Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

DIRETóRIO ACADêMICO > ESPANHA

Exibição de touradas perde financiamento obrigatório

18/12/2007 na edição 464

A Câmara Alta do Parlamento da Espanha aprovou, na semana passada, medida que deixará, pela primeira vez na história, veículos de mídia estatais sem o financiamento obrigatório para a transmissão de touradas. Sob o plano orçamentário de nove anos da emissora pública TVE, que passa a valer no ano que vem e já foi aprovado pelo Senado, o financiamento para a exibição das touradas é considerado ‘opcional’, em vez de ‘obrigatório’, como no passado.

O Mesa Del Toro, principal órgão que representa o setor das touradas, emitiu uma carta aos partidos políticos com representação no Parlamento expressando sua ‘profunda preocupação’ sobre a medida, que deve constituir um ‘sério prejuízo’ à atividade. Na carta, o grupo informa que as touradas geram US$ 3,7 bilhões em lucros anualmente, atraem milhões de telespectadores e são o segundo programa mais popular do país ‘entre as massas’, depois do futebol.

Tradição em baixa

O primeiro programa exibido pela emissora estatal, em 1948, foi uma tourada. A exibição do evento era, até recentemente, regular na programação. Mas a TVE anunciou em agosto que não mais transmitiria touradas ao vivo para proteger os telespectadores mais novos de sua demonstração de violência – os eventos continuam a ser exibidos, entretanto, em emissoras regionais e nos canais a cabo.

As críticas às touradas parecem estar crescendo na Espanha, com grupos de oposição em especial na região da Catalunha. Segundo pesquisa anual do instituto Gallup, o apoio à tradição vem caindo: de acordo com a mais recente, 72% dos espanhóis não têm interesse nas touradas. Informações da AFP [12/12/07].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem