrante incômodo ou a repórter que registra uma conversa telefônica num restaurante não são profissionais zelosos, cônscios de seus deveres na busca de fatos. São mercenários, títeres nas mãos de interesses escusos que comandam a mídia.


A imprensa, para esses observadores, seria uma entidade abstrata, sem gente, sem alma, sem noção de cidadania, enquanto que os 40 denunciados pelo Ministério Público – e agora réus –, estes merecem solidariedade, apoio, compreensão.


Esta forma de desumanizar e diabolizar instituições assemelha-se àqueles espasmos que desde meados do século passado são conhecidos pelo nome de totalitarismo.

Todos os comentários

  1. Comentou em 12/11/2008 Murilo Cunha

    Hoje (11/11) foi veiculada no Bom dia Brasil da TV Globo uma reportagem sobre a queda dos clubes ‘grandes’ à 2ª divisão do futebol brasileiro.
    O jornalista Alex Escobar veiculou uma informação errada de que o Grêmio teria sido o primeiro a ter sido rebaixado em 1991.
    Isso não corresponde à verdade, pois em 1986 Botafogo e Coritiba foram rebaixados, mas por uma virada-de-mesa não jogaram a Segundona de 1987. Da mesma forma Santos e Corinthians foram rebaixados em 1987 e não jogaram a Segundona de 1988, competição que seria disputada por 20 clubes e foi ampliada para 24 para beneficiar os times paulistas integrantes do Clube dos 13.
    Também faltou citar que o Corinthians esse ano recebeu verba de transmissão televisiva da Série A mesmo sem estar disputando a divisão de elite do nosso futebol. Isso cria um fosso orçamentário em relação aos demais clubes, que é praticamente impossível competir, por isso a facilidade dos times do Clube dos 13 em voltar pra Série A no ano seguinte.
    Taí o video com o apresentador Fernando Vanucci narrando a queda do Botafogo em 1986:
    http://video.google.com/videoplay?docid=-7758954820880922720&q=rebaixados+1986&ei=dXAOSKW1KZSUrgKVh8i9BA
    Estou enviando a mensagem pois acho que foi uma matéria que mascara a verdade dos fatos tendenciosamente.

  2. Comentou em 21/09/2007 ANSELMO ALVES DE ARAÚJO

    CARÍSSIMO DINES, RESPONDA-ME UMA PERGUNTA QUE NÃO QUER CALAR. PORQUE A GRANDE MÍDIA NÃO FALA EM MENSALÃO PEESSEDEBISTA, HAJA VISTA EDUARDO AZEREDO À ÉPOCA SER DA DIREÇÃO NACIONAL DO PSDB E O VICE DELE SER DO PFL? EXPLIQUE-ME O PORQUÊ DESTA SELETIVIDADE SEMÂNTICA DA GRANDE MÍDIA.
    ABRAÇO.
    ANSELMO.

  3. Comentou em 04/09/2007 Gustavo Morais

    (…) uma memória curtíssima. Entretanto, o povo jamais deverá esquecer o que a história o ensinou.

  4. Comentou em 04/09/2007 Pedro Curiango

    O cerne de toda ideologia TOTALITÁRIA é o horror à liberdade do indivíduo. A campanha que se faz hoje contra a imprensa é claramente uma extensão disto. No Brasil, como em todo mundo democrático, a imprensa é regulada pelas leis inscritas na Constituição e ela, a Imprensa, deve ser responsabilizada pelo que fizer. Acontece, entretanto, que não se está apelando para o respeito pela Lei mas sim ao linchamento da Imprensa. Porque, em vez de vociferar contra a Imprensa, não a levam à barra dos tribunais? Este seria o caminho legal. Esta série de arremetidas de políticos corruptos que querem fechar a boca dos jornalistas é apenas o caminho que leva ao totalitarismo. No momento em que a Imprensa for calada todas as outras liberdades estarão mortas e só a opinião do totalitarismo será permitida. É o que acontece em Cuba e na Coréia do Norte. Alguém já viu alguma opinião publicada em Cuba que ponha em pauta alguma possível imperfeição do governo? Alguém no Irã, no Iraque de Saddam ou durante o governo dos talibãs podia discordar? Lembram-se daquela eleição final do Saddam, no qual ele saiu eleito pela totalidade dos votos? Lá a Imprensa “acatou” o dito oficial e nenhum jornalista pode duvidar que não houvesse, entre os milhões de eleitores, pelo menos alguém que errasse ao votar ou que, tomado por um “espírito-de-porco,” ou só por “ser do contra,” tenha deixado de votar no ditador.

  5. Comentou em 04/09/2007 Ana Rodrigues

    ROGÉRIO FERRAZ ALENCAR

    Se me permite, faço minhas as suas palavras. Parabens pela sua síntese que, com fina ironia, mostrou a verdadeira face da nossa ‘sagrada’ imprensa. Excelente aula para o Dines aprender a observar melhor.

  6. Comentou em 04/09/2007 nelson perez de oliveira jr

    Observar ou não observar eis a questão. Se não observarmos os preceitos do Dines, somos falsos observadores.Só podemos, pois, observar o que o Dines considera o verdadeiro e único ponto de vista, o de uma mídia que se auto vitimiza para inculcar culpa em quem não concorda com ela. Já fomos chamados de antropófagos e linchadores. Oswald de Andrade gostava dos antropófagos que podiam comer a cultura branca européia e tirar de sua força uma força brasileira regurgitada. Dines, ao querer impor seu pensamento como qualitativamente correto, o senhor não está pregando uma eugenia ideologica que prescinde e afasta quaisquer outras? O senhor está pregando contra a história de seu povo e corroborando o totalitarismo da mídia, em bom alemão PROPAGANDA. Outro comentarista OBSERVA que é o senhor que acredita em uma mídia abstrata, porque eu acredito em uma mídia que tem empregados e patrões, e ambos têm interesses e são estes interesses que podem e fazem a diferença no foco, enfoque e viés da notícia/fato comentado. Em qualquer tribunal da AMÉRICA DO NORTE, os réus têm o direito de serem julgados longe de sua comunidade e da pressão da mídia que propaga sua culpa antes do julgamento. Me diga que eu observei ou enxerguei ou li errado as manchetes que diziam que os quarenta réus eram mensaleiros, não tenha vergonha de ser cínico, vc tem liberdade para tal.

  7. Comentou em 03/09/2007 João Ricardo F. Vieira

    Sr. Dines, até algum tempo atrás eu imaginava que o senhor era diferente, se distinguia de muita gente que andava e anda dando seus palpites infelizes, era o que o senhor demonstrava. Depois, cai na real e vi que estava no mesmo barco da ‘grande mídia’. O seu corporativismo é algo genético. Bem, chamo de corporativismo porque não considero mau-caratismo. Ainda.
    Ora Sr. Dines, o STF ter aceito a denúncia não significa nada de especial, pois nesse instante prevalece o princípio ‘in dubio pro societate’, ou seja, pairando suspeitas deve-se investigar, foi isso que o Supremo fez, pois não tendo certeza da inocência dos acusados o melhor é aprofundar as investigações mesmo. O julgamento de mérito é outra coisa, aí vai ter que ter certeza pra condenar, senão… terá que absolver, prevalece aí o princípio ‘in dubio pro réu’ que o senhor estaria defendendo se fosse o senhor o acusado. O senhor ou alguém seu. Ah, diz a Constituição Federal, não sei se o senhor sabe, que a presunção do estado de inocência vai até a sentença penal condenatória transitada em julgado. Sabe o que significa? Significa que até lá os réus não merecem o tratamento dispensado aos condenados, quer pela Justiça, quer pela sociedade, quer pela mídia, mas a esta ao que parece nada disso importa, pois seus objetivos são outros. E o senhor, um jornalista calejado entrando nessa? Respite ao menos seus cabelos brancos.

  8. Comentou em 03/09/2007 João Ricardo F. Vieira

    Sr. Dines, até algum tempo atrás eu imaginava que o senhor era diferente, se distinguia de muita gente que andava e anda dando seus palpites infelizes, era o que o senhor demonstrava. Depois, cai na real e vi que estava no mesmo barco da ‘grande mídia’. O seu corporativismo é algo genético. Bem, chamo de corporativismo porque não considero mau-caratismo. Ainda.
    Ora Sr. Dines, o STF ter aceito a denúncia não significa nada de especial, pois nesse instante prevalece o princípio ‘in dubio pro societate’, ou seja, pairando suspeitas deve-se investigar, foi isso que o Supremo fez, pois não tendo certeza da inocência dos acusados o melhor é aprofundar as investigações mesmo. O julgamento de mérito é outra coisa, aí vai ter que ter certeza pra condenar, senão… terá que absolver, prevalece aí o princípio ‘in dubio pro réu’ que o senhor estaria defendendo se fosse o senhor o acusado. O senhor ou alguém seu. Ah, diz a Constituição Federal, não sei se o senhor sabe, que a presunção do estado de inocência vai até a sentença penal condenatória transitada em julgado. Sabe o que significa? Significa que até lá os réus não merecem o tratamento dispensado aos condenados, quer pela Justiça, quer pela sociedade, quer pela mídia, mas a esta ao que parece nada disso importa, pois seus objetivos são outros. E o senhor, um jornalista calejado entrando nessa? Respite ao menos seus cabelos brancos.

  9. Comentou em 03/09/2007 Wagner Moraes

    Dines,

    e quem são os verdadeiros observadores da midia?

    Você?

  10. Comentou em 03/09/2007 Paulo Fessel

    É isso aí, Dines. Por isso é que o Wolinski, já fazem mais de 30 anos, sempre dizia: ‘Para ser um bom jornalista é preciso estar muito bem informado. Muito bem informado sobre as posições políticas da chefia de redação’. Pena que seja tão difícil colocar cartuns aqui, tenho um dele que cairia como uma luva para fazer um contraponto a esse texto, que sem dúvida é um dos piores que o Alberto Dines jamais produziu.

  11. Comentou em 03/09/2007 Marco Antônio Leite

    -‘Vencer para o homem é ser feliz hoje, deixando para manhã a felicidade futura. Vencer é cuidar bem dos filhos, esposa e dos demais que nos cercam com a felicidade da solidariedade. Vencer é ter muitos amigos, viver em harmonia com os companheiros de trabalho e, também nossos vizinhos. Vencer é plantar uma flor no coração da humanidade!’ Contudo, no Brasil esta difícil ser feliz, principalmente quando somos obrigados há conviver com escândalos de todos os tipos e modelos. Haja mau humor!

  12. Comentou em 03/09/2007 Marco Antônio Leite

    Sabemos nós que a imprensa não é flor que se cheira, mas culpá-la de todas às mazelas que vem ocorrendo nesse governo faz de conta, já é demais. O promessinha de plantão, nas duas campanhas para à presidência da República, não causou de prometer que criaria dez milhões de empregos, criou até agoira empregos fantasmas. Prometeu agilizar a maior reforma agrária nunca vista em lugar nenhum do mundo, até agoira tem patrocinado alguns latifúndios para enterrar os trabalhadores tombados na guerra agraria. Prometeu eliminar há prostituição infanto/juvenil, porém esse quadro só piorou em todo o território nacional. Prometeu fazer um governo para os menos favorecidos pelo sistema capitalista, o que estamos assistindo é o filme de terror que o FHC já havia presenteado nos seus governos. No entanto, o Lulla aliou-se aos piores partidos e políticos de direita que proliferam pôr este Brasil afora. Depois vem chorar em público que esta sendo implacavelmente perseguido pela imprensa tupiniquim. Vá chorar lá em SBC, terra dos traidores da classe trabalhadora.

  13. Comentou em 03/09/2007 Antonio Carlos Silva

    Este texto me deixa com muita energia para ir no ato dos excluídos que será realizado na candelária no dia 07 de setembro (não estranhem pois eu me sinto excluído de uma imprensa honesta), e também não faltarei aos atos no dia 05 de outubro de 2007 (dia da não renovação da maldita rede groubo)

  14. Comentou em 03/09/2007 Antonio Carlos Silva

    Este texto me deixa com muita energia para ir no ato dos excluídos que será realizado na candelária no dia 07 de setembro (não estranhem pois eu me sinto excluído de uma imprensa honesta), e também não faltarei aos atos no dia 05 de outubro de 2007 (dia da não renovação da maldita rede groubo)

  15. Comentou em 03/09/2007 Thiago Conceição

    Fábio Carvalho, eu critico somente a irracionalidade dos defensores do PT e não o fato de serem petistas. E por um acaso eu jamais encontrei um único petista que fosse capaz de articular idéias sem apelar para sentimentalismos. Essa história de que o Lula é um pobre coitado perseguido pelos lobos famintos da imprensa é justamente a que me refiro, isso é para tirar a atenção dos escandâlos e fazer as pessoas se sentirem comovidas e com pena dele. Essa incitação de ‘as elites’ contra ‘o Lula e o povo’ é outra bazófia descomunal para acirrar os ânimos e criar um conflito. E por aí vai.

  16. Comentou em 03/09/2007 Washington Ferreira

    Falsos observadores da imprensa fingem não ler a revista Veja, que foi o veículo de comunicação a dar início ao processo de submissão do STF aos interesses da mídia no caso ‘mensalão’.

    Falsos observadores da imprensa ignoram a falta de profundidade nas acusações do Procurador-Geral da República, inconsistentes por falta de provas cabais e concretas. Nem sequer foram identificadas as fontes que abasteceram as contas de Marcos Valério.

    Falsos observadores da imprensa insistem em diabolizar e desumanizar não instituições, pois falta-lhes coragem para tal. Demonizam e incriminam pessoas, de acordo com interesses inconfessáveis, que podem ser desde o dirigente da Escola Base até os presidentes do Senado, da Câmara e da República.

    Falsos observadores da imprensa insistem na verborragia inútil de que o governo, seu partido e seus aliados criam uma crise institucional ao acusar a imprensa de parcialidade, sendo muito fácil notar que 90%, pelo menos, das pessoas que aqui escrevem, têm a mesma opinião. Isso sem falar nos renomados intelectuais e pesquisadores que tem corroborado a tese através de estudos e pesquisas aprofundadas, como fez o professor Vinícius O. Lima, o IUPERJ e o Instituto Doxa, em textos publicados inclusive por aqui.

    Falsos observadores da imprensa tem só um destino: a lata de lixo da História.

  17. Comentou em 03/09/2007 Arthur Jorge Abdelmansur

    Caramba só tem comentário de petralhas!

    As sete conversas que Marcos Valerio teve com a PF é de fazer o PetralhaMor cair os cabelos.

  18. Comentou em 03/09/2007 alfredo sternheim

    ‘Quanto mais o governo, seu partido e seus aliados acusam a imprensa de parcialidade mais se amplia uma crise que tem tudo para ganhar conotações institucionais.’ Dines, essa afirmação é um espanto, ressoa golpista. Você e o Observatório estão dando uma importância excessiva a essas fotos feitas no STF, ou a conversa de um juiz. Dines, não é o o governo só e o partido que acusam a imprensa de parcialidade. São leitores, como eu (não sou petista), apontando textos tendenciosos e omissões. Vejam o O Estadão de hoje, quantos textos contra Lula e um só apontando falhas da polícia de SP, mas sem mencionar o governador. E as 20 chacinas que em 2007 mataram mais de 80 pessoas em SP onde estão na mídia? E por que cobrar ética só do PT? Por que quase ninguem da imprensa se escandalizou com o comportamento do senador Jereissati chamando o colega de boneca? Como aponta o prof. Leandro nos comentários, existe sim um tratamento diferenciado da imprensa para o governo Lula e outro para os governantes de outros partidos. Não me causa espanto quando vejo isso nas colunas de Eliane C, afinal ela é casada com um marqueteiroi ligado aos tucanos. Mas me espanta ver você , Dines, sugerir uma crise institucional. Louvo o espaço democrático do Observatório da Imprensa, mas lamento tantos textos tendenciosos e , agora, essa sugestão descabida de crise institucional. LAMENTÁVEL.

  19. Comentou em 03/09/2007 Luiz Rodríguez Noriega

    Dines, acho que o sr. já deve ter lido…caso contrário veja este bom artigo Periodismo y política (de 24 de juho de 2004).
    http://news.bbc.co.uk/hi/spanish/misc/la_columna_de_miguel/newsid_3837000/3837907.stm
    E outro artigo sobre o fechamento da TV venezuelana RCTV: http://news.bbc.co.uk/hi/spanish/misc/la_columna_de_miguel/newsid_6690000/6690107.stm
    impressionante como isso tudo na Venezuela ou em qualquer outro país tem a ver com a gente. Ambos artigos são do jornalista mexicano Miguel Molina. Atualmente ele tem um blog na BBC Mundo, fala sobre América Latina(Nuestra America) de uma maneira geral, mas de vez em quando fala sobre a situação da imprensa no continente. Achei interessante, apesar de que muitos brasileiros torcem o nariz para o idioma espanhol. No Brasil, sabemos muito pouco o que acontece lá fora graças ou apesar da imprensa brasileira, Não se conhece o Brasil se não conhecermos o mundo.

  20. Comentou em 03/09/2007 Glauber Soares

    Caro Dines, concordo em parte com você:sem sombra de dúvidas todos aqueles envolvidos com o ‘mensalão’ devem ser punidos exemplarmente; como também devem ser punidos todos aqueles envolvidos com diversos outros crimes existentes, que a imprensa não se preocupa em divulgar.
    Mas, o fato de se ter provado a existência do ‘mensalão’, simplesmente não apaga o descrédito pelo qual a imprensa brasileira atravessa. Também é obvio que a imprensa hoje, muito mais do que lutar por uma sociedade mais justa, busca, na maioria das vezes, defender seus próprios interesses.
    E, quando tais interesses, por coincidência (e não por ideologia), se confunde com os interesses da sociedade, tenta-se passar a idéia de que a imprensa sempre está ao lado do povo. Mentira!!!
    A imprensa sempre foi, é e (muito provavelmente) continuará sendo UM INSTRUMENTO UTILIZADO PELA ELITE DOMINANTE PARA ATINGIR SEUS OBJETIVOS PARTICULARES E POLÍTICOS. NADA MAIS QUE ISSO. Sds…

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem