E a grande imprensa, sifu? | Observatório da Imprensa - Você nunca mais vai ler jornal do mesmo jeito
Sexta-feira, 17 de Agosto de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1000
Menu

DIRETóRIO ACADêMICO > FATO & NOTÍCIA

E a grande imprensa, sifu?

Por Gilson Caroni Filho em 09/12/2008 na edição 515

A pesquisa Datafolha, publicada na sexta-feira (5/12), foi um balde de água fria em uma festinha que prometia agitar os melhores salões do Rio e São Paulo. Mostrando que a avaliação positiva do presidente voltou a bater novo recorde, com 70% da população considerando seu governo ótimo ou bom, melhor índice obtido por um governante desde a redemocratização, arrefeceu a ofensiva que viria da fala presidencial para produtores culturais e artistas, em cerimônia destinada a tratar do Fundo Setorial do Audiovisual.

Usando uma analogia para explicar sua postura diante da crise econômica, Lula, de improviso, disse:

‘Se um de vocês fossem médicos e atendesse a um paciente doente, o que vocês falariam para ele? Olha, companheiro, o senhor tem um problema, mas a medicina já avançou demais, a ciência avançou, nós vamos dar tal remédio e você vai se recuperar. Ou vocês diriam: meu, sifu. Vocês falariam isso para um paciente de vocês? Vocês não falariam’.

O Jornal Nacional deu destaque com os expedientes de sempre. Na chamada, William Bonner, o apresentador que representa o que lê, franziu a sobrancelha e anunciou com entonação grave que o presidente teria empregado uma expressão ‘extravagante’.

Desarranjo intestinal

O jornal O Globo, na dobra superior da primeira página, não deixa por menos e dá como manchete: ‘Planalto censura fala chula de Lula’. Em matéria assinada por Maiá Menezes, lemos que ‘a palavra de baixo calão usada pelo presidente acabou sendo suprimida no site da presidência’. É interessante ver um veículo que publica artigos de Arnaldo Jabor se chocar com a corruptela empregada pelo presidente.

Haverá quem diga, até com certa propriedade, que o termo usado de improviso não é compatível com o cargo que ele ocupa. Não deve constar em discursos públicos de uma autoridade publica, principalmente de um presidente. Mas o arrazoado tem um viés por demais conhecido. Se olharmos atentamente para o padrão classista da grande imprensa, a fenomenologia da chegada de Lula à presidência já é apresentada como uma incompatibilidade imperdoável. O terno que substituiu o torno é a conciliação de uma antinomia por demais sedimentada para ser aceita pelas velhas elites.

Como é que aquele metalúrgico chegou ali? Como, tendo chegado, não só cumpriu o mandato como se reelegeu para outro? Por que é tão bem avaliado internacionalmente? Como ousa comparar os defensores do livre-mercado a um adolescente com desarranjo intestinal ao dizer que ‘filho quando tem crise, quando tem uma dor de barriga, volta para casa. Nesse caso, aliás, foi uma diarréia braba. E quem eles chamaram? O Estado que eles negaram por anos’.

Canto do cisne

Mas há na pesquisa, realizada entre os dias 25 e 28 de novembro, mais dados que incomodam o jornalismo dos oligarcas. Segundo a Folha de S.Paulo, ‘agora Lula teve reforçado o apoio sobretudo entre os mais jovens (mais nove pontos), os mais escolarizados (mais nove) e no Sudeste (também mais nove pontos)’. Ou seja, os supostos leitores, aqueles a quem são dedicados editoriais e colunas se deixaram hipnotizar pela esfinge. Para quem escreveram então?

Vamos esperar para ver as teses estapafúrdias, usadas pelos ‘cientistas políticos,’ em plantão permanente, para explicar os índices de aprovação do presidente Lula. Reconhecer que em algumas áreas este governo acertou e que o Brasil está melhor, está descartado de antemão. É preciso esconjurar o demônio barbudo.

O momento parece indicar que o melhor é manter as táticas do passado. As mesmas que levaram um presidente ao suicídio e, depois, o país a décadas de ditadura militar. A estratégia udenista da oposição cheira a guardado, a fundo de armário, a século 20. Não perceberam, embora se auto-intitulem bem-informados, que os anos 1990 foram o canto do cisne da sociedade de privilégios. E, ao se descolarem de uma realidade que lhes é incômoda, o diagnóstico está na corruptela presidencial: ‘Sifu’. É o que parece dizer a pesquisa Datafolha.

******

Professor de Sociologia das Faculdades Integradas Hélio Alonso (Facha), no Rio de Janeiro

Todos os comentários

  1. Comentou em 15/12/2008 Fernando Pinto

    Lamentemos a falsa ingenuidade da sra. Ismália. Aqui não tem ninguém bobo, minha distinta senhora? O que há é confronto de idéias, opiniões. Quem quer uma imprensa de qualidade e se diz isento ou não quer coisa nenhuma ou não sabe o que é isenção. Parabenizemos o texto.

  2. Comentou em 15/12/2008 Fernando Pinto

    Lamentemos a falsa ingenuidade da sra. Ismália. Aqui não tem ninguém bobo, minha distinta senhora? O que há é confronto de idéias, opiniões. Quem quer uma imprensa de qualidade e se diz isento ou não quer coisa nenhuma ou não sabe o que é isenção. Parabenizemos o texto.

  3. Comentou em 15/12/2008 Ivan Moraes

    ‘Sejamos racionais e façamos análises isentas. Está na cara que quem escreveu este texto tem uma posição política clara’: isso nao passa por ‘analise isenta’ por aqui porque o artigo so tem 10 paragrafos. Custava muito praticar o que voce pede aos outros? Em 10 paragrafos de analise de media num site de analise de media voce nao consegue apontar aonde esta essa ‘posicao politica clara’. Ta dificil?

  4. Comentou em 15/12/2008 Ivan Moraes

    ‘Atualizem o debate, se é que isso ainda é possível num país de analfabetos funcionais. Sempre procurando culpados para sua próprias limitações intelectuais. Antes era o imperialismo americano o culpado de tudo, agora é a globo e a mídia manipuladora’: analfabeto funcional eh selecionar os ‘entrevistadores’ de gilmar mentes que aquele homem selecionou, se negar a enxergar os inter-relacionamentos deles, e depois se surpreender muitissimo com a reacao de um publico que ja esta de saco cheio de mentira e manipulacao. Isso eh analfabetismo funcional. Eh culpa dos brasileiros tambem?

  5. Comentou em 15/12/2008 Beatriz Cleto

    ‘ Mas essas denúncias de Carta Capital, Caros Amigos, Azenha, Bob Fernandes e do trio esperança Nassif/Mino/Amorim não costumam dar em nada mesmo. ‘ É verdade, Thomaz. Só o que vem do jornalismo de esgoto de Veja e das pegadinhas da Folha e do Globo costumam fazer espuma.

  6. Comentou em 15/12/2008 Beatriz Cleto

    ‘ Mas essas denúncias de Carta Capital, Caros Amigos, Azenha, Bob Fernandes e do trio esperança Nassif/Mino/Amorim não costumam dar em nada mesmo. ‘ É verdade, Thomaz. Só o que vem do jornalismo de esgoto de Veja e das pegadinhas da Folha e do Globo costumam fazer espuma.

  7. Comentou em 15/12/2008 Clerton de Castro e Silva

    Não fugi não , fernandinho. Meus comentáriso é que não foram publicados.

  8. Comentou em 13/12/2008 Ney José Pereira

    Retifico: Um dos motivos da existência e da manutenção da SIFU-Sociedade Internacional dos Fodidos Unidos são as corruptelas. Mas, ratifico: Os corruptelões e os mensalões também são causas da existência e da manutenção da SIFU-Sociedade Internacional dos Fodidos Unidos. Mas, estão falsificando a história ortográfica da Lingua Portuguesa deste país. Não sabem nem ortografia nem prosódia, mas, tentam dar lição de concordância (se não concordarem damos a eles a nossa lição). Isso é o sinal do ‘excesso’ da militância da lulância. E a patrulha no tempo da ditadura era implícita. Agora na ‘era’ da companheiradura a patrulha é explícita. Pô, o AI-5 ainda não foi revogado?. E agora os prosélitos luláticos são também prosélitos gramáticos!. Rarará. Te cuida, professor Deonísio da Silva!. Mas, (te) -pronome pessoal- no início de frase ‘é errado!’. Então: Cuide se, professor Deonísio da Silva!. Mas, o companheiro Lula instalará uma sucursal da SIFU nos states. A Sifu ianque. Que será a SAFO-Sociedade Americana dos Fodidos Obamáticos. No tempo da ditadura os militares tentaram calar os civis. Na ‘era’ da companheiradura os civis tentam calar os civis. Que progresso, hein!. Ora me comparam ao tal Mainardi ora ao tal Simão. Pô, luláticos que são luláticos jamais lêem Mainardi ou Simão. Já me acusaram de ler jornal. Espero que não proíbam a leitura de livros. ‘olhem, ele lê livros!’. Rarará.

  9. Comentou em 12/12/2008 Clerton de Castro e Silva

    Está certo Alexandra, eu é que sou raivoso. Fui eu quem começou esta discursão inútil, com um personagem de igual inutilidade. Você venceu, fique com os louros da Vitória. Você é muito inteligente. Tchau. Cansei do quarteto fantástico.

  10. Comentou em 12/12/2008 Andrea Guedes

    Alexandra, nós, meninas mimadas, que resolvemos virar comunistas nos livramos de uma boa. Evitamos essa direita grosseira que, quando contrariada, mostra sua natureza neandertlesca. Clerton, que vergonha! Você deveria procurar outros lugares para deepejar sua falta de educação. O que deve ser debatido aqui são idéias. Aprende!

  11. Comentou em 12/12/2008 Ivan Moraes

    ‘Tenho todo direito de emitir meus comentários aqui neste espaço e não serão estas figurinhas carimbadas que vão me patrulhar’: vou sim. Voce falsificou a historia dos comentarios e eu te perguntei quem fez o que primeiro. Sua vez.

  12. Comentou em 12/12/2008 Ivan Moraes

    ‘Tenho todo direito de emitir meus comentários aqui neste espaço e não serão estas figurinhas carimbadas que vão me patrulhar’: vou sim. Voce falsificou a historia dos comentarios e eu te perguntei quem fez o que primeiro. Sua vez.

  13. Comentou em 12/12/2008 Alexandra Ramos

    Clerton quem é figura carimbada é você. Claro que você tem todo direito de emitir suas opiniões livremente. Eu preciso muito delas para dar boas gargalhadas.
    Alexandra da Vida

  14. Comentou em 11/12/2008 Alexandra Ramos

    A pobreza com que a direita do OI ataca os artigos do professor Caroni chega a dar pena. Quem, entre eles, tem um nome como Wanderley Guilherme dos Santos. Queriam ter nomes desse quilate, mas só lhes sobra o Reynaldo Azevedo, Mainardi e Olavo de Carvalho. O resto é imprensa diária

  15. Comentou em 10/12/2008 Thomaz Magalhães

    O professor petista Gilson Caroni está treinando para ser ele o ‘wanderley’ da vez, o defensor petista, quando o lulopetismo pisar na jaca de novo e tivermos um novo ‘silêncio dos intelectuais’.

  16. Comentou em 10/12/2008 Luiz Fernando Maia

    Dirão que e o quê? Uma expressão indigna para um Presidente. Ora nunca fui tão humilhado como quando Fernandinho chamou aposentado de vagabundo e o chanceler brasileiro tirou a meia em aeroporto americano? Ali não havia decoro algum e o Jornal Nacional achava bonitinho. Não encham minha paciência, porra.

  17. Comentou em 10/12/2008 Andrea Guedes

    Na sexta eles deram o maior destaque sobre a subida do Dolar, quando o mesmo chegou a R$ 2,50.Na segunda deram a seguinte notícia: Bolsa…., etc., Dolar fechou o dia valendo R$ 2,48.Não mencionaram que o mesmo tinha desvalorizado, diferentemente de quando sobe.É sempre assim; ou omitem ou dizem meias verdades.Quem ouve atentamente e raciocina vê que eles são mal intencionados. E na audiência…………sifu.

  18. Comentou em 10/12/2008 Bianca Borges

    Esse é o triste papel que a imprensa brasileira, principalmente a Globo, cumpre com prazer. Nem se importam com a própria desmoralização.

  19. Comentou em 09/12/2008 Simone Sarmento

    Não vi a Globo comentar uma vírgula sequer do parecer do Lula sobre a crise mundial, assunto muito mais importante e que certamente merece mais a atenção e tempo de profissionais da competência e do custo que a Rede Globo mantém em sua folha salarial.Meu parecer e opinião sobre o fato resume-se, finalmente, a duas palavras: PROFUNDAMENTE LAMENTÁVEL

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem