Sexta-feira, 19 de Julho de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1046
Menu

DIRETóRIO ACADêMICO >

Câmara aprova lei eleitoral que limita cobertura online

Por Leticia Nunes (seleção de textos) em 10/07/2009 na edição 545

Leia abaixo a seleção de quinta-feira para a seção Entre Aspas.


 


************


Folha de S. Paulo


Quinta-feira, 9 de julho de 2009


 


POLÍTICA
Fábio Zanini e Johanna Nublat


Câmara aprova lei eleitoral que limita cobertura on-line


‘A Câmara aprovou ontem uma reforma eleitoral que cria regras para a campanha na internet e estabelece uma série de amarras para sua cobertura por portais, sites e blogs.


Ampla e tratando de diversos temas, a lei confirma a possibilidade da doação oculta por meio de partidos, relaxa mecanismos de punição a partidos políticos (como a suspensão do Fundo Partidário) e reduz valores de multas eleitorais. Erros ‘irrelevantes’ em prestações de contas serão ignorados, embora não se defina o que seja isso. Acaba a inelegibilidade para candidatos que deixarem dívidas de campanha.


Também fica incluída em lei a garantia de que pessoas com processos em tramitação na Justiça poderão ser candidatas antes que as instâncias sejam esgotadas. Hoje, há apenas jurisprudência nesse sentido.


Bastará para disputar a eleição o candidato ter apresentado as contas eleitorais de campanhas passadas, sem a necessidade de sua aprovação. A justificativa é não prejudicar um candidato se a Justiça demorar a apreciar as contas.


No final da sessão, uma emenda incluída de última hora criou o voto em trânsito para presidente. Eleitores fora de seu domicílio eleitoral poderão votar em urnas especiais colocadas nas capitais dos Estados.


Parte do texto-base se dedica a regulamentar a campanha na internet. Mesmo não sendo concessão pública, a internet terá que se submeter às mesmas regras de rádios e TVs.


‘O jornalismo na internet é, foi e será permitido. […] O que estamos propondo é que, além da liberdade, haja equidade’, afirmou o relator do projeto, deputado Flávio Dino (PC do B-MA).


‘Demos um passo em direção à modernidade. A permissão para doar pela internet vai diluir o peso do setor empresarial nas campanhas’, disse o deputado ACM Neto (DEM-BA).


As regras se aplicam às empresas de comunicação. Na realização de debates, por exemplo, será necessário seguir o modelo das TVs, pelo qual dois terços dos candidatos de partidos com representação da Câmara precisam ser convidados -mesmo os ‘nanicos’. No caso da internet, isso se estende a entrevistas e bate-papos.


Empresas de comunicação na internet (portais ou sites) não poderão favorecer candidatos na cobertura. Isso poderá dar margem à proibição de montagens satíricas. ‘Se for charge jornalística, não há problema. Não pode é uma trucagem, dizendo que o candidato roubou, matou ou recebeu mensalão’, disse Dino.


Como sempre acontece em projetos de lei deste porte, penduricalhos de última hora apareceram. Um deles proibia na propaganda de televisão, rádio ou internet, a utilização de áudio ou imagem de adversários.


O PSDB foi contra. ‘Quer dizer que eu não posso colocar o Lula falando que a crise era uma marolinha?’, disse o líder do partido, José Aníbal (SP). A restrição a menção ou participação de pessoas de fora da coligação na propaganda eleitoral acabou caindo.


Pré-campanha


A lei cria a figura da ‘pré-campanha’, aceitando alguns atos de cunho eleitoral antes do início formal da campanha, no dia 5 de julho. Ficam liberadas participação em programas de TV e rádio, realização de encontros em ambientes fechados e prévias partidárias..


Sobre o financiamento de partidos e campanhas, haverá a possibilidade de doação bens próprios -como veículos e imóveis, até o teto de R$ 50 mil.


O desejo de impor limites à atuação da Justiça Eleitoral aparece em outras partes da lei. Uma proposta que previa o trancamento da pauta do TSE até que pedidos de cassação fossem votados foi retirada na última hora. Também criou-se a data limite de 5 de março do ano eleitoral para que o TSE edite resoluções da votação.’


 


 


***


Projeto contraria posição do TSE sobre internet


‘Algumas das modificações da Lei Eleitoral aprovadas ontem pela Câmara contrariam posições recentes do Tribunal Superior Eleitoral.


Segundo o novo texto, a internet terá as mesmas regras impostas a TVs e rádios, que são concessões públicas. Assim, os sites ficariam proibidos de manifestar qualquer posição partidária.


Em julgamento anterior, o TSE já havia decidido que os sites devem ter os mesmos direitos de jornais e revistas -que não são concessões.


Outra questão controversa é a doação oculta. Os parlamentares explicitam na lei que ela é legal. Já o tribunal estuda formas de barrar a prática para tornar o financiamento de campanhas mais ‘transparente’.


Uma das ideias do TSE- que fica prejudicada se o projeto for aprovado no Senado- é obrigar os partidos a criar uma conta bancária específica para receber e repassar doações eleitorais de empresas e pessoas físicas.


Hoje é comum que empresas façam a doação indiretamente, via partido, ‘embaralhando’ a doação no caixa único das legendas.’


 


 


TELES
Rubens Valente


Procuradoria investigará a aquisição da BrT pela Oi


‘A compra da companhia telefônica Brasil Telecom pela Oi/ Telemar, negócio avaliado em R$ 13 bilhões que recebeu financiamento de dois bancos públicos, é alvo de procedimento aberto pela Procuradoria da República no Distrito Federal.


O procedimento é uma medida tomada pelos procuradores antes de decidirem se abrem ou não inquéritos ou ações.


A investigação pretende avaliar se a Anatel, a agência fiscalizadora do governo federal, cometeu irregularidades ao conceder em dezembro passado, em tempo recorde, uma anuência prévia para o negócio.


Os achados da apuração, que corre desde 2008, serão cruzados com um inquérito que a Polícia Federal de São Paulo deverá abrir em decorrência da Operação Satiagraha, a força-tarefa formada em 2007 pela PF e pela Procuradoria da República em São Paulo para investigar o banqueiro Daniel Dantas e o grupo Opportunity.


Protocolo


O pedido de abertura do inquérito policial foi protocolado na última sexta-feira, na 6ª Vara Federal Criminal, pelo procurador da República Rodrigo de Grandis. Ele também denunciou Dantas e mais 13 pessoas por gestões fraudulenta e temerária. O juiz Fausto Martin De Sanctis não havia decidido a respeito do pedido até o início da noite de ontem.


A Procuradoria em Brasília já identificou indícios de irregularidades na fusão. Em 18 de dezembro, antes do fechamento do negócio, o procurador Paulo José Rocha Júnior emitiu duas recomendações ao presidente da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), Ronaldo Sardenberg.


Ele queria que a Anatel tomasse precauções extras antes da anuência. Os pedidos, segundo a Procuradoria, não foram atendidos.. Além disso, ingressou com um mandado de segurança, que acabou perdendo efeito antes de ser julgado.


‘As conclusões preliminares são aquelas das recomendações e da primeira ação. Se a Anatel não as cumpriu, há, em princípio, algumas ilegalidades a serem corrigidas. Deve-se, contudo, terminar a análise das justificativas da Agência, concomitantemente com a apuração dos novos fatos’, informou Rocha Júnior, em e-mail enviado pela assessoria de imprensa da Procuradoria.


Decreto


A fusão só foi possível depois que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva alterou, por meio de decreto, regras então em vigor. A empresa de um filho do presidente, Fábio Luís, manteve contrato com a Telemar.


As investigações da Operação Satiagraha -deflagrada no dia 8 de julho de 2008- revelaram a atividade do ex-deputado federal Luís Eduardo Greenhalgh (PT-SP) no sentido de auxiliar Dantas a fechar acordo com os fundos de pensão, também acionistas da BrT. Um acordo prévio abriria espaço para a venda da BrT, mas Dantas dizia não ter ‘comunicação’ com os fundos. Eles haviam feito diversas denúncias sobre desmandos de Dantas no controle da BrT.


Dantas declarou à CPI dos Grampos que Greenhalgh ‘atuou meio como um negociador e meio como um mediador, na tentativa de obter um acordo [com os fundos], acordo esse que não conseguimos’.


Sendo um dos acionistas da BrT, empresa que controlou até 2005, Daniel Dantas tinha interesse direto na fusão.


Em janeiro passado, a Oi/Telemar pagou R$ 5,8 bilhões e passou a assumir o controle da Brasil Telecom. Não foi divulgado o valor que coube a Dantas no negócio.’


 


 


TODA MÍDIA
Nelson de Sá


Ah, aquele G8


‘No título do editorial do ‘New York Times’, ‘Oh, that G8’. Com esforço, o jornal levantou sugestões para encontro de tão ‘baixa expectativa’, como também destacou. Fim do dia e, confirmando a previsão, sua manchete foi para ‘Nações do G8 fracassam em acordo sobre plano para combater o aquecimento global’, depois mudado para sublinhar que a resistência foi das ‘nações em desenvolvimento’ convidadas para o encontro, reunidas no chamado G5.


Na manchete on-line do ‘China Daily’, nada de G8: ‘G5 defende cooperação mais próxima em questões globais’ como a economia ou a ‘mudança climática’. O presidente chinês nem estava mais lá e deixou a ‘resistência’ para Índia e outros.


Sobre o conflito em Urumqi, o jornal estatal chinês noticiou, com menor atenção, que a região estaria ‘voltando ao normal’ e, ainda menos convincente, que a ‘unidade étnica prevalece’.


BRASIL+MÉXICO


Em meio ao G8 e ao G5, Lula e o mexicano Felipe Calderón se reuniram e, no título da Efe, ‘acordaram fortalecer a unidade latino-americana’. E ‘sublinharam a importância do G5’ como ‘plataforma para levar posições da região à agenda mundial’.


No enunciado da France Presse sobre o encontro, os dois ‘condenaram o golpe de estado em Honduras’.


O DÓLAR CONTINUA


A coluna de investimentos do ‘Wall Street Journal’, sob o título ‘Você deve apostar contra o dólar?’, tratou longamente da demanda de China, Rússia e Brasil por alternativas ao dólar. Seu conselho: ‘Fundos de moedas estrangeiras podem proteger do declínio do dólar, mas eles podem não ser necessários’. O declínio, avalia, será demorado.


OBRIGADO PELO CAOS


O ‘Guardian’ apontou o ‘caos’ na organização do G8 e Silvio Berlusconi, ontem, reagiu dizendo que foi ‘erro colossal de um pequeno jornal’ http://www.guardian.co..uk/world/2009/jul/07/berlusconi-g8-summit-preparations. Mas o canal financeiro CNBC entrou no coro, com o âncora Stephen Sedgwick dizendo ‘obrigado pelo caos’ reservado à cobertura.


PARCEIROS


A espanhola Efe acompanhou a audiência do embaixador indicado para o Brasil, Thomas Shannon, e também de Arturo Valenzuela, que deve chefiar a diplomacia americana na região, no Senado. Para Shannon, ‘temos que deixar claro que os EUA continuam sendo parceiro maior do Brasil’, em energia.


Já Valenzuela, segundo a americana AP, defendeu mudar o foco dos EUA, passando a não dividir mais a América Latina de forma ‘maniqueísta’, em blocos. Era referência à Venezuela e países próximos, mencionados na pergunta de um senador.


RISCOS E INTERESSES


No topo das buscas de Brasil no Google News, ‘WSJ’ e outros deram que a corporação americana Hess ‘diz que não encontrou petróleo no campo de Guarani’, no pré-sal. No enunciado da agência britânica Reuters, ‘Poço seco no mar mostra riscos do petróleo no Brasil’. A Exxon, que divide com a Hess a concessão, avisa que vai abrir novo poço para ‘avaliar melhor’.


E a agência americana Bloomberg deu que as ações da Petrobras caíram pelo sétimo dia após a suspensão do teste de produção no campo de Tupi.


ESPECULADORES


Nas manchetes de papel de ‘WSJ’ e ‘Financial Times’, ontem, ‘Especuladores do petróleo sob fogo’ e a ‘repressão aos especuladores’ em estudo para conter a manipulação dos mercados.


Da Europa, o britânico Gordon Brown e o francês Nicolas Sarkozy cobraram ação contra a ‘volatilidade’. E o governo americano avisou que já prepara medidas.


PREÇOS


O blog de Vinicius Torres Freire, na Folha Online, avaliou que o limite na ação de ‘hedge funds’ e outros nos negócios de petróleo, se prosperar, ‘pode ser uma das mais interessantes iniciativas da onda de regulação’ estimulada pela crise.


E no fim do dia, ontem, a manchete on-line do mesmo ‘WSJ’ destacou a queda no preço do petróleo.


MONOPÓLIO?


O Google prepara um sistema operacional contra o Windows. Drudge e outros deram como ‘tiro mortal’ na Microsoft. Até o ‘NYT’ se assustou e postou na home, em destaque, que o novo Bing, da Microsoft, é buscador melhor que o Google.’


 


 


HONDURAS
Folha de S. Paulo


Jornal acusa venezuelano de conspirar por ‘massacre’


‘Uma foto de Hugo Chávez levantou especulações na imprensa hondurenha, que acusa o presidente venezuelano de conspirar por um ‘massacre’ que ajudaria o presidente deposto Manuel Zelaya a voltar ao poder de Honduras.


A foto, tirada no domingo, mostra Chávez assistindo na TV à fracassada tentativa de Zelaya de voltar a Honduras. Ao lado de Chávez, há uma lousa com a frase: ‘051345JUL09 Enjambre de abejas africanas, tribuna presidencial, heridos por picadas y desesperación de las per.’ (enxame de abelhas africanas, tribuna presidencial, feridos por picadas e desespero das pessoas).


A imprensa de Honduras -abertamente pró-golpistas- interpretou a frase como uma ‘mensagem em idioma militar’. O analista de segurança Mario Berríos disse ao jornal ‘El Heraldo’ que os números no início representam o dia (5 de julho de 2009) e a hora (13h45) em que Zelaya tentou pousar no aeroporto de Tegucigalpa, mas foi impedido pelo governo interino.


Enquanto isso, também no aeroporto, milhares de manifestantes pró-Zelaya entravam em choque com a polícia -dois manifestantes morreram.


Para o analista, o ‘enxame de abelhas africanas’ se refere ‘à força popular que depôs governos em alguns países’; ‘tribuna presidencial’ representa a tentativa de ‘instalar [Zelaya] novamente no poder da nação’.


‘Feridos por picadas e desespero das pessoas’ é, segundo o jornal, o ‘mais preocupante da mensagem’: seria uma tentativa de incentivar as massas pró-Zelaya a entrar em confronto com a polícia, para que esta respondesse com violência e deixasse mais mortos. O resultado seriam ‘novos mártires’, um ‘estado de ingovernabilidade’ e pressão pela volta de Zelaya.


A aliança Zelaya-Chávez provocou críticas por parte da oposição hondurenha pró-golpe.


Em represália à deposição do aliado, a Venezuela cancelou ontem o envio diário de 20 mil barris de petróleo a Honduras. E artigo no site da TV estatal Telesur acusava a imprensa hondurenha de ‘semear medo entre os hondurenhos’ e de ser ‘cúmplice’ do golpe.’


 


 


ARGENTINA
Thiago Guimarães


Cristina reforça alta na publicidade para meios pró-governo


‘A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, reforçou a tendência de gastos de publicidade da gestão do marido, Néstor Kirchner (2003-2007), com o aumento de despesas e benefícios a meios de comunicação alinhados ao governo.


Em 2008, foram gastos 396 milhões de pesos (R$ 204 milhões) em propaganda -um aumento de 23% ante 2007. Desde 2003, as despesas cresceram 756%. Ou seja, o gasto no primeiro ano de Cristina é 8,5 vezes o do ano inicial de Néstor.


O levantamento é da ONG ADC (Associação para os Direitos Civis), que aponta falta de transparência sobre os gastos e ‘grande arbitrariedade’ na divisão do bolo publicitário.


O casal Kirchner mantém relação tensa e conturbada com a imprensa -critica reportagens e defende o fim dos ‘monopólios midiáticos’. Em março, o governo lançou projeto de lei para alterar a regulação do setor audiovisual que atinge interesses do grupo Clarín, maior conglomerado local de mídia.


Dois meses depois, em maio, começou a fechar acordos com meios de comunicação para trocar dívidas tributárias por espaços de publicidade.


Em mídia impressa, quem recebeu mais verbas oficiais em 2008 foi o governista ‘Página 12’, com R$ 15 milhões -aumento de 107% ante 2006. Depois veio o jornal ‘Clarín’, com R$ 14 milhões e crescimento de 43% no mesmo período.


Em terceiro lugar ficou o grupo de revistas do empresário Sérgio Szpolski, com R$ 7 milhões e aumento de 680% desde 2006 -o maior do setor. Antes das eleições legislativas do último dia 28, a principal revista do grupo publicou na capa: ‘Proibido voltar aos anos 90’.


As revistas de Szpolski e o ‘Página 12’ superaram em publicidade oficial o ‘La Nación’. Enquanto este tem tiragem média de 155 mil exemplares, a circulação do ‘Página 12’, que não é auditada, não supera 25 mil aos domingos, diz a ADC.


‘A circulação não deve ser a única razão para definir publicidade em um meio, mas é um bom parâmetro de comparação ante a ausência de critérios claros’, diz a ONG. Não há regulamentação que controle a distribuição da publicidade oficial.


Em fevereiro, a Justiça determinou que o Estado concedesse publicidade ao grupo Perfil, que edita a revista semanal ‘Notícias’, a mais vendida no país e crítica ao governo. Apontou ‘evidente violação da liberdade de imprensa’. O governo pagou R$ 88 mil em anúncios e recorreu da decisão..


Apesar de ser o mais completo do país, o estudo da ADC não reflete o total dos gastos -não inclui patrocínios estatais e publicidade não intermediada pela agência oficial de notícias.


Procurada pela Folha, a Secretaria de Meios de Comunicação não respondeu.’


 


 


INTERNET
Folha de S. Paulo


Coreia do Sul afirma ser alvo de ataques virtuais norte-coreanos


‘Um ataque cibernético a 26 sites hospedados nos EUA e na Coreia do Sul, na maioria endereços governamentais, levado a cabo desde o último dia 5 foi atribuído ontem pela agência de inteligência da Coreia do Sul à vizinha Coreia do Norte.


Segundo a imprensa sul-coreana, deputados que tiveram audiência com o serviço secreto disseram que a tentativa de comprometer o funcionamento dos sites está ligada ‘a uma organização ou Estado, possivelmente a Coreia do Norte ou elementos pró-Pyongyang’.


Os ataques -segundo Washington, malsucedidos- atingiram os endereços eletrônicos de Casa Branca, Pentágono, Secretaria do Estado e Agência de Segurança Nacional, além de outros ministérios, a bolsa eletrônica Nasdaq, em Nova York, e o jornal ‘Washington Post’.


‘As medidas preventivas funcionaram como previsto, mantendo o site disponível ao público, embora alguns visitantes da Ásia possam ter tido problemas’, disse o porta-voz da Casa Branca, Nick Shapiro.


As tensões entre Coreia do Norte e o Ocidente e os aliados regionais Coreia do Sul e Japão vêm recrudescendo desde que o regime do ditador Kim Jong-il realizou o segundo teste nuclear de sua história, em maio.


Em junho, o Conselho de Segurança da ONU aprovou nova resolução contra o país endurecendo sanções adotadas em reprimenda à detonação do primeiro artefato nuclear (2006).


Na semana passada, a Coreia do Norte voltou a disparar mísseis balísticos no mar do Japão, em uma medida recebida como provocação pelo Ocidente.


Segundo Seul, embora restrinja acesso à internet, Pyongyang recentemente implementou uma unidade especializada em ataques cibernéticos.


Com agências internacionais’


 


 


4º PODER
Carlos Heitor Cony


Eu, pecador, me confesso


‘RIO DE JANEIRO – Antes, no melhor das festas, se alguém duvidasse, a imprensa já era tida como quarto poder, uma instituição que exercia um poder paralelo. Na verdade, não é um poder, mas uma força. Com as novas técnicas de comunicação e com a sacralidade das fontes, ela se transformou no escoadouro dos descontentamentos (lícitos ou não), dos ressentimentos (pessoais ou grupais), das pressões e compressões de uma sociedade heterogênea que inclui desde índios e menores inimputáveis até políticos e empresários que podem roubar.


Esse caldo em ebulição seria a matéria que justificaria a existência e a expressão do Estado que, no caso brasileiro, antecedeu a Nação.


Abriu-se um vácuo e, nele, a força da comunicação encontrou o seu espaço. E o fez com exuberante boa vontade. Não é a vida nacional que pauta a imprensa. É a imprensa que pauta a vida nacional, através de seus órgãos mais excitáveis.


Dá a régua e o compasso. A classe política empacou, ataca e se defende a esmo, desarticuladamente, de acordo com a direção e a intensidade dos petardos que recebe.


Mas quem acusa a imprensa? Quem se atreve a mostrar e demonstrar que o gigante também tem, como todos os gigantes, os seus pés de barro? Há desconforto em todas as classes, juízes, militares, empresários e policiais em relação aos jornalistas. Eles se transformaram em detetives, em esmiuçadores de contas de luz e telefone, de depósitos bancários, declarações de Imposto de Renda, despesas nos postos de gasolina e nas agências dos Correios.


Estenderam sobre a sociedade uma teia assombrosa que absorve denúncias vindas de fontes anônimas, lembrando os comitês de salvação pública da Revolução Francesa que alimentaram de sangue a guilhotina nos anos do terror.’


 


 


DISPUTA
Julio Wiziack


Google desafia a Microsoft ao lançar rival do Windows


‘O Google anunciou ontem o lançamento do Chrome OS, um sistema operacional que estará liberado para os consumidores no final de 2010 e irá competir com o Windows, da Microsoft. Como será desenvolvido em código aberto, o Chrome OS receberá ajustes por meio de contribuições dos parceiros do Google, que operam no desenvolvimento da plataforma, até o final deste ano.


Embora o Chrome sirva também para computadores e notebooks, ele está sendo criado para netbooks, equipamentos mais baratos porque não precisam de muita capacidade de armazenamento. Isso porque eles são destinados à conexão à internet, onde existem diversos aplicativos, como editores de texto, imagens e vídeo.


No caso do Windows, a maior parte desses aplicativos é instalada no computador e precisa ser aberta toda vez que o computador ou notebook é ligado -o que toma tempo do usuário. ‘No Chrome OS serão poucos segundos’, afirmam Sundar Pichai, vice-presidente de gestão de produtos, e Linus Upson, diretor de engenharia, em comunicado no blog da companhia.


Os executivos do Google prometem outras vantagens em relação ao Windows. Se elas se confirmarem, o Chrome OS não exigirá atualizações de software (já que tudo acontecerá via internet) nem a instalação de antivírus ou demais programas contra invasores.


Essas diferenças, segundo o Google, explicam-se porque, quando a maioria dos sistemas operacionais surgiu, a internet não existia. Hoje, as pessoas compram computadores, notebooks e alguns até celulares para ter garantia de que estarão conectados à rede.


Essa realidade revolucionou o mercado e fez do Google a principal empresa de tecnologia, obrigando a líder Microsoft a se reinventar. A disputa entre elas era inevitável e tornou-se declarada em setembro passado, com o lançamento do Chrome, o navegador do Google. Entre janeiro e junho deste ano, o Chrome cresceu 53%, saltando de 3,9% para 6% do mercado, o equivalente a 30 milhões de usuários no mundo. Nesse período, o Explorer caiu 15,4%.


Os institutos internacionais de pesquisa consideram esse movimento relevante, mas ainda muito discreto. O Gartner, por exemplo, afirma que o mundo corporativo, que em 2008 efetuou 60% das compras de computadores do mundo, ainda dá valor à estabilidade. Por isso, eles preferem versões antigas do Windows, no lugar de experimentar códigos abertos oferecidos hoje pelo Linux.


Nos últimos cinco anos, a queda de participação do Windows no mercado mundial foi de 8 pontos (caiu para 88,3%). No Brasil não há dados precisos. A FGV estima que, no mercado corporativo, seja de 97%.


Mas a expansão da internet em banda larga, principalmente pela rede das teles móveis, pode mudar as regras desse negócio no Brasil. O avanço dos netbooks (que chegam a custar até 50% menos que os desktops) também deve contar em favor do Chrome OS.


Por outro lado, o modelo de negócio do Google é dependente da infraestrutura de telecomunicações no país. Se pelo Windows é possível acessar programas instalados no computador, pelo Chrome OS, tudo estará disponível na internet. Sem conexão, nada funciona.


No país, o serviço de acesso à internet ainda é instável e as velocidade de conexão e mesmo a cobertura são precárias. Recentemente, panes na rede da Telefônica deixaram milhares de usuários do Speedy sem conexão. As redes das teles móveis também enfrentam restrições. A Folha apurou que, na opinião da Microsoft, esse será um problema no caminho do Chrome OS no país.’


 


 


***


Crescimento do Chrome no Brasil pode impulsionar novo sistema


‘As chances de que o Chrome OS dê certo no Brasil são consideráveis, segundo indica um levantamento feito pela Predicta, empresa que monitora a navegação na internet do país.


Isso porque, desde o lançamento do navegador do Google (também chamado Chrome), em setembro, sua participação de mercado cresceu de 0,57% para 2,13%. No período, o Explorer, da Microsoft, caiu 14%.


Como o sistema do Google está baseado nessa plataforma Chrome de internet, é possível que esses usuários migrem quando o Chrome OS for lançado, no final de 2010.


Apesar de o Google registrar o maior crescimento, quem mais ganhou mercado no Brasil foi o Firefox, da Mozilla. Atualmente, sua participação é de 16,25%. ‘Esse navegador oferece a melhor experiência de navegação ao internauta’, diz André Fatala, gerente de produto da Predicta.


Alguns exemplos do que isso significa: pelo Firefox é possível acessar o Youtube e salvar os vídeos em seu computador. Também é possível acompanhar o Twitter abrindo uma janela em algum canto da tela do computador. ‘Isso direto pelo navegador’, diz Fatala. ‘Em outros navegadores é preciso instalar alguns programas para executar a mesma tarefa.’


Para a Predicta, o anúncio do Chrome OS está alinhado com essa tendência. Fatala afirma que o Google já sinalizou novas atualizações no seu navegador (Chrome) e, no futuro, o Chrome OS vai melhorar ainda mais a vida dos internautas ao reunir tudo (internet, ferramentas de trabalho, comunidades, sites mais acessados, por exemplo) em uma tela automaticamente.


‘O Chrome OS está sendo projetado para levar o usuário à web em poucos segundos’, afirmam Sundar Pichai, vice-presidente de gestão de produtos do Google, e Linus Upson, diretor de engenharia.. ‘A interface é mínima para não interferir na navegação. A maior parte da experiência do usuário acontece na web.’’


 


 


TELEVISÃO
Daniel Castro


Gripe suína faz TV Globo cancelar novela no exterior


‘Para evitar o risco de parte do elenco contrair a gripe suína, a Globo cancelou gravações na Bolívia ou no Chile de cenas de sua próxima novela das seis.


A emissora iria gravar ‘Pelo Avesso’ no Salar de Uyuni, deserto de sal na Bolívia, ou no deserto de Atacama, no Chile. Mas, antes de decidir por qual dos dois desertos, decidiu substituí-los pelos Lençóis Maranhenses. Será lá que o personagem de Marcos Palmeira, o protagonista, se perderá. Serão gravadas cenas também em São Luiz (MA) e em Galinhos (RN).


As gravações -que envolvem 80 técnicos e os atores Carmo Dalla Vecchia, Isabela Garcia, Ed Oliveira e Rodrigo Rangel, além de Palmeira- começam amanhã no Maranhão.


A mudança atrasou o cronograma inicial de gravações da novela. A estreia de ‘Pelo Avesso’, prevista para 7 de setembro, foi adiada em duas semanas. A Globo, entretanto, nega que isso tenha relação com a mudança de planos.


‘Pelo Avesso’ será a segunda produção a seguir um novo modelo de lançamento de autores. Será escrita por Telma Guedes e Duca Rachid, sob a supervisão de João Emanuel Carneiro.


A figura do supervisor não é nova. A novidade é que agora ele não apenas acompanha os primeiros 40 primeiros capítulos.. Além do texto, sua atuação abrangerá todas as áreas, como figurino, e irá até o final.


Manoel Martins, diretor-geral de entretenimento, prefere chamar o supervisor de ‘autor sênior’ (os novos são ‘juniores’) e seu trabalho, de ‘coaching’. O modelo começou com ‘Tudo Novo de Novo’ e seguirá com a próxima novela das sete.


É GUERRA 1


A disputa entre Record e SBT por profissionais extrapolou a área artística e chegou aos executivos. Ontem, o SBT fechou a contratação de Paulo Franco, diretor de programação.


É GUERRA 2


Franco, ironicamente, foi um dos principais articuladores da ida de Gugu Liberato para a Record, movimentação que abriu a disputa entre as duas redes. Mas a Record deverá dar o troco na mesma moeda.. Negociou nos últimos dias com um importante diretor do SBT.


CAI DO CÉU


A Globo imitou a Record. Ficou sem intervalo comercial durante duas horas e 18 minutos anteontem, quando exibia o funeral de Michael Jackson.


GLOBO MUDA 1


A Globo anunciou ontem a promoção de Carlos Schroder de diretor da Central Globo de Jornalismo (CGJ) a diretor-geral de Jornalismo e Esporte. Comandará a CGJ e a nova Central Globo de Esporte, dirigida por Luiz Fernando Lima.


GLOBO MUDA 2


Ali Kamel será o diretor da CGJ, que terá Renato Ribeiro e Luiz Claudio Latgé como diretores-executivos. Alice Maria deixa a Globo News e passa a ser diretora de desenvolvimento e programas especiais, subordinada a Schroder.


GLOBO MUDA 3


Erick Brêtas, editor-chefe do ‘Jornal da Globo’, assume a direção de jornalismo do Rio. Ricardo Villela vai para o ‘JG’.’


 


 


Audrey Furlaneto


Para atriz, exagero é o que faz Aline ter graça


‘Para viver sua primeira protagonista na TV, Maria Flor se inspirou em duas amigas: ‘Sabe quando a maquiagem do dia anterior está escorrendo no rosto e elas nem ligam? Sabe quando elas acham que estão gordas e tomam ‘bola’?’.


Elas são a Aline de Maria Flor, personagem-título da série que a Globo leva ao ar neste ano e que começou a ser gravada há 15 dias, entre São Paulo e Rio. Inspirada não nas amigas da atriz, mas nos quadrinhos de Adão Iturrusgarai, a Aline da TV é ‘mais leve, mais comédia’.


Suas extravagâncias, além de ter dois namorados, são o figurino e a mania de chorar em comerciais de linguiça durante crises de TPM. ‘O exagero e a falta de compromisso com a realidade é o que fazem a Aline engraçada’, avalia a atriz.


Flor, 25, começou na Globo em ‘Malhação’ e fez três novelas. Diz que, nelas, ‘a interpretação é realista e não se consegue fugir disso’. ‘Admiro atores como Glória Pires e Tony Ramos, que conseguem fazer do café da manhã e do ‘bom dia, amor’ algo natural.’


Fã de séries -de ‘Sex and the City’ e ‘Seinfeld’ a ‘Law & Order’-, a atriz vê ‘Aline’ como um dos únicos programas jovens da Globo. ‘Também é para a família, mas a personagem-título é uma menina de 20 e poucos anos, descobrindo como sobreviver na cidade’, conta.


Menos realista


Já o diretor Maurício Farias, também à frente de ‘A Grande Família’, diz que ‘Aline’ é a história de uma jovem à procura do amor e da felicidade’. ‘O que ela quer todo mundo quer, de oito a 80 anos’, afirma.


Para ele, a série não quer driblar o realismo da TV. ‘A condução é menos realista porque essa é a maneira mais divertida e atraente que encontrei de contar essa história’, justifica.


‘O programa tem um bocado de coisas de que gosto e com que me identifico. Tem humor, música, espírito nonsense e ritmo de quadrinhos’, diz Farias, que também dirigiu o especial que serviu de piloto (episódio de teste) para a série, exibido pela Globo no ano passado.


Agora, com sete episódios, o programa sai da relação de Aline com os namorados, Otto (Bernardo Marinho) e Pedro (Pedro Neschling), e se abre para ‘as aventuras da protagonista no cotidiano’.


Surgem novos personagens, como a vizinha Kelly (Bianca Comparato), o pai de Pedro (Paulo Miklos), um editor que quer publicar o diário de Aline (Gillray Coutinho), entre outros. O diário da garota, aliás, é o tema do primeiro episódio, ainda sem data de estreia definida na emissora.’


 


 


PIRATARIA
Folha de S. Paulo


Crítico demitido por baixar filme processa TV


‘Roger Friedman foi demitido em abril depois de avaliar ‘X-Men Origens: Wolverine’ baseado em uma cópia que baixou da internet antes da estreia oficial do longa. Agora, ele processa a rede Fox News por difamação e pede uma indenização de US$ 5 milhões. Os estúdios 20th Century Fox, que produziram o filme, fazem parte da News Corp., dona da Fox News.’


 


 


 


************


O Estado de S. Paulo


Quinta-feira, 9 de julho de 2009


 


POLÍTICA
João Domingos


Câmara libera internet na propaganda eleitoral


‘A Câmara aprovou ontem a reforma eleitoral e liberou a propaganda na internet, em portal do partido ou do candidato, nas páginas de relacionamento da rede, como Orkut e Twitter, em blogs e por meio de mensagens eletrônicas. Autorizou também a pré-campanha para prévias, reuniões fechadas e entrevistas em que a pessoa pode se anunciar como candidata.


O projeto será agora votado no Senado e, se aprovado até o mês de setembro, valerá para as eleições de 2010. Pelo texto votado ontem, os debates no rádio e na TV – agora também na internet – para governador, senador e presidente da República, que são os cargos majoritários, poderão ocorrer com a presença de dois terços dos candidatos, caindo a obrigatoriedade de comparecimento de todos eles, como ocorre atualmente.. A exigência inviabilizava muitos debates, visto que candidatos de partidos nanicos às vezes discordavam das regras só para impedir a sua realização.


No embate em plenário, o PSDB e o DEM abriram vantagem sobre o PT e os partidos aliados. Eles conseguiram aprovar emenda que derrubou a blindagem dada aos candidatos, para impedir o uso de imagem e voz de adversários no programa. Com a emenda, tudo o que os adversários falaram ou prometeram poderá ser usado no programa do oponente.


Para os defensores da proposta, como o líder do PSDB, José Aníbal (SP), a permissão para uso da imagem e voz de adversários nos programas eleitorais vai permitir o bom combate e desmascarar promessas vãs. Os oposicionistas pretendem exibir imagens do presidente Luiz Inácio Lula da Silva dizendo que a crise mundial era apenas uma ‘marolinha’. O PT não queria isso. As trucagens e montagem que prejudicam os candidatos, porém, ficam proibidas.


Se a liberação da propaganda na internet foi total, no que se relaciona com os partidos, os candidatos e pessoas físicas, houve uma proibição do uso desse instrumento quanto a empresas ou órgãos da administração direta e indireta da União, de Estados e municípios. A multa por desobediência à determinação vai de R$ 5 mil a R$ 30 mil.


Será permitido o uso da internet para a doação de valores para as campanhas por pessoa física, limitada a 10% da renda bruta anual.Veículos e imóveis que forem emprestados a um candidato não poderão ter valor superior a R$ 50 mil.


Os líderes também aproveitaram a lei para se proteger. Pelo texto aprovado, a responsabilidade legal – até mesmo civil e trabalhista – cabe exclusivamente ao Diretório Nacional, Estadual ou Municipal que tiver violado o direito de alguém. Em caso de não pagamento, as despesas não poderão ser cobradas judicialmente dos órgãos superiores dos partidos.. Se houver uma decisão pela penhora, o bem a ser arrestado será da instância partidária que contraiu a dívida não paga.


Essa mudança interessou especialmente ao PT, encalacrado em dívidas de mais de R$ 40 milhões desde o escândalo do mensalão, em que o Diretório Nacional se endividou para distribuir dinheiro para as instâncias estaduais e municipais. Os partidos poderão usar 50% do Fundo Partidário para pagar pessoal. Atualmente só dispõem de 20% desse dinheiro.


AGRESSÕES


O direito de resposta para quem se sentir agredido, em qualquer meio, terá prioridade sobre os demais processos em exame pela Justiça Eleitoral. A propaganda nos jornais impressos poderá ser feita por, no máximo, dez inserções de anúncios em cada veículo, devendo constar obrigatoriamente quanto custou a compra daquele espaço.


Como os principais jornais reproduzem as suas páginas na internet, a propaganda que aparece nas páginas impressas poderá ser reproduzida nesse meio. Mas ninguém pode comprar espaço em sites.


Os partidos de esquerda, como o PSOL, por exemplo, foram derrotados na tentativa de restabelecer a propaganda em muros. Pelo projeto, não será permitido colocar propaganda eleitoral em árvores e jardins em áreas públicas, muros, cercas e tapumes divisórios.


Estão liberados para a divulgação de propaganda eleitoral cavaletes, bonecos, cartazes, mesas para distribuição de material de campanha e bandeiras ao longo das vias públicas. Os trios elétricos continuam proibidos, exceto para sonorizar comícios. Os showmícios seguem também proibidos.


Pelo projeto, o eleitor terá de exibir documento com foto para votar.. A partir de 2014, os votos eletrônicos serão impressos e poderão ser conferidos. Do total de votos, 2% serão auditados.


Emenda do deputado Miro Teixeira (PDT-RJ) aprovada à noite permite a eleitor em trânsito votar em urnas especiais nas capitais, mas só para presidente e vice.’


 


 


INTERNET
Choe Sang-hun, The New York Times


Ciberataques afetam sites dos governos dos EUA e da Coreia do Sul


‘Ciberataques que prejudicam o funcionamento dos sites de diversas agências governamentais dos EUA e da Coreia do Sul desde o feriado americano do 4 de Julho parecem ter sido lançados por um grupo ou governo hostil, informou ontem a principal agência sul-coreana de espionagem. ‘Não se trata de um ataque simples realizado por um hacker, mas sim uma operação cuidadosamente planejada e executada por uma organização específica ou até num nível estatal’, declarou o Serviço Nacional de Inteligência.


Apesar de a inteligência não ter identificado quem eles acreditam ser o responsável pela investida, a agência de notícias Yonhap informou que a Coreia do Norte e grupos pró-Pyongyang são os suspeitos.


Um porta-voz da inteligência disse que não podia confirmar a reportagem, segundo a qual o serviço secreto teria informado os deputados sobre suas descobertas. O Partido Democrático, de oposição, acusou a inteligência de espalhar rumores sem fundamento com o objetivo de incentivar a aprovação de uma nova lei antiterrorismo.


O acesso a pelo menos 11 sites importantes na Coreia do Sul – entre eles a página da presidência, Ministério da Defesa, Banco Shinhan, jornal Chosun Ilbo e o portal Naver.com – foi interrompido ou teve sua velocidade extremamente prejudicada desde terça-feira.


Num ataque relacionado ao que atingiu a Coreia do Sul, 14 grandes sites nos Estados Unidos – entre eles o da Casa Branca, do Departamento de Estado e da Bolsa de Valores – sofreram investidas parecidas, de acordo com policiais de Seul especializados no combate ao ciberterrorismo.’


 


 


O Estado de S. Paulo


Mulher de Brown cria blog sobre o G-8


‘Enquanto os chefes de Estado mais poderosos do mundo debatem sobre a mais grave crise mundial desde 1930, Sarah Brown, a mulher do primeiro-ministro britânico Gordon Brown, relata online – via blog, twitter e flickr – os bastidores dos eventos sociais dos quais participa na cúpula do G-8 (grupo dos sete países mais ricos e a Rússia) em Áquila, na Itália.


‘Serão alguns dias cheios de compromissos para mim, como parte do programa para as mulheres, enquanto Gordon está na cúpula. Mas estou ansiosa para o encontro com as ?outras metades? – conheci algumas delas no último encontro do G-8 e do G-20, em Londres’, blogou.


Quem visitou ontem o blog de Sarah (sarahbrowng8.wordpress.com) soube, por exemplo, que pela manhã ela visitou o papa Bento XVI na companhia da portuguesa Margarida Barroso, da indiana Gursharan Kaur e de outras mulheres de líderes. Essa foi a segunda vez que a britânica se encontrou com o líder católico. ‘Em fevereiro, Gordon me levou, junto com nossos garotos, para uma audiência privativa com o papa onde fomos tocados por sua bondade e preocupação pelo desenvolvimento mundial.’


Ainda no Vaticano, o grupo de mulheres participou de um passeio pelos jardins da Basílica de São Pedro e experimentou um ‘delicioso almoço’, cujo prato principal foi ‘ravióli à carbonara’. ‘Obrigada pela boa comida e boa companhia’, escreveu Sarah. As fotos do passeio pelos jardins estão online e podem ser vistas no álbum criado para o evento, no flickr (flickr.com/sarahbrown10).


À noite, de volta a Áquila, Sarah bebeu ‘uma agradável xícara de chá’ no hotel, enquanto esperava pelo retorno de Brown, que ainda estava reunido com os demais líderes, segundo relatou pelo twitter (twitter.com/SarahBrown10), onde tem quase 350 mil seguidores. ‘Vou escrever mais enquanto estiver aqui na Itália.’’


 


 


DISPUTA
O Estado de S. Paulo


Google anuncia sistema operacional para desafiar de vez a Microsoft


‘O Google planeja um ataque direto à principal operação da Microsoft Corp., tomando como alvo o sistema operacional Windows da gigante mundial do software para computadores pessoais, que atualmente domina o mercado global.


O Google, que já oferece e-mail, navegação na internet e outros produtos de software que competem com os da Microsoft, anunciou ontem que vai lançar um novo sistema operacional, inicialmente destinado aos netbooks.


Batizado de Chrome OS, o novo software será introduzido em netbooks para consumidores no segundo semestre de 2010, informou o Google em uma postagem de blog, acrescentando que já está trabalhando com vários fabricantes de computadores.


Os netbooks são notebooks de baixo custo, PCs otimizados para navegar na internet e para outros aplicativos baseados na rede. ‘Faz parte da cultura e da estratégia do Google ir no encalço da Microsoft e tirá-la de sua posição de principal detentora da tecnologia’, disse Rob Enderle, principal analista do Enderle Group. ‘A Microsoft poderá ficar vulnerável a um ataque desse tipo, e ela sabe disso.’


BRIGA


O Google e a Microsoft se enfrentaram muitas vezes nos últimos anos em vários mercados, das ferramentas de busca na internet ao software para telefonia celular. Resta ver se o Google conseguirá tirar uma parcela do mercado da Microsoft no seu principal campo de atividade, com o Windows atualmente instalado em mais de 90% dos PCs no mundo inteiro.


A notícia foi divulgada no momento em que executivos das maiores companhias de tecnologia e mídia do mundo, incluindo Google e Microsoft, se reúnem em Sun Valley, Idaho, para um congresso anual organizado pelo pequeno banco de investimentos Allen & Co. Um porta-voz da Microsoft não quis comentar o caso.


Para garantir o sucesso de seu sistema operacional, será fundamental para o Google conseguir concluir uma parceria com fabricantes de PCs, como a Hewlett-Packard e a Dell, que atualmente oferecem o sistema Windows na maioria das suas linhas de produtos.


A HP, a maior fabricante de computadores do mundo, não quis confirmar se venderá PCs que rodam o novo sistema operacional. ‘Estamos analisando’, disse a porta-voz da HP, Marlene Somsak. ‘Queremos entender todos os diferentes sistemas operacionais disponíveis aos consumidores, e avaliar o impacto do Chrome na indústria de computadores e de comunicações’.


No final de 2008, o Google já havia lançado um navegador, também chamado de Chrome, para concorrer com o Internet Explorer, da Microsoft. O Chrome, no entanto, ocupa um distante quarto lugar no mercado de navegadores, com uma parcela de mercado de 1,2% em fevereiro, segundo a empresa de pesquisa de mercado Net Applications. O Internet Explorer continua dominando, mas vê o Mozilla Firefox ganhar espaço.


O novo Chrome OS deverá funcionar bem com muitos dos aplicativos de software conhecidos do Google, como o Gmail, Google Calendar e Google Maps. Ele deverá ser rápido e leve, possibilitando aos usuários o acesso à internet em poucos segundos, disse o Google. ‘Os sistemas operacionais dentro dos quais os navegadores rodam foram projetados em uma era em que não havia internet’, disse Sundar Pichai, vice-presidente de gestão de produtos da Google, no blog da empresa. O Chrome OS é ‘nossa tentativa de rever como deveria ser um sistema operacional’.


O Google afirma que o Chrome OS é um novo projeto, separado do seu software operacional móvel Android encontrado em alguns smartphones. A Acer, a terceira marca mundial de PCs, já concordou em vender netbooks que rodam o Android a ser lançados neste trimestre.’


 


 


Reuters


Chrome OS pode atacar o Windows pelo preço e pela velocidade


‘O Google não informou por quanto será vendido o novo sistema operacional Chrome OS. Mas para Rob Enderle, analista do Enderle Group, a empresa deverá cobrar, quando muito, uma tarifa nominal, ou mesmo o distribuirá gratuitamente. De acordo com o analista, o modelo de negócios da companhia aposta para a sua receita na conexão de aplicativos ou na publicidade, e não na venda de softwares.


A Microsoft, líder absoluta no mercado de sistemas operacionais, não informa quanto cobra das fabricantes de computadores pelo uso do Windows, mas a maioria dos analistas estima que são cobrados aproximadamente US$ 20 pelo antigo sistema XP e pelo menos US$ 150 pelo atual Vista.


Charlene Li, da consultoria Altimeter Group, disse que um benefício para o consumidor é que a economia de custos é repassada, e ele não precisa pagar pelo OS. ‘É evidente que esse é um tiro de advertência para a Microsoft’, concluiu.


O novo sistema operacional do Google é projetado, além disso, para funcionar com processadores ARM e x86, a principal arquitetura de chip em uso no mercado. A Microsoft havia declarado anteriormente que não ofereceria suporte a PCs que rodam com chips ARM, permitindo que o Google aproveite a oportunidade para penetrar neste segmento.


Charlene Li disse que o novo Chrome OS deve atrair em primeiro lugar os consumidores que procuram um aparelho do tipo do netbook para surfar na internet, e não as pessoas que usam os computadores comuns para jogar ou para aplicativos mais potentes.


Mas, segundo ela, o novo sistema operacional tem um grande potencial para ser utilizado em computadores maiores e mais potentes, principalmente se revelar mais rápido do que o Windows, disse.’


 


 


MICHAEL JACKSON
Tutty Vasquez


Onde quer que esteja…


‘Desta vez a imprensa não tem desculpa. Não podia perder de vista aquele inconfundível caixão folheado a ouro, caramba! O cortejo seguia vigiado por câmeras de TV operadas a bordo de helicópteros que sobrevoavam a saída do funeral-show no Staples Center quando, de repente, o carro-chefe simplesmente sumiu. Foi a segunda vez desde a morte de Michael Jackson que os jornalistas ficaram sem pistas do corpo do rei do pop.


Ontem à tarde, 24 horas depois do velório, jornais de gente séria e sites de celebridades não sabiam dizer onde Michael Jackson seria enterrado, cremado ou escondido. Nunca antes na história do jornalismo mundial a desinformação viveu tamanho apogeu. Até o momento do fechamento desta coluna, equipes de reportagem varriam cemitérios e fornos crematórios dos EUA em busca do ídolo morto.


Ainda que não tenha recomendado nada a respeito, Michael Jackson deve estar adorando ver a imprensa sendo feita de boba.’


 


 


TELEVISÃO
Keila Jimenez


Holofote garantido


‘A Record é uma mãe para os seus ‘fazendeiros’. Como forma de convencer os artistas a entrarem em seu reality show, A Fazenda, a emissora acertou previamente com eles contratos para outros trabalhos na emissora após o término da atração, em agosto.


Diferentemente dos ex-BBBs, que ficam como siriris na luz assim que acaba a ligação com a Globo, os participantes de A Fazenda já têm os minutos de fama mais garantidos.


Tanto é que os eliminados do reality já se arrumaram na Record. O consultor de etiqueta Fábio Arruda terá um quadro no Hoje em Dia. Outra que caiu fora do programa, Franciele Freduzeski foi contratada para fazer novela no canal. Miro Moreira vai pelo mesmo caminho. Ainda brigando por R$ 1 milhão, Daniele, a Mulher Samambaia, foi contratada pelo Show do Tom . Dani Carlos deve entrar nas novelas da casa, assim como Luciele Di Camargo.. Até Barbara Kobolt, que pediu para sair do reality, tem convite para virar repórter do Hoje em Dia.


A rede já trabalha na seleção dos integrantes da segunda edição de A Fazenda, que pode ir ao ar ainda este ano, com Brito Jr. no comando.’


 


 


 


************

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem