Terça-feira, 21 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº966

DIRETóRIO ACADêMICO > IMPRENSA CATARINENSE

Manchetes mostram fatias de mercado dos jornais

Por Monitor de Mídia em 24/04/2006 na edição 346

Um dos aspectos que ajudam a definir uma manchete é a proximidade do fato relatado. Dentre os 24 critérios apontados por Mário Erbolato, o da proximidade é considerado o primeiro deles – mesmo sem adotar uma escala de importância. Em Técnicas de Codificação em Jornalismo, o jornalista e teórico da área enumera os valores que sustentam a prática jornalística.

Tomando como base a proximidade, este MONITOR DE MÍDIA já publicou uma análise de matérias esportivas, destacando o caráter desses textos informativos. Voltamos ao assunto e analisamos as manchetes de 1º a 5 de abril dos principais jornais catarinenses.

A Notícia

Com assuntos equilibrados, o AN trouxe a cada destaques diferenciados. Como observado, assuntos relacionados ao estado de Santa Catarina tiveram uma pequena vantagem (por um) sobre os outros assuntos. Veja as manchetes:

1º de abril: ‘Eleições provocam 33 baixas no governo Luiz Heinrique’ – sobre a saída dos políticos para concorreram às eleições. Manchete de caráter estadual.

2 de abril: ‘A classe média agoniza’ – AN Economia, estudo feito pela Unicamp – Manchete de caráter nacional.

3 de abril: ‘A páscoa dos importados’ – a baixa do dólar e a repercussão nos preços – Manchete de caráter global.

4 de abril: ‘Governador se licencia, mas promete renúncia para junho’ – da saída de LHS para concorrer nas eleições – Manchete de caráter estadual.

5 de abril: ‘Uma chance para o meio ambiente’ – sobre um congresso em Joinville que discutiu educação e desenvolvimento sustentável – Manchete de caráter regional.

Diário Catarinense

Assuntos de alcance nacional tiveram destaque no período analisado. Sem nenhuma manchete relacionada a Florianópolis e ao mundo, o jornal destacou o Estado. Mas a maior incidência foi de manchetes de repercussão nacional. Veja as manchetes:

1º de abril: ‘Eleições mudam oito ministérios e 31 cargos no Estado’ – sobre a movimentação e saída dos políticos pelas eleições – Manchete de caráter estadual.

2 de abril: ‘Por que falta ética’ – reportagem especial sobre a ética dos cidadãos brasileiros – Manchete de caráter nacional.

3 de abril: ‘Catarinense morre na queda de avião no Rio’ – a morte de um catarinense fora do estado – Manchete de caráter estadual.

4 de abril: ‘Relatório da CPI abre guerra no Congresso’ – as discussões que ocorreram com o relatório – Manchete de caráter nacional.

5 de abril: ‘CPI busca consenso para definir relatório’ – as negociações que envolveram o relatório – Manchete de caráter nacional.

Jornal de Santa Catarina

O Santa destacou a região do Vale do Itajaí, com ênfase em Blumenau. Nada de repercussão em toda Santa Catarina, país ou mundo foi relacionado. Como descreve a seção Institucional de seu site (http://www.santa.com.br), o Jornal de Santa Catarina cobre e destaca ‘toda a Região dos Vales e no litoral norte catarinense, cobrindo as principais cidades do Estado e mais de 40% de sua população’.

1º e 2 de abril: ‘Um rio maltratado’ – sobre a degradação do rio Itajaí-Açú – Manchete de caráter regional.

3 de abril: ‘Prefeitura corta benefício fiscal de 624 contribuintes’ – os cortes feitos pela prefeitura de Blumenau – Manchete de caráter regional.

4 de abril: ‘Busca a helicóptero mobiliza o Alto Vale’ – das buscas ao helicóptero que caiu na região – Manchete de caráter regional.

5 de abril: ‘Faltam policiais. E outros querem sair’ – a baixa no efetivo da polícia em Blumenau – Manchete de caráter regional.

De maneira geral, o que se viu foi um reforço nas capas dos mercados explorados pelos jornais. Quer dizer: diários mais localizados priorizaram assuntos mais regionais no alto de suas primeiras páginas; jornais com alcance mais amplo escolheram temas mais nacionais…

Um ano sem João Paulo II

Em sua edição de domingo (dia 4), A Notícia lembrou a morte de Karol Wojtyla. Com chamada de capa que indicava a editoria Mundo, a matéria ‘Santidade de João Paulo 2º ainda demora’ trouxe uma rápida biografia do ‘primeiro papa não-italiano em 500 anos’. Mas o ponto principal da matéria foi o processo de canonização, além de toda a discussão sobre o ‘salto’ proposto sobre as etapas. Além disso, lembrou a passagem do pontífice quando esteve em Santa Catarina. No dia seguinte, uma chamada indicava a matéria ‘João Paulo guiou Igreja Católica, diz papa Bento’. Em uma matéria simples, descreveu as missas e homenagens do dia anterior.

O Diário Catarinense também lembrou a morte do papa. No dia 2, uma chamada de capa indicava para ‘João Paulo II, o Grande’ em um grande infográfico, ocupando a totalidade de duas páginas, com um tratamento gráfico especial. Incomum nos jornais locais, as informações estavam dispostas como na distribuição gráfica de uma revista. Havia depoimentos de diversas pessoas, tantos dos feitos como do funeral de Karol Wojtyla. A biografia foi mostrada através de uma linha do tempo, que dividiu espaço também com as etapas e explicações do processo de canonização. Sem chamada de capa, o dia 3 trouxe ‘Papa Bendo XVI lembra o legado de João Paulo II’, tratando de forma resumida os acontecimentos do dia anterior.

No Jornal de Santa Catarina, não havia nada acerca da morte de João Paulo 2º na edição conjunta, do final de semana, 1º e 2 de abril. Somente na segunda-feira, o Santa lembrou o primeiro aniversário da morte de Karol Wojtyla numa pequena nota: ‘Fiéis lembram aniversário da morte de João Paulo II’. Nela detalhou como transcorreram as missas em homenagem do dia anterior. Ainda na nota, houve a indicação de um link do site ClicRBS que continha fotos das homenagens.

Tempo técnico na política

Por que falta ética? Deveria ter sido a pergunta de capa do Diário Catarinense no dia 2 de abril. No entanto, a manchete ‘Por que falta ética’ não apresentava ponto de interrogação, obrigatório em frases que perguntam.

A reportagem especial ocupou as páginas 4, 5 e 6. O texto de abertura de Moisés Mendes, ‘À procura da ética’, comentou a perda de credibilidade dos brasileiros em instituições públicas. Também na página 4, uma matéria trouxe pesquisa realizada pelo Ibope, onde ‘75% dos pesquisados admitem que cometeriam pelo menos um ato de corrupção se estivessem em cargos públicos’. Na página 6, os relatos da dança da deputada Angela Guadagnin (PT-SP) estiveram em ‘As marcas recentes e a afronta’. Na mesma página, o box ‘Memória’ trouxe denúncias de corrupção na história do Brasil. Apesar da falha na construção da manchete, o DC cumpriu bem seu papel de mediador de informação. Através dessa reportagem especial, o jornal explicou o conturbado momento da reprovável conduta ética apresentada por alguns políticos.

A segunda dos primeiros

Na segunda, dia 10, o DC dedicou a maior parte da capa para ‘O maior campeão de SC’. O triunfo do Figueirense e de outros campeões estaduais contagiou o caderno esportivo que sai às segundas-feiras. Das 15 páginas do suplemento, 13 continham informações dos jogos e a comemoração de jogadores e torcidas. Além do destaque ao campeão catarinense, a história do clube esteve presente nessa edição.

Para os torcedores do Joinville Esporte Clube, a matéria ‘JEC lamenta a falta de pontaria’ mostrou o clima do técnico e torcedores após a derrota. Como um ‘presente’ para os leitores, no centro do caderno esportivo, havia um pôster dos jogadores do Figueirense.

Na segunda, dia 10, o AN destacou a vitória do time de Florianópolis, e outros campões estaduais, em metade de sua capa. O ANEsporte apresentou os resultados dos jogos pelo país: ‘Santos quebra jejum de 21 anos’, ‘Festa do Grêmio na casa deles’ e ‘Paraná empata com Adap e garante título em Curitiba’. Além dos vitoriosos, mostrou também a situação do JEC diante dos torcedores: ‘Cabisbaixos e num ambiente esvaziado, os tricolores procuraram enaltecer o adversário a dar explicações mais profundas de mais um triste final sem alegria para o torcedor’. Matérias sobre a preparação para o Brasileirão e outras competições completaram o caderno.

De olho no espaço 1

O Diário Catarinense acompanhou a ida do tenente-coronel Marcos Pontes ao espaço. Com matérias descritivas, trouxe os detalhes da aterrissagem, acoplagem e pouso da nave na Terra, além da rotina dos tripulantes da expedição. O periódico destacou que a ‘Missão Centenário foi um incentivo para várias escolas brasileiras’, inclusive catarinenses. Depois da viagem espacial, alunos e professores começaram a fazer mais pesquisas científicas, feiras de ciências e iniciação à Astronomia. Pôde-se perceber nas matérias o uso freqüente de material das agências de notícias.

‘O objetivo declarado é apoiar estratégias de conservação – muito nobre (…). A dúvida que fica é como será possível usar o conhecimento na prática terráquea’. Com essa menção na reportagem ‘Nave com o brasileiro já está na estação’, de 02/04, o jornal deixou claro certa desconfiança quanto às reais vantagens e benefícios da Missão Centenário. Já no Diário do Leitor, no dia 03/04, pôde-se ler elogios ao patriotismo de Marcos Pontes durante toda a empreitada.

Na seção Variedades, dos dias 1º e 5 de abril, Sérgio da Costa Ramos trouxe em suas colunas dois textos direcionados a Marcos Pontes, expressando certa falta de apreço com o feito do astronauta. Isso ficou claro com a citação final da coluna no dia 05/04: ‘Prezado Marcos: perdoe a digressão e a lembrança de que és pó…’ Até porque estou apenas antecipando o fato de que ao pó reverterás, daqui a exatamente quatro dias’.

De olho no espaço 2

A Notícia dedicou espaço ao brasileiro astronauta. Desde o dia 1º de abril, o periódico veio acompanhando a rotina do tenente-coronel Marcos Pontes, mesmo antes de chegar à Estação Espacial Internacional. O jornal aproveitou, em grande parte das matérias, informações diretas das agências de notícias. Isso fez com que muitas fossem idênticas à de outras publicações.

O uso de infográficos, como ‘Experiências’ (no dia 02/04) e ‘Astronauta chega hoje’ (08/04), criou um diferencial nas materias e explicou o que aconteceria nessa estadia. Além da rotina espacial, o AN acompanhou a repercussão da expedição na Terra. Nas matérias ‘Lula recomenda a Pontes que transmita esperança’ e ‘Pontes conversa com estudantes’, dias 06 e 07 respectivamente, o jornal mostrou os olhares brasileiros no espaço e suas perspectivas.

Houve pouco material opinativo sobre a viagem. Durante o período, nenhum editorial tratou do assunto. No dia 03, uma charge do cartunista Frank brincou com as experiências do brasileiro: ‘Não, presidente, ainda não sabemos se chuchu cresce no vácuo’, nas palavras do personagem. O tema também foi usado na crônica de Eduardo Socha no dia 04: ‘Semana agitada a passada: pelo menos para alguns brasileiros que foram para o espaço, literalmente’.

De olho no espaço 3

O Jornal de Santa Catarina não fez muito alarde com a ida do brasileiro Marco Pontes ao espaço, a cobertura foi superficial. No dia 03/04, em matéria acompanhada com foto da tripulação, a viagem espacial foi abre da editoria Mundo: ‘Brasileiro pede que cientistas usem estação’. No dia seguinte, o jornal blumenauense apenas destacou citações do brasileiro na coletiva dada à imprensa e fez menção da mudança de sua aparência física.

O Santa foi o único a trazer a notícia sobre o radioamador de Pelotas (RS) que fez contato com o astronauta. Um box contendo todo o diálogo de poucos minutos acompanhou a matéria, presente no caderno Geral.

O dia 10/04, a chegada de Pontes foi destaque na editoria Mundo: ‘Dever cumprido na odisséia do espaço’. Além disso, em ‘Brasil pode lançar seu próprio foguete’ debateu a importância do investimento em pesquisas espaciais. Couberam ainda os louvores do presidente Lula ao astronauta, em ‘Lula elogiou o desempenho, dedicação e simpatia do tenente Pontes’. Apenas uma das matérias constava como fonte a Agência RBS.

******

Site do Monitor de Mídia

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem