Segunda-feira, 09 de Dezembro de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1066
Menu

DIRETóRIO ACADêMICO >

Modelo curricular para o ensino de jornalismo

08/02/2011 na edição 628

[do release da Unesco]

Os currículos para ensino de jornalismo nos países lusófonos podem agora ser planejados de forma muito mais sistemática e coordenada. A Unesco acaba de lançar a versão em português do Modelo curricular da Unesco para o ensino do jornalismo, que está a disposição das instituições de formação de jornalistas e profissionais do Brasil e de outros países de língua portuguesa. No caso específico do Brasil, a Unesco espera que o documento possa ser uma ferramenta útil no debate acerca das novas diretrizes curriculares para os cursos de jornalismo e para a futura implementação das mesmas, tão logo aprovadas pelo Conselho Nacional de Educação.

O Modelo Curricular da Unesco para o ensino do jornalismo fornece modelos genéricos que podem ser adaptados de acordo com as necessidades específicas de cada país. A publicação reconhece os contextos social, econômico, político e cultural dos países, destacando a conexão entre democracia e jornalismo e defendendo uma abordagem mais interdisciplinar nos centros de formação em jornalismo.

O desafio para qualquer jornalista é apresentar os fatos de um ângulo interessante e relevante. Isto exige habilidades avançadas de verificação de informações, adquiridas em experiências educacionais multi-disciplinares. Para enfrentar este desafio, o ‘Modelo Curricular da Unesco para o ensino do jornalismo’ oferece uma estrutura de educação abrangente que pode ser adaptada a necessidades específicas.

Audiência pública

Desenvolvido por meio de um processo de consulta global num período de dois anos, o Modelo Curricular foi aprovado no primeiro Congresso Mundial de Ensino em Jornalismo (25-28 de junho de 2007, Cingapura). O Modelo Curricular não pretende ser prescritivo, mas sim, fornecer modelos para serem adaptados por educadores da área de jornalismo para atender às necessidades locais conforme os recursos disponíveis.

Em outubro de 2010, a Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação (CNE) realizou uma audiência pública para discutir as mudanças propostas para o currículo de ensino de jornalismo apresentadas por uma Comissão de Especialistas instituída pelo Ministério da Educação (MEC). O relatório com as propostas de mudança incorporou recomendações da Unesco, inclusive da publicação Modelo Curricular para o ensino do jornalismo.

‘Desafios inéditos’

O coordenador do Setor de Comunicação e Informação da Unesco no Brasil, Guilherme Canela, representou a organização durante esta audiência pública que reuniu especialistas do MEC, entidades de representação dos jornalistas, instituições de ensino superior de jornalismo, estudantes, empresas de comunicações, entre outros. Canela destacou as principais contribuições da Unesco para a melhoria da educação na área e congratulou a iniciativa do governo brasileiro em debater mudanças curriculares com diversos setores da sociedade.

Professores de jornalismo ressaltaram a importância da contribuição dada pela Unesco para a melhoria da qualidade dos cursos brasileiros de jornalismo. A professora Sônia Virgínia Moreira, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), observou que o ensino de jornalismo é um desafio enfrentado por profissionais e educadores em todos os países e que envolve demandas tecnológicas, formas de acesso à informação e diversidade de culturas. ‘A versão em português do Modelo Curricular da Unesco para o ensino do jornalismo considera todos esses aspectos e chega em boa hora no Brasil, ao contribuir com elementos claros e precisos para o debate inadiável sobre os caminhos possíveis para a formação em um campo que se mantém relevante para a sociedade’, defendeu.

Para o professor Luiz Gonzaga Motta, da Universidade de Brasília (UnB), o documento da Unesco ‘fornece uma sistematização para ampliar o debate sobre a formação profissional e situa a questão no contexto das democracias contemporâneas’. ‘O jornalismo está em crise em todo o mundo. Crise originada pelas novas tecnologias, crise no negócio do jornalismo, nas práticas profissionais e nos conteúdos oferecidos. A crise traz desafios inéditos para a formação do jornalista’, analisou.

Com esta publicação, o Modelo Curricular para o ensino do jornalismo está disponível em oito idiomas: árabe, chinês, inglês, francês, nepalês, russo, espanhol e português. Para fazer o download da publicação em português, por favor clique aqui.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem